foto de Marcos Eifler


"Blog de cotidiano, fofocas, informação e entretenimento"


MUITO CIGARRO

Marcelo Villas Boas disse a um colega que andava fumando 80 cigarros/dia.

A MORTE DE RICHIE HAVENS!



LEMBRO DELE NA ABERTURA DO WOODSTOCH.como cantou aquele ' n.,...' naquele festival. Dizem que contou com a sorte porque o grande congestionamento atrasou os demais cantores e ele mandou bala.

Vi o filme várias vezes no cine MARABA que ficava na cidade baixa.depois em sessões cult...

gRANDE rICHIE, QUE SUA MEMÓRIA SEJA PRESERVADA!

VOLTOU O REMINDO. UFA PRECISAVA DE UMA OPERAÇÃO DA PF(oLIDES CANTON)


ESSA É BOA
O locutor da Bandeirantes na parte da tarde, o extrema direita Diego Casagrande, colocou um ouvinte para falar sobre as prisões desta manhã que largou uma boazinha:
– "O Zachia que comenta sobre futebol no JOGO ABERTO na própria Bandeirantes vai agora comentar no JOGO FECHADO..."
Neste instante, o locutor e amigo do Zachia, cortou o ouvinte e fez uma enrolação de "caiu a linha".

FRUSTRAÇÃO
Mais uma vez a imprensa tem sua espectativa frustrada, nenhum político do PT envolvido nas concussões nas Secretarias de Meio Ambiente.

ZACHIA DE NOVO
O secretário municipal do Meio Ambiente Luiz Fernando Salvadori Záchia é réu da Operação Rodin. O ex-deputado é investigado juntamente com outros réus por ter tido seu nome citado em interceptações telefônicas da Polícia Federal que o ligam a organização criminosa que desviava recursos do Detran-RS.

MAIS UMA DOBRADINHA PCdoB e PPS
Olha o que deu o namoro entre o PPS e PCdoB, Carlos Niedersberg e Befran Rosado estão detidos juntinho na Polícia Federal.

Remindo Sauim, de Canoas

Domingo no Parque

Show de Nei Lisboa

fotos avani.stein


COLEGUINHAS

MARCELLO VILLAS BOAS teve um AVC no sábado passado. Está internado no quarto 605 do Mãe de Deus.

O ' AGRICULTOR' ADELI SELL


Adeli Sell

Além de todas as atividades que exerce, o presidente municipal do PT,Adeli Sell, aproveitou o fim de semana e tomou um avião com a esposa, pra Chapecó. De lá,seu cunhado o pegou de carro até um sítio que ele tem em Nonoai(RS). São apenas 38 km.

Ficou lá ' plantando' tomates, melhor cuidando dos 5 mil pés que tem.

Foi descoberto pelo prefeito de Nonoai, do PP e mais outros políticos. Ai foram até Trindade, que é vizinho de Nonoai.

Pra não deixar a barrica roncar de todo mundo, Adelli cozinhou pros amigos uma baita galinha caipira.

Diz que tem 'índio' de lá que comeu tanto que tá roncando até hoje,segunda.

O DILEMA DOS CANDIDATOS PRESIDENCIAIS

Autoria: Carlos Chagas

Quatro candidatos às eleições presidenciais já se definiram, ainda que até outubro do ano que vem surpresas possam e devam acontecer: Dilma Rousseff, Aécio Neves, Eduardo Campos e Marina Silva. Mais duas hipóteses estão em aberto, ainda que em zona de sombra: Joaquim Barbosa e José Serra.
Seria oportuno que em meio às preliminares de suas campanhas já iniciadas, mas ainda não reconhecidas, todos eles atentassem para alguns postulados necessários ao bom desempenho de suas candidaturas e, mais tarde, para apenas um deles, o exercício do poder.
1. Começando pelo próprio, deveriam atentar que o poder consiste em meio de transformação, seja social, econômica ou política. Conquista-lo sem um programa definido de mudanças, apenas como preservação da realidade, ou pior, como satisfação pessoal, será antes de tudo burrice. À exceção de certas exortações e outro tanto de críticas, qual dos referidos candidatos demonstra dispor de um elenco de objetivos a alcançar? Não basta apregoar a continuidade do que vem sendo desenvolvido, no caso de Dilma. Nem prometer a volta ao sonho tucano, como Aécio. Muito menos fazer a mesma coisa, só que melhor, como Campos. Ou sequer levantar a preservação ecológica feito sua maior bandeira, como Marina. Cada uma das bissextas definições dos quatro postulantes visa no máximo uma finalidade prática, jamais, pelo menos até agora, um discurso integralizado, muito menos uma construção lógica. Não tem sido capazes de generalizar, nem de prever. Carecem de imaginação criadora.
2. Aos candidatos torna-se obrigatório não selecionar privilegiados para dirigir suas campanhas e, mais importante, o governo de um deles, depois. Precisariam desde já livrar-se do espírito de casta, parar de incentivar os medíocres e reduzir os bajuladores à impotência. No reverso da medalha, conscientizar-se de que falta a um só indivíduo força para promover transformações, tornando-se imprescindível o concurso de uma equipe, não necessariamente de um partido. Ou melhor, sem comprometer-se exclusivamente com qualquer partido.
3. Deveriam, os candidatos, ter presente que as novas gerações ignoram aquilo que as velhas insistem em esquecer. Traduzindo: suas mensagens deveriam dirigir-se prioritariamente ao eleitorado jovem, sabendo que falando aos moços estarão ao mesmo tempo despertando as camadas mais antigas. A ferrugem dos ressentimentos próprios a todo ser humano não deve corroer a determinação de promover mudanças com quantos possam impulsioná-las. Dividir a sociedade entre mocinhos e bandidos nunca deu certo, nem politicamente.
4. Por último, o que prometer, além do combate à corrupção, para uns, e a permanência do assistencialismo, para outros? Não basta ficar alardeando que vão estender a educação para todos ou construir casas populares para os desabrigados. Que reformas sensibilizarão o eleitorado, desde que apresentadas de forma científica e sistematizada? Existem denominadores comuns, é óbvio, reformas com as quais todos concordam, ainda que a maioria não tenha sido implantada. Dessas nem é preciso falar muito: alterar o sistema eleitoral, partidário, tributário e federativo. Agilizar a Justiça, ampliar o ensino, melhorar a infra-estrutura. Só isso, porem, não despertará entusiasmo. Necessário para os candidatos torna-se avançar, cada um dentro de suas concepções, ainda que até agora todos dêem a impressão de formar a mesma massa insossa e inodora. Reforma agrária e extinção do latifúndio será coisa do passado? Participação dos empregados no lucro das empresas equivalerá mesmo a sufocar a competitividade? Concentrar a riqueza no topo da pirâmide fará com que necessariamente ela escorra até a base? Comprimir salários em nome do desenvolvimento da economia aumentará a produtividade? Taxar o assalariado implica em desafogar o privilegiado?
Os candidatos tão antecipadamente lançados na campanha defrontam-se com excepcional dilema: continuar a desenvolver campanhas mornas e despojadas de interesse ou lançar-se na verdadeira discussão de nosso futuro. Quem sabe?

QUANDO ERA DEPUTADO, LUIZ FERNANDO ZACHIA APRESENTOU ESTE PROJETO, QUE NÃO PASSOU.

clique aqui para ler o Diário Oficial de Porto Alegre

BRIGA DE IRMÃOS?

A NÃO CONCESSÃO AO ALVARÁ DO BISPO R.R.SOARES pra contruir sem TEMPLO na frente da Rodoviária tem a ver com um partido ALIADO DE FORTUNATTI o PRB 10???? Este partido tem dois vereadores, Sefora Mota e Valdir Canal?

MEIA HORA PRESO!

O ex-vereador e presidente municipal do PSD - vice da chapa da Manuela na ultima eleição - ficou apenas MEIA HORA PRESO.hoje de manhã.

pIOR. TODOS OS DEMAIS COLEGUINHAS SEM CONFERIR FORAM ATRÁS DA INFORMAÇÃO DIVULGADA POR UM ' CANHÃO' DO RADIOJORNALISMO GAÚCHO!

DEPOIS ELE ENTROU NO AR....

' CACHORREIRO'

NO DOMINGO, UM PASSEADOR DE CÃES CAMINHAVA PELA CEL.VICENTE! VIROU PROFISSÃO!


DOMINGO DE TARDE

NO SOL DA TARDE OUTONAL-QUASE VERÃO DO ULTIMO DOMINGO - UMA MUSICA ENSAIAVA UM VIOLINO!

EIS UMA PORTO ALEGRE

QUE NINGUÉM ' Vê"

lIXO E SEM TETO VICEJAM PELA CIDADE. ESTES SÃO DA CEL.VICENTE, NO CENTRO DA ' CAPITAL SORRISO'

CELEBRIDADES DO

JORNALISMO PASSARAM O DOMINGO EM PORTO ALEGRE

Duas 'CELEBRIDADES' DO JORNALISMO ATUAL PASSARAM O DOMINGO NA CAPITAL - depois ainda me acusam de ser ' fofoqueiro".

Um o Adriano MAZZARINO, de Encantando chegou na rodoviária, me ligou e depois foi ver a exposição sobre a COMISSÃO DA VERDADE NO GAZOMETRO.

A outra celebridade foi ver o SHOW DO NEI LISBOA NA REDENÇÃO.


Foi a fotografa MARLENE BERGAMO - SIM É IRMÃ DA COLUNISTA MONICA - que fez um pit stop em Porto Alegre.

Voltou ontem as 6 da matina pra SAMPA!

gente COISA É OUTRA FINA.

Já o velho MAZZA pegou o buzun das 4 da tarde pra voltar a encantado!

VI ESTE FILME NO SABADO QUE RECOMENDO.

NO FIM, A GENTE SAI ATONITO DO CINEMA.

FAZ PENSAR!


HISTORIAS DA GUAIBA

A Guaíba tá de niver hoje, dia 30.4 Parabéns a todos de lá. Sou um ouvinte inveterado, principalmente dos tempos do Pedrinho Pereira, Ranzolin, Belmonte. FAGomes e por aí afora. Agora ouço o tosco POLACO, mais chamado de Mendelski, que tem talento,sim senhores.

Foi inaugurada em 1957, numa solenidade no TSP, onde quem falou foi o ARLINDO PASQUALINI, homem forte do BRENO CALDAS.

Aqui vai mais uma HISTORINHA QUE O AMIR DOMINGUES, QUE ENTROU LÁ QUANDO ELA FOI FUNDADA ME CONTOU EM 2006.

O ' BARBUDO' TAVA DORMINDO

Por isto não saiu a entrevista!

Amir me contou esta história saborosa, cheio de malícia e bom humor. Ele mesmo disse;

- QUEM IRIA ACORDAR O COMANDANTE que dormia na hora que sobrevoaram PORTO ALEGRE.

O fato foi este:

Era 1961. Teve uma conferência entre os países latinoamericanos, em PUNTA DEL ESTE.

FIDEL CASTRO voltava de lá. Ele estava na moda. Era a bola da vez. ERA EL COMANDANTE, como se diz.
A Guaíba montou com o engenheiro HOMERO SIMON e o proprio Amir Domingues, um esquema pra ouvi-lo.

Como o pessoal da Guaíba se dava muito bem com o PESSOAL DA PANAIR DO BRASIL , e a empresa tinha uma estação em Porto Alegre foi marcado uma entrevista com o COMANDANTE que concordou.

Então quando o avião estivesse cruzando o o RS, a GUAIBA entrevistaria ele. Amir de terra e ele falando do ar.

através da emissora da PANAIR que ficava no bairro são joão, por ali.

Tudo preparado na hora se testou a comunicação e o comandante disse par aum dos auxiliares de FIDEL QUE TA VA TUDO PRONTO PRA ELE VIR.

Quando esta pessoa junto ao FIDEL- ISTO FOI CONTADO AO PESSOAL DA GUAIBA DEPOIS - ACONTECEU DE O COMANDANTE ESTAR RONCANDO,SIM SENHOR, NUM BAITA SONO.

E quem teria coragem de acordar EL COMANDANTE?
nEM PENSAR.

qUANDO ELE FINALMENTE ACORDOU, DEPOIS DE ALGUNS RUNS QUE TINHA TOMADO A BORDO E DE TER FUMADO SEU CHARUTO PREFERIDO, JÁ TINHA PASSADO E NÃO DEU MAIS PRA ENTREVISTAR O FAMOSO POLITICO.

aMIR TEM UM CONSOLO. EM COMPENSAÇÃO ENTREVISTOU O PRIMEIRO MINISTRO DE PORTUGUAL, MÁRIO SOARES E O PREMIO NOBEL DA PAZ, ADOLFO PERES ESQUIVEL.

NA HORA DO LANCHE!

Cauê Nascimento e Nelson na salinha JCTerlera na hora do recreio.

'XOREDER' deu entrevista no FRENTE A FRENTE


Zé Nunes e "Xoreder" na Rua da Praia, dias atrás!


Celso Augusto, como o JCTorves costumava chamá-lo no Sindicato dos Jornalistas
deu entrevista no FRENTE A FRENTE DA tve. nA BANCADA, NINGUÉM FOI MUITO INCISIVO COM O PRESIDENTE DA FENAJ, que é um ALGODÃO ENTRE OS CRISTAIS NO MEIO JORNALISTICO. ' XOREDER' É O CLÁSSICO POLITICO. NÃO ME ESPANTARIA SE UM DIA VIESSE A SUSTENTAR ALGUM MANDATO.

Memória Política

Nestor brigava com

MANSUETO.

VOLTA AMANHA,VIA ESFRIAR A CABEÇA dizia o prefeito


Todo mundo que conheceu NESTOR FEDRIZI - que foi também da UH de Porto Alegre - sabe o quanto ele era esquentado.


qUANDO TRABALHOU COM MANSUETO SERAFINI, NA PREFEITURA DE CAXIAS DO SUL, NOS ANOS 70, ele brigava com o prefeito - acho que era chefe de gabinete - e dizia vou embora daqui.

Mansueto que conhecia o amigo e colaborador, não esquentava a cabeça.

- NESTOR VAI PRA CASA ESFRIAR A CABEÇA DEPOIS AMANHA TU VOLTA

E era sempre o que ocorria.
Uma vez - que me contou isto foi o próprio filho,Alfredo - Nestor que era da equipe do governador Pedro Simon - pai e filho se encontraram no gabinete do governador. Nestor que ia saindo do gabinete disse pro filho Alfredo, que ia entrando(era o presidente da TVE)

- Olha como é trabalhar com o Simon. De 15 assuntos, ele não decidiu nenhum. Mandou falar com o Koff(Fábio) que era o chefe da Casa Civil.

SEM PULO - TÚNEL DO TEMPO

Rudimar Thomas

CASSIA CARPES

o artigo que saiu aqui está no informativo da semana do deputado cassia carpes. Para honra deste site(Olides Canton)

clique aqui para ler

Repercute em são borja a situação do deptuado Cassia carpes!

Folha de Estrela

Amigo Olides
segue capa desta semana da Folha de Estrela com a desfiliação do ex-deputado Hélio Musskopf do PMDB. Noticia interessante porque ele sempre esteve no partido sendo um de seus fundadores a quase 50 anos. Foi prefeito e deputado 2 vezes com mais uma suplência, além de ocupar cargos em nível estadual. Tinha transito livre no PMDB gaúcho.
abrçs
Paulo Quevedo

clique aqui para ler


Hélio Musskopf


Hélio Musskopf

O FILME DA GARRAFA NO MAR

fUI VER O FILME DA GARRAFA NO MAR QUE A CRITICA TÁ ELOGIANDO MUITO.

Gostei. Trata da questão Palestina X Israel.

Indico o filme. Procurem no jornal.


*MAZZARINO

Tocou o celular hoje de mannhã. Era O velho Mazza passeando em Porto Alegre.

A LONGA

VIGILIA

DE SARNEY

O Ex-Presidente José Sarney andou pelo Estado e foi recebido pelo governador Tarso Genro. Nunca foram tão boas as relações entre PT e Sarney. Quando veio antes ao Estado, não visitou nem Antônio Britto, nem Germano Rigotto e nem Yeda. Visita sempre seu ex-Ministro Paulo Brossard de Souza Pinto. Pedro Simon passa longe porque os dois sempre se "odiaram". Mesmo quando Simon era seu Ministro.

Ao contrário do que foram no passado, PT e Sarney hoje são unha e carne.

Mas a noite mais longa da vida de Sarney, foi a de 14 para 15 de março de 1985, quando teve que assumir a Presidência da República, com o impedimento do Presidente Tancredo Neves.

O então Vice-Presidente Sarney pipocou. Não queria que fosse com ele, segundo contou a Regina Echeverria na biografia que saiu faz pouco tempo.

- Leônidas, você conhece meu ponto de vista. Não desejo assumir senão com o Tancredo, disse Sarney a Leônidas Pires Gonçalves, o Ministro do Exército, as 3 da madrugada, quando este lhe ligou pra ele tomar posse no dia seguinte.

- E agora Marly, o que faço?

- Vamos rezar, vamos pedir a DEUS,disse a mulher.

O vice relutante viu o dia nascer no escritório brigando com seus demônios. Brasilia estava deserta, silenciosa e sem saber o que se passara naquela madrugada. Sarney não conseguira dormir. Olhava para a espatodéa com sua stulipas-da-áfrica vermelhas em frente à janela do apartamento, quando a voz do general Leônidas parecia lhe dizer: BOM DIA PRESIDENTE.

O dia 15 de março de 1985 amanheceu nublado em Brasília.

Um grupo folclórico do Maranhão chegou cedo a casa de Sarney.

Ao chegar ao Congresso para tomar posse, alguns aplaudiam, outros se mostravam indiferentes. Sarney pensou na ironia do destino: no dia da celebração nacional, o povo enfrentara a frustração da ausência do herói e líder (Tancredo Neves).

Em seu lugar, ele, Sarney, o herdeiro de uma tragédia!

Ao longo do trajeto que fizera observara as faixas com a imagem e o nome de Tancredo. No Congresso, um homem baixo, rosto largo, gritou:

SARNEY, CORAGEM!

POR LUIZINHO KAUFFMANN!

O missionário R.R. Soares, líder e fundador da Igreja Internacional da Graça de Deus, esteve em Porto Alegre no sábado dia 20 de Abril em evento realizado por sua denominação no Anfiteatro Pôr do Sol. Durante a apresentação das autoridades políticas, o mesmo ficou revoltado e indignado ao saber que o prefeito Fortunatti não pôde comparecer.
- Mas cadê o prefeito?
- Ele tinha que ter vindo hoje aqui, nós estamos há 6 anos aguardando o alvará para começarmos a construir o nosso templo!

Segundo informou o vice-prefeito Sebastião Mello, que esteve no local representando a Administração Municipal, o prefeito não pôde comparecer devido a sua agenda. Mello também garantiu que o alvará será concedido. A insatisfação com a prefeitura se dá pelo fato de que há 6 anos o missionário aguarda liberação da prefeitura para começar a construir o seu templo em Porto Alegre, que será a sede estadual da sua denominação. Ele será erguido em terreno adquirido em frente a rodoviária, onde se localizava o Agápio Lanches de propriedade de César Tasca.

DE SÃO BORJA

ROSEANA SARNEY

Sarney e a filha Roseana!

Regina Echeverria na biografia do ex-presidente José Sarney, diz que as relações entre ele e a filha, a também senadora e governadora do Maranhão varias vezes, sempre foi muito intensa mas teve altos e baixos.

Na juventude, Roseana flertou até com o PCdoB. Até aí nada demais, porque Sarney também foi da ala esquerda da UDN e tinha amigos dentro do " partidão".

Ambos - pai e filha - donos de personalidades fortes, a filha foi em política tudo o que o pai foi, menos presidente da República.
Nisto se equivalem.
Quando Sarney foi presidente, botou de secretário particular seu genro, Jorge Murad, maridode Roseana.

Era a própria Roseana dentro do Planalto. Dizem que na gestão do pai, ela tinha muito poder dentro Governo.

Uma ordem sua era pra ser cumprida.

Mesmo separado de Roseana, Murad continuou com a confiança de Sarney e permaneceu no cargo. Depois voltaram a se unir.
Roseana é agora governadora do Maranhão e se aposentou no Senado.

Para voos mais altos, ela teve uma chance na vida, quando queria ser presidente, mas a turma de José Serra botou a PF na sua vida e "descobriram" dinheiro, o que a fez entrar em queda livre nas pesquisas. Não fosse isso, em 2002, ao invés de Lula, podería ter sido Roseana.

A VERDADE É INCONVERTÍVEL

“Brasileiros é hora de reformas de estrutura, de métodos, de estilo de trabalho e objetivo, portanto uma reforma geral”. Sim, houve um tempo em que tínhamos um Presidente convicto de que o Brasil necessitava quebrar paradigmas para avançar. E ousou deixar o plano da teoria para ingressar na prática efetiva. Tal frase foi proferida no maior comício público de nossa história, no dia treze de março de 1964, por João Belchior Marques Goulart. O resultado já se conhece. No dia primeiro de abril do mesmo ano, dia da mentira, um golpe civil-militar condenou nosso país a vinte e um anos de ditadura, com supressão das liberdades políticas individuais e coletivas, perseguições, torturas, exílios e assassinatos. Para o Presidente Jango, o preço foi a morte na solidão do exílio.
Todos os dias essa história é escrita e reescrita de várias formas, de acordo com diferentes versões. De outra sorte, é comum ouvir o provérbio “todos os fatos têm três versões: a sua, a minha e a verdadeira”. A verdade sobre a derrocada inconstitucional do Presidente Jango e suas consequências está retratada de forma fidedigna no excelente documentário “O dia que durou 21 anos”, dirigido por Camilo Tavares e produzido por seu pai, Flávio Tavares. Próximos à data do cinquentário deste triste capítulo que nos envergonha e mancha com sangue as páginas da nação brasileira, a ninguém mais cabe desconhecer a verdade da influência do governo dos Estados Unidos no Golpe de Estado no Brasil. Várias gerações precisam saber que a CIA e a própria Casa Branca, lideradas pelos Presidentes Americanos Kennedy e Johnson, se organizaram para derrubar Jango e subverter a ordem interna no Brasil, apoiando um regime de exceção que estagnou nossa Ordem e Progresso.
A verdade assusta os opressores que apoiaram uma ditadura implantada contra o povo brasileiro. Assusta os pseudo-democratas que insistem em manter seus privilégios fingindo serem cegos, surdos e mudos perante o contexto social. São os mesmos que se submetiam caladamente às prepotências da ditadura que cultuam. Estes sim têm medo da verdade que teima em se impor hoje mostrando quem é quem. Filmes como “O dia que durou 21 anos” mostram uma realidade que muitos não querem ver.
Fala-se por aí que o Governo de Jango era “subversivo” e que implantaria uma república sindicalista ou até mesmo comunista no Brasil. Que Jango era “fraco” ou que não tinha pulso para reagir ao golpe. Muitos destes que falam, inclusive, são saudosistas do famigerado Ato Institucional nº5, que mergulhou o país no período mais sombrio da história da República.

Verdade seja dita, cinquenta anos é tempo suficiente para percebermos que a “subversão” do Presidente Jango consistia na vontade de realizar profundas reformas estruturais e institucionais no Estado brasileiro, que até hoje não aconteceram; que sua “omissão” de reação ao golpe de Estado foi um ato humanitário que evitou uma guerra civil; que jamais existiu na nossa história um “fraco” com tanta coragem para enfrentar o imperialismo americano, com o claro objetivo de consolidar um país mais justo para todos os brasileiros. Que venham os filmes. Cada um conte a sua história, cientes de que a verdade é inconvertível.

Christopher Goulart
Secretário adjunto da FASC

GUAIBA DE NIVER

A rádio Guaíba está completando 56 anos neste mês de abril. Inaugurada com um discurso de Arlindo Pasqualini no TSP por passaram gerações de jornalistas e radialiatas. O que o Estado tem de formação jornalistica, muito deve a Guaíba.

Um dos expoentes do Jornalismo da Guaíba foi Amir Domingues.

Eis uma historinha do Amir, que me contou em 2006.

Uma vez durante um programa que Amir apresentava, ligaram pro Brizola que era governador no Rio.Amir não se lembrava do que fato em si, mas lembra que justificava ' ouvir' o Brizola.

Era governador do Rio, na época.

- Nós fizemos uma ligação de manhã cedo, ele estava em casa,ainda.

Ele nos disse, contou Amir:

- TEM QUE SER MUITO RÁPIDO QUE EU TOU COM O MOTORISTA AI. TENHO QUE IR PRO PALÁCIO.

Comecei a entrevista, me disse Amir, e ele falou 25 minutos.

Brizola era assim. Segundo Flávio Alcaraz Gomes, outro expoente da Guaíba, BRIZOLA ' COMIA ' UM MICROFONE!

COM ATRASO

HOJE,SEXTA, VI UM ARTIGO DO CRISTHOPHER GOULART NA ZERO HORA.

PENSEI. DE TARDE VAI CHEGAR PRA MIM. BINGO. O CRIS SEMPRE MANDA DEPOIS PROS OUTROS. PRIMEIRO PRA ZERO OU PRO CORREINHO...SORRY PERIFERIA.

FOGO AMIGO

Lula x SARNEY

Nos dois mandatos do presidente Luis Inácio Lula da Silva, José Sarney estabeleceu uma parceria.
A política é assim: dinâmica. Em 1994, quando Lula esteve em São Luis do Maranhão num comício porque era candidato contra FHC, um repórter do JB escutou da filha de Sarney, num restaurante, deboches contra o candidato.

O tempo se encarregou de uni-los: em 2002, Sarney e a filha, magoados com José Serra, candidato de FHC, apoiaram Lula e venceram o "tucano"

Mantiveram a parceria até o fim!

coleguinhas


PREMONIÇÕES

Mais uma do folclore ...jornalístico:

José Oldair ia entrar no ar pra narrar o Maisonave, da Gaúcha.

Mas o noticiário estava fracote.

O Zé Carneiro Lopes foi até a esquina da Praia de Belas com Ipiranga e de lá transmitiu um grande acidente com dois mortos e entrou ao vivo no Maisonave.

Pouco tempo depois ligou alguém do Corpo de Bombeiros informando que havia sim o acidente, mas sem nenhum morto!


Coleguinhas

Mais uma que pertence ao folclore

Juarez Hasse, o Juca Paranga, foi cobrir aquela tragédia de um avião da TRANSBRASIL no final dos anos 70, começo dos 80(sei bem disto porque havia um congresso de médicos residentes em Brasília, no qual estava minha ex-exposa e alguns colegas dela morreram na queda desta aeronave).Tudo isto em Florianópolis.
A ZH mandou pra lá o JUCA PARANGA que fez boletins também prA GAUCHA.

Mas ele narrava de forma escabrosa:
- ESTOU AQUI NO MEIO DE DOIS CADÁVERES. OLHA SÓ QUE CHEIRO IMUNDO QUE ESTÃO EXALANDO...

Que nada.

Um parente do Armindo Ranzolin, de Floripa, tinha visto o JUCA PARANGA transmitindo os boletins DIRETAMENTE DO HOTEL ONDE ELE ESTAVA.

JAIME SIROSTKY FICOU SABENDO DISTO E DISSE:
- ESTE CARA NÃO NOS SERVE.

E DEMITIRAM O JUCA DA EMPRESA.

coleguinhas

Outra do Beto Bironha

Houve uma festa do Cel. Job, que era secretário de Segurança do Estado. Isto no governo Amaral de Souza.

A festança foi numa churrascaria que tinha na Fernando Machado.

O Milton Galdino era o assessor de Imprensa do Cel Job e convidou muitos dos coleguinhas.

Beto Bironha saiu de lá e foi ter com uns caras que estavam num bar ao lado que parece tinham mexido no seu PASSAT...

Álvaro Chaves: Crea apresenta parecer sobre problemas

Problemas na concepção, execução, fiscalização e gestão da obra do Conduto Forçado Álvaro Chaves concorreram para o acidente verificado nesta estrutura, no dia 20 de fevereiro, durante fortes chuvas que caíram sobre Porto Alegre. Estas são as conclusões de parecer técnico do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea) sobre o ocorrido na rede, em trecho da rua General Bordini. O parecer foi apresentado aos vereadores da Câmara Municipal, nesta quinta-feira (25/4), durante período de Comunicações Temáticas da sessão ordinária.

André Luiz Lopes da Silveira, diretor do Instituto de Pesquisas Hidráulicas da Ufrgs, que resumiu o parecer aos vereadores - “para apresentar todo levaríamos duas horas”, explicou – disse que, além da falta de uma gestão técnica permanente, a obra foi sofrendo diversas alterações durante sua execução, sem que fossem consideras questões hidráulicas fundamentais. “Isso fez com que a responsabilidade fosse diluída entre várias pessoas”, salientou. “O projeto foi evoluindo, tendo sido criada uma estrutura hidráulica complexa, e não foram feitos estudos para avaliar todas as possibilidades da estrutura que foi sendo ampliada.”

Escolhas

Silveira destacou que o parecer aponta a existência de locais na rede de escoamento que podem formar bolsas de ar, que não tem por onde escapar. Também é citado que, na chegada ao Guaíba foram aproveitadas antigas galerias. “Do ponto de vista hidráulico não se compreende esta escolha”, salientou. “Deveriam ser feitas novas, com chegada reta ao Guaíba”, afirmou. “Aproveitar galerias transversas não é adequado.” Ao se referir à causa do acidente verificado, as fortes chuvas do dia 20 de fevereiro, disse que elas foram realmente extremas: “mas o conduto foi dimensionado para uma chuva menor”.

Na apresentação do parecer, Silveira afirmou que a avaliação feita pelos técnicos nomeados pelo Crea não buscou culpados, “mas estabelecer a verdade de um ponto de vista técnico”. “Contudo, precisamos considerar que o DEP é um órgão nanico para as responsabilidades que tem”, disse. “Toda a rede sob sua administração não é brincadeira.” O diretor do IPH lembrou que, além de visita ao local onde houve o problema, o parecer foi formulado a partir de documentação sobre o Conduto Álvaro Chaves fornecida pelo DEP.

Transparência

Tarso Boelter, diretor-geral do DEP, lembrou as medidas tomadas pela prefeitura, tão logo foi verificado o problema no Álvaro Chaves, entre elas a solicitação de parecer técnico ao Crea. Conforme Boelter, também foi chamado o Consórcio PMR, responsável pela obra, para proceder no conserto da estrutura. “A obra ainda está na garantia”, afirmou. “Desde o início, minha principal tarefa é promover o conserto e inspecionar esta obra, além de dar total transparência para órgãos internos e externos de fiscalização e controle”, salientou ainda Boelter.

Também estiveram presentes no período de Comunicações Temáticas o engenheiro mecânico e de segurança do trabalho e vice-presidente do Crea, Paulo Deni Farias; o engenheiro Artur Lorentz, vice-presidente da Sociedade de Engenharia do RS; e Denise Cantarutti, diretora-geral adjunta do DEP.

Texto: Helio Panzenhagen (reg. prof. 7154)
Edição: Marco Aurélio Marocco (reg. prof. 6062)

Catedral de Santo Tomé foi palco do encerramento do 2º Seminário Orgulho de Ser Missioneiro


O encerramento do Seminário “Orgulho de Ser Missioneiro” ocorreu na noite de quinta-feira (25/04), em Santo Tomé Corrientes/Argentina. O seminário fez parte da programação da 2ª Semana Missioneira.
A Câmara de Vereadores disponibilizou um ônibus para transportar todos que desejassem participar do evento. Em Santo Tomé o público prestigiou uma apresentação do Coral da Universidade Nacional de Missiones (UNNAM) que aconteceu na Catedral Inmaculada Concepción. O coral interpretou várias canções missioneiras.
Após a apresentação, os participantes dirigiram-se para a frente da catedral onde ocorreu o discurso do vice intendente da cidade, Mariano Garay, e a entrega de placas de homenagens aos palestrantes e autoridades argentinas que participaram da semana.
Também foram exibidos vídeos sobre as missões jesuíticas como um destino turístico inteligente e o trabalho de arqueologia realizado nos municípios de San Carlos, La Cruz, Yapeyu, Santo Tomé e Gobernador Virasoro.
Além das autoridades argentinas estiveram presentes no encerramento do seminário; o presidente do Legislativo são-borjense, Roque Feltrin, o prefeito de São Borja, Farelo Almeida, os vereadores Tiago Cadó, João Luiz Dornelles, Beto Souza e Fátima da Rocha, a secretária de Turismo, Cultura e Eventos de São Borja, Leocádia Guerreiro e o diretor do Instituto Federal Farroupilha campus São Borja, Alexander Machado.
O encerramento da 2ª Semana Missioneira acontece no próximo domingo (28/04), no Cais do Porto de São Borja, com um show de Dante Ramon Ledesma.

Coleguinhas

PNEUS FURADOS

NA FRENTE DA BOITE DA ' LU'

A boite da Lu, na verdade, era mais um inferninho que ficava lá pelas bandas da Prof. Oscar Pereira. Nos anos 70 havia quatro ou cinco que funcionavam naquela região.

O repórter policial Roberto Hirtz, que tinha entre seus apelidos o de ' BETO BIRONHA', ' OVELHA' e "CARUIRA" COSTUMAVA encher a cara de NATU NOBILIS - era o uísque ele bebia, apenas desta marca - e depois saía por ai.

Costumava dar uma de policial, ou de delegado. Isto aliás, era uma mania de alguns repórteres policiais antigos. Dar carteiração, lembra um colega, cujo nome vou preservar.

Mas o Beto Bironha era considerado da linha de frente da reportagem. Não tinha medo, encarava qualquer uma ...

Nesta noite na boite da LU ele foi pra acertar as contas com um motorista de táxi, cujo apelido era ' MÃOZINHA" E QUE estava no mesmo lugar.
Só que Mãozinha foi mais ligeiro: não se sabe como mandou furar os 4 pneus do PASSAT do BETO.

Na saída, depois que ele tinha dado um monte de tiros dentro da boite, foi pegar o carro e ele não pode andar.

Mas o BETO sai de mais esta.

INDEPENDÊNCIA EM RISCO, HARMONIA JÁ ERA


Por Carlos Chagas


Em boa coisa não vai dar esse bate-cabeça entre o Congresso e o Supremo Tribunal Federal, com sobras para a Procuradoria Geral da República. Ou os presidentes da Câmara,do Senado e do Supremo se reúnem, com direito à presença do Procurador Geral ou logo serão cavadas trincheiras na Praça dos Três Poderes.
Importa menos saber quem nasceu primeiro, se o ovo ou a galinha. Além do mais, os alvos estão errados. Não é o Judiciário que submete, atrapalha e humilha o Legislativo. É o Executivo, a começar pelo abuso na edição de Medidas Provisórias e na formação de maiorias através do fisiologismo e das nomeações.
Não dá para entender a aprovação pela comissão de Constituição e Justiça da Câmara de projeto que submete ao Congresso as decisões do Supremo que considerarem inconstitucionais determinadas leis ou emendas. Também fica difícil aceitar a liminar concedida pelo ministro Gilmar Mendes suspendendo a tramitação de projeto que limita a criação de novos partidos. Por mais casuística que seja essa medida, ela faz parte das atribuições soberanas de deputados e senadores.
No fundo, picuinhas. Briga do Juquinha com o Zezinho, potencializada quando o Supremo cassou o mandato de quatro deputados condenados no processo do mensalão e a Câmara não tomou conhecimento da cassação, dando-lhes voz e voto até hoje.
Continuando as coisas como vão logo estará em frangalhos o princípio constitucional da independência entre os Poderes, já que a harmonia foi para o espaço. Junte-se à presente tertúlia a votação no Congresso de emenda que proíbe o Ministério Público de promover investigações criminais e se terá a receita de grave conturbação institucional.
PONTO ALTO
O discurso do senador Pedro Simon, na noite de quarta-feira, faz a gente supor que nem tudo está perdido. Com a coragem de seus 83 anos de idade, ele identificou a presidente Dilma como inspiradora e maior interessada na aprovação do projeto que limita a criação de novos partidos, uma forma de prejudicar a candidatura de Marina Silva. Chamou de “pacote de abril” com correção monetária a manobra afinal malograda por ato do Supremo Tribunal Federal. Acusou o PT de cultivar o casuísmo e de conspurcar a democracia. Deixou a tribuna, caso raro no Senado, aplaudido por seus colegas senadores.
PONTO BAIXO
Não tem limite a desfaçatez do deputado-pastor Marco Feliciano como presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Enquanto impede a presença de defensores do homossexualismo e do aborto, durante os trabalhos, arregimenta grupos evangélicos que entram e se manifestam livremente em sentido contrário. O pior é que dá ordens ao serviço de segurança da casa e é prontamente atendido. Os representantes do PT na comissão renunciaram ontem, fazendo a felicidade do Feliciano, que festejou a retirada. Terá menos opositores às decisões que adota.
SÓ RUMORES
No ninho dos tucanos, a impressão é de que José Serra, se algum dia pensou, já esqueceu a hipótese de trocar o PSDB pela fusão do PPS com o PMN. Apoiará a eleição de Aécio Neves para presidente nacional do partido, mas quanto à candidatura ao palácio do Planalto, mantém-se na expectativa. Não se julga fora do páreo, muito pelo contrário.


Roteiro do findi!

Secretaria de Estado da Cultura realiza 3ª edição dos Diálogos Culturais

Pelo terceiro ano consecutivo a Secretaria do Estado da Cultura realizará os Diálogos Culturais. O projeto está dentro de uma concepção de participação popular e terá na programação o debate sobre a Consulta Popular para o Plano Estadual da Cultura, e apresentação do balanço de ações da Sedac e apresentação do Mapa Digital da Cultura. Além disso os encontros serão preparatórios para as Conferencias municipais, estaduais e nacionais que serão realizadas em 2013.

Confira o calendário:

11/04 - 14h - São Gabriel - CTG Caiboaté, Rua Tristão Pinto

12/04 - 14h - Itaqui - Câmara de Vereadores

13/04 - 10h - Santa Rosa - Teatro do Sesc, Rua Concórdia, nº 144

17/04 - Nova Petrópolis - 14h - Plenarinho da Acinp

18/04 - Cachoeira do Sul - 14h - Associação dos Aposentados e Pensionistas, Rua Sen. Pinheiro Machado, nº 1259

19/04 - Passo Fundo - 14h

20/04 - Torres - 10h - Câmara de Vereadores

26/04 - Porto Alegre - 14h - Memorial do Rio Grande do Sul, Rua Sete de Setembro, nº 1020

27/04 - Pelotas -15h - Casarão 6, Praça Cel. Pedro Osório

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO
SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA

ESTOROU! CONTAS DE MARIOVANE ENGESSAM ADMINISTRAÇÃO DE FARELO

É A MANCHETE DO JORNAL FOLHA REGIONAL DE SÃO BORJA HOJE !

O ex-prefeito Mariovane Weis (PDT) de São Borja, teria comprometido todos os recursos para os anos seguintes, impedindo com isso que seu sucessor e companheiro o atual Prefeito Farelo Almeida, possa realizar qualquer investimento ou obra.

MARIOVANE WEIS teria "engessado" o orçamento do município para garantir sua re-eleição e após, fazer seu sucessor, neste caso o Farelo Almeida que agora nada pode fazer.

FARELO ALMEIDA fez de tudo para ser ele o indicado p/partido; até enfrentou seu colega vereador Feltrin (atual Presidente da Câmara de vereadores) em uma disputada Convenção onde só não perdeu porque contava com o apoio de Weis.

WEIS sabia que não seria mais o prefeito, por força da legislação eleitoral que não permite mais de uma re-eleição, mas precisava deixar alguém de sua confiança, nesse caso o Farelo que ele apoiou na convenção. Mas o que Farelo não sabia, ou não quiz nem pensar tal era sua insistência em ser Prefeito, era o ônus de todo esse apoio de Weis. Agora está aí, literalmente AMARRADO, sem poder nada fazer a não ser ir para a Rádio Cultura de São Borja como fez na manhã desta sexta-feira e anunciar cortes em despesas como água, luz, telefone, demissões e outros.

É provável que FARELO tenha caído no canto da sereia, pois com o apoio de Weis à sua candidatura teve de manter alguns indicados da confiança de Mariovane. Entre eles está o Secretário de Planejamento, Orçamento e Projetos, o Arquiteto Léo Tatsch; então pergunta-se: faltou planejamento? Farelo não sabia? Assumiu sem ter conhecimento da situação administrativa da Prefeitura e agora vem reclamar? O Secretário da Fazenda ex-Vereador Bruno Maurer e um Diretor, ambos do PMDB antigo partido de Farelo o acompanharam no seu desabafo radiofônico.

Enquanto isso, o vice-Prefeito Jefferson Homrich (PTB e cunhado de Mariovane Weis) assiste a tudo de camarote a briga no PDT; é que ele se ensaia para ser candidato a deputado estadual nas próximas eleições sem nunca ter passado por uma urna a não ser para votar.

COLEGUINHAS

o ACIDENTE COM bicicleta do MARCELO RECH foi há três semanas. E no braço esquerdo!

COLEGUINHAS

TÁ TODO MUNDO JÁ SABE QUE O PRÓXIMO PRESIDENTE DO SINDICATO SERÁ O SIMAS, QUE OS PATRÕES ACHAM QUE REPRESENTA A CUT...

MAS NÃO ERA BEM ISTO QUE O "XOREDER"- CELSO AUGUSTO SCHRÖDER e o zé nunes tavam conversando agora há pouco na rua da Praia....

Coleguinhas

MARCELO RECH CAIU!!!!

calma TURMA...CAIU da BICI!!!

Cruzei esta madrugada com o Marcelo Rech na pracinha da Encol. Como estava com o braço direito enfaixado perguntei a ele o que tinha ocorrido. Caiu de uma bicicleta no domingo de manhã passado.Deve ter ido andar de bici na avenida desimpedida de busun aos domingos.


Quando o cancer bate à porta


Fui visitar hoje a viúva de um querido amigo, que morreu há um ano atrás.Quando cheguei a IVONE me recebeu numa boa. Mas logo foi me dizendo que também operou os intestinos de um câncer. Ela se operou no Santa Rita e está muito bem recuperada. Não vai fazer quimio.

Maio de 68 é aqui!



JOVENS MASCARADOS NA PASSEATA DE TERÇA ULTIMA CONTRA O AUMENTO DAS PASSAGENS. O TÃO DECANTADO MAIO DE 68 DA FRANÇA ESTÁ ACONTECENDO AQUI NOS NOSSOS OLHOS. É ABRI-LOS PRA ENTENDER!

VACINA X LFV

A vacina da gripe continua sendo feita. Fiz a minha agora de manhã no Clinicas. Tinha um piá que abriu um berreiro. Não sei porque o vacinaram.

Mas como as pessoas têm medo de se vacinar. Imagina....

E vi na propaganda do Governo que o LFV não tinha se vacinado no ano passado.
E quase morreu de uma ' gripe'.

eU OUVI DE MINHA FILHA QUE É MÉDICA QUE O QUE O COLEGA TEVE FOI UMA SEPTICEMIA.

Dia D contra a Gripe em Serafina Corrêa


A Secretaria Municipal de Saúde realizou, no sábado, 20, a Campanha
de Vacinação contra a Gripe. Mais de 1770 pessoas já foram vacinadas
em Serafina Corrêa.
A mobilização nacional foi muito importante, alertando a população e
levando as pessoas a buscarem a vacinação antes da chegada do inverno.
Em Serafina Corrêa, a vacinação segue até o dia 10 de Maio de 2013,
no Centro Municipal de Saúde. A vacina é segura e é a melhor arma para
impedir doenças graves, internações ou mesmo óbitos por influenza.
Os grupos prioritários para a vacinação contra a Gripe 2013 são:
Crianças de 6 meses a menores de 2 anos de idade;
Gestantes, independente da idade gestacional;
Puérperas, mães até 45 dias após o parto;
Pessoas com 60 anos de idade ou mais;
Indígenas;
Trabalhadores de Saúde;
Pessoas portadoras de doenças crônicas, tais como: doença respiratória
crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença
hepática crônica, doença neurológica, diabetes, imunossupressão,
obesos e transplantados;
População privada de liberdade.
Vacinação contra a Gripe 2013: não dá pra vacilar, tem que vacinar!

QUEM PICHA MESMO?

dIZEM QUE NUMA GUERRA A PRIMEIRA VITIMA É A VERDADE. pOR ISTO TEM GENTE ACHANDO QUE NÃO É DOS ESTUDANTES QUE PROTESTAM CONTRA O AUMENTO AS DEPREDAÇÕES E PICHAÇÕES, OU SEJA, TUDO AQUILO QUE PODE ' DENEGRIR' O MOVIMENTO JUNTO A OPINIÃO PUBLICA.

DURMA-SE COM UM BARULHO DESTES!!!!!!!!!!!
SEBASTIÃO

MELLO, O ' ALGODÃO' ENTRE CRISTAIS

Mello fala agora ao meio dia pra Record na frente das pichações dos estudantes.



Já deu pra perceber que o ' magrão' quer distância das confusões das passeatas. Não fala sobre isto. No começo, tinha passado a bola pro ' Vanderlei Capelari" pra falar de passagens. Mas como viu que o buraco é mais embaixo, é uma briga política, passou a bola pro vice, que pelo que parece está se consagrando.

Foi Mello quem assinou a notificãção judicial mandando reduzir as passagens, levada pelo colega PEDRO RUAS, do PSOL.

sem chiliques, Mello assinou e passou mel nos beiços do Ruas, que saiu falando bem do ex-colega de Camara Municipal.

Já deu pra ver ainda que MELLO é uma ponte entre o Executivo e o Legislativo.

Só que já tem gente dizendo por ai que é ele que tá governando.É o preço que se paga!

SENADORES SOB PRESSÃO

Carlos Chagas

Triste mesmo foi a vinda do presidente do PT, Rui Falcão, a Brasília, para pressionar três senadores a não rejeitar nem sequer modificar o projeto que restringe os direitos de partidos em formação e de novos partidos terem acesso a tempo de propaganda gratuita na televisão e aos recursos do fundo partidário. Triste porque o companheiro-presidente não dialogou. Impôs a Jorge Viana, Wellington Dias e Eduardo Suplicy a aprovação integral do projeto, como questão fechada no partido. Fechada por quem, cara-pálida?
Pela presidente Dilma e pelo ex-presidente Lula. Precisamente no dia em que Dilma declarou à imprensa não estar em campanha e que todas as suas múltiplas viagens pelo país fazem parte de suas funções de dirigir o Brasil...
Fica clara a estratégia dos detentores do poder, em campanha para reeleger a presidente da República ainda no primeiro turno. Para isso, será melhor afastar liminarmente a candidatura de Marina Silva, em dificuldades para criar sua nova legenda, a Rede. Mesmo se não dispuser mais dos 20 milhões de votos recebidos em 2010, ela poderia causar um estrago nos cálculos do PT, levando a decisão para o segundo turno, tanto faz se contra ela, Aécio Neves ou Eduardo Cunha.
Depois reclamam estarmos sendo intransigentes ao lembrar que para ser criado o PT precisou lutar muito até conseguir seu registro, contestado por adversários. Pois é hoje o mesmo PT que lidera a procissão do arrocho.
Não sabemos se a oração de Rui Falcão conteve ameaças de excomunhão dos três senadores, mas é bem provável, nesse vale tudo sucessório à vista de todos.
APELO PARA DILMA ACORDAR
É pena que nem na imprensa se dá atenção aos trabalhos do Senado. De quando em quanto, porém, assiste-se a pronunciamentos de extrema densidade, como o feito pelo senador Roberto Requião, no começo da noite de terça-feira.
O ex-governador do Paraná começou acentuando que jamais entraria na Rede, de Marina Silva, à qual faltam definições claras sobre as políticas social de trabalhista. Mesmo assim, hipotecava total solidariedade à ex-senadora na tentativa de formar um partido. As dificuldades são criadas pelo governo e tem o apoio explícito da presidente Dilma.
O ponto central do discurso, ouvido apenas por três colegas, envolveu as privatizações realizadas no país com o governo Fernando Henrique. Tratou-se de uma enganação completa, não resultando delas qualquer ganho. Tarifas de água, luz e transportes foram abusivamente aumentadas. Os pedágios, também. Naquele período o Brasil quebrou três vezes. As empresas privatizadas contribuíram para o empobrecimento nacional, iniciando-se um período de remessas exorbitantes de lucros para o exterior, sem investimentos em infra-estrutura. É deletério o estado de nossas rodovias e ferrovias privatizadas.
Requião falou da Santíssima Trindade do entreguismo nacional, composta pelo PSDB, o DEM e o PPS. Sustentou ser uma falácia a acusação de que o Estado é incompetente e recordou a ação do BNDES, emprestando dinheiro para monopólios a juros baixos mas negando-se a atender empresas públicas, inclusive portos.
Deteve-se na análise da telefonia, com tarifas as mais elevadas do planeta e serviços que muito deixam a desejar, mas com remessas imensas para o estrangeiro. Terminou com um apelo à presidente Dilma para que acordasse.
NOVO JULGAMENTO?
Caso aceitos no Supremo Tribunal Federal os embargos chamados de infringentes, que visam reformar sentenças já exaradas contra 12 réus, o risco será de assistirmos a 12 novos julgamentos. Começaria tudo outra vez? Pode ser que juridicamente a possibilidade se apresente, mas em termos políticos será um desastre. Para que valeram as sentenças que fixaram cadeias variadas para os mensaleiros julgados culpados? Vale repetir, só mesmo com a intervenção rápida do presidente Joaquim Barbosa poderá ser desatado esse nó.



PSOL ' FATURA'

REBAIXAMENTO DA PASSAGEM

NA QUARTA DE TARDEZINHA, AO ANOITECER, O CENTRO FOI ' TOMADO' POR MILITANTES DO PSOL...QUE DISTRIBUIRAM UM PANFLETO REIVINDICANDO PRA SI O REBAIXAMENTO DO PREÇO DA PASSAGEM DO ONIBUS DA CAPITAL.


AS ' MARCAS'

DO PROTESTO DA TERÇA

Olha aí o casal parece estar dizendo....

digo eu: são as marcas do protesto dos estudantes da terça passada!

OS ' CUERA' DA PRAÇA XV

Eles tão sempre por lá...tocando e vendendo seus badulaques.

são os "cueras" que exploram o gauchismo no centro da capital.

O TREM É AZUL....

TENHO QUASE CERTEZA que os vagões do TRENSURB chegaram depois que o Gremio foi campeão do Mundo no Japão.

O Gremio foi vitorioso em 10 de dezembro de 83.

Isto porque o Paulo Santana escreveu que ATE O TREM É AZUL. Não era, era um plástico que veio protegendo os vagões que era azul.

Fica ai a lembrança do descarregamento dos vagões. As fotos são do acervo de Cauê Nascimento, do Voz Nativa Comunicações.

OS ' VEINHOS' DO
INSTITUTO HISTÓRICO

Encontrei na terça o coleguinha EUCLIDES TORRES, QUE NA fOLHINHA DA MANHã, tinha o apelido de ' reverendo'.
Era o Bicudo que o chamava assim.

Torres é de Caçapava do Sul. Mora lá, depois de aposentado. No momento se dedica a pesquisas sobre vultos históricos gauchos.
Depois do encontro que eles fazem, vão tomar um café no Instituto Cultural Norteamericano, ali na Riachuelo.

E continuam com o papo da reunião. Parece coisa de jornalista, que saía da redação,ia jantar e continuava a discussão das pautas.

JORNAIS FRANCESES

Ganhei dois exemplares que me trouxeram de Paris. Le Figaro e Le Monde.

Sinceramente, não sei a história de cada um.

clique aqui para ler o primeiro e o segundo exemplar.

 

Fortunati defende transporte público em posse na FNP

Prefeito ressaltou busca por pacto federativo mais justo com os municípios

O prefeito José Fortunati foi empossado na manhã desta quinta-feira, 25, em Brasília, como presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) para o biênio 2013-2014, que tem o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, como primeiro vice-presidente. O encontro teve a presença do vice-presidente da República, Michel Temer, ministros, senadores, deputados e prefeitos que participam do II Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável

Fortunati assumiu a liderança da entidade que representa os municípios brasileiros há 24 anos afirmando que irá aprofundar o avanço “na busca de um pacto federativo mais justo com as cidades, de ampliar a atenção à saúde e de articular políticas de incentivo ao transporte para melhorar a vida das pessoas. Vamos intensificar nossos esforços em busca da redução do custo das tarifas das passagens do transporte publico urbano e metropolitano público em todo o país”.

Ainda no discurso de posse durante a 63ª Reunião Geral da FNP, em Brasília, o presidente Fortunati lembrou que “a sociedade já está compreendendo que os municípios não podem ampliar os serviços sem repactuar a repartição dos recursos públicos arrecadados nas três esferas de governo. Com o apoio de todos, intensificaremos nossa busca por interlocução cada vez maior com os poderes no âmbito estadual e federal, bem como com todos os segmentos da sociedade civil organizada”. O prefeito de Porto Alegre e novo presidente da FNP reconheceu que o diálogo tem avançado, mas enfatizou que “precisa avançar de forma mais rápida e profunda. E nós seremos incansáveis nisto”, finalizou.

O presidente da República em exercício, Michel Temer, elogiou o novo presidente da FNP e se somou à proposta de Fortunati de defender a autonomia dos municípios. Michel Temer também destacou a importância da nova luta pela redução no preço das tarifas públicas, lembrando que “os interesses dos cidadãos estão nos municípios”.

A reunião faz parte da programação do II Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável (EMDS), que termina no final da tarde desta quinta-feira.

Arqueologia foi tema da segunda noite do Seminário Orgulho de Ser Missioneiro


Dando continuidade à programação da 2ª Semana Missioneira, o Seminário Orgulho de Ser Missioneiro, abordou na noite de quarta-feira (24/04) a área da arqueologia. Palestraram a chefe do Escritório Técnico do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) de São Miguel das Missões, Sandra Petry, a arqueóloga do Núcleo de Arqueologia do Museu Municipal de Santo Ângelo, Raquel Rech e a arqueóloga de La Cruz e Gobernador Virasoro, Corrientes/Argentina, Maria Eugênia Turus.
Estiveram presentes o presidente do Legislativo, Roque Feltrin, o vereador Tiago Cadó, a vereadora Fátima da Rocha, a secretária de Turismo, Cultura e Eventos de São Borja, Leocádia Guerreiro, o diretor do Instituto Federal Farroupilha campus São Borja, Alexander Machado e a secretária de Cultura e Turismo de Governador Virasoro, Sônia Mariela Berwanger.
A professora Cleusa Faccin apresentou os trabalhos feitos pelos alunos da Escola Estadual Apparício Silva Rillo com o tema “Orgulho de Ser Missioneiro”. Logo após o professor da Unipampa, Muriel Pinto, deu início as atividades destacando que a história está em constante transformação e que a arqueologia colabora no processo de descobrimento histórico dos povos.
Sandra Petry falou sobre a história do IPHAN e sua atuação na região das missões, destacando as ações de preservação executadas ao longo dos anos e a socialização dos sítios arqueológicos. Ela contou sobre as descobertas feitas nas escavações e destacou o projeto do Parque Histórico Nacional das Missões. Segundo Petry, essa iniciativa visa o desenvolvimento sócio-cultural e econômico da região, mas ainda necessita de investigações mais aprofundadas.
A arqueóloga, Raquel Rech, apresentou uma proposta de pesquisa arqueológica para São Borja, explicando que, em 2007 quando foi aberto um buraco para uma obra em frente à Igreja Matriz, foram encontrados vestígios remanescentes dos alicerces das edificações jesuítico-guaranis. Segundo ela, esses alicerces podem estar relacionados ao pórtico de entrada central do antigo templo religioso jesuítico.
Raquel esclarece que somente São Borja e São Luiz Gonzaga ainda não exploraram o subsolo com escavações arqueológicas e que essa ação poderia encontrar artefatos e estruturas para aprimorar o atrativo turístico e o acervo do museu municipal. Ela destacou também que poderia ser realizado o projeto de um museu a céu aberto, expondo algumas partes do material encontrado no subsolo. Para comprovar a probabilidade da existência de vestígios arqueológicos na região em torno da Praça XV de Novembro, ela apresentou plantas antigas da comunidade jesuítico-guarani.
Por fim, a argentina Maria Eugênio Turus, apresentou o trabalho arqueológico realizado nos municípios de San Carlos, La Cruz, Yapeyu, Santo Tomé e Gobernador Virasoro. A partir deste trabalho foram criados nessas cidades novos museus e centros culturais.
Além de participar dos debates, o público também pode apreciar um show com músicas missioneiras dos artistas; Marcelo Antunes, João Carlos Silva e Júlio Ramos. A 2ª Semana Missioneira é uma realização da Câmara de Vereadores em parceria com; Sirtec Sistemas Elétricos, Unipampa, IFF, Prefeitura, Assembleia Legislativa do RS, Viação Ouro e Prata, Caixa Econômica Federal e Sesc.
Hoje (25/04), acontece o encerramento do Seminário Orgulho de Ser Missioneiro, a partir das 20h30min, na cidade de Santo Tomé Corrientes/Argentina. O evento será em frente à igreja central e além de novos debates, também haverá apresentação do Coral da Universidade Nacional de Missiones (UNNAM).

Secretaria de Obras: Asfalto na Rua Professor Zambenedetti

Mais asfalto em Serafina Corrêa

O município de Serafina Corrêa tem recebido diversas obras que
beneficiam toda a comunidade com mobilidade urbana, infraestrutura,
trafegabilidade, segurança e eficiência. No dia 24 de Abril,
quarta-feira, teve início mais um importante projeto de pavimentação
asfáltica. Nesse, trecho da Rua Professor Zambenedetti, entre a
Avenida Arthur Oscar e a Rua Padre Luiz Pedrazzani, cerca de
1.100,00m² estão sendo asfaltados, com investimentos de mais de R$ 80
mil. Além do asfalto, será realizada também a sinalização viária
vertical e horizontal.

Ari Riboldi no Brasil na Madrugada

Nesta sexta-feira, 26 de Abril, o Professor e Escritor Ari Riboldi,
natural do Distrito de Silva Jardim ? Serafina Corrêa, que hoje reside
em Porto Alegre, irá participar do Programa Brasil na Madrugada, da
Rádio Gaúcha AM e FM. O programa é apresentado pelo Jornalista
Fernando Zanuzo, começa às 23h50 e vai até as 2h30. É, portanto, na
madrugada de sexta-feira para sábado. Nessa importante entrevista, o
serafinense Ari Riboldi abordará a origem de expressões, em especial
com nomes de animais e o tema de seus livros, já publicados. A
entrevista será muito interessante, sendo que o escritor certamente
aproveitará para divulgar o nome de Serafina Corrêa, Casca, Montauri e
adjacências, municípios com os quais tem fortes vínculos. Não perca!

Dos leitores

Muito bom, Meus cumprimentos ao Olides! Bandeira


' magrão ruim"!
SEM ANUNCIO

EXCLUSIVO

A Prefeitura Municipal de Porto Alegre , ao contrário do que muitos bloqueiros estão achando, NÃO VAI ANUNCIAR EM SITES ...NÃO SE SABE ATÉ QUANDO.

O SENADOR HOFFMANN

No sábado, levei um livro do Polibio Braga ao senador aposentado Alberto Hoffmann.
Ele mora na Candido Silveira, na Auxiliadora. Na segunda o vi por aqui na ALRS.

