Blog de celebridades, fofocas, opinião e notícias



15 de agosto
de 2014

foto da brina em serafina

Foto: Carla Pissato

GEADA OCORRIDA HOJE, DIA 14 DE AGOSTO DE 2014, INTERIOR DE SERAFINA CORRÊA.

HISTORIAS DO MEU PAI

Cuando gnara brine....

A foto que a aline me mandou agora me lembrou dos tempos que morávamos na san piero e que amanhecia tudo coberto de geada. é bonita a paisagem mas o frio é de lascar....

Meu pai era o que tinha que enfrentar a cozinha bonora, de madrugada, para impiar el fogo...antes de morrer, minha irmã alenir diz que ele perguntou várias vezes qui que gavea impia el fogon in te la matina....

na sexta que meu irmão paulo me disse que ele não tinha levantado pra acender o fogão entendi que a coisaq era grave, gravissima....

o velho tava se entregando....

me disseram que a morte dos pais é uma saudade que não termina....

pois não é pra menos, é uma longa ligação, desde que nascemos.

HISTORIAS DE LA UNDEZE

Cuando se ndea far sùcaro

( quando se ia fazer açúcar...)

Neste frio que faz hoje, me lembrei dos tempos de criança que nesta época se fazia açúcar de cana. Era sempre no inverno.

Na véspera colhia-se a cana e a volta da roça era sempre uma festa....no dia seguinte haveria o "tòrcio" do Selvino, onde eramos associados. Era uma pequena economia familiar, chamariam os sociologos hoje em dia.Cada agricultor vizinho participava e depois deixava tudo limpo. Hoje no local existe uma pesqueira.Depois do meio dia quando terminava a moeção da cana íamos pra casa e terminava a farra da gurizada porque de tarde era pra roça que íamos...(maldito laoro...)

De tarde, lá no meio dela, minha mãe estava com o melado pronto e o açúcar de cana também, que era o que tinhamos pro ano inteiro.

Meu irmão Paulo diz que seu dentista sempre se queixa de como o melado deixou os dentes do seu cliente. Agora é tarde.

Mas era isto que acontecia com aquela pequena economia familiar.Se estiver em Serafina neste sábado, vou ver se acho na feira do produtor, que funciona do lado da prefeitura, um melado. Açúcar sempre tem, mas não sou muito dele...prefiro o melado.

Todas estas coisas sumiram com a memória do meu falecido pai. O que ele contou, contou. senão levou junto pra coxilha que fica atrás do frigorifico. Assim é a vida....(OC)

historias de campanha

O deputado Cesar Schirmer,hoje prefa de santa maria da boca do monte, percorre sua região em campanha fazendo denúncias contra mordomias.
- A mulher de Cesar não basta ser honesta.Tem que parecer honesta.

A saida ganha o elogio de um eleitor:
Gosto muito de como o sr. leva sua mulher.

FESTIVAL DE CINEMA

Já que estamos em pleno festival de gramado, aquele das mordomias pra jornalistas e convidados - ufa quanta ' boquinha na Serra' vale lembrar esta contada por A Goulart no seu livro sobre o poder.

MilaCauduro, secretária da cultura, estava em gramado pro 21 festival de cinema(estamos no 42)

informou aos jornalistas que a secretária Neuza Canabarro seria recebida pela primeira dama da França, e convidaria Danielle Mitterand pro festival, Mila confessou:

era pra ' governadora' anunciar mas eu não consegui segurar.

de Gramado

cerração e a paisagem de gramado na terça passada.


cerração em gramado na terça passada.


eneas de souza, foi debater critica de cinema.


goida, paulo casanova e ivonete pinto antes do debate no salão do hotel onde se realiza o festival de gramado

a cerração e chuva em gramado na terça passada. o portico de entrada.

na subida pra gramado. aqui em taquara

a subida pra gramado na terça. olha a cerração e a a chuva

na subida na terça pra gramado, parei neste local. as atendentes todas deslumbradas com os ' artistas ' - alguns entr easpas mesmo, que paravam ali. o motora me disse que levou um deles, de cinema, e que até ganhou café de graça por isto.



a atendente mais grande, me disse que o alexandre pirest inha parado ali. não era, era um ator norteamericano, me parece que ela confundiu...



- eu até ia pedir autografo pra ele, mas ai me disseram que era um americano, contou ele.

cenas da rua dapraia

ganhando uns trocados e tocando pro povão

Coleguinhas



Marcos Martinelli e Ivani Schutz na coletiva do Sartori(antes de saber da morte do Campos, na 4 passada)

Os ex são amigos!

Eduardo Campos

Bah, viu que "jornalistas lamentam a morte de Campos": então não são jornalistas. jornalistas são ' urubus' adoram noticias ruins, que são as noticias. fatos novos.

* pelo menos o fabio marçal na Guaiba puxou pro lado de quem será o novo candidato.

Sobre aporrinhação

Lauro, quem é este alemãozinho.......o que fazia, em que editoria militava(olides)

Para: Deolhos... deolhoseouvidos1@terra.com.br

Olides:
1 - Ñ estava me referindo ao teu blog especificamente qdo mencionei a aporrinhação petistas x tucanos (e vice-versa, pq o q tem de reacionário postando sua ira contra o PT nas redes sociais é de amargar!). Me expressei em termos gerais.
2 - Ñ me lembro de ter sido colega deste teu colaborador q mencionastes [a ñ ser q estejas te referindo também em termos amplos, como colegas jornalistas (embora meu conceito de jornalista seja mais restritivo, o q ñ vem ao caso)]. Pelo q lembro, fui colega do Hoff, da Magliani e de um 'alemãozinho' q já faleceu e q era da FM e do qual me escapa o nome agora. O mencionado, se ñ me engano, qdo surgiu eu já estava no circuito Visão/JC. Ñ fomos contemporãneos, a ñ ser q minha memória esteja apresentando mais falhas q o normal. (Laurinho)

O TRAMBOLHO DENTRO DA CARRIS.



ALGUM GENIO COLOCOU ESTES TRAMBOLHOS DENTRO DA CARRIS NOS ONIBUS DA EMPRESA. VOLTA E MEIA BATO NAQUELE TEVE QUE FICA NO MEIO....DO ONIBUS...MAS QUANTA INGONOÂNCIA, DIRIA O CARA AQUELE. BOTAR AQUELE APARELHO DE TEVE JUSTAMENTE NO MEIO DO ONIBUS PROS PASSAGEIROS BATEREM NELE.)OLIDES CANTON)

do gilbertojasper.blogspot.com.br

QUANDO NÃO HAVIA VIDEOGAME



Colecionar “decalques” - como se dizia no interior - era uma mania dos meus tempos de piá. Eram adesivos plásticos afixados principalmente nos carros. Lembrei disso ao observar a verdadeira obsessão de algumas pessoas em mostrar ao mundo que estiveram em Punta Del Este. A proliferação de adesivos relativos ao belíssimo balneário uruguaio vai de emissoras de rádio FM até lojas de grife. Também há veículos ostentando temas infantis. Algumas lembram aquelas figurinhas que a gente colocava na água para descolar o desenho principal para afixar nos cadernos, na janela ou nas pastas escolares.

Nos “bons tempos de guri” todos tinham uma coleção de “decalcos”, além da pilha de chaveiros trocados com amigos, parentes e colegas de aula. Eu tinha uma pasta de papelão com diversos finos plásticos, transparentes - no tamanho de uma folha A4 - para afixar os adesivos. A grande aventura deste tipo de coletânea estava na arte de “roubar” plásticos colados em veículos, quase sempre colados na parte de dentro. Naquela época - acreditem os mais jovens! - se costumava manter os vidros baixados. Ao menos em Arroio do Meio, cidadezinha do Vale do Taquari onde nasci e passei minha juventude. Nem se sonhava com alarmes, travas ou dispositivos antifurto.

oxoxoxoxoxoxoxoxoxoxoxoxo

Alguns adesivos eram removidos com facilidade. Bastava enfiar a mão dentro do carro, firmar a mão no vidro e, com a ajuda das unhas, remover com cuidado para não rasgar. O grande troféu da época era um adesivo do lubrificante STP, com fundo vermelho e letras em azul. Folheando a revista Quatro Rodas via-se a marca nos carros das grandes escuderias de Fórmula-1, o que emprestava maior valor à peça. Levei dois anos para conseguir um destes, mas jamais esquecerei dos detalhes da façanha.

Uma Kombi branca, com placas de Porto Alegre, fazia entregas na principal rua da cidade, onde passou horas estacionada. Parecia provocação o pára-brisas traseiro ostentava quatro adesivos! E eu era o único da turma que não possuía um único exemplar!

oxoxoxoxoxoxoxoxoxoxoxoxo

Pouco depois do meio-dia vislumbrei a camioneta diante de um pequeno restaurante, com os vidros baixados. Espiei pela janela e notei que o motorista e o entregador devoravam um bife com fritas. Deixei meus pudores de lado. Me esgueirei pelo vidro traseiro da kombi para sacar o precioso objeto com sucesso. Apesar da ousadia, a culpa me impediu de afixar o decalco na capa da pasta que acomodava a coleção de adesivos. Só depois de uma semana tive coragem para me exibir. Além de ser rara, a peça era a única na cidade de tamanho original, igualzinha àquelas ostentadas nos bólidos das corridas européias.

Apesar da pressão da piazada somente agora, através deste post, meus amigos saberão a origem do valioso adesivo, único na pequena cidade. Resisti às inúmeras propostas - em dinheiro vivo! - para me desfazer da raridade. Por isso, o decalco ainda repousa no interior da velha pasta de um azul desbotado.

do Comunique-se

Terra demite 50% da redação e fica sem repórteres fotográficos

por Nathália Carvalho

A manhã desta quarta-feira, 13, foi de notícias ruins para quem trabalha no Portal Terra. A empresa de conteúdo reuniu seus funcionários para anunciar que uma reestruturação seria responsável pela demissão de 50% da equipe de reportagem. A medida resultou em cortes em todas as praças e colocou fim à equipe de repórteres fotográficos. Outro grupo encerrado foi o de conteúdo latino-americano, que contava com quatro jornalistas estrangeiros para fazer matérias enviadas às filiais do Terra fora do Brasil.

Os rumores sobre as demissões já circulavam pelos corredores da redação. Em entrevista para o Portal Comunique-se, fontes afirmaram que parte da equipe recebeu e-mail na noite de ontem avisando sobre a reunião que aconteceu na manhã de hoje. Nesta quarta-feira, quem havia recebido o convite, foi reunido para receber a notícia sobre o corte. Todos os funcionários presentes nessa conversa foram desligados.

Sobre o assunto, o Terra informa que, visando adequar a estrutura e recursos, a empresa alinhou suas unidades de negócios e fez uma reestruturação em todas as áreas. "O Terra agradece os seus colaboradores por toda sua dedicação e trabalho". O portal não divulgou quantos funcionários foram demitidos.

Ainda de acordo com a apuração da reportagem do Comunique-se, não ficou claro qual critério o Terra usou para fazer os cortes, tendo na lista de demitidos desde estagiários até cargos altos. Os colaboradores que deixaram de fazer parte da equipe de reportagem já foram encaminhados ao RH. Os que ficaram vão participar de reunião com a presidência do Terra nesta tarde. Na ocasião, a empresa deve explicar como as equipes serão organizadas a partir de agora.

UMA FARRA DO PASSADO

por Eron Duarte Fagundes

Embora não chegue a realizar-se como uma narrativa cinematográfica (suas imagens de arquivo são montadas com alguma dispersão), A farra do circo (2013), documentário rodado por Roberto Berliner e Pedro Bronz a partir de filmagens que o próprio Berliner fez nos anos 80 acompanhando por aí afora o Circo Voador, irreverente e subterrâneo grupo de artistas sediado no Rio, é um interessante retrato de época sobre a passagem dos anos para todos, inclusive para os artistas. O principal e notável elemento visível é notar como criaturas hoje cooptadas pelo sistema majoritário (Regina Casé, Luiz Fernando Guimarães) tinham um comportamento lúdico e atrevidamente infantil naqueles duros tempos.

Um dos episódios mais grotescos e curiosos recapturados pela realização é aquele em que o Circo Voador, abandonado por sua patrocinadora Coca-Cola, que alegou uma publicidade enganosa (prometiam João Gilberto e Roberto Carlos, que na verdade não estavam no programa do grupo), vê seus indivíduos ficarem perdidos, sem hotel e sem alimentação, em Guadalajara, no México, durante a Copa do Mundo de Futebol em 1986. Um dos integrantes do Circo Voador chega a um desabafo histérico para exclamar que o negócio deles (do grupo) é poesia e gente como a Coca-Cola quer outra coisa. Barão Vermelho e Caetano Veloso, então bem jovens, circulam pelos quadros de A farra do circo, um bom filme insatisfatório cinematograficamente.

Vieira participa de café da manhã na Fecomércio

O candidato do PDT ao Piratini, Vieira da Cunha, apresentou propostas e respondeu perguntas formuladas pela Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado (Fecomércio) nesta quinta-feira, em café da manhã na sede da entidade.

Os empresários voltaram suas questões para as áreas econômica e tributária, o que envolve também infraestrutura rodoviária. Sobre o assunto, Vieira afirmou que irá reestruturar o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), e que no seu governo a recém criada Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) poderá conviver com empresas que firmarem Parcerias Público Privadas (PPPs) com o Estado.

“Este assunto (das PPPs) será tratado sem preconceito, num processo transparente. Tenho certeza que a população não se nega a pagar pedágio, desde que as estradas estejam em boas condições e que haja modicidade tarifária. Não vamos repetir o modelo de exploração implantado no Governo Brito, o qual eu votei contra como deputado estadual. Portanto, parceria sim, exploração não”, afirmou.

Questionado se no seu governo aumentaria impostos, Vieira foi taxativo ao afirmar que não elevará a carga tributária, por entender que ela já se encontra em nível altíssimo, o que prejudica o desenvolvimento do Estado e do país.

“Eu vou para o enfrentamento com a União, que não pode continuar sangrando o Rio Grande do Sul. Todos os meses 13% da nossa Receita corrente Líquida vai para Brasília. Nós (deputados federais) aprovamos na Câmara o projeto para renegociar a dívida e ele foi engavetado no Senado, por pressão do ministro da Fazenda. Assinamos em 1998 um contrato para pagar R$ 7,5 bilhões, já pagamos R$ 17 bilhões e devemos outros R$ 50 bilhões. Não precisa ser economista para saber que isto é inaceitável”, disse Vieira.

A última pergunta foi sobre a manutenção do chamado imposto de fronteira, cujo assunto está sendo estudado pela equipe técnica que trabalha na elaboração do plano de governo. O posicionamento oficial sobre o assunto deverá ser enviado à Federação até o final deste mês.

Vieira foi ao café da manhã acompanhado pelo candidato a vice-governador Flávio Gomes (PSC), que é vice-presidente licenciado da Fecomércio. Em seu pronunciamento, Flávio disse que como vice-governador será um parceiro da entidade para tratar das questões ligadas ao desenvolvimento econômico do Estado.

A agenda para esta sexta-feira, 15/08/2014

8h30min - Gravação do Programa eleitoral para rádio e televisão. Rua Estevão Cruz, 155.

12h - Caminhada, com início na esquina entre a Rua Felipe Camarão e a Avenida Oswaldo Aranha.

14h - Gravação do Programa eleitoral para rádio e televisão. Rua Estevão Cruz, 155.

17h - Sessão solene de posse dos novos promotores de justiça. Avenida Aureliano de Figueiredo Pinto, nº 80.

19h30min - Apresentação de propostas ao Sindicato Médico do Rio Grande do Sul. Sheraton Porto Alegre Hotel, Rua Olavo Barreto Viana, 18.

14 de agosto de 2014

HISTORIAS DE CAMPANHA

' SEMPRE MORRE UM'!!!!

A morte de Eduardo Campos(PSB) hoje, num acidente aviatório me fez lembrar uma história de campanha do senador Simon, em 1998.

Era uma segunda e tínhamos um roteiro pra Serra, acho que Bom Jesus, lá pra cima. Acontece que o tempo ruim, não incentivou muito o candidato a voar. Chegamos no comitê montado perto da Farrapos e de lá o senador não se mexeu. Esperou notícias da melhora do tempo.

Lá de cima da Serra, um candidato do pMDB, que fora prefeito de Farroupilha e que era dono de imobiliária, ligava pro Simon a toda hora:
- Senador temos aqui um almoço de 1.500 pessoas. O pessoal o aguarda.

Ressabiado, Simon não foi....

Preferiu outro roteiro. Fomos pro Clube Farrapos, prum outro encontro que arrumaram de última hora.

- Sempre morre um em campanha, disse Simon a quem quis ouvi-lo!

HISTORIAS DE CAMPANHA

nUM COMÍCIO NUM CINEMA DE SANTO CRISTO - no Noroeste do Estado, perto de Santa Rosa - sIMON dá entrevista na calçada e Alcides Saldanha entra e senta na cadeira de honra. Todo desgrenhado,barba por fazer,magro, com olheiras - bem coisa de campanha -coberto de pó vermelho da região.

Logo surge um puxa-saco do MDB e dirigente local do partido.
- Saí daí rapaz....Pra rua. O que tu queres??

- Eu queria a suplencia do Senado mas estou trocando por um banho e uma cama....

Historias de campanha (2)

AS PAPELETAS

A história que conto a seguir, está no meu livro SIMON EM CAMPANHA editado por mim em 1999 (ainda tenho exemplares à venda). Devo a história ao repórter JCTerlera, que se escrevesse um livro sobre o que sabe de políticos,seria um best seller. Mas como CMFehlberg jamais tornará público tudo o que sabe. Repórteres políticos geralmente são discretos.
Mas vamos a história:

No começo da década de 80, do século passado,houve uma disputa interna no PMDB para ver quem seria o suplente de senador do candidato Pedro Simon.

Era certo que Simon se elegeria governador em 1986 já que tinha perdido por menos de 20 mil votos a eleição pra Jair Soares, numa eleição sobre a qual sempre houve meio que uma suspeita...mas este não é o fato que quero contar...

Se Simon virasse governador, seu suplente seria senador.

Daí a rixa...

PMDB dividido: uns queriam Ivo Sprandel, que fora prefeito de Sarandi.

Outros Alcides Saldanha.

Optaram por um sorteio.

Dia marcado, estavam lá todos os que mandavam no velho MDB de guerra.

Coube a Joseph Zukauskas, experiente repórter político, puxar as papeletas de uma caixote. O que saísse, seria o escolhido, o ungido. Uma espécie de votação similar ao que o Vaticano faz pra escolher o Papa,quando um morre.

Zuka, como era conhecido, puxou as papeletas e lá estava o nome de Alcides Saldanha( o que simon queria, na verdade)

JCTerlera, a quem Cesar Schirmer chamava de ' serpentário" foi ver a papeleta que estava no lixo, a outra. Também tinha lá o nome de Alcides Saldanha.

Saldanha virou senador.(OC)

DE GRAMADO

Vi por lá os colegas Roger Lerina e Paulo Casanova, que foram fazer cobertura....do festival

* Mas tá cheio de coleguinha lá que nunca entrou numa sala de cinema...tá lá pelas boquinhas do festival..

* aLIÁS UMA BOA PAUTA, QUE NINGUÉM FARÁ É QUANTOS JORNALISTAS ESTÃO CREDENCIADOS NO FESTIVAL. E O QUE TEM DIREITO. COMIDA? HOSPEDAGEM? TRANSFER???

FESTIVAL DE GRAMADO

* Conforme a empresa PAUTA, que faz a assessoria do festival de cinema, perto de 560 jornalistas estão credenciados.

* Outra informação obtida é que ' fica a critério do festival' o que cada jornalista tem direito:translado, refeições, hospedagem.

BOQUINHA NO FESTIVAL DE GRAMADO

Até o fim do dia, a Pauta que ficou de mandar dados sobre quem são os jornalistas que estão em Gramado convidados no festival de cinema que solicitei não mandou nada....

* A funcionária que me atendeu no fone queria saber qual a Pauta. Disse a ela que é sobre quem é convidado pra estes festivais....e o que o festival paga....

* Ela, cujo nome não guardei, me disse que a direção do festival é que destina o pagamento de refeições, estadias e translado de jornalista e que depende da direção.

* A informação que levantei é que existem em Gramadop 560 jornalistas credenciados.

* haja boquinha livre pra esta gente toda.

O PAPARAZZO DE GRAMADO.



NA TERÇA, UM PAPARAZZO NO FESTIVAL DE GRAMADO....

ELE QUERIA FATURAR ALGUM E FEZ UMAS FOTOS. O DIA É QUE TAVA TRISTE, CHEIA DE
CHUVA E NEBLINA.

Coleguinhas

' OREMOS'

NA RECORD NÃO SE REZA, SE ORA....



logo que estourou hoje a morte de Eduardo Campos o repórter VOLTAIRE PORTO correu atrás de notícias. e valeu até se ajoelhar na salinha JCTerlera pra mandar notícias pra GUAIBA.....

Passaralho no Terra

De: rekern
Para: olidescanton@bol.com.br

Se o Portal Terra está despedindo jornalistas, só nesta quarta-feira foram 15 na redação de Porto Alegre foram para casa, a coisa não está ruim apenas para os profissionais dos impressos. É que agora as informações não tem mais donos. Eu por exemplo fico sabendo de tudo que acontece pelos blogues de jornalistas como aqui o nosso Olides Canton, pelo Facebook e até por e-mails que recebo.

Renato Kern

OS EX SE DÃO BEM...



hoje na coletiva do sartori, vi que o Marcos Martinelli, do staff do sartori e sua ex-Ivani Schutz se dão tri bem...



até conversaram numa boa. como diz o paulo santana, o filosofo das esquinas, pra ser um bom casal, não se deve repartir o teto....

UMVAI DE TABLET O OUTRO DE BLOQUINHO



enquanto Marcos Martinelli do staff de Sartori vai de tablet, sua ex- a repórter IVANI SCHUTZ da RBS TV ainda está na era do ' bloquinho"

coletiva de Sartori



SARTORI não disse nada de novo na coletiva que deu hoje ao meio -dia. antes de saber da morte de campos, em santos.

aqui ele e o staff da campanha.

o gringo enrolou,enrolou, nada de mais.

"REI" DOS FESTIVAIS

Um coleguinha brincou hoje na coletiva do Sartori:

- O Arno tá no festival de Gramado?

Ah, o Arno (Maciel) não perde um festival!!!!

Toing....

de Gramado

Leitor deste blog, o colega Arno Maciel telefona pra dizer que não está no festival por boquinha. ele vai desde 1978 por sua conta.

feito o carreto.

* e informa que este ano a imprensa teve cortadas mordomias de cafezinho e agua mineral.

* Mas que tem gente ai saindo pelo ladrão de jornalistas tem.onde publicam o material. tenho visto muito pouco.

* Acho tou começando a dar razão ao Collor de Mello.....

HISTORIAS DE LA UNDEZE

EL AUTO DE PIASSA DE NADIR ZANATTA



Esta propaganda quem me deu foi o Lazzari, o Fernando. Mostra uma Serafina antiga, do tempo que havia apenas um carro de praça,hoje tem nove.

O carro ficava na praça mesmo. Nadir Zanatta morreu alguns anos trás.

Registro

Registro os votos de pesar pelo passamento do meu pai de A Goulart e Mário Rozzano. Obrigado.

Blog do Marcio

Po,Lauro, aporrinhação????tucanos x PT é o Rekern teu ex-colega que é o petista aqui(olides)

De: Trololo Trilili
Para: Deolhos...

Muito bom este blog q indicaste, o do Márcio Bueno. Bons conteúdos sobre a cidade e sua área cultural (fica assim, área cultural, pois ñ me ocorre termo + apropriado). Aborda aspectos q escapam da mídia tradicional. Traz a visão pessoal do cara em relação a Porto Alegre e à vida de um modo geral. Produção cuidadosa etc e tal. É um belo exemplo de bom aproveitamento da tecnologia a mais moderna. O cara merece parabéns. Ah! com a vantagem adicional de ñ ser contaminado pela aporrinhação petistas x tucanos. (Laurinho)

Blog

O lauro tinha um unico leitor do seu blog em são borja. o vereador feltrin que leu trechos de um artigo dele numa sessão solene. o lauro nem bola deu. o vereador parou de le-lo(olides)

São Borja

Sessão na camara municipal de SB dia 24.8 pra homenagear Getúlio. Se Deus e a Ouro e Prata quiser, estarei lá(olides)

DE SB

Como Ulisses Guimarães quando não tomava seu lítio matinal, o capincho delira em SB(olides)

Viu só!!!
Eu digo... a consciência começa a falar mais alto... Vieira é o melhor, mais preparado e competente.
É 12!
Vamos ganhar no primeiro turno

Letier Vivian
São Borja/RS

From: letier12
To: olidescanton@bol.com.br

Estarei em campanha e provavelmente esse será o dia do lançamento oficial do meu candidato Eduardo Loureiro aqui em São Borja.
Mas vamos conversando...
Dia 29, 30 e 31 sim vou entornar o caneco no Parceria e Truco....
E tu em Gramado... não dá nada ser marajá do INSS
Hehehehehehe

Letier Vivian
São Borja/RS

Capincho acha que pobre come fondue em Gramado, deixa eu rir sozinho(olides)

De: letier12
Para: olidescanton@bol.com.br

Hahahaha... Mas nem tão pobre...
Só na badalação... comendo fondue... chocolate quente e vendo as estrelas "globais"

Letier Vivian
São Borja/RS

do mironneto.com

Documentário sobre a boate Kiss é exibido no Festival

Um documentário sobre a tragédia da boate Kiss chamou a atenção na noite de segunda-feira no Palácio dos Festivais. "Janeiro 27" foi exibido, fora de competição, com o objetivo de fazer um alerta para evitar que tragédias semelhantes, como a que vitimou 242 pessoas, se repitam. Dirigido pelos cineastas Paulo Nascimento e Luiz Alberto Cassol e produzido pelo ator Leonardo Machado, o longa-metragem é baseado em entrevistas com pais e familiares de vítimas, sobreviventes e pessoas que ajudaram no resgate de quem estava na Kiss no dia 27 de janeiro de 2013, quando ocorreu o incêndio.

A produção foi realizada depois de um pedido da Associação das Vítimas da Tragédia de Santa Maria (AVTSM), presidida por Adherbal Ferreira, que perdeu a filha de 22 anos no incêndio. "Nossa grande luta é mudar essa história, não deixar que outras famílias passem pelo mesmo que passamos", afirmou Sérgio da Silva, pai de uma das vítimas.

Diário de Gramado - Dia 3

Domingo, 10/08/2014

À tarde, vimos a segunda parte da mostra gaúcha que teve os seguintes filmes como destaques: Domingo de Marta, de Gabriela Bervian; Os Meninos Perdidos, de Giordano Gio, e Sioma - O Papel da Fotografia, de Karine Emerich e Eneida Serrano.

De noite, o curta pernanbucano História Natural, de Júlio Cavani, nos estranhou pelo grotesco e pelo atraentemente repugnante fruto de uma árvore desconhecida enquanto que o longa mineiro O Segredo dos Diamantes, de Helvécio Ratton, nos propunha uma caçada ao tesouro ancestral para salvar uma família em perigo. Uma ótima sessão da tarde; um Goonies mineiro.

A premiação da Mostra Gaúcha consagrou Domingo de Marta, de Gabriela Bervian, Linda - Uma História Horrível, de Bruno Gularte Barreto e Sioma - O Papel da Fotografia de Karine Emerich e Eneida Serrano.

Na festa que se seguiu, curiosamente em Canela, havia uma exposição de supercarros - imitações de Camaros e Mustangs - que era protegida por um boneco em tamanho natural de Ben Stiller vestido como em Uma Noite no Museu. Bom, aparentemente, na manhã seguinte, ao que se sabe, nenhum carro foi roubado, mas o Ben Stiller foi sequestrado!

Diário de Gramado - Dia 4

Segunda-feira, 11/08/2014

Na mostra competitiva, à noite foram exibidos dois curtas brasileiros e o promeiro longa estrangeiro. O Clube, de Allan Ribeiro, é um docudrama desigual sobre os 53 anos da Turma OK, um bar e reduto de travestis do Rio de Janeiro. A anivação gaucha A Pequena Vendedora de Fósforos, de Kyoko Yamashita, é uma atualização para a Porto Alegre do século XXI do conto de Hans Christian Andersen, com uma violência fria e contida que aperta o coração do espectador.

A comédia El Crítico, de Hernán Guerschuny, é um típico filme argentino; eu diria, um típico filme portenho. Diálogos inteligentes, descolados, boas interpretações, o crítico do filme só pensa em francês! Penso que este tipo de filme, o filme portenho se tornou formulaico, ainda mais quando é uma comédia romântica, ou próxima de romântica, como esta. Mas o filme é bom o suficiente para os espectadores ficarem satisfeitos.

Houve também uma exibição fora de concursos do documentário Janeiro 27, de Luiz Alberto Cassol e Paulo Nascimento, sobre o incêndio da Boate Kiss em Santa Maria. Na minha opinião, um documentário muito precoce sobre o tema, que só tem sentido com realização em vista do emperramento do processo judicial criminal.

Programação do Clube de Cinema para o próximo final de semana

No próximo Sábado (dia 16/08/2014) as 10h15min no Espaço Itaú assistiremos ao filme "Chef" (2014). Carl Casper (Jon Favreau) é o chef de um restaurante badalado de Los Angeles, mas volta e meia enfrenta problemas com o dono do local (Dustin Hoffman) por querer inovar no cardápio ao invés de fazer sempre os pratos mais pedidos pelos clientes. Um dia, um renomado crítico gastronômico (Oliver Platt) vai ao restaurante e publica uma crítica bastante negativa, baseada justamente no fato do cardápio ser pouco criativo. Furioso, Casper vai tirar satisfação com ele e acaba demitido. Pior: a briga vai parar na internet e se torna viral, o que lhe fecha as portas nos demais restaurantes. Sem saída, ele recebe a ajuda de sua ex-esposa (Sophia Vergara) para reiniciar a vida no comando de um trailer de comida.

No próximo Domingo (dia 17/08/2014) as 10h15min no Cinebancários assistiremos ao filme "O Mercado das Notícias" (2014). Jornalistas renomados discutem o papel da mídia e sua influência na democracia entre atos da peça cômica "O Mercado de Notícias", de Ben Jonson. Uma viagem no tempo desde o surgimento da imprensa, no século XVII, até os dias de hoje, em que a sede por informação é cada vez maior. Exibido no É Tudo Verdade 2014.

OS PROBLEMAS LITERÁRIOS DO CINEMA

por Eron Duarte Fagundes

Convém começar dizendo que Antes do inverno (Avant l’hiver; 2013), filme francês dirigido por Philippe Claudel, me deu prazer. O prazer das sutilezas francesas. O prazer das medidas dos intérpretes. O prazer do gosto por uma boa história de sentimentos. Houve quem quisesse buscar na narrativa elementos de mistério e suspense com tendências policiais, e se queixou de coisas como ritmo, verossimilhança ou interesse. Não dou com estas ponderações: pertencem a um universo que não me pertencem.

Realizador de Há tanto tempo que te amo (2008), também com a atriz inglesa Kristin Scott Thomas no elenco, Claudel, como bom francês, interpõe para o espectador os problemas literários de seu cinema. Claudel foi antes um escritor e depois um cineasta. Filma um pouco como alguém que escreve com a câmara. Um pouco como seu mestre, também francês, Eric Rohmer. Então o giro de sua verossimilhança e de seu ritmo é outro.

Sustentado numa delicadeza formal que se torna logo uma fragilidade da própria trama, Antes do inverno se alicerça no tênue equilíbrio dos atores (em vozes, gestos, palavras) para conseguir, a duras penas, expor-se como filme. Não é tão ajustado e preciso quanto Há tanto tempo que te amo. Mas em todas as suas pequenas intrigas faz perpassar uma boa dose de sensibilidade que pode transmitir-se ao observador.

Além da excelência do dueto de intérpretes centrais, a jovem atriz de origem argelina Leïla Bekhti, como a figura feminina que desestabiliza a vida burguesa do veterano neurocirurgião, dá uma parte dos tons esquivos da narrativa. Como diz a canção que encerra o filme (“Comme un p’tit coquelicot”), “juste à la place du coeur / Y avait trois gouttes de sang”. E é da criatura e da interpretação de Leïla que vêm estas gotas de sangue que vão substituir (“à la place”) o coração do filme.

Ex-vereadora Neuza Canabarro é Cidadã de Porto Alegre

Dona Neusa já foi chamada por um articulista importado aqui pela ZH de ' evita'....(olides)

Foto: Vicente Carcuchinski

Neuza Canabarro lembrou momentos de sua trajetória voltada à educação

por Flávio Damiani

A ex-secretária municipal e estadual da Educação Neuza Canabarro é a mais recente Cidadã de Porto Alegre. A outorga do titulo pela Câmara Municipal ocorreu em solenidade realizada na tarde desta terça-feira (12/8) no Plenário Otávio Rocha. Embora tenha nascido na cidade de Santana do Livramento, Neuza viveu maior parte da sua vida na Capital, sendo diretora das escolas estaduais Julio de Castilhos e Salzano Vieira da Cunha. Formada em Pedagogia, fez doutorado em Filosofia da Educação pela Universidade de Santiago de Compostela (Espanha). Também foi vereadora da Capital entre 2005 e 2008.

A proposição da homenagem foi do vereador Mário Fraga (PDT) por indicação do vereador licenciado Mauro Zacher (PDT). Em seu discurso, Zacher disse que a educação está em primeiro lugar no país e, por isso, é um dos grandes desafios dos governos. “Neuza enfrentou esta temática”, disse ele. Lembra ainda que a baixa escolaridade proporciona o delito, a violência, revelando que “a nossa elite não deseja um povo capaz de analisar o mundo que o cerca, por isso defendem a construção de presídios e não de escolas”. Zacher elogiou a coragem da homenageada em tomar a contramão da história e revolucionar a educação no RS, acabando com a falta de vagas nas escolas, construindo prédios, acolhendo os estudantes que estavam fora das salas e aula.

Trajetória

Um vídeo mostrando a trajetória de Neuza Canabarro foi exibido durante a sessão. A homenageada disse que todos conhecem a trajetória dela e do ex-governador Alceu Collares, com quem ela é casada. Lembrou das batalhas para implantar o Plano de Carreira do magistério e o calendário rotativo nas escolas. “sofremos uma severa resistência da oposição composta pelo petismo raivoso”, revelou. Apesar desta oposição, conseguiu construir o Ginásio Tesourinha. “Não se fez mais porque atrapalharam a nossa vida nesta Casa”, referindo-se às inúmeras convocações por parte da Câmara Municipal de Porto Alegre. Afirmou que toda a sua vida pública foi feita em cima de muito trabalho e dedicação ao lado de Collares, muito embora tenham sido vítimas de perseguição política dos que não queriam ver implantado um plano de governo para a educação e desabafou dizendo que “trabalho sério, lamentavelmente, não dá voto, mas é o ônus que se paga para entrar na história”.