Alberto Hoffmann foi deputado estadual em 1947 e era um dos cinco que ocupavam a bancada do PRP(Partido Representação Popular)( chamado de integralista).
Ele ocupou a Secretaria da Agricultura e inaugurou uma feira em Estrela, onde funcionava a Associação Brasileira Criadores de Suínos(ABCS).


OS CAVALOS DA BRIGADA

DEIXARAM ' BOSTA' NA AV. JULIO...VIERAM FURIOSOS PRA CIMA DOS ESTUDANTES MAS PELO QUE SEI NÃO MACHUCARAM NINGUÉM.

ENGRAÇADO, ESTA HISTÓRIA DOS ESTUDANTES ME LEMBROU DO REGIS DEBRAY,O FAMOSO JORNALISTA QUE LARGOU PARIS E FOI SE INCORPORAR a che guevara na guerrilha da Bolívia. Li uma entrevista dele na revista Realidade ainda quando morava em Serafina. acho que 67 ou 68.foi 67.
Ele disse aos jornalistas quando quiseram saber porque fora pra Bolívia.

- PORQUE OS JORNALISTAS COSTUMAM CHEGAR DEPOIS QUE A HISTORIA FOI ESCRITA. mais ou menos por aí.

me lembrei disto quando cheguei na passeata dos jovens na terça de noite e encontrei a guria da RECORD, uma loirinha, toda frustada que me disse:

- ELES NÃO QUEREM FALAR COM NINGUÉM.

Não sei não, acho que os estudantes já viram que a MIDIA não está do seu lado. Como são inteligentes. Tem futuro!

O futuro é de vocês, não dos que estão ai....

Coleguinhas

DEITADO EM PLENO ASFALTO.

quando cheguei na Borges na frente da prefeitura, estava saindo a passeata dos estudantes contra as passagens. Tirei minha maquinha e na Julio sai a fotografar, mas me fixei nos coleguinhas pegando imagens. Consegui pegar do cara deitado em pleno asfalto.

os guerrilheiros do asfalto

Na passeata de terça de noite contra as passagens de onibus, me chamou a atenção uma guria, de rosto tapado e um guri também. eles iam na frente da passeata, dando ordens e conduzindo a moçada. que lideranças que estão nascendo aí. uma pena que não peguei nomes, porque nem dava, nem tavam dando entrevistas pra ninguém,...e as patas dos cavalos da brigada militar quase batiam neles...

AUSENCIA DE PETEBISTAS IRRITOU CASSIA CARPES!

AUSÊNCIA DE PETEBISTAS IRRITOU CASSIA CARPES!

DEPUTADOS FEDERAIS

AUSENTES EM SÃO BORJA

Chegou aos ouvidos deste repórter que o Deputado Estadual Cassiá Carpes (PTB/RS) ficou muito IRRITADO com a ausência dos dois deputados federais do PTB em São Borja no dia 19 de abril, data que se comemorou os 131 do nascimento de Getúlio Dornelles Vargas. O deputado Sergio Moraes e o suplente no exercicio do cargo, deputado Ronaldo Nogueira foram os que não compareceram; provavelmente compromissos legislativos os impediram de participar de tão significativo momento político-partidário.
O que também deixou zangado o deputado de São Borja, foi que apenas ele e o Dep. Aloísio Classmann, da bancada estadual do PTB estiveram na solenidade. Não é para menos. O PTB tem apresentado bom desempenho nos últimos anos, ou seja, tem crescido como partido político. Em São Borja mesmo, conhecida como o Berço do Trabalhismo, o PTB vai para o segundo mandato no Executivo Municipal no cargo de Vice-Prefeito com o Jefferson Oléa Homrich, que também é o presidente municipal do PTB e tem mantido sua Bancada na Câmara de Vereadores com o Vereador Beto Souza que deve estar em seu 6º mandato. Tudo isso graças ao esforço conjunto e trabalho do Deputado Cassiá em defesa dos interesses de São Borja.
Durma-se com um barulho destes!

Com muita honra este site conta com a colaboração da OLIDES MARIA, desge Geneve, NA sUIÇA. QUE LUXO!


Segunda-feira, 28 de Maio de 2012

E magrinha, fininha, "flaquita", como diz a minha amiga chilena.
Sempre elegante, "vintage", cabelos bem penteados e unhas impecaveis.
Caminha com passos de formiguinha, mas vai a todo o lado.
Abre-me a porta, sempre com um grande sorriso e faz-me uma festa,
Bonjour madame, dou-lhe dois beijinhos.
Responde-me, sempre do mesmo modo,
numa voz arrastada de "abuelita menina".
"Oh! Je suis tellement contente de vous avoir, que vous ni imaginez".
"Oh! comme je suis fatiguée.
E senta-se.
Vejo-a, de quinze em quinze dias.
Por duas horas vivo a vida da "abuelita",
misturo-me, nas informacoes que me vai dando,
nos objectos que tem e no mais que vou advinhando......
A minha "abuelita" conta noventa anos.

do vale do taquari!

Ex do Estrela FC voltam a se reunir

A Comissão Organizadora dos Ex-Jogadores e Ex-Dirigentes do Estrela FC,
voltaram a se reunir, pensando no 5º Encontro, que acontece este ano.

A reunião teve lugar na noite desta segunda-feira, no Restaurante Bar do
Adão e o principal assunto neste primeiro encontro, foi a apresentação
do
CD do áudio visual do 4º Encontro, elaborado por Waldir Sudbrack.

Quem estiver interessado no CD, pode contatar pelo telefone 8184 9774.

A primeira reunião para iniciar os preparativos do 5º Encontro acontece
no
mesmo local, no próximo dia 27 de maio as 19h e 30min.

Professores na Praça da Matriz hoje de tarde.

Os discursos foram não tão agressivos. Mas a Praça da Matriz voltou a ser palco de protestos dos professores. Faltaram as sinetas, símbolo do protesto dos professores gaúchos.

Professores protestam na Pr. da Matriz

professores sentados na ' murada' do prédio da ALRS

Professores ouvindo os líderes no caminhão discursano.

Outra foto do protesto dos professores agora de tarde na Praça da Matriz.

OS PROFESSORES ENCERRAM O PROTESTO DE HOJE DE E SENTADOS NA PRAÇA DA MATRIZ ESPERAM A HORA DE VOLTAR PRO INTERIOR.


PROFESSORES
PROTESTAM NA PRAÇA!

Depois do MST, os professores ocuparam a Praça da Matriz. Foi hoje de tarde. Sem tumultos, os professores protestaram contra o governador Tarso.

A Assembleía foi utilizada como ponto de apoio,sempre que ocorrem estes atos de protesto.

Ao passar pra ir ao banheiro, na frente das assessorias de imprensa de todos os partidos, uma PROFESSORA DESABAFOU:

- pra mim todos os "P' são iguais!


Fila deprofessores pra ingressar na ALRS


professores sentados na calçada da Pr. da Matriz.


estudantes da ' passagem' foram com as bandeiras participar do ato.

COLEGUINHAS

A ' ESQUERDA' X "DIREITA'

Na salinha JCTerlera Arno Maciel está sentado à direita de quem olha. O Arno é da DS

Já o Flávio Pereira sempre cobriu a ex-Arena!

Histórias de La Undeze

' SERAFINA, MINHA MENINA DOS OLHOS'!



Quando o governador Ildo Meneghetti esteve em Serafina,numa de suas visitas que fez por lá, ele declarou que Serafina " era a menina dos seus olhos".

A declaração pegou os serafinenses pelo coração porque os mais antigos, como o advogado Banjamin Antônio Gregianin, não esqueceram dela.
Segundo Evaldo Cervieri,Ildo Meneghetti ia a Serafina, se hospedava na casa dos pais dele - Fioravante e a Luizeta Marin - ia a missa das 10 da manhã e depois do almoço, junto do padre, voltava a Porto Alegre.

Aqui na foto, ele inaugura as casas populares do Jardim Itália.

HORA DO RECREIO!

NÃO TENDO O QUE FAZER NO SEU ESCRITÓRIO DE ADVOGACIA, O COLEGUINHA Flavio Pereira,DISTRIBUI PIRULITOS NA SALINHA JCTERLERA.

É MUITO NÃO TER O QUE FAZER!


Nos tempos do Sarney

Nos tempos do Sarney, eram tempos de ' deflação"

Sarney é recebido pelo Papa de quem se queixa na biografia oficial da Regina Echeveria.

O presidente Sarney está no Estado. Por coincidência foi na segunda feira passada quando se discutiu a FERROVIA NORTE-SUL na Assembléia Legislativa. Lembram que a ferrovia começou no Governo Sarney.

Digam o que quiserem do Sarney, mas ele foi um governo tolerante. Afora aquela patacuada do ministro da Justiça, Paulo Brossard de Souza Pinto,proibir o filme "Je Vous Salue Marie"- que acabou dando grande mídia ao filme, que dizem ser um enigma do Jean Luc Godard, - Sarney foi um governo liberal.

No livro de memórias da Regina Echeveria, ele conta que se desiludiu com a Igreja Católica quando foi pedir auxílio a João Paulo II por causa da Reforma Agrária no Brasil.
Angustiado com a situação, apenas ouviu do Papa:

- Eu trato da vida Eterna. Não da terrena.

Sarney murchou com a respota.

Sarney foi se queixar dos bispos sobre reforma Agrária. levou um ' fora ' do Papa João Paulo II.

Lembrançam-se dos tempos que ' laçavam' bois no campo...Pois aí está a crise de falta de carne, quando ' laçavam' os bois no campo por ordem dos ' fiscais do Sarney".

DEPUTADO CASSIÁ CARPES e o PTB

fotos: gabinete Cassiá Carpes(PTB)

Homenagens ao busto de Getulio na Praça XV de Novembro, no centro de SB.

O Deputado estadual Cassiá Carpes (PTB) esteve em São Borja na sexta dia 19 de abril, acompanhando a comitiva nacional do PTB nas homenagens ao ex-Presidente Getúlio Vargas. Era data de nascimento do velho GETÚLIO(131 anos) e a Câmara de Vereadores de São Borja, seguindo a tradição conforme lei municipal, realizou Sessão Solene em homenagem a Vargas. Os petebistas foram também até a Praça XV, onde está localizado o Mausoléu de Getúlio, (obra de Oscar Niemeyer), entre eles, que não eram muitos, o presidente nacional do PTB, Benedito Gama, o vice-prefeito de São Borja e presidente do PTB municipal Jefferson Homrich, o vereador Beto Souza (PTB), Luiz Carlos Bussato, deputado e presidente do PTB do Rio Grande do Sul. Tal vez por ironia do destino, alguém da comitiva gritou algumas palavras de ordem como "Viva o PTB" e "Viva Getúlio Vargas"; mas quem roubou a cena foi mesmo o deputado Cassiá, o mais assediado por populares entre os presentes. Todo mundo queria cumprimentar ou ter a atenção dele e ele não deixou de dar atenção a ninguém. Cassiá é da cidade, tem sua base no esporte mas encontra apoio em outros setores também. De família tradicional em São Borja, os Dornelles Carpes, Cassiá não é de agora que tem sua familia vinculada a política partidária. Um de seus irmãos, o advogado Sani Carpes, foi o mais jovem vereador do MDB na época da ditadura e um dos primeiros vereadores do PDT após a redemocratização. Atualmente sua cunhada, a Professora Tânia Carpes, é a pre sidente do PMDB de São Borja.

fotos: gabinete Cassiá Carpes(PTB)

Homenagens ao busto de Getulio na Praça XV de Novembro, no centro de SB.

Mercado Público – para todos os gostos

Por Adeli Sell

O ideal é largar o carro em casa, se as compras forem parcas. Mas não é proibido vir motorizado. Apenas tente chegar cedo para achar onde estacionar. Infelizmente, aos sábados, alguns estacionamentos do centro não funcionam. E são caros.

Nem pense em tomar café em casa. Comece suas andanças pelo Mercado cedo. Tem várias padarias para você degustar do café expresso ao tradicional "farroupilha".

Pensou em um presente especial a um amigo que está longe? Mande uma boa cachaça gaúcha, ali da Cachaçaria do Mercado. Faltou aquela erva para aquele mate, escolha numa das tulhas a de sua preferência pela cor ou pela espessura de sua moedura. E se for adepto a comidas mais saudáveis, tem tudo à sua mão.

O Mercado também oferece todos os tipos de cortes de carne, do boi ao porco, passando pelo frango caipira e o cordeiro. Andando curto seus pilas, opte por uma carcaça de galinha, ossinhos de porco, miúdos variados, e a família inteira estará em festa.
Se a sua opção é um prato com peixe, bem, você terá dificuldades na escolha. De água doce à salgada. Tem também todos os frutos do mar. Mas como a moda é a culinária japonesa, não só tem escolha para qualquer produto como já pode ficar para o almoço num dos restaurantes, tem no primeiro e no segundo piso.

Café moído ou sorvido ali. Tem para todos os gostos. O cheiro e o sabor de primeira irá te convidar a apreciar um ali mesmo, no balcão ou na mesa, com os amigos ou com a esposa.

Se a opção for almoçar no mercado, por favor venha cedo para não esperar em fila. No almoço, assim como nas compras, também tem para todo o tamanho de bolso. Em qualquer boteco externo se come bem e barato. E garanto que já comi ali o melhor arroz com feijão e chuleta desta cidade.

No inverno, nem é preciso falar do mocotó, cujos preços também variam segundo o poder aquisitivo de cada um. Você pode comer do melhor bacalhau ao peixe mais barato. Do melhor vinho ao de garrafão. E aquilo que você é proibido de fazer cotidianamente em casa, como bife de fígado, bucho e outras iguarias, ali é só pedir que tem. Resolvido o problema.

Doces, sorvetes? Ora, os melhores sorvetes da cidade devem estar ali, tanto no térreo quanto no piso superior.
Bem, devo ter falado da metade mais importante, mas tem mais.

Voltaremos ao tema.

Adeli Sell
Escritor e consultor

UM PAÍS SEM PARTIDOS

Por Carlos Chagas

Vem de Lênin a constatação de que só se muda uma nação a partir de uma elite pensante organizada em torno de um partido político, que será a vanguarda das mudanças. Em outras palavras, a massa não tem condições para realizar nada. Deve seguir na esteira de um grupo que traça as diretrizes fundamentais.
No Brasil, só uma vez tivemos um partido capaz de assumir essa função. Em todas as outras oportunidades foi a pessoa de um líder, presidente ou ditador, que enfeixou a tarefa de promover as alterações, obtendo sucesso uns poucos, fracassando os demais.
Foi em 1964 que um partido conseguiu sobrepor-se ao individualismo: era o partido fardado, o estamento militar, de triste memória em se tratando de representatividade e de resultados. As forças armadas, como um todo, conseguiram enquadrar os generais-presidentes, impondo a eles uma só partitura, diante da qual uns reagiram mas cederam, como Castelo Branco e Ernesto Geisel, enquanto outros aceitaram o papel de meros representantes do partido castrense no poder, como Garrastazu Médici. Apenas o último deles, João Figueiredo, mesmo de modo atabalhoado e incompleto, conseguiu livrar-se de parte da tutela. Também, o partido militar já estava desgastado, exangue e contestado de todos os lados.
Pela crônica, não tiveram partidos fortes que os dirigissem os presidentes Getúlio Vargas, Eurico Dutra, Juscelino Kubitschek, Jânio Quadros, João Goulart, José Sarney, Fernando Collor, Itamar Franco, Fernando Henrique e o Lula, com Dilma seguindo na mesma linha – todos em maior ou menor grau conseguindo controlar e não ser controlados. Uns puderam mudar muitas estruturas, outros poucas ou nenhuma. Deixou seqüelas o vazio da falta de uma elite pensante e poderosa concentrada num partido ao lado ou até acima deles.
Imaginou-se que com o PT seria diferente, pelo menos nos tempos em que os companheiros se organizavam, cheios de grandes ideais. Durou pouco a ilusão, que muitos supuseram capaz de emparedar o próprio Lula, seu líder maior. Aconteceu o contrário. Registrou-se com o PT o mesmo do que com os partidos anteriores: não teve identidade nem um grupo em condições de definir rumos alternativos para o país. Concentrou-se em ocupar espaços sempre mais mesquinhos e fisiológicos, despreocupando-se de elaborar um projeto nacional. O Lula que o fizesse. Resultado: mesmo sendo torneiro-mecânico e não caudilho, ele repetiu a performance de seus antecessores: tornou-se o poder, definindo de forma ora distorcida, ora correta, o planejamento que deveria ter recebido apenas para executar.
Se houver um consolo para mais essa distorção, vale lembrar que nem o Partido Comunista da União Soviética conseguiu. Depois da morte de Lênin o partido logo de transformou em galinheiro de Stalin, até desaparecer junto com o muro que havia erigido em Berlin.
Assim estamos, ou assim está o PT, de tantos sonhos desfeitos, ainda que sob a influência do Lula, que Dilma segue regularmente. No máximo, será ela a definir os rumos do Brasil, com os companheiros dispostos ao seu redor à espera das migalhas do banquete. Ou alguém pensa na alternativa de o PSB enquadrar Eduardo Campos, o PSDB, Aécio Neves, ou a Rede, Marina Silva?

OS MESMOS DE SEMPRE

Depois da euforia da descoberta do Pré-Sal e diante de resultados até agora mínimos em sua exploração, é preciso atentar para as coincidências, lembrando um episódio de 1933, quando foi descoberto petróleo na região de Lobato, na Bahia. Era ministro da Agricultura, Indústria e Comércio o todo-poderoso vice-rei do Nordeste, Juarez Távora, que reagiu à descoberta declarando ser teoricamente uma ilusão de ótica ou uma invenção dos comunistas, aquele petróleo. Baseava-se num parecer da Standart Oil...
Pois não é que agora os sucedâneos e sucessores da multinacional começam a sabotar o Pré-Sal, alegando dificuldades para extração a 15 mil metros de profundidade? Até filmes nesse sentido vem sendo preparados no Hemisfério Norte para desencorajar os trabalhos, sem esquecer a campanha de desmoralização da Petrobrás, em pleno desenvolvimento.


A VELHA NAZA....

Olha, vou pegar o gancho do bilhete do Laurinho e falar um pouco da Nazaré.A ' velha Naza...

Ela frequentava sim redações de jornais onde vendia seus badulaques. Era época dos hippies e se Porto Alegre teve uma ' rainha dos Hippies" esta foi a velha Naza. Por pouco ela não casou com o filho mais velho do Brizola, que morreu no começo do ano, o Zé Vicente.

Este era o ' povo' da velha Nazaré de Almeida. Filha de 'milico', ela é uma das que mais curtiram a contracultura de Porto Alegre.Até poucos anos atrás, sempre que queria saber das ' tendências' do PT-Partido dos Trabalhadores - era com ela que falava porque sabia tudo de cada corrente.

Hoje a Nazaré é avó e está aposentada.

Dos ' nossos ' tempos de Garopaba - anos 70 - lembro que ela era muito amiga da Maria Helena, do IAPI, que virou hare krisna e nunca mais vi.

A Maria Helena tinha uma kombi, onde botava todos os filhos dela e saiu pelo Brasil, de vacaciones, como disse o Luxemburgo pro treinador chileno.
Eram outros tempos...felizes ou não,eram outros tempos!

Mas nunca deixou de ser boa repórter, por isto.

Recordar é viver

Colarzinho artesanal feito pela Nazaré, q comprei para a Rosa no tempo em q trabalhava na ZH e ela aparecia na redação vendendo. Lá se vão 40 anos! (L. Dieckman, 22/04/2013)


DIARIO DE SMARIA!

Li uma boa matéria que saiu no sábado passado sobre a situação das famílias que perderam gente no incêndio da Kiss.

A matéria prum jornal do interior tá boa.

Fico com pena é do longo luto que estas pessoas vão passar.

Terão que passar por ele, e as autoridades nada podem fazer!

Coleguinhas

Voltaire Porto disse agora de madrugada na Guaíba que José Sarney visitou na segunda o governador GERMANO RIGOTTO.

Ué, o homi ainda tá lá??? Não é o Tarso o governador???

* Antônio Goulart ficou estarrecido que tem apenas uma funcionária na secretaria da ARI.
Ué, queriam o que????

* Seguindo o conselho de uma amiga muito querida, a Neuza, com ' Z" Penalvo vou ' deixar a amargura pra lá'. virarei OLIDES PAZ E AMOR!

Os leitores que procuram amargura troquem de página.

Dia Nacional da Literatura Infantil

A Escola Municipal Infantil Santa Lúcia, situada no Bairro
Gramadinho, realizou, na semana passada, importante projeto para
estimular a leitura e o mundo mágico das histórias. O dia 18 de Abril
foi instituído como o Dia Nacional da Literatura Infantil, em
homenagem à Monteiro Lobato. Este foi um dos maiores autores da
literatura infanto juvenil brasileira.
O objetivo do Projeto é incentivar a leitura e motivar os alunos a
usarem a imaginação e o mundo mágico das histórias, com criatividade e
conhecimento. Os alunos da Escola Municipal Infantil Santa Lúcia
participaram de atividades como leitura de histórias com a presença de
personagens, foi criado um livro gigante próximo à Biblioteca, enfim,
foi uma semana repleta de magia, imaginação e criatividade.

Escolas Municipais têm CPM regularizado

A Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa, através da Secretaria de
Educação, está realizando importante trabalho junto às escolas
municipais e infantis, a fim de regulamentar o CPM. O Círculo de Pais
e Mestres tem por finalidade integrar a família com a escola e esta
com a comunidade, para o desempenho mais eficiente do processo
educativo.
Durante cerca de dois anos, na Secretaria, esteve tramitando o
processo de regulamentação do CPM das Escolas Municipais de Educação
Infantil, sendo que somente no dia 19 de Abril de 2013 as direções das
seguintes escolas receberam a documentação: Escola Municipal Infantil
Santa Lúcia, Escola Municipal Infantil Jeito de Criança e Proinfância,
Escola Municipal Infantil Nostri Bambini, Escola Municipal Infantil
Pedacinho de Céu e Pré-Escolar Castelinho do Saber.

Novo Grupo de Convivência de Idosos em Serafina Corrêa


A Secretaria de Assistência Social, ao constatar, através dos dados
do IBGE de 2010, que no Bairro Santin residem cerca de 300 idosos,
mobilizou-os, juntamente com os Agentes Comunitários de Saúde, para
formar um grupo de convivência, com objetivo de proporcionar momentos
de lazer, de atividades físicas, de cuidados com a saúde, com foco na
prevenção de doenças e isolamento social.
No dia 18 de Abril de 2013, no Ginásio Municipal Santin, a Secretaria
Municipal de Assistência Social reuniu os idosos, moradores dos
Bairros Santin e Planalto, e foi fundado um novo Grupo de Terceira
Idade. Na ocasião, a Assistente Social Silmara Arboit e a Orientadora
das Atividades da Terceira Idade Gabriela Assoni Grechi explicaram aos
28 idosos que participaram da reunião a importância do grupo de
convivência e seus benefícios físicos e sociais. Em uma roda de
conversa, os idosos puderam tirar suas dúvidas e receber informações
sobre o funcionamento do grupo.
Em seguida, foi realizada uma votação para a escolha do nome do
grupo, o qual passou a se chamar Grupo de Terceira Idade Santa Rita.
Além disso, foram realizadas atividades de alongamento e dança e, logo
após, foi servido um delicioso lanche.
Os encontros desse grupo serão realizados semanalmente, nas
quintas-feiras, às 14h, no Salão da Igreja do Bairro Santin. Todos os
idosos dos bairros Santin e Planalto estão convidados a participar do
grupo.
Também se fez presente o Secretário da Assistência Social, Lídio
Oldoni, a Agente de Saúde, Adelina Zanella, e a Assessora do Gabinete
do Prefeito, Aline Thais Chiodelli.

Prefeito recebe Diretor da UPF de Casca

O Prefeito Ademir Antônio Presotto recebeu, em seu Gabinete, no dia
18 de Abril, a visita do Diretor da Universidade de Passo Fundo ?
Campus Casca, Nélio Luiz Cerbaro, bem como do Presidente da ACISCO,
Cassiano Zatti e participou da reunião também o Secretário de Finanças
Odeni Schaffer Castro. Na ocasião, foram destacadas as importantes
parcerias que o município de Serafina Corrêa tem com a Universidade de
Passo Fundo, além de possibilidades de novas oportunidades de
qualificação e estudo para os serafinenses. O Diretor do Campus Casca,
Nélio Luiz Cerbaro, entregou ao Prefeito Municipal, importante Convite
para o Encontro com os Prefeitos dos municípios da região de
abrangência da UPF que acontecerá no dia 30 de Abril de 2013,
terça-feira, no Centro de Eventos da UPF ? Campus I, Bairro São José,
em Passo Fundo, às 9h.

Tem início a Indústria do Conhecimento em Serafina Corrêa


Na sexta-feira, 19 de Abril de 2013, o Prefeito Ademir Antônio
Presotto, juntamente com Secretários, Diretores, Assessores, o
Presidente da Câmara e demais Vereadores, estiveram presentes na
Indústria do Conhecimento, em Serafina Corrêa, anunciando o início
oficial da obra. Localizada no Bairro Gramadinho, próximo à Escola
Municipal Leonora Marchioro Bellenzier, esse grande empreendimento
proporcionará educação, acesso à informação, informática, cultura e
qualidade de vida para a população.
A Unidade SESI Indústria do Conhecimento representa uma grande
conquista que consiste num centro multimeios, contendo biblioteca,
DVDteca, CDteca, gibiteca e Internet, tudo gratuitamente, para toda a
população. Esse centro multimídia é estruturado a fim de atender a
população, promovendo o acesso à informação e ao conhecimento.
A Indústria do Conhecimento oferecerá acesso gratuito à informação
através de livros, revistas, gibis, jornais, vídeos, DVDs, acesso à
internet e inúmeras atividades de promoção da leitura, lazer e
cidadania.
Na ocasião do início oficial da obra, o Prefeito Ademir Antônio
Presotto destacou a importância da Indústria do Conhecimento para a
educação e cultura do povo serafinense, ressaltando a parceria e o
apoio dado pela Associação Comercial e Industrial de Serafina Corrêa,
ACISCO, na busca dessa unidade SESI para o município, bem como de todo
o trabalho da equipe da Administração Municipal.

Ação dos Amigos do Rio Carreiro

Na sexta-feira, 19 de Abril de 2013, cerca de 800 alevinos foram
lançados ao Rio Carreiro, uma iniciativa de um grupo de amigos com o
objetivo de repovoar um dos mais importantes recursos naturais do
município de Serafina Corrêa. A iniciativa merece destaque e serve
como exemplo, sendo uma atitude que promove a conscientização
ambiental, a preservação e o amor à natureza.

HISTÓRIAS DE LA UNDEZE!

' el prete ghe piaze al formai

e el vin..."( o padre gosta de queijo e de vinho...)

O advogado Benjamin Antônio Gregianin foi durante três anos professor de 40 alunos na escolinha que havia pouco antes da capela São Pedro.Quem o botou lá literalmente foi o padre Chico()Francisco Lollato).

- Minha tia Terezinha tida ido morar na cidade e a escolinha ficou sem professor. Sobrou pro Benjamin lecionar lá.

- As vezes quando volto na capela São Pedro o pessoal me diz: fulano estudou com o senhor e por aí vai...

Benjamin recorda que quando o vigário era o Padre Francisco Lollato(padre Chico) ele ia benzer as casas na capela.

- Ele ia uma vez por ano. Me levava junto.

E sempre me advertia: vou ver a patente(casinha de fazer as necessidades porque não havia banheiro como hoje)

E o padre acrescentava: - se ele estiver suja é porque a dona é ' porca'.

Se estiver limpa é porque a dona da casa é ' caprichosa'.

E acontecia isto mesmo.

Muitas vezes depois de benzer a casa, recorda Gregianin, o padre lembrava ao dono da casa, ou melhor a dona:

- Ele prete ghe piaze el formai e el vin

( o padre também gosta de queijo e de vinho)

Então a dona da casa ia lá e pegava uma das melhores formas de queijo e a dava ao padre Lollato.

Vinho também não faltava. Os colonos o faziam com abundância na capela São Pedro.

Este repórter recorda que na época da colheira de uva - ' la vendema' - como a chamavam os colonos se ajudavam mutuamente.

Depois iam tomar o vinho doce juntos.
O Gregianin vai com assiduidade visitar os Bazzo que são seus tios. Ele tem lá parentes.

Os dois tios dele, o Etelvino Bazzo( a mãe do Gregianin é Etelvina) e o Colorindo, o Lindo, vivem. As esposas são falecidas.

A do Lindo faleceu faz pouco tempo.

Da capela São Pedro de quando me criei lá, restam meu pai e os dois irmãos Bazzo. Pelo menos que eu me lembre.

FECHANDO,FECHANDO...

( bordão que o Cristiano usava na hora do fechamento do sindicato nos fins de tarde!)

O gerente do sindicato dos jornalistas-RS, Cristiano Nunes, de chapéu é o ' Pantera"


Nuns anos em que o JCTorves presidiu o sindicato dos jornalistas, costuma trabalhar lá.

Havia lá um computador pros autônomos, que agora não funciona mais. Tudo porque havia até um coleguinha que de tanto se acampar lá,chegava até a lavar os tênis e deixá-los pendurados na parede pra secar.

A sala foi fechada.

Mas o Cristiano Nunes que é o gerente do sindicato há muitos anos costumava fazer ' terrorismo' na hora de fechar o sindicato.

Passava pela sala dos autônoms e pras nos mandar embora, ia gritando ...

- FECHANDO,FECHANDO....

ERA A SENHA PRA IRMOS ARRUMANDO AS COISAS, QUE O SINDICATO FECHARIA.

O Cristiano é o Mitchell do sindicato. No JB, o José Mitchell nunca tirava férias.

o Cristiano não tira férias do sindicato. Quando tira fica ligando de onde está pra saber se está tudo nos trinques.

Mas é boa praça...

Quebra galhos de todo mundo...

CROQUI DA ASSEMBLÉIA ANTIGA




CROQUI DA ASSEMBLÉIA ANTIGA


Confesso que o croqui não é dos melhores. Mas ele pretende mostrar como sentavam as bancadas da AL/RS nos anos 1947. Ficava no casarão da Duque de Caxias.
Hoje ali é um memorial.

Visto da ' mesa diretora" à esquerda ficava a bancada do "Partidão". Dyonélio Machado e o ' Pinheirinho"(José Antônio Gomes Pinheiro Machado.

no centro ficava a bancada majoritária, no caso o PTB.ali sentavam José Diogo Brochado da Rocha, um coronel da Brigada Militar, que fazia muitos votos entre os ferroviários,- andava sempre com umas calças meio ' xumbregas'(costuradas nos fundilhos) e atrás dele, pedindo seus conselhos ou levando dados a ele, o deputado

Leonel Brizola,na primeira vez que se elegeu. De tão desconhecido que era, as atas do TRE(Tribunal Regional Eleitoral) que registram as eleições gaúchas, grafavam seu nome erradamente.

já na bancada à direita ficava o PRP(Partido da Representação Popular) que eram os integralistas. Entre eles o deputado Alberto Hoffmann, de Ijuí, que um dia viraria senador ' biônico' da Arena, o partido político que deu sustentação à ditadura militar de 21 anos.

As bancadas neste ano de 1947 do PTB constituia-se de 23 deputados, do PRP,de 4, do PCB, 3,da UDN,4; do PSD 16, do PL,5.

( Fonte: Jose Nelson Gonzalez, que na época cobria a Assembléia pela Tribuna Gaúcha, um jornal editado pelo PCB.)


PELAS RUAS

AS pichações de uma cidade ' pulsam".

Ela dizem o que a cidade fala....

Ouvi-las é um gesto de inteligência.



DE SERAFINA

quem é!

a PROFESSORA que esteve envolvida na semana passada no assunto da merenda escolar é Linamar Alban Mezzomo. É filha de Lino Alban, que no passado teve um depósito de bebidas perto de onde está a sede atual do Gaúcho, na av. Miguel Soccol.

o Hyde Park é aqui


Mais gente na Redenão neste ultimo domingo, no show que teve lá ao ar livre!



uM FESTIVAL DE CHAPÉUS, gente dançando, todos felizes!

Era o show de domingo último no Parque Redenção!

Tinha lá o Borghetinho, Os Fagundes(Bagre,Neto e Ernesto)o Nenhum de Nós e a OSPA!

A AVANI FALA SOBRE FOTOGRAFIA.

HOJE NO BARRASHOPPING!
ENTRADA FRANCA!


PASSAGENS

NÃO TIVERAM

FATO NOVO

Segundo o Juiz HILBERT OBARA, TITULAR DA QUINTA VARA DA FAZENDA PÚBLICA, DO FORO CENTRAL DE PORTO ALEGRE, a passagem dos ônibus de Porto Alegre continuam 2,85 reais.

- Não houve nenhum fato novo, disse-me agora há pouco o juiz.

Ele informou que foram ' citados os reus - no caso EPTC, PMPA E COMTU e que as empresas de onibus foram notificadas.

A passagem continuará neste valor enquanto não venha um elemento novo no processo, informou o magistrado.

DA LEM MAR!!!!


Em casa sempre me chamaram Olides e a minha mae as vezes pronunciava de maneira que parecia olidos, os meus primos no campo tb, nao sabiam dizer bem o nome e saia assim umas coisas meio estapafurdias... eu resolvi a partir de certa altura assinar sempre Olides Maria, para que nao me chamem Sr., porque, normalmente é o que acontece.
Por aqui, na Suica e na França, pronunciam o nome olideshe e alguns chamam-me Marria porque é pela facilidade.
Claro que o nome tem um carga energetica forte, mas eu sou curiosa e gostava de saber mais..
Com a internet comecei a receber uns mails para o Sr olides, que normalmente veem de sitios pouco aconselhaveis ou pelo menos eu nao escolheria ir visitar,.,,, e como resolvi pesquisar a razao desses mails, descobri que afinal existem muitos olides no Brasil, mas tb ha muitas olides,
Dai chego a conclusao que a minha mae tera confundido a origem do nome, pois sempre me disse que o nome tinha vindo do Cabo de Boa Esperanca, pois uma grande parte da emigracao madeirense, desde o anos 40 foi sempre mais para africa do sul e para as americas.... (assim, talvez, quem sabe, o nome tenha vindo do Brasil).. que mais gostaria saber Sr.OLides Canton.
Sedilo, ja tenho usado como pseudo
A si, descobri-o nestas pesquisas, ai encontrei o seu Blog, e por isso este atrevimento...

Ferreira Olides

E DAI, SEM PROBLEMA!


Desculpe a intrusao e talvez a "tontaria", que sabe acerca deste nome.

Eu também tenho nome de OLIDES, mas sou mulher, Olides Maria, toda a vida tentei descobrir a origem deste nome, na enciclopedia Luso Brasileira diz que foi dado a um senhor Frei (ou seja um padre que veio de uma cidade de Galiza - nomeada de Olid e que quando chegou a Portugal lhe chamaram, Olides a por causa da preposicao ndo lugar de onde veio.???
Outro dia ouvindo uma senhora francesa, por sinal jornalista que estuda o nome das pessoas e o seu significado, explicou que por vezes os nomes podem ser anagramas de outras palavras ou de outros nomes;
também explicou a energia dos nomes e que pode contar tudo sobre uma pessoa a partir do seu nome de baptismo assim, como dos seus ancestrais.

Entao, decidi me divertir e descobri -
que olides pode dar: sedilo, por sinal uma freguesia na sardenha que tem o santuario de s.constatino., seidlo que é nome de familia, oldies, Lideso, Lidose, desoli - des oli - isolde..

Mais uma vez desculpe,
olides maria Leça

EXCLUSIVO!

jornalistas que hoje são ' famosos'

viveram ' a leite e banana' na pensão da João Pessoa!

Kenny Braga,"Bicudo", Danilo Ucha, Glênio Lemos,entre outros

curtiram o clima da pensão nos anos 60,todos vindos de Santana do Livramento!

MEMÓRIAS DA

PENSÃO DA DONA MARIA

O GORDO UCHA- Danilo - ERA O UNICO QUE NÃO QUERIA NADA COM ESTA HISTÓRIA DE "REVOLUÇÃO" ( não a dos milicos, a que Brizola e Cia queriam fazer no Brasil), LEMBRA O HOJE ADVOGADO BENJAMIN antonio GREGIANIM, aos 72 anos. Avó de dois netinhos, ele sofre ao rememorar esta parte difícil de sua vida e dos demais colegas da pensão da dona Maria, quando moravam lá por absoluta necessidade.

Benjamin lembra que dela participavam ele, Glênio Lemos, futuro prefeito de Santana do Livramento,Ucha(Danilo) Kenny Braga, que morava lá, Bicudo(Elmar Bones das Costa)que morava com um musico da Ospa, na rua Avaí mas que frequentava a ' turma ' de Livramento que se reunia no local diariamente.

- Fui morar numa outra pensão, mas como não tinha vaga, me indicaram a da dona Maria lembra o advogado.

O endereço era Av. João Pessoa, 589. Hoje mudou de endereço - lá tem uma casa de shows -.

Eram os anos 60, pouco antes da Revolução de 64.

- Nós tinhamos um quarto onde morava eu e o Glênio Lemos. Mas os outros passavam muito tempo lá e a dona Maria reclamava que gastávamos muita luz, diz Benjamin.

Os tempos eram outros.

- Quando dava, pegávamos uma p....e era tudo numa moita mesmo da Redenção, recorda Gregianim.

Benajmin, nascido em Serafina Corrêa(RS) morou um bom tempo em Palmitos, Santa Catarina. Quando veio para Porto Alegre veio para operar os pés na Santa Casa de Misericórdia.
- Nasci com os pés tortos, mas hoje está bom, diz ele.

SEM COMIDA

Não havia comida na pensão da Dona Maria - que também alugava no porão um pequeno quarto para os recrutas do quartel que havia ali ao lado se trocarem de roupa.

Apenas café da manhã pra matar a fome daqueles jovens.

Aos domingos é que a coisa encruava.

O que os moradores faziam?

Levantavam cedo e iam a luta. Pegavam uns litros de leite que a Corlac- uma estatal que fornecia leite - deixava em litros de vidro na frente dos ' mercadinhos' e levavam pra pensão.
Com alguns ' pilas ' compravam umas bananas velhas num mercadinho e faziam uma ' batida' - era como se chama misturar leite com banana dentro de uma batedeira
- Comíamos aquilo e pronto

GLENIO LIDERANÇA

De todos eles, dona Maria, que era de Santiago do Boqueirão - hoje ainda vive e mora em Montenegro aos 90 e tantos anos - ( o marido dela, que tinha os braços com uns defeitos, faleceu ainda antes de 1964,quando eles moravam na pensão) tinha muito respeito por Glênio lemos, que no futuro veio a ser prefeito de sua terra natal, Livramento.

- O Glenio era o único que tinha algum ' pila'. Seus pais eram fazendeiros. Eles nos socorria sempre, lembra, muito grato ao amigo e colega de quarto, o hoje advogado Gregianim.

Glênio depois foi embora para São Paulo onde trabalhou numa ' multinacional' a Volkswagen do Brasil. Suprasumo da ironia, ele que combatia o capitalismo e mormente o imperialismo ianque e afins...

- O Glênio sempre foi o mais politizado de todos nós, diz Gregianim, que de há muito deixou os movimentos sociais - ele ficou preso tanto no quartel da Praça Raul Pilla como no DOPS por atividades no antigo ' Grupo dos Onze' de Leonel Brizola e é um passado ' muito traumatizante' do qual não gosta nem de mencionar.

- Líamos muito livros e revistas que vinham de Cuba e da Faculdade Patricie Lumumba da União Soviética. O Brizola tava metido nisto, lembra ele.
Gregianin diz que alguns até estavam sendo recrutados pra ir se ' formar ' na União Soviética, na escola Patricie Lumumba. De lá voltariam como '' quadros' socialistas' pra fazer a revolução no Brasil.

Sentado na sua cadeira no quarto de Glênio Lemos e de Benjamin, Danilo Ucha queria mais era ler seus livros.

E debochava da militância dos amigos de Livramento:

- Vocês no futuro vão ser todos burgueses, mais do que muita gente.

Acertou em em alguns casos em cheio!

Outro do grupo que não ficava fazendo muito proselitismo de revolução socialista, segundo Benjmin Gregianin era Bicudo.
- Não era de se meter muito em política. Ele gostava de tocar seu violão.

DONA MARIA SUMIU...

Numas férias que viajou pra Palmitos, quando voltou Benajmin não encontrou mais os donos. Eles tinham subalugado a pensão pra um casal que tinha outra pensão no centro de Porto Alegre, na rua General Salustiano.

- Quando foram entregar a pensão, a dona Maria disse a eles que eu era um dos melhores inquilinos dela.

Acabei casando com a filha deles, que é minha esposa até hoje, relembra o advogado, que tem escritório no centro da capital.

Depois da dona Maria, Gregianin acabou ele próprio indo morar e administrar uma pensão mais central.

- Me passaram aquela pensão. O cara me passou,mandou assumir e fugiu. Quando me dei conta aquilo era só de putas. De noite ficava cheio de homem na frente atrás delas.

Os caras saíam do hotel Savoy,onde ficavam hospedados e iam na minha pensão pegar as putas.

Eu, muito ingênuo, não dei bola pra aquilo. até que um dia a FOLHA DA TARDE ME SAI COM UMA PAGINA INTEIRA COM ESTA MANCHETE.

- BORDEL A 100 METROS DO PALÁCIO PIRATINI.

Com a matéria, o Gregianin só podia esperar bomba. Luis Mathias Flach, um delegado durão, que na época comandava a DP de Costumes bateu lá com o policial Luis Menezes, morto faz poucos anos,autor de músicas gauchescas famosas. Menezes morreu em 12.10.2005 e era um dos apresentadores do GRANDE RODEIO CORINGA, NA FARROUPILHA, JUNTO COM DARCI FAGUNDES.

Mandaram que o Gregianin baixasse abola de suas inquilinas e com o tempo ele deu um jeito. Selecionou mais os hóspedes de sua pensão. Foi quando a adminsitrava que acabou ficando oito dias preso no quartel da PE - onde o capitão Lamarca serviu - na atual Praça Raul Pilla.

- Me botaram no porão. Era verão mas fazia um frio de noite. O carcereiro deixou que eu pegasse uns cobertores que ficavam do lado de fora.

De lá, Gregianin foi levado ao DOPS, onde achou que seria fuziliado. " Quem mandava lá e dava as ordens era o delegado Pedro Seelig".

- Me mandaram embora porque viram que eu era muito 'bagrinho', sentencia ele.


Gregianin não vê Bicudo faz muito tempo. Kenny Braga ele encontra as vezes na rua. Ucha muito menos e Lemos sabe que faleceu.

Dona Maria ele ainda a visita quando passa por Montenegro - é uma senhora gorda " - quando vai a Pareci Novo, onde vivem seus sogros e onde ele vai pra pegar algumas flores que traz pra plantar num pequeno jardim que construiu ao lado de sua casa, no Partenon.

Da pensão e da crueza daqueles anos , ele apenas lembra que lá agora o número trocou e que o local virou uma casa de eventos. Naqueles anos 60, anos de tantos sonhos, a pensão da dona Maria ficou guardada apenas na memória afetiva.

O SOLITÁRIO CONSERTADOR DAS MÁQUINAS DE ESCREVER!

o velho Flores ao lado das máquinas de escrever.

vez que outra entra uma freguesa pra oferecer máquinas antigas ao Flores!

Numa lojinha da rua Espirito Santo, passa o dia alguém que conheceu a situação das principais redações dos jornais de Porto Alegre.

O já quase octogenário Ebanes Flores conheceu as redações dos jornais porque era ele quem consertava as máquinas dos repórteres e redatores.

Temos uma identidade: quando eu trabalhava na redação da ZH, ele consertava as máquinas. Nem nos conheciámos nesta época. O Conheci quando fui demitido e tive que usar a minha velha máquina Olivetti que ele consertou várias vezes.
Atualmente a loja do Ebanês Flores serve mais como museu de máquinas velhas do que outra coisa. São os tempos modernos, a era digital.

Ebanês começou consertando máquinas de escrever do Diario de Noticias, dos jornais da Caldas Jr. e da ZH.

- Comecei em 1972. Eramos ali na Caldas Jr.

Mais tarde, ele se mudou pra Espirito Santo, onde está até hoje.

Durante muitos anos, o Flores, como é conhecido, teve um auxiliar, o Jorginho meu vizinho na av. Lavras. Quando mandava consertar minha velha máquina, o Jorginho a buscava lá em casa e a trazia de ônibus.

Jorginho não trabalha mais com o Flores. As vezes o vejo no ônibus ou andando por alguma rua do bairro onde moro.

Sempre que passo pelas redondezas, entro pra bater um papo com o Flores. Relembramos personagens da ZH. Ele fala muito no Hélio Costa, que lembro como um senhor gordão, que andava pra cima e pra baixo.

O Hélio Costa aliás alugava uma casa no seu nome, ficava ali na 17 de Julho...bom deixa pra lá...

Foi saindo dali que uma vez, alguém muito importante, caiu de carro no Dilúvio...
Foi nesta mesma casa, que por sinal haviam festas com Odaliscas trazidas por árabes que usavam turbantes....mas isso já faz muito tempo...

Tudo isto o velho Ebanês vai relembrando, com saudades dos tempos em que visitava a ZH e ficava de festas, depois do expediente, com seus clientes.
- Eu pagava tudo pra eles. Depois me cobrava no preço. Paguei muitas churrascadas no Negrão (uma churrascaria que havia na José de Alencar, perto do hospital Mãe de Deus).
Hoje, como a maioria dos personagens que Ebanes vai lembrando, não existem mais. Apenas na memória afetiva dele.

MIJADAS

Ebanês conta que as máquinas da ZH chegavam todas quebradas e algumas com mijo dentro.

- Os repórteres de madrugada de raiva mijavam dentro das máquinas.

Mas ai de quem mexesse com os ' repórteres ' do seu Maurício ( ele se refere ao dono da RBS e da ZH Mauricio Sobrinho, falecido em março de 1986).

- Uma vez entrou um cara lá como gerente. Ele levou uma máquina toda mijada pro Hélio Costa e reclamava. Olha o que os repórteres fazem com as máquinas.

- O Helio me chamou e disse: leva esta máquina Flores e arruma. Este cara não vai durar aqui dentro. Tá falando mal dos repórteres do Maurício que são seus dodóis...

Não durou seis meses.


Ebanês também viu nascer a executiva Vânia Weber. Era com ela que os caras da Olivetti tratavam.

- Uma vez levei lá um cara da Olivetti. Ele levou junto um contrato. Quando ele mostrou o contrato pra ela, ela mandou enfiar no c....

Ebanês diz que o cara da Olivetti ficou surpreso. A Vânia saiu do jornal e está em São Paulo, lembra o velho que nunca mais a viu.

Ebanes Flores vai destilando memórias;

Por fim me conta que sempre foi Partido Libertador (PL) do Raul Pilla.

Em seguida entra uma senhora, que pergunta se ele compra máquinas.

- As vezes entram aqui e pedem isto.

Mas Flores sabe que seu tempo passou. Hoje as redações são tudo computadorizadas.

Foi-se o tempo que o tilintar das teclas das máquinas era uma orquestra. Ficou apenas uma lembrança e vaga.

- Meu sonho sempre foi ter uma redação silenciosa, sempre dizia o Olyar Zavaschi, que implantou os computadores em 1988 na ZH. Olyar está morto. Só não morrem as lembranças!


A verdadeira Dilma, onde está?

Carlos Chagas

Vamos ficar apenas na semana que passou. Segunda-feira ela despachou com quatro ministros e um monte de auxiliares, pela manhã. À tarde, examinou processos até a hora de voar para Belo Horizonte e participar, à noite, junto com o Lula, das comemorações dos dez anos de fundação do PT. Foi dormir de madrugada. Na terça-feira, mais festas dos companheiros e entrega de retroescavadeiras, ambulâncias e casas populares no interior mineiro. Em Brasília, no dia seguinte, despachos com cinco ministros, fora os palacianos, e encontros não registrados pela agenda oficial com empresários e líderes políticos.
Na quinta-feira, mais reuniões com ministros e, de tarde, viagem a Lima, no Peru, para reunião de emergência à noite com os presidentes da América do Sul. Terminado o encontro às duas da madrugada de sexta-feira, em vez de ir a um hotel para descansar, voou para Caracas, onde chegou pela manhã. Só duas horas de descanso. Depois, demoradas cerimônias da posse do presidente Maduro, em Caracas. Não buscou retemperar as forças. Ao contrário, mais um vôo de muitas horas, agora para Brasília.
Teria sido uma semana inusitada, complicada, diferente, para a presidente Dilma? Nem pensar. Sua rotina de trabalho é sempre a mesma, substituídas as eventuais viagens internacionais pelas nacionais, permanentes e igualmente cansativas. Tudo se viu redobrado depois do lançamento de sua candidatura à reeleição. Não há tempo a perder.
COM TODO O RESPEITO…
Para uns, trata-se de patriotismo, dedicação às funções, empenho na tarefa de seguir a linha traçada pelo Lula ou até ultrapassá-la. Com todo o respeito, para outros, é perigoso desgaste. Porque não há organismo humano que resista.Tanto o dela quanto o de seus auxiliares mais próximos. Agem assim aqueles que estão no fim de algum projeto. Ou os que se imaginam no começo, seja no empresariado, no funcionalismo, nas profissões liberais e no esporte. Jamais dará certo na presidência da República, no comando de uma nação, ou mesmo de uma corporação ou de uma atividade qualquer.
Vamos enfrentar os fatos: a presidente Dilma está desperdiçando o que logo poderá não ter mais: além de saúde, o lazer, os sonhos e a felicidade a que todo ser humano tem direito. Parece afogar-se na impossibilidade de deixar o varejo por haver esquecido o atacado. Transformou sua vida numa sucessão de compromissos.
Terá tempo para questionar sua própria existência? Crê num Espírito Superior capaz de ajudá-la a governar ou duvida de velhos dogmas a respeito de nossa presença no planeta? Cultiva o ceticismo da ausência de Deus? Tem tranqüilidade para projetar seu próprio futuro, acima e além da necessidade de permanecer no poder? Pensa em alguma coisa posterior à nossa curta passagem pela vida? Gostaria de contribuir para o aprimoramento da sociedade sem as malhas de leis e regulamentos efêmeros e sempre superadas? Mais do que cozinheira de todas as refeições, melhor não seria melhor ser projetista de cardápios?
Essas questões, se meditadas, poderiam ajudá-la a governar sem a sofreguidão de tudo decidir e tudo conquistar pelo fato de encontrar-se no comando da nação. Em suma, é preciso descobrir a verdadeira Dilma, se é que ela existe, no fundo de tanto dever de casa executado até agora. Mais importante do que inscreve-la na galeria de ex-presidentes da República será saber o que Dilma foi: uma campeã olímpica com o peito coalhado de medalhas ou uma inspiração para as próximas Olimpíadas? As duas coisas, a História comprova que não dá…

Centenas de pessoas prestigiam a abertura da 2ª Semana Missioneira

Centenas de pessoas compareceram ao Instituto Federal Farroupilha (IFF) campus São Borja, na noite de sexta-feira (19/04), para prestigiar a abertura oficial da 2ª Semana Missioneira, realizada pela Câmara de Vereadores.
Os participantes foram recepcionados com um show musical dos artistas Marcelo Antunes e João Carlos Silva. Logo após, deu-se início a cerimônia de abertura, que contou com a presença de diversas autoridades da cidade e do estado.
Estiveram presentes: o prefeito Farelo Almeida, o deputado estadual Cassiá Carpes, a reitora do IFF Carla Jardim, o diretor do IFF Alexander Machado, o professor da Unipampa Muriel Pinto, o presidente da Associação dos Legislativos das Missões Leandro Wastowski, os vereadores Eldomir Marchezan, Tiago Cadó, João Luiz Dornelles e Valério Cassafuz, os secretários municipais, estudantes do instituto e demais escolas da cidade e representantes de diversas cidades da região das missões.
A secretária Municipal de Turismo, Cultura e Eventos, Leocádia Guerreiro, fez o lançamento dos concursos fotográfico e literário “Orgulho de ser missioneiro”, que serão desenvolvidos durante a semana missioneira e contarão com premiação em dinheiro para o 1º, 2º e 3º lugares. Leocádia levou a conhecimento do público diversas informações com relação aos concursos.
No início da noite houve ainda o lançamento da revista História Missioneira de São Borja, escrita pelos historiadores Fernando Rodrigues, Muriel Pinto e Ronaldo Colvero. Simbolicamente, o presidente da Câmara Roque Feltrin, entregou exemplares da publicação à representantes da Unipampa e do Instituto Federal Farroupilha.
Em seu pronunciamento, o presidente do Legislativo falou sobre a importância de valorizar a cultura missioneira, enraizando na população o sentimento de pertencimento às missões. Feltrin destacou a importância dos parceiros para a realização do evento e lançou uma campanha para recolher 5 mil assinaturas em um abaixo assinado, pedindo que o prédio onde situa-se o Banrisul seja transformado no museu municipal.
O presidente ressaltou ainda a necessidade de que a comunidade conheça e tenha orgulho do seu passado, assumindo assim, sua identidade. Ele citou também que São Borja tem um grande acervo missioneiro em propriedades particulares e que por isso, esse material ainda não foi tombado, necessitando de uma ação imediata neste sentido.
Assim que a cerimônia de abertura foi encerrada, deu-se início às palestras da noite. O pesquisador e professor da Uri Santo Ângelo, José Roberto de Oliveira, apresentou o seu livro Pedido de Perdão pelo Triunfo da Humanidade, onde ele afirma que as missões serviram de base para a revolução francesa, sendo o único lugar na época em que a população já exercia a democracia votando para escolher seus líderes.
Oliveira disse ainda que, segundo texto da Unesco, as missões são “uma experiência econômica e cultural sem precedentes na história dos povos”. Ele enfatizou também a genética da população da região e a descendência guarani da grande maioria das pessoas. Por fim, o pesquisador fez uma rápida cronologia e levantou questões polêmicas e inovadoras da história das missões.
Dando seqüência as atividades, a Superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN-RS), Ana Lúcia Goelzer Meira, falou sobre patrimônio material e imaterial. Ela iniciou explicando o que é patrimônio e seguiu apresentando um mapa dos municípios com bens tombados pelo IPHAN no estado.
Ana Lúcia mostrou imagens de patrimônios materiais e imateriais já tombados e reconhecidos e explanou sobre o registro dos bens Culturais de Natureza Imaterial. A superintendente esclarece que atualmente existem 25 bens registrados no Brasil e que o Rio Grande do Sul cogita a possibilidade de registrar outros três, sendo eles; o saber fazer dos doces de pelotas, o Massacre de Porongos e a cultura e o imaginário da comunidade Mbyá Guarani, em São Miguel Arcanjo.
Encerrando as atividades da primeira noite da 2ª Semana Missioneira, Ana Lúcia, apresentou a proposta para a criação do Parque Histórico Nacional das Missões, destacando a importância do apropriamento do patrimônio pela sociedade.
Amanhã, a programação da semana segue com o Encontro dos Legislativos das Missões e Encontro dos Legislativos dos Povos Missioneiros na Câmara de Vereadores, a partir das 9hs. A iniciativa contará também com a participação do Presidente da Assembléia Legislativa do RS, Deputado Pedro Westphalen e de representantes da Secretaria Estadual de Turismo. Também amanhã pela manhã haverá a abertura de exposição fotográfica “101 fotos históricas de São Borja”, do fotógrafo Dilhermano Messa.

Porto Alegre busca em Brasília apoio na redução de tarifas


Fortunati representará Frente Nacional de Prefeitos durante audiência no Senado
Com o objetivo de buscar alternativas para a redução das tarifas do transporte coletivo, o prefeito José Fortunati participa nesta segunda-feira, 22, de audiência pública no Senado Federal, em Brasília. O debate sobre o Regime Especial de Incentivos para o Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros (Reitup) inicia às 19 h. Fortunati representará a Frente Nacional de Prefeitos (FNP), que reivindica a aprovação do projeto de Lei que institui o Reitup. A matéria propõe uma série de desonerações sobre as atividades de transportes, como a isenção de PIS e Cofins para empresas do setor.

O projeto de Lei já passou pela Câmara dos Deputados, e agora tramita no Senado. Se for aprovado, a instituição do Reitup está condicionada à implantação do bilhete único temporal ou da rede integrada de transportes. Dois pré-requisitos que Porto Alegre já atende com a integração dos sistemas e com a segunda passagem gratuita.

A audiência pública “Desoneração do Transporte Público” foi proposta pela Comissão de Assuntos Econômicos do Senado. Também participam do debate a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da casa; representantes dos ministérios da Fazenda e das Cidades; da Frente Parlamentar sobre o Transporte Público; da Associação Nacional do Transporte Público; da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos e da Nova Central Sindical de Trabalhadores.

A aprovação do Reitup é uma das medidas propostas pela FNP para redução das passagens de ônibus. Os prefeitos reivindicam também a destinação de uma parcela da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) que incide sobre os combustíveis para financiar parte dos custos com o transporte coletivo. O prefeito Fortunati pediu a presidente Dilma, que visitou Porto Alegre no último dia 12, o apoio às duas medidas. Dilma garantiu que a equipe econômica do Governo Federal vai continuar as negociações. “São medidas importantes que, se aprovadas, vão contribuir para que tenhamos transporte coletivo de qualidade com tarifas mais baixas e acessíveis à toda a população”, afirma Fortunati.

Frente Nacional de Prefeitos – Em Brasília, Fortunati participa também de reuniões da FNP e do Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável. É nesta semana que acontece a eleição e posse da nova diretoria da FNP. Também será realizado o lançamento da Plataforma 2013-2016 do Programa Prefeito Amigo da Criança.

UMA DEMISSÃO INJUSTA

Por Gelson Farias


Espero pelos anos, mesmo com todos os seus inconvenientes, ganhar a calma necessária, exigida para produzir as percepções e sentimentos. Tudo agora é larva de vulcão. Tanta sensibilidade para ver além do que se mostra... Mas essa tristeza tem a intenção de tomar o Corpo daquele que é o atingido direto pela causa. Por que estaria dentro de um Corpo o sentimento por algo que não faz parte de sua vida? Por seis anos, fui repórter na redação do jornal Zero Hora em Porto Alegre. Falta de respeito moral era o que determinava o cotidiano, naquela redação. Os excessos vinham da cadeira do editor-chefe. Seu Nome, Carlos Felberg. Os repórteres alvos de seu descarrego, foram muitos. Estive na sua mira e mesmo na linha de combate, tentava conversar diante do conflito, já que, havia um turno de horas diferenciado, mesmo assim, eu, quando estava por lá durante o dia, apenas fazia o cordial: sempre diria um “bom dia” ou “boa tarde”. E ali estava eu bem longe de ser um repórter de destaque na redação. Havia outros com maior potencial para o estrelato.

A cobertura diária de um repórter do setor de polícia em um jornal é maçante. Um dia, quase fui demitido. Um simples erro – uma bobagem, apenas por que não coloquei o nome de um delegado, amigo do editor chefe – deu o que falar. O certo era arrumar um pretexto. Meses depois deste fato, as perseguições ocorriam e eu percebi que a minha presença ali estava fazendo mal para muitos. Apaixonado pelo que fazia, eu continuava a dar meus furos de reportagem a concorrente. Em uma redação de jornal, tem de se estar sempre atendo aos “ fuxicos”, que são muitos e ao “olho grande” dos outros pelo seu desempenho profissional. Mas, tive a simpatia de outro jornalista, que era o subeditor de fechamento. “ Querem a tua cabeça”. E de fato isso ocorreu bem mais adiante, quando aconteceu a morte do jornalista José Antonio Daudt. É palavra ingênua dizer que o jornal desprezou a importância do contexto sobre a verdade do caso Daudt. Lembro que na época, o jornal simplesmente afirmou em editorial – diante de tanto escândalo -- que não se comprometeria com os acontecimentos, o que pareceu também ser uma tolice por tão óbvio. No final e no início das linhas, o que termina impresso é a visão da empresa, apenas digitada pelas mãos de algum funcionário.