Sartori lamenta morte de Eduardo Campos e suspende campanha no RS

É com pesar e consternação que o candidato a governador José Ivo Sartori, da coligação “O Novo Caminho para o Rio Grande”, manifesta solidariedade aos familiares, entes queridos e amigos do candidato à presidência da República Eduardo Campos, 49 anos, vítima de acidente aéreo nesta triste manhã de quarta-feira, (13/08) em Santos (SP), junto com companheiros e colegas de campanha do PSB. Por entendimento dos partidos coligados, a campanha de Sartori no Rio Grande do Sul, por ora, está suspensa, em respeito e consideração às vítimas e aos familiares nesse triste episódio, lamentável também para a política brasileira.

“O ex-governador de Pernambuco, neto do saudoso Miguel Arraes - que faleceu há 9 anos nesta mesma data - deixa o legado de integridade, ideais e seriedade. Sua convicção e perseverança por um Brasil melhor se manterão vivas”, destaca Sartori.

Vieira cancela atividades de campanha e lamenta morte de Campos

O candidato do PDT ao Piratini, Vieira da Cunha, cancelou os compromissos de campanha nesta quarta-feira (13) após ser informado da morte do presidenciável Eduardo Campos (PSB).

Em nota, Vieira lamenta a morte do socialista:

O Brasil perdeu hoje, tragicamente, uma das suas mais expressivas figuras políticas. Eduardo Campos era o símbolo de uma nova geração que se preparava para assumir altas responsabilidades na condução dos destinos do país.

Quando o diretório nacional do PDT se reuniu para decidir que rumo nós tomaríamos na eleição presidencial, e na medida em que ficou claro que não lançaríamos candidato próprio, o que era a primeira opção sustentada pelo PDT do Rio Grande do Sul, muitas lideranças, como eu, defenderam o apoio à candidatura do Eduardo Campos. Em função da identidade política e programática que nós, trabalhistas e socialistas, temos historicamente.

Estamos, portanto, muito abalados e profundamente tristes com essa irreparável perda para a política brasileira. Nossa solidariedade à família e às companheiras e companheiros de luta do PSB de todo o Brasil.

Nota de pesar pelo falecimento de Eduardo Campos

Chocado, o PMDB gaúcho lamenta profundamente a morte de Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco e candidato à Presidência pelo PSB.

O partido está consternado com a notícia do falecimento desse bravo político brasileiro - com trajetória exemplar -, que honrou o seu Estado e atualmente percorria o sonho de um País melhor. Compartilhamos com o Brasil essa dor, e saudamos com carinho todos os seus familiares, partidários, e admiradores.

Edson Brum - presidente do PMDB do Rio Grande do Sul

de Serafina

Convite Festa na Capela São Roque

A Assessoria de Imprensa através da Secretaria Municipal de
Administração e Recursos Humanos convida a todos a participarem do almoço, domingo dia 17/08, na Capela São Roque. Reservas até sexta-feira a tarde, com a Rosi, ou Genoir.

Banda Municipal participa de Encontro de Bandas em Ronda Alta

Sempre que vou a São Borja em 24.8 ouço os ensaios pro 7 de setembro dos quartéis(olides)

A Banda Municipal de Serafina Corrêa participou no dia 09 de agosto, do I Encontro de Bandas do município de Ronda Alta. O grupo foi recepcionado no CTG Ronda da Saudade para o almoço coletivo e em seguida na Praça Central do município. O evento contou com a participação das bandas dos seguintes municípios: Ronda Alta, Palmitinho, Serafina Corrêa, Chapada, Vanini, Três Palmeiras, Não-Me-Toque e São Valentim.

As bandas prenderam a atenção do público e mais uma vez a Banda Municipal de Serafina Corrêa fez uma belíssima apresentação. Acompanharam o grupo, o Professor Adriano Nunes de Souza, a Professora Karine L. B. Gregolo e as servidoras da Secretaria Municipal de Cultura, Ingrid Regina Castro e Daniela Formagini Marangoni.

O Poder Público Municipal parabeniza a todos os integrantes da banda e aos professores pelas apresentações nesse Encontro, e por terem bem representado o município de Serafina Corrêa.

13 de agosto de 2014

GRAMADO

1) cHEGUEI AGORA AQUI NA IMPRENSA DO FESTIVAL. um bando de gurizada cobrindo o evento..

* Gramado tá tomada pela neblina.....

* A subida foi bem interessante. fiz fotos de locais antigos.

GRAMADO CARA...

Bah, mas Gramado não tá pra pobre....

Prum pequeno almoço a quilo, - 2 costelas de porco,arroz e feijão - paguei 22 pilas.

* Uma mulher que mora em Lisboa me disse que Portugual tá muito mais barato de se viver que o Brasil...

* Enfim,chegamos lá nos preços, pelo menos.

GRAMADO

festival de cinema??que nada. FESTIVAL DA BOQUINHA....

A cidade está um 'assalto' no quesito preços. Quem tem pouca grana, nem vá. ou então você tá nas boquinhas do festival de cinema, que tem jornalista, conferencistas,atores, produtores, estudantes e afins....

* Fazia frio hoje lá. 10 graus a hora que sai de lá, perto das 18 horas.

* Tava o clássico dia de inverno. neblina, chuva, e muito frio no fim da tarde.

* Mas o festival de cinema em si, me disseram tá fraco.

* Vi apenas um casal que ia tentar comprar ingressos pra noite de sábado

* Vi as figurinhas tradicionais de porto alegre que gostam de ' mamar na teta' por lá, tudo certamente pago com averba das empresas publicas que patrocinam o evento.

* Bah, mas o que tem de celebridade nestas horas...tudo por uma boquinha....

* dá pra mudar d enome. o festival pode se chamar de FESTIVAL DA BOQUINHA

GRAMADO

* Cheguei agora há pouco de Gramado. Fui pra veruma palestra.

* Me impressionou a quantidade de jornalistas credenciados.tudo fazendo uma ' boquinha' por conta do festival...

* Bah, então é assim? no próximo vou também....

EMPREGO FELIZ

Não há melhor emprego do que o do atual gerente do agapio da jose de alencar. ganha seis quilos de alcatre por mês. ele senta pra ver jogos na teve enquanto a esposa cuida do caixa.....

emprego feliz(1)

e isto que o atual gerente do agapio deixou falir um bar que tinha na goethe....

COISAS DE CAMPANHA

Cesar Schirmer candidatou-se a vereador em 1972. Sem tradição familiar ou experiência politica, o hoje prefeito de Santa Maria da Boca do MONTEvaleu-se sobretudo do prestigio que tinha como presidente do Centro Academico da Faculdade de Direito de Santa Maria.

E preferia não fazer comícios junto às raposas do partido.Tratava de buscar sozinho seus votos,acompanhado da companheirada da faculdade.Os companheiros, ou cupinchas, como diz o veterano JCTerlera, funcionavam como mestres de cerimônia e discursavam antes dele pra que o comício não parecesse curto( a versão vale mais do que o fato, em politica...)

Um destes amigos, Bayard Pelegrini de Azevedo, que pesava mais de 100 quilos, falava bem.

Lascava o pau nos milicos, o que dava votos naqueles anos:

-Os ricos estão mais ricos,...dizia ele, aquela churumela conhecida de todos....

Um bebado deu nos rins dele:
- Gordo deste jeito,até que te encostastes bem....

Coleguinhas

tirando fotos na frente da prefa, o sergio pantera, no sabado passado.

TASCA FUJÃO

domingo marquei um encontro no agapio com o cesar tasca....

* quando cheguei lá o seu gerente - que empregão este cara arrumou, ele e a família agora tão dando as cartas no agapio, negócio de pai pra filho mesmo, - me disse que o Tasca ' já tinha picado a mula'...

* Não marque nada com o Tasca. ele não vai....

HISTORIAS DO MEU PAI

O QUARTINHO QUE NUNCA SAIU...



No meio do ano passado, quando passei a editar o jornal LINHA ONZE, em Serafina, queria montar um quartinho no porão da casa onde vivia meu pai....

Minha mãe me cortou as asas.Num domingo de manhã, os dois vendo a missa na Rede Vida, como mostra a foto, minha mãe me avisou:
- NOS ESTAMOS AQUI NO FIM DA LINHA. Não tem porque ficar gastando dinheiro aqui. Assim que morrermos, vão derrubar tudo.

Bom, o velho já se foi....

Agora está na colina, como chamam o cemitério municipal.

Minha mãe ainda resiste....Pediu pra ficar um ano em Serafina...(olides)

em tempo: o quartinho não saiu....claro.

QUE É QUE HÁ COM O MELODRAMA?

por Eron Duarte Fagundes

O melodrama é um gênero dramático que tem seu cunho histórico mas isto não impede que ele seja esnobado pelos durões das salas de cinema: o sentimentalismo ainda é tido por coisa de mulher; homem que é homem não deve chorar, nem no escurinho do cinema. O sucesso de público de A culpa é das estrelas (The fault in our stars; 2014), filme dirigido por Josh Boone a partir dum êxito de livraria do romancista norte-americano John Green, reacende a questão do melodrama, aqui bem endereçado a um público que vê filmes quase como uma extensão de uma certa literatura que devora.

Não sei do livro, que minha filha de 14 anos me intimou a comprar para ela. Mas o filme navega facilmente em suas trivialidades e é capaz de dar saudades de outros melodramas mais encorpados feitos em Hollywood. A previsibilidade de sua história de doença e morte nem sequer é compensada por um estilo de contar uma história, como, por exemplo, fazia William Shakespeare quando investia em melodrama. Não que se espere que da língua inglesa (filme ou livro) sempre venha um Shakespeare. Mas o tratamento cinematográfico de A culpa é das estrelas é na verdade o supra-sumo do convencional. Algo opaco e sem brilho para este meu velho gosto. De fato: não me peçam que molhe o lenço; neste caso não consigo.

Durante agenda em Caxias, Vieira rebate declaração de Dilma sobre a CEEE

O candidato do PDT ao governo, Vieira da Cunha, teve a maior parte da agenda de campanha em Caxias do Sul nesta terça-feira (12). O único compromisso na Capital foi a gravação de cenas para o programa de televisão, que assim como a propaganda de rádio começa a ser exibido na próxima terça-feira, dia 19. Na Serra, ele rebateu a declaração da presidente Dilma Rousseff em entrevista concedida ao jornal Zero Hora, onde diz que foi a autora da ação que rendeu no ano passado R$ 3 bilhões à CEEE.

“Foram duas ações. Uma cautelar, impetrada junto à 9º Vara da Justiça Federal no dia 1º de fevereiro de 1993, e a ação principal, no dia 11 de março de 1993. Dilma assumiu o comando da Secretaria de Minas e Energia no dia 1º de dezembro daquele ano, 10 meses depois de termos ingressado na Justiça. O autor da ação é Carlos Eduardo Vieira da Cunha, na condição de presidente da diretoria colegiada da CEEE na época”, explicou.

Acompanhado pelo candidato a deputado federal Washington Coração Valente e pelo candidato a deputado estadual Kalil Sehbe, ambos do PDT, Vieira caminhou pelo centro da cidade, cumprimentou eleitores e trabalhadores do comércio. Antes, os três haviam tomado um café no Bar 13, ponto tradicional de Caxias.

Logo depois, Vieira encontrou o candidato ao Senado, Lasier Martins, e o suplente dele, Christopher Goulart, no gabinete do prefeito Alceu Barbosa Velho, onde conversaram por alguns minutos.

O candidato a governador também visitou os comitês de Kalil, do candidato a deputado federal Iran Jasper e da candidata a estadual Eliane Campo, ambos do PSC, do candidato a deputado federal Washington Coração Valente (PDT) e, por fim, o do candidato a deputado estadual Jaison Barbosa (PDT).

A passagem pela Serra se encerra à noite, durante a festa de aniversário do prefeito Alceu, no Salão da Paróquia Santa Catarina.

Agenda para esta quarta-feira (13):

11h - Visita ao Complexo Hospitalar Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, com início na provedoria e caminhada pelo hospital.

14h - Gravação do programa de TV, em Porto Alegre.

17h - Reunião com representantes da Federação das Câmaras de Comércio Exterior, em Porto Alegre.

19h - Gravação do programa de TV, em Porto Alegre.

Sartori defende sistema prisional seguro para combate efetivo à criminalidade

“Se uma casa prisional sintetiza a degradação das prisões no Estado, ela está localizada em Porto Alegre e já chegou a abrigar 5,3 mil presos, em 2010, quando sua capacidade é de pouco mais de 2 mil vagas”, disse o candidato ao governo do Estado José Ivo Sartori, da Coligação O Novo Caminho para o Rio Grande, ao comentar a situação do Presídio Central da Capital. Atualmente, são 3.921 detentos no presídio que já teve sua precária condição levada por entidades como OAB e Ajuris à Organização dos Estados Americanos (OEA), em 2013, e é considerado a porta de entrada do sistema prisional da Capital e da Região Metropolitana. No Estado, conforme dados da Susepe, há 28,9 mil presos no total.

Segundo Sartori, em seu governo o esforço será o da completa eliminação do Central. Uma das soluções, no seu entender, é fazer uma permuta da área condicionada à construção de outro presídio, com capacidade quatro vezes maior. Ele acredita que um sistema prisional seguro é uma das ferramentas mais eficazes de combate à criminalidade.

O candidato salienta que é preciso zerar o déficit de aproximadamente 8 mil vagas no sistema prisional. Para isso, é fundamental elaborar e executar um programa permanente de investimentos em recursos humanos e materiais, vencendo também o déficit de pessoal tanto na Brigada Militar quanto na Susepe, de modo a criar uma estrutura adequada às necessidades e demandas dos gaúchos por mais segurança.

Em outra frente, José Sartori acredita que é preciso combater a causa para reverter índices crescentes de criminalidade – as drogas. É uma questão de saúde, se não quisermos cada vez mais construir cadeias - acrescentou. “Se não trabalharmos para ter uma cultura de paz, vamos ter violência, como se fosse uma coisa natural”, concluiu o candidato.

AGENDA DO CANDIDATO JOSÉ IVO SARTORI PARA 13 DE AGOSTO - QUARTA-FEIRA

PORTO ALEGRE

11h15 - Participa do encontro Tá na Mesa, promovido pela Federasul. Local: Sede da entidade.

18 horas - Recebe representantes da Comissão Especial da Diversidade Sexual da OAB. Local: Comitê de Campanha.

18h30 - Recebe dirigentes do Movimento Negro do Rio Grande do Sul. Local: Comitê de Campanha.

19 horas - Recebe representantes das Câmaras Europeias - Alemã, Holandesa, Italiana e Britânica. Local: Comitê de Campanha.

20 horas - Inauguração do comitê do candidato Alexandre Postal. Local: Rua Gran Pará.

Sartori participa do encontro Tá na Mesa nesta quarta-feira

O candidato ao Governo do Estado pelo PMDB, José Ivo Sartori, fala sobre “Os desafios do Rio Grande do Sul”, no encontro Tá na Mesa, nesta quarta-feira, 13, a partir das 12h, no Palácio do Comércio (Largo Visconde do Cairu, 17 - Centro Histórico). O encontro é promovido pela Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul), e os ingressos poderão ser adquiridos na sede da entidade.

Confira a programação

12horas - Recepção e networking
12h15 - Almoço
12h40 - Início da palestra
13h40 - Perguntas
14horas - Encerramento

Informações

*Venda de convites antecipados

Sócios: R$ 50,00

Não sócios: R$ 75,00

*No dia do evento (conforme disponibilidade)
Valor único: R$ 85,00

Mais informações: Operação de Projetos - 51 3214.0200 ou email: eventos@federasul.com.br.

de Serafina

A ESCOLA AGRÍCOLA SE ORGULHA DE VOCÊ ESTUDANTE

Normalmente, o dia do estudante acontece de segunda a sexta-feira, de fevereiro a dezembro, mas é no dia 11 de agosto que comemoramos de forma especial o dia do ESTUDANTE! Para homenagear os estudantes da Escola Agrícola foi realizado um bingo na tarde do dia 11. Tal atividade integrou e animou os alunos, proporcionando momentos de alegria e satisfação. A Escola Agrícola aproveita a data para (novamente) afirmar que acredita na capacidade de cada aluno ser o que desejar. De SER estudante. De SER feliz. ESTUDANTE, valorize cada oportunidade. Respeite. Dedique-se. Invista. Estude. Você certamente colherá o que plantar!

Escola Professora Estherina Marubin comemora o dia dos Pais

No último dia 09 de agosto, no Salão da Capela São Pedro, a Escola Municipal Professora Estherina Marubinrealizou uma singela e bonita homenagem aos pais dos alunos pela passagem do seu dia. O evento reuniu várias apresentações dos alunos com música, vídeo, capoeira.Após as apresentações foi servido um café para todos os presentes. As crianças puderam retribuir todo amor e carinho recebido pelos pais, através da homenagem. A escola comemora a data todos os anos com diversas atrações com o objetivo de aproximar os pais dos alunos para que eles possam ficar ainda mais presentes na vida de seus filhos na escola. Agradecemos a participação dos Pais e parabenizamos por essa data tão importante.

12 de agosto de 2014

CINEMA

Nunca fui ao festival de cinema de gramado. Sempre achei aquilo tudo pura badalação. Não me interessa. Mas vou hoje pra ver uma conferencia sobre cronica de cinema....

Passei o domingo transando minha ida e está tudo certo...vou e volto de ' transfer' como chamam o transporte gratuito(pra mim).

* Lembro que o festival de gramado era no verão e que os fotografos ' faziam cascata' com as estrelas de cinema tirando o sutiã....

* isto dava grandes manchetes na época.

* Não sei porque nunca fizeram um livro sobre a história do festival de gramado. quer dizer, saber eu sei, porque ali tudo quer ' mamar' e não trabalhar.

oie!!!

coloquei no blog que minha irmã é que ia sempre no dia dos pais...eu e outros irmãos mais ligávamos....(olides)

De: alenir.canton
Para: olidescanton@bol.com.br

Li no teu blog, sobre dia dos pais. Eu já tinha entregue uma pantufa
prá ele, presente adiantado.( na quinta-que chegamos em Serafina).

Por pouco não a coloquei no caixão.

abraços

Alenir Canton

POLITICA

O ' reliseiro' do Sartori agora vem com esta de ' sartori' aumenta o tom da campanha....Ué, mas não era pra dar pau???!!!

* O assessor do Vieirinha pelo menos manda noticias....

* Acho que nem vamos ter segundo turno aqui no Sul...pra governador.

De Serafina



Fiz fotos do túmulo de Fioravante Cervieri e de seus familiares.

Como o marmore acumula água, o povo espalhou uma lenda de que o ' tumulo chora"..



Pura lorota, é claro...é apenas um fenômeno do mármore....

ficha

a camara municipal pra fazer média com a colonia vai homenagear os agricultorues. eu homenageio meu pai, que fo foi a vida toda, com a reprodução da ficha do sindicato rural, onde era associado. aliás,ninguém que outrora foi da sociedade estrela, onde meu pai sempre deu sua produção, porque era associado, nem do frigorifico ideal, onde vendia os porcos, nem do sindicato rural mandaram sequer um pequeno gesto de condolescias. assim são os interesses. enquanto é util bajula-se, depois nem bola, nem um abraço pela sua morte aos familaires(olides)

Sobre o Roni

Prezado Laurinho: as informações eu creditei a fonte que dei nome e até foto....(olides)

eu, como disse na matéria, apenas ouvi mencionar o caso e com muito medo dos fotografos. era quase um tabu. o telminho curcio as vezes falava mas se cagava todo de medo do mau-mau e do lauro, como tu bens sabes....
(olides)

Para: Deolhos... deolhoseouvidos1@terra.com.br

Surpresa - Me surpreendeu a afirmação no teu saite de que o Roni Paganella "ficou 'atirado' no hospital Beneficiência Portuguesa" qdo se acidentou trabalhando para a ZH. Eu também trabalhava lá nesta época e cheguei a visitar o Roni no hospital. E ñ era a Beneficência, como tu mencionas, mas, sim, o Cristo Redentor, q à época ainda pertencia ao Jair Boeira e era um hospital de alto padrão (o Cristo Redentor de hoje ñ chega nem perto). Também a informação que, nós, os colegas da Redação, recebemos na época era de que a Empresa estava dando todo o apoio ao Roni e que ela, RBS, é q havia procedido os trâmites para levá-lo para o Sarah em Brasília. Afinal, naquela época, o "seu" Maurício ñ rezava pela cartilha do capitalismo selvagem que agora é adotada pelos seus sucessores e herdeiros. O Mau-Mau, pelo contrário, fazia o tipo paternal/populista. Pelo q também fiquei sabendo naqueles dias, a "namorada", pelo menos uma das que aparecia no hospital se dizendo namorada do Roni, e que seria a mais próxima, digamos assim - pois havia várias "namoradas" que apareciam no hospital para visitá-lo -, se afastou logo q a situação dele se confirmou como irreversível. Fiquei surpreso com a tua afirmação pq me chamou muito a atenção, na época, o alto nível de atendimento do Cristo Redentor. Nunca mais vi coisa assim. Curioso, agora, tu divulgares uma versão tão diferente da q presenciei. (Laurinho)

Ainda o Caso Roni

Para: Olides deolhoseouvidos1@terra.com.br

Ainda o caso Roni:
1) Não lembro, realmente (e a minha memória ainda está muito bem preservada) de ouvir falar que algum motorista da ZH/RBS, na época do acidente do Roni, fosse considerado "muito ' imprudente' e facilit~~ao", como consta no teu saite.
2) Pelo que recordo, todos eram muito bons motoristas e bastante responsáveis.
3) O que eu entendo que era um problema é que eles emendavam o trabalho do dia-a-dia com viagens longas. No meu caso, eu sempre viajava procurando me manter acordado e conversando com o motorista e o fotógrafo o tempo todo, para evitar que o motora dormisse no volante. E fazia parar para a gente tomar Coca-Cola e café preto forte. No caso do Roni, eles haviam almoçado pouco antes do acidente e os "coleguinhas" estavam dormindo. O Roni teve as piores consequências porque estava dormindo deitado no banco de trás da Rural Willis que transportava a equipe. Naquela época nem havia cinto de segurança.
4) depois do acidente, o Dwoskin, que gerenciava o Transportes da RBS mandou colocar tacômetro em todos os carros e proibiu velocidades acima de 60km/h.
5) Outro detalhe: na época, a reportagem viajava muito pelo interior. Quando o Antônio Oliveira era Chefe de Reportagem, ele mantinha sempre alguém viajando pelo interior fazendo matéria, já que a ZH ñ apostava em correspondentes no Interior, como o CP. Essa prática também foi adotada pelo Canalli e pelo Aveline, quando chefiaram a Geral. (Laurinho)

Centro

Olha o corpo estendido no chão....morto na rua da ladeira....

no sabado este cidadão estava morto na rua da ladeira. ....

a que ponto chegou a insensibilidade!!!!

PTB

o vereador Eloi Guimarães no sabado se escondendo do frio na praça da alfandega. enquanto o PTB fazia manifestação ele prefeiru o mac donalds, ali
na frente pra se abrigar.

De Serafina

Escrevi pra Nadilce porque o pai dela,Nadir Zanatta, cuel del auto de piassa, o primeiro chofer de praça de Serafina e meu pai eram contemporrâneos. Do tempo do padre Chico, aquele que detestava as mulheres porque me disse lhe piazea massa le ciacole( gostavam muito de fofocas)...Uma Serafina que não existe mais, desapareceu há tempos, está apenas na nossa memória afetiva. o restante é como as demais cidades....não teria porque não ser assim....(olides)

Nadilce, ele morreu dia 29 de julho. antes do dia dos pais. mas foi lembrado mais agora morto do que quando era vivo. podes ter certeza. engraçado, as pessoas acham que o importante é ir no enterro qu enão passa de um ato social pros que estão vivos, não uma homenagem ao morto. por isto no meu enterro será intimo, só pros meus netos e filhas(olides)

De: nadi.beaze
Para: olidescanton@bol.com.br

Mas que triste, assim quase no dia dos pais...
Eu estava em PFundo, hoje abri o PC aqui e vi tua mensagem.
Lá não tive como conectar internet.
Ele se foi assim, sem mais nem menos... Ou já esta doente?
Sinto muito Olides, afinal teu pai, como o meu e tantos outros, não deixaram de representar muito em nossas vidas.
Um abraço de conforto.

Aécio

Rekern, achei que tu ias falar das fotos do protesto. me vem tu de novo atazanar o Aécio....(olides)

do Rekern

Estado do Rio Grande do Sul x Ford

JULGO PARCIALMENTE PROCEDENTE a Ação Ordinária ajuizada pelo Estado do Rio Grande do Sul contra a FORD Brasil Ltda. para o efeito de DECLARAR RESCINDIDO o contrato celebrado entre as partes objeto da presente demanda, por inadimplemento contratual da ré e CONDENAR a ré na restituição ao autor dos seguintes valores:

R$ 42.000.000,00 ( quarenta e dois milhões de reais), que deve ser corrigido pelo IGPM a contar de 23/03/1998 e acrescido de juros legais de 6% ao ano a contar da citação até a entrada em vigor do novo Código Civil, em 10/01/2003, e de 12% ao ano a contar de tal data, do qual deve ser abatido o valor de R$ 6.349.768,96 ( seis milhões, trezentos e quarenta e nove mil, setecentos e sessenta e oito reais e noventa e seis centavos), atualizado pelo IGPM a contar de 1º/11/2001;

R$ 92.100.949,58 ( noventa e dois milhões, cem mil, novecentos e quarenta e nove reais e cinquenta e oito centavos), a ser corrigido pelo IGPM a contar da data de cada apropriação conforme planilha apresentada pelo perito contábil na fl. 2089, e acrescido de juros legais de 6% ao ano a contar da citação até a entrada em vigor do novo Código Civil, em 10/01/2003, e de 12% ao ano a contar de tal data;

e R$ 32.989,60 ( trinta e dois mil, novecentos e oitenta e nove reais e sessenta centavos), atualizado pelo IPGM a contar da data do ajuizamento do pedido e acrescido de juros legais de de 6% ao ano a contar da citação até a entrada em vigor do novo Código Civil, em 10/01/2003, e de 12% ao ano a contar de tal data.

Considerando a sucumbência recíproca, arcará o autor com as custas no percentual de 10% e a ré, com o restante.

Condeno, ainda, o autor, no pagamento de honorários advocatícios em favor do procurador da ré, que fixo em R$ 5.000,00 ( cinco mil reais), e a ré, no pagamento de honorários advocatícios ao procurador do autor, que arbitro em R$ 35.000,00 ( trinta e cinco mil reais), observada a natureza da causa, o tempo que tramita o feito e o trabalho desenvolvido, com compensação.

Publique-se. Registre-se. Intimem-se.

Porto Alegre, 15 de dezembro de 2009.

MORTE DE JANGO

Ué quem não sabia que aquela exumação era todo um teatro pra muitos tirarem dividendos políticos.??Principalmente a então ministra dos direitos Humanos?????Maria do Rosário(olides)

De: mjdhbr
Para: mjdhbr

MOVIMENTO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS/Brasil INFORMA:

Att,

Jair Krischke - Presidente
Movimento de Justiça e Direitos Humanos

VERGONHA > MORTE DE JANGO: RESULTADOS DOS EXAMES REETIDOS NO EXTERIOR POR FALTA DE PAGAMENTO

VEJA >http://www.band.uol.com.br/m/conteudo.asp?id=100000699159

O mistério sobre a morte do ex-presidente João Goulart está praticamente desvendado.

Os resultados dos exames nos restos mortais de Jango só não foram divulgados porque um dos laudos está retido num laboratório por falta de pagamento.

O Instituto Nacional de Criminalística, encarregado de fazer o laudo sobre a morte do ex-presidente, está de mãos atadas, porque os peritos ainda não receberam o resultado de exames que ajudarão a comprovar se o político foi mesmo envenenado, como suspeita a família.

Além de Brasília e São Paulo, laboratórios na Espanha e em Portugal também receberam amostras dos ossos para análise.

Até agora os exames feitos na ossada de Jango e nos gases contidos dentro do túmulo não indicaram a presença de veneno, mas, para concluir as investigações, ainda falta um laudo do laboratório espanhol, que está retido por falta de pagamento.

João Goulart morreu em 6 de dezembro de 1976 na Argentina, de ataque cardíaco. Apesar disso, não houve exames para comprovar a morte. Em novembro do ano passado, por determinação da Comissão da Verdade, o corpo dele foi exumado no Rio Grande do Sul, e os restos mortais foram transportados para Brasília.

Um mês após a coleta das amostras, os restos mortais voltaram para o Rio Grande do Sul. Apesar do atraso, o governo espera concluir o laudo a tempo de incluí-lo no relatório final da Comissão da Verdade, que deve ser entregue em dezembro.

AS ESTRANHAS RELAÇÕES

por Eron Duarte Fagundes

São dois analfabetos emocionais que vão encontrar-se ao longo da trama de O melhor lance (La migliore offerta; 2013), o novo filme dirigido pelo italiano Giuseppe Tornatore. O protagonista, vivido por Geoffrey Rush, é um veterano leiloeiro que toda a sua vida esteve voltado exclusivamente para sua atividade profissional (entoar pregões) e, assim, relativamente às emoções e às mulheres, permanece infantil e impúbere. Sua descoberta do universo emocional dos adultos se dará quando ele é encarregado por uma excêntrica herdeira de obras de arte a vender quadros de herança. Ela também é esquisita, mora reclusa num casarão e não quer aparecer nem nos leilões nem para o leiloeiro, que conversa com ela separado por uma porta. A atração entre estes dois seres espiritualmente aleijados ora intensifica a narrativa, ora a amortece; Tornatore parece emular, um pouco à distância, certos contos góticos do cinema italiano, de que a obra-prima Almas perdidas (1976) é um exemplar pouco referido mas significativo. No entanto, os escrúpulos de realismo chapado de Tornatore o impedem de alçar qualquer voo; o resultado final não passa da mediania, oscilando entre pontas de discreto interesse e enfados.

de Serafina

Agricultor será tema de Sessão Especial da Câmara de Vereadores


Pelas mãos deles passa o fruto da terra, amanutenção da vida

No dia 28 de julho foi comemorado o Dia do Agricultor.Com a intenção de refletir e valorizar o importante trabalho desenvolvido pelos trabalhadores do setor agrícola, tratando de assuntos pertinentes à atividade, é que o Poder Legislativo de Serafina Corrêa convida a comunidade a participar de uma Sessão Especial alusiva ao Dia do Agricultor, a ser realizada na próxima quinta-feira, dia 14 de agosto. No Auditório da Escola Municipal Leonora Marchioro Bellenzier, a partir das 19 horas, o evento tem a presença confirmada de Francisco Sérgio Turra, Presidente da ABPA - Associação Brasileira de Proteína Animal. O convidado tratará sobre o Cenário Nacional e Internacional do Agronegócio e da Agricultura Familiar.A Sessão Solene conta com o apoio da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Agronegócio de Serafina Corrêa e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Serafina Corrêa.

Sessão Solene alusiva ao Dia do Agricultor

QUANDO: 14 de agosto, quinta-feira
HORÁRIO: 19 horas
LOCAL: Auditório da Escola Municipal Leonora Marquioro Bellenzier.

11 de agosto de 2014

E X C L U S I V O !!!!!

SANTANA AGORA É "CNPJ" NA RBS

No fim de junho, começo de julho, FRANCISO PAULO SANTANA que era FUNCIONA´RIO DA RBS desde o começo dos anos 70 deixou de sê-lo...

* Agora tem contrato com a empresa via CNPJ

* Não se sabe em quanto foi reduzido o que SANTANA ganhava na RBS...

* Como funcionário era o mais bem remunerado. Perto de 40 mil,mensais,se não estou enganado.Depois dele, um dos maiores salários de jornalistas é da CRISTINA RANZOLIN, do JA.

* Como qualquer mortal que assina a rescisão de funcionário, Santana teve que faze-lo via sindicato dos jornalistas. Mas ele não foi lá. Os funcionários do sindicato é que foram até a av. Ipiranga, 1075.

* querem saber mais detalhes? continuem lendo este blog....

protesto na zeagá...


diretores do sindicato dos jornalistas na esquina da ipiranga com erico verissimo nesta sexta...

no começo a manifestação era pequena, depois apareceram alguns, principalmente fotografos de sites e reporteres de sites, como eu, o sul 21. Um experiente lider da categoria, hoje presidente da Fenaj, celso augusto Schoreder- que é primo irmão do poderoso da Rede Globo -, disse que estas demissões ' estãO Ddentro daquilo que a RBS sempre faz no fim do ano"..

Schoreder também previu que nomes como Trezzi, Wagner, Mariano, gente que há muito tempo na zeagá, devem ter suas cabeças degoladas brevemente, já que sãoprofissionais que dificilmente vão se ajustar dentro da reportagem digital que é o que a zeaga tá fazendo.

enfim, são elocubrações.....



o problema foi com o carro do som, que a brigadianos acharam muito alto e deram um atraque ao presidente simas que andava em volta do prédio com ele, falando das demissões..mandaram ele encostar e baixar som....pô a BM preocupada com volume alto perto do predio da ZH...quando se viu isto, mas aconteceu....

PICUINHAS DO PROTESTO NA ZH...

* Fiz uma previsão pro Cristiano Nunes: uma coleguinha que tava no protesto e que era a mais radical, ou uma das mais, em 10 anos vai estar casada com um capitalista e passando férias em Punta, por ai....

Isto é sempre assim...

Aconteceu com Jaque Kennedy:quando De Gaulle a conheceu casada com Kennedy. "Em 10 anos estará casada com um armador grego", disse de gaulle,líder francês. Foi o que aconteceu...

* Simas, Presidente do Sindicato, andava no carro de som....falando alto.... aí os brigadianos foram acionados, atracaram o carro de som e ele teve que baixar, me parece....

* Celso Augusto Schoreder, um clássico sindicalista, hoje presidente da Fenaj, estava no protesto. E deu entrevista até pra uma reporter da RBS que foi cobrir o protesto

* JCTorves, outrora um militante da causa, acomodou-se .Hoje está em BRasilia, amancebado com o poder. Está dando força a Fenaj num projetos que tem que passar pelo Congresso Nacional.

* Torves que já foi militante de fazer protestos, outrora,na frente do prédio da RBS, junto do MST. acabou casando com uma advogada do movimento que dá aulas no Planalto Central.

* Começou vida nova, como se diz.

* Desligada de tudo, perto das 6 da tarde, a excelente repórter LARISSA ROSSO, uma das melhores da safra atual da zh - poderia estar no centro do país, porque ela dá de relho na Brum, aquela que era uma repórter desconhecida na ZH até o Augusto Nunes chegar e mudar sua vida profissional e agora virou escritora famosa - saía do prédio da zh, pela Av. Ipiranga, nem parou pra falar com ninguém do protesto.
- Nos encontramos na feira do livro, me disse quando fui falar com ela.É que a gente se fala lá sempre. Leio as matérias dela, a não ser quando são abobrinhas dadas pela pauteira aquela que edita o Donna e que veraneia em Punta. Imagina no nosso tempo repórter veranear em punta!!!!!!!!!!!!!!!!!!! O preconceituoso do Lauro Schirmer, que Deus o tenha sua santa paz, como diz o JCTerlera, mandaria pro ostracismo. Até porque uma vez a Bebel Braga quis botar uma foto dela na zh e bailou na curva.Não saiu a foto, o chargista amigo da Bebel botou panos quentes na situação criada.