Foi complicado lidar com esse processo, mas resisti seguro de minha responsabilidade como profissional. Havia colegas, de meu local de trabalho, Editoria de Policia, que faziam o ar de graça... Outros, faziam o papel do advogado do Diabo, perante um júri de “ficção”, com miseráveis cabeças, que se diziam meus amigos. Confesso que fiquei firme e aguentei firme em eu meu posto. Digo que houve apoio de outros colegas, cientes de que eu não havia cometido nenhum erro. É evidente que sem esses apoios, o cenário poderia ter sido mais catastrófico. E os furacões continuaram a acontecer. Estes fatos começaram desde a morte do cantor Teixeirinha. Eu havia começado meu plantão quando recebi a notícia sobre a morte do cantor. Fui chamado pelo editor-chefe para fazer a matéria sobre o caso. Acredito que, por ter de me certificar de todos os dados, ele achou que havia demora no meu trabalho, e tentou me dar uma “mijada”. Não aceitei o desaforo e virei as costas e sai de sua sala. Acredito que eu não tenho sido o único, nem o primeiro, tampouco fora o último a fazer isso. Para quem não sabe, fiz a reclamação no Sindicato dos Jornalistas e descobri, incrédulo que havia outras , reclamações contra o editor-chefe.

Tempo depois, antes de sair de férias, comentaria á algumas colegas: serei demitido em breve. Minha esposa fez o alerta. Atenta aos episódios do dia a dia comentou: é comum que demitam um funcionário logo após sua chegada das férias. E quando retornei, percebi que nada mudara. Voltei a fazer a cobertura dos fatos policiais que fazia quando entrei no jornal. Sem reação aparente, mas por dentro cheio de desânimo, cumpri com meu dever. Digo com todas as letras que um editor-chefe mau caráter vai continuar sendo um mau caráter para sempre. Apesar de todo o clima pesado da redação, continuávamos -- nem todos da Editoria de Polícia -- a sair, tomar cerveja em botecos, e curtir as festas; não perdíamos nenhuma.
O que aconteceu foi sério demais para ficar em pune. Aquilo foi um absurdo que não deve ser esquecido nunca. Por isso resolvi fazer o tinha se der feito. JUSTIÇA. Não dei tempo para que se pudesse esquecer o conflito para satisfazer o interesse de um único homem. Achei que poucos dariam atenção ao acontecido. Leo engano. Todos com que falei concordaram. Mas já me sentiria muito melhor apenas por estar ajudando a eles, mesmo que de uma forma tão indireta. Hoje posso dizer sem errar que colhi muitos frutos de uma demissão de trabalho... Hoje, tenho a certeza de que vale a pena seguir com o propósito de resistência frente às situações que julgamos injustas.

Dos Leitores

Por L. D.

Clique aqui para ler


DE SERAFINA

EIS A IDENTIDADE DA PROFESSORA ENVOLVIDA

NO CASO DO COLÉGIO CARNEIRO DE CAMPOS.

linamar alban mezzomo, é filha do lino alban, que tinha depósito de bebidas na esquina perto do clube gaucho, da boate barbarela etc etc , e cunhada do jacir salvi, é casada cum mezomo de casca,

SOBREVIVENTES!

UM EXEMPLO DE SUPERAÇÃO!



- "A vida continua!", afirma José Loreci da Silva, 44 anos. Conformado, ele renasceu com a pintura. Aposentado do INSS, está estudando em Guaíba porque quer concluir o Segundo Grau.

Sim, José Loreci da Silva foi vitima de um acidente em 1999, que por pouco não lhe tirou a vida.

- Era um sábado, diz ele, ao falar sobre o acontecido.

Foi no interior de Taquari, quando ele com outros colegas foram instalar um transformador numa rede nova de energia elétrica. Trabalhavam para a Estalbrás Montagens Elétricas, de Porto Alegre que fora contratada para fazer este serviço para a empresa CERTAJE, fornecedora de energia elétrica de Taquari.

O que aconteceu foi que a rede elétrica, que ele supunha estar desligada, não o fora. E quando ele foi colocar a rede tomou o choque de 3.800 volts. Loreci era para estar morto.Se estivesse preso na corda, teria morrido eletrocutado. Como não estava, ainda, ele levou o choque e caiu de uma altura de cerca de 7 metros. O poste que ele trabalhava tem oito, mas tem um de ' fundura'. Ele relembrou:
- "Só vi o clarão do fogo. Os colegas que estavam lá me colocaram uma colher na boca porque eu estava engolindo a língua. Assim me abriram a boca. Não lembro nem que estive no hospital de Taquari pra onde me levaram. Como lá não tinha recurso, me trouxeram logo pro HPS onde fiquei na UTI dos queimados mais de 20 dias". O médico tinha me "desinganado",diz. Faz treze anos que tudo aconteceu. De lá para cá, ele viu outro mundo:

- "Como cadeirante a gente vê cada coisa".

Mas ele aprendeu também a ser mais reivindicativo:

- "Ontem (quinta, dia 18.4) estava na fila da Uruguai pra ir lá Vila Cruzeiro do Sul. Os ônibus não vinham nunca, quando vinham não pegavam ninguém. Veio o fiscal e eu disse a ele: tu não resolve nada, meu. Liguei pra EPTC".

Loreci maneja bem seu celular. Procura o fone da filha mais velha, que é um suporte.

Voltando ao acidente, ele perdeu o braço direito que tiveram que amputar no Cristo Redentor, pra onde foi levado após o HPS.
Num pouco mais de um mês ' tava ' em casa. "Tive que reaprender tudo", relata.

Loreci teve que reaprender a viver. Nas conversas que tem com sua segunda esposa - com a primeira tem um casal de filhos - ele as vezes lhe pergunta:
-" Mas tinha mesmo que cortar meu braço?".

- "Tinha" responde a esposa. Porque estava todo queimado.

O braço direito onde ele tomou o ' choque' estava necrosando, estava todo preto. Os médicos amputaram.

A empresa onde ele trabalhava faliu. "Ficaram me devendo 15 mil reais", diz .


loreci na frente da sala JCTerlera na ALRS(19.4..2013)

ele mostra como fazia na hora do acidente

o braço esquerdo ficou com uma cicatriz do acidente

Aprendendo a PINTAR

Loreci da Silva sempre gostou de desenhar, de pintar...:

- "Mas nunca tinha tempo".

Agora, como cadeirante e sem o braço direito, aprendeu a pintar com a única mão que tem; ele às vezes arruma coisas dentro de casa.
Depois do acidente que lhe custou a coluna, no Hospital Cristo Redentor fizeram ' cirurgia reparadora da coluna'.

-" Lá peguei uma infecção e fiquei isolado durante uma semana", relembrou.

Depois que foi pra casa - ele mora em Eldorado do Sul no bairro Residencial Eldorado - há 6 anos ( na cidade mora há 17 anos) ele aguentou a dor na base do Dorflex:
- Tomava um dorflex quando sentia dor, comenta.

Nascido em Camaquã, ele foi registrado no município de Guaíba.
- "Mas minha família é daquelas ' favelas' da Gruta, na Glória, de Porto Alegre", comenta.

Loreci está pintando! E uns quadros de qualidade.

Ele quer frequentar o atelier livre da Prefeitura Municipal, no Renascença, mas diz que lá " é muito caro"!

No fim do nosso encontro, Loreci deixa transparecer que ainda não está totalmente conformado com o que lhe sucedeu, mas já não faz a pergunta:" por que comigo".
É um sinal de que está se recuperando do que lhe sucedeu.

Naquele sábado de manhã sua vida mudou. Mudou mas também ele praticamente renasceu. E se o mundo perdeu um cara que subia em postes pra colocar redes em transformador, ganhou um pintor. Na parede de minha sala, tenho um quadro dele.
- Vou vendendo pros conhecidos, pros amigos comentou.

E encerro esta matéria com uma frase que ele disse quando me contou que no Cristo Redentor pegou uma bruta infecção ao fazer a cirurgia na coluna e que achou que não sairia dela:

- "Só Deus que sabe das coisas!".


Adeus, Partidão...

Carlos Chagas

Até o começo dos anos sessenta do século passado, podia não haver concordância, mas sobravam respeito e até admiração diante do Partido Comunista Brasileiro, o “Partidão”. Durante décadas mandava Luiz Carlos Prestes, secretário-geral, figura exponencial de nossa História. Ao contrário do que divulgavam os adversários, estava sempre pronto a ouvir sugestões, conselhos e até discordâncias doutrinárias de dezenas de companheiros de alto gabarito, que não citamos pelos risco de esquecer alguns.
Veio a cisão, depois que Nikita Kruschev demoliu Joseph Stalin, lá nas estepes. Criou-se o Partido Comunista do Brasil, com João Amazonas à frente, ainda que também pleno de idealistas. Os dois partidos, inconciliáveis ideologicamente, perseguidos na maior parte do tempo por governos e elites, honravam a ideologia praticada ao longo do tempo. Forneceram mártires como poucas religiões puderam apresentar.
A degradação começou ironicamente com os primeiros ventos da democratização, quando os pigmeus do “Partidão” deram o golpe e chegaram ao maior dos sacrilégios, no caso, a deposição e a expulsão de Luiz Carlos Prestes, já entrado nos oitenta anos. Deveriam tê-lo preservado a qualquer preço. Com a traição, engrandeceram ainda mais sua biografia.
Logo depois, com a liberação dos partidos políticos, a suprema insensatez: mudaram de nome. Relegaram um passado de lutas, sacrifícios e obviamente também de erros, para transformar-se em PPS. Chegaram a aderir ao neoliberalismo, a ponto de seu novo secretário-geral, Roberto Freire, frequentar o palácio da Alvorada, sempre alta noite e até de madrugada, para concordar com Fernando Henrique Cardoso.
Um vexame profundo, compensado pela permanência do PC do B, aguerrido e fiel à antiga ideologia. O bravo Oscar Niemeyer chegou a armar uma resistência paralela, participando da refundação do velho PCB, legenda ainda hoje existente.
O PPS, de péssima origem e ainda pior performance, chegou ao cúmulo de aliar-se formalmente aos tucanos, continuando a cultivar o neoliberalismo e renegando as lutas anteriores pela prevalência das massas.
Pois agora ficou pior. O antigo “partidão” acaba de unir-se ao PMN, legenda amorfa, insossa e inodora, formando um “movimento” que tem por objetivo lançar a candidatura de José Serra à presidência da República, se ele abandonar o ninho. Em outras palavras, ficará à direita do PSDB. A memória de Luiz Carlos Prestes não merecia essa agressão.
INSISTIR, PARA QUE?
O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, insistirá na tentativa de ver votados segmentos da reforma política. Não será por aí que marcará sua gestão. São nulas as hipóteses de aprovação de qualquer mudança nas regras do jogo eleitoral e partidário. Entre os 513 deputados, há muito mais discordâncias do que concordâncias diante de qualquer proposta. Ficará tudo como está, a menos que a Justiça Eleitoral ocupe espaços abandonados pelo Congresso. Mas deixar todo o poder ao Judiciário por constituir-se num grave erro.

Sessão solene marcou os 131 anos de Getúlio Vargas

A sexta-feira (19/04) foi dia de homenagens ao ex-presidente Getúlio Dornelles Vargas, pelo passamento dos 131 anos do seu nascimento. A Câmara de Vereadores realizou uma sessão solene para marcar a data. A sessão é prevista em lei e acontece todos os anos. A solenidade também faz parte das atividades do encontro da Executiva Nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).
O presidente do Legislativo de São Borja, Roque Feltrin, abriu a cerimônia e ressaltou que o são-borjense foi o político que mais tempo governou o país e trouxe grandes avanços nas leis trabalhistas e muitas conquistas para o povo brasileiro.
O vereador Tiago Cadó falou em nome dos demais vereadores e fez um resgate histórico da trajetória do político, desde o seu nascimento até a sua morte. Já o deputado estadual Cassiá Carpes destacou a vida pública e política de Vargas.
Luiz Carlos Bussato, deputado e presidente do PTB do Rio Grande do Sul, declarou que fará uma emenda parlamentar destinando verba par a reforma do Museu Getúlio Vargas, em São Borja. Por sua vez, o deputado federal e presidente nacional do PTB, Benedito Gama, enfatizou a importância de Vargas para o Brasil e seus feitos para a sociedade.
Viriato Vargas, presidente da Associação Cultural Getúlio Vargas e sobrinho neto do ex- presidente, representou a família Vargas e relembrou vários momentos na presença do político. Ao contar suas memórias, Viriato demostrou a humanidade por trás do político rígido e de valores inegáveis.
Ao final da sessão, todos se dirigiram ao Mausoléu na Praça XV de Novembro, onde estão sepultados os restos mortais do estadista. Encerrando as homenagens todos ficaram convictos de que Getúlio Dornelles Vargas foi um político polêmico, mas que muito fez pelo seu país.
Também estiveram presentes na solenidade o prefeito municipal Farelo Almeida, o vice-prefeito e presidente do PTB municipal Jefferson Homrich, os vereadores Beto Souza (PTB), João Luiz Dornelles (PP), Celso Lopes (PDT), Eldomir Marchezan (PR), Jeovane Contreira (PPS) e Ana Claudia Gattiboni (PDT), componentes da executiva nacional do PTB, secretários municipais, presidentes e representantes de diversos partidos políticos, estudantes e lideranças locais, estaduais e nacionais.

Pelo que informa a Assessoria de Imprensa do Legislativo de São Borja, dos 15 Vereadores apenas 8 compareceram à Solenidade que é Lei Municipal.

Não foi mencionado se compareceu o Presidente do Diretório Municipal do PDT, Coronel Janot Oliveira ou se mandou representante. Afinal, o PDT assim como o PTB disputam o legado político de Vargas. Janot tem confidenciado a companheiros que não quer mais continuar na Executiva do partido. Comandou bem o partido: nas duas gestões o PDT de São Borja ganhou as eleições. Concordem ou não ele deu sua contribuição.


Antes de Janot ser o Presidente, foi o Dr. Clair Ribas quem conduziu o PDT p/vitória elegendo o Mariovane na primeira eleição em 2004. Isso foi quando ninguém acreditava numa vitória naquelas condições, faltava quase tudo, principalmente apoio financeiro; o adversário, com forte poder aquisitivo, com deputado federal da cidade (Luiz Carlos Heinze do PP) e décadas governando o município era difícil de vencer. Mas o Clair conseguiu. Fez comitê até em seu escritório de advocacia. Como o partido não tinha dinheiro para pagar gráficas, sua mulher e companheiras costuravam e pintavam bandeiras numa peça dos fundos do escritório. Cada um ajudava como podia. Venceram numa coligação tendo o PT de vice. Foi a primeira e única vez até agora que o PT integrou o Poder Executivo em São Borja.

Depois disso, por intrigas palacianas, o Clair foi "esquecido" pelos companheiros e pelo então Prefeito Mariovane; o diretório municipal passou a ser integrado por maioria de cargos de confiança, os CC's, e como era de supor, ganhava a eleição no partido sempre o "cavalo do comissário", nesse caso, o Janot. Quanto ao PT, também foi declarado adversário.


Autoridades serafinenses em busca de um Delegado


O Deputado Heitor Schuch acompanhou, na manhã do dia 17 de Abril, o
Vice-Prefeito de Serafina Corrêa, Chico Mezzomo e a Secretária de
Coordenação e Planejamento, Olderes Santin, em audiência com a Chefe
de Gabinete do Chefe de Polícia/RS, Delegado Flavio Colossy Frey, e o
diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), Delegado Mário
Wagner. Em pauta, o pleito da comunidade serafinense para que seja
designado um delegado de polícia para atender o município.
Conforme a Chefe de Gabinete, no dia 23 de maio, acontecerá a
formatura de uma turma de 48 novos delgados, aprovados em concurso. A
expectativa é de que o governador Tarso Genro autorize a nomeação, em
seguida, para que sejam atendidas as demandas do interior. A
prioridade, porém, deve ser a lotação dos mesmos nas sedes de comarca.
O que não significa que o pleito de Serafina Corrêa não possa ser
atendido.Vamos continuar acompanhando esse assunto com atenção,
destacou o Deputado Heitor Schuch.
Serafina Corrêa possui aproximadamente 15 mil habitantes e uma
rotatividade grande de pessoas, em função do número de indústrias
instaladas, registrando também um grande número de ocorrências, o que
leva a preocupação do Executivo Municipal e da população com a
manutenção da ordem na comunidade.

A SEGUNDA MORTE DE BRIZOLA - História ameaçada

Acervo de Leonel Brizola, um dos mais importantes políticos brasileiros da segunda metade do século 20, está abandonado em guarda-móveis na entrada de uma favela do Rio de Janeiro


Alessandra Mello

Estado de MInas: 18/04/2013
O gaúcho Leonel Brizola foi um dos personagens mais destacados da história política brasileira desde o fim do Estado Novo, quando ajudou a fundar o PTB. Foi deputado, governador do Rio Grande do Sul, governador por dois mandatos do Rio de Janeiro, comandou com Tancredo Neves o movimento pelas Diretas Já, fundou o PDT e disputou em duas oportunidades a Presidência da República

Rio de Janeiro – Uma parte da história do Brasil está encaixotada em um subúrbio carioca em situação precária e corre sério risco de se perder. São caixas e mais caixas contendo cartas, documentos, livros, fotografias e objetos pessoais que pertenceram a um dos mais destacados líderes trabalhistas brasileiros, Leonel de Moura Brizola, morto em 2004, aos 82 anos. O acervo que o ex-governador amealhou ao longo de sua vida pessoal e política e que de tão extenso não cabia nas residências que ele mantinha no Rio de Janeiro e em Montevideú (Uruguai) – tanto que parte dele ficava guardada em uma casa alugada no Bairro Santa Teresa, também na capital fluminense – foi levado há cerca de cinco anos para um depósito, localizado na entrada da Favela da Galinha, em Inhaúma, Zona Norte do Rio de Janeiro, região controlada pelo tráfico.

O prédio que abriga esse material valioso fica dentro do pátio de caminhões de uma transportadora e serve também como guarda-móveis. Algumas janelas da construção estão quebradas e a fachada está mofada, com sinais de infiltração. Para ter acesso à sala do prédio onde estão os documentos do ex-governador é preciso autorização expressa de João Otávio Brizola, 60 anos, único filho vivo de Brizola. João Otávio e os sobrinhos Paulo Cesar e Layla Brizola, filhos de Neuzinha Brizola, única filha de Brizola, falecida em 2011, são os donos de todo esse material. Segundo apurou o Estado de Minas, depois de uma disputa pelo espólio do pai com o irmão José Vicente, falecido ano passado, eles fizeram um acordo e compraram dele os direitos sobre todo o acervo.

No entanto, a briga continua. Amigos de José Vicente dizem que ele não teria recebido o pagamento prometido pelo acervo. Pessoas ligadas a João Otávio negam. A deputada estadual Juliana Brizola (PTD-RS), filha de José Vicente, não quis conversar com o Estado de Minas sobre o assunto. Seus dois irmãos, o vereador fluminense Leonel Brizola (PDT) e o deputado federal Brizola Neto (PDT-RJ), não foram localizados ontem para falar do caso. De Londres, João Otávio disse que só poderia dar entrevistas em seu retorno ao Brasil. Ele informou apenas que somente com sua autorização é possível a visitação ou a retirada do acervo do guarda-volumes. Layla Brizola disse que tudo “está bem guardadinho” e que a intenção deles é, futuramente, organizar toda a documentação e quem sabe abrigá-la em uma fundação. “Mas tudo ainda é apenas um plano”, disse por telefone.

Proibido Hoje o guardião dessa preciosidade é um português de 62 anos, seu Manoel de Oliveira Gonçalves, dono da transportadora e do guarda-volumes. Ciente da importância do acervo que mantém em seu prédio e da disputa, ainda travada na surdina pela família em torno desses documentos e objetos, ele não deixa ninguém entrar na sala onde o material está guardado. De vez em quando, algum funcionário da família liga ou vai ao local para conferir se tudo continua no mesmo lugar. Apesar de estar localizado em uma região dominada pelo tráfico e pela criminalidade, seu Manoel garante que não há risco de o material ser furtado. Há nove anos no local, ele afirma que foi assaltado apenas uma vez.

O português admite, no entanto, que as condições em que tudo está guardado não são das melhores. “Aqui foi feito para guardar móveis”, afirma ele, que foi responsável por fazer todas as mudanças da família desde quando Brizola se elegeu governador do Rio de Janeiro pela primeira vez, em 1983. “Eu fiz mudanças de vários políticos e acabei sendo indicado para trabalhar para o Brizola e sua família”, conta, acrescentando que está no ramo desde 1966. No mesmo local, segundo seu Manoel, estão guardados móveis do deputado federal Brizola Neto (PDT-RJ), deixados lá quando ele assumiu o comando do Ministério do Trabalho, em abril do ano passado.

Uma pessoa que já viu a situação do acervo e preferiu não ser identificada disse que tudo está se perdendo. Segundo ela, as caixas estão mofadas, rasgadas e guardadas sem nenhum cuidado. “Está tudo jogado, abandonado, se perdendo. Dá até dó”, relata.

Os segredos do baú

A Fundação Darcy Ribeiro, em Santa Teresa, no Rio de Janeiro, já se ofereceu, sem sucesso, para inventariar todo o acervo pessoal do ex-governador Leonel Brizola, separar documentos pessoais de históricos e catalogar todos os objetos. Também se dispôs a guardar tudo na fundação, onde já funciona o memorial de Darcy Ribeiro, outro importante líder trabalhista, responsável pela criação do PDT com Brizola, seu amigo pessoal.

Entre a papelada depositada precariamente no guarda-volumes, em Inhaúma, no Rio de Janeiro, haveria fotos e correspondências de Leonel Brizola com líderes da esquerda como Fidel Castro e Che Guevara, além de vasta documentação sobre a Rede da Legalidade, movimento organizado por ele em 1961, quando ainda era governador do Rio Grande do Sul, para garantir a posse do vice-presidente João Goulart. A Fundação Getulio Vargas (FGV), que leva o nome do presidente e padrinho de casamento de Brizola, tentou comprar o acervo, mas a disputa judicial pelo espólio do ex-governador impediu a negociação.

Em 2005, um ano depois da morte de Brizola, toda a documentação quase foi parar no Rio Grande do Sul. A família de Brizola chegou a acertar com o governo gaúcho a transferência do acervo. Um grupo de historiadores viajou ao Rio de Janeiro para uma classificação inicial do material, na época guardado no apartamento que Brizola mantinha na Avenida Atlântica, em Copacabana.

Também nessa época, a família se comprometeu a fazer a triagem dos documentos que foram catalogados pelo governo gaúcho e mandar o que achasse relevante para o Arquivo Público do Rio Grande do Sul. A intenção era construir um memorial no estado natal de Brizola e manter parte dos documentos no Rio de Janeiro, estado adotado por Brizola e governado por ele por dois mandatos. No entanto, uma divergência entre os irmãos impediu mais uma vez que todo esse “baú”, como o próprio se referia ao seu acervo, se tornasse público.

SEM PULO - TÚNEL DO TEMPO


Rudimar Thomas

Centenas de pessoas prestigiam a abertura da 2ª Semana Missioneira

Centenas de pessoas compareceram ao Instituto Federal Farroupilha (IFF) campus São Borja, na noite de sexta-feira (19/04), para prestigiar a abertura oficial da 2ª Semana Missioneira, realizada pela Câmara de Vereadores.
Os participantes foram recepcionados com um show musical dos artistas Marcelo Antunes e João Carlos Silva. Logo após, deu-se início a cerimônia de abertura, que contou com a presença de diversas autoridades da cidade e do estado.
Estiveram presentes: o prefeito Farelo Almeida, o deputado estadual Cassiá Carpes, a reitora do IFF Carla Jardim, o diretor do IFF Alexander Machado, o professor da Unipampa Muriel Pinto, o presidente da Associação dos Legislativos das Missões Leandro Wastowski, os vereadores Eldomir Marchezan, Tiago Cadó, João Luiz Dornelles e Valério Cassafuz, os secretários municipais, estudantes do instituto e demais escolas da cidade e representantes de diversas cidades da região das missões.
A secretária Municipal de Turismo, Cultura e Eventos, Leocádia Guerreiro, fez o lançamento dos concursos fotográfico e literário “Orgulho de ser missioneiro”, que serão desenvolvidos durante a semana missioneira e contarão com premiação em dinheiro para o 1º, 2º e 3º lugares. Leocádia levou a conhecimento do público diversas informações com relação aos concursos.
No início da noite houve ainda o lançamento da revista História Missioneira de São Borja, escrita pelos historiadores Fernando Rodrigues, Muriel Pinto e Ronaldo Colvero. Simbolicamente, o presidente da Câmara Roque Feltrin, entregou exemplares da publicação à representantes da Unipampa e do Instituto Federal Farroupilha.
Em seu pronunciamento, o presidente do Legislativo falou sobre a importância de valorizar a cultura missioneira, enraizando na população o sentimento de pertencimento às missões. Feltrin destacou a importância dos parceiros para a realização do evento e lançou uma campanha para recolher 5 mil assinaturas em um abaixo assinado, pedindo que o prédio onde situa-se o Banrisul seja transformado no museu municipal.
O presidente ressaltou ainda a necessidade de que a comunidade conheça e tenha orgulho do seu passado, assumindo assim, sua identidade. Ele citou também que São Borja tem um grande acervo missioneiro em propriedades particulares e que por isso, esse material ainda não foi tombado, necessitando de uma ação imediata neste sentido.
Assim que a cerimônia de abertura foi encerrada, deu-se início às palestras da noite. O pesquisador e professor da Uri Santo Ângelo, José Roberto de Oliveira, apresentou o seu livro Pedido de Perdão pelo Triunfo da Humanidade, onde ele afirma que as missões serviram de base para a revolução francesa, sendo o único lugar na época em que a população já exercia a democracia votando para escolher seus líderes.
Oliveira disse ainda que, segundo texto da Unesco, as missões são “uma experiência econômica e cultural sem precedentes na história dos povos”. Ele enfatizou também a genética da população da região e a descendência guarani da grande maioria das pessoas. Por fim, o pesquisador fez uma rápida cronologia e levantou questões polêmicas e inovadoras da história das missões.
Dando seqüência as atividades, a Superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN-RS), Ana Lúcia Goelzer Meira, falou sobre patrimônio material e imaterial. Ela iniciou explicando o que é patrimônio e seguiu apresentando um mapa dos municípios com bens tombados pelo IPHAN no estado.
Ana Lúcia mostrou imagens de patrimônios materiais e imateriais já tombados e reconhecidos e explanou sobre o registro dos bens Culturais de Natureza Imaterial. A superintendente esclarece que atualmente existem 25 bens registrados no Brasil e que o Rio Grande do Sul cogita a possibilidade de registrar outros três, sendo eles; o saber fazer dos doces de pelotas, o Massacre de Porongos e a cultura e o imaginário da comunidade Mbyá Guarani, em São Miguel Arcanjo.
Encerrando as atividades da primeira noite da 2ª Semana Missioneira, Ana Lúcia, apresentou a proposta para a criação do Parque Histórico Nacional das Missões, destacando a importância do apropriamento do patrimônio pela sociedade.
Amanhã, a programação da semana segue com o Encontro dos Legislativos das Missões e Encontro dos Legislativos dos Povos Missioneiros na Câmara de Vereadores, a partir das 9hs. A iniciativa contará também com a participação do Presidente da Assembléia Legislativa do RS, Deputado Pedro Westphalen e de representantes da Secretaria Estadual de Turismo. Também amanhã pela manhã haverá a abertura de exposição fotográfica “101 fotos históricas de São Borja”, do fotógrafo Dilhermano Messa.

Historias de la UNDEZE

A ULTIMA DAS FILHAS DO " VELHO RICO "

COMPLETA 80 ANOS!

Hoje cedo, antes de sair pra caminhar, liguei pra minha tia CATARINA que completou hoje 80 anos.

Ela teve um certo choque ao saber que era eu e cumprimentá-la pelo niver, mas agradeceu. Reconheço que às vezes provoco esse tipo de sentimento nas pessoas.

É a quarta das quatro filhas do VELHO RICO SGNAOLIN, meu avó materno. Todas estão vivas, e passaram dos oitenta anos; me sinto mais jovem que nunca! se depender da genética vou longe.

Tem um único filho homem, que ainda vive. Esta minha tia seguramente é a que tive menos contato. Lembro apenas que minha mãe a visitava atravessando um riacho que ainda quando dá enchente sobe muito, não dá para atravessar; Na minha imaginação de criança, era um grande rio...

Este riacho desce e vai se juntar ao Feijão Cru, um rio que atravessa Serafina.

Esta minha tia já enviuvou duas vezes.

No aniversário passado dela, levou todos os parentes no OPEN, um bar que abriu no centro e pagou pra todos. O filho mais velho, o Jurides, que é um gozador, lamentou que ele estava com as ' tripas' meio arrebentadas naquele dia, porque senão teria tomado um vinho da melhor qualidade.

Quem sabe ele aproveitou a festa de hoje, dos oitenta anos, pra tomar o vinho que não bebeu da vez passada.

Sei de longe que haveria uma festa e que minha mãe impossibilitada pelas pernas não iria. Outra que não iria seria a irmã mais velha, a Eide Dallagnol, que foi casada com o Abramo, que meu pai sempre chamou de "Bramo".


HISTORIAS DE LA UNDEZE

O FOGO DO INVERNO!




COM ESTE FRIO DO OUTONO, MEU VELHO PAI COMEÇA A ACENDER O FOGÃO BEM CEDO DE MANHÃ. AQUI NUMA MANHÃ DO INVERNO PASSADO, ELE BOTA LENHA NO FOGÃO.A LENHA QUE JÁ ANDA MEIO ESCASSA, ATÉ TEMPOS ATRÁS ELE PEGAVA NA ROÇA QUE TEVE. MAS AGORA PASSOU A COMPRAR DO VIZINHO DE TODA A VIDA, O EGGI,FILHO DO SEU AMIGO bepi de costa, falecido há muito tempo.

meu pai sobreviveu a quase todos seus amigos da capela são pedro.


OS COLONOS SEM TERRA VOLTARAM A PRAÇA DA MATRIZ.

EIS A REPORTAGEM DA VEJA DOS EPISÓDIOS DE AGOSTO DE 1990, QUANDO FOI MORTO UM BRIGADIANO!

Clique neste link para ler: http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/reforma_agraria/arquivo/150890.html

NA PASSEATA DA QUARTA, OS FUNCIONÁRIOS DO PIRATINI FICARAM SO OLHANDO O MOVIMENTO!

ADELI, ESCONDAM ELE.... !!!!!

Adeli Sell, nosso vereador que é contra a pirataria e os carroceiros FOI LEVADO A SÃO LEOPOLDO QUANDO LÁ ESTAVAM IMPLANTANDO O CAMELÓDRO.

OS CARAS DO PT DE LÁ QUE ESTAVAM EM CAMPANHA PRO PREFEITO ADÃO VANAZZI SE REELEGER, PEDIAM:

- PELO AMOR DE DEUS, TIREM O ADELI DAQUI QUE SENÃO VAMOS PERDER VOTOS.

MAS NÃO PRECISOU....

Cozinha Brasil SESI em Serafina Corrêa

O Programa SESI Cozinha Brasil esteve em Serafina Corrêa, de 15 a 18
de Abril de 2013. O objetivo que o programa tem é agregar qualidade,
economia e sabor, ensinando a população a preparar os alimentos de uma
forma inteligente, sem desperdício, melhorando a qualidade de vida dos
trabalhadores da indústria e seus dependentes e da população em geral,
utilizando unidades móveis adaptadas com cozinhas experimentais.
O Cozinha Brasil oferece cursos de curta e média duração, gratuitos à
população para o ensino da prática de uma alimentação nutritiva e
saudável, de baixo custo e que respeita as diferenças regionais e das
estações.
Além de receitas fáceis e gostosas, os alunos também aprenderam a:
Escolher os alimentos por seu valor nutritivo, preço e apresentação.
Aproveitar integralmente os alimentos, reduzindo o desperdício.
Preparar refeições observando a limpeza e preservando o sabor e os
nutrientes dos alimentos.
Consumir alimentos em quantidade adequada e sob condições de higiene.
Promover a melhoria da renda familiar.
Na cidade de Serafina Corrêa, 84 pessoas participaram do Programa
SESEI Cozinha Brasil, em cursos de 10h.

O MST POSA JUNTO

A GALERIA DOS EX PRESIDENTES DA

ASSEMBLEIA



- Olha não vai falar mal de nóis, me disse o colono, assim que cliquei eles debaixo das fotos dos ex-presidentes agora há pouco.

SEM CONFUSÃO, NÃO TEM NOTICIA



O tom conciliador do MST agora há pouco na Praça da Matriz - sem foices,sem enxadas,sem Brigada Militar fustigando os colonos - parecia que deixava o repórter do Estadão, ELDER OLIGLIARI meio decepcionado.

Ele comentou:

- Sem confusão não tem notícia!

Avenida Arthur Oscar em obras

A Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa pede a compreensão dos
serafinenses que utilizam a Avenida Arthur Oscar, Bairro Gramadinho,
pois há uma série de obras sendo realizadas no local. Estão sendo
feitos reparos no meio-fio, ajustes na rede de abastecimento de água e
no nivelamento dos paralelepípedos existentes, bocas-de-lobo e todas
os preparativos necessários para que essa avenida, em poucos dias,
esteja preparada para receber a pavimentação asfáltica. O asfalto será
colocado partindo do monumento São Cristóvão, em frente ao CRAS, até a
Rua das Hortênsias, próximo ao Ginásio Municipal Valdomiro Castro.
Mais uma importante conquista da comunidade serafinense, onde serão
aplicados cerca de R$ 800 mil.

Serafina Corrêa comemorará o Dia da Etnia Italiana

O Dia da Etnia Italiana no Rio Grande do Sul foi instituído pela Lei
nº 11.595 de 03 de abril de 2001. O dia 20 de maio é referente à
fundação de Nova Milano, hoje distrito de Farroupilha, uma das
primeiras colônias italianas do Estado. É uma data que tem um sentido
histórico, mas que, ao mesmo tempo, ativa elementos culturais para
manter a memória sempre viva. Trata-se também da preservação de uma
identidade cultural, pois podemos resgatar nossas raízes, saber do
modo de vida, hábitos, expressões, manifestações e costumes dos
antepassados.
Comemorar essa data é redescobrir a história e reviver fatos que
deram base ao desenvolvimento que hoje temos alcançado. É reconstruir
uma trajetória e refazer um percurso que gerou mudanças no nosso modo
de ser, estar e viver.
As comemorações alusivas ao Dia da Etnia acontecem em inúmeras
cidades, principalmente na região norte e nordeste do Estado, onde há
maior predominância da cultura italiana. Em Serafina Corrêa, o Dia da
Etnia Italiana no Rio Grande do Sul será marcado por uma Sessão Solene
que será realizada pela Câmara Municipal de Vereadores, no dia 29 de
maio, quarta-feira, às 19 horas no Clube Social e Cultural Gaúcho,
centro do município. Após a Sessão, às 21 horas, haverá um Jantar com
cardápio típico italiano e animação do Grupo Musicale Giramondo. O
valor do ingresso para o jantar será de R$ 25,00 por pessoa. Participe!

Festival do Leitão


A Paróquia Nossa Senhora do Rosário realizou, no domingo, 14 de Abril
de 2013, o Festival do Leitão. O almoço reuniu centenas de pessoas no
Salão Paulo VI, centro do município. Com o trabalho de uma equipe
muito dedicada, o Festival foi um sucesso, com cardápio especialmente
preparado e que agradou a todos. O evento faz parte da programação da
26ª Romaria ao Santuário Nossa Senhora do Rosário que acontecerá nos
dias 18 e 19 de Maio de 2013.

Serafina Corrêa:

Carro Oficial para Silva Jardim

A Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa destinou, na semana
passada, um automóvel para o Distrito de Silva Jardim. O carro
facilitará o trabalho executado pelo Poder Público no Distrito.

MST FAZ

PASSEATA NA PRAÇA DA MATRIZ!


Na quarta de tardezinha, os ' acampados' do MST e da Via Campesina fizeram uma passeata desde o Chocolatão, onde devem ficar até o fim de semana, e terminaram na Praça da Matriz.

' PATRIA LIVRE" era a palavra de ordem usado pelos sem-terra na passeata que fizeram na quarta passada, no fim de tarde!



Os Sem - Terra na Praça da Matriz agora sem ser importunados pela Brigada!

O NIVER DE CARLOS RIBEIRO

Fico sabendo que no dia em que aconteceu o niver do empresário Carlos Ribeiro, conhecido entre os amigos por " pastel" realizado no Chalé da Praça XV de Novembro,o jornalista Barrionuevo, que foi diretor do Correio do Povo na época em que Ribeiro era diretor, estava com um cliente, no caso o ex-governador do ESpirito Santo , MÃO SANTA.

Eles andavam pelo interior do Estado. Mão Santa é plantador de arroz.

Um empresário que esteve presente foi Luis Fernando Cirne Lima.

DE SERAFINA CORREA

do G1!

Diretora de escola pública é presa no RS por suspeita de desviar merenda


Mulher teria levado produtos na escola e comprado em nome da instituição.
Advogado afirmou que ela estava substituindo mercadorias em excesso.

Do G1 RS


A diretora de uma escola estadual de Serafina Correia, na Serra do Rio Grande do Sul, foi presa nesta quarta-feira (17) em flagrante por suspeita de desvio de merenda escolar. Segundo a Polícia Civil, além de levar produtos da despensa da escola, a mulher fez compras pessoais em um supermercado em nome da instituição.
A investigação partiu de uma denúncia anônima à Brigada Militar. No final da manhã de quarta, policiais militares a seguiram após ela deixar a escola, ir a um supermercado e, depois, seguir em direção à residência onde morava.
A BM verificou que no carro da mulher havia uma caixa com produtos possivelmente desviados da instituição. Ela havia deixado um supermercado, mas colocou as compras no banco da frente. "Os policias militares a apresentaram na delegacia, foram à escola e verificaram que os produtos que estavam no banco de trás eram os mesmos que ficavam à disposição dos alunos", disse ao G1 delegada Carolina Valentini Tomiello, responsável pelo caso.
saiba mais

O flagrante, no entanto, só foi lavrado após a constatação, no supermercado onde ela havia feito compras, de que as mercadorias foram adquiridas com recursos da escola. "E não faziam parte do cardápio proposto pela Secretaria Estadual de Educação", acrescentou a escrivã Cristiane Martins, da Delegacia de Polícia de Serafina Corrêa.
Segundo a polícia, a diretora foi autuada por peculato e encaminhada ao Presídio Estadual de Guaporé, também na Serra gaúcha. Deixou o presídio no final da noite de quarta, mas ainda responderá processo. “Ela tem um filho pequeno, e havia nas compras fraldas e lenços umedecidos. Informalmente, ela nos disse que depois separaria o que era dela e o que é da escola”, disse Carolina.
O G1 entrou em contato com a escola, e aguarda um retorno para ouvir a diretora. O advogado da suspeita, Edson Blaia, afirmou que ela estava substituindo mercadorias em excesso por outras que estavam em falta na escola.
'Nos surpreendeu', diz coordenador regional de Educação
O coordenador regional da Secretaria Estadual de Educação, Enio Ceccagno, informou que uma sindicância será aberta para apurar o caso. “Lamentamos muito este fato isolado. A coordenadoria está muito preocupada com a formação de todos os diretos, e isto nos surpreendeu”, disse Ceccagno ao G1.
O coordenador informou que pediu ao Conselho Escolar a se reunir para tratar do assunto. Em viagem a Porto Alegre, Ceccagno disse que pedirá informações sobre o caso à polícia quando retornar à Serra. Segundo ele, a permanência ou não da diretora no cargo vai ser definida apenas após a conclusão da sindicância. “Vamos buscar o fato exatamente como aconteceu”, declarou.

De verdade ou de mentirinha?

Carlos Chagas

Dr. Jeckill e Mr. Hide? Juno, o deus de duas faces? Lobo ou cordeiro? Em sua passagem por Brasília, terça-feira, o governador Eduardo Campos emitiu opiniões e conceitos conflitantes, pulando o muro ora para um lado, ora para outro.
Mordendo e assoprando…
Disse o neto de Miguel Arraes que a presidente Dilma e o PT não podem cobrar fidelidade do Partido Socialista. Na verdade, acrescentou, a presidente e o partido dela são devedores, porque o PSB abriu mão de uma candidatura competitiva, de Ciro Gomes, para ajudá-la a se eleger. Também declarou que o cenário econômico ficou pior depois que Dilma alterou as regras dos contratos de energia. Repetiu ser possível fazer mais e avançar em setores como educação, saúde e segurança, tornando-se necessário retomar o crescimento, “pois os primeiros três meses do ano poderiam ter sido muito melhores do que foram”.
Trata-se de um discurso de oposição, de quem se apresenta do lado oposto a Dilma e ao PT. Como explicar, então, que no mesmo périplo pela capital federal, o governador se tenha definido como um aliado do Planalto, debatendo questão importantes para o país? Não negou nem confirmou sua candidatura presidencial, salientando apenas ser ele a controlar o relógio, ou seja, vai definir-se na hora que quiser.
Não parece um bom começo de campanha, ainda que campanha seja, pelo que fala e por suas viagens pelo país. Com um pé em cada margem, Eduardo Campos começa mal, porque pode ser um candidato de verdade, para valer, e tem todo o direito de candidatar-se, assim como pode ser um candidato de mentirinha, apenas para ficar sob os holofotes da mídia e fornecer aos pequenos partidos material de chantagem: ou Dilma lhes abre mais espaços ou poderão apoiar o pretendente dito socialista, porque de socialismo não entende ou esqueceu as lições do avô.
Em vez de preocupar-se, Dilma, Lula e o PT deveriam estar felizes por conta do suposto adversário que apareceu. Afinal, Eduardo Campos não avançou uma idéia sequer destinada a minorar as agruras dos aflitos. Sequer dispõe de mensagem para a classe média. Suas definições visam exclusivamente as elites, junto às quais, aliás, anda passando o chapéu.
UM DIA EXCEPCIONAL
Ontem foi um dia excepcional, no palácio do Planalto. A presidente Dilma recebeu ministros que não conheciam seu gabinete, como Moreira Franco, agora nos Aeroportos, Marcelo Crivella, da Pesca, e Manoel Dias, do Trabalho. Fora os ministros palacianos e alguns especiais, como os da Fazenda, Educação e Planejamento, entre outros, a verdade é que existem ministros sem o menor contacto com a chefe do governo. Trabalham por conta própria, quando trabalham, numa demonstração de que 39 ministérios pesam demais em qualquer administração.
ABERRAÇÃO
Teria sido trágica se não fosse cômica a invasão do plenário e de outras dependências da Câmara por um grupo de cidadãos fantasiados de índios, entre uns poucos realmente nessa condição. A gente fica pensando no que aconteceria no Capitólio caso representantes das tribos Sioux e Apache irrompessem pela Câmara ou o Senado dos Estados Unidos, exigindo a devolução dos territórios que um dia foram seus. No mínimo, apareceria o general Custer…
DESMORALIZAÇÃO
Qual a conclusão a tirar do horror de mortos e feridos durante a maratona de Boston, sem que ainda possam ser apontados os responsáveis pela deflagração de duas bombas caseiras? Primeiro, de que ninguém está seguro, tanto lá como cá. Qualquer débil mental que compre panelas de pressão, pólvora e pregos está livre para praticar atentados contra multidões. Não devem estar nada satisfeitos os responsáveis pelos grupos terroristas do Oriente Médio e adjacências. Vão acabar desmoralizados.


EXCLUSIVO

ASSASSINATO DE TRAVESTI

FECHA HOTEL DE ENCONTROS DA

ANDRADE NEVES


FECHOU UM HOTELZINHO DE ENCONTROS - COM TODO O RESPEITO - QUE HAVIA NA ANDRADE NEVES, AMANHECEU NESTA QUARTA PASSADA com três enormes cadeados.

A Polícia fechou o local depois da morte de um travesti no local, provavelmente assassinado; O hotel era conhecido ponto de encontro usado também pelas prostitutas que fazem trotoir na Praça da Alfandega.

Segundo alguns moradores e comerciantes da Ladeira, na tarde em que houve a morte, a EPTC e a polícia fecharam por duas horas a Andrade Neves, no trecho que vai entre a Ladeira e a Borges. É que nesses casos é necessário a Polícia fazer a perícia do local na tentativa de encontrar provas que levem a elucidar as causas e circunstancias da morte.
- Não entrava carro nenhum, até que retiraram o corpo disse uma fonte a este site.
- Ninguém soube informar o nome do travesti que morreu lá dentro.

Hotel de encontros

amanhece COM TRES CADEADOS!



Eis as fotos do hotelzinho onde teria sido assassinado algum tempo atrás um ' travesti'.
No dia a Andrade Neves ficou fechada por duas horas.

Os comerciantes na região estranharam que no dia seguinte não houve uma só linha, nemno Correio do Povo, nem na Zero Hora, nem no DG.

- Bom, vai ver que o cara que matava taxistas era mais importante, deduziu um livreiro cuja loja fica na Ladeira.

Mas até agora ninguém, deu nada.



O hotelzinho se chama marechal, fica na Andrade Neves, 123.

Prefeito recebe Tenente Terres

O Prefeito Ademir Antônio Presotto recebeu, em seu Gabinete, no dia
12 de Abril de 2013, o Tenente Ademir Ferreira Terres. Durante a
reunião, as autoridades discutiram assuntos importantes para a
comunidade serafinense, relacionados à segurança no município.

 

TERRA TREME EM SANTIAGO DO CHILE

POR GELSON FARIAS, DE SANTIAGO DO CHILE


Estive hoje aomeio dia no Hotel Neruda ( o hotel fi todo reformado ano passsado ) e perguntei, ( com um bom reporter ) se um sujeito, assim e assim, havia estado por lá. Um dos empregados, me disse que pela descrição já viu este sujeito por aqui. Mas eu quis que ele me desse mais informações. Ele ficou de olhar no computador e saber de hospedagem de brasileiros. Vou retornar outro dia aqui. Aqui agora chove muito e está frio. Ontem deu um terremoto de 4.6. Eu estava no hotel, no quarto quando senti o abalo. Fiquei meio tonto. Fui até a porta e vi pessoas descendo as escadas. Na portaria me informaram sobre o terremoto. Aqui a terra treme seguidamente. Te confesso que é uma sensação esquisita.
O hotel fica na calle Vecinal Street, 40 Las Condes, Santiago, 7550226 Chile ?0800-762-1295?, com Calle Napoleon, centro finaceiro de santiago, perto do estadio da Universidad Católica. Olides. Vou ficar de olho. Se não for neste hotel tenho como decobrir com o pessaoal da TV local, onde ele se hospedou. Conheci aqui o jornaloista Miguel Cantón, do jornal La hora, um jornal que pertentce a um sindicado. O Miguel já trabalhou no El Mercurio, entre outros. U abraço gelson.

Gelson Farias

NAMORO NO VIADUTO

Numa das manhãs que fui tomar café com o colega Erno Schneider, no Savoy,fotografei o jovem casal namorando de manhã cedo no viaduto.

O amor é lindo, diz o poeta!

Da memória de um repórter

BRENO NÃO CONFIOU EM CELSO

Uma das passagens que CELSO COSTA RECORDOU no encontro com ERNO SCHNEIDER FOI QUANDO ELE TRABALAHVA COM O GOVERNADOR TRICHES.

DESCOBRIU COM CERTEZA QUE O GOVERNADOR ESCOLHIDO PELOS MILICOS TINHA SIDO GUAZZELLI.

LEVOU A NOTICIA PRO FLORIANÃO CORREA. QUE LEVOU PRO BRENO.
- QUEM TE DISSE, DISSE O ARROGANTE BRENO

- O CELSO.

- AH, O CELSO NÃO SABE NADA.

E DEU GUAZZELLI MESMO!

Encontro da saudade!


CELSO COSTA CHEGA PRA ENCONTRAR ERNO SCHNEIDER

eRNO sCHNEIDER, O FAMOSO AUTOR DA FOTO DE JANIO ENCONTRA COM CELSO COSTA, QUE FEZ A REDE DA LEGALIDADE.

Ali no meio dos jovens que saíam de uma sexta de trabalho, estavam duas sumidades do jornalismo brasileiro, na maior simplicidade. Por isto dizem que os bons são simples.

Celso Costa e Erno Schneider, aliás, conhecem o TUIM do tempo que ficava na rua Uruguai.
- Me mostra ele, porque faz tanto tempo que não vejo que sou capaz de não reconhecer, me disse Celso Costa assim que o encontrei na entrado do boteco.

Celso estava lá porque haviam sido colegas de apartamento nos anos 50, na Bento Martins.

E tem uma história interessante do tempo que haviam morado junto. Erno saiu de lá sem pagar nada. Deixou uma gravata pra trás no armário.
Quando encontrava com Celso Costa na rua usando-a dizia:

- Bonita gravata esta, onde comprastes?


OS DOIS SE DESPEDEM NA FRENTE DO TUIM NA ULTIMA SEXTA

JANGO E OUTRAS MEMÓRIAS

Durante as duas horas que dividiram uma mesinha, no meio do barulho dos jovens falando alto, eles lembraram de Brizola, de Jango, de Jânio, da Legalidade eprincipalmente de colegas. Muitos já mortos.

Celso tem 83 anos. Erno 77.
Falaram do Rio. Celso morou lá. Erno vive na capital carioca há 53 anos.
Celso contou que Brizola lhe ofereceu um apartamento. Mandou ele falar com Rafael Perez Borges. Comprou um dos 400 que existiam como massa falida, tomados da CEF.
- Era um apartamento no Leme. Tinha 4 quartos, Acabei vendendo depois, contou ao velho conhecido.

Na conversa entraram também Arlindo Pasqualini, braço direito de Breno Caldas, antigo dono do Correio do Povo.

- Uma vez numa assembléia de jornalistas, Setembrino, que trabalhava pro Breno fez um discurso contra a greve. o Paulo Totti de trás gritou:

- SOBE NA CADEIRA SETEMBRINO, pro PASQUALINI te ver melhor!

Paulo Totti era da Ultima Hora, e pertencia ao PCB.
A conversa das mesas ao lado eram em voz tão alta que Erno quase foi embora. Depois se acalmou.

Celso Costa ainda contou episódios da Legalidade, que conto em outra ocasião.
Na saída se despediram. Um não disse nada ao outro, mas seguramente pensaram::pode ter sido o derradeiro encotnro.

JORNALISTAS NO TUIM



O boteco da Ladeira FOI ONDE SE ENCONTRAM CELSO COSTA, O FAMOSO operador da Guaíba que INSTALOU PRO BRIZOLA A REDE DA LEGALIDADE- ESTE DARIA UM LIVRO.
e o erno SCHNEIDER QUE FEZ A FOTO DOS PÉS TROCADOS.

VOU CONTAR DETALHES UMA HORA DESTES DESTE ENCONTRO PORQUE FIQUEI TODO O TEMPO COM ELES.(oLIDES)

JORNALISTAS GOSTAM DO TUIM



O famoso boteco da Ladeira, hoje virado meio xique, é o palco onde os jornalistas gostam de beber um traguinho.

nesta foto, o futuro presidente do sindicato da categoria, simas, faz seu happy na sexta passada.

José Carlos Torves não saía de lá.

Gerson Schirmer era um que ia muito lá quando o TUIM era local de cachaceiros, só.

agora é CULT....

BIOGRAFO????

SEGUNDO UM COLEGUINHA, QUE É TAMBÉM ADVOGADO, o famoso delegado do caso dos Uruguaios, PEDRO SEELIG, chamado pelos amigos de PEDRÃO, estaria a procura de um biógrafo.

Se ele fizer um livro, vem bomba ai. Caso pra repercutir na veja, estadão, fsp e por aí afora. Ah, Blobo também!

BOCA MALDITA!

O que terá levado o Barrio a não ir no niver do ex-patrão Carlos Ribeiro, o Pastel???

Suposições: a presença de Collares, que o processou???

Sabe-se lá.

o que sei é que o Pastel se queixou a amigos da ausência!

De SÃO BORJA

De SÃO BORJA

NÃO CESSA O CALVÁRIO DO EX-PREFEITO MARIOVANE WEISS, DO PDT.

AGORA O TCE CONDENOU ELE A DEVOLVER 279.663,0 REAIS. ALÉM DISTO PAGAR MULTAS.

TUDO POR CONTA DE CONTAS DE 2010.

Coleguinhas

'Pastel'
acha ingratidão
BARRIO não ter ido no seu niver!

Faz um mes e meio o ex-diretor do Correio do Povo, Carlos Ribeiro, chamado pelos amigos de Pastel, cxomemorou em alto estilo seu niver no Chalé. Até ai, nada demais. Ele convidou todo mundo que foi do Correio, onde ele mandou durante 20 anos.

- Mas se queixou muito que o Barrio não foi, me disse um dos presentes.

Adianto: estavam lá Armando Burd, hoje na Pampa.

Minha fonte me disse ainda que ' foram de porteiros a chefes' do Correio.

Em tempo:

Três ex-governadores foram ao niver do Pastel que foi numa segunda.Rigotto, que andava cumprimentando todo mundo,parecendo em campanha pra alguma coisa,Simon e Collares também foram.

Mesmo fora de jornal, o ex-diretor mostrou prestígio!

ARI, ARI,

QUEM CHORA POR TI????

CASA DE FERREIRO,ESPETO DE PAU. Pois a ARI não se comunica. Houve um evento lá no útlimo sábado, eu pelo menos não recebi nada.

Bom, se não querem mandar não posso fazer nada!

Histórias de La Úndeze

A ' GUERRILHEIRA DO TOCANTINS"!


Lucimar Magon

Calma, nada tem a ver com as guerrilheiras dos anos 70. Falo apenas na fibra que a Lucimar Magon, conhecida pelos amigos de Luci, tem no dia a dia. Observo isto quando fico hospedado no hotel que ela toca em Serafina.
Mas de uns pra cá a família está mais no Tocantins, onde estão abrindo hotéis e pousadas.

Lucimar tem se dividido entre o Norte e Serafina.

Filha de um ferreiro - meu pai ia lá ferrar o cavalo que tinha - Alcides Zarpelon, ela casou com Nestor Magon.
Os dois enveredaram pela política partidária durante um certo tempo, mas nos últimos anos estão mais cuidando dos seus negócios, depois que Nestor acabou cumprindo pena na cadeia de Guaporé, acusado de ter batido num cabo eleitoral de um adversário.

Isto são águas passadas e hoje em dia Nestor pouco vai a Serafina.

Fica mais no Norte, mesmo.

O casal está inaugurando um hotel em Altamira, no Pará, perto da barragem de Belo Monte. Seguramente será mais um empreendimento de sucesso.

Fibra pro trabalho, a Luci tem.

Quando lancei meu livro COSI LA ZE STATA, Nestor e Lucimar compareceram ao lançamento.
Pensei que não iriam pelas picuinhas políticas de uma cidade pequena...mas eles lá estavam sem problema algum.

Uma noite destas conversando com a Lucimar, perguntei se ela acha que o marido já bateu no teto em termos de empreendimentos. Ela me disse que acha que ainda tem potencial pra crescer mais.

Das três filhas que têm, duas já estão vivendo mais no Norte. Uma , a Luiza, é que ficou em Serafina.

A HORA DO

JOGO DO BICHO!



nO BOTECO DO RENATO, NA DUQUE, perto das sete da noite, ninguém fala com ele. ele está atento ao resultado do jogo do bicho que dá pela Caiçara, onde a música não para!

Da CMPA

Petistas irão contestar projeto da prefeitura

A Bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) da Câmara Municipal de Porto Alegre decidiu, em reunião realizada na manhã desta quarta-feira (17/04), que irá contestar em plenário o projeto de lei do Executivo Municipal que, entre os itens apontados, retira a gratuidade ou diminuição dos valores de ingressos para jogos durante a Copa 2014.

Para os vereadores essa é mais uma evidência da completa dissintonia do prefeito com a cidade, principalmente na forma como vem implementando a Copa do Mundo na capital. Além disso, afirmam os petitas, “o Prefeito está indo na contra-mão da atual conjuntura, pois nesta terça-feira (16) o Senado aprovou o projeto de lei que institui o Estatuto da Juventude, que estabelece direitos para jovens entre 15 e 29 anos, e garante, entre vários pontos, a meia-entrada em eventos culturais e esportivos de todo o país para jovens de baixa renda.

Audiência Pública para tratar sobre a meia-entrada será realizada pela Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece), da Câmara de Porto Alegre, no dia 30 de abril (terça-feira), às 10h, no plenário Otávio rocha da Casa (Av. Loureiro da Silva, 255).

Também a indicação do prefeito, do ator mexicano Carlos Villagrán conhecido pelo seu personagem Kiko da turma do Chaves, para embaixador da cidade durante a Copa do Mundo, será contestada pela Bancada petista. “É uma escolha sem critério e que não representa Porto Alegre”.

Porto Alegre, 17 de abril de 2013.

Fontes:
Líder da Oposição - Engenheiro Comassetto (@comassettopt) (Ass. Imprensa: Cielito Rebelatto Junior / 9807.9799)
Alberto Kopittke - (@albertolk) (Jorn. Tamires Gomes / 82975909 / 97226652)
Marcelo Sgarbossa - (@marcelo13123) (Jorn. Maurício Macedo - 9147.0336)
Mauro Pinheiro - (@mauropinheiro) (Jorn. Arthur Neto - 8419.4580)
Sofia Cavedon – 9953.7119 – (@sofiacavedonPT) (Jorn. Marta Resing – 9677.0941)

Amanhecer

Vi hoje o amanhecer da minha pequena parte traseiro do apê onde moro. Desculpem a foto não tá boa, mas é o amanhecer.

GARÇÃO QUASE BATE O MAGRAO



O garção Luizinho Kauffmann quase chega no magrão..por poucos centimetros não se igual em tamanho. Luizinho andou dias atrás na Fenac atrás de sapatos 46 mas não achou.

Por sinal, que número calça mesmo o prefa????

DE SÃO BORJA

NEM TUDO É COMO PARECE

COM MARIOVANE NA PRESIDÊNCIA DO DIRETÓRIO MUNICIPAL EM SÃO BORJA
CASSIÁ CARPES NÃO VAI PRO PDT

Com a provável eleição do ex-prefeito Mariovane Weis (PDT) pro diretório do partido em São Borja, o Deputado Estadual Cassiá Carpes, que procura uma nova sigla, não entrará no partido de Brizola e de Lupi.

Mariovane esta fazendo que quer o vereador Cassafuz na presidência no lugar do Coronel Janot, (da Imobiliária Janot) mas na verdade quer ele ser o futuro presidente. É que Weis também quer ser candidato a deputado estadual na próxima, porém está impedido.

IMPEDIDO

Mariovane enfrenta problemas de aprovação de suas contas junto ao TCE. Já na Câmara de Vereadores de São Borja os vereadores (PDT e base aliada) votaram contra o parecer do TCE, ou seja, à favor de Weis.