* Os reporteres da zh espiavam do 4 andar onde fica hoje a redação, logo que começou o protesto sexta. Assim que me viram tirando fotos, sumiram...quanto medo, um dia vai ter pra eles. É questão de tempo...

* Alexandre Bach foi um dos degolados,agora, sempre foi bom repórter....

* tudo o que a rbs faz recurpete, como diria o outro.É a prova da sua importância. Claro todos querem tirar uma lasquinha encima de sua posição de liderança. Sindicato, e politicos. mas é apenas isto. jogo de fachada...

* não se iludam....já me iludi com tudo isto, depois vi que era tudo teatrinho, como diria o senador dos dentes de ouro....

protesto na rbs



a ' turma' do sindicato dos jornalistas na frente do prédio da zeagá....


cristino nunes, o eterno gerente do sindicato, na rua protestando contra as demissões e uma das colegas mais empenhadas em protestar contra as demissões da rbs...foram 130 demissões.

diretores e funcionários do sindicato dos jornalistas no protesto contra a zero hora....


Da redação no 4 andar, os funcionários da zh espiavam o protesto. Assim que me viram fotogrando sumiram....talvez com medo de serem identificados. Bah, quanta coragem...(ironia é claro.....)


O protesto solitário com o cartaz no moirão....da av. Erico.


Celso Augusto Schoreder,presidernte da Fenaj, dá entrevista pra repórter da ZH. Pelo menos me disseram que ela era...não perguntei. não tava com humor pra isto.


o jovem desencantado com a RBS!


distribuição de ' pirulitos' aos passageiros dos onibus na Erico

O ' protesto' contra as demissões de 6 na Cascatinha

N p quarto andar do prédio da ZH, funcionários espreitavam o protesto na rua....

protesto de 6 na Cascatinha: Luis Avila e uma colega...Celso Schoreder e Jorge Correa na Cascatinha durante o fechamento do sinal....

Jorge Correa no protesto contra demissões na 6 passada na cascatinha


Simas presidente do sindicato no carro do som que foi ' detido' pelos brigadianos porque o som era muito alto....




o Presidente da Fenaj, Celso Augusto Schoreder dá entrevista a reporter de ZH




sindicato panfleteando na Erico.

o protesto pelas demissões na RBS

Schoreder, presidente da fenaj e outros membros do sindicato na esquina da ipiranga com erico,,,tinha gente querendo fechar a Ipiranga mas acho que isto não aconteceu.

protesto com 130 demissões na RBS

Grêmio

fora koff e sua turma...estão enterrando o Grêmio...VOLTA ODONE

guaiba

bah, mas como é ruinzinho este dico reis...ele entra na gravação do programa do Mendelsky no domingo de manhã e le aqueles relises brabos da EPTC...mesmo assim se confunde todo...cruiz credo, onde foi parar a ' nossa' Guaiba..

* Na radio Gaúcha nesta quinta passada, era grande o medo do ' passaralho' que andava dentro da RBS..

Me disse um contato comercial da empresa que andou por lá nesta quinta....

* Tavam todos se borrando.....isto eu vi em 92, quando fui demitido....

dos leitores!

O tal Duda é muito burro foi colocar 130 para a
rua e foi logo fazer escândalo na ZH
onde só foram dois para rua. Isto que comunicação é
o negócio deles.
Olha esta gozação que me mandaram, não publica por que tem colega nas fotos.
Mas é muito bo

JC

Não vi nada de novo no novo caderno VIVER que anda fracote, pra não dizer pelas caronas desde que a Maria Wagner saiu de lá...

* os jornais em geral tão muito ruins. por isto andam investindo em vinhos e similares. aqui é pura ironia, é claro.

* quem gosta de jornal é jornalista, repórter, não dono de empresa de jornal.

DOMINGO SEM PAI...

Nunca dei muita bola pra isto...quem mais dava era minha irmã Alenir, que sempre ia a Serafina no dia dos pais, visitar o velho que cultivava seus ' garnizés' no fundo de casa...

HISTORIAS DO MEU PAI

MEDO DA GRIPE AVIÁRIA

Alguns anos atrás, num inverno brabo,peguei o onibus da Bento pra Serafina, numa sexta a noite. Naqueles anos o onibus ainda parava no Laguinho, perto de Estrela. os motoristas faziam uma boca livre e depois seguiam viagem,enquanto os passageiros marchavam naquele local tão caro.

( alguns passageiros que conheciam o local e seus preços escorchantes levavam lanche pra comer ali...)

Pois havia no Estado uma onda de gripe aviária....todos temiam a gripe aviária e com razão.

Liguei a cobrar do orelhão pro meu pai pra pedir pra deixar a porta aberta,depois eu fecharia, pois o ônibus chega lá pelas onze em Serafina...

Havia parentes em casa, se não me engano, ainda por cima.

Meu pai assustado comigo que estava viajando e com medo da gripe aviária , logo berrou no fone:

- Sta mia venher casa...stamia venher casa.( não vem pra casa!!!)

- Bom, disse-lhe, já estou em Estrela.

Deu tudo certo!

De Serafina

seraifna sem rodoviária. aqui no dia 2.8. a rodoviária fechou dia 31.5

PDT

Foto: Marcio de Almeida Bueno

Vieirinha, o que mais cresce na campanha segundo o capincho. de 2 pra 4. mas assim já aconteceu com o rigotto em 2002.

de SB

' capincho' otimista!!!!

De: letier12
Para: olidescanton@bol.com.br

Meu candidato - Futuro Governador do Rio Grande, foi o único que cresceu 100% nesta pesquisa, saiu de 2 para 4%.

Letier Vivian
São Borja/RS

Cinema

Vi o filme do lech walesa agora de manhã. valeu a pena....

Lançamento

De: bueno.escritorio
Para: olidescanton@bol.com.br

olides, de tanto acompanhar diariamente seu blog, me inspirei a fazer o meu, projeto que estava engavetado há anos. voce foi o responsavel, e muito lhe agradeço. agora só falta eu voltar a desenhar, algo que também abandonei há anos. compratilho contigo este lançamento. um
abraço.

marcio

Jornalista lança blog Direto de Porto Alegre

Na noite de quinta-feira, 7 de agosto, o jornalista multifuncional
gaúcho Marcio de Almeida Bueno fez o lançamento virtual de seu blog,
www.DiretodePortoAlegre.blogspot.com. Em ritmo de 'jornalismo de
guerrilha', o site vai trazer notícias e opiniões sobre o cotidiano,
direitos humanos, direitos animais, fotojornalismo, bons livros,
discos e filmes, gastronomia vegana, entrevistas e vídeos, além de
dicas e relatos sobre vida urbana frugal.

Bueno tem passagens pelo SindJors, Sindvest, Terra, Primeira Hora,
Plural FM, PoaTV e diversas ONGs, e recentemente se desligou da Joenck &
Bueno, assessoria de Internet onde era sócio. Hoje atua no Jornal
Panorama Regional, na loja de comércio eletrônico Direto de Porto
Alegre, faz assessoria de Imprensa para ONGs, tem coluna da agência de
notícias ANDA, de São Paulo, colabora com sites e é compositor de trilhas sonoras. É possível seguir o blog no Twitter, em @DiretodePorto.

Danilo Ucha vai receber Medalha da Assembleia Legislativa

No dia 10 de setembro, às 13h30min, o jornalista e escritor Danilo Ucha, será agraciado pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul com a Medalha da 53ª Legislatura. A homenagem foi proposta pelo deputado José Sperotto (PTB), que afirmou que Danilo Ucha é merecedor do reconhecimento pelo Parlamento. “É um grande ser humano. E como jornalista sempre trabalhou por uma imprensa livre e um País democrático”, afirma o deputado petebista.

Danilo da Silva Ucha, 70 anos, nasceu em 10 de junho de 1944, em Sant’Ana do Livramento, fronteira com o Uruguai, filho de Constantino Ucha Neto e Heloísa da Silva Ucha. Formado em jornalismo em 1970 (Turma de 1966) pela Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre. Em 1971, realizou curso de aperfeiçoamento em Comunicação e Turismo no Instituto de Cultura Hispânica, em Madrid, Espanha.

Ucha iniciou sua carreira profissional em 1962 no jornal A Platéia de Sant’Ana do Livramento. Em 1966, já em Porto Alegre, trabalhou no grupo dos Diários Associados (Rádio Farroupilha AM e Diário de Notícias). Em 1967, transferiu-se para a Companhia Jornalística Caldas Júnior - jornal Folha da Tarde e Rádio Guaíba. Em sua trajetória profissional trabalhou na Sucursal do jornal “Correio da Manhã”, do Rio de Janeiro, enfrentando os tempos duros e sombrios da ditadura militar que acabou fechando o tradicional jornal carioca.

Em 1971, esteve na Europa - Espanha, Itália, França e Portugal, onde trabalhou em revistas e jornais de Lisboa. Trabalhou também nos jornais Zero Hora e O Estado de São Paulo e escreveu para as revistas Veja, Isto É e Realidade.

Em 1986, fundou o Jornal da Noite, mensário especializado em arte, cultura, livros, turismo e negócios, que completou recentemente 28 anos de circulação; foi editor do Jornal dos Criadores, especializado em agronegócios, do jornal Cone Sul/Cono Sur, especializado em Mercosul mesmo antes desta integração ter sido iniciada. Foi diretor regional do jornal Gazeta Mercantil, editando o jornal Gazeta Mercantil Rio Grande do Sul.

Desde 2002, trabalha no Jornal do Comércio de Porto Alegre, veículo em que é responsável por uma coluna diária sobre assuntos econômicos e empresariais. Participou da fundação de vários jornais alternativos, como Coojornal, Pato Macho e Mensageiro Rural - também redator dessas publicações.

AS CONTRADIÇÕES RELIGIOSAS DE UM TEMPO MAU

por Eron Duarte Fagundes

Vincent Lanoo, cineasta belga que no começo dos anos 2000 chegou a ligar-se ao Movimento Dogma criado pelo dinamarquês Lars Von Trier, é quem assina Em nome do filho (Au nom du fils; 2012), exibido no FANTASPOA 2014 (o filme do Dogma feito por Lanoo é Strauss, um falso documentário rodado em 2001). Em nome do filho é uma narrativa de grande densidade crítica e dotada de um realismo atroz, mesmo que muitas vezes, como costuma acontecer no cinema belga que rarefeitamente aparece por aqui, enverede por alguns delírios visuais mais poéticos, místicos ou metafísicos.

O centro da trama é preenchido por uma radialista religiosa. Saindo-se da esfera profissional da personagem, o que acaba enovelando as questões do filme é o envolvimento do filho adolescente da radialista com padres pedófilos. Diante do suicídio do garoto e das pressões da mãe por respostas, os elementos do clero invertem a jogada, procurando jogar para um possível comportamento libidinoso da criança a culpa pelo que houve de sexualmente duvidoso ou condenável nos espaços eclesiásticos. Então, com muita argúcia e senso cinematográfico, Lanoo expõe o cinismo religioso de nossos dias.

Pode-se dizer, com certeza, que Em nome do filho é uma das secretas surpresas da atual temporada de cinema em Porto Alegre. Passa longe do sensacionalismo que o tema poderia render-lhe. E (de maneira alguma) não faz explorações macabras da pedofilia. É a comprovação, outra vez, da amplitude atual do FANTASPOA, cuja marca central é o fantástico mais escrachado, mas que não se resume a isto. Em nome da sinceridade estética, Lanoo deixa de lado todas estas tentações comerciais, ou de gueto, para rodar o filme que lhe interessa fazer sobre as contradições religiosas de um tempo mau para os indivíduos mais frágeis.

Publica se tu é macho

Po Rekern, tu é humorista nato(olides)

o que rola na internet



(olha rekern, estes dias fui procurar o livro da Yeda na livraria e já tinha esgotado. sinal da saudade que os eleitores tem dela(olides)

pelo rekern

Sartori aumenta o tom da campanha quando o tema é Educação

Foto: Luiz Chaves

O candidato a governador José Ivo Sartori (PMDB) elevou o tom do discurso ao falar em educação no final de semana, durante visita a nove municípios, incluindo as regiões Carbonífera e Central. Ele cobrou do atual governo do Estado o cumprimento do piso nacional do magistério, criado em 2008 pelo próprio Tarso Genro, quando era ministro da Educação. Sartori lembrou que Tarso pressionou o governo anterior a pagar o piso e que agora, como governador, não cumpre a lei.

“Não se pode iludir os educadores nem brincar com a educação. A promessa do governador Tarso Genro era de se adequar ainda em 2014, o que não aconteceu”, afirmou. O peemedebista acrescentou que o Ensino Médio caiu em qualidade e não houve medidas de reação para recuperar os indicativos superiores de anos anteriores.

O candidato falou também sobre o fraco desempenho do Rio Grande do Sul no Índice da Educação Básica (Ideb), em consequência de baixos investimentos no ensino público gaúcho, infraestrutura precária, professores mal remunerados e submetidos a um ambiente de intenso estresse. “Quero acabar com o conflito entre o Poder Executivo e o magistério, que já perdura por anos. Queremos constituir um projeto de mudança de forma democrática, aberta e pluripartidária, para atender às necessidades mínimas dos professores, a partir de uma melhor gestão das finanças do Estado”, frisou.

Adotando uma postura mais conciliadora para negociação com o magistério, Sartori observou que o assunto é delicado, mas pode ser resolvido com diálogo, responsabilidade e a participação de todos. “Partimos do princípio de que a valorização da educação é fundamental para a sociedade como um todo, com reflexos em diversas áreas, inclusive na segurança”, observou.

A agenda de Sartori começou na sexta-feira, por Minas do Leão e Pantano Grande. Na Região Central, esteve em Santa Maria, Restinga Seca, Faxinal do Soturno, Nova Palma, Dona Francisca, Agudo e Formigueiro. O roteiro foi marcado por carreatas, caminhadas e encontros partidários.

Indústria gaúcha precisa de governo comprometido, defende Sartori

O próximo governante que assumir o Palácio Piratini terá de estar comprometido com o fortalecimento da indústria tradicional do Rio Grande do Sul, afirmou nesta quinta-feira (07) o candidato a governador José Ivo Sartori (PMDB) em visita ao Vale do Sinos. Ele participou de carreatas e encontros com lideranças partidárias em Sapiranga, Campo Bom, Estância Velha, Novo Hamburgo e São Leopoldo. Em conversa com eleitores e representantes de partidos e entidades, lamentou a perda de competitividade do Estado, que se transformou, segundo ele, em território de obras estruturais inacabadas ou que ficaram no papel.

Sartori disse que o risco sofrido pela indústria calçadista do Vale do Sinos com a concorrência de produtos importados da China e de outros países asiáticos precisa ser enfrentado com reforço de tecnologia, estímulo à qualificação de mão de obra e maior apoio ao desenvolvimento industrial. “Nossa capacidade de absorver e criar as tecnologias de ponta exigidas pela economia hoje em dia ainda deixa muito a desejar. Por causa disso, a economia gaúcha vem perdendo espaço na economia brasileira, e isso é motivo de preocupação”, salientou.

O peemedebista ressalvou, no entanto, que adotar o caminho da guerra fiscal com outros estados não é a melhor saída para beneficiar os empreendimentos. Em vez disso, ele defende que o governo estadual precisa criar alternativas que possibilitem a cada região investir nas áreas produtivas de sua vocação – como é o caso do calçado no Vale do Sinos. Para isso, segundo Sartori, é necessário também que o Estado atue em permanente parceria com os municípios, o que ele pretende fazer incentivando a multiplicação de consórcios com as prefeituras e com agências de desenvolvimento regional.

Com relação à qualificação de mão de obra, o candidato afirmou que ela será parte fundamental da política de inovação que ele pretende implementar. E para viabilizar essa iniciativa, disse que planeja formar parcerias com instituições privadas, representadas por entidades como Fiergs, Farsul, Federasul e Ocergs, além de universidades.

Sartori propõe reformulação para hospitais filantrópicos

Em reunião com dirigentes da Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do RS (Fehosul) e do Sindicato dos Hospitais de Porto Alegre (Sindihospa), nesta sexta-feira (08), o candidato a governador José Ivo Sartori (PMDB) afirmou que o processo de filantropia prestada por hospitais precisa ser remodelado urgentemente. “Muitos desses hospitais estão deixando os convênios, e quem sofre com isso é a população que necessita deles”, ressaltou o peemedebista. “Para ter direito a benefícios fiscais, eles precisam utilizar pelo menos 60% de sua capacidade para o atendimento de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). No entanto, ou eles amargam prejuízos, ou os recursos que recebem acabam sendo comprometidos para outros fins.”

Sartori esteve acompanhado dos candidatos a vice-governador José Paulo Cairoli (PSD) e ao Senado Beto Albuquerque (PSB). Também apresentou propostas para a área de saúde e afirmou que elas estão baseadas em aprimoramento da gestão. “Para buscar a eficiência tão reclamada pelos gaúchos, temos um projeto com ênfase na qualificação dos gestores e no investimento em sistemas de tecnologia”, destacou. As ações previstas em seu plano de governo incluem ampliação da atenção básica (prestada nos postos de saúde), maior atenção à infância e às mães, e regionalização do atendimento de média e alta complexidades, para evitar a “ambulancioterapia” - como é chamado o transporte de pacientes em busca de consultas na capital por falta de assistência no Interior.

“Para garantir melhor atendimento nas regiões, é necessário que haja uma parceria mais efetiva do Estado com os municípios e repasses mais justos do governo federal às prefeituras para a área de saúde. Os municípios são penalizados, porque o governo federal remete apenas 4,5% do orçamento para saúde, enquanto as prefeituras sobrecarregam suas finanças destinando 15% da sua arrecadação”, observou o candidato. Segundo Sartori, também fazem parte de suas metas o fortalecimento do programa Primeira Infância Melhor e do atendimento pré-natal nas comunidades, e a ampliação dos serviços de Estratégia de Saúde da Família para 100% dos lares gaúchos até 2018. “Estas são políticas fundamentais não apenas para a prestação de assistência, mas também para a prevenção de doenças e para o combate à mortalidade infantil”, disse ele, apontando sua experiência em ações como essas nas duas gestões em que foi prefeito de Caxias do Sul.

AGENDA DO CANDIDATO JOSÉ IVO SARTORI PARA 11 DE AGOSTO - SEGUNDA-FEIRA

PORTO ALEGRE

12 horas - Reunião-almoço com a diretoria do Sindicato dos Técnicos Científicos do RS (Sintergs). Local: Sede da entidade.

14 horas - Encontro com prefeitos e vice-prefeitos dos partidos da coligação O Novo Caminho para o Rio Grande. Local: Auditório da Associação dos Agentes Fiscais da Receita Municipal de Porto Alegre (AIAMU).

16 horas - Reunião com a diretoria da Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do RS. Local: Sede da entidade.

19h30 - Inauguração do comitê do candidato Pablo Melo.

20h30 - Inauguração do comitê do candidato Beto Grill.

Vieira participa de sabatina na Rádio Guaíba e grava cenas para programa de tv

Candidato do PDT ao Piratini, Vieira da Cunha participou nesta quinta-feira de uma sabatina no programa Esfera Pública, da Rádio Guaíba. Durante uma hora, ele respondeu as perguntas formuladas pelos apresentadores Juremir Machado e Taline Oppitz.

No primeiro bloco, os questionamentos principais foram sobre o palanque presidencial. Vieira voltou a afirmar que abrirá seu voto ao longo da campanha, de acordo com os compromissos firmados pelos candidatos com as questões que envolvem o Rio Grande do Sul. Ele também frisou que os candidatos dos partidos aliados, como Eduardo Jorge (PV) e Pastor Everaldo (PSC), terão lugar em seu palanque e participarão de atos de campanha sempre que solicitarem, como já aconteceu com Everaldo.

No segundo bloco Vieira falou sobre a sua trajetória pessoal e política. Lembrou a passagem pela direção geral do Departamento de Limpeza Urbana da Capital, entre 1986 e 1988, quando Porto Alegre ficou conhecida como a Capital mais limpa do país, e a época em que presidiu a CEEE, quando trabalhou pelo saneamento da empresa e cobrou uma dívida do Governo Federal, cuja ação resultou na devolução de R$ 3 bilhões aos cofres da companhia, no ano passado.

No terceiro bloco, Vieira brincou com o fato de o programa ter tido como trilha sonora as canções de Caetano Veloso, que faz aniversário nesta quinta-feira e estava sendo homenageado pela rádio. Também com bom humor, a apresentadora Taline Oppitz respondeu que ele é, de longe, o candidato mais animado. Após o momento de descontração, a entrevista entrou em um dos temas mais falados durante a campanha, que é o piso nacional dos professores.

"Vou retirar todas as ações, pois considero essas atitudes do governador completamente equivocadas. Vou entrar com ação para rever o artigo 4° da lei, o que permitirá que o Rio Grande do Sul receba a complementação da União para pagar o piso", disse.

Cenas do primeiro programa de tv

Logo após a entrevista, o candidato seguiu para o Comitê Central da coligação. No local, um cenário foi montado para a gravação de parte das cenas dos primeiros programas de tv. Além de Vieira, o candidato a vice, Flávio Gomes, e ao Senado, Lasier Martins, também participaram da atividade. Lasier, inclusive, gravou mensagem exaltando a atuação de Vieira ao longo de mais de 30 anos de vida pública e pediu votos para o companheiro de chapa.

Vieira dedica o sábado para caminhadas em bairros da Capital

O candidato do PDT ao Piratini, Vieira da Cunha, dedicou o sábado ao encontro com eleitores de bairros da Capital. Ao lado do candidato ao Senado, Lasier Martins, do suplente dele, Christopher Goulart, e de candidatos a deputado da coligação O Rio Grande Merece Mais (PDT, DEM, PSC, PV e PEN), Vieira fez duas caminhadas. A primeira foi pelas ruas dos bairros Humaitá e Navegantes, durante a manhã. À tarde, a atividade foi na Ilha Grande dos Marinheiros.

Durante a noite, a caravana segue para Novo Hamburgo, no Vale do Sinos, para mais dois compromissos: um culto na igreja Encontros de Fé, ao lado do candidato a vice Flávio Gomes (PSC), e o lançamento da candidatura a deputado federal de Antônio Lucas (PDT).

Vieira visita Novo Hamburgo e fala sobre piso do magistério

O candidato a governador do PDT, Vieira da Cunha, esteve em Novo Hamburgo na noite deste sábado. Na cidade do Vale do Sinos ele visitou uma igreja evangélica e participou do jantar de lançamento da candidatura a deputado federal do vereador Antônio Lucas.

A primeira atividade foi o culto na igreja Encontros de Fé, na qual congrega o vice de Vieira, Flávio Gomes (PSC). Os dois foram recebidos pelo pastor Paulo Figueiró, que orou pelos candidatos e os abençoou.

Após participar da celebração, Vieira seguiu para a Sociedade Fraternal, onde participou do lançamento da candidatura de Lucas para deputado federal e de Kalil Sehbe para deputado estadual. Em seu discurso, o trabalhista falou principalmente sobre Educação, e se posicionou sobre a questão do piso nacional do magistério.

“Temos que trabalhar para pagar o piso. O atual governador entrou na justiça questionando a constitucionalidade do artigo 5º da lei e perdeu, gerando uma dívida que ao final deste ano será de quase R$ 10 bilhões com o magistério. Temos que tentar modificar o artigo 4° da lei, para permitir que o Rio Grande do Sul receba a complementação financeira da União que permita pagar o piso", disse Vieira, que como deputado federal é autor do projeto de lei 7656/2014, que tramita na Câmara com essa finalidade.

Vieira falou ainda de outros temas, como a Segurança, que vive um período de aumento na criminalidade no Estado, com Porto Alegre atingindo o dobro de casos de homicídio que a cidade do Rio de Janeiro, segundo o Mapa da Violência.

Vieira caminha ao lado das filhas gêmeas na Orla do Guaíba

Na única agenda de campanha deste domingo de Dia dos Pais, o candidato do PDT ao Piratini, Vieira da Cunha, caminhou pela Orla do Guaíba ao lado das filhas gêmeas, Marina e Alice, 12 anos, e da esposa Luciane Bolzan. Batizada de Caminhada de Pais e Filhos, a mobilização da militância começou pouco depois das 9h, na Usina do Gasômetro. Vieira e o prefeito José Fortunati chegaram por volta das 10h.

Além dos dois, o 1° suplente de Lasier Martins na disputa pelo Senado, Christopher Goulart, e candidatos a deputado estadual e federal da Coligação O Rio Grande Merece Mais (PDT, DEM, PSC, PV e PEN) também participaram da caminhada. Após a atividade, Vieira foi para casa, onde almoçou na companhia dos outros dois filhos, Carlos e Eduardo, 27 e 24 anos.

No sábado, Vieira cumpriu um extenso roteiro de caminhadas na Capital. Pela manhã, ele e Lasier estiveram nos bairros Humaitá e Navegantes. À tarde, a caminhada foi na Ilha Grande dos Marinheiros. À noite, Vieira seguiu para Novo Hamburgo, no Vale do Sinos, onde foi em um culto evangélico ao lado do vice Flávio Gomes (PSC) e participou de um jantar, quando falou sobre o piso do magistério.

"Temos que trabalhar para pagar o piso. O atual governador entrou na justiça questionando a constitucionalidade do artigo 5º da lei e perdeu, gerando uma dívida que ao final deste ano será de quase R$ 10 bilhões com o magistério. Temos que tentar modificar o artigo 4° da lei, para permitir que o Rio Grande do Sul receba a complementação financeira da União que permita pagar o piso", disse Vieira.

Como deputado federal, ele é autor do projeto de lei 7656/2014, que tramita na Câmara com essa finalidade.

A agenda para segunda-feira, 11/08/2014

8h - Café da manhã na Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do Rio Grande do Sul (Fehosul). Rua Coronel Corte Real, 58, Porto Alegre.

10h - Evento de aniversário dos 14 anos da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD). Avenida Cristiano Fischer, 1510, Porto Alegre.

12h - Almoço noSindicato da Indústria da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem em geral no Estado do Rio Grande do Sul (Sicepot). Praça Oswaldo Cruz, 15, conjunto 1414, Porto Alegre.

13h45min - Reunião na Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficientes, Religiosos e Filantrópicos do RS. Rua Santo Antônio, 282, Porto Alegre.

15h30min - Reunião na Associação dos Procuradores do Estado do Rio Grande do Sul. Hotel Intercity Premium, Avenida Borges de Medeiros, 2145, Porto Alegre.

18h30min - Solenidade alusiva ao Dia dos Advogados, promovida pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Bourbon Country, Avenida Túlio de Rose, 80, Porto Alegre.

da Folha Popular de Teutônia

de Serafina

Seminário Estadual 8 anos Lei Maria da Penha - Protagonismos e experiências dos Direitos Humanos das mulheres

No dia 07 de agosto de 2014, no Auditório do Tribunal de contas do Estado, em Porto Alegre aconteceu o Seminário Estadual que comemora os 8 anos da Lei Maria da Penha. O evento, promovido pela Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres, lotou o auditório do Tribunal de Contas, e teve seu encerramento às 17 h. O seminário propôs reflexões sobre a lei criada em 2006 para defender os direitos da mulher. Participaram do evento, representando o Município de Serafina Corrêa, a Primeira-Dama Maria Carmen Montanari Presotto, a Coordenadora dos Conselhos Municipais, Fernanda Castelli Fedrigo e a Diretora do Departamento do Desenvolvimento Econômico e membro titular do COMDIM- Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Francine Rostirolla.

Para a secretária de Políticas para as Mulheres do Rio Grande do Sul, Ariane Leitão, “a Lei Maria da Penha é uma das maiores conquistas das mulheres brasileiras”. Compuseram o painel a representante do Tribunal de Justiça, Juíza Ivortiz Marques, a Coordenadora nacional do Comitê Latino Americano e Caribenho em Defesa dos Direitos da Mulher (Cladem), Rubia Abs da Cruz, o Coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal (Caocrim) do Ministério Público Estadual, Promotor João Pedro Xavier, a Coordenadora do Centro de Referência em Direitos Humanos da Defensoria Pública, Miriane Tagliari, e a coordenadora das DEAM's do Rio Grande do Sul, Delegada Anita Klein.

A Coordenadora Estadual de Mulheres da Federação dos Trabalhadores da Agricultura (Fetag), Inque Schneider, abordou a situação em que vivem as mulheres do campo em relação à violência e à dificuldade de assistência que enfrentam em seus municípios. No momento em que a palavra foi disponibilizada ao público presente, a Primeira-Dama Maria Carmem, pronunciou-se falando sobre as dificuldades que os municípios do interior sentem em relação às políticas públicas, concordando com a abordagem da Coordenadora Estadual de Mulheres da Federação dos Trabalhadores da Agricultura(Fetag) Inque Schneider.

A Lei 11.340/2006, conhecida como Lei Maria da Penha é um dispositivo legal desenvolvido para conferir maior rigor às punições das agressões contra as mulheres. A Lei alterou o Código Penal e possibilitou que agressores de mulheres em âmbito doméstico ou familiar sejam presos em flagrante ou tenham sua prisão preventiva decretada. Os agressores não poderão mais ser punidos com penas alternativas. A legislação aumenta o tempo máximo de detenção previsto de um para três anos. O nome da Lei foi uma alusão à brasileira Maria da Penha Maia Fernandes, que sofria com a violência doméstica e lutou para que seu agressor fosse condenado, o que acabou ocorrendo. Maria da Penha, então, virou um símbolo no combate à violência contra a mulher.

8 de agosto de 2014

RBS

PELO QUE ANDEI LENDO AI O NOVO PRESIDENTE DO GRUPO ACHOU QUE OS DEMITIDOS - 130 - ENTENDERIAM O GESTO DA EMPRESA. ORA BOLAS, COMO DIRIA O CID PINHEIRO CABRAL...

rbs(1)

HOJE O SINDICATO VAI FAZER UM SINETAÇO, OU ALGO NA FRENTE DO PRÉDIO DA EMPRESA.

rbs(2)

EM SAO PAULO, NA QUARTA, SABIAM DO PASSARALHO DO GRUPO RBS...

rbs(3)

OLHA O SINDICATO TÁ NA DELE, IR LA PROTESTAR. MAS ISTO É UMA RELAÇÃO CAPITAL/TRABALHO QUE TERMINA QUANDO UM DOS DOIS NÃO QUER MAIS..

O que deu para apurar até agora

Os Demitidos de Agosto

Zero Hora
Repórter Eduardo Nunes

Diário Gaúcho
Editor-chefe Alexandre Bach
Editor André Feltes
Fotógrafa Lívia Stumpf

Diário Catarinense
Editora de Geral Sicilia Vechi

A Hora
Editor assistente André Pinheiro

Sucursal multi-mídia de Brasília
Editor-chefe Klécio Santos

Encerrados
Jornais de bairro da Zero Hora
Sucursais de Zero Hora no Interior, um repórter demitido

A RBS se apequena

Com a extinção dos jornais de bairro e sucursais no interior da Zero Hora, a empresa contraria seus comunicados anteriores de que “dar destaques as notícias locais era a salvação das empresas de notícias”. Seu apequenamento começou ao se alinhar com a revista Veja, reproduzindo matérias especulativas, em alguns casos, pautadas por criminosos como Carlinhos Cachoeira e continua agora ao abandonar seu público local.

Numa clara tendência desde 2008, prefere sangrar seus talentos a mudar sua visão jornalística, diariamente suplantada pela concorrência. O telejornal da manhã da Record bate o da RBS TV, Correio do Povo e o Sul crescem no descaso com a ZH.

O famigerado e-mail de Eduardo Melzer foi a gota d’água para quem acreditava numa reviravolta na empresa, promove o descaso com um quase império de comunicações para se gabar de que dois negócios na internet, a comercialização de vinhos e cervejas, salvariam o grupo. Agora em vez de competir com outras empresas de notícia, passa a competir com botecos e armazéns.

O ACIDENTE DE RONI PAGANELLA CONTADO POR FLORIANO BORTOLUZZI


floriano está sentado vendo um concerto no TSP nesta quarta...

Em janeiro de 1972- parece que teria sido no final do mês - a ZH destacou dois fotógrafos pra ir com a delegação do Gremio que ia jogar em São Borja, parece que contra o time local...

Floriano Bortoluzzi e Roni Paganella,eram eles. Floriano se negou a viajar com um motorista de nome Vitor que segundo ele era muito ' imprudente' e facilit~~ao.

- Quando saíamos pra fazer reportagem policial, ele queria chegar antes da Policia no caso. Eu sempre dizia: pera aí, cara, pera aí, nós é que temos que chegar vivos na redação do jornal, me recordou Floriano nesta quarta que passou.

- Eu me neguei a ir com o Vitor de motorista, o Roni foi, contou-me Floriano.

Segundo o fotógrafo, o acidente aconteceu junto a uma ponte:

- Tinha muita poeira que o onibus do Gremio provocava....a Rural da zero caiu dentro de um riacho...

O motorista nada se fez. Roni é que se machucou feio.

Foi trazido num táxi-aéreo de Alegrete pra Porto Alegre.

Floriano diz que o colega ficou ' atirado' no hospital Beneficiência Portuguesa:

- Eu peguei uma camisa do Tostão, da seleção, com autografos do Tostão, do Pelé e de outros e fizemos uma campanha de arrecadação de dinheiro pra ele.

Floriano contou-me ainda que a noiva de Roni na época liderou a ida do namorado pro hospital Sarah Kubitschek em Brasilia, onde descobriram que havia tratamento para quem tinha ficado na situação que o fotografo ficou em decorrencia do acidente com o carro da Zero.

Floriano lembra bem que o acidente foi no verão(parece que foi 30 de janeiro de 1972).

Roni vive até hoje.

Apenas como adendo a esta matéria: Julio Pacheco me contou que quando estava chefiando a RBS em Brasilia recebeu de Maurício Sobrinho a orientação pra dar toda a assistencia pela empresa possível para o colega internado naquele hospital.

Quando eu ingressei na ZH, em 1973, lembro apenas que as vezes os colegas da fotografia mencionavam o caso, mas com muita reserva. Era quase um tabu dentro da empresa.

Programação do Clube de Cinema para o próximo final de semana

No próximo Sábado (dia 09/08/2014) as 10h15min na Sala Paulo Amorim assistiremos ao filme "Walesa" (Walesa. Czlowiek z nadzie-2013). 1970, Polônia. Lech Walesa luta pela revolução do povo Polonês, frente à invasão Comunista no país. Uma história baseada em fatos reais, em que a voz e a garra de um homem alcançaram repercussões mundiais. O filme retrata a vida e a luta do ganhador do Prêmio Nobel da Paz, e fundador do Movimento Solidário Polônes, Lech Walesa. Escolhido da Polônia para representar o país na categoria "Melhor Filme Estrangeiro" no Oscar 2014.