COLEGUINHAS

*nO CAFÉ DO PREDIO DA ARI, AGORA TEM INTERNET. MAS PAGA, NÉ.

*PELO MENOS QUEBRA O GALHO.

*lEMBRO DE QUANDO IAMOS TOMAR MATE LÁ NAS QUARTAS. AQUILO ERA UM DEPOSITO DE LIXO. HOJE PELO MENOS TEM UM CAFÉ. MEIO POBREZINHO,AINDA MAS TEM.

Teatro

a peça é uma senhora m....melhor dito, o show. vi uma vez num churrasco do barranco. ninguém conhecia o cara.

mas a fila no TSP é grande pra comprar!nem digo o nome. mas ele faz sucesso.intelectual, como eu, gosta de pobreza.o povo de luxo.

FILAS E MAIS FILAS PRA VER AQUELA M.....DO GURI D EURUGUAIANA. É UMA BOBAJADA, MAS O GAÚCHO GOSTA E DELE MARKETING EM TUDO O QUE É LUGAR.

NA MANHA FRIA DE HOJE, O DILUVIO NA ESQUINA DA PRAIA DE BELAS. O RIO TÁ BEM CHEIO.

O JARDIM DE INVERNO DA CAMARA MUNICIPAL

vOU ALMOÇAR, AS VEZES NA CAMARA MUNICIPAL. tem um belo jardim de inverno do lado de fora do restaurante.

Ali é bom ficar ' lagarteando' agora no inverno!

DE SÃO BORJA

FARELO AINDA

NÃO DESCEU DO PALANQUE

Tem vereadores do PDT que já estão fazendo discurso de Oposição ...o mais feroz seria o CADÓ, o jovem que foi bem votado.

Farelo, o prefeito, o aqu edizem não desceu do palanque. Continua falando como vereador.

MST INVADE CHOCOLATÃO



O MST OCUPOU O CHOCOLATÃO AGORA DE MANHÃ. ACHO QUE É O MST E A VIA CAMPESINA.

NÃO VI O VAGNER, AQUELE REPORTER GAGO POR LÁ....

NA ENTRADA OS SEM TERRA IMPEDIAM QUE OS USUÁRIOS DA RECEITA FEDERAL FOSSEM LÁ.

UMA MULHER,DECADEIRA DE RODAS, QUERIA ENTRAR E BOTOU BOCA NOS SEM TERRA.

SAIU DE LÁ ANTES QUE BATESSEM O BRIM NELA!FOI EMBORA PUTA DAS CALÇAS, ESBRAVEJANDO CONTRA ELES.

E TIREI UMA INFORMAÇÃO ALI NO BATE-BOCA.

ELES SÓ V ÃO LIBERAR O CHOCOLATÃO NA SEGUNDA, QUANDO OS QUE PAGAM IMPOSTOS PODEM VOLTAR AO PREDIO DA RECEITA.

o mst no patio do chocolatão. Tinha até uma turma jogando cartas. quando fiz a foto, um advertiu o outro:
- Olha fotografaram você jogando carta!

CHILENO DO GRÊMIO FAZ SEXO COM MULHER DE COMPANHEIRO

A imprensa chilena divulgou foto de Eduardo Vargas, do Grêmio, em um momento íntimo. A imagem foi feita pelo próprio atacante com um celular.

De Santiago
Gelson Farias


A seleção chilena, vira e mexe, é alvo de polêmicas envolvendo a concentração de seus jogadores. Se no passado Valdivia e companhia foram cortados ao abusarem de noitadas, agora foi a vez de o atacante Vargas, do Grêmio, causar escândalo em seu país. O jogador teve uma foto para lá de comprometedora divulgada ao lado da modelo Elinda Olivares. Na imagem, ambos estão sem roupa e se beijando diante do espelho. Segundo o que foi apurado até agora, o próprio Vargas teria tirado a foto, que vazou para a imprensa chilena e tem tomado conta do noticiário local. Para apimentar ainda mais o caso, a modelo é ex-namorada de Gary Medel, volante e companheiro do atacante na seleção. Elinda Olivares admitiu para um programa de TV do seu país que realmente a foto é dos dois e foi tirada depois de o Chile ter vencido o Uruguai por 2 a 0, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014.


Na hora do intervalo do jogo...

Sem nenhum problema de se explicar a modelo disse que foram feitas mais fotos, mas ela teria apagado e só ficado com essa. O que mais chama atenção é que Elinda Olivares (na foto abaixo ), é namorada do volante Gary Medel, do Sevilla, da Espanha. Os dois jogadores são chilenos e defendem a Seleção juntos.


Por mim... Não tem problema algum...

MULHER MELÂNCIA MOSTRA SUA ABUNDÂNCIA EM SANTIAGO DO CHILE


De Santiago do Chile
Gelson Farias


Destaque em quase todas as bancas de jornal da cidade de Santiago, no Chile, a Mulher Melancia, conhecida no Brasil com a dança do creu. Além disso, o enorme bumbum já foi capa de quatro Revistas Playboy e também da Revista Sexy. De acordo com a reportagem, atualmente faz participações em programas de televisão e em shows pelo mundo afora esbanjando sua abundância.

A dançarina, Andressa Soares, a famosa “Mulher Melancia”, revela em jornal do Chile, como faz para cobrir os 124 centímetros de bunda. Segundo ela, o segredo é usar roupas bem apertadas. “Uso sempre roupa bem justa”. Disse ela.

CAMILA VALLEJO ROSTO E VOZ DA NOVA GERAÇÃO POLÍTICA CHILENA


De Santiago
Gelson Farias

Quando o Chile exigia mudanças, em (abril de 1988) fim da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990) a estudante universitária, Camila Vallejo Dowling, de 23 anos, diz sentir que sua geração desperta politicamente uma vontade de fazer mudanças na política chilena para resolver o problema social do povo chileno. E, em busca de um modelo mais amplo e representativo, que Camila, – já conhecida argola no nariz – delineia as coordenadas do primeiro movimento político formado por chilenos que eram jovens nos anos de repressão.


O rosto bonito da estudante Camila, está virando a cabeça dos chilenos.


Camila Vallejo Dowling, filha de Reinaldo Vallejo e Mariela Dowling – membros do Partido Comunista perseguidos na ditadura – e conhecida pelo rosto mais carismático do movimento estudantil chileno -- que abalou o governo de Sebastián Piñera com protestos, choques e greves -- foi derrotada ano passado (06/12) na eleição para presidente da Fech (Federação de Estudantes da Universidade do Chile), a entidade mais importante do setor. Assim mesmo, Camila se destaca como ex- presidente da CONFECH (Confederação dos Estudantes do Chile), órgão que congrega as diversas federações estudantis responsáveis pela chamada “primavera estudantil chilena”.
Após realizar três megamanifestações em frente ao Palácio de La Moneda – a maioria com mais de 150 mil pessoas em Santiago – Camila se tornou a primeira figura política de destaque nacional de uma geração que era considerada apolítica e desinteressada, qualificações rejeitadas por ela. “A ditadura gerou um grande contingente de jovens apolíticos, educado através do medo, mas os que se manifestam hoje são outros. Após aquela geração, surgiu uma juventude muito forte, ainda que inexperiente. Ela é mais crítica e quer recuperar a política com ideias mais amplas; quer outra democracia”, afirma a militante, dona de um olhar reto, direto, frequentemente confundido com braveza.


A futura representante da política chilena em um de seus discursos.


Uma “primavera” que floresceu num dos outonos mais frios do país nos últimos anos. A temperatura já flertava com os graus negativos no começo do mês de maio, de 2010, quando o atraso nas bolsas de estudos concedidas pelo Ministério da Educação terminou com a paciência de milhares de pais e estudantes ao longo do país. Foi quando Camila e a CONFECH se tornaram protagonistas e os estudantes incrementaram as marchas e protestos bem humorados, com “beijaços” e coreografias em grupos. Eventos que conseguiram derrubar o ministro Joaquín Lavín e contribuíram para a queda da popularidade do presidente Sebastián Piñera, além de mudar a percepção da sociedade sobre a politização dos jovens no país. Segundo o Servel (Serviço Eleitoral do Chile), o número de inscritos para as eleições dentro da faixa etária entre 20 e 30 anos variou negativamente nos últimos cinco anos. No entanto, os que se manifestam não encontram espaço na política devido ao sistema eleitoral -- binominal --, que favorece a continuidade e dificulta a renovação geracional. Para Camila, os governantes chilenos têm facilidade para corromper a democracia real, “mas os novos espaços de participação popular estão sendo criados, nas redes sociais, por exemplo, e no fim, essa geração que está criando espaços vai fazer com que as barreiras geracionais acabem sendo derrubadas pelo próprio peso.”


Após os primeiros atos, os meios de comunicação apontaram os holofotes sobre Camila, mas frequentemente destacando sua beleza física, em detrimento das qualidades intelectuais. “Tive de aguentar coisas que colegas homens jamais tiveram de enfrentar”, diz, para depois destacar que o impacto do movimento na sociedade relegou esse rótulo machista sobre as mulheres a um segundo plano: “Vejo isso com bons olhos”. Ela comemora também a possibilidade de um maior intercâmbio político entre estudantes da região sul-americana.
Camila é militante do Partido Comunista, mas destaca que a confederação que representa agrega estudantes de diferentes vertentes políticas e que a disposição por mudanças no país é equivalente entre todos. “O nefasto desempenho das políticas educacionais que defendeu o modelo instaurado por Pinochet, ajudou a nossa causa a unir forças, e agora, com a direita de volta ao poder, querendo reforçar a privatização do sistema e o lucro das intuições, ficou mais fácil reunir pessoas insatisfeitas”, analisa.


Centro do Chile. Estudante preso durante protesto.

No último balanço oficial são ao menos 132 presos e 30 feridos. As forças policiais atuaram com grande violência contra grupos de estudantes secundaristas, universitários e dirigentes do Colégio de Professores, que se congregaram de maneira pacífica na Praça Itália de Santiago. "Isto é inaceitável, o governo continua tirando sarro de nosso povo, a repressão e a violência não tem precedente!!!", disse Camila Vallejo, sobre a atuação que teve as forças especiais da polícia militar dos Carabineros contra a marcha convocada pelos estudantes, durante uma entrevista para a televisão.

Aproxima-se o último ato

Carlos Chagas

Espera-se para esta semana a publicação do acórdão do mensalão no Diário da Justiça, abrindo-se o prazo de cinco dias úteis para os advogados dos réus apresentarem seus embargos, na teoria visando alterar as sentenças. Cada embargo, seja declaratório, seja infringente, precisará ser examinado por um relator designado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal e depois votado pelo plenário.
Há quem julgue possível que o ministro Joaquim Barbosa avoque em bloco as análises e tome a decisão de rejeitar os embargos, ad referendum da maioria dos ministros. Ignora-se quanto tempo levará essa fase final do processo, mas a tendência, na mais alta corte nacional de justiça, é pela rapidez. Sendo assim, o último ato será o recolhimento dos 25 condenados à cadeia, alguns em regime aberto, só para dormir, outros em regime fechado, lá permanecendo o tempo todo.
Perceberam os integrantes do Supremo o prejuízo para a instituição na demora no cumprimento das sentenças, contribuindo para o descrédito popular do Poder Judiciário.
Voltam-se assim as atenções para os condenados. Não deverão cumprir suas penas reunidos num único estabelecimento penal, mas nos presídios mais próximos de seus domicílios. Belo Horizonte, São Paulo, Rio, Brasília e outras capitais acolherão os mensaleiros, sob a supervisão das Varas de Execução Penal de cada cidade. Tudo indica que não terão regalias, como receber visitas fora dos dias estabelecidos, refeições de fora, dispor de telefones celulares e de aparelhos eletrônicos, inclusive televisão. Poderão ficar em celas isoladas ou em coletivos, na companhia de outros presos.
Em suma, haverá ampla curiosidade a respeito deles nas primeiras semanas, mas, com o tempo estarão transformados em presos comuns. Certamente escreverão suas experiências, quem sabe iluminando pontos ainda obscuros das ações praticadas, insistindo em sua inocência.
NA TOCA DA RAPOSA
A presidente Dilma e o ex-presidente Lula deverão estar hoje em Belo Horizonte, para atividades ligadas ao PT e a apresentação de ações sociais do governo. Prevenindo-se, o senador Aécio Neves já concedeu entrevista criticando aspectos do programa federal em Minas. Perto de ser eleito presidente nacional do PSDB, o ex-governador ainda enfrenta a má vontade de alguns tucanos paulistas, mas dificilmente deixará de ser apresentado candidato ao palácio do Planalto.
Ainda possui, como raposa, uma espécie de pulo do gato, que seria concorrer ao governo mineiro diante da hipótese de uma vitória insofismável da reeleição de Dilma. Nesse caso, os paulistas que selecionem alguém condenado ao sacrifício.
DO OUTRO LADO DO MURO
Tudo indica uma pequena alta nos juros, amanhã, quando o Copom se reunir. A decisão foi adotada, ou engolida, pela própria presidente Dilma, diante de um exagerado pânico pela perda de controle do governo no combate à inflação. Talvez não seja bem assim, mas essa é a oportunidade que os bancos esperavam para compensar o prejuízo causado pelas sucessivas quedas nos juros. Quem vai lucrar com o aumento? Ora, os bancos. Quem insuflou a imprensa amiga a produzir matérias alarmantes e inoculou o restante das elites e parte da classe média com o germe da volta ao passado? Eles, é óbvio.
Pode tratar-se de um recuo tático da equipe econômica, pode ser a aceitação de conselhos dados à presidente por Delfim Netto e Luis Gonzaga Belluso, mas a verdade é que o governo cedeu e aceitou parte da doutrina de que crises se combatem com contenção, não com desenvolvimento. O crédito ficará mais difícil mesmo se a elevação dos juros ficar entre 0,25 e 0,50%.
A esperança é de que a moda não pegue e logo sobrevenham aumentos de impostos e cortes nos investimentos sociais. Porque o reflexo no desemprego já começou.
CORRENDO POR FORA
Não se espere até o segundo semestre, do ministro da Pesca, Marcelo Crivella, qualquer propaganda ou sinal ostensivo dos projetos e realizações feitas em seu setor. Sensíveis aumentos se registraram em termos de consumo do pescado no país, mas o objetivo do senador fluminense é atacar de frente os preços do produto. Se conseguir sucesso, estará posicionado para a sucessão no Rio, preparando-se para atropelar o Pezão e o Lindbergh. Aliás, a respeito da pesca, fica a centenária questão: com um dos maiores litorais do mundo e uma fartura inigualável de rios, porque o brasileiro come muito menos peixe do que as populações da China e do Japão? Atacar os pontos de estrangulamento dessa incongruência está nas metas do ministro. Mesmo que dê cadeia para os atravessadores.

ESPANHA' DE NIVER.

FOI HOJE QUE O ESPANHOL COMPLETOU 62 ANOS. QUEM ME ALERTOU FOI O PRODUTOR DO MENDELSKI, O OTTO BEDI.

CONHEÇO ELE DESDE 1974,QUANDO TRABALHEI NA FOLHINHA. MAS NÃO TINHA QUALQUER AMIZADE COM ELE NA ÉPOCA.

LEMPRO QUE ELE FOI COM O CACO BARCELLOS FAZER UMA MATÉRIA PRA CALDAS NOS POSTOS IPIRANGA, SOBRE AS ' IPIRELLAS' - MOÇAS CONTRATADAS PRA SER FRENTISTAS DOS POSTOS NUM TAMANHO SUCESSO COMERCIAL COMO OS CAFÉS DE SANTIAGO QUE O GELSON HISTORIOU AQUI.
CLARO QUE ELAS NÃO ANDAVAM PELADAS.

FILHO DO VELHO jJOSE´ABRAHAM DIAZ E DE MARIA LHEREUX ABRAHAM nasceu em 16 de abril de 1951.Bicudo diz que o velho Espanhol protegia o filho dentro da Caldas - onde ambos trabalhavam - chamando-o de ' mi hijito"
Seja como for, saúde ao velho Espanha!

TRES HOMENS E TRES DESTINOS


Agencia Edisoncastencio

Visita ao Quartel-General do Comando Militar do Sul, após almoço. 15-04-2013


VIEIRINHA, O DEPUTADO O PAI DELE FOI MEU PROFESSOR NA FABICO,SEMPRE LEMBRO ISTO A ELE deve sou ser candidato a governador do PDT, ou o vice em alguma composição. pode ser até da senadora Ana Amélia. Tiago Duarte, que é obstetra, vai a federal e Vilson Covatti vai coordenar a campanha da Meméia.

Ele vai deixar que sua esposa Silvana concorra a federal. O filho Luís Antônio deve ser candidato a deputado estadual.

É o feudo dos Covatti de Frederico e região. Eles fazem votos até em Serafina. mas o BICO BRANCO ameaça ser candidato a federal, o que deve dar ' racha' na região.

DOMINGO NA PRAÇA

Depois de passar pela pracinha da Encol, vim pro centro da cidade, no domingo passado. fui ver um showzinho no santander.
(recomendo que sempre tem coisa boa. as vezes umas bombas, mas está no preço do cache)

E na praça da alfandega, não tinha gente. alguns poucos, embora já fizesse um friozinho. Não tão grande,assim

As' oficiais' do sexo perambulam por lá sempre...é outra paisagem...

Um casal tomava seu chima tranquilamente. Estava feliz...pedi licença e fiz a foto deles!


Mais cenas da praça da alfandega. Sonho que um dia ela seja ocupada por todo mundo que goste de curitir uma porto alegre com o centro reaquecido. Aliás, o centro já tem os imóveis valorizados o que é sinal de que melhora sua autoestima.

Na Duque, por exemplo, um apê de 1 quarto está por 170 paus( ou quilos de alcatre)

Costume sentar sempre num banco perto de onde fica esta senhora. ela pita um cigarrinho enquanto me olha. Já me viu de livro na mão, não mexe comigo.

ela fica na dela, eu na minha. temos respeito um pelo outro. nem sei quem é, mas as vezes ums enhor passa por ela e conversa. é seu conhecido e guardião. nos tempos de reportagem policial chamavam de ' gigolo"!

Fotos feitas da capela São pedro, na sexta feira santa.

A soja tá tri amarela e muitos colonos já tão colhendo. Não é mais manual, é tudo com trator. Tem tambo de leite também.

Meu sonho era comprar um pedaço de terra ali e fazer um pequeno puxado pra passar uns dias lá. assim que me aposentar, vou tratar disto.

De Serafina

Tradições
BAZAR EL SENHOR MORTO!(BEIJAR O JESUS MORTO)


Na sexta-feira santa, depois de ir pegar minha marmelada no polaco - uma encomenda de um boteco de Petropolis - passei na igreja de serafina. Havia lá toda uma turma arrumando as estatátuas pra procissão que irão fazer acho que dentro da igreja na noite da paixão. Mas já tinham feito uma procissão grande de manhã cedo no Cristo Rei. aINDA TIVE TEMPO AQUELA TARDE de ir até a capela são Pedro comprar ovos ...de galinha de rua mesmo.

A Ferronato que sempre me vende não tinha. Mas estava com o braço enfaixado por causa de uma dor que tinha.
Tinha ido num curandeiro, indiquei a ela que fosse no posto de saúde.

Mas um genro dela me vendeu 3 duzias de ovos caipiras que agora estou comendo...

Pra chegar na capela aquela tarde peguei carona de um onibus que ia até o carreiro. Me senti nos meus tempos de juventude, cruzando os Andes, indo em busca de meus sonhos.

(até pra ir comer hongos em Pucalpa, atravessei montanhas e mais montanhas e não comi hongo nenhum....)

Mas voltando a San Piero, fiz uma fotos.

Na igreja, tinha lá algumas senhoras beijando a estatua de Jesus morto. Nada demais...

Uma delas ficou me olhando batendo uma foto. Sai discretamente.!

OS CACHORROS DO PROTÁSIO

Vou contar aqui uma histórinha que minha ex-sogra sempre contava quando tinha brigas na família e como tinha. Sempre que vinha uma ex-cunhada do Rio, meu ex-cunhado ficava um porre. Eram celos...

então a ex-sogra dizia assim:

O Protásio Alves tinha três cachorros. Eles brigavam muito. Quando diziam pra mandar um embora, ele justificava: gosto dos 3.

assim está acontecendo comigo, numa situção profissional. vamos levando!

Recolhimento de lixo em Serafina Corrêa

A poluição dos recursos hídricos é um grave problema enfrentado,
principalmente nas cidades. O descaso das pessoas em relação a esse
bem tão importante que é a água leva ao seu uso inadequado e
consequente comprometimento da qualidade. Águas estas tão necessárias
para o abastecimento público, irrigação, recreação, pesca e tantos
outros.
O lixo jogado nos rios causa graves consequências ao meio ambiente e
ao homem, como a necessidade de tratamentos caros para poder usar a
água, assoreamento de rios, enchentes, morte de animais aquáticos,
além do inegável comprometimento estético. E não é só o lixo jogado
diretamente nos rios que causa esses problemas, jogar lixo no chão,
nas ruas também pode causar os mesmos transtornos, pois através da
chuva ele é carregado pelos bueiros e terá o mesmo destino no rio, até
chegar ao mar.
Em Serafina Corrêa, existe a coleta regular de resíduos no mínimo
três vezes por semana, em toda a área urbana. É inadmissível a prática
de descartar resíduos de qualquer forma e sem cuidado algum.
Nesse sentido, o Rotaract, juntamente com a Prefeitura Municipal e
demais entidades parceiras promoveu, no dia 13 de Abril de 2013, a
limpeza de rios em Serafina Corrêa. O objetivo da ação é conscientizar
a população para respeitar mais o meio ambiente, tratá-lo com a
importância que tem e também respeitar as pessoas que possuem rios em
suas propriedades, pois estas sofrem também com as consequências de um
lixo que não é delas.
Após concluída a atividade, o lixo recolhido ficou exposto no
calçadão, centro do município, como forma de chamar a atenção da
comunidade e despertar a consciência ambiental.

Dos Leitores.


Por Rekern!

Tamanho do vereador
Pelo tamanho do vereador Claúdio Janta, teu assunto e foto de ontem, ele é janta, café da manhã, almoço e mais uns quatro lanchinhos durante o dia.

Convite

SEMINÁRIO "A CONVIVÊNCIA NO COTIDIANO URBANO - CUIDAR DO OUTRO, CUIDAR DA CIDADE"


Reajuste na tarifa de táxis é de 8,09%

A partir de 30 de abril, a tarifa do sistema de táxis da Capital será reajustada em 8,09%, tendo como base o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M). O pedido foi encaminhado à prefeitura pelo Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi), atendendo a dispositivo da Lei Municipal nº 10.377/08, que garante o direito ao aumento um ano após o último reajuste (30/04/2012). A lei estabelece que a tarifa do táxi deva ser reajustada, com base no IGPM, com periodicidade de no mínimo 12 meses.

O quilômetro rodado em 2013 passa para R$ 2,11 e R$ 2,74 (Bandeira 2). A bandeirada inicial fica em R$ 4,22. Demais tarifas no sistema de táxis: hora parada, R$ 14,90; sacola de supermercado, R$ 0,60; volume de mão e mala, R$ 1,20; grandes volumes e animais de estimação de pequeno e médio porte, R$ 6,00. Volumes de mão e malas, de acordo com a Lei Municipal 10.377/08, são aqueles objetos com dimensões de até 115 centímetros, somadas a largura, o comprimento e a altura (volume de mão); e com dimensões de até 172 centímetros (malas). Grandes volumes são aqueles objetos que excederem a 172 centímetros, somadas a largura, o comprimento e a altura.

As tabelas serão entregues aos taxistas a partir da zero hora do dia 30 de abril, terça-feira, na Av. Érico Veríssimo nº 100 (em frente ao Ginásio Tesourinha), Atendimento ao Cidadão da EPTC. Cada veículo receberá duas tabelas, sendo uma, a maior, fixada no vidro lateral do veículo, visível para o usuário. A outra será de uso do motorista. O valor de cada corrida será obtido através da relação entre o valor apresentado no taxímetro com seu respectivo correspondente na tabela.
Gabinete de Comunicação Social
Prefeitura de Porto Alegre

O MARAVILHOSO DOMINGO

NA VOLTA DO AGAPIO, DESCI NA CARLOS GOMES. E PEGUEI ESTAS FOTOS DA PISTA DOS ONIBUS DESTINADA AO PUBLICO. ISTO VAI ATÉ AS 8 DA NOITE. É UMA CONQUISTA DA CIDADANIA, COMO DIZIA O BIGODUDO DA BOSSOROCA.

MAIS FOTOS DA CARLOS GOMES DESTINADA NA PISTA CENTRAL AOS PEDESTRES AOS DOMINGOS. É SÓ NOS DOMINGOS, FERIADOS NÃO VALE. PORTANTO AGENDE-SE E VÁ CAMINHAR.


ENCONTRO DAS ' PRENDAS'

Agora ao meio dia, tomando cachacinha com mel - 4 pilas a dose - no Tuim, encontraram-se as PRENDAS II E PRENDA III

Fernando Gomes(hoje na ZH) e JOSE DOVAL( agora dono de casa de eventos) eram respectivamente PRENDA II E A PRENDA III no GLOBO, pra onde ERNO SCHNEIDER OS LEVOU.

Erno, que fez a famosa foto de Janio de pés trocados, volta hoje ao Rio, depois de um mês no Sul. Aqui engordou 6 quilos que terá que perder caminhando no calçadão de Copacabana, onde vive.

Aos 77 anos está aposentado. Erno foi do JB,Correio da Manhã e do Globo. também trabalhou pra Associated Press(AP) como frila.

Em tempo: Do TUIM, Doval, Erno e Fernando foram comer uma carne perto do Olimpico. A tarde passou e eles sairam de lá perto das 5 da tarde( eta vida boa, esta...de fotografo...)

 

Da memória de um repórter

O CASACO PENDURADO


Num cabide da redação do Jornal do Comer´cio - que completa 80 anos em 25 de maio próximo - um casaco sempre estava pendurado por lá. Era do repórter Fuscaldo, que também era funcionário do DEPREC, onde seguramente ganhava muito mais do que no JC.Atenção: é o Fuscaldo pai!

O filho não conhece redação de jornal.

Memória da Imprensa

José Doval fazia madrugada na ZH. Um colega fotógrafo, Ricardo Stricher, costumava tomar um vinho ,atirar-se no sofá e ficar por lá até a hora de ser chamado pro trabalho.

VILLELA E

A SEPARAÇÃO

Como grande gozador que é - não conheço outro de tamanho calibre - Arthur Zanella contava, na época da separação de seu amigo Guilherme Villela que sua ex-esposa o procurou pra ele cuidar do amigo.

- Nunca tinha visto o Villela tão bem de vida, ironizava Zanella.

VILLELA VOLTA A PLANICIE

O ex-prefeito Villela hoje está na chamada planície. Depois de ter sido prefeito da capital(nomeado pela REDENTORA, claro, mas aprovado na ALRS)foi deputado estadual, candidato a prefeito, melhor a vice na chapa da Yeda,..no começo da juventude flertou e muito com o PCB, sim, o Partidão. Tanto que um dos seus auxiliares, o Polaco, O trindade de alegrete, um arquiteto tinha sido do PARTIDÃO NA JUVENTUDE. ele segurou o cara no DMLU e na época o Melchiades Stricher, que cobria a prefeitura fez muita intriga contra o Villela por causa disto. Villela tinha entre seus amigos o Monteirinho(Carlos) da Folha da Tarde que costumava aos domingos ir comer churrasco na casa do então prefeito, numa casa ,ou sitio que o prefeito tinha em Guaiba, ou Eldorado do Sul.

Hoje de tarde, segunda, ele prestava atenção num aparte que o seu ex-secretário, ou diretor do DEMHAB, Reginaldo Pujol fazia quando quis fotografa-lo . Me pediu um minutos por isto. Eu me lembrei que o PUJOL foi do DEMHAB na época do Villela, tanto que o Melchiades Stricher nesta época no Porta Larga( um boteco ao lado da ZH, na av. ERico Verissimo) cunhou uma famosa frase; SE QUERES UM CASA NO MOL, VOTE NO PUJOL. Dizem que teria sido assim: Pujol, como bom butequeiro, chegou no porta,- como os intimos o chamavam - e pediu um trago. O Melchiades chegou em seguida e Pujol lhe pediu um slogan pra sua campanha. Daí surgiu o bordão que virou folclore. Não se sabe nem se é verdade que o fato tenha ou não acontecido(Olides Canton)

 

O GORDO DO PDT

Claudio Janta, do PDT, o vereador da Força Sindical, está no seu primeiro mandato municipal.

É um dos braço da deputada Juliana Brizola no PDT.

Agora a pouco ele estava na sessão do legislativo municipal.

CHOQUE DE CIDADANIA NO LAZIER

Pois é, este choque do Lasier voltou à tona. Tudo porque ele é candidato ao Senado(Olides)

Uma priminha contou no "face" q recebeu convite para uma festa onde todos deviam ir vestidos de uva, para dar um CHOQUE DE CIDADANIA NO LAZIER! Sabias desta? E ótima, ñ é?

Lauro Dieckmann

Instituições em frangalhos

Carlos Chagas

Numa demonstração a mais de que nada resiste a nada num regime desgastado pelo egoísmo e a falta de ética como o que vivem nossas instituições, registre-se haver chegado a hora do Supremo Tribunal Federal.
Não se fala dos destemperos do presidente Joaquim Barbosa, sequer da obsessão do procurador Roberto Gurgel em ver o ex-presidente Lula transformado em réu. Depois desses dois episódios recentes, revelaram-se as perigosas relações do ministro Luís Fux, tanto com o palácio do Planalto, para ser nomeado, quanto com o advogado Sérgio Bermudez, para ajudar a emplacar sua jovem filha como desembargadora no Tribunal de Justiça do Rio, através de um lauto jantar de 300 talheres para a nata do Judiciário nacional e fluminense.
Mesmo tendo sido cancelada a homenagem que aumentaria a suspeita de conluio entre juízes e advogados, e ainda que desmentida a suposta promessa de Fux absolver José Dirceu como retribuição pela sua nomeação, o que fica dessas revelações é a evidência do domínio do fato.
Do Executivo e do Legislativo nem haverá que falar, desde o escândalo do mensalão e da demissão de ministros acusados de corrupção, agora reabilitados, até a ocupação da Comissão de Direitos Humanos da Câmara por um energúmeno. Faz muito que a credibilidade desses dois poderes foi para o espaço. Não propriamente chegou a vez do Judiciário, ou da parte dele envolvida num relacionamento suspeito com o setor que todos os dias bate às suas portas reclamando justiça. Porque faz muito que suas entranhas vem sendo expostas. Novidade não é. Aliás, já denunciada pelo presidente do Supremo, personagem nem por isso menos carente da tranqüilidade necessária para o exercício de suas funções.
Jamais se admitirá ou exigirá que juízes e advogados permaneçam em guerra, impedidos socialmente de conviver, até porque suas origens são as mesmas, nos bancos universitários. O diabo é quando trocam interesses à sombra do convívio. O cancelamento do banquete que Sérgio Bermudez ofereceria a Luis Fux repercute bem mais do que sua realização, apesar de constituir-se em filete d’água num oceano de permissividade que o Conselho Nacional de Justiça de quando em quando tenta conter nos tribunais de todos os estados. O ex-anfitrião é patrono de um dos condenados do mensalão, processo em fase final, precisamente quando serão apresentados embargos para tentar diminuir algumas penas.
Em suma, a semana começa mal para as instituições. Terminará pior?
O CÃO DE TROTSKI
Feria-se de forma violenta a guerra civil na Rússia, depois da revolução bolchevique. A bordo de um trem blindado, Leon Trotski, fundador do Exército Vermelho, deslocava-se para diversas regiões incentivando a resistência contra os brancos e as tropas invasoras dos países ocidentais. Participava de combates e, não raro, escapava para evitar ser preso.
Os adversários do novo regime, sempre bem fornidos de recursos, financiavam a presença de jornalistas da França, Inglaterra e Alemanha junto com contingentes rebeldes, de forma a transmitirem ao mundo que o socialismo ia sendo derrotado.
Numa daquelas múltiplas refregas, os repórteres enviaram despachos para Paris, Londres e Berlim contando que Trotski quase fora aprisionado, fugindo à última hora, “mas que seu cão de estimação tinha sido preso”.
Em suas memórias, o segundo líder da revolução soviética, subordinado apenas a Lenin, escreveu não se ter preocupado com aquela notícia, acrescentando: “ademais, nunca tive um cão…”
A história se conta a propósito de deputados sérios e honestos que ficam indignados ao ler críticas veementes da imprensa ao Congresso. Deveriam apenas raciocinar que nada tem a ver com as lambanças de certos colegas…

CAFÉ COM “PIERNAS” A MANIA EM SANTIAGO DO CHILE


Não é para ninguém ficar incomodado com a existência desses cafés, no centro de Santiago. Nem para enxergar neles a relíquia de um passado machista - mais do que o presente. Descrevo para quem não conhece: nos "cafés con piernas" trabalham mulheres, todas jovens, bonitas, altas e, sobretudo, de pernas compridas e torneadas.

De Santiago do Chile
Gelson Farias

Em Santiago, um dos aspectos que mais me impressionou foi à rápida mudança que está acontecendo no mercado de café por aqui. Afinal, muitas pessoas me perguntam o que faço seguidamente no Chile... Para quem ainda não sabe trabalhar em uma empresa aérea, é viajar constantemente. Aqui em Santiago, o empresário que tiver bastante dinheiro pode ficar mais rico ainda em pouco tempo. Além do charme de beber café, por aqui, outros desejos tornam o “ beber café” uma vontade ainda maior...
Depois que um empresário teve a ideia de colocar garotas, com vestidos curtos, o “ Café com Piernas” para servir café no balcão, e inovar o atendimento -- por aqui a maioria dos café servem o bebida no balcão -- em estabelecimentos considerados sérios, outros no entanto, resolveram fazer ao contrário: colocaram garotas em traje sexy, muitas delas somente de biquíni, para servir café nos vários bares desse tipo; Eles estão sempre nos cantinhos das galerias ou discretamente nas ruas do centro de Santiago, embora a onda expansiva já tenha levado esses locais até a periferia. Verdade seja dita, a epidemia dos "cafés con piernas" não é privilégio da capital chilena: a mania se tornou nacional. Na realidade o café é ruim, mas o que vale a pena é as boazudas servindo o café.


Os cafés, começaram assim, com as atendentes servindo café apenas de mini saia...

Para as mulheres, a exposição das moçoilas enfiadas nessas roupinhas como recém-saídas da cama, ou, talvez, prontas para entrar, é a mais pura vergonha. É o que, segundo se sabe, dizem também as esposas dos empresários dos "café con piernas" sobre a participação das “ moças” destes estabelecimentos. Estes locais, para as mulheres, virou sim local da presença somente de homens. Os empresários dizem que são estabelecimentos muito sérios, onde as meninas só servem café e não podem, de jeito algum, aceitar propostas indecorosas ou diretamente, digamos, comerciais para sair com a freguesia para encontros amorosos. Não desejam que seus locais sejam, nem tangencialmente, confundidos com alguma coisa ligada à prostituição. Mas esses donos têm também aquela frase que deixa tudo ainda mais claro: "O que as meninas fazem depois do expediente não é assunto nosso".


Agora elas servem o café de biquíni...

Há locais sérios de verdade, como o Café Pioneiro, famoso Barón Rojo, na calle Moneda, 724, o Haiti, o Caribe no calçadão do Paseo da Ahumada. Seu dono foi o mentor dessa ideia de colocar belas senhoritas para servir café mostrando, um pouco só, as pernas e outras partes arredondadas. Foi um reboliço geral, uma grande ousadia num país de moral rígida, onde a igreja continua tendo aquele forte poder de pressão no governo. O prefeito de Santiago, ligado a Opus Dei, tentou fechar esses negócios. Mas a imprensa saiu com ele às ruas nessa romaria e, vendo que os chilenos não estavam gostando desse discurso moral, deu para trás com um sorriso amarelo frente às câmeras da TV, enquanto tomava um cafezinho num desses lugares. Hoje os "cafés con piernas" continuam distraindo a vida dos de moradores e turistas de Santiago, como eles dizem, "refrescando el almanaque". Cada local vai inventando formas de chamar a freguesia até seu balcão. Uns inventaram "o minuto feliz", onde dizem que as meninas tiram a parte de cima do biquíni e serve aquele inesquecível café com leite. Só que esse minuto do dia nunca se sabe exatamente quando vai ocorrer.


No café Baru, é o local onde tudo é extravagante, até as mulheres servem o café no balcão com roupas mínimas mesmo...


Outros adotaram a postura de ser praticamente um balcão transformado em divã, onde a freguesia vai contar suas mágoas de amor, ou contar às malvadezas que faz a patroa em casa, encontrando esse coitadinho, mártir do matrimônio, sempre alguém para ouvir suas desgraças, apoiados num ombro suave, perfumado e descoberto-para molhá-lo com lágrimas de crocodilo. Dizem que a recíproca também é verdadeira, as moças contam suas desgraças ao cliente, que, com esse coração de vovozinha, vai pedindo um, dois, três cafés, depois uma cerveja, e a menina vão ganhando sua comissão, OU ALGO MAIS.


Estou fazendo o que sempre fiz... Vou tomar o meu café, no Ali baba.


Entre no Barón Rojo ou nos outros "cafés con piernas" sérios de Santiago, todo bom guia os conhece, e desfrute desse curioso deslize dos chilenos. Sua hospitalidade vai ficar ainda mais em evidência nesses lugares. As meninas têm muito carinho para dar e vender, no bom sentido da palavra. Eu que sou um devorador de café, e tenho gosto de ver uma mulher bonita, vou continuar batendo o meu ponto nestes cafés... Afinal, de contas, ninguém é de ferro depois de um dia cansativo de trabalho.


Café Macumba...


Café Macumba...


Café Macumba...

Este ai da foto é o café Macumba... Um local com cara de café que o dono do estabelecimento resolveu inovar. Colocou mulheres com trajes mínimos e deixou a luz num ambiente de boate. Todos sabem que neste lugar, existe sim, o bate papo entre as garçonetes e clientes, para um “tur” mais tarde, pela cidade. Foi por causa destes locais, mais enxutos, que a justiça mandou intimar os donos de todos os estabelecimentos de “Café com Piernas” para se explicarem. Se virar bagunça, os locais serão fechados. Querendo ou não, as atendentes dos cafés sempre aceitaram, cumpriram esse papel: o de escutar e -- os mais amáveis -- dialogar e até dar conselhos aos "solitários e aflitos" (isso não é coisa de filme; basta passear pelos cafés nas horas adequadas, quando o tráfego de pessoas é menor). Pareceu-me, assim, que em Santiago não fizeram mais do que "regulamentar", "oficializar" essa função, esse serviço tão antigo, anterior à existência de qualquer bar e da bebida tão necessária que é o café.

RESTOS MORTAIS DO POETA PABLO NERUDA SERÃO EXAMINADOS NOS EUA

De Santiago do Chile
Gelson Farias


A família do Nobel de literatura chileno Pablo Neruda concordou com o envio de seus restos mortais para os Estados Unidos, onde ele passará por uma série de testes toxicológicos. Seu corpo foi exumado na última segunda-feira por autoridades chilenas em um esforço para determinar se sua morte foi causada por envenenamento. Neruda morreu há 40 anos, logo após o golpe de Estado que colocou o general Augusto Pinochet no poder. Na ocasião, sua morte foi atribuída a um câncer de próstata. Um assessor do poeta, porém, tem defendido que ele recebeu uma injeção letal por ordem de Pinochet.


O poeta Plabo Neruda.


O advogado Rodolfo Reyes, sobrinho de Neruda que participou da exumação de seu corpo junto com um grupo especialista internacional, disse a uma rádio local que os restos mortais de seu tio serão minuciosamente examinados. "Eles levarão amostras para um laboratório. É um exame técnico e queremos que eles levem o tempo que for preciso para que não restem dúvidas". As autoridades afirmaram que os testes serão realizados na Carolina do Norte. Neruda era amigo do presidente chileno Salvador Allende, deposto por Pinochet. Ele morreu aos 69 anos, em 23 de setembro de 1973, apenas 12 dias depois do golpe. O poeta foi enterrado ao lado de sua mulher Matilde Urrutia no jardim de sua casa em Isla Negra, na costa do Chile. Eles levarão amostras para um laboratório. É um exame técnico e queremos que eles levem o tempo que for preciso para que não restem dúvidas


Restos mortais de Neruda sendo exumados para exame nos EUA.

Os preparativos foram iniciados na cidade litorânea de Isla Negra, 100 km a oeste de Santiago, onde fica a casa-museu em cujo pátio estão os restos do poeta junto aos de sua terceira esposa, Matilde Urrutia. A casa-museu fechou suas portas ao público antes do horário habitual, e a polícia bloqueou o acesso à sua rua. A equipe que participará da exumação do corpo é composta por cinco peritos do Serviço Médico Legal, quatro da Universidade do Chile e quatro especialistas internacionais. Entre eles estão a toxicóloga americana Ruth Winecker e três espanhóis, o também toxicólogo Guillermo Repetto, o cirurgião Aurelio Luna e o médico legista Francisco Etxeberría, que também participou, em 2011, da exumação do presidente chileno Salvador Allende.
Para a polícia, existem muitas contradições no processo, principalmente sobre o que aconteceu na clínica em que Neruda recebeu atendimento, disse o advogado que fez o pedido de exumação. Eduardo Contreras disse ainda que há dúvidas a respeito da real identidade do médico Sérgio Draper que teria injetado um medicamento (dipirona) no poeta, supostamente para lhe aliviar a dor. “É estranho o fato de que Draper fosse trabalhar na clínica apenas três dias antes da morte de Neruda, ainda mais por ser um médico ligado ao Hospital Militar e, inclusive, mencionado na morte (em 1982) do ex-presidente Eduardo Frei Montalva nessa mesma clínica por envenenamento, como está credenciado na Justiça”, precisou.
Em 2011, porém, o Chile começou a investigar alegações de Manuel Araya, ex-motorista e assistente pessoal de Neruda, sobre o suposto envenenamento de seu patrão. Araya disse que Neruda telefonou para ele de um hospital e disse que começou a se sentir mal depois de receber uma injeção. As alegações dadas na época eram de que o poeta morreu em decorrência de um câncer de próstata, fato desmentido pelo Partido Comunista Chileno, que afirma que Neruda não apresentava sintomas de câncer quando morreu. Agora, a família quer saber se Neruda morreu devido a causas naturais ou foi assassinado. Mais de três mil pessoas foram mortas ou desapareceram durante os 17 anos do regime de Pinochet (1973-90).

Os mendigos de Paris

Lauro Dieckmann

Paris tem mendigos? Tem, sim, e muitos. Certamente é uma das cidades do mundo civilizado q mais tem mendigos. Certamente, mais do q no Rio de Janeiro, por exemplo.
Os mendigos de Paris, grosso modo, são de dois tipos. Uns são os manjados exploradores, que se valem de um defeito físico (geralmente uma ou as duas pernas amputadas) para fazer as pessoas se apiedarem e darem uma moeda pare eles.
Outros são moradores de rua mesmo, pessoas que ñ se integram na sociedade "normal" por filosofia de vida ou pq são mais é malucos mesmo. Gente q ñ se enquadra, de uma forma ou de outra, nos padrões da normalidade.

Os mendigos de Paris

Estes moradores de rua de Paris ñ têm nada a ver com esse pessoal drogado que perambula pelas ruas de Porto Alegre, dorme sob as marquises e passa o dia na ociosidade, geralmente nas praças da cidade. E ainda por cima acabam indiretamente estimulados por gente bem intencionada, mas ingênua e sem maiores conhecimentos, q inventa coisas como a "sopa do pobre" e lhes dá comida de graça. O resultado é como o q se vê todos os dias ali na Praça Garibaldi: um bando de desocupados que faz da praça um hotel (e até motel) a ceu aberto depois de pegar a sopa na Ramiro D`Ávila, uma sociedade espírita que fica na Getúlio Vargas.
Volta e meia, é incrível, estes mendigos porto-alegrenses aparecem com um jornalzinho q dizem ser produzido por deles (mas bancado com ouro de Berlin).


Já na França, os mendigos ñ têm jornalzinho, nem a mendicância alcança esse nível de miserabilidade q vemos por aqui nas nossas ruas. Eu aprecio, de fato, aquele tipo de mendigo francês que o é por algum tipo de convicção, por não-conformismo. Ah! para estes eu jogo com satisfação uma moedinha no pires. Principalmente para aqueles que carregam junto um cachorro ou gato de estimação e q ñ são poucos e que fazem lembrar os dois cachorrinhos e a gatinha q tenho em casa.
Em anexo, as fotos de mendigos franceses. São de uma idosa cheia de pacotes com os pertences dela, de uma mulher jovem ajoelhada na Champs Elysées e um cachorreiro, acompanhado de uma cadela que dava de mamar para a ninhada de filhotes em frente a Sainte Chapelle.

Mendigos de Paris II

Lauro Dieckmann

Estava meio bobo do fuso horário, ontem, qdo escrevi aquele texto sobre os mendigos de Paris. Deixei de mencionar os mendigos que tentam impressionar os trouxas com poses de impacto como a que faz esta mulher aí da foto em anexo (vamos ver se tu e a saiteira conseguem conjuminar este texto com a foto da mendiga, ufa!).
Estes fazem parte da "família" dos mendigos trambiqueiros, como os pernetas (por não ter perna ninguém precisa ser mendigo, assim como não ter dedo ñ impede que alguém seja presidente da República.
Por isso é que sou fã dos mendigos autênticos, aqueles que não querem porque não querem se integrar à sociedade (de consumo ou seja lá qual tipo de sociedade). Por isso vivem nas ruas. Estes são os autênticos moradores de rua. Ah! e não têm "jornalzinho" bancado com verba da Diaconia ou coisa assim...

Coleguinhas

*O fotógrafo José Doval foi pego pelo IR...Mas parcelou a dívida em muitas prestações. Do tempo que estava no Gremio


*Emilio Pedroso foi demitido da ZH.


*Dos fotografos antigos da ZH, sobram apenas dois.


*Um veterano fotógrafo que está na ZH há muitos anos diz que os que entram lá agora são todos ' publicitários"!


*Jefferson Bottega está ' escontado' no sindicato dos jornalistas. Ou seja, está de licença da ZH.

Gente que faz

A " Fabi" é a voz do Agápio. Já o Luiz é o garção que saiu pra ir pro hotel 5 estrelas, se arrependeu e voltou pro Agapio.

O Luiz foi na sexta comprar sapatos na Fenac e não tinha o tamanho 46 que ele precisa. Bota pé, nisto. Meu apelido na ZH era PÉ de tão grande que é.... mas o do Luiz também não fica pra trás.

DIARIO DOMINICAL

ESTOU CHGANDO DA RUA FOI UM DOMINHGO MARAVILHOSO.

COMI UM PUTA COSTELÃO NO AGAPIO DO TASCA. FEITO PELO DANIEL. E DE GRAÇA.

NO MOL COMO DIZIA O MELCHIADES.

BATI BOAS FOTOS QUE POSTO NA TERÇA.

DOMINGO NO PARQUE

Na pracinha da Encol, estedomingo de sol bombou de gente.

Os jovens principalmente foram pegar sol, tomar um chima e papear.

Porto alegre é boa no outono, com sol....

Mais domingo no Parque. Na pracinha da Encol, com o sol do outono....


A goteira do SAVOY

Estava tomando café da manha hoje, segunda, com o Erno Schneider, quando uma enorme goteira roeu do chão de cima.

A gerente veio explicar que isto é coisa da reforma do hotel, que foi comprado por um grupo espanhol, que tem 12 hoteis no estado.

Eles estão reformando quarto a quarto todo o savoy do centro.

Inicialmente, se chamava PAZ e lá era o ' matadouro' de muitos jornalistas que trabalhavam no CLARIM E NO DIARIO DE NOTICIAS QUE FICA NA DUQUE DE CAXIAS. HAVIA AINDA UM OUTRO HOTEL QUE FUNCIONAVA COMO ' MATADOURO' QUE FICAVA PERTO DO ESTÁDIO DO INTER.se chamava cacique. não sei se era hotel, ou motel. os mais antigos, os que viveram em porto alegre nos anos 50 devem saber disto.

O SAVOY FOI FUNDADO EM 1950.

O fotógrafo

O fotógrafo Erno Schneider no hotel Savoy hoje de manhã.

O fotógrafo Erno e o repórter deste site tomando um café preto!


Erno Schneider vai voltar na terça de manhã pro Rio, depois de ter passado um bom tempo no Sul. O fotógrafo, que em 1961 ganhou o prêmio ESSo com a foto das pernas trocadas do Jãnio Quadros, aos 77 anos, mora em Copacabana.

PUXÃO DE ORELHAS
EM FORTUNATTI!


Nelson Lídio, da Fecomércio, presente no ato de Fortunatti.

O PREFEITO José Fortunatti disse que não levou nenhum puxão de orelhas da presidenta Dilma na sexta, quando ela esteve aqui.

O fotógrafo Edison Castêncio, que esteve no ato, disse que a presidenta teria reclamado pra ' duas mil pessoas"

- Meu neto quer andar de metrô!

Teria sido um recado direto pra fazer as obras se mexerem!

Gripado, o prefeito se queixou na coletiva de agora há pouco que ' passou mal a noite"!

O fotógrafo Castêncio acha que ele teve um ' godó" ou seja, inventou uma gripe, pra se retirar da coletiva e não ter que responder perguntas incômodas, pra não dizer ' cabeludas'.

Deixou tudo com Urbano Schmidt.

Metro de Porto Alegre

não será feito em forma de ' tatuzão"


Fortunatti deu coletiva agora de manhã.

O RS não tem os 9 bi e 500 milhões de reais que o consórcio Invepar/Odebrecht pediu pra construir os 14,88 km de metrô na forma de tatuzão( por baixo, sem abrir o solo)que vão da esquina democrática- onde o prefeito José Fortunatti, hoje com a caneta na mão já fez muito ' proselitismo juvenil e de esquerda' ,quando era do sindicato dos bancários e achava que tudo ' era fácil, era só ter a vontade política' - até a sede da Fiergs.

Unica empresa cuja proposta foi considerada dentro dos padrões exigidos pela prefeitura de Porto Alegre - a outra do consórcio Brasken PM - não foi considerada - ela subiu muito no preço.
Prefeitura, Governo do Estado e governo Federal consideram pagar até 3 bilhões e 85 milhões de reais pra fazer este trecho do metro de Porto Alegre.

Todos estes dados foram apresentados agora de manhã durante coletiva à imprensa. O prefeito José Fortunatti, que disse ter passado mal a noite - se retirou antes do fim da coletiva.Deixou mais explicações com o secretário Urbano Schmidt.
Também esteve na coletiva João Motta, secretário do Planejamento do Gov. do Estado.
Vanderley Cappelari, secretário municipal dos transportes também se fez presente ao ato.

QUEIXAS E MAL ESTAR

Fortunatti disse que no fim de semana saíram ' muitos comentários' na imprensa de que ele teria levado um puxão de orelhas da presidenta Dilma na sexta por causa do atraso do anúncio do metrõ.

- Nós tinhamos este estudo pra apresentar no dia 10 passado, mas foi adiado porque esperamos pela presidenta, disse " o magrão" - como é conhecido entre os subordinados.

O metrô de Porto Alegre tem 14,88 km e 13 estações.

O prefeito deixou mais explicações para Urbano Schmidt.

Ele disse que agora a Prefeitura irá novamente ao mercado pra buscar novas obras. Fortunatti já tinha explicado que dentro deste valor solicitado pra construir o metrô na modalidade tatuzão- isto é sem abrir o solo, é feito por baixo do solo, só tem incomodação ao tráfego no local onde são feitas as estações . O metrô de Porto Alegre está sendo construído na modalidade PPP- Parceria Público Privada.

Outros detalhes que a prefeitura está exigindo:que tenha a mesma tarifa dos õnibus de Porto Aelgre e as mesmas isenções.

A atual proposta do consórcio Odebrecht teve o prazo de 19 de setembro do ano passado até 7 de fevereiro deste ano. Não custou nada aos cofres do município.
O consórcio pode novamente participar de outra busca de preços. Mas agora já estão descartada a modalidade tatuzão por ser muito cara.

Metrô terá nova Proposta de Manifestação de Interesse

Foto: Ricardo Giusti/PMPA


Estudo que já foi feito será aproveitado em relação às integrações e tecnologias
A implantação do Metrô de Porto Alegre terá nova Proposta de Manifestação de Interesse (PMI). O anúncio foi feito pelo prefeito José Fortunati em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira, 15, depois da conclusão do trabalho técnico desenvolvido a partir da primeira PMI solicitada. Dois estudos foram entregues no dia 7 de fevereiro de 2013. Um deles, da empresa Brusten P.M. foi descartado por não apresentar os itens mínimos previstos no edital.

A outra proposta, do Consórcio Invepar/Odebrechet, foi analisada pelos técnicos e contemplou a construção do Metrô pelo método Shield (tatuzão), que prevê a escavação profunda mecanizada. “Esta seria a opção que causaria menor impacto na mobilidade. Mas, pelo custo, se torna inviável. Por isso optamos pela construção do Metrô no método cut and cover (corta e cobre)”, afirmou o prefeito. Pelo sistema cut and cover a escavação é mais rasa a partir da superfície.

Com os recursos atualizados desde o lançamento (R$ 2,4 bilhões), a prefeitura trabalha com o orçamento de R$ 3,085 bilhões. Já o valor levantado pelo Consórcio foi de R$ 9,5 bilhões. “Diante dessa diferença de valores, decidimos abrir nova PMI. A nova proposta aproveitará o estudo que já foi feito, no que diz respeito às integrações, tecnologias e orçará a construção do Metrô pelo método cut and cover”, enfatizou o secretário de Gestão (SMGES), Urbano Schmitt.

O secretário estadual do Planejamento, Gestão e Participação Cidadã, João Motta, destacou o apoio à escolha técnica feita pela prefeitura. “O governador Tarso Genro, salientou que o Governo do Estado apoia a decisão da administração municipal de abrir nova PMI para construção do Metrô”, disse.
Também participaram da coletiva os secretários municipais da Fazenda (SMF), Roberto Bertoncini, e da empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari.

O projeto: O metrô de Porto Alegre está baseado em um modelo de integração com os sistemas de BRTs e com o Trensurb. Com extensão de 14,88 km, a Fase 1 de implantação do Metrô terá 13 estações, distribuídas entre as proximidades da Esquina Democrática e a Fiergs, na zona Norte. Com tecnologia baseada em um metrô leve com alimentação elétrica, estima-se que o transporte atenda diariamente 300 mil usuários, ampliando a oferta de transporte coletivo e estimulando a redução do uso do automóvel.

O traçado: Av. Borges de Medeiros (extensão Rua da Praia), Av. Voluntários da Pátria, Av. Farrapos, Av. Cairu, Av. Brasiliano de Moraes, Av. Assis Brasil. Mínimo 13 estações.

PMI - Instrumento utilizado pelo setor público para obter no mercado estudos de viabilidade sobre projetos de infraestrutura a serem executados. Serve de balizador quanto ao interesse da iniciativa privada na execução de projetos e serviços no setor público. Os estudos são essenciais para o setor público estruturar e publicar os editais das licitações dos contratos de concessão. Não há pagamento do PMI pelo setor público. As diretrizes que forem utilizadas na obra, serão pagas pelo vencedor da licitação para construção do Metrô. No caso do MetrôPoa, a PMI estava aberta a qualquer alternativa de método construtivo ou modelo das estações.

Histórico:
14/10/2011 - Anúncio da presidente Dilma de investimento no MetrôPoa (R$ 1 bi – Governo Federal).
08/08/2012 - Publicação no DO da União da Medida Provisória da PPP.
19/09/2012 - Lançada a Manifestação de Interesse (PMI) para o MetrôPoa.
07/02/2013 - Entrega das Propostas de Manifestação de Interesse (PMI) para o MetrôPoa.
15/04/2013 – Resultado da Análise das Propostas Manifestações de Interesse.

Gabinete de Comunicação Social
Prefeitura de Porto Alegre


Manifestação de Interesse do Metrô será conhecida nesta segunda

Os resultados da Proposta de Manifestação de Interesse (PMI) do Metrô de Porto Alegre serão conhecidos na próxima segunda-feira, 15, às 10h. Em coletiva no Paço Municipal (Praça Montevidéu, 10 – Centro Histórico), o prefeito José Fortunati apresentará os estudos decorrentes do processo e os encaminhamentos determinados pelo município. A conclusão da análise da PMI pelos técnicos da prefeitura ocorrerá durante o final de semana. A Manifestação de Interesse é uma etapa fundamental para implantação do metrô, pois é ela que, a partir de estudos técnicos aprofundados, permite ao gestor público escolher as melhores alternativas para implantação do projeto.


Gabinete de Comunicação Social
Prefeitura de Porto Alegre

Metro vai ou não vai

COM A PUTIADA QUE A PRESIDENTA DEU NO MAGRÃO NA SEXTA, SERÁ QUE AGORA O METRO SAI DO BALACO BACO...PORQUE ATÉ AGTORA É TUDO PAPO. VOU HOJE DE MANHA VER O QUE O MAGRÃO TEM A DI ZER SOBRE O METRO DE PORTO ALEGRE QUE AO QUE PARECE É OUTRA NOVELA COMO O AEROMOVEL.

 

CARAS X CONTIGO



as duas revistas de fofocas competem no caso Daniela Mercury. Mas as duas são da mesma editora. Uma vez o Caco Barcellos, quando estava na VEJA,foi entrevistar o velho CIVITA, acho que é Roberto o nome.

O caco achava que a grande sacada do velho tinha sido a VEJA.

- Não, meu filho, foi a CONTIGO, DISSE O publisher!

SEM PULO - TÚNEL DO TEMPO - 13.04.2013

Rudimar Thomas

Preparativos para o Festipizza 2013


A Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Serafina Corrêa,
ACISCO, está promovendo reuniões semanalmente, com o objetivo de
preparar e programar todas as ações do Festipizza 2013. Nos encontros,
participam representantes de todos os segmentos, além da Prefeitura
Municipal, apoiadora do evento. A segunda edição do maior Festival de
Pizza do Brasil acontecerá em Serafina Corrêa, nos dias 25, 26 e 27 de
Julho, no Ginásio Municipal Irceu Antônio Gasparin.

1º Encontro dos beneficiários do Bolsa Família

No dia 13 de Abril de 2013, às 10h, realizou-se o 1° Encontro dos
Beneficiários do Bolsa Família, no Ginásio Municipal Santin, em
Serafina Corrêa. Promovido pela Prefeitura Municipal, através das
Secretarias de Assistência Social, de Educação e de Saúde, o evento
teve o objetivo de integrar as famílias, agregando informações e
esclarecendo dúvidas quanto ao Programa. As famílias tiveram a
oportunidade de assistir a uma palestra sobre Educação Financeira ?
Como Administrar Melhor a sua Renda, na qual puderam fazer perguntas e
trocar importantes informações. O Prefeito Municipal, Ademir Antônio
Presotto, também conversou com os presentes, salientando a importância
de administrar o dinheiro, bem como de estabelecer prioridades e viver
com qualidade.
Ao final, foi servido almoço e houve apresentação do Grupo Ação Capoeira.

O voluntário anonimo

Assistimos todos os dias um índice crescente de aspectos sociais negativos, com seqüelas e soluções de continuidade imensuráveis na saúde, educação e segurança pública.
Assistimos também o comodismo de muita gente que, acreditando ser invulnerável a todo e qualquer sinistro, esquivam-se de compartilhar, estão sempre com pressa, ignoram colaboração coletiva e omitem-se no próprio egoísmo. Lamentavelmente essas pessoas inertes ainda comungam aquela máxima de que: “pago meus impostos e exijo meus direitos”. Está na hora de rever seus conceitos. Está na hora de ver o que se passa na sua rua e no seu bairro. Há muita atividade que poderia melhorar o convívio e a vida das pessoas se cada uma delas absorvesse o espírito do voluntariado. De uma simples ajuda a grandes mutirões se consegue resultados espetaculares e os beneficiados são para todos, sejam crianças, jovens e adultos.
Quem ainda comunga que o governo é culpado daquilo ou disso está vendo a vida passar e não se coaduna com a cidadania plena entre seres humanos. Há pessoas que são capazes de destinar horas passeando com cães, mas não se oferecem para levar os idosos num dia de sol na pracinha mais perto de casa. Solidarizam-se com semelhantes somente na época do natal e acreditam que estão aumentando seus créditos com Deus para após a morte entrarem no céu. Ora, está na hora de se trabalhar o hoje. Viver e atuar com espírito de grupo, compartilhando e ajudando no que for possível. Bem perto da sua casa há um posto de saúde, um hospital, uma escola, uma creche. Por que não ajudar com uma hora por dia como voluntário. Há tantas maneiras de colaborar que você vai se surpreender quando conhecer o interior dessas repartições.
No Instituto dos Cegos de Londrina, estado do Paraná, por exemplo, os voluntários anônimos, gravam fitas de livros inteiros, poesias, contos, crônicas, para que todos os deficientes visuais possam ter a “leitura auditiva”. Um trabalho emocionante porque proporciona uma viagem pelo universo da imaginação.
Nos hospitais que tratam do câncer em vários pontos do país, o expediente administrativo pode ser auxiliado com o mínimo de domínio do computador, para ajudar no preenchimento dos formulários, por exemplo. Ou ainda auxiliar na cozinha, recolher donativos, levar uma palavra aos doentes ou simplesmente visitar as pessoas que estão internadas.
Nas creches, que tal servir a merenda para as crianças uma vez por dia? Compartilhar do momento do recreio e voltar no tempo, para que a dormência lúdica que existe em cada um de nós floresça novamente e produza em nosso metabolismo as boas endorfinas da alegria e felicidade.
Pessoas aposentadas e felizes, em muitas partes do país, se solidarizam com escolas de periferia e lá ensinam crianças a jogar xadrez, dama, dominó e a montar os deliciosos quebra-cabeças. São essas atividades que fazem as crianças e os jovens terem a boa disputa esportiva e conhecer a verdadeira relação de vitória e derrota. Molda-se o caráter através da prática do raciocínio. Não há agressões de impactos.
Ações voluntárias fazem muita diferença porque estreitam laços, resgatam convívios de amizade, eliminam a vaidade humana e aproximam as pessoas no entendimento de que o bom mesmo na vida é ser e não ter.
Aos que desejarem orientações para encontrar uma vaga de serviço voluntário ou outras informações sobre o tema, podem procurar o Planeta Voluntários é um site não governamental, apartidário e ecumênico, criada em maio de 2009 por iniciativa do empresário Marcio Demari, da empresa Guia Publicidade , sediada em Londrina, Paraná, com a visão de desenvolver a cultura do trabalho voluntário organizado, que leva o serviço voluntariado a auxiliar milhões de brasileiros e entidades que necessitam de todo tipo de ajuda.O site conta com uma Rede Social que cruza as informações dos voluntários com as instituições cadastradas, sendo um elo entre elas. www.planetavoluntarios.com.br

WILMAR MARÇAL,
professor universitário, assessor e palestrante educacional.Ex-Reitor da Universidade Estadual de Londrina, Paraná.

Greve no Louvre e a "insegurança" em Paris

Ontem à tarde, depois que desfiz a mala, assisti um pouco de TV, no Canal 40 da NET, que é um serviço de notícias 24h da Globo (Globo News). Coincidência: estavam tratando da greve que os funcionários do Museu do Louvre tinham feito no dia anterior. Fizeram greve de protesto contra a falta de segurança no museu. Não a segurança deles, os funcionários, ou das obras-de arte, mas a segurança das milhares de pessoas que visitam diariamente o Louvre, um dos maiores e mais importantes museus do mundo (se é que alguém não sabe disso e é preciso explicar!).
Sim, meninos, eu vi: a greve aconteceu na quarta-feira, quando eu ainda estava em Paris. Enquanto aguardava o vôo de retorno, que seria à noite, pretendia fazer hora dando um giro pelas lojas do "Croussel do Louvre", um centro comercial subterrâneo construído justamente para pegar (legalmente) a bufunfa dos turistas que vão ao Museu. Mas, estava tudo fechado; os portões trancados com correntes. Como tem tanto comércio funcionando em Paris, nem liguei, segui adiante. E também não me dei conta que era greve, pois não vi cartaz nenhum avisando, nem piquete de funcionários protestando etc...
Mas era greve, sim. Também por coincidência, estava no estúdio da Globo News a jornalista Joana Calmon (morena, bonita, pernas bem torneadas, 1,83m de altura, um MULHERÃO!), correspondente da Globo em Paris, que aproveitaram para colocar no programa como entrevistada porque, igualmente por coincidência, recém tinha acabado de chegar ao Rio para finalizar a edição de uma matéria que ela tinha feito sobre... a questão da segurança na capital francesa. Daquelas matérias de acompanhar um policial que fica mostrando como as pessoas dão sopa para os "descuidistas", os ladrões que se aproveitam do descuido dos trouxas; entrevistando as meninas ladras que roubam bolsas de turistas etc... Nada de novo no quartel do Abrantes, portanto.
O que há de novo é o contexto, porque desde sempre os turistas, em Paris (e outas cidades européias) são alertados para se precaverem contra a ação dos "carteiristas", os nossos punguistas. Novo é o fato de que os atuais delinquentes de Paris são provenientes daqueles países que viviam sobre o jugo soviético (ranjam dentes quando quiserem ranger por causa do jugo soviético, lixem-se os que não gostarem), como romênia e sérvia (os russos andam tão desmoralizados só prestam para bandidos na novela da Glória Perez, que tu, Olides, que não assistes TV, não deves nem estar tendo idéia sobre o que me refiro), favorecidos com a liberdade de trânsito de pessoas, capitais e bens promovida pela Uniao Européia. Novo também é elas, agora, atacarem em bando. Novo é que, na "banlieue", nos subúrbúrbios, começa a acontecer de jovens fazem "arrastões" nos vagões do metrô (entra um grupo, aciona o alarme, param a composição, e saqueiam os passageiros).
Mesmo assim, diante deste panorama que difere de alguma da "formatação" tradicional da delinquência na França de um modo geral e de Paris de um modo particular, a questão da segurança lá nem de longe se assemelha à violência retratada todos os dias nas páginas da ZH e do Correinho, no nosso rádio e na TV. Ao contrário daqui, onde está subjacente a questão da droga como causa da criminalidade, lá a origem do problema ainda é a velha questão social, a pobreza, a miséria, a falta de integração dos imigrates.
Até porque, os europeus tem mais dificuldade no acesso à droga. A droga deles é mais a heroína que provém do Afeganistão. Andaram fazendo uma pesquisa maluca na água que recebem esgotos das grandes cidades européias e constataram que a quantidade de vestígios de cocaína era impressionante. O abastecimento de cocaína para a Europa, todavia, continua problemático devido à distância das fontes de abastecimento. E sobretudo, eles não tem o problema do crack.
Por isso, não deixa de ser curiosa esta greve dos funcionários do Louvre preocupados com a questão da segurança das pessoas que aos milhares vão visitar as belezas que eles têm para mostrar. Imagina se a moda pega por aqui... Ninguém trabalhava mais.
(Lauro Dieckmann, de volta à mal-administrada Porto Alegre)

Sugestão de livro

Sugere a ele o livro ‘Mendigos – párias ou heróis da cultura?’, de Ezio Flavio Bazzo, escritor que pode falar dos mendigos com propriedade pois foi lá viver entre eles e fotografar suas loucuras e seus modos de vida. Não há muita diferença entre ser mendigo e passar a vida toda guardando dinheiro com medo da vida, para um dia então, ver que não vale nada. Sei muito bem disso pois perdi minha mãe e ela deixou de viver para ‘deixar, acumular’ e no fim, nós filhos nem podemos aproveitar por uma série de motivos que não vem ao caso. no fim das contas, vai ficar para os outros usufruírem, como tu mesmo vivenciou...

http://eziobazzo.blogspot.com.br/2009/10/mendigos-parias-ou-herois-da-cultura.html

um trecho do livro:

Apesar do blábláblá dos Direitos Humanos, do papo furado a respeito da Cidadania, das balelas Humanistas, da verborréia diária dos políticos e das sopas dos animistas, as classes sociais privilegiadas continuam olhando-os do alto de suas coberturas ou por detrás das cercas de suas mansões com um misto de pena, raiva e repugnância. Seguem alienadas e torpes, cada vez mais fúteis, mais gordinhas e mais pelegas, entretendo-se com seus brinquedos eletrônicos e com suas porcas presunções, sempre resmungando do umbral de suas janelas: “Descendez, descendez, lamentables victimes, / Descendez le chemin de l’enfer éternel”.

Ellen Augusta

Mas não ha nada mais burgues hoje em dia do que o PC! Viraram todos burgueses.O cara aquele que fez a classe operária vai ao paraíso, o elio petri, já tinha antecipado nos anos 70o que aconteceria com os PCS da europa.(Olides)



Olha aí, tu que vive fazendo matéria com os comunas, que tal estas fotos? Numa esquina perto do Centro Georges Pompidou, no domingo (07/04/2013), havia um (pequeno) grupo de comunistas fazendo uma manifestação.


O muro da conceição tá pichado de desaforos pro Lasier....começou a campanha. foi só ele vociferar contra os protestos que tá levando pau.

Uma priminha contou no "face" q recebeu convite para uma festa onde todos deviam ir vestidos de uva, para dar um CHOQUE DE CIDADANIA NO LAZIER! Sabias desta? E ótima, ñ é?

SOCIAL

SAIU NA REVISTA DO HERTON RICO.
QUANDO VI,PENSEI: OU É MUITA COINCIDENCIA, OU FOI UMA ' GAFE' MONUMENTAL DA EDIÇÃO DA REVISTA. EXPLICO: A EX-MULHER DE ZANELLA TAMBÉM É BEATRIZ.

ESTA É A ATUAL NAMORADA DO ZANELLA!


CUEI DE LA SAN PIERO

( AQUELES DA SÃO PEDRO)

Pedro, Alenir e Paulo.

Nesta sexta, meus irmãos-Paulo e Alenir - mais um sobrinho, iniciaram um giro pela Europa.

Vão conhecer Paris e Romas.

Paulo e o filho nunca estiveram no ' Velho Continente".

Sei lá o que vão achar!

DIRETO DO TUNEL DO TEMPO

O Cauê Nascimento que cedeu a foto, acha que ela tem uns 25 anos.


Esta foto registra momento histórico em que se encontra parte do grupo dos 70,que representavam as quadras de moradores em reuniões,lutando por melhorias.
Nela estão o atual prefeito Jairo Jorge,o Senador Paulo Paim,o deputado Marco Maia,Antonio Carlos Teixeira Vianna,(que hoje denomina praça do bairro),seu irmão Paulo e outros lideres comunitários.


Vida de repórter

UM ' ESSO'
MARCA A VIDA TODA!

HIPOLITO ERA O ' PRENDA UM'!

Sentei agora a pouco numa mesinha do café do Savoy Hotel e revisei com o Erno Schneider, o fotógrafo que se imortalizou em 20 de abril de 1961, quando fotografou Jânio Quadros, de pés trocados, na Ponte da Amizade, que liga Uruguaiana a Passo de los Libres, todos os apontamentos que fizera com uma longa entrevista que fiz com ele. Erno não gosta muito de falar, não é de muito papo. Prefere a companhia dos amigos, num boteco, tomando uma cachaça ou numa lancheria, como o Tuim ou outra de sua preferência,quando vem a Porto Alegre.

Minha conclusão é de que a foto do Jãnio o marcou a vida toda. E o engraçado é que ele bateu apenas uma chapa ...

E mais uma revelação daquela foto: o Jornal do Brasil, pra quem ele trabalhava, quando fez a foto, nem a publicou em seguida.

- Nem se deram conta. Depois é que viram quando reviraram os negativos que tinha esta foto. Publicada na capa do Jornal do Brasil, deu o prêmio ESSO do ano em 1961.

Erno lembra que naquele ano, o segundo em que o Esso estava valendo,o prêmio tinha muito mais prestígio que hoje em dia:
- Hoje está decadente conta , embora sempre vá aos encontros dos premiados quandoo ESSO é entregue anualmente. - Neste ultimo não pude ir, revela Erno.

Erno começou no Clarim, um jornal do Leonel Brizola.Isto nos anos 50, do século passado.

- Ele era candidato a prefeito.Comecei ali com o Carlos Contursi, o Hamilton Chaves, o Carlos Bastos, o "Florianinho" Soares.

Também conheceu lá Wilde Pacheco( no meio conhecido pelo apelido de Kid Tombadilha por causa do jeito que tinha de caminhar),o chargista Sampaulo. No Clarim, também estava o Josué Guimarães, que no futuro viria a ser escritor também.

O Clarim tinha fechado, mas depois que Brizola foi candidato a governador - governou de 58 a 62 - o jornal voltou a reabrir.Erno que já havia trabalhado na Prefeitura Municipal com Brizola, foi pro Palácio Piratini.Ali não durou muito.Passou pra Ultima Hora, o jornal de Samuel Wainer, sustentado pelo Getúlio Vargas. Também não ficou muito e se mudou pro Rio. Aqui uma coincidência: quando Erno Schneider foi pro Rio, Assis Hoffmann, de quem ele é amigo,entrou pra Ultima Hora. Os dois nunca foram colegas em jornais.São amigos.

UM GAUCHO

NO RIO

Apenas com 24 anos, Erno Schneider,estava no Rio dando duro.Trabalhava em dois jornais dos Diáros Associados. O Diário da Noite e o Jornal.
Um dia, no Diário da Noite, que era um vespertino - saiu depois do meio-dia - teve um lance de sorte. Ele e Fausto Wolff - um repórter gaúcho que já trabalhara no jornal A Hora - foram fazer uma entrevista com o diretor da penitenciária Frei Caneca. Como não era hora ainda, foram tomar um cafezinho num boteco ao lado do presídio.

- Era de manhã. Lá pelas 10 e pouco.Daqui a pouco levanta uma tampa de um bueiro e começam a sair presos. Era uma fuga, relembra Erno.

Deu uma fuga do presídio eu estava lá peguei e fotografei tudo.
Ainda no primeiro clichê do Diário da Noite sairam as fotos da fuga. Aquilo deu um grande destaque ao Erno.

Do Diário da Noite, Erno foi pro Jornal do Brasil, onde conheceu grandes repórteres.

- Fiquei uns anos lá.Foi ali que ganhei o Esso, relembra.

A foto dos ' pés trocados' feita em Uruguaiana foi feita durante uma cobertura corriqueira.

Jânio, que não se sabia se ia pra esquerda ou pra direitra - renunciaria 25 de agosto de 1961 - saiu com os pés trocados.

Erno diz como foi feita a foto que o imortalizou:
- Eu estava acompanhando o presidente em Uruguaiana. O repórter que estava lá se não me engano era o Luís Orlando Carneiro. O Jânio iria se encontrar com o presidente da Argentina, Carlos Frondizi.. O Jãnio ia atravessando a ponte pra se encontrar com o Frondizzi . Eu tava lá acompanhando . Na travessia da ponte, de repente deu um ' estouro' todo mundo se virou pra trás..Na hora falei: o que que houve???!!!! Nesta hora eu fiz a foto. E bati apenas uma chapa.Fiz aquela foto e ficou a marca, interpreta o fotógrafo.

Pergunto a Erno se na hora ele ' sentiu' que tinha feito uma grande foto. Diz que sim:
- Senti sim, mas não pensei que que fosse tão boa.Nesta época os fotógrafos, enviavam ao jornal os negativos.E como já disse antes, eles nem perceberam, na correria do fechamento, a foto dos pés trocados. Foram ver depois o negativo que daria o Esso a Erno e ao JB.

GRANDES NOMES

Erno Schneider, a meu pedido, cita grandes nomes do jornalismo:
- Carlos Contursi era um grande repórter fotográfico.Hamilton Chaves foi um grande jornalista.

Cita ainda os colegas Pedro Flores e Juarez, ambos fotógrafos e irmãos.
E não esquece de citar o Assis Hoffmann,claro.

No Rio de Janeiro, no Jornal do Brasil, trabalhou com grandes repórteres.Fazia o Caderno B, uma seção chamada Onde o Rio é mais Carioca junto com Amauri Monteiro.
- Era uma pagina inteira, diz Erno.

Outro grande repórter do JB que ele recorda é Cesário Marques e também José Gonçalves Fontes, que ganhou o Prêmio Esso no mesmo ano de Erno.José diz, Erno, era muito bom em ganhar concurso de reportagens.

Sérgio Cabral foi outro profissional do Jornal do Brasil que Erno destaca. Com ele estava no Piauí, em 25 de agosto de 1961, quando Jânio renunciou.

- Estávamos lá fazendo umas matérias. Pra voltar depois foi um deus nos acuda. Não tinha meio.

Aos 77 anos, Erno lembra que como fotógrafo do JB, ele conheceu as escolas de samba do Rio, cobrindo o carnaval carioca.
- Sérgio Cabral era ligado ao samba.Ele me levou a conhecer as escolas de samba e cantores (sambistas) famosos da época.

Sem se vangloriar muito, cita Zé Keti, Cartola e Mano Décio, que tem um filho que também é músico de quem Erno é hoje muito amigo.

- Vi aquele guri deste tamanhozinho, conta.

( fala como se estivesse fazendo um retorno no tempo....)

BRIGA FOTOGRAFADA!
Erno Schneider também teve que fazer as fotos do seu colega José Abraham, o Espanhol ( o pai, não o filho) durante um jogo entre Grêmio e Flamengo, apanhando do treinador do time carioca, Aimoré Moreira.

- Primeiro o fotógrafo faz a foto,depois se defende, diz Erno, justificando o fato de Espanhol ter batido fotos de uma confusão entre Aimoré Moreira e o juiz da partida.

Espanhol, o filho, guarda até hoje estás fotos de Erno.

Espanhol, pai,foi preso na hora por causa da confusão, Erno fotografou, mas o fotógrafo da Caldas Jr. ficou pouco tempo no xadrez.
A TERRA DO OURO

Pelo Jornal do Brasil Erno foi fotografar a descoberto do ouro no interior do Pará, onde hoje fica Altamira.

- Lá onde hoje estão construindo a represa que dá bolo com os índios,conta ele.

Junto com o repórter Carlos Pinto e com o colega Nelson Santos, da revista Manchete, eles se embrenharam na floresta, naquilo que segundo Erno foi a reportagem mais trabalhosa de sua vida, pelas dificeis condições que enfrentaram. Ele relata:

- Aquilo era um terror, conta. Foi no Alto Tapajós,Santarém, Itaituba,Aragarças( ele lembra que nesta cidade tentaram fazer um levante contra o presidente Juscelino que não deu em nada...)A gente pegou um barquinho e foi lá pra dentro da selva.. Depois de chegarmos de barco pelo rio nos embrenhamos a pé pela floresta.Lá no garimpo era tudo aventureiro,Era os caras catando ouro com as mãos, eles peneravam o ouro com as mãos. Tinha também gaúchos lá, conta ele.

Pra se defender na selva, eles levaram muitos limões porque a água tinha que ser tomada com limão dentro.Comíamos muita beterraba também.

No primeiro dia a gente dividiu uma lata de sardinhas em três.Um pedacinho de sardinha pra cada um.

Depois na zona do garimpo comemos o que os garimpeiros comiam:veado( uma carne boa mas muito forte), paca e macaco.

- Fiz fotos os caras tirando a pele dos macacos.

Na volta,relembrou ele, quando chegaram em Belém a primeira coisa que quis foi tomar uma cerveja." Estava morrendo de sede" conta.
Alguns dos filmes que fez mandou pro JB, no Rio. Quem os transportava era um aviãozinho ' Catalina" que os deixava em Belém. De lá, os filmes eram mandados pro Rio.
( assim era a imprensa antigamente,quando não havia internet).

- Os garimpeiros eram todos aventureiros,diz Erno.
E completa: eles ' tavam' lá naquela muvuca deles.Pagavam até as prostitutas com pepitas de ouro.
Lhe pergunto: e sexo:
- Ah, conta ele, na cidadezinha que tinha a beira do rio, naquele lugarejo, tinha mulher sim.Tinha no porto. E os garimpeiros pagavam com pepitas de ouro.

Quando chegarem naquele pequeno povoado pra se embrenharam na floresta, o dono do único mercadinho que havia ali, um judeu, lhes disse:
- Vocês não vão entrar aí sem um ' trabuco' cada um.
- Mas não temos dinheiro,alegaram os repórteres

"PIUM"

Um dos fatos que mais incomodaram os repórteres foi o mosquito chamado de Pium.

Não era fácil pra eles se livrarem do mosquito que os atacava a noite toda.

- Era um tormento, diz Erno.A gente dormia na rede com umas toalhas de plástico pra se defender os mosquitos. Sem isto não dava pra dormir.
Segundo Erno, a Manchete fez até uma matéria chamada de " Na terra do Pium".

- Não importa, eu empresto um revólver pra cada um. Depois vocês devolvem

E se fugirmos,alegaram os repórteres.

- Não tem como fugir. Vocês tem que voltar pelo rio mesmo,alegou o comerciante.

De fato, na volta eles entregaram ao comerciante os três revólveres.

Pium

O que incomodou mesmo foi o mosquito Pium, que não deixava dormir.

Erno relembra:

- A gente dormia na rede e se enrolava numa toalha plástica .

- Comprei umas toalhas plásticas e o pium não conseguia furar.

Foi a reportagem mais trabalhosa que fiz em toda minha vida, conta Erno. E não rendeu prêmio, mas o Jornal do Brasil deu grande destaque." Deu uma repercussão do caramba" relembra Erno. Deu duas páginas gráficas.

Erno, no entanto, não esquece o trabalho que foi fazer aquelas matérias.
Sobre o fato desta matéria também ter acontecido no ano de 1961, Erno sintetiza:
- Naquele ano aconteceu tudo!

Sobre o Jornal do Brasil diz ter sido o melhor jornal do Rio:
- Em 1961 era um privilégio você trabalhar no JB. Conseguir trabalhar lá era dificil. Realmente era o melhor jornal que tinha no Rio.

Do JB, Erno foi pro Correio da Manha, que segundo ele, foi a ditadura ' que matou".

E recorda como era a repressão:

- O DOPS( polícia politica) corria pra prender os caras que trabalhavam no Correio da Manhã. Como eles tinham uma "passagem" pra Tribuna da Imprensa, corriam pra lá. E lá se escondiam. Quando acontecia o inverso, então os caras da Tribuna da Imprensa corriam pra se esconder dentro do Correio da Manhã.Os prédios onde funcionavam as duas redações eram contiguos.

- Mas o Correio da Manhã era o mais visado pelo DOPS, relembra Erno,que conheceu muito bem a proprietária, Niomar Moniz Sodré,que acabou respondendo um IPM( Inquerito Policial Militar).

Quando estava no Correio da Manhã, Erno tentou ir pro Globo, mas a dona o desestimulou:
- Eu era amigo da Niomar,diz ele.

Mas um dia ela foi na casa do fotógrafo e o aconselhou a ir pro Globo, pra onde ele acabou se mudando e ficando 18 anos.
No Globo, Erno levou pra lá o fotógrafo Hipólito Pereira, de quem acompanhava o trabalho que fazia na revista Placas.
- Ele tava trabalhando na revista Placar.
Eu acompanhava o trabalho dele.Ele estava na Bahia. Fui atrás dele, mas ele estava em Minas.
Convidei pra ir pro Globo e ele topou.

Erno conta que surgiu uma brincadeira dentro de O Globo.

- Vamos trazer a prenda aí.

Então Hipólito Pereira acabou sendo a ' prenda um". Depois foi pra lá o José Doval, que acabou sendo a ' prenda dois" - ele foi indicado por Valdomiro Soares -e o terceiro gaúcho, que virou a ' prenda três" foi Fernando Gomes, que depois regressou ao Sul.
Hipólito está aposentado e vive em Gramado.José Doval mora em Porto Alegre e Fernando Gomes voltou a trabalhar em ZH, de onde ele tinha saído pra ir pro Globo.
Os três saíram do jornal depois que Erno deixou a chefia de fotografia de O Globo.

Erno também trabalhou para a Cia Vale do Rio Doce.
Por fim, uma historinha engraçada:Erno guarda dentro de si uma desconfiança:que Jânio não gostava da foto que ele fez dos pés trocados.

- Acho que ele não gostava da foto.O JB fez uma exposição de fotos e colocou no aeroporto Santos Dumont. Aquela foto do Jânio sempre sumia. Tanto que eles deixaram várias copias prontas pra colocar assim que roubavam. Eu acho que
era o Jânio que mandava tirar.

Erno lembra que ele participu de cinco copas do Mundo como fotógrafo. em 66 na Inglaterra, em 70, no México, em 74 na Alemanha( lá conviveu com Assis Hoffmann e Olívio Lamas da Caldas Jr.)em 78 na Argentina e em 82 na Espanha.

- Eu acho que na Espanha eles achavam que já tinham ganho a Copa. Por isto perderam pra Itália, diz ele.
Falando mais carioca que gaúcho, ele se desculpa: também moro lá há 53 anos diz.Viúvo, Erno mora em Copacabana, perto do famoso hotel.

- Da cobertura onde eu morava, dava pra ver os artistas na piscina do hotel. Vi lá até a Madona.
Agora vendeu esta cobertura e está no mesmo prédio, mais embaixo.

Ele não vai à praia. Só caminha no calçadão de Copacabana e toma trago com os amigos na barraquinha da praia.

Bem rotina carioca!de quem vive lá 53 anos!


Também uso minha câmara fotográfica, olha no meu blog

http://rekern.blogspot.com.br/

o flagrante que peguei.


coleguinhas

Bah, Lauro mostrei o que tu meteu pau no BOCA DE RUA aqui pra salinha. Ficou todo mundo horrorrizado com teu comentário. Parece coisa do Goebells.... Pô o BOCA DE RUA, feito com muito esforço pela Rosina e pela amiga dela, aquela, feito por uma oNG tu dizer que tem ouro de Moscou, digo de Berlin. SÓ PORQUE A DONA IONE MANDA ELAS IMPRIMIREM NA ZH DE GRAÇA PRA AJUDA-LAS???

pO lAURO, DEIXA ELAS FAZEREM O JORNALZINHO DELAS.SAUDAÇÕES.


Da memória de um repórter


BM PROCESSA

FLÁVIO ALCARAZ!

No Correinho de 2.7.1996, Flávio Alcaraz Gomes voltou a tocar no assunto do processo que a BM lhe movia.

No meu encontro que tive na semana passada com o promotor Altamir Arroque falamos sobre tantos temas e toquei no assunto do processo que ele como Coordenador das Promotorias Criminais encaminhou a Justiça por solicitação da Brigada Militar.
Que fim este processo teve, Altamir não ficou sabendo.

Um dia falando deste assunto com o Flávio, no barzinho da ARI, ele ficou furioso comigo porque achou que eu tinha ficado ' contra ' ele.

- Tu sabes o que é a cadeia,esbravejou furioso.

Como ele diz no artigo que ora reproduzo os brigadianos estavam pedindo um ano de cadeia pra ele.

REUNIÃO COMITÊ POPULAR MEMÓRIA,VERDADE E JUSTIÇA


Convidamos para a Reunião do Comitê Popular Memória, Verdade e Justiça, dia 15 de Abril, às 19h, na Sala Professor Sarmento Leite, no 3º andar da Assembleia Legislativa do RS.
Na ocasião daremos continuidade ao debate de propostas para serem apresentadas no encontro nacional dos comitês da verdade, em São Paulo.
Aguardamos a presença de todas (os)
Um abraço
Vânia

AS ' SOBERANAS' DE SERAFA!

Serafina Corrêa escolherá suas Soberanas 2013

Na noite de sábado, 18 de Maio, acontecerá, em Serafina Corrêa a
escolha das Soberanas do município. O evento, organizado pela
Prefeitura Municipal, contará com o apoio de empresas locais e
entidades, num momento único de valorizar a cultura e a beleza da
mulher serafinense.
O baile de escolha da Rainha e Princesas do município de Serafina
Corrêa acontecerá no Ginásio Municipal Irceu Antônio Gasparin, um
momento de alegria, onde toda a comunidade serafinense está convidada
a participar, a entrada é gratuita. As Soberanas representarão o
município em todo o Estado, divulgando a simpatia, a cultura, a
alegria e o jeito de ser da comunidade serafinense.
A escolha da Rainha do Município acontece desde 1985. As Soberanas,
muito mais do que beleza, são a representação da graça, simpatia e
cultura dos serafinenses. As candidatas ao título de Rainha do
Município 2013 serão indicadas por Clubes Sociais, Esportivos,
Culturais, Empresas, Instituições de Ensino, além de qualquer
instituição ou órgão que possua representação constituída. Os quesitos
de avaliação serão beleza, comunicação, simpatia, cultura,
conhecimentos gerais, pontos turísticos e histórico do município de
Serafina Corrêa.
No ano de 2009, foram escolhidas as Soberanas do Cinquentenário, onde
foram eleitas Jennyfer Ravini Zanluchi Scheffer, Rainha, e as
Princesas Débora Piazza Ziliotto e Denise Maria Pacassa. No dia 18 de
Maio serão elas que passarão o título às novas representantes do
município.
As Soberanas que representaram Serafina Corrêa, desde 1985, são as seguintes:

Ano
Rainha
Princesas
1985
Maria Amélia Arroque
Inelda Enderle
Marina Cervieri
1990
Alessandra Tapparo
Carina Deitos
Loiva Teresinha Valar
1995
Rafaela Franceschetto
Fernanda Zamprogna
Lisiane Maccari
2000
Ester Piazza Santin
Andréia Tebaldi
Júlia Casteli de Sordi
2004
Simone Defendi
Luíza Magon
Suelen Alban
2010
Jennyfer R. Zanluchi Scheffer
Débora Piazza Ziliotto
Denise Maria Pacassa


Curso de Aprendizagem no Comércio

O Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, SENAC, proporciona
educação profissional de qualidade para que milhares de pessoas possam
planejar seus estudos e ter mais oportunidade de trabalho e emprego.
Em Serafina Corrêa, o SENAC vem atuando desde 2009, beneficiando
centenas de jovens e adultos, representando uma grande oportunidade de
qualificação profissional.
Neste ano, cerca de dezesseis jovens serafinenses estão participando
do Curso de Aprendizagem no Comércio, promovido pela Prefeitura
Municipal de Serafina Corrêa, em parceria com o SENAC. O curso iniciou
no dia 18 de Fevereiro 2013 e tem previsão de conclusão em 15 de
Julho. Os alunos estão tendo aulas teóricas, sendo que na segunda
parte do Curso, irão estagiar nas empresas até o final de Dezembro,
quando colocarão em prática os conhecimentos obtidos. Com duração de
800 horas, o Curso de Aprendizagem no Comércio representa qualificação
profissional, além de oportunidade de trabalho e emprego.
Ainda em parceria com o SENAC, a Prefeitura Municipal de Serafina
Corrêa está promovendo o Curso de Recepcionista, do Pronatec, o qual
está sendo realizado no Centro de Referência de Assistência Social,
com 26 alunos, totalizando 180 horas.

 

Vacinação contra a gripe começa segunda-feira

Começa na segunda-feira, 15, a 15ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe (Influenza), que este ano tem como meta a imunização de pelo menos 80% da população de maior risco até 26 de abril. Fazem parte desse grupo as crianças de seis meses a menores de 2 anos, pessoas com 60 anos ou mais, gestantes e mulheres que tenham dado à luz há até 45 dias, portadores de doenças crônicas e trabalhadores em saúde. Para essa população prioritária, a vacina é gratuita e poderá ser feita em todas as unidades públicas de saúde. Em Porto Alegre, estão à disposição 55 Unidades Básicas de Saúde (UBS), que funcionam de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h, e 88 Unidades de Estratégia de Saúde da Família (USF), com atendimento das 8h às 12h e das 13h às 17h (confira aqui a listagem completa). O lançamento oficial da campanha será feito às 9h de segunda-feira, 15, na USF Fradique Vizeu (avenida Frederico Mentz, 374, bairro Humaitá/Navegantes).

Em 20 de abril, será realizado o Dia de Mobilização Nacional, com o slogan “Quem lembra da vacina se protege da gripe”. O objetivo da campanha é reduzir ao máximo a mortalidade e as complicações causadas pelo vírus da gripe, que levam pacientes a internações hospitalares. Estudos realizados nos últimos anos comprovam que a vacinação diminui em 32% a 45% as internações por pneumonias e em 39% a 75% o índice de mortes entre a população em geral. Analisando apenas a população de idosos, as pesquisas demonstram que a possibilidade de pneumonia cai em 60% com a vacina; o risco de hospitalização em decorrência de complicações da gripe, em 50%; e de morte, em 68%.

A vacinação não é recomendada somente para pessoas que tenham manifestado reação alérgica em aplicação anterior ou que sejam alérgicas a ovo de galinha ou derivados. Mesmo assim, aquelas que apresentam apenas urticária depois de consumir ovos ou alimentos que contenham o produto podem receber a vacina. Neste caso, devem informar a equipe da unidade de saúde sobre essa questão. Quem estiver com febre (mesmo sendo baixa) deve esperar o desaparecimento do sintoma para se vacinar.

Prevenção - A gripe é uma doença respiratória infecciosa, causada por vírus, que pode gerar complicações graves e até levar a óbito se não for tratada a tempo e adequadamente. O contágio é transmitido por secreções das vias respiratórias. Além de ser transportado pelo ar, quando a pessoa infectada fala, tosse ou espirra, o vírus pode também se instalar nas superfícies dos ambientes. Portanto, para se prevenir, é importante lavar ou higienizar as mãos com álcool gel frequentemente e evitar o contato das mãos com a boca, os olhos e o nariz, principalmente em locais de grande circulação de pessoas. Outra recomendação é usar sempre um lenço ao espirrar ou tossir.

Os sintomas da gripe são semelhantes aos do resfriado. Por isso, o melhor é buscar orientação médica quando aparecem juntos dor de cabeça, congestão nasal, tosse, dores pelo corpo, mal-estar, rouquidão e febre variável. A maioria das pessoas diagnosticadas com gripe e tratadas com medicação antiviral logo que surgem os sintomas se recupera dentro de uma a duas semanas. Mas a forma mais eficaz de combate continua sendo a prevenção por meio da vacina. As campanhas nacionais de imunização, promovidas desde 1999 entre abril e maio, vem cumprindo papel relevante ao longo dos anos para puxar para baixo os impactos da gripe na saúde pública. Os resultados se revelam na queda do número de internações hospitalares, dos gastos com remédios para tratamento de doenças infecciosas de origem gripal e do índice de mortes evitáveis.

FAG _ Flávio Alcaraz Gomes

Quando cumprir a lei dá confusão

1 - Lembro que li, na época da publicação, aquele artigo do FAG. Achei que o que houve foi uma prepotência DO JORNALISTA, não dos brigadianos. Explico: pela legislação de então, o procedimento que os soldados deviam adotar era este mesmo. O motorista flagrado com carteira vencida era conduzido ao Plantão da Polícia, onde era registrada a ocorrência e a carteira vencida ficava retida. Após, a pessoa era liberada. O carro ficava estacionado no local da ocorrência e devia ser retirado por uma pessoa que tivesse a habilitação em ordem.
Aconteceu a mesma coisa comigo. Eu ia com o meu filho, num fim de tarde, buscar a Rosa no trabalho, no Centro. Na altura daquele colégio que tem em frente ao estádio dos colorados, passei o sinal vermelho. Lá adiante, na esquina, onde tem um posto de gasolina, tinha um brigadiano. Me parou, por causa da infração (cruzar a faixa de segurança com o sinal vermelho), pediu os documentos e constatou que eu estava com a habilitação vencida. Nos fez descer do carro, eu e o meu filho, que devia ter uns seis ou sete anos na época (eu morava na Dr. Barcelos, na Tristeza), e nos levou os dois na viatura da Brigada até o plantão da Polícia.
Claro que não gostei de nada disso, pelo contratempo, mas também não fiz nenhum escândalo. Não fui maltradato, não fui ofendido, não fui agredido, não desrespeitaram nenhum dos meus direitos. Não me trataram como "criminoso", não houve truculência, apenas cumpriram a lei.
Tive de pegar um táxi para buscar a Rosa e deixar ela e o filho em casa. Depois, fui trabalhar normalmente à noite no JC. Quando saí do jornal, o Laerte Lopes me deu uma carona, no carro dele, até o local onde havia deixado o meu. Não tinha vivalma por perto, peguei o meu carro e fui dirigindo com ele até em casa. No outro dia tratei de renovar a carteira de motorista. O mundo pode ser tão simples...



3 - As últimas fotos até que saíram na posição correta, mas, publicar as duas do gato, como eu pedi, era querer demais, claro. Só saiu uma, a em que ele está de lado. A em que ele estava de frente foi para o espaço. PQP!

 

Roteiro do findi...

Não tenho nada de especial, mas uma amiga me disse que tem um filme do Flávio Tavares sobre os 21 anos...Não tenho o titulo do livro, mas ela diz que passa no Iguatemi, as 20 horas.

Então é isto. Supunho que deve ser sobre a ditadura militar.

Roteiro do Findi

CONVITE


Querido(a) Amigo(a)!
Para contribuir com o projeto VOCÊ SABE DE ONDE EU VENHO?, que levará 10 alunos do Morro da Cruz a Itália nos lugares que eles dissertaram em pesquisa histórica sobre a participação da FEB na 2ª Guerra Mundial, o GALPÃO DO NATIVISMO 30 ANOS, será realizado em forma de talk-show no Teatro do CIEE, Av. Dom Pedro II, 861, neste domingo dia 14 de abril, ás 18 horas, em Porto Alegre.
Assim te convido, mais os teus, para que some nessa campanha, pegue o mate e venha se divertir curtindo esse show de prosa, poesia e música, destinado aos gurizes do Morro da Cruz, ingresso na Churrascaria Galpão Crioulo a R$ 25,00 e no local.
Forte Abraço!
Dorotéo Fagundes

Memórias de um repórter

A ' VIRULÊNCIA

DO FLÁVIO"!



No meu encontro de quarta passada - no Ministério Público - com o promotor Altamir Francisco Arroque recordamos o processo que o comando da Brigada Militar moveu contra o Flávio Alcaraz Gomes.

- Aquilo me doeu o coração, me disse Altamir, que é fã do Flávio desde os tempos de guri de Serafina Corrêa.

Na época que a Brigada Militar acionou o Ministério Público para processar Flávio pelo artigo ' abuso de autoridade"- publicado no Correinho - Altamir era Coordenador das Promotorias Criminais.

Numa outra coluna publicada no dia 2 de julho de 1996, Flávio conta que ' praças do 1 BPM estão me processando pela atual Lei de Imprensa, que ainda é branda"

Flávio diz que os policiais pedem sua ' condenação a um ano de cadeia".

O motivo: ' ter eu narrado aqui no CP que três detiveram, botaram numa viatura e levaram para a Delegacia de Polícia uma jornalista".

Os fatos que provocaram a coluna " Abuso de Autoridade" escrita por Flávio foram os seguintes conforme narra Altamir Arroque em 22 de maio de 1996.

No dia 18 de setembro de 1995, de tarde, na Av. Azenha a jornalista Laura Alcaraz Gomes Santana foi abordada pelo brigadiano Egídio Ricardo Lopes por estar dirigindo e ao mesmo tempo, falando ao celular. Na verificação, no ato seguinte, o policial militar constatou que a motorista estava com o documento de habilitação vencido, motivo porque , em atenção ao que dispõe o Código Nacional de Trânsito acionou dois outros PMS, o soldado Edson Rodrigues Barbosa e o sargento Giovani Vieira para a condução daquela a Delegacia de Polícia com atribuição para o caso. Feita a apresentação , ajornalista foi liberada pelo comissário Claúdio S. Costa , uma vez realizadas as diligencias pertinentes ao caso.

( ao que o promotor Altamir Arroque me contou, a jornalista foi posta num ' camburão' da BM, o que deixou seu pai muito indignado).


O Ministério Público , no caso o promotor Altamir Arroque, considerou que o artigo ABUSO DE AUTORIDADE publicou manifestações inuriosas,difamatórias, e caluniosas contra os brigadianos que participaram da diligência.

ARI PROTESTA

Numa pequena newsletter que o presidente da ARI- Associação Brasileira de Imprensa - Antoninho Gonzalez fazia junto da colega Beatriz Dornelles, o processo movido pela Brigada Militar contra Flávio foi considerado uma ' iniciativa drástica do Ministério Público". A ARI emprestou solidariedade a Flávio e considerou que a atitude do MP em processar Flávio se constituiu em ' mais um atentado intimidatório à livre manifestação de expressão"

AS IRMÃS DE JANGO


As irmãs de Jango numa fazenda do Uruguai

No dia 7 de abril último completaram-se 20 anos da morte da mulher de Brizola, dona Neusa Goulart Brizola.

Nesta foto, ela está junto com as irmãs numa fazenda do Uruguai.

Da direita pra esquerda Dona Yollanda Goulart, Scyla Goulart do Valle, Celeste Penalvo, Neusa Goulart Brizola,Maria Goulart Dornelles e Elfrides Goulart Macedo.

ERNO VAI EMBORA

SEM COMER O CHURRA PROMETIDO


Erno é o de boné na lancheria da Riachuelo.


O fotografo Erno Schneider que está há um mês no Sul vai voltar pro Rio, onde vive.

Nesta segunda. Hoje ao meio dia ele almoçou numa pequena lancheria que tem na Riachuelo, na frente da Casa do Estudante.

Um coleguinha que havia prometido um churra ficou só na promessa. Fica pra próxima.

Erno já tinha engordado muito em Feliz, onde esteve visitando um sobrinho.

Ele é o fotógrafo que fez a foto de Janio em 1961 com as pernas tortas e ganhou o Prêmio Esso pro JB.

AS ' marcas' do protesto


Nas paredes do prédio da prefeitura municipal o retrato do protesto contra o aumento das passagens. Quando se passa por uma cidade, as paredes ' falam'.

Elas tem vida!


Já se foram 100 dias...

Em meados de janeiro disse que todos deveriam dar 100 dias para que o governo Fortunati-Melo mostrasse a sua cara, mesmo sendo um governo de certa continuidade. É sempre assim, no início sobram expectativas e esperanças, queiram os partidos que fazem oposição ou não. Passado este prazo, cabe a nós cobrar ações reais do governo. A gestão Fortunati-Melo perdeu preciosos momentos para se aprumar e se firmar diante do povo que os elegeu com mais de 65% dos votos.

Primeiro foi o episódio envolvendo o corte de dezenas de árvores na avenida presidente João Goulart, em frente à Usina do Gasômetro. A medida provocou indignação e atos de mobilização entre moradores. Segundo a prefeitura, a retirada seria necessária para viabilizar uma das obras da Copa de 2014, da duplicação da avenida Edvaldo Pereira Paiva. Se havia premência, necessidade imperiosa, não teria sido o caso de antes comunicar, de chamar a população e explicar? Talvez o plantio de outras em maior número, em locais adequados, pudesse convencer nossos moradores sempre ciosos com nosso verde. A expectativa começou a ser tisnada.

Quando nosso Tribunal de Contas disse que a passagem não deveria passar dos R$ 2,60, a prefeitura afoitamente fez aprovar o aumento pedido pelo setor, passando dos caros R$ 2,85 para o caríssimo R$ 3,05. Diante da pressão, o governo deveria ter sido sensível e chamado todos ao diálogo. Chamou apenas os seus, dando margem para mais desconfiança, para mais ira.

Veio a Justiça e mandou voltar aos R$ 2,85 e o governo disse que não iria recorrer. Então, por que motivos tiveram a pressa de aumentar? Onde ficou a tal certeza de dias anteriores? Outra vacilação. Nova frustração. Expectativas diminuídas.

Promessa de um novo Código de Posturas e de obras em ritmo acelerado e dentro dos prazos são outras obrigações. Como estão? Hora de verificar tudo, par e passo.

Também não tem mais desculpa a demora em propor um novo Mobiliário Urbano, pois a gestão anterior disse que em abril de 2012 teria a solução.

Já as tão propaladas promessas de soluções na saúde básica indicam que ficaram apenas na teoria, pois - mesmo não sendo mais vereador - todos os dias pedem socorro para mim.

Em se tratando de lixo, os contêineres se mostraram sinônimo de atraso e confusão por não disponibilizarem dois tipos de contêineres para separar o lixo orgânico do reciclável. Isto num período em que todos os municípios precisam dar solução aos resíduos, por exigência de Lei.
Déficit? Sim, as finanças vão mal. O software milionário não está funcionando.

Agora, depois de 100 dias, cabe-nos, como dissemos, fazer as cobranças todos os dias.

É o que faremos.

Por Adeli Sell
Presidente do PT-POA

Burocracia!

O meu colega Vicente Romano está tomando um banho de burocracia na chefia da imprensa da ALRS. Fiz fotos da mesa dele atulhada de papéis.



O HOMEM QUE PEITOU

BRENO CALDAS!

José Nelson Gonzalez , aos 86 anos, recorda os tempos da Tribuna Gaúcha.
Memória de um repórter

Em 24 de março, dia de domingo de Ramos, José Nelson Gonzalez, que está com 86 anos, relembrou como foi que foi pedir peças emprestadas pro jornal dos comunistas, a Tribuna Gaúcha Ele acha que o fato ocorreu lá por 1947/48.

" Cheguei no Correio do Povo e pedi pra falar com o diretor, o dr. Breno, como se dizia.Ele esclarece Breno ' era uma personalidade muito importante e que chegar até ele no Correio do Povo não era assim tão fácil.

Mas ele ficou sabendo que Breno estava tomando seu cafezinho, num bar que havia onde hoje é o prédio da CEF, na esquina da Rua da Praia, com Caldas.

Nelson chegou e se apresentou como diretor da Tribuna Gaúcha e que tinha ido a Breno porque precisava de algumas peças de composição. A falta se devia ao fato de um ' agente policial' ter quebrado(praticado sabotagem)e a Tribuna Gaúcha precisava das peças pra recompor e fazer a máquina funcionar.

- O Dr. Breno me recebeu muito bem e me disse que não poderia dispor das peças que ele tinha porque estavam programadas
Disse ainda que lamentava o fato de não poder nos ceder porque as tinha como reserva. E aí encerrou a conversa.

RECUPERAÇÃO

Os próprios funcionários da Tribuna Gaúcha fizeram a recomposição da peça que fora danificada por um elemento policial infiltrado.
- A recomposição foi feita por companheiros que tinham o ofício de mecânico.

Algumas das peças que faltavam o próprio Nelson foi a Buenos Aires buscar.

Quem danificou a máquina da Tribuna Gaúcha foi um funcionário que trabalhava na distribuição do jornal. É que no fim de semana sempre ficava uma pessoa de plantão nas oficinas da Tribuna Gaúcha.

O fato aconteceu num sábado para um domingo. Havia o costume de montar plantão nas oficinas pra dar segurança às oficinas impressoras da Tribuna Gaúcha.

- Ele quebrou a máquina com uma mareta danificou a máquina e sumiu . Nunca mais se ouviu,diz Nelson, falar dele.

Não sei que fim a Polícia deu nele, diz Nelson.

A Tribuna Gaúcha era um jornal do Partido Comunista Brasileiro. Não tinha o caráter de jornal oficial do chamado "Partidão". O jornal oficial dos comunistas era a Voz Operária que tinha uma circulação nacional.

DISTRIBUIÇÃO

Os pacotes do jornal Tribuna Gaúcha eram distribuídos de uma forma original. Geralmente os cobradores de bonde que eram simpatizantes dos comunistas é que os distribuiam ao longo das linhas dos bondes.
- os cobradores largavam os pacotes ao longo das linhas, nas bancas .
Um tempo depois passava um funcionário da Tribuna Gaúcha recolhendo o ' encalhe' - sobras - o dinheiro dos que tinham sido comercializados.

Esclareça-se que a TG tirava em torno de mil exemplares diariamente.

CUANDO SE MANHEA

XORASCO DE SPEI

( QUANDO SE COMIA CHURRASCO DE ESPETO)

da esq p/dir. Dr. Luiz Giocobbo, presidente do Banco Expansão Economica, Armando de Negri, gerente da agência de S.Corrêa, e a esposa Thereza Maria de Negri com o filho Armando Antônio no colo da mãe.

Em frente: o menino deve ser Roberto Arroque, ao lado o padre Francisco Lolatto, que era o pároco local. Data dez de 1963.


Estive na quarta com o promotor Altamir Arroque, colega de Ginásio Rosário. Conversamos sobre muita coisa, como sempre acontece quando a gente reencontra uma pessoa depois de tantos anos.

Me senti como o Glauber Rocha quando foi ao Palácio do Planalto e foi recebido na porta do elevador pelo ministro Golbery do Couto e Silva. Esfarrapado, Glauber ficou duas horas com Golbery, o bruxo do regime militar. Na saída foi levado até o elevador pelo ministro.

Entre as reminiscências que tive com o dr. Altamir Arroque, uma local. Foi ele que como Coordenador das Promotorias Criminais teve que apresentar uma denúncia movida pela Brigada Militar contra Flávio Alcaraz Gomes.

Desta foto que publico, lembro do padre- os demais à exceção de Roberto Arroque, se é que é ele mesmo na foto - não conheci. Eu morava na roça e pouco frequentava a cidade, que os colonos chamavam de 'paese'.

O padre saiu de lá e está em Rondinha há muitos anos. O visitei com o a companhia do Mauro Rocha, alguns anos atrás.

Coleguinhas

LEMBRANÇAS....

Neste 13 de abril - sábado - completam-se 21 anos das 48 demissões de ZH. Houveram outras depois, mas aquela segunda marcou a vida de muitos dos demitidos. A minha marcou...Vi cenas de ' covardia' naquela tarde que levou muito tempo pra esquecer...mas a vida sempre ensina e dá voltas por cima.

*Naquela segunda de noite - 13.4.1992 - Danilo Ucha achou que tinha se safado...Não...é que a sua demissão seria comunicada pelo próprio Augusto Nunes....o novo czar da ZH naqueles anos.

*Um dia alguém competente vai contar o que foram aqueles fatos. Ou a versão dos mesmos.

 

Coleguinhas

*O JC de hoje, dia 10.4 faz a correção da foto do Assis no asilo: é de minha autoria, com a máquina do espanhol. O K agradeço ao editor chefe a quem me reportei.Como diz o ditado, amigos amigos, negócios à parte. E se o Espanha achou uma ' merda' a foto como ele mesmo disse, porque a mandou pra página nobre do JC?

*Sensacional a entrada do André Haar hoje de manhã no Mendelski. Nem parecia que fosse um double. Perfeito. Quem não sabe achou que era o Olívio mesmo. não sei porque o Haar não ganha grana com o personagem. Aliás o MAGRO DO BONFA foi criação do louco do FROES - UM CONTATO COMERCIAL DA ZH, HOJE APOSENTADO - que o André Damasceno plagiou.


Coleguinhas

Lauro Dieckmann chegou agora a pouco de Paris.

Vamos ver onde será seu próximo roteiro. Ele tem um fone fixo, que não divulga.

Para quem é ligado em informática

Esta é uma das famosas escadas de vidro boladas pelo falecido Steve Jobs para as lojas da Apple. A da foto é da loja no "Carroussel do Louvre", um enorme centro de compras q fica no subsolo do Museu. (Vê se publica a foto na posição correta!)

Esquívocos modernosos

Ñ é só em Porto Alegre q artistas (na minha opinião equivocados) entulham a cidade com obras de mau gosto. Em Paris, a capital do bom gosto, se encontra equívocos como este da foto, obra de um artista modernoso para uma das a bocas ("bouches") da estação Louvre-Palais Royal do metrô. Q coisa cafona! (Vê se publica a foto na posição correta, para o leitor do teu saite ñ precisar torcer o pescoço para olhar).


Gatinho do restaurante

Se der para publicar estas duas fotos do gatinho do restaurante na posição correta é uma boa. Há 4 anos que encontro, pelo menos uma vez por ano, este gatinho q vive num restaurante das proximidades da Comedie Française, onde espanta os ratos. Está cada vez mais gordo. Sempre foi arisco, mas, desta vez peguei ele de jeito, sentado numa poltrona.


Pombas da Champs Elysées

Vê se bota esta foto também na posição correta. É de um bando de pombas q se jogou sobre os restos de um lanche q alguém deixou sobre a mesa, antes do farçom vir limpar. Deu até briga entre as pombas. A briga aparece num filminho q eu fiz (mas teu saite ñ publica filmes, ñ é?).

Arco-íris em Paris

Vê se bota esta na posição correta. É de um arco-íris no entardecer de terça-feira, nas proximidades dos Invalides.

Velha Infância

O primeiro contato com o mundo escolar é, sem dúvida, uma das fases
mais importantes do ser humano. O termo Jardim de Infância, hoje ainda
mencionado em muitas escolas, possui um significado muito expressivo.
Jardim nos lembra flores, alegria, leveza, delicadeza e inocência que,
combinado com infância, nos mostra que a iniciação escolar é a porta
para um mundo novo, cheio de novas descobertas e aprendizados, sem
deixar se quer um instante de ser criança.
A fotografia, pertencente ao Arquivo Histórico Municipal, descreve
nitidamente o sentido do Jardim de Infância. É possível observar a
disciplina representada pela irmã professora e pelo quadro-negro e a
infância através dos brinquedos em meio às classes em forma de ciranda.
Esta turma é o Jardim de Infância do ano de 1954 do Colégio Rosário.
Nessa época as aulas das turmas do jardim eram realizadas no antigo
Salão Paroquial, um casarão de madeira com características típicas
italianas, que anos mais tarde foi substituído pelo atual Salão Paulo
VI.
Não importa o quanto o tempo passe e o mundo evolua, o conhecimento
será sempre o primeiro passo rumo à novos horizontes.


Fonte: Arquivo Histórico Municipal de Serafina Corrêa


Quando o barzinho da ari ainda funcionava

o bar-social,assim então chamado, tornou-se nos áureos tempos conhecido pelo funcionamento aos sábados, como local de encontro de jornalistas e gente ' dita importante' . Dom Vicente Scherer cortou a fita simbólica e o então reitor da URGS Eliseu Paglioli inaugurou o refrigerador. nesta foto estão,entre outros. Remi Gorga, Ruy Rodrigo Azambuja e Revoredo Ribeiro. E o ' eterno' presidente, Alberto André.E o Antônio Carlos Porto também está na foto

O GOLPE DE 64

pOUCOS MESES APÓS

A ' REVOLUÇÃO DE 64' chefa a ARI esta solicitação. Ela diz tudo!


SAIBA QUEM É O JUIZ QUE DERRUBOU A PASSAGEM!


Colorado desde sempre!

O juiz Hilbert Obara da 5 Vara da Fazenda Pública da Comarca de Porto Alegre que deu liminar rebaixando o valor da passagem é colorado(torcedor do Inter de porto Alegre) desde sempre.

- Já torcia pelo colorado no Paraná, diz ele, sentado tranquilamente em sua sala 696 do 6 andar do Foro Central de Porto Alegre.

Aos 42 anos de idade, Hilbert se queixa de pouco tempo pra praticar judô, um dos seus esportes favoritos.O outro é volei de praia, que ele pratica quando vai, no verão a Xangri-lá(RS).

Nascido em Paranavaí, no estado do Paraná, ele pouco volta ao Estado. Uma vez por mês pra visitar os pais, que ainda são vivos.Anda muito ocupado com sua profissão de juiz e com as aulas na Uniritter.

- Estou sem tempo para esportes, confessa ele.

Pai de Iasmin,13 anos, Isabela, 1 ano e 10 meses e Leonardo, 3 anos, Hilbert é separado.

Um dos motivos que o levam ao paraná é que um dos seus três filhos - ele não disse qual - vive no Estado onde nasceu.

Hilbert se formou na Universidade Estadual de Londrina. Ele não lembra mais se em 1994 ou 95." Não lembro mais' confessa.

A história de como veio dar com os costados no RS é simples. Simples como ter um colega que se tornou amigo dentro da Faculdade.

Hilbert era colega do hoje delegado de Polícia Ubirajara Daniel Jr, de Passo Fundo.(hoje está em Santa Rosa).
- Nós dois éramos estudantes e como ele era gaúcho me convidou pra fazer concurso aqui. Passei e fiquei por aqui, relata.


' INTERIROZÃO'

A primeira comarca que o juiz enfrentou foi em São José do Ouro .
- Lá era Vara única, conta ele.

E lembra:

- Havia muita disputa política, como local pequeno que é.

Ficou lá um ano e recorda de um jovem delinquente que ele teve que mandar internar, embora em princípio não fosse sua intenção.
- Ele cometia pequenos delitos.


- As eleições é que eram muito disputadas, recorda o juiz.


CRUZ ALTA

Depois de São José do Ouro Preto( ele nunca ouviu falar do bandido Dilonei Melara, famoso no Estado e que depois de executado foi enterrado na terra natal) Hilbert foi designado pra comarca de Cruz Alta, um municipio maior, onde até faculdade havia.

Lá ficou 5 anos e não recorda de nenhum caso especial. Atuou na 1 Vara Civel de Cruz Alta.

Em Cruz Alta teve que atuar em ações civeis públicas que apuravam ilegalidades ' quentes', bem complexas que levavam as audiências ' até bem tarde da noite'.

Lembra de um caso em que teve que acionar o Estado pra que pagasse o remédio importado para um menino que precisava.

Outra questão que enfrentou lá, recorda, foi ' de um shopping' mas não dá detalhes do que ocorreu.

Entre a primeira cidade e esta, não achou nada de diferente, a não ser o fato de serem cidades de tamanhos diferentes.

Nas duas ele manteve o hábito de ' jogar bola' e de participar de churrascos.
- Sempre fiz amigos por onde passei, recorda.

Depois da terra natal do escritor Érico Verissimo, Hilbert foi pra Cachoeirinha, onde ficou mais 5 anos.
Nesta cidade, ele pegou a 3 Vara Judicial , foi ainda juiz eleitoral e presidiu ainda a 3 Vara Civel.

Foi em 2007 que foi designado pra 5 Vara da Fazenda Pública da Comarca de Porto Alegre. É titular desde 2009.

A decisão de rebaixar as passagens o tornou meio que alvo da mídia. Mas o juiz está tranquilo.

No Tribunal de Justiça, sua agora já visibilidade, provocou uma ponta de ciúmes:

- Ele não nos passou nada, comenta do staff.

Seja como for, o fato é que o juiz Hilbert está tranquilo. Conversou comigo o quanto eu quis, ele não deixou de responder nada.
Quando o informou que ele catapultou com sua decisão um assunto que agora a Tede Globo, segundo se informa, estaria fazendo uma matéria nacional sobre o tema das passagens, Hilbert pergunta com uma ponta de afirmação:
- Ah,então vão me entrevistar!