No próximo Domingo (dia 10/08/2014) as 10h15min na Sala Eduardo Hirtz assistiremos ao filme "Riocorrente" (2013). Carlos (Lee Taylor), Renata (Simone Iliescu) e Marcelo (Roberto Audio) formam um triângulo amoroso contextualizado na caótica rotina de uma metrópole como São Paulo. Carlos tenta cuidar do menino Exu (Vinicius dos Anjos), mas ele passa o dia inteiro nas ruas da cidade.

RETRATOS DE DOIS ARTISTAS QUANDO EM EBULIÇÃO

por Eron Duarte Fagundes

Bob & Harv; dois anti-heróis americanos (1996) é o título da publicação. Nos quadrinhos que seguem por suas páginas o roteirista Harvey Pekar e o desenhista Robert Crumb terçam armas para revelar sua própria arte e seu temperamento diante do leitor. Autobiografam seus próprios engenho e arte em suas próprias peles (ou carapuças desenhadas). Pekar, que escreve as histórias, fala das tensões psicanalíticas que seu nome, Harvey Pekar, lhe trouxe ao longo da vida. Crumb o desenha com as inquietações de quem está desenhando uma personagem de William Shakespeare. Afinal, quem é Harvey Pekar? É o cidadão que pensou os quadrinhos como uma forma de revelar tanto o escritor James Joyce quanto o cineasta Federico Fellini; segundo Pekar, as possibilidades de acercar-se da realidade nos gibis e as facetas narrativas são tão grandes ou mais aquelas da literatura ou do cinema. Mas não é só por aí: a música também influencia os liames espaciais dos quadrinhos.

Jack é uma criatura que arquiva discos (vinis) e navega pelas histórias de Pekar e Crumb um pouco para que o amor aos sons (ausentes dos quadrinhos) possa ter, ainda que num campo remoto, uma ação sobre a harmonia das imagens, como se, às vezes, as imagens chegassem a ser notas e solfejos. “Mâo-de-vaca, eu? E você? Lembra que cê ficou meses me enchendo o saco pra eu conseguir um disco do Sammy Davis Jr.? Quando eu finalmente consegui, você perguntou o preço e eu disse $200,00 e você quase desmaiou! Saiu correndo como se tivesse levado um tiro!!” São assim os textos de Pekar, dentro duma certa tradição americana condizente com a alta literatura do que com as artes de massa, como o cinema e os próprios quadrinhos: potentemente realistas, diálogos diretos, sintaxes usuais e despojadas, vocabulário habitual erigido em precisão semiótica.

A vida e a época de Harvey Pekar estão impecáveis (por favor, não troquem o “k” pelo “c”) em Bob & Harv, uma vida e uma época a que os traços irônicos e provocativos dão movimentos dentro duma arte especifica, e especificamente do século XX (como o cinema): os quadrinhos.
“Os caras que fazem quadrinhos comerciais, com super-heróis e animais, são muito limitados, porque têm que atrair as crianças. Os caras dos quadrinhos undreground exploram outras coisas, mas ainda tem muita coisa que não foi feita. Existe um potencial enorme, dá pra fazer qualquer coisa com os quadrinhos, a mesma coisa que se faz com romances, ou cinema, ou teatro ou qualquer coisa. Quadrinhos são imagens e palavras: com imagens e palavras dá praz fazer qualquer coisa!” Não é que os quadrinhos, este método de contar histórias sub-valorizado, apresentam as mesmas inquietações de todas as artes, especialmente quando os quadrinhos deparam mentes inquietas como as de Crumb e Pekar?

BOB & HARV, DOIS ANTI-HERÓIS AMERICANOS (1996). Roteiro de Harvey Pekar. Desenho de R. Crumb. Tradução de Mariana Diehl Bandarra. São Paulo, Conrad Editora, 2006.

7 de agosto de 2014


A ' BARRIGA DO ANO'

BARRIGA EM JORNALISMO É UM ERRO GRAVE. COLOCAR NO CASO ESTA FOTO, FOI UMA BARRIGA E TANTO DA REVISTA....FALTA DE CUIDADO E DE REVISÃO....

' lapis da revisão"!!!!

como diria o finado RUBIS - de tanta gozação feita pela carlos nobre pra cima dele - Hoffmeister, houve um pequeno ' lapis' da revisão na foto que saiu na coluna do paparazo na revista evidência. o cara que tá ai é o ILMAR TASCA, que ninguém conhece por Ilmar, mas por CHICO..Ana Dotto é esposa de Elson Furini, sócio de Chiquinho

Coleguinhas

rolaram cabeças na RBS

De: catarinagomes1960
Para: olidescanton@bol.com.br

Oi Olides,

Bom te reencontrar.
Viu que começaram a sair as demissões na Zero.
Klesio Santos, da sucursal de Brasília e Alexandre Bach, do
Diário Gaúcho. os dois com mais de 20 anos de empresa.

Até mais,

Catarina

Quando passa o passaralho

por Enio Lindenbaum

A sociedade rio-grandense esta cada dia mais pobre. Se ilude diante de um passado bem melhor e mais promissor soterrado por equívocos e decisões estratégicas equivocadas e por que não? Por uma má burguesia. Estamos sendo suplantados em competitividade pelo Paraná e por SC e encostados com MG, outro estado com equívocos parecidos. Talvez aonde melhor se demostre este drama seja na Imprensa. Sociedades mais fortes e organizadas apoiam empresas jornalísticas pequenas medias ou grandes como instrumento de pressão por interesses privados e coletivos.

Não há preço que dimensionem este erro em uma sociedade como a brasileira. Hoje, nosso instrumento de pressão mais forte tem cada vez mais se distanciado de qualquer maior interesse coletivo em prol de uma estratégia empresarial quase solitária. Não tendo investido com o conjunto da sociedade para ampliar nossos paços rumo a competitividade com investimentos em estrutura, pesquisa e descentralização produtiva ajudou a criar este vácuo cada vez mais tenebroso quanto ao nosso futuro.

Da decisão burra dos militares no poder que reduziram a bitola ferroviária e criaram impedimentos de investimentos produtivos nas zonas de fronteira até o sucateamento de uma educação que estava sendo exemplar para o Brasil na gestão e na eficiência do sistema educacional estadual. Pelo fracasso de uns, pela acomodação de outros e principalmente por uma sociedade que se desorganizou nas suas lideranças ficamos a mercê de um único grande grupo de comunicação e que hoje, tristemente, tentar “vender” a ideia que a solução do seu empreendimento empresarial esta na desmobilização de mão de obra qualificada.

É quando passa o passaralho, as demissões coletivas que geram tanta angustia em diversas famílias por conta de uma inconsequência de gestão empresarial, por uma opção de mercado nunca muito clara, por uma falsa camaradagem sempre desmascarada em atitudes traiçoeiras e infames. Ficamos cada vez mais sem opção, espremidos entre o Brasil e as fronteiras e nos fazendo de povo especial com um governador louco que quer provar o improvável, que estamos sim muito bem graças ao governo do estado.

Que a meta da nossa juventude salvo honrosas exceções é se acomodar em um emprego publico. Não aumentar a eficiência da maquina mais gerar dificuldades. O Custo RS já bem maior que o custo Brasil. Ainda somos salvos pelo destino mais até quando? Quando voltará a surgir uma liderança de estadista que consiga nos unir em um projeto comum de estado? Com empresários de comunicação crescendo juntos com a sociedade e não em cima desta sociedade?

de Serafina


o moinho do calza compra muitos produtos coloniais da região.

Estando em serafina no sabado passei no Moinho do Calza e fiz esta foto ....

No meu livro Cosi la ze stata escrevo sobre ele:

' Localizado na av. Otávio Rocha,1814, perto do trevo da RS-129 o moinho de Edemar Calza funciona há 60 anos.

O atual dono conta que seu pai, Domingos, sempre teve moinho.O primeiro foi em Dois Lajeados.

Durante um ano teve outro em Guaporé, e depois mudou-se pra Serafina Correa, onde está até hoje. Nos dias de hoje o moinho funciona com energia elétrica.Durante muitos anos era a diesel.

Processa milho,arroz, e trigo.



No passado, Edemar chegava a dormir encima dos sacos enquanto o moinho funcionava.

Ele se condicionou a acordar com o ' barulhinho' provocado quando a máquina ficava vazia de produto.

Tinha que colocar mais.

Ele me contou que alguns colonos levavam seus produtos pra moerem durante a noite.

Passavam a noite ali aguardando o amanhecer.No outro dia voltavam pra casa, com o produto.

Ele me mostrou um calo na mão de tanto puxar a corda pra ligar o motor e diz que isto é resquício dos tempos do diesel.



Hoje ele também comercializa cereais em toda a região.

O Moinho do Calza é um vestigio dos tempos da juventude do meu pai, que faleceu no dia 29 passado.(olides canton)

de Serafina



a grafica serafinense a milhão com a propaganda politivca. panfletos e mais panfletos de candidatos acumulados na saída da empresa no centro da cidade.

DE SERAFINA

OS CAPITÉIS DO CRISTO FORAM INAUGURADOS NO ULTIMO DIA 1 DE AGOSTO

Bolo

O bolo da Luci. na verdade é o bolo da Maria, a cozinheira do hotel do magon, responsável pela minha engorda de vários gramas nestes 4 dias que fiquei em serafina.

Meus pêsames

ainda a morte do meu pai!

De: rosadl48
Para: olidescanton@bol.com.br

Olides,

Nessa hora nada nos consola, mas lembra que estiveste junto ao teu pai todos estes anos, visitando-os em Serafina. Com certeza ele gostou dos teus causos e de toda a agitação que levas da capital para a vida tranqüila deles, agora para a tua mãe.

Um abraço, Rosa maria

dESCENDO DE sERAFINA



os grintgos tem a mania de dizer descendo pra porto alegre. é uma descida mesmo...aqui perto de Muçum, quando vínhamos na terça de serafina pra porto alegre.

mais fotos da descida de serafina pra porto alegre. aqui a serra em Muçum

A IRREGULAR VISÃO CINEMATOGRÁFICA DE GILLIAM

por Eron Duarte Fagundes

O problema cinematográfico do diretor americano Terry Gilliam (que começou trabalhando com o grupo de comediantes ingleses Monty Python) é acertar o tom de suas extravagâncias narrativas, calcadas num sonho delirante que simula um circo mental. Em O teorema zero (The zero theorem; 2013) pode-se dizer que seu objetivo fílmico fracassa quase integralmente; é bem verdade que seu ímpeto criador salva algumas sequências isoladamente, permitindo ao espectador que se deleite com o engenho visualmente histriônico de que se vale o cineasta - como no italiano Federico Fellini, somos arrebatados sempre por alguma magia de filmar.

No entanto, o resultado final de O teorema zero aborrece. Não temos aqui a “naturalidade” devoradora de Brazil, o filme (1985). Nem as “coerências” ameaçadoras de Os doze macacos (1995). E faltam mesmo as “consequências” do humor feroz e divertido de As aventuras do barão Munchausen (1988). Em sua nova ficção científica Gilliam se perde nos labirintos encenados por sua mente: a ambição de O teorema zero é uma demonstração quase matemática do delírio, mas cinematograficamente o teorema não foi demonstrado: é um amontoado de imagens interessantes mas que se esvaziam facilmente.

Sabe-se que Gilliam nutre a paixão de filmar Quixote. Chegou a rodar cenas há vários anos para um filme da dita obra de Cervantes, mas os problemas se acumularam e as filmagens se interromperam. Gilliam, na verdade, é o próprio Quixote. Tomara que ele consiga filmar um dia a personagem. E consiga passar do moinho de vento para um castelo, que se trata da linha tênue em que se movimenta seu cinema.

Sartori defende autonomia municipal para atração de investimentos

Foto: Luiz Chaves

Candidato viajou de catamarã e visitou as regiões Carbonífera e Costa Doce

O candidato a governador José Ivo Sartori (PMDB) afirmou nesta quarta-feira (06), em visita às regiões Carbonífera e Costa Doce, que uma das propostas de seu projeto de governo é criar as condições ideais para atração de investimentos nacionais e estrangeiros. Disse que pretende, desta forma, ampliar o parque industrial do Rio Grande do Sul, garantindo segurança jurídica e estabilidade para novos empreendimentos. “O papel do governo é estimular e movimentar a produção, sem criar entraves burocráticos aos empreendedores, sobretudo nas áreas fiscal e ambiental”, completou o candidato.

Sartori reafirmou que os municípios devem ter mais autonomia para atrair investimentos e fixar empresas em seus domínios. Reiterou que sua pretensão, como governador, é trabalhar em sintonia com as prefeituras, oferecendo apoio para que as regiões se desenvolvam com o aproveitamento de suas potencialidades de produção. Essa proposta inclui a defesa de uma distribuição mais justa de recursos do governo federal com os estados e municípios.

Pela manhã, junto com o candidato a vice-governador José Paulo Cairoli, Sartori embarcou no catamarã, no Terminal Hidroviário de Porto Alegre, e se deslocou para Guaíba, onde tomou café da manhã com a diretoria da empresa Celulose Riograndense. Depois, participou de ato de mobilização e carreata em Arroio dos Ratos. Em conversa com eleitores e comerciantes, disse que a população pode esperar de seu governo a mudança que os gaúchos desejam.

“O Rio Grande não quer que as coisas continuem como estão. Não temos vocação para o retrocesso, e sim para o desenvolvimento. Só que, para isso, é preciso uma boa gestão dos recursos públicos. E não é isso o que estamos vendo no Rio Grande do Sul. O Estado se endivida cada vez mais, e a população não vê melhorias satisfatórias em setores prioritários como saúde, segurança ou educação. É como na casa da gente: se nos endividamos demais, acima das nossas capacidades de pagamento, não temos dinheiro para mais nada, a não ser para pagar dívidas”, ressaltou.

AGENDA DO CANDIDATO JOSÉ IVO SARTORI PARA 7 DE AGOSTO - QUINTA-FEIRA

SAPIRANGA

8h30 - Café da manhã com jornalistas. Local: Padaria Delícia.

10 horas - Caminhada com candidatos e apoiadores da coligação O Novo Caminho para o Rio Grande.

CAMPO BOM

10h30 - Carreata com os candidatos e apoiadores da coligação, a partir da entrada da cidade.

11 horas - Caminhada com lideranças e apoiadores da coligação.

12 horas - Almoço no Clube XV de Novembro.

ESTÂNCIA VELHA

13h30 - Caminhada com candidatos e apoiadores da coligação, a partir da frente da prefeitura.

NOVO HAMBURGO

14h50 - Encontro com lideranças da coligação.

15 horas - Visita ao Grupo Editorial Sinos.

16 horas - Visita à diretoria da ASPEUR-FEEVALE.

17 horas - Visita ao Jornal Canudos.

17h30 - Visita à fábrica Wall System.

18 horas - Café no Shopping Bourbon.

SÃO LEOPOLDO

20 horas - Lançamento das campanhas de Daniel Dauth para deputado estadual e Giovani Feltes para deputado federal. Local: prédio do antigo Scala Club.

de Serafina

Oficina de Futsal Turno Inverso

Ao educar o jovem através da prática desportiva escolar, estamos cada vez mais difundindo e reforçando a construção da cidadania e os ideais do movimento olímpico, sendo estes, direcionados para a construção de um mundo melhor e mais pacífico, livre de qualquer tipo de discriminação e dentro do espírito de compreensão mútua, fraternidade, solidariedade e cultura da paz. Através das atividades desportivas, crianças e jovens constroem seus valores, seus conceitos, socializam-se e, principalmente, vivem as realidades. Com uma Oficina de Futsal, abrangendo todas as escolas da Rede Municipal, Estadual e Particular, com os alunos do 6º ao 9º Ano, e mobilizando toda a comunidade escolar em prol do desporto educacional, contextualizando-o como meio de educação ao longo do ano letivo, objetivamos incentivar a integração entre a escola e a comunidade, através das atividades esportivas, reforçando o espírito de grupo entre as escolas, além de, possibilitar a identificação de novos talentos. A Secretaria Municipal de Educação em parceria com a Secretaria Municipal de Turismo, Juventude, Esporte e Lazer e Fundergs está promovendo por intermédio do Programa Turno Inverso, a prática do Futsal, o qual, proporcionará ao aluno, a preparação para os JESC - Jogos Escolares de Serafina Corrêa, em sua Segunda Edição, o qual, ocorrerá no segundo período deste ano. No turno inverso ao turno de aula, os alunos participantes da 2ª Edição dos Jesc, estão tendo a oportunidade de treinar para os jogos. Os treinos são ministrados por professor terceirizado e realizados no Ginásio Irceu Antônio Gasparin.

Projeto de sinalização turística regional

A Associação de Turismo da Serra Nordeste (Atuaserra) realizou na terça-feira, 5 de agosto, em Nova Bassano, a entrega do Projeto de Sinalização Turística da Região Uva e Vinho. O evento marcou a entrega de 214 placas em 21 municípios da região, com investimento Estadual de R$ 340 mil, valor proveniente da Consulta Popular de 2010. Os municípios contemplados foram: Antônio Prado, Bento Gonçalves, Carlos Barbosa, Casca, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Guabijú, Guaporé, Monte Belo do Sul, Nova Bassano, Nova Prata, Nova Roma do Sul, Santa Tereza, São Marcos, Santo Antônio do Palma, Serafina Corrêa, Nova Araçá, Protásio Alves, Veranópolis e Vila Flores. O Coordenador Geral da Secretaria de Turismo, Juventude, Esporte e Lazer de Serafina Corrêa, Sr. Nelcídio Roberto Alban participou ativamente deste projeto, desde a assinatura do contrato no dia 30 de Janeiro de 2012, na Secretaria de Estado do Turismo do Rio Grande do Sul em Porto Alegre ? RS, até a instalação das placas em nossa cidade, o que ocorreu na semana passada.