PLENÁRIO!

A CMPA esteve movimentada esta tarde. o plenário estava com as galerias bem ocupadas. as vereadoras sofia cavedon(PT) e Fernanda Melchiona(Psol) negociavam do lado de fora das cadeiras dos vereadores.


' OS MOTORAS DO TIO BRIZA"



Brizola, quando vinha ao Estado, tinha dois motoristas: o principal era Conceição Liberacy de Souza da Silva, que tinha entre os companheiros do PDT o apelido de ' senador'( vai ver porque é ' sabonete' mesmo)

O outro era mais recatado, ficava mais na sombra do ' chefe' como Brizola era tratado dentro do PDT. Era o Luiz Carlos Morem, ou mais conhecido por Luizinho.


Luizinho conta muitas histórias do ' chefe' mas sempre faz questão de esclarecer que ele era o segundo.
- Só ia quando o Conceição não estava. Ele era que viajavam com o Brizola sempre.

Luizinho diz que Brizola era educado, cordial, mas que tinha as manias dele,sim. Não refere nenhuma pejorativa, e lembra que quando Brizola fumava, gostava de ' Malboro' - aquele cigarro cujo ator que fazia a propaganda acabou morrendo por ironia do destino de câncer .


Luizinho conta que Brizola tinha uma desconfiança: não gostava que alguém que ele não conhecia fosse lhe servir a mesa.

E desconfiava sempre.

- Uma vez num showmicio, na Andradas, (rua da Praia) quando ele era o vice de Lula, fazia um baita calorão. Um cara alcansou uma garrafa de água mineral pro Lula. Quando Lula ia tomar, Brizola a tirou de sua mão e disse: depois tu toma.( não queria que tomasse uma água vinda de um desconhecido).
- Cachorro mordido por cobra tem medo de linguiça, conclui o Luizinho.

Luizinho diz que a bebida preferida de Brizola era um bom vinho. Gostava muito de um chileno, o Cassillero del Diablo. Quem providenciava este vinho, lembra Luizinho, era o Dr. Danilo Groff.

- Este sim, diz o motorista, sabia muito de Brizola.
MEDO DE AVIÃO

Luizinho diz que Brizola era muito desconfiado,até com o tempo:

- Se o tempo não estivesse bom, ele não viajava. Tinha medo de tempo ruim.

Quando ele vinha ao Sul,geralmente em avião de carreira( há de se lembrar que Brizola tinha um passe-livre da Varig que usou durante anos. Quem tirou esta ' confissão dele' foi o repórter José Mitchell, numa coletiva).
Quando chegava no Salgado Filho, e tinha que ir geralmente a São Borja pros eventos do Jango, do Getúlio e de dona Neusa(sua falecida esposa) ele ia num táxi-aéreo da TASUL.

Ah, lembra Luizinho, outro medo de Brizola era de médico. Não queria nunca ir, com medo de que o médico lhe descobrisse alguma doença.
- Quando adoeceu, morreu, conclui Luizinho.



' SE ALEMBRO'

Luizinho diz que Brizola gostava do contato com o povo mais simples. Uma vez foram ao Banhado do Colégio, em Camaquã, pra reviver a reforma agrária implantada lá por ele,quando era governador gaúcho.
Um cidadão bem simples se aproximou dele e lhe disse:
- O senhor ' se alembra ' do meu pai?

- " Se alembro,sim' respondeu Brizola.

De confiança de Brizola, diz Luizinho, era o Cel. Neme, Sereno Chaise( seu braço direito no tempo da ditadura).

Luizinho,que era motorista de táxi, entrou como motorista do PDT porque estava desempregado. Era motorista de táxi. Como seu pai se dava com Sereno Chaise, lhe pediu um emprego pro filho. O filho foi lá começou afazer bicos dentro do PDT e acabou empregado.

Luizinho rememora.
- Lembro quando o Vieirinha namorava a Luciene( fala do deputadoVieira da Cunha e de sua atual esposa)

( que é filha de Romildo Bolzan).
- Eles, diz Luizinho, eram da Juventude do PDT e saíam com uma kombi pra pichar muros e fazer colagens.
Ele está no PDT desde 1984. Tem 56 anos de idade.
- Passei mais da metade da minha vida dentro do partido.

DONA CELESTE PENALVO

Numa das muitas vezes que foi a São Borja - Brizola sempre ficava hospedado na casa do seo Percy Penalvo- Luizinho ouviu a esposa do mesmo contando como ela também guerreou ao lado dos homens, em 1964.


- Um dia jantando num restaurante, diz Luizinho, lá em São Borja ouvi dona Celeste Penalvo contando que ela tava entrincheirada e metia munição nas espingardas dos homens mas que de vez em quando ela também dava uns tiros. Ela mesma atirava, conta Luizinho.
Ele diz que o episódio deve ter acontecido em 1964.

- Dona Celeste contou que ' metia' chumbo neles!


' MISSIO'

QUE APLICAVA

NA DONA MARIA!


Julinho e Cleom na CMPA

Cleom Guatimozim - 28 anos de mandato, hoje no Fundo de Previdência da CMPA - e Julio Pacheco ficaram rememorando agora de tarde histórias do Melchiades Stricher, o ' Missio",aquele repórter criador da expressão ' uma boazinha' do programa do Lasier Martins.

Cleom disse que Melchiades costumava ' sempre ' chegar em casa depois das sete da manhã.

- A Maria(esposa) me contou que ele só não sabia inventar uma boa desculpa quando estava muito bêbado.

Senão criava histórias pra se desculpar da mulher, que havia chegado ao amanhecer em casa.

- Uma vez, contou Cleom, ele contou pra mulher que tinha pego um sinal vermelho na Ipiranga e que se demorara por causa dele.


Julinho e Cleom na CMPA

Outra desculpa que Melchiades inventou foi que tinha ido no enterro do Pacheco. No caso, o Júlio. Como dona Maria viu um comercial do Júlio, de um hotel, ela disse:
- Ué, mas tu não foi no enterro?

- Fui, mas ele tinha gravado o comercial antes, alegou Melchíades.

MEMÓRIAS DE REPÓRTER

' cuidado que o cachorro é brabo e gosta de bunda de jornalista'

JULINHO PACHECO E O FILHO NA ENTRADA DO PLENÁRIO OTÁVIO ROCHA

eNCONTREI AGORA A POUCO NA CMPA O JULIO PACHECO E SEU FILHO. COMO PRÓCER DA REDE VIDA ELE FOI LÁ TRATAR DA TRANSMISSÃO QUE A REDE VIDA FARÁ DA FESTA DE SANTO ANTONIO NO DIA 13 DE JUNHO.

lEMBREI AO JULIO DE QUANDO IA NO SEU ESCRITÓRIO DE LEILÃO LEVAR E COBRAR UM JORNALIZNHO QUE FAZIA PRA ELE. ACHO QUE TENHO EXEMPLARES GUARDADOS. ELE TINHA UNS CACHORROS GRANDES E SEMPRE ME DIZIA:
- CUIDADO QUE OS CACHORROS SÃO BRABOS E GOSTAM DE BUNDA DE JORNALISTA.

O Júlio agora voltou a área da comunicação está na Rede Vida de TV. Mas viaja muito pro PR,SC e outros estados.

E prometeu que este ano um frei comemorárá os 50 anos de ordenação em Serafina Correa. Ué, sempre achei que ' fábrica de frades ' era em Veranópolis.

Coleguinhas

o Políbio Braga me mandou o seu livro. Já estou lendo....é um petardo e a prosa dele é muito boa. parece um trhilller....escreve tão bem como ele, o Lauro Schirmer e o Celito de Grandi.

Coleguinhas

*Rui Martins era o colega correspondente da Guaíba que nos levou em 1986 ao um típico restaurante francês pra almoçar num domingo. Foi muito gentil na ocasião. Nunca mais tive notícias dele.

*LFV vai estrelar uma campanha do Governo do Estado.

*A da vacinação. Uma causa nobre. Não vai faltar quem vai dizer que o Verissimo é petista. Amigo do Tarso ele sempre foi.

O ALMOÇO

DAS GURIAS

DA SECOM

Num bistrô perto da Praça da Matriz sempre encontro as coleguinhas da SECOM do Governo do Estado. Hoje estavam lá a Márcia Marinsque foi minha colega na ZH - ela era mulher do " radicci ' - Humberto Trezzi - e era da editoria de Economia. Hoje está na SECOM, capitaneada pela Dica Sitoni.

 

AS DIMENSÕES DA VIGARICE

Por Carlos Chagas

Convenhamos, assim não dá. O homem endoidou, a gente só não sabe se foi recentemente ou desde muito. Depois de investir contra a raça negra e contra os homossexuais, o deputado-pastor Marco Feliciano acentuou que Satanás dominava a Comissão de Direitos Humanos da Câmara até o momento em que ele assumiu sua presidência. Agora, revela-se que o indigitado personagem interpretou o assassinato de John Lennon com três tiros como uma vingança do Padre Eterno por terem dito que os Beatles eram mais populares do que Jesus. Assim, um tiro por conta do Filho, outro em nome do Pai e o terceiro para redimir o Espírito Santo. De quebra, acrescentou que foi um anjo de Deus que inverteu o manche do avião que levava os Mamonas Assassinos, causando o desastre que matou o grupo.
Ninguém é obrigado a ter religião ou a acreditar em seus variados dogmas, mas falar o que esse energúmeno vem falando constitui uma agressão à Humanidade. Um escárnio e um acinte às religiões.
Por mais essa, Marco Feliciano deveria ser catapultado da presidência que exerce. Não se trata de proibi-lo de dizer as asneiras que diz.O direito à livre expressão do pensamento custou mas firmou-se entre nós. O problema é a incompatibilidade entre seus conceitos e a condução da Comissão dos Direitos Humanos. Batem de frente quando ele agride a inteligência do semelhante. Que vá pregar na sua paróquia, admite-se. Mas exercer função de garantia dos direitos das minorias, nem pensar.
Só que tem mais. O personagem alimenta, junto a seus asseclas, a hipótese de candidatar-se a presidente da República em 2014 ou, como alternativa, de receber um milhão de votos para sua reeleição como deputado. O pior nessa equação de horror é que na disputa pelo palácio do Planalto, receberá montes de votos, jamais a ponto de eleger-se, mas para inscrever-se como um dos líderes políticos da atualidade. Um dos mais votados para a Câmara, pode ser. A multidão de ingênuos é muito grande, entre os evangélicos. Basta ver como progridem econômica e financeiramente as quadrilhas que fazem de Jesus uma gazua para enriquecer.
Está na hora de providências. Primeiro por parte da Câmara, afastando Marco Feliciano da presidência da Comissão de Direitos Humanos, até mesmo através de processo no Conselho de Ética, cassando-lhe o mandato. Depois, por ação do Ministério Público e do Poder Judiciário, condenando-o por ofensa e injúria a valores fundamentais da Pessoa Humana. Finalmente, por iniciativa do Poder Executivo, deveria ser revista a aberração de que igrejas, quaisquer que sejam, não pagam impostos. Deveriam pagar, como todo cidadão ou empresa que a Receita Federal sufoca e estrangula no mês de abril. É uma fábula o quanto arrecadam em nome de milagres por fazer e de promessas para ingresso num futuro e incerto Reino dos Céus.
Grave também, nessa história macabra, é o posicionamento do PSC, Partido Social Cristão, ao qual pertence o deputado-pastor. Viram, seus lideres, as dimensões da vigarice praticada à sua sombra.
RAZÕES VARIADAS

As chuvas e a falta de chuva podem constituir-se em motivo para a alta no preço dos alimentos, mas não bastam para justificar o clima de exasperação que domina parte do empresariado e seus porta-vozes na mídia. Paranóias à parte, há uma conspiração em marcha para acuar o governo Dilma a ceder diante de uma falsa inflação e praticar os atos que faltam à criação de mais benefícios e vantagens para os mesmos de sempre.


De memórias de viagem!


jÁ CONTEI OUTRAS VEZES, mas não custa contar de novo. De paris, em 1986, tomamos o rumo de Praga, de trem. Tivemos que fazer os vistos em Paris e acho que fomos no consulado algumas vezes pra isto.O trem foi fazendo baldeações e não lembro quanto tempo levou, mas foi um bocado.Parece que foram 48 horas desde Paris, até Praga.

Tivemos que descer do trem algumas vezes, em plena madrugada. Eu ouvia aquelas vozes que não conseguia decifrar. Eram vozes já dos tchecos, cuja voz me era totalmente estranha.

No domingo que chegamos a Praga, fomos prum hotel do centro, tipo hotel francês. Lembro que a Angela conseguia se fazer entender ou em inglês, ou em francês. Eu ' patavinas".

Mas tomei muita cerveja tcheca, que achei a melhor do mundo.

Foi nesta estada em Praga que conheci o diplomata Jorge Tauney, neto do Visconde de Taunay.Muito tempo depois ele nos mandou um cartão de Brasília pra onde o tinham endereçado.

Perdi o contato com o Jorge, mas em Praga ele foi muito legal com a gente.

o autor deitado no quarto do hotel ' chic' de Praga. em fev/1986. No bureau um vinho francês, comprado num super.de Paris, que levamos junto.

Segunda feira, depois da nevasca do domingo, as ruas de Praga tomadas pela neve(fev/1986)

NA NEVE EM PRAGA. DEPOIS DO DOMINGO

o autor na neve de Praga

todas as fotos são do arquivo pessoal.

OS PASSOFUNDENSES

NO SERPENTÁRIO!

Hoje de manhã, dois passofundenses se encontraram no serpentário. O Mourinha e o Flávio Damiani.

O Moura tá aposentado( vivendo nas graças da aposentadoria) mas o Damiani está na CMPA.

Coleguinhas

*O JC de hoje, dia 10.4 faz a correção da foto do Assis no asilo: é de minha autoria, com a máquina do espanhol. O K agradeço ao editor chefe a quem me reportei.Como diz o ditado, amigos amigos, negócios à parte. E se o Espanha achou uma ' merda' a foto como ele mesmo disse, porque a mandou pra página nobre do JC?

*Sensacional a entrada do André Haar hoje de manhã no Mendelski. Nem parecia que fosse um double. Perfeito. Quem não sabe achou que era o Olívio mesmo. não sei porque o Haar não ganha grana com o personagem. Aliás o MAGRO DO BONFA foi criação do louco do FROES - UM CONTATO COMERCIAL DA ZH, HOJE APOSENTADO - que o André Damasceno plagiou.

Historias da ONZE

O taxista que levou tiros e faconadas...

João Zanini é um veterano taxista da ONZE...(Serafina) Fica sempre na praça central,aquela que chama Pio XII e que querem botar nome do velho Rampanelli, porque ele a cuidava.

Mas o Zanini já correu risco de morte, como diz o Rogério Mendelski.

Levou uma ' faconada' no começo dos anos 80..quem me passou a história diz que não sabe bem dos detalhes. Há versões que dizem que foi um assalto.

Depois tem a dos tiros. foi ,ou teria sido o seguinte: Ele levava os funcionários do Banrisul pra União da Serra - atenção de LINHA OESTE DE GUAPORÉ, COMO CHAMAVAM ANTIGAMENTE UNIÃO DA SERRA saíram tres prefeitos de SERAFINA, O GHELLER, O GASPARIN E O CHIARELLO - MAS COMO IA DIZENDO o taxista teria sofrido um assalto e le teria levado um tiro de raspão no pescoço.

Não se sabe os reais motivos mas muita gente da Onze torcia mesmo pra que ocasião ele tivesse ' ido pro lado de lá" ou seja, pra aquela coxilha que existe onde antigamente era o potreiro do Frigoririco Idela( ou seja o cemitério)

UM ' AVARENTO ' EM PARIS

Quando eu digo que o Lauro é mão fechada, aí está porque!


Esta eu vim pela TAM. Paguei as passagens com milhas. Ñ gastei um tostão com passagem aérea.
Na vez anterior, eu comprei a passagem da Air France com milhas da Gol. Também não mexi com $$$.
Eu pago tudo com cartão de crédito, até cafezinho, para ganhar milhas e poder viajar di grátis.

Lauro se despede de Paris!

Vou tentar comprar no aeroporto. Só agora q tu pede. Pqp!

Qdo vim para o hotel comprei uma revista em homenagem aos cem anos do nascimento do meu filósofo predileto: Camus.

Camus visitou P. Alegre em 1949. Ñ gostou do q viu - tá no diário de viagem dele. Conheci um cara q trabalhava, na época, na Livraria Americana, extinta e q ficava na Rua da Praia. O Camus visitou a livraria (merchan dos livros dele, já tinha disso na época), babaqueou e deixou cair uma moedinha no chão, q rolou para baixo de um balcão. As antas queria tirar o bancão de lugar, para devolver a moedinha. Não deu e Camus voltou alguns centavos mais pobre para a França.

LAURO FICOU NUM MUQUIFO EM PARIS!( ELE É MUNHECA MESMO....MESMO ASSIM CONSEGUE IR PRA LÁ....)

Estou perto da praça Nation. Um local onde se tem acesso a três linhas de metrô. Na rua do hotel tem uns hotéis sociais, para o pessoal pobre, a maioria negros do norte da África. Qdo vi no Google fiquei meio assim, qdo vi ao vivo me tremi, mas ñ deu nada, problema nenhum, a qualquer hora do dia dá para transitar a pé tranquilo.
O hotel é bem simples, duas estrelas, escolhi e reservei pela internet. Simples e limpinho, mas ñ precisava ser tãooo simples assim. De qualquer modo, comprovei q dá para ficar em Paris num duas estrelas.

Li o texto da tua viagem, sim. Tá bom, embora tu já tenha escrito sobre isso outras vezes.

Por L.D, de Paris


Camus era do Combat, jornal de jornalistas que o De Gaulle dizia q eram os únicos honestos, mas "energúmenos".
Foi amigo, mas brigou com o Sarte q era o bobalhão. Ñ consta q Camus tenha comido a Simone de B. (pelo menos um ñ comeu, afe!).
Nasceu e se criou na Argélia, quando era colônia francesa. Depois, claro veio para Paris pq ñ era trouxa, Rive Gauche, SGP, etc e tal. Morreu cedo, de acidente se carro.

Volta ...

O correspondente de Paris volta agora. Está no hotel esperando pelo táxi. É sua última viagem com o ' vale-cancer" como ele diz. Boa viagem...

O Gelson sumiu do mapa. Não sei onde anda mesmo( ás vezes ele some, depois retorna) vamlos ler em frances. entonces...

... mando esta resenha do Le Monde sobre um livro q está sendo lançado a proposito da crise argentina.

L’Argentine est-elle unPais mafieux

Longtemps avant les récents propos du président uruguayen de gauche José Mujica sur les Kirchner, son prédécesseur conservateur Jorge Batlle avait exprimé une opinion peu amène sur ses voisins : "Les Argentins sont une bande de voleurs, du premier au dernier." Ce n'est pas la seule fois où les travers des élites déteignent sur l'ensemble d'une nation. L'Argentine serait-elle un pays mafieux ?
Ancien journaliste à l’Agence France-Presse, l’Argentin Carlos Gabetta tente de répondre à la question. Créateur et directeur de l’édition du Monde diplomatique pour le « cône sud » des Amériques, de 1999 à 2011, il en a fait une référence et un contre-point à la presse traditionnelle de Buenos Aires.
La rédaction d’El Diplo a décrypté l’évolution politique, économique et sociale de l’Argentine au cours de ces années turbulentes, qui ont vu se succéder la fin de la présidence péroniste de Carlos Menem, la crise de la dette, l’effondrement de la production et l’appauvrissement du pays, puis la récupération sous les présidences des péronistes Nestor et Cristina Kirchner. Les éditoriaux étaient particulièrement appréciés pour leur acuité. En 2011, Carlos Gabetta a été remercié et remplacé par une direction plus favorable au gouvernement Kirchner.
Revenant sur ses analyses et ses entretiens, poursuivant ses recherches, Carlos Gabetta a publié l’ouvrage La encrucijada argentina (Planeta, 440 pages, disponible en eBook), qui sera présenté à la Foire internationale du livre de Buenos Aires (du 25 avril au 13 mai). Le sous-titre précise le choix qui se présente aux Argentins :République ou pays mafieux.
Corruption sociale et institutionnelle pendant les années menem
Le retour de la démocratie, après la guerre des Malouines et le retrait des militaires, n’a pas été suivi de la consolidation d’une République digne de ce nom. La corruption sociale et institutionnelle s’est durablement installée lors des privatisations des années Menem, et la poursuite d’un affairisme étroitement lié à la politique.
Pour reprendre les mots de l’auteur :
"Depuis le retour de la démocratie, nous avons traversé plusieurs crises économiques et sociales ; la plus grave, gravissime, en 2001. De chaque crise le pays est sorti, si on peut dire, plus détérioré du point de vue politique, institutionnel et social, dans une imparable dérive vers l’acceptation et la pratique générale du comportement mafieux. Vers un destin de grand pays bananier" (en référence à la fameuse expression "république bananière"appliquée jadis à l’Amérique centrale).
Il ne s’agit plus de la corruption individuelle, traditionnelle, évoquée avec cynisme par le fameux tango Cambalache d'Enrique Santos Discépolo.
Il s’agit désormais d’une activité entrepreneuriale, avec des complicités à tous les niveaux de l’Etat, y compris le sommet, la famille présidentielle et son entourage. L’insécurité et la violence croissantes en Argentine sont liées àl’impunité dont jouissent les pratiques illicites et à la dégradation des institutions qui devraient veiller au respect de la loi.
L’auteur a placé en exergue deux citations d’écrivains situés aux antipodes de la sphère culturelle dans la psychologie des Argentins : Jorge Luis Borges et Arturo Jauretche. Il cherche les racines des dérives contemporaines dans l’histoire du pays depuis deux siècles, sa difficulté à forger une nation, une communauté capable de vivre en paix. Guerres civiles, coups d’Etat, persécutions et violences, ont terni une démocratie intermittente, souvent détruite, toujours à reconstruire.
"Tragédie ou Grand Guignol"
Gabetta n’est pas tendre à l’égard du péronisme : "Tous les gouvernements du populisme péroniste argentin ont conduit le pays au chaos économique ; ils ont tous amené la corruption à un paroxysme et ont débouché sur la tragédie ou le Grand Guignol."
Il a suivi de trop près, au jour le jour, les péripéties des trois présidences Kirchner pour en faire l’exception qui confirmerait la règle : "L’Argentine d’aujourd’hui est un pays riche avec des millions de pauvres et désemparés. Une société polarisée, en conflit et submergée dans la confusion ; une société qui règle ses querelles, parfois avec violence, dans le cadre d’une République vidée de contenu, d’une démocratie de façade. Une nation décadente par rapport à elle-même, inachevée."
Carlos Gabetta est un homme de gauche, fier d’être un autodidacte né dans une famille socialiste de Rosario. Malgré la sévérité du réquisitoire, son livre est un acte de foi, un cri d’espoir dans la possibilité d’un sursaut républicain et citoyen. Pour que les Argentins puissent trouver enfin leur place dans une planète bouleversée par la "crise mondiale du capitalisme".

Lembrança

O movimento da Champs Elysées no domingo à tarde parece o da Rua da Praia nos velhos tempos. Dura de gente.


POR FLAVIO DAMIANI!


Vai lá garoto....

A TV Umbu de Passo Fundo tinha uma única câmera para gravações de comerciais e jornalismo. Num certo dia de abril de 80 a equipe saiu para gravar um comercial em Ronda Alta. Fui com eles para gravar algumas entrevistas na cidade. Na ida passamos pela venda do seu Natalino, um bolicho de beira de estrada localizado no entroncamento Passo Fundo,Ronda Alta e Sarandi. Vi sobre o barranco bem no cruzamento, três barracos erguidos com paus e coberto de lona preta.
Mais tarde, na praça, em frente a igreja em Ronda Alta conversando com o padre Anildo Fritzen, procurei saber daqueles casebres que com certeza não eram e índios Guaranis. Nômades, eles costumavam acampar à margem das estradas, mas faziam seus casebres cobertos de palha. A lona preta já era de domínio dos colonos. O padre me confidenciou: Os barracos eram o prenuncio de um acampamento de beira de estrada porque os colonos expulsos das reservas indígenas e desalojados pelas barragens estavam se organizando para a resistência. "Você está no caminho certo", respondeu.
Sem pensar duas vezes juntei a equipe e me toquei e volta até o Natalino.
Em menos de três horas, mais nove barracas estavam erguidas e fiquei sabendo que na madrugada ônibus trariam colonos para reforçar o acampamento. A notícia foi manchete no Jornal nacional daquela noite e capa da Zero Hora do dia seguinte.
O MST iniciava ali.

Novo projeto para antenas de celular divide opiniões

A Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Porto Alegre e o Laboratório de Comunicações (Lacom) do Departamento de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul deverão encaminhar à Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam), da Câmara Municipal da Capital, contribuições sobre Projeto de Lei Substitutivo nº 1 que regula a instalação e o licenciamento de antenas para emissão de sinais das Estações de Rádio Base (ERBs) na cidade. Texto do Substitutivo foi distribuído na manhã desta terça-feira (9/4) a convidados da reunião semanal da Cosmam cujo objetivo foi discutir esta questão.

Conforme o vereador Paulo Brum (PTB), presidente da Comissão, o projeto é bastante complexo, por interferir em situações técnicas, de saúde e de meio ambiente. “Precisamos de subsídios para poder votar”, destacou, ao agradecer a disponibilidade da Promotoria de Justiça e do Lacom em contribuírem. O substitutivo nº 1 sobre as ERBs, assinado pelos vereadores Airto Ferronato (PSB), João Bosco Vaz (PDT), atualmente licenciado para a Secretaria Municipal Extraordinária para a Copa 2014, e pelo ex-vereador Beto Moesch, tramita na Câmara Municipal desde abril de 2012.

Parecer
Logo no início da reunião, o engenheiro Carlos Roberto Silveira apresentouparecer técnico de comissão da Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul (Sergs, que analisou e estudou legislação sobre os efeitos decorrentes da implantação de sistemas de telefonia celular e de estações transmissoras de radiocomunicações. O texto critica a adoção de uma legislação municipal neste tema em detrimento da legislação federal existente. “Esta situação causa grande confusão e desinformação para todos”, destaca o parecer. “Como estamos tratando de proteção à saúde é como se tivéssemos o mesmo remédio sendo válido em um município e em outro não”, completa.

Conforme leu Silveira, o parecer defende a adoção da legislação federal (Lei 11.934, de 5 de maio de 2009), além da Resolução 303, de 2 de julho de 2002 da Anatel, por ambas acatarem recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) que estabelece a faixa entre 9 kHz a 300 GHz a exposição a campos elétricos, magnéticos e eletromagnéticos gerados por estações transmissoras de radiocomunicação, terminais de usuários e sistemas de energia elétrica. “Caberá às prefeituras municipais requerer do empreendedor o Relatório de Conformidade, por meio do Laudo Radiométrico, que atestará se os limites de Densidade de Potência estão em conformidade com o valor adotado pelo Brasil”, diz ainda o parecer.

Divergências
Ana Maria Marchesan, da Promotoria de Justiça, afirmou que o Ministério Público diverge frontalmente do parecer da Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul. “A decisão final sobre a validade de legislações é do Supremo Tribunal Federal”, destacou, ao se referir ao confronto entre a lei municipal e a federal sobre as ERBs. “Não podemos esquecer que o assunto não envolve apenas questões técnicas, mas também de saúde e meio ambiente.” A promotora disse que não existem estudos conclusivos sobre efeitos da exposição de longa duração à radiação não ionizante, embora já estejam registrados apontamentos de que esta radiação cause neoplasias com incidência de câncer. “Neste cenário de incertezas, não vejo razão para nos alinharmos à lei federal.”

Do Lacom, o engenheiro Paulo Serafini lembrou que a resolução da Anatel diz respeito apenas ao licenciamento de estações. “Ela prevê níveis altos se comparados com a legislação de Porto Alegre”, destacou. “Esta resolução foi elaborada para licenciamento e não para a instalação. Está ultrapassada e precisa ser revista”, argumentou Serafini. Já o engenheiro elétrico Álvaro Salles, também da Ufrgs, afirmou que os índices previstos na lei federal estão ultrapassados por não reconhecerem os efeitos por longo tempo de exposição aos raios não ionizantes, caso da telefonia celular. “A OMS, em maio de 2011, reclassificou esta exposição como possivelmente cancerígena e recomendou o uso do princípio de precaução”, alertou.

Presenças

Acompanharam as discussões da Cosmam na manhã desta terça-feira os vereadores Mauro Pinheiro (PT) e Lourdes Sprenger (PMDB). Também participaram da reunião Anderson Araújo Lima, coordenador adjunto da Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde; Ilza Berlato, do Gabinete de Planejamento Estratégico da prefeitura municipal; Paulo André Machado, coordenador de prevenção da Secretaria Municipal de Urbanismo; e Isabel Bretanha, dos Conselhos Municipais de Porto Alegre.

Texto: Helio Panzenhagen (reg. prof. 7154)
Edição : Marco Aurélio Marocco (reg. prof. 6062)

Estudos para coleta seletiva em andamento

O Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos é um importante instrumento de gerenciamento do lixo produzido no município. Desde 2012, Serafina Corrêa possui seu próprio plano, que tem como metas, a curto prazo, a determinação da composição dos resíduos gerados e a implantação da coleta seletiva. O município está realizando esses trabalhos através da Ambiativa Consultoria Ambiental, a qual possui uma equipe capacitada para realizar as atividades necessárias, pois o planejamento é fundamental para o êxito das ações. Atualmente, a empresa está trabalhando na elaboração de uma planilha de custos necessária para dar aporte para que o município possa contratar os serviços de coleta seletiva em breve.
Já a determinação da composição dos resíduos sólidos iniciará no mês de maio e levará um ano inteiro de trabalho, durante o qual serão feitas amostragens com a separação dos resíduos coletados, classificação e pesagem de cada um deles. Através desse estudo, a Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa, através do Departamento de Meio Ambiente, terá o conhecimento do tipo de lixo gerado no município e poderão ser melhor definidas as estratégias para a destinação cada vez mais adequada dos materiais.
Fonte: http://redeglobo.globo.com/globouniversidade/noticia/2012/09/gravimetria-pode-ser-usada-para-mensurar-o-tipo-de-lixo-de-uma-cidade.html

 

JUIZ TEME

SUCATEAMENTO

DE ONIBUS


juiz Hilbert Obara hoje de tarde na 5 Vara da Fazenda Pública do Foro Central

O juiz Hilbert Obara, que na semana passada mandou rebaixar o preço das passagens de õnibus de Porto Alegre - de 3,05 pra 2,85 - está mais preocupado com um possível sucateamento da frota dos õnibus do que com um lockout(greve de patrões).

Falando tranquilamente, Hilbert disse que atendeu a ação imposta pelos vereadores do Psol, Pedro Ruas e Fernanda Melchiona porque entendeu que estava havendo o que ele chamou de ' lesividade ao patrimônio público"

- Minha decisão nada tem de politica. Decidi com provas e baseado no direito aplicado, explica ele.

Ele não se disse surpreso com a repercussão pública de sua medida, mas de uma certa forma achou que não teria tanto mídia como teve.

- Um processo destes tem que ter uma decisão rápida, disse ainda Hilbert.

Passeatas


Hilbert diz que as passeatas contra o aumento dos preços não influíram em sua decisão.

- Mas se eu tivesse demorado, elas seguramente iam ser cada vez maiores, acredita.

E afirma que a visão de que os juízes estão ' enclausurados" não se sustenta.Ele afirma que o juiz é um ator social que deve estar atento aos acontecimentos.

Hilbert se mostra sem queixas da imprensa em geral e diz que ela teve uma boa compreensão dos fatos.

O titular da 5 Vara da Fazenda Pública prevê ainda um bom tempo para uma decisão sobre a liminar que ele deu rebaixando o preço das passagens.

Calcula pelo menos 60 dias ou mais.

- Pode ir a 3 meses,6 meses ou até um ano, acrescenta.

O juiz informa ainda que a ATP, a entidade que congrega os donos dos õnibus, pode sim ingressar na ação como assistentes.

No entanto esclarece que os reús na ação são a EPTC, o COMTU e a prefeitura municipal.


Cobradora demitida após críticas a Fortunati fará retratação e será reintegrada à Carris


Reunião no Ministério Público do Trabalho estabeleceu que Karine Manke Lemos voltará a trabalhar ainda nesta terça

Reunião de mediação entre Karina e Carris ocorreu nesta terça, na Capital Foto: Flávio Wornicov Portela / MPT/Divulgação
Após reunião de mediação no Ministério Público do Trabalho, nesta terça, na Capital, a Carris irá reintegrar a cobradora Karina Manke Lemos, demitida na última quinta após fazer críticas ao prefeito José Fortunati no Facebook. A decisão prevê que Karina faça uma retratação na rede social e volte ao trabalho ainda nesta terça.

Karina, de 30 anos, que trabalha na empresa há mais de oito anos, recebeu uma carta na quinta-feira informando sua demissão por justa causa, baseando-se em duas alíneas do artigo 482 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Durante a reunião de mediação, nesta terça, as partes defenderam suas posições. Mas admitiram a possibilidade de acordo e logo definiram as bases da reintegração.

— A interpretação da mensagem publicada foi dúbia. Para eles (Carris), eu estava acusando o prefeito de roubo. No meu entender, eu estava fazendo um questionamento. Por isso, acertamos que postarei uma retratação no Facebook ainda hoje. O acordo foi justo — comentou Karina, em contato com a reportagem de ZH.

Karina postará no facebook, na sequência da mensagem original “E aí senhor prefeito, quantos por cento tu fatura nessa jogada?!!!!”, o seguinte esclarecimento:

"De acordo com o estabelecido em reunião de mediação realizada nesta data no Ministério Público do Trabalho, esclareço que em momento algum tive intenção de sugerir o recebimento de qualquer vantagem pelo senhor prefeito municipal, em virtude do aumento das passagens, bem como não possuo nenhum elemento de convicção nesse sentido".

A cobradora também se comprometeu em não fazer qualquer crítica a sua empregadora em público, por qualquer meio, seja rede social ou imprensa. Por conta disso, a Carris converterá os cinco dias já decorridos da demissão em suspensão - os quais serão descontados de seu salário.
ZERO HORA

Curiosidades parisienses

Ratinho branco na garupa do cachorro do morador de rua. Não há quem ñ queira tirar uma foto.


Wifi grátis

Nas lojas Starbucks, enquanto a gente faz um lanche, dá para filar a internet grátis q eles disponibilizam (com a vantagem de ñ ser às custas do $$$ do povo).

Meu boné

Essa foi sensacional: esqueci meu boné numa cafeteria do Louvre, qdo me dei conta, três horas depois e voltei para procurar, ele continuava no mesmo lugar. Ninguém tinha mexido. Tipo Caldas Júnior do tempo do Dr. Breno, qdo (diziam) se podia esquecer a carteira com $$$ sobre uma mesa q ninguém tocava.

Checando...

...as sandices do teu saite num "iPhone 5" do mostruário da loja da Apple no centro comercial denominado "Carroussel do Louvre" situado no subsolo do Museu de mesmo nome.

Escândalo à francesa

Como ñ tenho muito tempo para redigir um texto original, mando a tradução de uma matéria curta e grossa do El País" sobre o escândalo que está contrangendo o atual governo francês. Aí vai:
"A 'bomba Cahuzac' explodiu nas mãos François Hollande e representa um grande problema político para o presidente que prometeu uma 'República exemplar'. É verdade que o Ministro das Finanças e do Orçamento foi demitido (agora) pelo Elysée, quando o Judiciário abriu uma investigação formal, porém, a publicação da notícia das contas na Suíça de Jérôme Cahuzac em dezembro, pelo saite Mediapart, já seria suficientemente detalhada e óbvia para derrubar imediatamente o ministro da Fazenda.
Os quatro meses desde então, em que Cahuzac tentou, por todos os meios, dementir a acusação, revela tanto a franqueza quanto a complacência dos políticos da própria oposição (de direita), que, durante todo o tempo, preferiram olhar para outro lado e descumpriram a sua missão fundamental de controle. Também mostrou a conivência da maioria dos meios de comunicação 'tradicionais', que, em vez de dedicar seus recursos para aprofundar as provas e exigir a responsabilização de Cahuzac, preferiram desprezar a denúncia do pequeno mas sempre rigoroso saite dirigido por Edwy Plenel (ex-Le Monde) fundado há cinco anos e que é sustentado por seus assinantes.
Há 70 anos, o General de Gaulle comentou com Andrè Malraix, que 'O Combat', jornal Albert Camus, era o único contraponto para a mediocridade da mídia da época, embora produzido por 'pessoas intratáveis'. Agora, uma vez mais, a democracia foi recolocada no seu devido lugar por um grupo de 'intratáveis'. A histeria e a hipocrisia geral depois que acabou acontecendo a confissão pública de Cahuzac, poderiam ter sido evitadas se, como disse Plenel 'a democracia tivesse funcionado nestes quatro meses em que todos preferiram desviar o olhar'."

Em tempo: 1 - O mesmo saite Mediapart denunciou, antes que Dominique Strauss Kahn assumisse a presidência do FMI, que ele tinha "um sério problema com sexo" (= a garanhão demais) e ninguém deu bola. Ao fim e ao cabo, DSK acabou perdendo para Hollande a indicação do Partido Socialista Francês como candidato (vitorioso) a Presidente da República por conta de um "envolvimento" (se é que me entendes) com uma faxineira de hotel em NY. 2 - O dinheiro de Cahuzac, inicialmente considerado como evasão fiscal, agora está se revelando como financiamento ilegal de campanha.

Saiu (sábado, 06/04) no El País de Madrid:

"Preston desmitifica a Santiago Carrillo

De Carrillo se han escrito montones de cosas. Buenísimas y malísimas. La biografía que ahora aporta Paul Preston (Liverpool, 1946) se suma a las segundas. Y dado que Preston no es un antiguo correligionario resabiado ni un revisionista de la historia, sino uno de los mayores especialistas en el siglo XX español, su demoledor y controvertido retrato del principal líder de la oposición antifranquista arrancará sarpullidos. El zorro rojo (Debate) se puso en marcha tras la muerte de Carrillo pero buena parte del material empleado estaba en manos de Preston desde hace décadas. Después de su tesis doctoral, el historiador comenzó a investigar a la oposición antifranquista. El Partido Comunista de España (PCE) era la columna vertebral de aquel movimiento que, pese a sus intentonas, no logró acabar con la dictadura. “Luego la Transición se desarrolló de otra forma, no vino por la lucha antifranquista, que es la historia de un fracaso”, esgrime Preston en su casa de Londres ante un té humeante y un ventanal con vistas a un jardín nevado que contraría el reloj estacional.
Tras el fallecimiento de Carrillo, el pasado 18 de septiembre, varias editoriales le pidieron una biografía. “La tenía casi hecha, me puse a redactarla de forma coherente y lo que salió de mi encuentro con la documentación no era lo que me esperaba”, confiesa. Lo que salió es una visión desmitificadora, corrosiva. “Quedará claro que Carrillo poseía algunas cualidades en abundancia: capacidad de trabajo, ímpetu y aguante, destreza en la oratoria y escritura, inteligencia y astucia. Por desgracia, quedará igualmente claro que la honestidad y la lealtad no figuraban entre ellas”, sostiene el historiador, que le compara a Franco en el afán por reinventar su pasado y la crueldad.
Carrillo (Gijón, 1915-Madrid, 2012) vivió tanto que tuvo varias vidas. Nació en una casa pródiga en niños, afectos y conciencia obrera. Su padre, Wenceslao, era correligionario y amigo del socialista Francisco Largo Caballero. Fue precoz en militancia y responsabilidades políticas. “Si este Gobierno, entregado a las derechas, no rectifica, serán estas Juventudes las que asalten el poder, implantando su dictadura de clases”, arengaba en un mitin ante unos 80.000 jóvenes en 1934, cuando tenía ¡19 años!
Después de 17 meses en la cárcel a raíz del fracaso de la huelga de ese año, Carrillo viajó a Rusia. Le deslumbró. “Tuvo la sensación de que el PSOE era un partido del pasado”, escribe Preston. Ya estaba en la pista de despegue hacia el comunismo. A la vuelta comienza la guerra. Carrillo formaliza su ingreso en el PCE al tiempo que se desarrollan los sucesos de Paracuellos, el episodio que le perseguiría como un fantasma toda su vida, favorecido porque nunca dio una explicación sincera sobre los hechos, según Preston. Entre 2.000 y 2.500 presos fueron asesinados tras ser sacados de las cárceles en una operación que perseguía limpiarMadrid de sospechosos quintacolumnistas. Preston da una versión equilibrada entre quienes eximen y quienes culpan en exclusiva a Carrillo, y que ya figuraba en su libro El holocausto español (2011). “La autorización, la organización y la materialización de lo sucedido a los prisioneros involucró a muchas personas. Sin embargo, el puesto de Carrillo como consejero de Orden Público, sumado a su posterior relevancia como secretario general del Partido Comunista, supuso que le fuera achacada toda la responsabilidad de las muertes. Eso es absurdo, pero no significa que no tuviese ninguna responsabilidad”, escribe el biógrafo.
En febrero de 1939, Carrillo cruza la frontera. En París recibe la noticia del golpe de Casado contra Negrín y, lo que es peor, el apoyo de su padre a la operación, que le empuja a escribir una aireada carta en la que rompe con él. No volvieron a verse hasta dos décadas después. “Se puede interpretar que pone el partido por delante o que se pone a sí mismo por delante. El hilo conductor es siempre el egoísmo y la ambición”, afirma Preston.
El exilio acoge la peor cara del líder comunista. “Fue donde encontré sorpresas más desagradables. Saca conclusiones triunfalistas que despilfarran el heroísmo de muchos militantes de base y, por otro lado, sus interrogatorios son dignos del KGB”, plantea. El historiador sospecha que “fue reclutado” en su viaje a Moscú en 1936 y que posteriormente podría haber recibido una formación especial dadas las brutales técnicas de interrogatorio que aplicaría a comunistas caídos en desgracia. El hispanista achaca su progresivo ascenso hasta la cima del PCE a maniobras, mentiras y purgas de quienes podían ensombrecer su camino, como Jesús Monzón, cerebro de la fallida invasión del Val d’Aran, condenado a 30 años de cárcel, víctima de un intento de asesinato en prisión y expulsado del PCE. Algunos colaboradores de Monzón son asesinados, según declararon más tarde dirigentes comunistas, por “orden directa de Carrillo y La Pasionaria”. En sus memorias, el propio Carrillo escribía: “En aquellos momentos, no había que dar esas órdenes; quien se enfrentaba con el partido, residiendo en España, era tratado por la organización como un peligro. Ya he explicado que la dureza de la lucha no dejaba márgenes”.
Las expulsiones y purgas dentro del PCE, según Preston, tenían más que ver con el afán de congraciarse con el Kremlin que con la lucha contra la dictadura. Hasta 1953, cuando muere Stalin, el aparato español reproduce lo peor del estalinismo. Aunque algunos métodos perdurarán, hasta el extremo de que Preston titulará las versiones de la biografía en otros idiomas como El último estalinista. “Uno a uno, dio la espalda a aquellos que le ayudaron: Largo Caballero, su padre, Segundo Serrano Poncela, Francisco Antón, Fernando Claudín, Jorge Semprún, Pilar Brabo, Manuel Azcárate o Ignacio Gallego”, escribe.
El Carrillo de la Transición es otro. “Hizo cosas por un lado pragmáticas para mantener al PCE en el tablero, pero que contribuyeron a disminuir el entusiasmo de las masas. Su manera de dirigir siempre fue autoritaria, imponiendo y no explicando”, indica Preston. Una gestión que acabó devorándole y expulsándole del partido en 1985. El único gesto de grandeza que el hispanista no rebate es el del 23-F, cuando Carrillo permanece sentado en su asiento. El único que mantiene el tipo junto a Suárez y Gutiérrez Mellado. Creía, sin ninguna duda, que le iban a matar y pensó que el secretario general del PCE no podía morir como un cobarde."

Escândalo à francesa II

Agora, mando outro texto do El País, mais detalhado e "saboroso", no original espanhol.

"El analista político Jean-Michel Aphatie es una celebridad en Francia. Su cuenta en Twitter tiene 120.000 seguidores, y tanto los poderosos como los ciudadanos de a pie siguen sus apariciones en Canal + como un oráculo. Durante los últimos meses, Aphatie tomó partido por el exministro de Hacienda y Presupuesto socialista Jérôme Cahuzac contra Fabrice Arfi, un reportero de 31 años que trabaja para Mediapart, el diario digital fundado en 2008 por Edwy Plenel, exdirector de Le Monde. “¡Las pruebas, las pruebas, queremos las pruebas!”, conminaba Aphatie, ignorando quizá que, tras investigar durante cinco meses a Cahuzac, el testarudo y silencioso Arfi no tenía la menor duda de que el excirujano y político mantuvo durante 20 años una cuenta secreta en Suiza que trasladó en 2010 a Singapur.
Aunque la información de Arfi, publicada el 4 de diciembre, era tan detallada y sólida como para parecer irrebatible, Aphatie y otros muchos periodistas y políticos de todas las tendencias prefirieron creer —o fingir que creían— a Cahuzac, un político brillante que desde el primer momento negó las pruebas reunidas por el reportero. Encastillado y ofendido, Cahuzac se querelló contra Mediapart por difamación, y contrató a una empresa de comunicación, Euro RSCG —la misma que asesoró a Dominique Strauss-Kahn cuando fue acusado de violación en Nueva York—, para defender su honor.
Durante 120 días, Mediapart —una web que vive de sus 65.000 suscriptores—, Plenel y Arfi lucharon contra la apisonadora oficial. Casi todos los medios; los fiscales y los jueces, el Gobierno y la administración de Hacienda, el Partido Socialista e incluso la oposición conservadora formaron un cordón sanitario en torno al ministro. Como si fuera uno de los suyos. Plenel ha definido esa actitud como una “suspensión temporal de la democracia” y “un comportamiento mafioso”.
Salvando las distancias, la alianza político-mediática calca lo que pasó en 2007, cuando Strauss-Kahn, el brillante economista socialista, fue nombrado director del FMI. Entonces, solo un periodista, el corresponsal de Libération en Bruselas Jean Quatremer, advirtió de que DSK tenía un gravísimo problema con el sexo. Luego, cuando el telón cayó con estrépito en el hotel de Manhattan, llegó la conmoción general, el psicoanálisis colectivo, la leña del árbol caído.
Gobierno, fiscales y prensa formaron un cordón sanitario entorno a Cahuzac
Como ahora. El martes, Cahuzac confesó por fin que tuvo y todavía tiene una cuenta secreta, primero en Suiza y luego en Singapur, con fondos —al menos 600.000 euros— procedentes de su antigua actividad de cirujano privado y asesor de la sanidad pública. “Me enredé en una espiral de mentiras”, se justificó el ministro. Y de repente todos los que habían decidido mirar hacia otro lado gritaron “¡escándalo, traición!”. Ante la aparición de una realidad tan previsible, un comentarista de televisión llegó a afirmar: “¡Es la primera vez en la historia que un político francés admite haber mentido!”. Como si el único delito fuera la confesión.
La larga fase de negación desembocó en bumerán. Hollande, que había prometido una República ejemplar y que destituyó a Cahuzac por teléfono en cuanto supo que los jueces le habían abierto una investigación, se encontró en el ojo del huracán. La oposición, antes tan complaciente, acusó al presidente de haber sido un ingenuo o, en el peor de los casos, de haber protegido a Cahuzac a sabiendas de que mentía. El primer ministro, Jean Marc Ayrault, corrió al telediario a explicar que el ministro había engañado a todos, y añadió que “la prensa libre es necesaria para la democracia”. El analista Apathie, lejos de pedir disculpas, reiteró que no le gusta la forma de hacer periodismo de Mediapart.
Curiosamente, con el paso de las horas se supo que la cuenta secreta era más bien un secreto a voces en la gran logia de la política. Cahuzac se llevó el dinero a Suiza con la ayuda de un tal Philippe Péninque, un abogado de extrema derecha que hoy es asesor de Marine Le Pen, presidenta del Frente Nacional. Así que Le Pen lo sabía. ¿Y Nicolas Sarkozy? En 2010, Cahuzac transfirió su cuenta desde la UBS a la banca Reyl, y según recordó el diario suizo Le Temps, uno de los directivos de Reyl es Hervé Dreyfus, íntimo de Sarkozy y de su exmujer Cecilia.
Si la historia no se repite, a veces se parece mucho a sí misma. El muro de silencio que protegió al evasor recuerda a aquella frase de De Gaulle, quien tras la Liberación le comentó a André Malraux sobre el periódico de Albert Camus: “Sus amigos de Combat, lástima que sean unos energúmenos, porque son los únicos honestos”. Tras ser tratados como energúmenos, los honestos de Mediapart han colocado a la democracia en su sitio. Y, como era de esperar, no presumen de ello. “Ha sido asombroso el aislamiento de Mediapart”, ha dicho Fabrice Arfi, “pero no ha sido nada comparado con los ataques, las amenazas de muerte y la presión judicial que recibimos cuando destapamos el caso Bettencourt”.
El joven reportero no pierde la humildad: “O somos periodistas o no lo somos. Pero encuentro malsano que, de habernos llamado fiscales de pacotilla, de la noche a la mañana digan que somos unos héroes. Igual que es malsano creer por principio en el desmentido de un ministro”. Y el energúmeno mayor de la República, Plenel, matiza: “Lo que produce tristeza a la democracia no hace felices a los periodistas”.
¿Acabará la tolerancia del sistema con las ovejas negras? El momento de la limpieza parece haber llegado, pero ¿quién se atreve a calcular cuántos políticos y ciudadanos franceses tienen cuentas en el extranjero?
Según avisó antes del ciclón la exjuez y excandidata ecologista a las presidenciales, Eva Joly, Francia necesita abrir su propio proceso Manos Limpias: “Se ha entablado una batalla a muerte que no tenemos derecho a perder entre la idea republicana y la confiscación de la democracia por quienes incumplen las reglas en su exclusivo beneficio. El enemigo no tiene un rostro, tiene miles. Y no tiene partido, nos amenaza a todos. Tampoco tiene programa, solo intereses: se llama corrupción, negocios, impunidad”.
La directora de Le Monde, Natalie Nougaryède, que estos días publica los nombres de 130 evasores franceses y de miles más en 170 países, ha escrito que la evasión fiscal en Francia “es masiva, banal, más frecuente entre los profesionales de clase media que entre los millonarios”. La investigación ha revelado que dos bancos franceses, BNP y Crédit Agricole, llevan décadas invitando a sus clientes a abrir cuentas en paraísos fiscales. Se diría que el psicoanálisis no ha hecho más que empezar."
(El País, de Madrid)

De Paris, por L. D.

Teu amigo vereador q se cuide pq pode ser perigoso esse negócio de adv se fazer de Oficial de Justiça. Ouvi de um prof. de Processo Penal a história de um adv que fez isso, foi levar uma intimação, tomou um tiro e morreu?

Outra boa do El País ( se tu tiver saco para ler, é intresssante, mas estes españoles escrevem muito, conversa muito comprida).


REPORTAJE:JORGE SEMPRÚN
"Lo único que he traicionado es a mí mismo"

Es tan serio Jorge Semprún, tan circunspecto, que cuando lanza una carcajada te dan ganas de agradecérselo. Hace casi un año fuimos a hablar con él de Europa, un asunto que le resulta capital, en su apartamento de dos pisos cerca de la torre Eiffel. En un momento determinado se dispuso a salir para almorzar y fue a su cuarto a ponerse una chaqueta; cuando volvió, se inclinó sobre la silla más vieja de su sala de estar y de su mirada se desprendió una señal de insoportable dolor. "No puedo, no puedo". No hacía falta que lo dijera. Aquel hombre elegante y fuerte que burló a la policía de Franco cuando él era Federico Sánchez, comunista clandestino en Madrid, está ahora azotado por una osamenta que denuncia la edad, 87 años recién cumplidos, y que certifica el resultado de todas sus correrías, que comenzaron cuando era un chiquillo preso y torturado por los nazis en Francia. Luego vendría el campo de concentración en Buchenwald.

"La tortura de 'la bañera' me ha impedido ir a piscinas donde los jóvenes hacen aguadillas"

"A veces, como en los campos de concentración, has de inventar una moral de excepción"

"Yo no estuve en la reunión en que expulsaron a Marguerite Duras del Partido Comunista Francés"

"Carrillo reconquistó el poder en el PCE a base de la eliminación física o política"

"La izquierda europea vive un momento tétrico. Aquí se suma la incompetencia del PP"

"Me llama la atención que Zapatero haya llevado una dirección tan poco colectiva"

MÁS
Ahora los huesos son parte de las pesadillas. Esta vez lo hemos visto de nuevo en ese apartamento, vestido con una elegante camiseta marrón, se acababa de cortar el pelo, ese cabello blanco que es distintivo también de su personalidad, como sus ojos serios, a veces secos, escrutadores. Esta vez lo hemos venido a ver con el fotógrafo Juan Millás porque acaba de salir un libro (Lealtad y traición. Jorge Semprún y su siglo, de Franziska Augstein, editorial Tusquets) que escudriña en zonas a veces abiertas y a veces oscuras de su biografía. Un hombre que ha escrito tanta memoria, y ahora alguien hurga en su memoria. ¿Qué no ha contado nunca Semprún? "Cosas privadas que jamás contaré".
Entre los objetos que nos rodean y que Millás busca perpetuar con su cámara está aquella silla en la que Semprún descansó de su dolor hace un año; ahora ya la mueca va con él; quisieron operarle, pero no fue posible, porque hubo otras complicaciones. El dolor está, pero Semprún es también privado en eso. ¿De qué vamos a hablar? Directo, al grano. Él fue preso, clandestino, dirigente comunista, e incluso ministro socialista de España: está acostumbrado a decidir, a no perder el tiempo. Hablemos de memoria, pues. Usted, le digo, ha escrito muchísima memoria, de la guerra mundial, de la Resistencia, ha hecho cine. Y es un hombre tan reservado. ¿Cómo se puede escribir memoria siendo tan reservado?
Es una contradicción aparente, me dice. "Si te fijas, mis memorias son un poco victorianas. No hay nada íntimo, prácticamente. Son tan poco íntimas que no hablo jamás de Colette [su esposa, recientemente fallecida], por ejemplo, y he pasado 55 años con ella de compañerismo y matrimonio. La mayor parte de mi vida. Y jamás he dicho nada de ella".
¿Cómo se puede? Siendo Semprún. "Nunca he hablado de cómo la conocí, de cómo hemos vivido, de los años de clandestinidad, de qué pensaba ella de mis idas y venidas, de mis salidas bruscas a Madrid, de los regresos tres o cuatro meses más tarde? No he hablado nunca de las vacaciones en la Unión Soviética con Santiago Carrillo y con ella?". Esas cosas forman parte "de los miserables secretos de la vida", como dijo alguien. "Esos secretos no cambian nada. Cambian si haces una biografía de verdad, pero mejor hacerlas cuando el biografiado haya muerto".
Esa reserva es una manera de ser que proviene de la infancia. "He sido muy tímido. Hasta una edad muy avanzada. ¡Y ahora cumplo 87 años, el mismo día que le dan el Nobel a Vargas Llosa! ¡No sabes cómo me alegro de ese premio!".
Ochenta y siete años y una biografía de más de 400 páginas sobre la mesa, y muchos libros suyos (memoria, persecución y clandestinidad) en las estanterías. A él, este libro le ha resultado extraño. Sabe que nada de lo que hay en él es falso; "sé que ella no ha añadido nada". Pero tiene la sensación de que "aunque todo es verdad, no siempre me identifico; siento que yo lo hubiera contado de otro modo".
Hay un episodio de la vida de Semprún, cuando fue torturado por la Gestapo, que se cuenta en esta biografía de manera muy detallada. Él nunca aludió a ello. Ahora le gustaría contarlo, "pero de otro modo". Arranca la confesión de la tortura que sufrió su compañero comunista Simón Sánchez Montero; la tortura era para que soltara dónde estaba Federico Sánchez. Sánchez Montero se mantuvo en silencio.
Él sufrió la tortura de la Gestapo, no la de la policía española, "quizá la de la Gestapo era un poco más? científica, digamos, con muchísimas comillas; la española eran meras palizas que durante días y semanas constituían una tortura insoportable. Ambas, para hacerte hablar. Si no hablabas, si no cantabas, eso producía en el que podía haber sido delatado y en ti mismo un sentimiento enorme de fraternidad. Y eso sentí con Simón Sánchez Montero".
La Gestapo lo sometió a la bañera, un método de tortura que aún anda en sus pesadillas y de lo que nunca ha escrito. "Es una experiencia terrible que durante años me impidió ir a piscinas donde fueran jóvenes amigos de las bromas, de las aguadillas? Esas bromas a mí me volvían literalmente loco. Una vez estaba yo en la piscina que Yves Montand y Simone Signoret tenían en Normandía; me lancé a la piscina, una de los jóvenes que había allí hizo esa broma y nadie entendió que yo respondiera con aquel furor. La única que lo entendió fue Simone Signoret. Ella estaba en una tumbona al lado de la piscina, vio la escena y solo horas después, ya en el salón, me dijo: 'Esa reacción tan brutal que has tenido en la piscina, ¿tiene algo que ver con la bañera de la Gestapo?'. Ella conocía muy bien las historias de la Resistencia, porque tenía muchos amigos que habían sido detenidos y torturados por la Gestapo. Y lo adivinó. Antes de la entrevista con Augstein, probablemente esa fue la única vez que hablé con cierto detalle de la experiencia de la bañera".
Tiene Semprún las manos muy pálidas; por esa blancura de la piel nadan unas pecas insistentes. Muchas veces se tapa parte de la cara con las manos, desplaza el flequillo; 87 años, perseguido visiblemente por el dolor de los huesos, y este que fue Federico Sánchez y Pajarito (así lo llamaba la hija de Ricardo Muñoz Suay), acaso el tipo más guapo de la clandestinidad comunista en Europa, conserva mucho del porte airoso de su juventud. Pero esa confesión sobre la tortura ha caído sobre su ceño canoso como un obús. "Y tendré que escribir de ello; era muy difícil hablar de ello serenamente? Ahora ya no me conmueve tanto. Ya no. Ahora puedo escribirlo con total serenidad. Igual ha sucedido con las primeras experiencias en el campo de concentración. Puede que al contarlo me revuelva un poco, pero es algo pasado y asumido, asimilado, puesto en orden".
"Yo tuve la suerte de que los primeros golpes de detención fueran puramente palizas", continúa, "pero sin el propósito sistemático de interrogar; nadie me preguntaba nada. Me habían cogido, habían descubierto un arma que llevaba conmigo, y la policía militar, antes de que fuera a la Gestapo, me hizo todo tipo de barbaridades. Pero nadie me preguntaba nada".
"Me mentalicé: tenía que resistir, no debía hablar". Decidió contarles un cuento a los policías: "Un cuento que no pusiera en peligro a ninguno de los compañeros del grupo de la Resistencia. Una novelita rosa que esos días era posible leer en la propia prensa de los colaboracionistas: yo era el pobre estudiante que no tenía dinero, que oye una conversación y que es encargado de llevar unas maletas cuyo contenido desconoce. Cree que está metido en el mercado negro y un día descubre que en realidad está metido en el transporte de armas, que no puede dejar porque lo amenazan de muerte".
No lo contó de buenas a primeras; no le hubieran creído, demasiado preparado. "Pero si lo contaba en el momento que parezco derrumbarme, entonces me creerían. Así que aguanté días de interrogatorio, palizas, jornadas enteras en la bañera, un día me metían vestido, otros en calzoncillos. No sé por qué aquel día me metieron vestido? Y ese día, sofocado, mientras me gritaban, me insultaban y me metían una y otra vez en aquella tortura, me dije: Es el momento".
Le creyeron. Le habían dicho sus compañeros de la Resistencia cómo iba a ser la tortura. ¿Sabe lo que es la tortura alemana?, le preguntaron. Hay una primera fase de golpes, luego te cuelgan por las esposas y luego te hacen lo de la bañera; "yo sabía que lo de la bañera iba a ser lo peor". Él tiene "un miedo congénito" a la sofocación, "a no poder respirar tranquilamente". Ahora, "con este dolor absurdo de la espalda, los únicos momentos de angustia que me provoca este sufrimiento se producen cuando no puedo respirar. Me despierto con unas angustias por la noche porque no puedo respirar bien. Ese horror a perder la capacidad de respirar es infame".
Hay un episodio escalofriante en la vida del campo de concentración que se pone de manifiesto en la biografía que ahora nos ha llevado a hablar con Semprún: cuando en Buchenwald se producían listas de prisioneros que debían ser trasladados, y Semprún estaba al cargo de las listas. "Yo quitaba de las listas. Y quisiera precisar, dar mi versión. Es una discusión eterna que a la gente le cuesta comprender? Había una posibilidad de quitar prisioneros de las listas de los que habrían de ser desplazados. La posibilidad venía a través de una relación clandestina con la Resistencia. Aquel era un campo comunista; había sido construido en 1937 para reeducar a los alemanes adversarios políticos del régimen, y allí estaban concentrados los presos políticos alemanes, primero para construirlo y luego para administrarlo".
Sobre 1940 y 1941 empezaron a llegar presos extranjeros; primero checos, y después occidentales europeos, "sobre todo franceses de la Resistencia, comunistas de otras nacionalidades?". Cada partido comunista, recuerda Semprún, "aplicaba su política nacional en esa organización clandestina. Era una política de frente abierto, de frente popular, mientras que los comunistas alemanes seguían con la política sectaria de los años treinta. Clase contra clase. Para ellos no había aliados. No había más que los que eran comunistas y los que no lo eran".
Y la cosa iba así, relata el autor de La escritura o la vida: "El jefe SS le dice al jefe comunista del comando de internos: 'Mañana o pasado, a las seis de la mañana, quiero 3.000 deportados formando filas en la plaza del campo para ir a tal sitio'. Eso no tenía vuelta de hoja. Tal día, 3.000 deportados. ¡Parece como si hubiera alguna posibilidad de elegir! ¡Ninguna! Tiene que haber 3.000 deportados. ¿En qué interviene la Resistencia? En intentar quitar de esas listas a alguna gente".
Él cumple esa misión; lo declara con énfasis, no quiere equívocos, su rostro se hace más tenso, y ahora no es el dolor, es la historia. ¿Qué criterio seguía, Semprún, para decir este sí, este no? "El que tenía la Resistencia. Tendía a ser gente importante de la Resistencia de cualquier país. Podían saltar de las listas jefes gaullistas, oficiales enviados por Londres para la lucha clandestina, comunistas, socialistas?".
-¿Aplicaban ellos los criterios o le decían a usted cómo había que aplicarlos?
-En ese caso concreto, yo no era más que un comunicador. Comunicaba a los españoles las decisiones. Nunca tuve ningún problema porque los españoles no eran enviados nunca en transporte. Eran pocos, 250 o 300 detenidos por la Gestapo en la Resistencia francesa. Y había una especie de consenso entre los deportados: a los españoles no se les tocaba, quizá por el prestigio que habían alcanzado en la Guerra Civil? Y era fácil protegerlos: eran pocos. Era mucho más difícil proteger a franceses y alemanes, que eran miles y miles.
Es decir, Semprún no tenía problemas con los españoles, "pero podía ser utilizado para que los compañeros franceses me dijeran qué personas había que sacar de la lista? También hacía alguna cosa a título personal, sin contar con la organización comunista alemana: yo trabajaba en el fichero y me correspondían los presos desde el 40.000 hasta el 60.000, occidentales, franceses, que habían llegado, como yo, entre el 43 y el 44; yo era el número 44.904. A veces actuaba de guerrillero, salvaba a ciertas gentes sin contar con la organización".
La SS lo podía descubrir si investigaba. "Pero eran muy perezosos. Lo que hacía era inscribir a lápiz el número de la ficha, para luego poderlo borrar y que esa ficha fuera válida para otro que llegara. Hay números que han pertenecido a varias personas. El muerto desaparecía y se le daba su número a otro recién llegado? Tenía dos fórmulas, ambas con iniciales, DIKAL o DAKAL: "No puede ir a otro campo" o "No puede ir a ningún comando exterior". Cada vez que yo ponía por mi cuenta esas iniciales, que evitaban la deportación, me jugaba la vida porque ante cualquier duda la SS podía pedir la orden. Y, claro, la orden no existía, la había inventado yo".
A Semprún le perturba que ahora vuelva a decirse que él elegía a unos o a otros. "No, no. Elegías a los que salvabas. Luego la puta casualidad o la puta mala suerte hacen que en esa lista vaya gente, pero tú no los has elegido. Positivamente, elegías a los que salvabas. No mandabas en los que iban? Es difícil entender la complejidad del asunto, lo comprendo? Pero mira lo que decía el filósofo católico Jacques Maritain? Decía, en su libroLos hombres y el Estado, que hay momentos en la vida en los que no se puede aplicar la moral habitual, en los que hay que inventar una moral de excepción. Y da el ejemplo de los campos de concentración, y en concreto del campo de Buchenwald".
Eugen Kogon, democristiano que estudió también esa moral en Buchenwald, también señalaba, cuenta Semprún, "cómo cosas que en la vida normal son malas o criticables pueden convertirse en justas y válidas en la vida de los campos. Da el ejemplo de acabar con los confidentes, cosas así, que son brutales. Y es un pensador católico quien lo dice. A veces se dice que tuvimos la posibilidad de elegir a los que iban en las listas. No. Podíamos limitar algo el efecto de la orden sobre los que tenían que ser deportados. Y se acabó. No había más poder".
Se siente extraño Semprún siendo objeto de una biografía. "Es mi vida. Pero no soy yo. No sé cómo decirte".
-¿Qué falta para que sea usted el que aparece en esta biografía de Augstein?
-Quizá que, por vanidad, por orgullo o por engreimiento, considere que mi vida solo la puedo contar yo. Escribirla yo. Eso está escrito, no es una entrevista periodística o radiofónica, y no es mi voz. Y esa vida solo la puedo contar yo. Ya te digo que quizá sea puro engreimiento, pura vanidad.
Hay una palabra tremenda en el título, Traición (Lealtad y traición).Semprún no sabe muy bien si esa expresión tan terrible tiene que ver con lo que sucedió entre el Partido Comunista Francés (PCF) y Marguerite Duras, expulsada de la organización. Según se deduce, durante años se mantuvo que fue un informe de Semprún el que la condujo a esa tiniebla. Él no lo cree, por tanto no siente que la palabra traición vaya con él en este caso. "Hubo una expulsión de Duras y su entorno; se quejaron, escribieron cartas pidiendo que se anulara la expulsión. Como yo era muy amigo de ellos, me encontré metido en este asunto sin saberlo".
Ellos, Duras y Semprún, reconstruyeron la relación, pero ahí está la sombra. Robert Antelme, compañero de Duras, aseguró que Semprún estuvo presente en la reunión en la que se decidió la expulsión. "Pero que yo no dije una palabra? ¡Eso es imposible en las prácticas comunistas! Si yo estoy en una reunión en la que va a haber estas expulsiones y soy, como ellos dicen, uno de los acusadores, me obligan a hablar. Es la vieja táctica leninista. Sin embargo, Antelme dice: 'Estaba, pero no habló, lo vi allí silencioso'. ¡Tan silencioso que no estaba!".
El episodio le llevó finalmente a abandonar el PCF y a concentrarse en el Partido Comunista de España. "Lo que yo reprocho", dice ahora Jorge Semprún, que de vez en cuando suelta tacos bien españoles, "y diría que es una cabronada, es que se haya utilizado ese asunto solo unilateralmente. Lo que yo pretendo es que se vea que el documento de Antelme, en el que se me acusa, es un documento típicamente estaliniano en el que él se cubre de inocencia, como en otros documentos estalinianos a otros se les cubría de culpabilidad?".
Se convirtió, dice, "en el chivo expiatorio". "Quizá fui imprudente; cuando comenzó todo, tenía que haber cortado por lo sano. En todo caso, eso aceleró mi disgusto, mi náusea, y mi disposición a ir a España clandestinamente".
-¿Siente usted ahora que traición es una palabra para definir lo que hizo?
-No tengo ni idea. Ese título no lo entiendo y no lo comprendo. Es posible que exista la idea de que es inevitable hablar de traición cuando abandonas el comunismo.
-¿Y qué siente usted?
-Nada. Me muero de risa cuando me lo dicen. Precisamente por eso, con una cierta distancia y sin entrar en cuestiones personales, quiero hablar de mi vida política. Diré que durante 20 años, más o menos, he intentado ser comunista. Pero no comunista de salón, comunista tanto teórica como prácticamente.
Eso quería decir, para Semprún, empuñar las armas en la Resistencia, clandestinidad? "Un compromiso real".
Y he aquí lo que pasó después: "Creo que gran parte de mi vida ha consistido en destruir todo eso. No en traicionarlo, sino en destruirlo en el sentido de dejar de ser buen comunista para ser buen demócrata. De ahí mi interés por Europa, porque es una de las cosas que me han ayudado a distanciarme del comunismo y del leninismo y a comprender las virtudes de la razón democrática? Cuando has sido comunista de verdad durante 20 años, en cargos de responsabilidad, no es para presumir de haber estado en los salones con Louis Aragon. No, es otra cosa. Y abandonar eso para ser un demócrata radical, un anticapitalista radical, pero no comunista? ¿Traición? Cuando veo en el libro ese título, me digo: La lealtad ha desempeñado un papel, ¿pero la traición? Lo único que he traicionado es a mí mismo".
-¿Por qué?
-Cuando me critico como comunista, traiciono mis ideales de juventud. No lo considero traición, lo considero una consecuencia de lo que yo pensaba de verdad, lo que de verdad quería. Nunca he querido el estalinismo; es algo que ha venido añadido, un valor, o un desvalor,añadido. Y lo he sido, he sido estalinista. Pero la palabra traición no la entiendo.
Y luego se va del partido español, tras la clandestinidad tan llamativa de Federico Sánchez. Hay un detonante, en 1959, y ocurre en un lavabo moscovita. Carrillo entra hablando muy mal de la Pasionaria, y a Semprún le parece que su jefe político ha entrado en la paranoia estaliniana. Él lo cuenta ahora jugando a veces con su pelo, a veces con su reloj minúsculo que parece muy viejo.
"Hay una serie de momentos que van cristalizando, en los que se mezclan cuestiones españolas y del movimiento comunista internacional. 1959. Después del fracaso rotundo de la huelga nacional pacífica de primeros de junio, una delegación acompaña a Carrillo a explicarle a Dolores Ibárruri, secretaria general entonces del PCE, que ese fracaso ha sido un éxito? Carrillo va muy preocupado porque Dolores se ha opuesto a la consigna de huelga general. Esa consigna la da Carrillo contra la voluntad de ella. Él iba con la idea de mostrarle que, a pesar del fracaso, la huelga ha sido un éxito porque había movilizado a enormes cantidades de gente".
La reunión comenzó con la declaración de dimisión de Dolores como secretaria general. El cargo debería ser para Carrillo, que está más cerca de España. "Carrillo", recuerda Semprún, "está nerviosísimo. Las rodillas no le paraban. Hasta que llega el momento inevitable del café y del baño. Y allí la puta casualidad hace que me encuentre con Líster y con él. Estábamos los tres solos y yo les digo: 'Ha estado bien la vieja porque facilita todos los problemas'. Y en eso Carrillo se vuelve hacia mí en el baño, y con la mirada de odio más espeluznante que te puedas imaginar me dice: '¿Pero tú qué entiendes de estas cosas? ¿Tú qué sabes? ¿Qué maniobras estará preparando? ¿Acaso con los soviéticos?'. Y ese fue el momento en que surgió en el carácter de Carrillo algo que ya definiría mi relación con él?".
Sin duda, era Carrillo quien más destacaba en aquella organización. "Era mucho más inteligente, mucho más entregado, mucho menos desmoralizado por el exilio? Pero aquel hombre cambió para mí en aquel cuarto de baño moscovita. El hombre de las intrigas, el paranoico? La paranoia es una enfermedad típica del estalinismo. Siempre estás viendo conspiraciones contra ti. Hay miles de anécdotas sobre la paranoia de Stalin. No voy a comparar a Carrillo con Stalin, pero a partir de entonces empecé a prestar atención a cosas que había oído de él, de los viejos militantes en Madrid. Y poco a poco, la figura de Carrillo empezó a transformarse".
El momento decisivo llegó en 1960, en una reunión del PCE a la que asistió Suslov, "el rey de la teoría, el dios permanente que había empezado con Stalin". Carrillo hace una exposición "brillante sobre la política de reconciliación nacional", y Suslov le replica: acusa a Carrillo de revisionista, y le recuerda "que un partido comunista-leninista no podía abandonar la idea y la estrategia de la lucha armada. ¡Que había que pensar en la posibilidad de mantener la guerrilla urbana! Estaba desautorizando a Carrillo, claro". Y Carrillo empezó a enviar esos mensajes a España, "donde eran recibidos entre carcajadas. Ridruejo me dijo que Enrique Múgica le trajo uno de esos mensajes: volveremos a las andadas, podría haber submarinos soviéticos trayendo armas a España. ¡Ridruejo se moría de risa!".
En ese momento es cuando "intelectualmente" rompe Semprún, aunque no lo expulsaran hasta cinco años más tarde. "Me digo que con esa gente no se puede ir a ningún sitio? La retórica del partido se dirige a una España irreal que ya no existe, la España de la miseria, la España de la que se reía Berlanga".
Semprún fue expulsado. ¿Se produce un vacío? "He tenido mucha suerte en eso. No puedo compararlo con lo que sufrió Fernando Claudín, que tuvo un tránsito mucho más difícil, mucho más trágico. Yo hago mi último viaje clandestino a España en diciembre de 1962, para presentar a los camaradas al hombre que me va a sustituir, José Sandoval. Dura unos meses, rápidamente lo captura la policía. Y viene luego Julián Grimau, y ya se sabe lo que ocurrió con él. Yo volví a Francia, aburrido del exilio, con la perspectiva, además, de mayor aburrimiento. Soy expulsado del partido, pero al tiempo que me voy aparece en Francia, editado por Les Temps Modernes, de Sartre, El largo viaje; así que salgo del partido y empiezo mi carrera de escritor. Lo que quise ser desde los ocho años. No hubo vacío. Siguió la vida".
Le pregunto si ha cambiado su consideración hacia Carrillo. No hay titubeo. "Ha cambiado en el sentido de que es todavía peor que antes. Todavía peor que cuando él era dirigente y nos enfrentamos. Carrillo tiene un problema con la historia. Es un dirigente inteligente; hoy es un padre de la patria, pero tiene un bloqueo de la memoria total. Hay una época, desde 1944 hasta 1948, de la que él no quiere hablar. Es la época en la que él, con otros, con Uribe y con Pasionaria, reconquista el poder en el PCE. Reconquistan el poder en el partido a base de la eliminación física o política de todos los que han dirigido el partido. Esos son los tres años de los cuales no se puede hablar con Carrillo".
Y hay un episodio que Semprún relata según le ha contado Carrillo: cuando en una reunión de este con Stalin, el dirigente soviético le sugiere que los comunistas creen en España lo que luego serían las Comisiones Obreras. "¿Dónde están las masas en España?, le pregunta Stalin. 'En los sindicatos verticales obligatorios'. 'Pues trabajen ahí?'. Stalin inventó la táctica de Comisiones Obreras? Y eso Carrillo no lo quiere recordar porque fue una iniciativa de Stalin que él no quiere reconocer por razones complejas, incluso por buenas razones, pero que le quitan a él protagonismo. La táctica no la inventó él, la inventó Stalin".
Ahora la preocupación española de Semprún es "el porvenir tétrico" que parece vivir su país. "La izquierda europea en general vive un momento tétrico; aquí se suma que la incompetencia del PP es extraordinaria. Cómo no va a ser Alberto Ruiz-Gallardón quien lo dirija en los próximos meses, él es un hombre mucho más civilizado que el resto".
-¿Qué opina de Zapatero?
-Lo conozco poco. Lo ha hecho bien mientras que se hacía bien por sí solo. Cuando ha habido que liderar, moderar? Lo que me llama la atención es que ha llevado a cabo un tipo de dirección poco dinámica y, digamos, poco colectiva. Hay síntomas interesantes en las últimas semanas. No digo que no será capaz de remontar la corriente.
-¿Qué le parecieron las declaraciones de Felipe González a Juan José Millás?
-Discutiría la oportunidad de hacerlas ahora o en unos años, pero creo que el fondo de lo que dice es históricamente cierto.
-¿Hizo bien?
-No sé si podría elegir con tanta claridad lo uno o lo otro, pero si podía elegir con tanta claridad como él dice, hizo bien en no hacer lo malo.
-¿Se arrepiente de algo?
-¿Me arrepiento o reniego de haber sido militante del comunismo estaliniano? No. Creo que en aquel momento había una justificación para ello. ¿Me arrepiento de no haber salido del PC en 1956, el año de los movimientos antiestalinistas populares antisoviéticos en Polonia y Hungría? No. Porque soy español; si hubiera sido francés, habría sido el momento de romper. Pero en España, cualesquiera que fueran los crímenes de Stalin, luchar con el Partido Comunista contra Franco valía la pena.
En el libro que ha servido de pretexto para estas confesiones de Semprún se recuerda lo que se decía en Buchenwald: el bien es robar el pan y repartirlo bien. ¿Sigue siendo eso el bien, Semprún? "No. Esa fórmula no la repetiría hoy. Robar no. Pero el bien, desde luego, es repartir mejor. Y se puede repartir mejor. Eso es lo absurdo de la situación, que es posible.

Minhas andanças por Paris



No ferry boat com casal de italianos que tinham ido passar a lua de mel em Paris, em fevereiro/março de 1986.Eles não diziam Paris, eles diziam PARISI....eram operários da linha do trem na itália. tomamos muito vinho junto durante a travessia.( em tempo. o autor,evidente, ainda tinha cabelos na testa)

Esclarecimento

Por L.D.

A matéria é da editora chefe da ZH, Marta Gleich.

Na mixórdia q é o teu saite, ficou parecendo q aquele negócio da guria da ZH q tentou se limpar como o pessoal q briga contra o aumento do ônibus foi de minha autoria.
Já te falei para tu dar um jeito gráfico de separar os textos do teu saite.
Outra voisa: vê se aproveita as fotos q te mandei hoje de manhã, do hotel, enquanto esperava parar de chover para poder sair.
(Tô te dando esta ganja agora, pq vim no hotel largar umas compras q fiz, já q volto volto amanhã à noite. Mas já vou sair de novo!

Uma correção: o cara q detonou o ministro do Hollande ñ é um simples blogueiro como a forma q tu botou n saite dá a entender. A matéria foi de um jornalista q trabalha num saite pago, criado e dirigido por um jornalista q até o ano passado era do Le Monde, o q ñ é pouca coisa.


Minhas Memórias de Paris


DBPMachado em seu studio de Paris/1986


Nunca mais a voltei a Paris, depois de 1986. quando lá estive naquele ano que o Funaro congelou tudo - quando fui pagar a prestação,era cada vez menor - a Paris que conheci também tinha um que de familiar, porque fiquei no apartamento da cunhada de então.
Andávamos pra cima e pra baixo num carrinho que ela tinha. Um dia o tal carrinho, cuja marca não lembro mais se era Peugot, ou o que, encrencou quando íamos ver um ballet.

Tivemos que ir de metrô, o que carro ficou acho que numa calçada.

O studiozinho que ficava no Quatorzième Arrondissement, perto de Montparnasse( o bairro dos artistas, de todo tipo,claro) não tinha mais que 25 m quadrados. Como eu roncava, minha cunhada me acordava usando um pedaço de pau, ou então um guarda-chuva. Mas fazia frio,isto sim eu lembro.

A Denise, que na época namorava o Carlos Nassi,muito metódica fez todos os esquemas pra fazermos os programas culturais.

CARNAVAL NA CASA DO BRASIL

Era carnaval no Brasil e lá os brasileiros organizaram um na Casa do Brasil.No meio da madrugada, alguém se deu conta que a neve tomava conta de Paris.

A Casa do Brasil fica na Cité Universitare de Paris.

No dia seguinte, domingo de carnaval em Paris, nevava a dar com os cântaros.

- La niége, la niége, diziam os velhinhos na porta do metrõ( devem estar todos mortos, hoje...)

Comíamos nos restaurantes universitários para ser mais barato, andávamos de metrô, entravámos nos cafés. Fomos a todos os cafés mais famosos, trouxe um cardápio do restaurante do Sartre( mas claro que perdi), fomos a Montparnasse no domingo ver os artistas pintando. Mas eu quis fazer o meu tour. Liguei pro correspondente da rádio Guaíba, cujo nome agora me falha, que eu sempre ouvia, e lhe falei de mim. Ele nos convidou muito gentilmente pra ir num restaurante almoçar no domingo. Fomos. Lembro bem que a garconette, uma senhora já, dizia a todo momento:

- Vite, vite....

( rápido, rápido, façam logo seu pedido)

Ela queria largar o basquete, claro.

Foi a ' minha' Paris.

Tenho mais coisas, mas acho que vou publicar um livro um dia sobre isto.

Na volta, ganhamos um livro da cunhada da época com uma dedicatória(claro que perdi o livro, ou botei fora)

' ANGELA Y OLIDES
ON Y REVIENDRA UN JOUR. ET ENSEMBLE....COM TODO O CARINHO

PARIS, JUIN 86.

de lá fomos a Praga. isto eu conto despues, como dizem meus amigos castelhanos.

A crise da Carris!

vidal

fICO SABENDO QUE O VIDAL, QUE MANDOU PRA RUA A KARINA, A COBRADORA QUE VIROU ESTRELA EM PORTO ALEGRE - É COMENTADA NOS BOTECOS DA CIDADE E POSSIVELMENTE SAIRÁ EM ALGUMA...BOM DEIXA PRA LÁ - FOI CC DA VEREADORA NEUSA CANABARRO NA CAMARA DE PORTO ALEGRE.

*Outra que a cobradora Karina já é do PSOL..

*Outra :

o que ela postou do Fortunatti dá um processo e tanto se é verdade o que ouvi ontem de noite, -segunda- no sebo mais de esquerda da Ladeira, o que leva o nome da rua mesmo.



O voluntário anonimo


Assistimos todos os dias um índice crescente de aspectos sociais negativos, com seqüelas e soluções de continuidade imensuráveis na saúde, educação e segurança pública.
Assistimos também o comodismo de muita gente que, acreditando ser invulnerável a todo e qualquer sinistro, esquivam-se de compartilhar, estão sempre com pressa, ignoram colaboração coletiva e omitem-se no próprio egoísmo. Lamentavelmente essas pessoas inertes ainda comungam aquela máxima de que: “pago meus impostos e exijo meus direitos”. Está na hora de rever seus conceitos. Está na hora de ver o que se passa na sua rua e no seu bairro. Há muita atividade que poderia melhorar o convívio e a vida das pessoas se cada uma delas absorvesse o espírito do voluntariado. De uma simples ajuda a grandes mutirões se consegue resultados espetaculares e os beneficiados são para todos, sejam crianças, jovens e adultos.
Quem ainda comunga que o governo é culpado daquilo ou disso está vendo a vida passar e não se coaduna com a cidadania plena entre seres humanos. Há pessoas que são capazes de destinar horas passeando com cães, mas não se oferecem para levar os idosos num dia de sol na pracinha mais perto de casa. Solidarizam-se com semelhantes somente na época do natal e acreditam que estão aumentando seus créditos com Deus para após a morte entrarem no céu. Ora, está na hora de se trabalhar o hoje. Viver e atuar com espírito de grupo, compartilhando e ajudando no que for possível. Bem perto da sua casa há um posto de saúde, um hospital, uma escola, uma creche. Por que não ajudar com uma hora por dia como voluntário. Há tantas maneiras de colaborar que você vai se surpreender quando conhecer o interior dessas repartições.
No Instituto dos Cegos de Londrina, estado do Paraná, por exemplo, os voluntários anônimos, gravam fitas de livros inteiros, poesias, contos, crônicas, para que todos os deficientes visuais possam ter a “leitura auditiva”. Um trabalho emocionante porque proporciona uma viagem pelo universo da imaginação.
Nos hospitais que tratam do câncer em vários pontos do país, o expediente administrativo pode ser auxiliado com o mínimo de domínio do computador, para ajudar no preenchimento dos formulários, por exemplo. Ou ainda auxiliar na cozinha, recolher donativos, levar uma palavra aos doentes ou simplesmente visitar as pessoas que estão internadas.
Nas creches, que tal servir a merenda para as crianças uma vez por dia? Compartilhar do momento do recreio e voltar no tempo, para que a dormência lúdica que existe em cada um de nós floresça novamente e produza em nosso metabolismo as boas endorfinas da alegria e felicidade.
Pessoas aposentadas e felizes, em muitas partes do país, se solidarizam com escolas de periferia e lá ensinam crianças a jogar xadrez, dama, dominó e a montar os deliciosos quebra-cabeças. São essas atividades que fazem as crianças e os jovens terem a boa disputa esportiva e conhecer a verdadeira relação de vitória e derrota. Molda-se o caráter através da prática do raciocínio. Não há agressões de impactos.
Ações voluntárias fazem muita diferença porque estreitam laços, resgatam convívios de amizade, eliminam a vaidade humana e aproximam as pessoas no entendimento de que o bom mesmo na vida é ser e não ter.
Aos que desejarem orientações para encontrar uma vaga de serviço voluntário ou outras informações sobre o tema, podem procurar o Planeta Voluntários é um site não governamental, apartidário e ecumênico, criada em maio de 2009 por iniciativa do empresário Marcio Demari, da empresa Guia Publicidade , sediada em Londrina, Paraná, com a visão de desenvolver a cultura do trabalho voluntário organizado, que leva o serviço voluntariado a auxiliar milhões de brasileiros e entidades que necessitam de todo tipo de ajuda.O site conta com uma Rede Social que cruza as informações dos voluntários com as instituições cadastradas, sendo um elo entre elas. www.planetavoluntarios.com.br

WILMAR MARÇAL,
professor universitário, assessor e palestrante educacional.Ex-Reitor da Universidade Estadual de Londrina, Paraná.

 

MUÇUM, A CAPITAL NACIONAL DAS PONTES



RECEBI AGORA HÁ POUCO UM FONEMA DO JUREMIR. PENSEI QUE FOSSE O FAMOSO DO CORREIO, MAS ERA DO VALE DO TAQUARI. DÁ NA MESMA. TIVE UM CONHECIDO, O DOUGLAS NEUMANN, CASADO COM MINHA QUERIDA AMIGA VIRGINA RIGATTO, QUE ADORAVA O VALE DO TAQUARI. ELE PEGAVA O CARRO E NOS FINDI IA PRA AQUELA ZONA PASSEAR COM A NAMORADA. A VIRGINIA QUE TINHA SIDO RAINHA DAS PISCINAS DO LEOPOLDINA, TODA CHEIA DE QUIFRIQUIS, TINHA SIDO CASADA COM O BOCÃO PEGORARO, LÁ IA ELA COM O AMERICANO TODO CU DE FERRO PRO VALE DO TAQUARI. ELE DIZIA QUE SE LEMBRAVA DO INTERIOR DA ALEMANHA PORQUE COMO DIPLOMATA TINHA MORADA NA ALEMANHA E LÁ GOSTAVA DE ANDAR PELO INTERIOR.

POIS O CONVITE DO QUERIDO AMIGO JUREMIR ME FEZ LEMBRAR ESTE TOPICO. E UM OUTRO. NA ENTRADA DE MUÇUM ESTÁ ESCRITO. A CAPITAL NACIONAL DAS PONTES. MAS PELO QUE SEI SÓ TEM UMA.(OLIDES CANTON)

DA ONZE!

EM TE LA UNDEZE, NOANTRI GHE DEMO DE SPEI(

nA onze nós damos de espetos)


Olha que historinha real boa que me mandaram

taxista veterano apanha no centro da 11

é o que dá provocar
um dos taxistas mais antigos da cidade andou provocando um caminhoneiro por transitar na avenida , onde é proibido o transito de caminhão mandando ele cair fora e o insultando; o caminhoneioro da a volta na quadra e para na frente do ponto, desce do caminhõn e segundo quem viu, o taxista qe estavba sentado numa cadeira se levantou e o caminhonero ajuntou a cadeira e começou a dar nele a valer, deu umas bem dadas sendo que machuco o taxista e ainda a´pontou o dedo e disse: pa ti aprender a não brincar de policia. embarcou no caminhão e se foi embora
não é a primeira do homem essa. perde o pelo mas não perde o vicio


Um pouco da COOJORNAL!

"Este jornal, criado em 15 de novembro de 1975, pertence à primeira Cooperativa de jornalistas do Brasil, a Cooperativa dos Jornalistas de Porto Alegre Ltda., fundada em 24 de agosto de 1974. A COOJORNAL tem 310 sócios. É uma organização administrada pelos próprios jornalistas, com uma diretoria eleita em assembléia geral. Cada associado, independente de sua participação em capital, tem os mesmos direitos nas decisões de assembléia. Além da diretoria, a COOJORNAL, tem um Conselho Editorial para orientar a linha e a qualidade de suas publicações próprias e de 15 outras publicações que faz para terceiros.

Participaram desta edição:
Editoria: Sérgio Batsow, Elmar Bones, Fraga e Edgar Vasques
Diagramação: Lilian Ben David
Arte: Juvenal e Ferré
Reportagem e Pesquisa: Angélica de Moraes, paulo Pereira e Euclides Tôrres
Fotografia: Pedro Flôres
Cartum e texto: Luis Fernando Veríssimo, Tarso Riccordi, Jaguar, Ziraldo, Chico Caruso, Canini, Uberti, Schroder, Juska, Alf, Santiago, Hartur, Jaca, Beto Silveira, Corvo, Ferré, Batsow, Bendatti, Edgar Vasques, edson, Wilmarx, Ronaldo, Sosa e Magno.
Participação especial: Sampaulo"

COOJORNAL X

ZH

uMA QUERIDA AMIGA ME FALA DO COOJORNAL. NA VERDADE, NAQUELES ANOS HAVIA UMA DISPUTA FERRENHA ENTRE A COOJORNAL E A ZH...QUE ESTÁVA CRESCENDO NO PEDAÇO. A CALDAS ESTAVA INDO PRA MORTE E QUEM VINHA SUBINDO ERA A ZERO.

VALIA A PENA UMA PESQUISA RELEMBRANDO ESTA DISPUTA. O CAKOLECZA DA ZH CHEGOU A ESOCNDER DURANTE 15 NA CASA DO FALECIDO PAULO MACIEL A MÃE DA LILIAN CELIBERTI PRA QUE OS CARAS DA COOJORNAL, COMANDADOS PRINCIPALMENTE PELO TRINDADE - QUE ERA O G RANDE CARA DE LA -JUNTO COM A ROSVITA - NAO A ENTREVISTASSEM. O OMAR FERRI, ADVOGADO DELA, PARTICIPOU DA TRAMA. ELE SABE BEM DISTO TUDO.

ERA UMA ' GUERRA ' PELA NOTICIA.

OUTRO DIA CONTO MAIS. MAS PRECISO ME APROFUNDAR NISTO. FALAR COM FONTES. SENÃO FICA LEVIANO(OLIDES CANTON)

TERMINAL DA LINHA CARLOS GOMES LOTADO

Foi na noite da ultima segunda, dia 8.4. Tava lotado o temrinal da linha CGomes, da Carris. na Praça Parobé, ao lado do Mercado Publico!

Coleguinhas

Emilio Pedroso, que sempre ia nas Barrancas, em SB, foi demitido da Zeaga.


*Eduardo Quadros, da agência Arena e Mauro Schaffer, do Correinho, estiveram no front no dia em que houve o rolo dos estudantes com as passagens. Naquele dia que o secretário Busatto levou tinta(que parecia sangue).

A guarda municipal fechou a porta e ele quase ficou de fora, testemunhou um destes fotógrafos.Ele me contou isto. Eu estive lá mas não vi este lance que ocorreu depois.

Recebo do Espanhol

O erro não foi dele foi meu, mas criar uma polêmica destas só por esta bobagem, bá meu tu me deixou mal com ele fui eu que mandei a foto e esqueci de dar o crédito na foto, que por sinal está uma merda , né.



Alfonso Abraham

Estudantes da Escola Getúlio Vargas assistem a reunião ordinária da Câmara

A turma 51 da Escola Estadual Getúlio Vargas, acompanhada da professora Vera Melo, esteve na Câmara de Vereadores na tarde de hoje (09/04), assistindo a reunião ordinária. Os estudantes puderam ver os pronunciamentos dos vereadores e conhecer um pouco sobre como funciona o Poder Legislativo.
Na mesma sessão, o prefeito Farelo Almeida também se fez presente a prestou algum esclarecimentos sobre diversos assuntos da municipailidade. Todos acompanharam a aprovação do projeto que autoriza a Sociedade Esportiva e Recreativa Amizade (SERADE) a utilizar o Ginásio Cleto Dória de Azambuja para competições esportivas e a explorar os espaços internos do local para publicidade. O mesmo projeto também prevê que a SERADE possa usar o bar e vender ingressos em dias de jogos.
Os presentes puderam ver também a discussão do projeto que proíbe a colocação de placas, painéis, faixas, cavaletes ou qualquer outro material de publicidade em espaços públicos, com a finalidade de propaganda política. Esse projeto permite apenas a propaganda da empresa ou instituição que adotar o espaço público em que deseja colocar sua publicidade.

Durante a tarde os parlamentares debateram o projeto que autoriza a Prefeitura a pagar o aluguel da Cooperativa Lã Pura pelo período de um ano. Em contrapartida a cooperativa realizará cursos de artesanato e a divulgação do município em suas atividades internas e externas.

Entre os requerimentos foi votado o pedido do vereador Carmelito Lunardine do Amaral para que a Prefeitura apresente toda a documentação relativa a contratação da empresa Ecolix, que presta serviço de coleta de lixo em São Borja.

Houve ainda a votação dos pedidos do vereador Roque Feltrin para que o diretor da Estação Rodoviária, o coordenador da Agesb e o superintendente regional do DAER informem o motivo da cobrança de passagem de ônibus intermunicipal para um trajeto dentro do município, no caso da linha São Borja – Samburá.

Ao final do pequeno expediente os alunos receberam uma cartilha com informações sobre o Poder Legislativo.

Assessoria de Imprensa da Câmara de Vereadores de São Borja

FURUNCHU DE SERAFINA

Fico sabendo que o furuncho foi entre um caminhoneiro empregado do Catanio, que é um dos sócios da empresa Casagua( de ônibus) . O outro é Ari Zanini, irmão do taxista que teria apenhado. O taxista que teria apanhado é o veterano taxista de Serafina, João Zanini.

E mais um lance que teria chegado a mim:

Joni Zanini,também irmão da ' vítima' presenciou tudo e apenas dizia:

- Te falei pra ficar quieto tué metido mesmo!

Cattanio, cujo empregado teria dado uma surra no veterano taxista, por ele ter andado de caminhão em plen a Miguel Soccol - a principal via da cidade - tem alguns caminhões.

UMA PRACINHA SUJA

É A PRAÇA PROTÁSIO ALVES, NA ESQUINA DA AV. DO MESMO NOME, COM A AV. TAQUARA EM PETROPOLIS. FIZ ESTAS FOTOS HOJE DE MANHÃ.

 

PAPALEO INDO AO CINEMA

MEU AMIGO PAPALEO, QUE ANTIGAMENTE ANDAVA DE FUSQUINHA, AGORA VAI AO CINEMA DE BUS. MAS ELE DETESTA FOTOS. FIZ DE LONGE.

PEDRINI VAZIO

No domingo ao meio dia enquanto o Barranco bombava o Pedrini ,ao lado da churrascaria, tinha um público escasso.

O ' prefeito' Sebastião mello assinou ainda no dia 4.4, as 19 horas a notificação do juiz


Por sinal, um ato histórico porque foi a primeira vez que se baixa por ordem do juiz o valor dos onibus na capital. Podem procurar na internet, isto nunca tinha antes acontecido. Nem no tempo da intervenção.


o presidente da EPTC assinou as 9 horas do dia 5.4 a notificação judicial.

PEDRO RUAS
FAZ DE OFICIAL DE JUSTIÇA

presidente do Comtu assina a notificação do juiz

Assim que o juiz Hilbert Obara no dia 4 .04.2013 decidiu baixar o preço das passagens de ônibus, ele ' nomeou' o vereador Pedro Ruas, um dos que acionaram ação cautelar contra o municipio de Porto Alegre, como oficial de Justiça. Foi Ruas quem levou a notificação a Sebastião mello que a assinou ainda no dia 4 e aos dois outros oficializados, o presidente do Comtu e o secretário Vanderley Capelari, dos Transportes.

 

o presidente da EPTC assinou as 9 horas do dia 5.4 a notificação judicial.

A AUTOCRITICA DA EDITORA CHEFE!

A cobertura das manifestações
06 de abril de 201334

Durante esta semana, fizemos uma autocrítica na Redação. Avaliamos que não cobrimos por todos os lados, na segunda-feira, dia 1º, a manifestação que ocorreu no centro de Porto Alegre contra o reajuste nas passagens dos ônibus. Enfocamos um aspecto - o protesto ocorreu sem violência, diferentemente do anterior - e não outros. Não enfatizamos que a manifestação cresceu muito, nem mostramos quem formava a massa de milhares de pessoas. Recebemos críticas por isso. É uma longa história, que vou tentar resumir em capítulos:
Episódio 1 - Na manifestação do dia 27 de março em frente à prefeitura, foram quebradas vidraças, veículos da guarda municipal foram danificados e o secretário Cezar Busatto foi atingido com tinta vermelha. Zero Hora estampou na capa, no dia seguinte, a foto de um veículo com vidros quebrados e, numa imagem menor, o secretário.

Uma das repercussões em redes sociais: "A capa de Zero Hora de hoje chega a dar nojo. Diz que foi depredação o que ocorreu ontem no protesto, e coloca a foto do secretário todo sujo de tinta". Outra: "Zero Hora pode limitar nosso protesto (exigência de subsídio) chamando-o apenas de depredação, tudo bem, teve, dentre outras coisas bem (mas beeeem) mais importantes". E mais uma: "Sou contra o subsídio, não é justo que toda a sociedade pague para benefícios de alguns. Acho muito mais justo discutir esse excesso de gratuidades. Mas qualquer protesto que faz o que foi feito ontem perde todo o meu apoio. Quem vandaliza uma viatura não pode reclamar a falta de segurança. Quem quebra o patrimônio público, não pode reclamar que falta dinheiro para saúde. Quem fere quem se predispõe a ter o diálogo do teu protesto, não pode reclamar de decisões técnicas tomadas nos gabinetes!!!"
Episódio 2 - Na manifestação seguinte, a da segunda-feira, dia 1º, o número de participantes chegou a 5 mil, segundo a Brigada Militar. Publicamos na capa uma foto impressionante, da massa nas ruas do Centro. Acreditamos que aquela imagem resumiu muito bem o que aconteceu. Mas - aí vem a autocrítica que fizemos - , a reportagem enfocou predominantemente a ausência de confusão e tumulto, já que no protesto anterior esta tinha sido a tônica. Não reproduzimos adequadamente o crescimento da manifestação, nem demos relevância ao motivo da união daquelas pessoas: o valor da tarifa e a qualidade do transporte. Recebemos críticas, vindas de apoiadores dos protestos. Uma delas:
"A chamada do site de ZH imediatamente após o protesto não foi a manifestação, a quantidade de pessoas que lá estiveram, a unidade construída pelo enorme grupo, ou o caráter justo inseparável das reivindicações. A manchete foi que a mobilização 'terminou sem confrontos'. É a não-notícia de quem viciou-se, pelo costume institucionalizado, naturalizado, em cobrir manifestações apenas para criminalizá-las".

Na terça-feira à tarde, dia 2, chamei uma reunião com os editores de Política e de Geral, responsáveis pela cobertura, para avaliar nosso trabalho. Concluímos que, sim, o enfoque correto não era apenas "menos confusão", era também a grande mobilização e o debate sobre o transporte coletivo. Quem são, o que querem, como se organizam os líderes e manifestantes?
Combinamos que, para o dia seguinte, daríamos visibilidade a este fenômeno que reúne diferentes perfis e grupos. E publicamos esta reportagem:

No texto de Carlos Rollsing, mostramos quem são e o que pensam os vários grupos que formam esses protestos. O que não nos impediu de levar chumbo nas redes sociais, de novo. Alguns exemplos:
"Primeiro a ZH mete o pau nos manifestantes sendo que os demais veículos falaram totalmente o contrário, claro, vocês não podem ir contra quem larga MUITA grana aí, depois ficam assoprando a ferida pra não passarem por ruim. Na real, qual a posição de vocês?"
"Zero Hora se fazendo de bonita agora que o protesto tomou corpo. Antes era tudo um bando de baderneiros, vândalos, bandidos".
Mas também recebemos elogios:
"Parabéns pela primeira matéria decente e não tendenciosa que vocês fazem sobre o aumento de passagem".
"Parabéns pela matéria do Carlos. Avaliação muito bem feita, apesar de enfatizar o papel dos partidos e dos anarquistas. Eles ainda têm uma posição mais diminuta na conjuntura, tanto os partidos quanto os anarca, mas a avaliação de vocês foi muito mais política do que ideológica desta vez".
Ok. Não estamos aqui para agradar a todos. Nosso propósito é mostrar todos os lados, para que o leitor tire suas conclusões. Quando erramos, procuramos corrigir. E, mesmo que nem todos acreditem, ouvimos o que os leitores dizem, fazemos autocrítica e auscultamos as redes sociais como mais um elemento para melhorar nosso trabalho.

De Paris, pelo Lauro Dieckmann

Exclusivo

BLOGUEIRO '

BOMBARDEIA'

MINISTRO

Foi um blogueiro independentente, que tem um site livre, que denunciou um ministro do Governo Hollande- de esquerda - de ter CAIXA DOIS na Suiça.

Sim, na Europa também se pratica corrupção, e como!

Conforme o relato do correspondente, ' aqui tá dando um rolo danado porque descobirram que um ministro do Hollande( presidente francês) tinha caixa dois na Suiça. Quem levantou a lebre foi um sainte independente de um cara que saiu do LE MONDE no ano passado, conta Lauro.

Que acrescenta:
- O escandâlo não é nada. Já é rotina em todo o mundo. O sensacional é o lado do pessoal que levantou o caso e enquanto o ministro não confessou eles só levaram pau, até dos ' coleguinhas'
( o ' nosso' correspondente, como se dizia antigamente, escreveu este post ' tomando um chá com salada de frutas no STARBUCKS da Champs Elysées que tem wifi gratis para navegar na internet.

NO DOMINGO AO MEIO DIA, COM SOL, O BARRANCO É UMA FESTA!

sÃO MUITAS ESPECULAÇÕES SOBRE O RESTAURANTE. MAS ACHO QUE AINDA VAI DURAR UM BOM TEMPO!

SEM PULO - TÚNEL DO TEMPO

A reação do outro lado!



No JC de hoje, segunda, o presidente da ATP, Enio Reis já fala em corte de pagamentos de tributos municipais.

Isto não é nada, penso eu. Vão começar é a falta ônibus nas linhas, o que tornará a situação bem crítica. Quem acompanhou a ' encampação' no tempo do Olivio, como este reporter acompanhou, sabe no que vai dar isto tudo.

PASSAGEM DEVE
FICAR ASSIM POR

ALGUM TEMPO


No gabinete do vereador Pedro Ruas, do PSOL,se comemorava na sexta, dia 5.4. a decisão do juiz Hilbert Maximiliano Akihito Obara , da da 5 Vara da Fazenda Pública do Foro Central que decretou que a passagem voltasse à meia noite de quinta pra 2,85.

Como a prefeitura já disse que não vai recorrer da decisão, mas apenas informar os valores dos insumos das empresas dos ônibus,Pedro Ruas um dos dois autores da ação- a outra foi a colega de bancada Fernanda Melchiona -calcula que o valor de 2,85 deverá permanecer por ' uns dois meses'.
Como advogado, ele não arrisca o que virá pela frente.

No despacho do juiz, que Ruas distribuiu à imprensa, o magistrado diz que " há fortes indícativos de abusividade no aumento das passagens, de conformidade com aprofundada análise realizada pelo Tribunal de Contas do Estado. A documentação referida evidencia a não contabilização de recietas com publicidades, despesas não permitidas sendo contabilizadas,além de aparente cálculo tarifário equivocado, utilizando-se de metodologias impróprias para mascarar uma inexistente necessidade de aumento, saltando aos olhos especialmente a inclusão indevida de frota reserva, que cria um aumento de despesa não real.Percebe-se ,assim, não haver sustentação para o aumentário tarifário pretendido pelos réus".

Outro motivo de alegria no gabinete de Ruas era a repercussão nacional da decisão judicial.

- Já recebemos pedido da cópia da liminar de umas 100 camaras municipais de todo o pais. Inclusive de Teresina, no Piauí, disse Ruas.

Ele informou que em Porto Alegre não se faz licitação no transporte coletivo há 24 anos.

Os cálculos indicam que um usuário comum do transporte de ônibus economiza mensalmente com a redução 19,20 reais mensais.

O Luizinho do PDT fez neste fim de semana esta foto. O cachorrinho parece falar com alguém, ou então só ouve.

 

Trabalhistas debaterão candidatura própria ou coligação

LUIZ MOREM

O presidente do PDT, Romildo Bolzan, reuniu lideranças estaduais e regionais em Passo Fundo, para os debates sobre a participação da legenda nas eleições de 2014


De abril a outubro, o PDT retoma os encontros partidários regionais que estarão debatendo o posicionamento da sigla nas eleições estaduais do próximo ano. As 38 reuniões agendadas pelo presidente estadual, Romildo Bolzan Júnior, terão início amanhã (4), em Gravataí. Deputados estaduais e federais, prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, presidentes municipais e dirigentes das coordenadorias e órgãos de ponta participam dos encontros.

Conforme o calendário pedetista, em abril serão realizadas nove reuniões regionais em Gravataí (dia 4); Erechim (dia 5); Passo Fundo (dia 6); Pelotas (dia 12); Camaquã (dia 13); São Leopoldo (dia 18); Feliz (dia 25); Vacaria (dia 26) e Caxias do Sul (dia 27). Até o final de junho, o PDT deverá realizar 21 encontros regionais.

Onde
O encontro em Gravataí, dia 4, será às 19h30, na Câmara de Vereadores, onde estarão reunidos cinco municípios da coordenadoria do Vale do Gravataí.
Em Erechim, dia 5, a partir das 19h30, na Câmara de Vereadores, estará reunida a coordenadoria do Alto Uruguai, que compreende 30 municípios.
Em Passo Fundo, dia 6, a reunião da coordenadoria da Região Trabalhista do Planalto mobilizará 17 municípios a partir das 9h30 na Câmara de Vereadores.
Em Pelotas, dia 12, o encontro pedetista acontece a partir das 19h30, na Câmara de Vereadores, reunindo a coordenadoria da Zona Sul, com 18 municípios.
Em Camaquã, dia 13, a partir das 9h30, a reunião da coordenadoria da Costa Doce mobiliza 14 municípios na sede do partido.
Em São Leopoldo, dia 18, a partir das 19h30 na sede do partido, estarão reunidos os 16 municípios da coordandoria do Vale do Sinos.
Em Feliz, dia 25, às 19h30, na Câmara de Vereadores, estarão reunidos os sete municípios da coordenadoria da Encosta da Serra.
Em Vacaria, dia 26, às 19h30, na Câmara de Vereadores, encontro dos seis municípios da coordenadoria do Alto da Serra.
Em Caxias do Sul, dia 27, às 9h30, na Câmara de Vereadores, debate reunirá os sete municípios da coordenadoria da Grande Caxias.

CARRIS AMEAÇA PARAR NESTA SEGUNDA

ESTAVA INDO EMBORA NA SEXTA FEIRA, DEPOIS DAQUELE SENSACIONAL MATERIAL QUE PEGUEI COM O PEDRO RUAS - A CAMARA MUNICIPAL ESTAVA DESERTA SÓ TINHA GENTE EM ALGUNS POUCOS GABINETES - E PEGUEI O AUTOR DA FAÇANHA DE TER DERRUBADO AS PASSAGENS EM SEU GABINETE- A MOÇA ME DISSE QUE ELE NÃO PODIA,E STAVA SUPER ATAREFADO, MAS QUANDO SOUBE QUE ERA EU ELE MANDOU ENTRAR E FICOU UM BOM TEMPO COMIGO, ASSIM QUE AINDA TENHO PRESTÍGIO COM GENTE COMO O RUAS - E DENTRO DO T-9 QUE PEGUEI NA PRAÇA SENADOR FLORENCIO, NA FRENTE DA SANTA CASA, UM MOTORISTA DO T-9 TINHA UM BILHETINHO CONVOCANDO PRA UMA GREVE NESTE SEGUNDA, DIA 8.4.

TUDO PORQUE A COBRADORA KARINA MANKE LEMOS, QUE ESTAVA NA CARRIS DESDE 2004, POSTOU NO FEICE ALGUMAS PAULADAS NO MAGRÃO...

E TAMBÉM PORQUE ELA DEU A REAL SOBRE O TERMINAL T-2-SUL. GOSTARIA DE SABER O QUE ACONTECE LÁ...

SEI QUE ELA ESTEVE NO PROGRAMA DO GORDO MOTTA NO MEIO DIA DE SEXTA.

POIS ENTÃO OS CARAS DA CARRIS FIZERAM MOBILIZAÇÃO NA FRENTE DA CARRIS NA SEXTA. E DERAM 72 HORAS PRA ELA VOLTAR. O MOTORA ANDAVA DIZENDO PROS PASSAGEIROS QUE SEGUNDA NÃO TERA ONIBUS DA CARRIS.

É O BOCA A BOCA...ASSIM CANSEI DE DAR FUROS NA ZH, QUANDO LÁ TRABALHAVA.

A KARINA, QUE NEM CONHEÇO, FOI DEMITIDA NA QUINTA PASSADA PELO PRESIDENTE INTERINO DA CARRIS, VIDAL PEDRO ABREU.
MAIS DETALHES ....

AGUARDEMOS OS FATOS.

' FUROU O CHURRA DO ESPANHOL

O ESPANHOL HAVIA MEIO QUE DEIXADO AMARRADO UM CHURRA NA SUA CASA NESTE DOMINGO. MAS PELO VISTO NÃO DEU PORQUE LIGUEI DE MANHA PRO ERNO SCHNEIDER NO SAVOY HOTEL E ELE ME DISSE QUE IA ALMOÇAR NO FLORIANINHO.

AGUARDEMOS O CHURRA DO ESPANHOL. MAS ELE FOI LEGAL. NOS LEVOU ATÉ O ASILO ONDE VIVE O ASSIS.

*fALAR NISTO, O PAI DO ASSIS MORREU ABANDONADO TOTALMENTE PELOS FILHOS NUM ASILO DE SÃO BORJA. SOU TESTEMUNHA DO FATO.

 

Domingo, dia 7.4 completou-se 20 anos da morte de Neusa Goulart Brizola

Lembro que era uma quinta-feira santa e que fui a Capão da Canoa.Com duas mulheres. Uma era a dona do apê e a outra era sua ex-cunhada.

*Emilio Pedroso, o fotógrafo da Barranca, foi demitido da ZEAGA!


Por Lauro Dieckmann,de Paris.

Sim, Paris ainda é uma festa

Tudo estranho, muito estranho! Com este frio todo, pela vidraça, vitrine, janelão do restaurante, vejo, passar duas mocinhas de braço dado... saltitando! Abre-se a porta e uma lufada de vento empurra para dentro duas coroas, ambas vestindo umas roupas que já foram moda há muito tempo! Duas alegres velhotas.
O movimento lá fora não para, no Boulevar Diderot, a maioria dos que passam são jovens, quase todos "singles", rapazes e moças, a maioria delas "unanimemente uniformizadas" em capotes azuis-marinho ou negros. São pelas dez da noite e escureceu total só há pouco, como é hábito por aqui. Um que outro casal também passa enquanto vou mastigando um bife de "bœuf" especial.
Mas, nas outras noites em que saí para jantar aqui por perto do hotel, não estava assim. As ruas andavam praticamente desertas. Aí, caiu a ficha: hoje é sexta-feira!!! Esta cidade, que durante toda a semana permanece comportada à noite, explode na sexta-feira.
Os metrôs, então, andam cheios até às horas mais tardias. E aparecem uns caras tocando todo o tipo de instrumento, no geral é saxofone e gaita. As meninas se empolgam e puxam os namorados para dançar, dentro do vagão do metrô mesmo. Hemingway matou a pau quando disse que "Paris é uma festa". Talvez no tempo dele a festa fosse maior e durasse mais tempo (ainda não tinha havido a II Guerra, nem as duas crises do Petróleo, nem a crise do México, nem a crise da Rússia, nem a crise da "subprime", a dos "ativos tóxicos"), mas, pelo menos na sexta feira eles, os franceses de agora, vão à forra.
Quando estava preparando a vinda para cá, pensei que não poderia me deixar não rever o alegre e maravilhoso espetáculo que é um vagão de metrô virar salão de baile. Mas, bah!, está tão frio!, que terminei o "bœuf", pedi um chá e tratei de vir logo para o quentinho do meu quarto no hotel, para redigir estas mal traçadas... (Texto de Lauro Dieckmann, de Paris, redigido em 05/04/2013)

Passagens

Passagem de ônibus em Porto Alegre a 2,85 já é um abuso, a 3,05, então, nem se fala. E os próprios donos das empresas dizem que a cada ano diminui o número de pasageiros. Também, pudera, com ônibus caro e de péssima qualidade, ninguém aguenta. Conheci uma faxineira q fazia faxina até nos domingos para comprar um carrinho usado (o marido tinha moto). O pessoal faz sacrifício para se ver livre do massacre q é andar de ônibus em Porto Alegre. Compra carro usado, moto, bicicleta, vai até a pé mesmo. E eu sei porque ando, principalmente na droga de linha q é a do Menino Deus (antiga Trevo), ñ sou como aquela "comunicadora" q tempos atrás lia, no programa do falecido Clóvis Duarte, uma propaganda das empresas. Por coincidência, uma vez peguei um ônibus e um rapaz comentava com outra passageira que "aquela p... nem sabe o que é andar de ônibus, só anda de carro, e fica falando que é uma maravilha". Outro dia, um rapaz, ali perto do Fórum Central, me dizia, enquanto esperávamos o sinal abrir para os pedestres, q prefere andar a pé porque ñ aguenta o longo tempo de espera pelo ônibus nas paradas. E estava desconsolado, pq as sinaleiras também demoram uma enormidade para abrir para os pedestres. Em tempo: em Paris, elas são rapidinhas.
Enviado via iPad

Ciclo de filmes: Crise do Capitalismo no Cinema – IHU Cinema

A proposta do evento é levar o participante, por meio dos filmes, a refletir sobre a "crise" econômica iniciada em 2008 e que continua até os dias de hoje. Conforme recorda Rubens Ricupero, ex-secretário-geral da Unctad, em artigo publicado no jornal Folha de S.Paulo (20/02/2012), em visita à London School of Economics, em 2008, a rainha Elizabeth II fez uma pergunta que muitos queriam saber: "Como foi que ninguém havia previsto a crise?". Ricupero descreve que um grupo de economistas britânicos tentou se justificar afirmando: "Majestade, o fracasso em prever o momento, a extensão e a gravidade da crise e em evitá-la (...) foi, sobretudo, uma falha da imaginação coletiva de muitas pessoas brilhantes (...) em entender os riscos que corria o sistema como um todo". No entanto, segundo Ricupero, "não foi a falha de imaginação ou inteligência a culpada da imprevisão. A causa é a ideologia, o disfarce de interesses de classe e setores sob roupagem científica". Nesse sentido é que se promove a exibição dos filmes que foram escolhidos segundo a sua potencialidade para suscitar uma compreensão sistêmica e crítica da realidade.

Objetivos

Geral
- Capacitar o participante a compreender alguns elementos centrais da atual “crise” econômica do capitalismo, tomando como base as interpretações geradas por produções cinematográficas a esse respeito.

Específicos
- Desvelar os agentes e as causas que desencadearam a crise econômica do capitalismo.
- Evidenciar os efeitos e as consequências da crise e seus reflexos sob o atual modelo civilizatório do mundo.


Programação

22 de Abril Exibição do Filme: Capitalismo: uma história de amor "Capitalism: a love story" (Michael Moore, EUA, 2009, 127 min)
Local: Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros, no IHU
Horário: das 17h às 19h
23 de Abril Exibição do filme: Trabalho Interno "Inside Job" (Charles Ferguson, EUA, 2010, 120 min)
Local: Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros, no IHU
Horário: das 17h às 19h
13 de Maio Exibição do filme: O Dia Antes do Fim "Margin Call" (J. C. Chandor, EUA, 2011, 107 min)
Local: Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros, no IHU
Horário: das 17h às 19h
15 de Maio Exibição do filme: Grande demais para quebrar "Too big to fail" (Curtis Hanson, EUA, 2011, 98 min)
Local: Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros, no IHU
Horário: das 17h às 19h
21 de Maio Exibição do filme: Debtocracy (Katerina Kitidi e Aris Hatzistefanou, Grécia, 2011, 74 min)
Local: Sala Ignacio Ellacuría e Companheiros, no IHU
Horário: das 17h às 19h

Certificado
Haverá apenas a exibição dos filmes, não sendo fornecido certificado e nem horas complementares.

Investimento
Evento Gratuito

Coordenação

Prof. Dr. Inácio Neutzling
Prof. MS Gilberto A. Faggion


Promoção
Universidade do Vale do Rio dos Sinos
Instituto Humanitas Unisinos - IHU


GAÚCHO ASSUME PRESIDÊNCIA DA CONFEDERAÇÃO
NACIONAL DAS PROFISSÕES LIBERAIS


Será realizada na próxima terça-feira (9.4.13) em Brasília a solenidade de posse da nova diretoria da Confederação Nacional das Profissões Liberais ? CNPL ? para o período 2013/2016. Assumirá a presidência da entidade o gaúcho Carlos Alberto Schmitt de Azevedo, ex-presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Rio Grande do Sul (SINDIMÓVEIS/RS) e da Federação Nacional dos Corretores de Imóveis (FENACI). A cerimônia de posse terá início às 19h30min, no Hotel Mercure Brasília Eixo ? SHN Quadra 5 ? Bloco G. A CNPL foi fundada em 1953 e congrega em âmbito nacional 27 federações de profissionais liberais, representando 39 profissões liberais de nível universitário e médio regulamentadas, num universo de 15 milhões de profissionais.

Todt Comunicação

 

O "Guerrilheiro urbano"

Em 1971/72 - num novembro - eu era um jovem cristão deslumbrado com a cidade grande, como me definiu certa vez o colega e amigo Licínio Silveira. Ia nos locais onde tinha shows porque não tinha onde cair morto.Acabava sempre entrando. Pedro Ruas, o hoje vereador que acabou baixando o preço da passagem de ônibus, era um jovem rebelde também. Ele gosta de me lembrar:
- No Leopoldina( um teatro da Independência) nós " furamos"(entrar sem pagar) a peça Hair. Tu tinhas uma camiseta do Jimi Hendrix e eu uma do CHE...

Sinceramente não lembro muito bem da minha camisa. Mas o Ruas assegura isto.

Pois digo isto pra dizer que conheço o hoje celebre fundador do PSOL,junto com Heloisa Helena, Luciana Genro e outros tantos, desde há muito tempo. Ele seguiu a vida partidária - foi do PDT muitos anos - e eu segui a minha.

Fui ao seu gabinete agora há pouco( é sexta, quando escrevo) e ele me atendeu mesmo tendo que sair em seguida pra levar as 3 intimações recebidas pra baixar a tarifa: do prefeito Sebastião Mello, do presidente do Comtu Jaires da Silva Maciel e do presidente da EPTC e secretário municipal dos transportes, Vanderley Luis Cappelari.

- Fiz de oficial de Justiça, brinca Ruas. É que o próprio Juiz que decretou a ' antecipação de tutela" - termo técnico pra redução da passagem de 3,05 pra 2,85, Hilbert Maximiliano Akihito Obara o autorizou a pegar a assinatura das três autoridades que precisavam tomar ciência pra reduzir a passagem.

- Não houve nenhuma resistência de ninguém, foi tudo muito tranquilo, disse Ruas ao sair do seu gabinete na Câmara de Vereadores pra ir ao Foro porque tinha prazo até as 17 horas pra entregar as três intimações recebidas . A assinada pelo Sebastião Mello foi às 19 horas ainda do dia 4(quinta-feira) mas as de Capellari e do presidente do Comtu, Jaires da Silva Maciel foram feitas hoje, dia 5 pela parte da manhã. Cappelari assinou pontualmente às 9 horas. Já o presidente do Comtu não colocou o horário que assinou a intimação do Juiz.

 

 

 

Pedro Ruas, do PSOL, no dia 5.4, quando comemora com o filho Diego a redução da passagem de ônibus

 

 

 

DE SÃO BORJA

 

o CARRO DO PREFEITO DE SÃO BORJA ESTAVA AGORA DE TARDE-4.4 - NA FRENTE DO PIRATINI. PERGUNTEI AO MOTORA SE O FARELO ESTAVA COM ELE, E ELE ME DISSE:

- O PREFEITO FICOU LÁ...

 

ENTÃO QUEM VEIO COMO CARRO DO PREFA????

 

 

 

O PORTÃO DAS ARMAS ESTÁ FECHADO
Por Carlos Chagas
Houve tempo em que políticos sem voto viviam rondando os quartéis, buscando sensibilizar os militares para seus interesses, suas artimanhas e suas malandragens. Eram chamados de vivandeiras, conforme os próprios militares, mas não raro tiveram sucesso. Com o fim do regime castrense, em 1985, saiu pelo ralo essa prática abominável.
Hoje, 28 anos depois, não há registro do retorno àquelas distorções. Os militares encontram-se vacinados contra o germe das quarteladas estimuladas de fora, tanto quanto contra ilusões a respeito de poderem, de dentro, corrigir mazelas peculiares à nossa sociedade. Os generais de agora não participaram do movimento responsável pela quebra das instituições não propriamente democráticas, mas assim supostas. Eram, no máximo, cadetes. Ou nem isso.
Guardam, os chefes militares de hoje, ressentimentos por conta de as forças armadas até agora permanecerem confundidas com os erros, desacertos e lambanças de antes. Aliás, causados pelo despreparo e até a ambição de maus líderes.
O importante a ressaltar, ainda num período de feridas mal cicatrizadas, está em que a chamada classe política, mesmo apresentando os mesmos vícios de todos os tempos, deixou de voltar-se para os quartéis como forma de compensar a falta de apoio popular. A banda podre sempre presente nos partidos e nas organizações das elites carece de meios para sensibilizar os militares. Menos por haver a guerra fria internacional saído pelo ralo, mais porque em nada resultaria a repetição das artimanhas do passado, senão o descrédito dos cidadãos fardados,que disso tem consciência. O Portão das Armas está fechado a incursões ideológicas, políticas ou meramente malandras.
A pergunta que se faz, assim, é a respeito de como se desenvolve o pensamento militar. Em que estruturas se assenta, agora renovado e imune a influências de minorias saudosistas de velhinhos inconformados com a perda de poder. Caberá à implacável natureza das coisas sepultar o resquício quase histórico de uma época que não voltará mais.
Os novos militares, no entanto, para onde se voltam, além de suas obrigações funcionais? Que visão dispõem da nação, além de sua fidelidade à Constituição e aos poderes constituídos?
Engolem sapos em posição de sentido quando responsabilizados pelo que não fizeram, mas tem consciência de desenrolar-se diante deles um futuro em tudo e por tudo diverso das teias do passado. O comunismo mergulhou nas profundezas, mas as causas que o fizeram emergir permanecem as mesmas. À vista de todos está a dominação de nações, de castas e de interesses que, para sobreviver, sufocam grande parte da Humanidade. Não há que servir a elas, como serviram tempos atrás. Muito menos entregar-se às suas determinações, pois o adversário, se existia, não existe mais.
Pode estar surgindo em nossas forças armadas, sempre mais integradas na população, cada vez menos provenientes das elites, um sentimento capaz de abrir novos horizontes. Como vaticinou um dos comandantes desses tempos modernos, ao referir-se à Amazônia, chegará um dia em que nossos guerreiros se transformarão em guerrilheiros. Entrar, eles entram, mas não sairá nenhum...
CONFIAR DESCONFIANDO
Está faltando, no governo, memória republicana, em especial voltada para Floriano Peixoto, aquele que consolidou a República sempre repetindo que “confiava desconfiando”. Terá a presidente Dilma certeza do apoio do PDT, do PTB e do PR à sua reeleição, só por conta das vagas agora por eles ocupadas no ministério? Estarão, esses partidos, fechados com a reeleição?
Carlos Lupi, Roberto Jefferson e Valdemar da Costa Neto serão confiáveis?
O MAIOR PROBLEMA
Não se trata da mais recente declaração do deputado-pastor, de que o Brasil vive sob uma ditadura “gay”. Todo mundo é livre para perpetrar as maiores barbaridades retóricas.
Falamos, hoje, dos monumentais estádios de futebol em vias de conclusão até a Copa do Mundo e, quem sabe, a anterior Copa das Confederações.
A pergunta é a respeito de que papel desempenharão esses elefantes brancos que tantos recursos legais e ilegais tem recebido dos cofres públicos. Depois das disputas internacionais, servirão apenas para aguardar débeis partidas de nosso cada vez mais débeis clubes?
Bem que o poder público poderia estar cuidando de finalidades alternativas. Que tal adaptar esses estádios para também servirem como colégios, até universidades? Presídios poderia ser demais, mas quem sabe?

 

 

 

O Laurinho me desancando o pau!

Boa a matéria do Assis. O texto está bom, tem ritmo, é informativo. O q estragou foi essa tua mania de sacanear as pessoas, no caso, dizendo q o Assis está num asilo, num "depósito de velhinhos". Isso é falta de respeito, de educação, é uma mesquinharia. Se tu tivesse tirado esta parte e deixado só o lado legal, que é três amigos visitarem um outro q precisa de cuidados especiais por sequelas de uma doença grave q ele teve, ficaria perfeito. E também mostranto q, apesar de tudo, o Assis está bem disposto, gozando da cara dos outros e bem cuidado. Na foto, ele está até todo alegrão. Mas, tu sempre acaba abagaceirando e estragando tudo. Uma pena...
Em tempo: nas tuas postagens mais antigas, tu ñ andava tão bagaceiro. O q mudou?
(Lauro Dieckmann, de Paris, redigido em 5/04/2013).
Enviado via iPad

 

 

 

Sabes o q é uma "femme fatale"? No museu de Belas Artes de Paris, o Petit Palais, esta escultura, a da foto em anexo, é apontada como sendo um retrato de "femme fatale". É de autoria de Camille Alaphippe (1874-1934), escultor pouco conhecido como o diz o próprio museu: "Hierática e misteriosa, a obra simboliza a imagem da "femme fatale" tendo a seus pés um adorador acorrentado, retratado como um macaquinho. O conjunto forma uma espécie de objeto de arte gigantesco, cuja forma e atraentes cores brilhantes fazem esquecer a realização técnica e criatividade deste artista ainda desconhecido". Detalhe: ao fundo, na parede o retrato de Jane Hading, moça que tentou a carreira de atriz, mas que fez mesmo sucesso no "théâtre privé" (se é que me entendes). E "femme fatale" é a mulher q faz os homens perderem o juízo (houve muitas em Paris, na segunda metade do Sec. XIX e início do Sec. XX).
Pois bem, saí hoje de manhã para ir direto ao Petit Palais". Quer dizer queria, primeiro, ir ao Grand Palais", que fica em frente, mas está fechado e só reabre dia dez (agora, de maio, mas este vai ser o "dia da tristeza", o dia do retorno, qdo volto para PoA. Então, o "prêmio de consolação" foi atravessar a rua e ir para o Petit Palais, uma obra-prima da arquitetura, que foi revitalizada há alguns anos e está zero-bala.
No saguão de entrada, atualmente, estão em destaque justamente esculturas do fim do Sec. XIX, a "era dourada da França", onde se inclui a obra acima mensionada. Tudo maravilha das maravilhas. Ao fim e ao cabo me de parei com um restaurante ótimo dentro do próprio museu e almoçei por ali mesmo. Comida boa, porção no tamanho exato para quem controla o peso e preço módico.
"D'après", sai par uma caminhada, daquelas de fazer a digestão, pelas proximidades,que são, bem a propósito, os Champs Elisées... Mas os Champs Elisées na parte em que é parque, ou seja na altura do palácio da Presidência da República. Estiquei até à Place de la Concorde e me vim de volta, até o Rond Point. Dali para cima, é só loja de griffe, e isso é assunto q te dá urticárias, ñ é? Portanto, passo batido.
Meu lado hipocondríaco me levou até, um muquifo de luxo que uma agência de propaganda, uma tal de Publicis, intalou perto do Arco do Trunfo e onde também funciona uma farmácia (além de restaurante, livraria, papelaria, perfumaria e mais um monte de coisa terminada em ia, além da sede da própria agência). O prédio é modernoso e tem uma aparência horrorosa. Só podia ser coisa de publicitário mesmo.
Aida tomei café no Charles V e chá no Starbucks (para aquecer, pois está fazendo muito frio) antes de voltarp ara o hotel, conferir os e-mails da gurizada do Saju (mesmo longe tem q ficar de olho), te mandar esta postagem e me preparar para jantar aqui por perto mesmo. Abraço. (Lauro Dieckmann, de Paris, redigido em 04/04/2013).

 

 

 

Mudanças...

 

O Jornal Gente, da Band, anunciou hoje mudanças no 1 escalão do Governo do Estado.

 

*

 

Passagens

 

Desde o começo deu pra se ver que a ' crise' das passagens ia dar nisto....

 

*

 

Uma cobradora foi demitida na 5 por postar no feice que torcia pelo rebaixamento do preço. Nada de novo. Eu que uso os coletivos da Carris vi muitas vezes, no T-9, motoristas e cobradores 'doutrinando' os passageiros contra o aumento do preço. Mas eles propugnavam aumento do seu salário,claro!

 

 

 

Tudo para o seu sabor com doces

ADELI SELL*

Quando se entra num supermercado parece que a gente vai achar de tudo que se quer e precisa. Nada disto. Para fazer sua torta, bolo, pudim, rocambole, pão-de-ló, cuca, bolachas e tantas outras guloseimas que a vovó nos ensinou tem local certo, sem medo de errar: Mercado Público Central. Tanto no Armazém do Confeiteiro (Fone: 32257221), tocado pelo Telmo Kader, de Passo Fundo, quanto no Armazém do Mercado (Fone: 32241402), de Manuel Celestino Azevedo Carvalhal, português de Benavento.

Não é qualquer um que pode entrar em uma confeitaria e comprar doces às pampas para a festa de um ano da filha, ou uma torta para o aniversário da mãe. Fazer em casa estas guloseimas sempre é mais barato e regra geral é mais gostoso, quando se mantém a tradição.

E nem sempre se trata de preço. Tem aquelas receitas que só a mãe, a tia ou a vó sabem fazer. É mais ou menos como o sagu feito em casa, pois não tem outro que ultrapasse o saber daquele. Seja no sagu, na ambrosia, no doce de abóbora, tem aquela canela ou especiaria que as lojas de confeiteiros do Mercado sempre têm.

Pois nestas duas lojas tem de tudo. E dizem os meus dois amigos, que não começaram no ramo, mudaram depois da reforma, migraram do peixe e da carne para os doces. E estão satisfeitos, porque o comércio de doces cresce a cada dia.

Em tempos em que o açúcar se tornou vilão das dietas, uma alternativa é os produtos naturais e alguns cereais, mas nisto tem outras lojas que os ultrapassam.

O Telmo com a esposa abriu vários cursos de confeitaria, com uma procura ímpar. Pois não tem como fazer uma verdadeira bolacha alemã como fazem minhas amigas Dorli Bartz e Nêmora Meincke - Vovi's Biscoiteria - sem os produtos de confeiteiro das lojas do Mercado.

"Coma com moderação" se fores capaz...

ADELI SELL é escritor e consultor

 

 

 

Possíveis mudanças

no escalão estadual

Por Neuza Penalvo,
de São Borja

Analistas políticos de plantão comentam que brevemente acontecerão reformas em alguns setores do Governo Estadual. Quem viver,verá...Tratam-se de mudanças para as próximas eleições tudo no melhor estilo de um bom costureiro fazer os ajustes necessários buscando obter o apoio que garanta mais uma vitória. As mudanças serão pontuais para não deixar dúvidas quanto a quem deve continuar participando do Governo contribuindo com a implementação de um projeto de governo comprometido com o campo popualr e sem deixar de dar a devida atenção ao setor primário como contraponto a quem apenas quis estar no governo.

 

 

 

Coleguinhas

 

Assis Valdir Hoffman

 

Da Gloria ao asilo

 

- Vamos visitar o Assis me gritou o espanhol que tava no Tuim na terça ultima com o Erno Schneider(aquele famoso fotógrafo que fez o Janio de pés trocados ...)

Espanhol, como sói acontecer se levantou em seguida e foi embora. Nem acreditei muito que íriamos, mas antes das 9 do dia seguinte estava no Savoy, um hotel do centro de Porto Alegre que já teve seus momentos de glória( aqui neste lugar onde estamos tomando o café, me disse o Erno, eu vinha sempre nos fins de tarde tomar trago. Era um local de happy hour,disse ele que acrescentou que o chargista Sampaulo ' não saía de lá'.)

Pouco depois sobe a recepcionista e nos informa que o espanhol ligou dizendo que já passaria. Milagre, pensei. O espanhol vem mesmo....

 

Descemos uma rua do centro e ao longo da Edvaldo Pereira Paiva pessoas se exercitando( como eu sempre faço na pracinha da Encol).

Enquanto íamos andando espanhol e Erno falaram de tudo, dos fotógrafos com os quais conviveram. Espanhol falou muito do Lamas(Olívio)

 

- Fui ve-lo uma semana antes de sua morte no Hospital da PUC. Ele sabia que iria morrer, que estava no fim, contou espanhol que se arrepende de não ter deixado tudo e ter ido no enterro do colega .

 

- A mulher dele me ligou dizendo da morte dele mas não pude ir.

 

Passamos pelo Beira Rio(hoje dia 4 é aniversário do Inter, 104 anos) e vi todas aquelas obras. Muito tempo não passava por lá.

Fomos indo até que na Vila Assunção o espanhol mostrou a casa de uma irmã sua - bem perto do colégio Santos Dumond, onde vota a Dilma, disse eu.

O Espanhol ainda apontou um bar onde é bom ir nos fins de tarde, que se avista um lindo por do sol.

 

Quando ganhamos Ipanema, senti que estávamos próximos do asilo onde vive Assis( é perto da casa onde ele morava).

A realidade, um pouco mais cruel, nos esperava logo à frente!

Demora

 

Na frente do asilo, o espanhol estaciona o carro. Batemos e uma funcionária veio atender.

De fora não se ve nada do que tem lá dentro, que na verdade,desculpem a expressão ' é um depósito de veilhinhos' alguns enfermos, de cama.Eu já tinha estado num asilo em 1976, por coincidência com o Olívio Lamas de quem falamos durante o trajeto do centro até Ipanema, quando fomos fazer a cobertura de uma eleição em Santa Maria. Mas aquele asilo era de gente abandonada, então a realidade era bem mais cruel.

Voltemos ao nosso asilo, ou melhor do Assis. Quando abriram a porta nos informam que o nosso amigo está no banho. Esperamos do lado de fora. Ninguém quis entrar.

O Assis chega e se apresenta. É o mesmo da ultima vez que o vi pelo centro da cidade? Não está um pouco mudado. Me parece mais moço( ele tem apenas 72 anos).

Assis teve algons enfartes do coração e um deles afetou o seu cérebro. Por isto fala lentamente.

É preciso compreensão com o amigo e colega.

Mas ele brinca como velhos conhecidos. Me pergunta pelos Pinheiro Machado( fui casado com uma filha do Luis Carlos, que foi dono da Granja, onde "metade" do Partidão, que tava sempre desempregado por causa de greves, trabalhou. Inclusive o Assis que não era fácil de lidar.

Lembro dele na nossa viagem ao Chile, quando ele se negou a andar num helicóptero pra fotografar uma extensa fila de caminhões todos emperrados na Cordilheira dos Andes. O dono da transportadora queria locar um helicóptero mas o Assis se negou. Tinha medo do vento dos Andes.

 

Erno Schneider me reprende pela lembrança, mas foi tudo ali na frente do amigo.

 

Nenhum saia justa.

 

Ele e o Espanhol falam do velho Breno Caldas, do pai do Espanhol,o José Abraham,e Assis diz que o velho José chamava todo mundo de ' joinha'.

( em tempo. Quanto Tonho(Francisco Antônio) Caldas botou Assis a chefiar a fotografia da Caldas, muitos velhos ' raposas' da fotografia não gostaram. Uma que Assis reservava as melhores coberturas sempre pra ele: Copa do Mundo( foi na da Alemanha) corrida de Formula Um e por aí afora e também ia sempre com o Flávio Alcaraz Gomes nas coberturas internacionais.

 

( Sobre a Guerra dos Seis Dias, em 1967,q ue Assis foi com Flávio, ele me negou que aquela versão que contam do ' te abaixa Assis, te abaixa Assis, olha os tiros,seja verdade...) ele afirma que Flávio sempre se preparava muito bem pras coberturas que fazia.

 

Mulheres

 

Claro que dois ou quatro veinhos começam a falar em mulheres. Lembranças....Espanhol e Assis lembram de umas ' namoradas ' que um roubou de outra...

 

- Te lembra daquela alemoa que tu me roubou, reclamou Espanhol.

Tudo na santa paz. Risadas só. Assis faz sinal que hoje ele quebra o galho na p.....(entenderam né....)

 

Espanhol combina um arroz de puta pobre que sua esposa sabe fazer como ninguém que o veio Assis gosta. Combinam de talvez fazer um com o Erno.

 

Pouco depois deixamos a casa.

 

Eu e o Erno pouco falamos sobre o velho conhecido. Espanhol conta que as primeiras vezes que ia lá voltava deprimido.

- Teve um domingo de tarde, num inverno, tudo nublado que saí muito mal de lá.

 

Espanhol fica na sua casa, entramos rápido, ficamos um pouco e voltamos.

 

Eu e o Erno pegamos o ônibus na parada. Em pouco tempo estavámos no centro onde numa lancheria entrevistei o Erno.

- Quando ficar velho não quero ficar como ele, me diz o famoso fotógrafo das pernas trocadas do Jânio.

 

Pois, é, mas o Assis tem 72 anos e o Erno 77!

Assis(no centro) ladeado pelo espanhol e pelo Erno Schneider no asilo onde vive em Ipanema.

 

 

 

Coleguinhas

 

Mesmo em Paris, o Lauro não deixa de dar pau na RBS/TV.

 

*

 

Falar nisto, na CMPA há uma estranha ilação: como a "Zero" não deu uma linha do seminário das " reformas de base" -leia-se Almino Affonso e Valdir Pires - alguns ' luas pretas ' da comunicação tá achando que é implicância da Rosane de Oliveira(colunista) e da editora Dione Kuhn, que seriam mais ' brizolsitas' do que ' janguistas". E dizem mais. a ZH está de olho no ' espólio ' de fotos e documentos de Brizola, que uma neta do velho Briza teria prometido. Mas por enquanto está tudo na Justiça. por decisão do filho João Otávio.

 

 

 

Passei na loja da fnac na Champs Elisées para comprar um passe para todos os museus. E e examinei o mini-iPad que eles têm à venda e é uma movidade. Já q tinha acesso à internet, proveitei para espiar o teu saite.
Aqui, o inverno ñ quer arredar pé, embora na roda das estações já seja primavera. Mas é um frio suportavel.
E as francesinhas ficam lindérrimas nas suas saias e casacões longos, suas echarpes, seus gorros, e os rostinhos avermelhados do frio. Francesinhas de todas as idades, nem entendido.
Cheguei hoje, pelo meio da tarde. Ontem choveu no Rio e os voos atrasaram. O meu, atrasou mais de uma hora. Ainda bem q por aqui sempre anoitece mais tarde, como em todo lugar q fica mais perto dos pólos.
Nos próximos dias, o tempo vai ficar como hoje. A previsão é q até neve, mas o taxista português q me trouxe do aeroporto ñ está acreditando nesta possibilidade. Vai ver q é uma "neve" do tipo ZH/RBSTV, q eles badalam enlouquecidos, mas q nunca cai.
No "social" a novidade são os "rom", os romenos miseráves q vêm viver em malocas na Franca. Aqui em Paris, está surgindo aos montes. São do tipo Vila Chocolatão. Eles aproveitam q a União Européia possibilita o livre trágego de capitais, bens e pessoas entre todos paises parceiros e se vêm. E eu fui, até!

 

 

 

Velório na CMPA dia 1 de abril da vereadora Sarai.

 

O deputado federal Dionilso Marcon, do PT e o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Estilac Xavier

 

 

 

Velório da vereadora Saraí, a presença da Sofia Cavedon(PT)

 

 

 

No velório da vereadora(suplente)do PT, Saraí, na segunda, Mauricio Picin, da Secretaria de Justiça do Governo do Estado e João Ponte, da Secretaria de Cultura também do governo do Estado.

 

 

 

No velório da vereadora Saraí, a presença da vereadora do PP, Monica Leal.

 

 

 

 

Crítica situación en La Plata: 29 muertos


El gobernador dio esa cifra de víctimas fatales para la capital bonaerense y sus alrededores. "Nunca vi una cosa igual", dijo el gobernador. Ayer, en apenas tres horas, cayeron más de 300 milímetros y media ciudad quedó bajo el agua. Unas 2.200 personas fueron evacuadas. Y hay cientos de vecinos atrapados en autos o en los techos de las casas que esperan ser rescatados.

De Buenos Aires
Enriqueta Sollares

Mientras en la Ciudad todavía luchaban por reponerse de las graves consecuencias de la tormenta, un violento diluvio azotó a la ciudad de La Plata. En apenas tres horas cayeron 300 milímetros que dejaron a la capital bonaerense bajo el agua. Por la brutal tormenta, el gobernador Daniel Scioli acaba de confirmar que hay 25 muertos y más de 2.200 evacuados. "Nunca vi una cosa igual. Esta situación no tiene precedentes", aseguró hace instantes Scioli al informar que "hay 25 víctimas fatales" por el temporal en la ciudad de La Plata y sus alrededores. Esta mañana, el jefe de Gabinete de la Municipalidad de La Plata, Santiago Martorelli, había confirmado que un hombre había sido encontrado muerto en calle 12, entre 41 y 42, a cinco cuadras de la gobernación. Poco después, la policía halló el cuerpo de otro hombre debajo de un Peugeot 206, en la avenida 13, entre 38 y 39. Luego, fuentes oficiales confirmaron que había otros dos fallecidos.

 

IMÁGENES...

Más temprano Martorelli había advertido que la cifra de víctimas fatales aumentaría con el correr de las horas. “Las consecuencias del temporal son gravísimas. Tenemos 2200 evacuados y está llegando más gente a los centros de evacuación”, dijo. Y agregó: “Hay víctimas fatales. La policía confirmó una víctima, pero todavía estamos esperando el parte de los hospitales".

En la misma línea se había expresado el ministro de Seguridad bonaerense, Ricardo Casal, quien anticipó que "va a haber más (víctimas fatales)", pero aclaró que todavía no podían difundir datos precisos. Hasta ahora hay 2.200 evacuados, a las que se suma una cantidad no precisada de personas que tuvieron que dejar sus casas por su cuenta.El secretario de Seguridad, Sergio Berni, aseguró hoy que "media ciudad de La Plata" se encuentra "bajo agua". Por ello, en el lugar trabajan personal del Ejército, Gendarmería, Policía Bonaerense y Prefectura. Además de las personas evacuadas, decenas de vecinos continúan desde ayer varados en sus autos, donde los sorprendió la tormenta. También hay personas refugiadas en techos de viviendas. Muchos utilizan las redes sociales o se comunican con radios y canales de televisión para pedir ayuda.
"Mi mamá está en la calle 43 y 13, en pleno centro, arriba de un colectivo de la empresa Oeste desde las 7 de la tarde sin que nadie la rescate junto a los demás pasajeros", comentó Fernanda Alonso, periodista de TN.com.ar. Eva, su madre, permanece junto a los demás arriba de los asientos "porque el agua ya les llega al tobillo y no baja", señaló la periodista. Junto a ella hay unas 20 personas. De la misma manera, decenas de personas aguardan en sus autos que lleguen a rescatarlos. En uno de esos vehículos se halla atrapada uma jovem com su bebé de meses. En la misma situación se encuentra el jefe del bloque de diputados bonaerenses de la UCR, Ricardo Jano, quien permanece varado en una estación de servicio desde hace doce horas. En el mismo lugar hay otras 80 personas, quienes, según el diputado, todavía no recibieron ayuda.

Jano señaló que ayer a las 20 fue hasta la estación de servicio a auxiliar a su hija, que estaba varada por la lluvia, pero nunca pudo salir. El legislador añadió que "en el lugar hay muchos chicos" que hasta el momento no fueron asistidos. "Estamos con mucho frío porque todo el mundo está mojado hasta la cintura. Estamos en las calles 520 y 19. Acá hay 80 personas durmiendo, entre los que hay chicos”, dijo en declaraciones a radio 10. La situación es desesperante. En varias zonas de la ciudad, incluido el centro, el agua superó el metro y medio de altura. "Hay casas que tienen entre uno y dos metros de agua. Tuvimos que rescatar a gente de los techos", afirmó a TN el sargento Federico Langone, bombero de Berisso, quien agregó que hay seis móviles y tres embarcaciones que se movilizan para brindarle ayuda a la gente. "Hay mucha correntada y se produce lo que llamamos efectos de arrastre: mucha gente que se quiere autoevacuar que queda varada en el agua. Estamos tratando de cubrir todo tipo de llamado", indicó. Con respecto al área en la que están interviniendo Langone sostuvo que "todos los caminos a la ciudad de La Plata están anegados". "Estamos evacuando a las personas que están una situación complicada. Todos los sistemas de emergencia funcionan. Estamos priorizando la vida, más que nada", afirmó. Las autoridades dispusieron asueto administrativo y educativo debido a la crítica situación en que se encuentra la ciudad.

 

 

 

 

Coleguinhas

Luiz Carlos Azenha tomou um processo da TV Globo e foi condenado a pagar 30 mil reais a Ali Kamel,diretor de Jornalismo da mesma.

Pensou em parar com o blog, mas parece que vai continuar, afirma seu amigo Arno Maciel.

 

 

 

OS FUNCIONÁRIOS OLHAM O SHOW DOS GAUDERIOS DE ' VILA SECA'

e a ' guria' toma fotos dos mesmos.

 

 

 

Um conjunto ' nativista' de Vila Seca,interior de Caxias, esteve agora há pouco na ALRS.Eles vieram convidar pra festa do ' Divino.

Na saída da audiência, eles tocaram pro pequeno público que estava no andar térreo.

E posaram na ' estatua ' do Getulio.


 

 

 

Tenho acompanhado a trajetória do neto do Jango. Finalmente ele assumiu uma cadeira local. Claro que foi um ' regalito- Marcio Bins Ely lhe deu a cadeira por uma semana, mas ele tava na fila de espera. Bom mandato,vereador. Siga os passos do avó, que eu nem conheci(O editor)

Christopher Goulart toma posse na Câmara Municipal
No dia em que o Golpe Militar de 1964 completa 49 anos, o vereador suplente Christopher Goulart (PDT), neto do presidente deposto João Goulart (1918-1976), tomou posse na sessão ordinária desta segunda-feira (1º/4). Em 2012, Christopher foi candidato a vereador e ficou como suplente pelo PDT na coligação Avança Porto Alegre (PRB-PP-PDT). Ele assume a cadeira do vereador titular Márcio Bins Ely (PDT), que está em licença de saúde. Em seguida, a sessão foi encerrada para a realização do seminário 1964: Reformas de

 

 

 

Saiba quem foram os denunciados à Justiça no caso da Boate Kiss

O Ministério Público denunciou oito pessoas no caso do incêndio da boate Kiss. Nenhum deles pertence à administração municipal, sequer o prefeito Cesar Schirmer, demonizados pela Polícia Civil no seu irriquieto inquérito. O MPE não enxergou elementos no inquérito policial para enquadrá-los, mas poderá pedir novas investigações. Os denunciados são todos vinculados diretamente à administração da boate e à banda, mais dois policiais-militares do Corpo de Bombeiros, organização do governo do sr. Tarso Genro. Resta saber o que fará o governo estadual com a sua parte de responsabilidade no caso. O Piratini não se manifestou até agora sobre isto.

Denunciados por homicídio doloso (podem ir a júri popular) e tentativa de homicídio

Homicídio qualificado por fogo, asfixia e torpeza

- Elissandro Spohr, o Kiko (preso), 30 anos. Empresário de era um dos sócios da Kiss..

- Mauro Londero Hoffmann (preso), 47 anos, empresário e um dos sócios da Kiss.

- Luciano Bonilha Leão (preso), 35 anos, produtor da banda Gurizada Fandangueira.
- Marcelo de Jesus dos Santos (preso), 32 anos. Vocalista da banda Gurizada Fandangueira. É casado e mora em Santa Maria. Além de músico, durante a semana também trabalhava como azulejista.

Denunciados por fraude processual
- Gerson da Rosa Pereira , oficial do Corpo de Bombeiros, o major é chefe do Estado Maior do 4º Comando Regional dos Bombeiros. Segundo a polícia, teria incluído documentos na pasta referente ao PPCI da Kiss após o incêndio.

- Renan Severo Berleze, 31 anos, é natural de Santa Maria. Sargento dos bombeiros, tem Ensino Superior incompleto e é casado. foi indiciado pela Polícia Civil por incluir documentos na pasta referente ao PPCI da boate.

Denunciados por falso testemunho
- Elton Cristiano Uroda, ex-sócio da boate Kiss

- Volmir Astor Panzer, contador da GP Pneus, empresa da família de Kiko. Tentou omitir quem era o sócio investidor da Kiss

 

 

 

ERNO SCHNEIDER

VAI VISITAR ASSIS HOFFMANN

 

 

O ganhador do Prêmio Esso de Fotografia, com a famosa foto dos pés trocados que saiu no Jornal do Brasil está em Porto Alegre. Ele vai visitar seu colega mas acima disto,amigo, Assis Valdir Hoffamnn, numa clínica na zona sul da cidade.

 

Erno Schneider,que tem 77 anos, nasceu em S.Sebastião do Caí(RS).

 

Em 1960, saiu do Palácio Piratini, onde trabalhava para Leonel Brizola(governador) e foi pra o jornal Ultima Hora, que ficava na Sete de Setembro.Depois foi para o Rio de Janeiro, onde trabalhou no JB, no Correio da Manhã, no Globo, só pra citar alguns.

- Fiz aquela foto( refere-se a que ganhou o Premio Esso de Reportagem) em uruguuaiana, numa visita do Jânio Quadros(presidente).

Ele veio se encontrar com o Calros Frondisi(presidente argentino) conta Erno,entre um e outro gole de cachacinha.

 

Hoje, no Tuim, no aperitivo, estava acompanhado do fotografo ' espanhol'(Alfonso Abraham) filho do José,que ele fotografou numa sequencia de fotos quando José apanhava do treinador do Flamengo. Zeze Moreira.

 

- Um jornal dos Diários Associados publicou aquelas fotos do Zeze batendo no espanhol(José Abraham) na capa, recorda ele.

 

As fotos que se tornaram um documento feitas pelo Erno do colega Espanhol apanhando do Zeze Moreira tiveram como causa umas fotos que o Espanhol tinha feito do próprio Zezé xingando o arbitro do jogo. Um dos times que joagava era o Flamento e o outro seria o Grêmio.

Quero ver se consigo fazer um depoimento bom dos dois velhos fotógrafos gaúchos.

Erno agora há pouco lembrou que sempre que vinha pro Sul pra trabalhar com o Globo, cuja redação ficava na Ladeira, esquina com a Rua da Praia, ele e o chefe da sucursal, Tabajara Tajes, desciam da redação e ficavam a tarde toda tomando cachaça e conversando no Tuim, que então era um pé sujo de bêbados,vagabundas e até prostitutas que perambulavam pelo centro( hoje virou chique)

 

PRIMEIRO A SABER

 

Erno me contou que quando trabalhou no Correio da Manhã, jornal que foi fundado em 1901, a dona do jornal não o deixou ir pro Globo, onde ele tinha convite pra trabalhar.

 

- Tu não vais sair, me disse ela, de quem eu era amigo. Como ela iria demitir 4 fotógrafos( tinha 10 na equipe) eu disse pra ela que não os demitisse que ficaria no Correio da Manhã.

 

Mas um dia ele foi chamado à casa da dona do Correio da Manhã - jornal muito perseguido pela ditadura de 1964 - Niomar Moniz Sodre(filha de um senador) e ela o avisou de que o Correio do Manhã fecharia. Para sua grande surpresa, inclusive.

 

- Podes ir tu pro Globo e levar teus colegas também porque o jornal vai fechar, o avisou.

 

Ele relembra:

 

- Fui o primeiro funcionário a saber disto, diz ele, hoje.

 

No Jornal do Brasil, Erno Schneider trabalhou ainda quando a redação ficava na av. Rio Branco.

 

Hoje ele diz que lê o Globo, que é o melhor matutino cariocas, no seu entender.

 

Ele reconhece que o galardão do Premio Esso Nacional lhe deu fama, mas que um fotógrafo ' tem que manter uma média".

- Não adianta apenas ganhar um prêmio, se não mantiver uma boa média de rendimento, ensina Erno.

 

Quando vem ao Sul, o famoso fotógrafo fica geralmente no Savoy Hotel, da Borges.

Erno Schneider bebia sua cachacinha no Tuim,agora ao meio-dia.

 

 

 

INTERNAÇÃO!

DONA IONE PACHECO SIROTSKY, que vem a ser a maior acionista da RBS, está internada no Moinhos.
Ele tem 85 anos. No tempo de juventude era conhecida por ' cotovia da Serra"

 

 

Waldir Pires relembra período pré-golpe militar
O resgate da memória do presidente João Goulart marcou a fala do ex-ministro Waldir Pires, que abriu o segundo painel do seminário 1964: Reformas de Base, realizado nesta segunda-feira (1º/4), na Câmara Municipal de Porto Alegre. “São muito poucos da nova geração que conhecem a natureza do comportamento do presidente João Goulart. Não encontram fonte de leitura, de notícia. Creio que estamos no momento de desfazer essa injustiça”, ressaltou.

Ele também destacou a trajetória política de Jango, eleito vice-presidente da República duas vezes. Na primeira, com meio milhão de votos acima da votação de Juscelino Kubitschek. “Na segunda, com mais de dois milhões acima do vice-presidente do candidato eleito, Jânio Quadros. De modo que tinha legitimidade absoluta”.

Pires disse que Jango era “um grande presidente voltado aos caminhos da democracia em todos os aspectos, em todo o seu tempo”. Segundo ele, João Goulart foi vítima dos interesses estritamente mobilizados de grupos econômicos internacionais. “Naquele momento, inclusive, dos Estados Unidos (EUA)”.

Consultor-geral da República e ministro da Justiça no governo Jango, Pires relembrou o período anterior ao golpe militar, perpetrado no dia 1º de abril de 1964. “Eu assisti ao golpe de Estado. Eu estava lá. Eu vi o que aconteceu. Acompanhei todo aquele clima.”

Junto a outros apoiadores de Jango, Pires disse que esteve na Granja do Torto, onde morava o presidente João Goulart. “O general Ladário Teles, comandante do III Exército, naquele dia, pela manhã, faz uma declaração dizendo que não estava de acordo com os colegas e não acompanharia o golpe de Estado”, contou.

Foi então que Jango decidiu ir ao Rio Grande do Sul para encontrar-se com o general, como contou o ex-ministro. O presidente deveria voar numa aeronave da Varig devido à ameaça de o avião presidencial ser abatido no ar pelas forças golpistas. “Mas, as turbinas do avião foram sabotadas. Depois de meia hora, ele trocou por um aviãozinho, no qual se deslocou a Porto Alegre”.

Conforme Pires, ao deixar Brasília, Jango abriu espaço para que os golpistas afirmassem que ele tinha abandonado o País. “Escrevi uma comunicação ao presidente do Congresso relatando o que tinha acontecido. No documento, estava escrito que João Goulart tinha tomado esta atitude para cumprir o seu dever de resistir a qualquer tipo de ação de violação da legitimidade”.

O comunicado, como explicou Pires, foi ignorado pelos golpistas, que afirmavam que a nação estava acéfala e declararam vaga a Presidência da República. “Isto antes de encerrar a sessão. Houve um tumulto violento, apagaram-se as luzes e assim se fez o golpe de Estado”, lamentou. “Assistimos saírem os golpistas, que passaram pelo Supremo Tribunal Federal e arrebanharem o presidente para dar posse ao sr. Ranieri Mazzilli como presidente da República. Assim tivemos esse período iniciado em nosso País”.

"Em 4 de abril de 1964, Jango desembarcou no aeroporto de Carrasco, em Montevidéu, e pediu asilo político ao Uruguai", relembrou. “Quando se deu o golpe, João Goulart era intimado a pagar ao governo do EUA cerca de três bilhões, numa época em que todas as exportações não chegavam a dois bilhões.”

Pires finalizou dizendo: “Estamos chegando num momento de recuperação da imagem de Jango, o que é fundamental para a construção da democracia. Democracia esta que é assegurada para respeitar os direitos da dignidade da pessoa humana, que é a sua vida!”

 

 

 

O 31 DE MARÇO E AS MÃOS DO GATO
Por Carlos Chagas

Noves fora os furibundos defensores de tudo o que aconteceu nos 21 anos do regime militar, importa lembrar: a opinião pública não reagiu ao golpe. Pelo contrário, parte da população apoiou, a maioria apenas assistiu. Insurgiram-se muito poucos, mesmo assim, retoricamente. O governo João Goulart caiu feito um castelo de cartas, em parte por obra e graça do então presidente, que desautorizou a resistência armada. Ainda no palácio das Laranjeiras, no Rio, impediu o ministro da Aeronáutica de mandar bombardear com petardos incendiários as ainda insipientes tropas do general Mourão Filho, entre Juiz de Fora e Petrópolis. Inocentes que habitavam a região seriam queimados, coisa para ele inadmissível. Mandou regimentos da Vila Militar subirem a serra, mas eles aderiram ou voltaram sem disparar um tiro. De São Paulo, o II Exército apoiou a rebelião e lançou-se na estrada para o Rio. No resto do país, a mesma coisa.
Jango percebeu o perigo de permanecer na antiga capital, já dominada pelos insurgentes. Tentou ficar em Brasília, mas não contou com a guarnição local. Seguiu para Porto Alegre, onde o general responsável só podia garantir sua segurança pessoal por poucas horas: a tropa rebelara-se também no Rio Grande. Assim, depois de voar para uma de suas fazendas, em São Borja, um dia depois acabou no Uruguai, sempre preocupado em não ser responsável pelo derramamento de sangue. O Brasil deve ao ex-presidente esse gesto.
Hoje, 49 anos depois, com quase todos os personagens daquele 31 de março já mortos, a pergunta que se faz é se poderia ter sido diferente, não em termos de guerra civil, porém politicamente. Afinal, mesmo contaminados pela propaganda anti-comunista, os militares rebelados também não desejavam o conflito armado. Bastou a demonstração de força, com a colaboração da maioria do Congresso, para que tudo se resolvesse mais ou menos conforme a Constituição vigente, apesar de a luta pelo poder haver conduzido a iniciativas inconstitucionais e violentas, como a cassação de mandatos e as prisões ilegais.
O que veio depois pouco teve a ver com as intenções iniciais dos golpistas, fora certos bolsões radicais que nessas horas assumem iniciativas extremadas, quando estimulados e não contidos.
É preciso que quase meio século tenha transcorrido para a exegese ainda não definitiva da transformação de uma mera quartelada em ditadura cruel e ilimitada. A verdade é que por trás da espada acirrou-se a ambição das elites retrogradas e infensas às reformas sociais que atabalhoadamente vinham sendo propostas por João Goulart. Os militares, boa parte por ingenuidade, outra por ignorância, foram as mãos do gato com que as elites econômicas tiraram as castanhas do fogo. Houve participação externa, é claro, com os Estados Unidos e as multinacionais se destacando, mas, no fundo, a responsabilidade ficou mesmo com industriais, banqueiros, grandes comerciantes, empreiteiros, especuladores, barões da mídia e demais espécimes nacionais da fauna que, de amedrontada com a sombra das reformas, transmudou-se em ave de rapina. Ainda há dias um líder trabalhista denunciou a participação da FIESP na banda mais podre do regime instaurado, estimulando a perseguição e até a tortura nos adversários do golpe. Talvez não fosse a FIESP, como instituição, mas foram montes de seus integrantes.
Os sucessivos generais presidentes que se sucederam tiveram culpa, é óbvio, pois preferiram seguir o roteiro preparado pelas forças ocultas atrás do trono, sem reagir. Assim, o regime foi perdendo setores de opinião que o tinham aceitado: a Igreja, a classe média e a imprensa, em maioria, passaram de adeptos a indiferentes e, depois, a adversários. Até parte do empresariado engrossou a fila da discordância e da resistência.
Os 50 anos do 31 de março merecem, antes de completados, uma análise que poderia começar pela leitura dos jornais da época da eclosão do movimento militar até sua débâcle nos anos oitenta.

 

 

 

Estou assombrado, a ombudsman da Folha de S. Paulo, Suzana Singer, revela que cada edição diária traz, em média, 99 erros de informação. O que em um ano são 3615 informações erradas. Se eu fosse assinante da Folha, o que não sou, entraria na justiça pedindo devolução das assinaturas pagas e mais uma pequena fortuna por abalo moral. Não sei se depois desta revelação a dona Suzana ainda continua no emprego.

O teu colega jornalista Luiz Carlos Azenha quase terminou com sua participação no universo bloguista por conta de um processo que o todo poderoso diretor da Globo Ali Kamel moveu contra ele. Fica chato a grande imprensa processar os pequenos, perdem a razão de vez.

Os fatos que foram julgados na AP470 pelo STF ocorreram em 2004, aconteceram portanto há quase 9 anos. A publicação dos acórdãos dos juízes se dará provavelmente neste mês. Dai correm prazos para os condenados recorrerem e segundo os especialistas do setor, muita água ainda vai correr por este rio.

E para terminar, proponho que o dia 31 de março seja considerado o Dia da Nação Infame, não para comemorar alguma coisa, mas para lembrar aos brasileiros o dia em que o país virou contra eles.

Remindo Sauim, de Canoas

 

 

 

VALDIR CONTA OS BASTIDORES

 

DO GOLPE DO JANGO!

 

Estou chegando agora há pouco do seminário sobre Jango na Câmara Municipal. Vou escrever tudo pro site. Gostei principalmente do Valdir Pires, com quem até tirei fotos.

 

O Almino Affonso também foi legal, mas não tanto. o Valdir Pires falou do calor dos acontecimentos.O publico ouviu atento.

 

 

 

EXPERIÊNCIA PERIGOSA
Por Carlos Chagas


É perigosa a experiência sugerida pelo ex-presidente Lula para garantir a reeleição da presidente Dilma. Ele quer que o PT abra mão de disputar alguns governos estaduais para apoiar candidatos de partidos aliados, em especial do PMDB. Fala do Rio e de São Paulo, com o sacrifício de Lindemberg Farias e de Aloísio Mercadante ou Luís Marinho. Assim, haveria unidade em torno do segundo mandato de Dilma e grandes chances de sua vitória ainda no primeiro turno.
Há reação entre os companheiros diante dessa proposta. Entendem líderes petistas que a popularidade da atual presidente, em ascensão, parece bastante para ensejar sua presença em mais de um palanque. Não seria confortável para o PT, mas pior ficaria se o partido não tivesse candidato próprio.
Só por milagre a palavra do Lula deixará de ser acatada na hora das decisões, ano que vem, mas dirigentes regionais do PT vão insistir na inversão da equação, ou seja, por que aliados paulistas e fluminenses não aceitarão compor-se em torno dos seus indicados?
O diabo é que os argumentos do PMDB e afins são os mesmos: sem candidatos próprios nos maiores colégios eleitorais do país, deixariam de eleger bancadas mais densas para o Congresso e as Assembléias.
O nó poderá ser desatado quando, no primeiro semestre de 2014, começarem a ser feitas as pesquisas para valer, no estados. Caso Luis Fernando Pezão, do PMDB, apareça muito acima de Lindemberg Farias, adiantará muito pouco o PT insistir na candidatura própria, no Rio. Só que a recíproca também será verdadeira. Vale o mesmo em São Paulo: se Mercadante liderar a corrida contra um candidato do PMDB ainda desconhecido, melhor seria sua indicação única.
NOVA TENTATIVA

A presidente Dilma deverá retomar, esta semana, negociações com o PR e o PTB, visando abrir-lhes espaços no governo para solidificar a aliança necessária à sua reeleição. Até agora os nomes sugeridos pelos republicanos para o ministério dos Transportes não entusiasmaram a presidente, que insistirá em César Borges, rejeitado pelo partido. Quanto aos trabalhistas, gostariam de um ministério, qualquer que fosse.
O problema com relação não apenas ao PT e o PTB, mas também envolvendo PDT, PSB e outros, é a falta de garantia no apoio ao segundo mandato, quando se aproximarem as eleições.

 

 

 

Representantes do movimento estudantil repudiam violência

Representantes de 29 entidades estudantis estiveram reunidos com o prefeito José Fortunati e o vice-prefeito, Sebastião Melo, na tarde desta segunda-feira, 1º, quando entregaram um manifesto com reivindicações dos estudantes. Formulado a partir Jornada de Lutas da Juventude Gaúcha, o documento demonstra a contrariedade ao aumento da tarifa do transporte coletivo na Capital e rechaça os atos de violência e vandalismo praticados na manifestação da última quarta-feira, 28, em frente ao Paço Municipal. A agenda foi solicitada e organizada pela União Estadual dos Estudantes (UEE). (fotos)

Fortunati recebeu o documento das mãos do diretor de Universidades Públicas da UEE, Fábio Kúcera, que trouxe, ainda, um convite para que a prefeitura participe de seminário do movimento sobre o reajuste das tarifas. O prefeito aceitou a proposta e convidou os estudantes a integrarem o Grupo de Trabalho da revisão da planilha da tarifa e das licitações do transporte público. “A prefeitura está permanentemente aberta ao diálogo de forma ordeira e respeitosa. O que aconteceu aqui no Paço na quarta-feira passada não fere só os servidores e o Paço Municipal. Fere principalmente o Estado Democrático de Direito”, enfatizou o prefeito.

Segundo Kúcera, o movimento estudantil repudia o enfrentamento violento e o desrespeito aos bens públicos. “Acreditamos que a violência desacredita o movimento e a manifestação, não representando a luta dos estudantes, nem da população de Porto Alegre”, afirmou.

Representando a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, Pedro Igor Chaves reafirmou o posicionamento contra a utilização de violência nas manifestações e a opção do movimento de não causar grandes transtornos na cidade. “Procuramos priorizar manifestações que evitam o horário do pico para que nossa luta legítima seja de respeito a todos que vivem na cidade”, completou.

Projetos para redução da tarifa

Durante a reunião, Fortunati falou também sobre o trabalho que já vem sendo feito pela prefeitura visando à redução da tarifa do transporte público, como a revisão da planilha de custos, a análise criteriosa das isenções e a futura licitação do setor, que já contemplará o novo sistema BRT (Bus Rapid Transit), que está sendo implantado na Capital. “Só para termos uma ideia, se todas as isenções fossem abolidas na Capital, a passagem poderia ser de R$ 2,10. Mas há isenções necessárias, que precisam e vão ser mantidas, pois beneficiam parcela da população que realmente necessita do benefício”, disse.

Lembrou, ainda, que tem trabalhado nacionalmente, com a Frente Nacional dos Prefeitos, para a aprovação de dois projetos junto ao governo federal e ao Congresso Nacional. Trata-se da instituição do Reitup - Regime Especial de Incentivos para o Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros (PLC 310/2009) e da medida que deve permitir a incidência da Cide (ou tributo semelhante) na gasolina e/ou álcool para utilização em fundo de apoio ao transporte urbano e metropolitano de massa, reduzindo as tarifas.

Leia o manifesto entregue ao prefeito clicando aqui.

 

 

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A União Estadual dos Estudantes do Rio Grande do Sul (UEE/RS), esclarece que a reunião realizada na tarde desta segunda-feira, 1, em que foi entregue ao prefeito municipal documento com as reivindicações dos estudantes, foi fruto de uma ampla mobilização das organizações estudantis, envolvendo 25 entidades, entre elas o CEUE da UFRGS, a UGES, a UBES e a UMESPA.

No documento, reforçamos nossa total contrariedade ao valor da passagem de ônibus em vigência em Porto Alegre, mas repudiamos as praticas empregadas em protesto realizado na última quarta-feira, 27. O Movimento Estudantil em que acreditamos é aguerrido, mas não pratica a violência. No texto, defendemos o diálogo e a realização de Seminário com a participação da Prefeitura para desenvolver uma profunda discussão sobre a revisão da tarifa da Capital.

Tiveram assento na reunião, por uma questão de coerência, somente as entidades que atenderam ao convite da UEE/RS e participaram das discussões e da elaboração do documento.

Reafirmamos ainda a disposição da UEE/RS, que luta pelos direitos dos estudantes há mais de 70 anos, em promover discussões que integrem todo o movimento estudantil, pois o que realmente importa ao movimento não é quem, mas o que se representa.

 

União Estadual dos Estudantes do Rio Grande do Sul (UEE/RS).

 

 

 

DE SERAFINA

 

O PREFEITO BICO BRANCO SE PREPARA PRA FALAR NA RÁDIO ROSÁRIO, NO SÁBADO. ELE RESPONDE A PERGUNTAS DOS MORADORES NO PROGRAMA DA RÁDIO QUE É ENTRE 11 E MEIA E MEIO DIA.

SEMPRE ASSESSORADO PELA ADRIANA SABADIN. OS CARAS DA RÁDIO TAMBÉM DÃO UMA MÃO PRO BICO BRANCO, QUE É BOM DE GOGO!

 

 

 

AZULZINHO GROSSEIRO COM PASSAGEIROS DE TAXI!

 

Vai de mal a pior a EPTC em Porto Alegre. Os caras tão se achando. Eu tenho a sensação que o prefeito entregou a cidade a eles. Assisti a seguinte cena as 19 horas da quinta feira santa. Como estava um tumulto no centro de Porto Alegre, havia dois azuizinhos ali na frente da Guaspari. E uma imensa fila(foto) esperando táxi. Uma senhora perguntou a um deles, muito mal educado por sinal, grosseiro, com o fardamento da EPTC, onde estavam os táxis. O cara simplesmente disse:

 

- E EU VOU SABER. mas disse de forma grosseira..

 

Toing. Ta ai a foto da fila esperando táxi.

 

 

 

De Serafina

Fico sabendo aqui que o estado de saude do Ildo Meneghatti não é lá muito bom. Está internado em SP.

 

 

 

 

Coleguinhas

 

Alberto Blum está se recuperando bem, me informa uma vizinha moradora no prédio.

 

*

 

Mendelski voltou de férias, nesta segunda.

 

*

 

Segundo um leitor mais atento, David Coimbra já assuntou sobre sua doença.

 

 

 

ESTIVE EM SERAFINA MAS CHEGUEI NA SEXTA DE TARDE. E FUI COMPRAR MARMELADA PRA REVENDER QUE EU PRECISO PAGAR AS MINHAS CONTAS.

NÃO SABIA QUE IRIA TER ESTA PROCISSÃO. MAS AS FOTOS TÃO AI.A SENSIBILIDADE DA ADRIANA SABADIN FEZ ISTO. UMA ' COLONA' QUE TÁ SE SAINDO MELHOR DO QUE A ENCOMENDA. ELA EMPLACOU ATÉ UMA FOTO NA ZH DE SABADO.PARABENS A COLEGA QUE SE DEDICA TANTO!

Via Sacra em Serafina Corrêa

A Sexta-feira Santa, 29 de março de 2013, foi marcada pela emoção e
religiosidade em Serafina Corrêa. Às 6h, iniciou a caminhada saindo do
Santuário Nossa Senhora do Rosário, em direção ao monumento Cristo
Redentor. Cerca de 2 mil pessoas acompanharam, no morro do Cristo, a
encenação da Via Sacra, tendo como cenário 14 capitéis, projeto que
está em fase final. A celebração durou cerca de duas horas e contou
com o talento e dedicação de cerca de 60 atores, moradores do interior
do município, bairros e centro, com a coordenação da Paróquia Nossa
Senhora do Rosário.
Emoção, fé e religiosidade marcaram o tradicional evento que, neste
ano, apresentou à comunidade serafinense e da região, os Capitéis da
Via Sacra. Um projeto que conta com incentivos do Ministério da
Cultura, Prefeitura Municipal e iniciativa privada, um marco para a
cultura e o turismo regional. Grande repercussão, em todo o estado,
marcou essa obra, cercada de grande expectativa e que destaca o
potencial turístico e religioso do município.


 

 

 

Estou indo embora de Serafina, hoje,domingo.

 

O tempo colaborou . deu pra caminhar legal. Fiz minhas compras

 

aqui não vi nada de novo, a não ser um casal que se separou( GRANDE AFRICA, diria uma freira do Rosário, quando estudei lá...)

VinoGazetinha também que a deputada de Caxias, Maria Helena Sartori esteve aqui no dia da mulher, na Câmara Municipal.

Trazida pela vereadora Salete Cadore, do PMDB.

 

*

Ah, pra ser justo.

 

estão badalando muito os capitéis do Cristo, saiu até na ZH.

 

( méritos do prefeito Bico Branco) mas é de lembrar que o projeto começou com o Luis Gheler, do PMDB. Maria Amélia Arroque era secretária do turismo.

E o deputado que fez a emenda pra trazer a grana do asfaltamento foi o Osvaldo Biolchi, falecido no ano passado.

 

 

 

MAIS UMA FOTO DA FILA DE TAXIS NA BORGES NA QUINTA SANTA. NÃO HAVIA TAXIS, O PESSOAL ESPEROU NA FILA!

 

Arquivo do Blog

2007
             Set  Out
2008
2009
2010
2011
2012
Out Nov Dez
2013                  
                         
                         
                         



Espaço dos Leitores

 


Olides Canton - Jornalista e Escritor

Nascido em 16 de Janeiro de 1952 na cidade de Serafina Corrêa-RS, Olides Canton passou nesta cidade toda a sua infância. Mudando-se para Porto Alegre, cursou a Escola Julio de Castilhos, tornando-se Bacharel em Comunicação Social pela FABICO/UFRGS em 1982. Trabalha como Jornalista desde 1970. Trabalhou na Companhia Jornalística Caldas Júnior, Jornal Zero Hora. No Jornal do Brasil e Revista Carga e Transporte atuou como free-lancer. Editor do Jornal de Bordo e Revista Fitness. Possui 9 livros publicados. Ganhou quatro prêmios de Jornalismo, um do Badesul, dois do Setcergs e um da ARI. Registro no Sindicato dos Jornalistas RS: 2776 - Registro Jornalista - Mtb 4959.

Telefone: (51) 3330-6803
e-mail: contato@deolhoseouvidos.com.br

Autor de inúmeros livros, Olides Canton firmou-se como um
exímio contador de histórias contemporâneas.
Conheça agora as obras do autor
© "de Olhos e Ouvidos"  -  Todos os direitos reservados
Os textos e imagens publicados neste site são de inteira responsabilidade de Olides Canton.

IR PARA O ALTO DA PÁGINA

charge do HOF


 
 



EDIÇÕES DO FITNESS

Edição 159
Edição 158
Edição 157
Edição 156
Edição 155
Edição 154
Edição 153
Edição 152
Edição 151
Edição 150
Edição 149
Edição148
Edição 147
Edição146
Edição145
Edição144
Edição143
Edição 142

Edição 141
Edição 140
Edição 139
Edição 138
Edição 137
Edição136
Edição135
Edição134
Edição 133
Edição132
Edição 131
Edição 130
Edição129
Edição128
Edição127
Edição 126
Edição125
Edição 124

Edição 123
Edição 122
Edição 121
Edição 120
Edição 119
Edição 118
Edição 117
Edição 116
Edição 115
Edição 114
Edição 113
Edição 112
Edição 111
Edição 110
Edição 109
Edição 108
Edição 107
Edição 106
Edição 105
Edição 104
Edição 103
Edição 102
Edição 101
Edição 100
Edição 99



ANUNCIE NO SITE!

Entre em contato conosco


Edições Anteriores do Blog



LINKS QUE RECOMENDAMOS



Aceg
Agência Edison Castêncio
Assembéia Legislativa
RS

BlogdoPlanalto
Cloaca News
Comuniquese
Correio Do Povo
Claudio Humberto
Diário da Fronteira

DAiário Popular
Ecoagencia.com.br
Enfato
Folha de São Borja
Governo do Estado do RS
Informativo
RedeCidade
RSUrgente
RenePT
KaduNew
Jornal A Hora
Jornal do Comércio
Jornal do Mercado
Jornal O Sul
Jornal Panorama Regional
José Luiz Prévidi

Laura Peixoto
Lauro Dieckmann
Políbio Braga
Política para Políticos
Prefeitura de P.Alegre
Prefeitura Serafina
Correa

Ricardo Noblat
Rogério Mendelski
Rosane Oliveira
Sindicato dos Jornalistas
SUL21
Tijolaço
Transparência na copa
TijoladasDoMosquito

Via Política
VidaSustentável
Vide Versus
Zero Hora

REPORTAGENS
ESPECIAIS


Veja em "Memória"