O projeto contou com a parceria da Secretaria do Estado do Turismo ? SETUR, Atuaserra e a Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa, através da Secretaria de Turismo, Juventude, Esporte e Lazer. Ao todo, 15 placas de sinalização turística foram implantadas em várias ruas e avenidas da cidade, em dois tamanhos diferentes e em material refletivo. Estas placas são utilizadas para informar aos usuários a localização de pontos turísticos e de outros referenciais existentes. Serafina Corrêa está, com certeza, mais bela, atrativa e valorizada com os investimentos em pintura e sinalização, o que possibilita a quem aqui reside e a quem aqui nos visita, levar consigo a lembrança carinhosa e aconchegante de nossa cidade, a CIDADE SIMPATIA.

Abertas inscrições para o Acampamento Farroupilha 2014

A Prefeitura Municipal, CTG Galpão da Saudade, CTG Sinuelo da Serra e Piquete Espora de Prata convidam todas as entidades e empresas de Serafina Corrêa interessadas em participar do Acampamento Farroupilha, que será realizado entre os dias 13 a 20 de setembro no entorno do Ginásio Irceu Antônio Gasparin, a entrar em contato com as patronagens das entidades tradicionalistas ou diretamente na Secretaria de Turismo, Juventude, Esporte e Lazer, com Ediana ou Nelcidio pelo telefone 3444-2166 para realizar sua inscrição e maiores informações. As inscrições serão encerradas no dia 30 de agosto. Não fique de fora de uma das maiores e melhores Semanas Farroupilha da região, com grande show com César Oliveira e Rogério Melo no dia 17 de setembro.

6 de agosto de 2014

de serafina

Fui visitar o lazzari.ganhei dois litrão de vinho da colonia...

* Tempo bom aqui. vou descer depois do almoço...

* Sem lamúrias, mas sem meu pai, serafina perdeu parte do encanto.

de serafina

os morros sendo ' escarpelados' pela especulação imobiliária e o moinho do calza, um dos pontos mais antigos da localidade.

Bolo

algumas gramas mais gordo por causa deste bolo do hotel do magon estou de volta a porto.

desci ontem de tarde com uma irmã que voltou pra campinas(SP) onde reside.

Este bolo da foto é do hotel do magon. o fotografei ainda no sabado passado....

de sb!

De: letier12
Para: olidescanton@bol.com.br

Hoje, a triste missão de um cabo eleitoral não é pedir votos, mas sim, implorar!

Letier Vivian
São Borja/RS

Postura

Mauro isto que tu escreveu é coisa de amigo....e nestas horas os amigos são solidários. Meu pai sempree foi UM SIMPLES AGRICULTOR. nada demais. nem gostaria de ser nome de rua....(olides)

De: m-rocha
Para: deolhoseouvidos1@terra.com.br

PREZADO OLIDES !

LENDO TEU BLOG, COMO SEMPRE FAÇO DIARIAMENTE, MAS NESTES ÚLTIMOS DIAS COM MAIS ATENÇÃO, DEVIDO AO FALECIMENTO DE TEU PAI, CONSTATEI UMA MUDANÇA(POSITIVA) EM TUA POSTURA, NO CAMPO EMOCIONAL. ACHO QUE FOI PRECISO A MORTE DE TEU PAI PARA QUE TU TE APROXIMASSE DOS RELES MORTAIS( NÃO ÉS IMORTAL COMO VOCÊS PREGAM !!!!), REFIRO-ME À NATURAL E ESPERADA MANIFESTAÇÃO QUANDO DA PERDA DE UM ENTE QUERIDO(choro). QUEM TE LÊ , OU OUVE, JULGA ESTAR DIANTE DE UM " SASSI" DE SER HUMANO. FRIO, CALCULISTA EM SUAS OBSERVAÇÕES JORNALÍSTICAS. NADA COMO UM ACONTECIMENTO QUE NOS CHOCA, PARA REVELAR O NOSSO VERDADEIRO EU.

AINDA SOBRE A PERDA DE TEU PAI, SINTO-ME À VONTADE PARA TE DIZER QUE, ESPERO PARA BREVE, QUE ALGUM VEREADOR TENHA A SENSIBILIDADE DE PROPOR O NOME DO SR. GUERINO PARA UMA RUA DE SERAFINA CORRÊA. SERIA MERECIDO E JUSTO, PARA COM ALGUÉM QUE VIVEU E VIVENCIOU ESTA TERRA, PARA ELA TENDO MUITO CONTRIBUÍDO. ENCERRANDO, RENOVO MINHA SOLIDARIEADADE A VOCÊS.

AGORA, FALANDO SOBRE SERAFINA CORRÊA, É INCOMPATÍVEL COM UMA CIDADE EXEMPLO DE PROGRESSO E DESENVOLVIMENTO, NÃO CONTAR COM UMA RODOVIÁRIA. VI AS FOTOS DO BLOG, É SURREAL, É MOTIVO DE MATÉRIA NO JORNAL NACIONAL(GERARIA EXPECTATIVA E INCENTIVARIA O TURISMO GASTRONÔMICO E RELIGIOSO).

ESTA QUESTÃO TEM QUE SE RESOLVER LOGO, EM FUNÇÃO DO INTERESSE PÚBLICO. NÃO TEM COMO AS PESSOAS CONTINUAREM NO RELENTO, A ESPERAREM ÔNIBUS. É INDIGNO O TRABALHO DE PESSOAS NA RUA, LITERALMENTE, A VENDER PASSAGENS.

TENHO CONVICÇÃO, QUE O ADEMIR, DINÂMICO E TRABALHADOR COMO É, NÃO SE FURTARÁ COMO PREFEITO A RESOLVER ESTA PENDENGA, PARA NÃO DEIXAR OS MUNÍCIPES EMPENHADOS E NÃO AFETAR A BELÍSSIMA IMAGEM QUE AQUELES QUE CONHECEM LA UDEZE TEM.

SOMOS SABEDORES DO QUE REPRESENTA O DAER E SUA BUROCRACIA, BEM COMO, DO PERCENTUAL PÍFIO( 11% ), QUE OS AGENTES FATURAM PARA MANTER A CONCESSÃO.HÁ UMA CLARA DEFASAGEM ENTRE COMISSÃO E CUSTOS DE MANUTENÇÃO. OUTRAS RODOVIÁRIAS PODERÃO ENTRAR NESTE RITMO, CASO O DAER NÃO FLEXIBILIZE SUAS NORMAS, DE FORMA ESPECIAL ESTA RIDÍCULA COMISSÃO AO CONCESSIONÁRIO. PODE SER QUE COM OUTRO GOVERNADOR OU GOVERNADORA, O ASSUNTO MELHORE. TRANSPORTE COLETIVO DEVIA SER CONSIDERADO DE UTILIDADE PÚBLICA !!!!!!!!!!!QUIÇÁ DE SEGURANÇA !

UM ABRAÇO.

Prof. Mauro Santos Rocha
UPF PALMEIRA - DIRETOR

Pêsames

De: valdir.d
Para: olidescanton@bol.com.br

Oi Olides, meus pêsames! Estava no interior e só cheguei agora (terça à tarde). vou te ligar hoje à noite.
Abraços,
Valdir

UM CINEASTA DOS SUBTERRÂNEOS CLOACAIS

por Eron Duarte Fagundes

O amor que se pode ter ao cinema do realizador brasileiro Sergio Bianchi estará sempre eivado de uma culpa amarga. O espectador de cinema, que é um elemento da limpa classe média, terá de enfrentar esta culpa para aprender a gostar de um cinema que vem rastejando desde os esgotos do subsolo. Maldita coincidência (1979) é o primeiro filme feito por Bianchi e, em seu tempo, passou em brancas nuvens; mesmo obras alegóricas como A lira do delírio (1977), de Walter Lima Jr., (o carnaval na linguagem do cinema brasileiro), e A idade da terra (1980), de Glauber Rocha, (a Bíblia e a política confundindo as coisas dentro da luz brasileira de filmar), pareciam ter mais contato com aquilo que o pensamento intelectual imaginava ser a realidade nacional, eram mais digeríveis racionalmente do que o delírio mendicante de Bianchi, que na verdade se converte num transtorno da própria metáfora.

No cinema que fazíamos no fim dos anos 70 o filme de Bianchi correu à margem e sem existir; passa a ressurgir nestas visões do início do século XXI quase como profecia de imagens para revelar os aspectos radicalmente coerentes da proposta fílmica do cineasta: uma contemplação melancólica e depressiva sobre a realidade que pode exalar cheiro ruim mas é cinematograficamente sedutor nas melancolias que vai emitindo.

A partir de Cronicamente inviável (2000) o cinema de Bianchi passou a ser mais considerado por aqueles que acompanham o cinema do centro, sem enfrentar as pulgas do subúrbio: como se Bianchi estivesse começando ali e começasse surpreendendo mesmo. Esquecido antes, Bianchi já fizera pelo menos duas obras-primas: Romance (1988), exibido numa obscura sessão marginal do Festival de Cinema Brasileiro de Gramado, longe dos holofotes da competição, e este Maldita coincidência, além de ter filmado, pelo avesso, um conto de Machado de Assis em A causa secreta (1994), onde o sacrifício ao vivo de um rato foi interrompido pela metalinguagem. Que é que tem acontecido de diferente nas narrativas de Bianchi de 2000 para cá, que as pessoas começam a entendê-lo?

Sem mudar muito suas obsessões temáticas e de filmagem, nota-se que ele tem depurado, no senso comercial do verbo depurar em filme, aquilo que habitualmente se desenvolve em suas histórias. Jogo das decapatições (2013), seu mais recente trabalho, é um bombardeiro de desilusões que pode atordoar o observador; no entanto, em termos de imagem e ação, o lado maduro e profissional adquirido com Cronicamente inviável dialoga mais agilmente com o espectador, ainda que este se atordoe. Em Maldita coincidência estamos ainda no subterrâneo do cinema de Bianchi: sem formas depuradas para os esgotos. Falar que, no fim da década de 70, Bianchi estaria recapturando o ciclo marginal edificado por gente como Rogério Sganzerla e Júlio Bressane seria falso: Maldita coincidência é à margem de tudo, sim, inclusive, à margem da margem, penso que como poucas vezes diante de um filme se pode afirmar que nada se lhe assemelha em nosso cinema.

Maldita coincidência traz em seu interior várias utopias esfaceladas. Uma delas é a noção ideal de trabalho, noção que somente um artista (um pintor, um cineasta, um escritor) poderia exibir. Há um discurso que primeiro aparece somente pela voz da atriz, depois no plano final vemos Lélia Abramo dizer os conceitos deslocando-se sempre em primeiro plano diante da câmara. Ali se diz que o ideal é trabalhar de graça e viver de esmola; e também que o trabalho ideal, ao contrário do que acontece com a percentagem grande da humanidade, é aquele que escolhemos fazer. Antes disto, os signos mascarados do homoerotismo do cinema de Bianchi, um pouco à maneira do italiano Pier Paolo Pasolini, desfilam diante de nós, especialmente na figura provocativamente jocosa e fresca de Sérgio Mamberti.

A não-discussão do cinema brasileiro deveria começar por aquilo que se oculta em Maldita coincidência.

Estradas gaúchas estão em abandono, afirma Sartori

Foto: Luiz Chaves
Candidato tomou café da manhã com a diretoria do Sindicato dos Engenheiros

O candidato a governador José Ivo Sartori (PMDB) disse nesta terça-feira (05) que o Rio Grande do Sul tem estradas em péssimas condições, pouquíssimos investimentos em conservação de asfalto e nenhuma perspectiva de duplicação de rodovias. “As obras andam a passos de tartaruga, e continuamos com 106 municípios sem acesso asfáltico. O Rio Grande precisa de um planejamento estratégico de desenvolvimento, que estimule as vocações econômicas de cada região e ofereça apoio efetivo a todos os setores”, acrescentou. As afirmações foram feitas durante café da manhã com integrantes da diretoria e do conselho do Sindicato dos Engenheiros (Senge).

“Ouve-se falar muito em crescimento, mas a verdade é que muito pouco foi feito nos últimos quatro anos. O Estado ficou mais endividado e não se vê melhorias satisfatórias”, frisou o candidato, lembrando que o Rio Grande do Sul convive com um rombo de R$ 8 bilhões e manda 12,9% da sua receita líquida para o pagamento de dívida com o governo federal. “Isso paralisa obras e impede a qualificação de serviços que os gaúchos desejam”, afirmou.

Sartori defendeu a necessidade urgente de um melhor planejamento para tirar o Rio Grande do Sul da crise financeira e do desenvolvimento lento. Segundo ele, isso deve incluir, além de investimentos em estradas, a reorganização em setores como saneamento, energia, agricultura e meio ambiente.

Já o candidato a vice-governador José Paulo Cairoli (PSD), que também participou do encontro, observou que a gestão do Estado não corresponde às necessidades demandadas pela sociedade. “Estamos diante de uma evidente estagnação na estrutura pública. Um governo não pode ser conduzido por uma política de partido, mas sim acolhendo a diversidade de ideias. Além disso, deve atuar com eficiência administrativa e assumir responsabilidades concretas com a sociedade”, ressaltou. No final do encontro, os candidatos receberam uma pauta de propostas do sindicato, incluindo questões de infraestrutura e segurança contra incêndios.

AGENDA DO CANDIDATO JOSÉ IVO SARTORI PARA QUARTA-FEIRA – 6 DE AGOSTO

PORTO ALEGRE

8 horas - Deslocamento para Guaíba pelo Catamarã.

GUAÍBA

8h30 - Visita à diretoria da Celulose Riograndense.

ARROIO DOS RATOS

11 horas - Caminhada com a participação de lideranças da coligação O Novo Caminho para o Rio Grande do município e da região carbonífera.

PORTO ALEGRE

19h30 - Entrevista ao vivo na TVCom.

do viomundo.com.br

Na RBS, Duda antecipa Aécio, e promove arrocho em benefício dos “colegas”


Chamando os funcionários de “colegas”, presidente da RBS anuncia demissões e defende crescimento da empresa

por CR, de Porto Alegre

Passando os olhos pela carta enviada pelo Grupo RBS aos jornalistas da empresa, no fim da tarde desta segunda-feira, chama a atenção a intimidade da assinatura do e-mail: Duda. Trata-se de Eduardo Sirotsky Melzer, presidente da empresa, que escreve logo após o anúncio das 130 demissões que o grupo deve fazer esta semana. Ele - o patrão - também chama os funcionários de colegas, prática recorrente da mídia nativa, como seguidamente alerta Mino Carta.

Mas quem pensar que a intimidade do tratamento tenta estabelecer uma certa empatia com os funcionários vai se enganar. A leitura do longo texto revela que o objetivo da empresa é bem outro. E não tem nada a ver com qualidade da informação ou algum resquício de jornalismo. Não se fala em comunicação e conteúdo nem pró-forma.

A carta prega o DESAPEGO de coisas que não fazem a empresa crescer, trata o tema das demissões com frieza, como se fosse uma ação cotidiana qualquer, defende enfaticamente a meritocracia como método, tenta convencer que os cortes são pelo bem dos próprios funcionários e traz como únicas pautas positivas os negócios da empresa.

Não se sabe quais jornalistas serão demitidos, e até quarta todo o grupo vai ter que dormir com a incerteza. Mas o mais dramático é a indiferença do grupo com a situação. Em vez de lidar com as questões pessoais dos profissionais que vão sofrer com o corte e de mostrar alguma sensibilidade e humanismo, o e-mail foca no desempenho da empresa, buscando, em um momento como esse, apenas o engajamento dos jornalistas com a situação do grupo.

Pouco importa que colegas estejam indo pra rua, em um mercado em que não há muitas alternativas viáveis, o importante é que agora todos podem comprar vinhos e cervejas das outras empresas do grupo. Que, aliás, já estão chegando a outros países.

É até difícil escolher quais trechos destacar para comentar essa carta, mas fico com o extremo desrespeito não só ao jornalismo, mas principalmente às pessoas que fazem com que ele aconteça.

Acrescento ainda cinco fatos da trajetória recente da Zero Hora que podem contribuir para a interpretação da carta:

1) Agoniza prejuizo de R$ 60 milhões com o grupo RBS em 2013

2) Perde circulação de 4% no primeiro trimestre de 2014

3) É condenada em R$ 300.000,00 por uso de informação confidencial. A Justiça considerou a prática crime de concorrência desleal

4) É condenada em R$ 300.000,00 por submeter trabalhadores a condições humilhantes

5) Anuncia a demissão de mais de uma centena de trabalhadores na próxima quarta-feira (06/08) e deixa o clima tenso em toda a redação

O e-mail:

Caros colegas,

Escrevo para reforçar a mensagem que compartilhei com vocês nesta segunda-feira, em videoconferência, e para detalhar minha visão em relação ao futuro da nossa empresa, pois quero manter entre nós um ambiente de clareza e transparência.

As transformações radicais e a velocidade impressionante pelas quais a indústria da comunicação tem passado exigem energia e dedicação para entender o momento e também coragem para promover os ajustes que precisam ser feitos para continuarmos crescendo.

Mudar não é opcional. É vital para o nosso projeto empresarial.

O cenário atual apresenta realidades paradoxais. Por um lado, os modelos tradicionais estão altamente desafiados. Por outro, o avanço tecnológico e a forma de consumir mídia nunca geraram tantas oportunidades e tanta abertura para a inovação como nos dias de hoje. Aquelas empresas que têm a coragem de se posicionar no mundo novo sairão fortalecidas.

Nesse sentido, acredito muito na relevância dos nossos produtos, no jornalismo de qualidade, na comunicação e no desejo cada vez maior por conteúdo de entretenimento diferenciado. As necessidades continuarão existindo. O que muda é a forma como serão atendidas. Se queremos continuar crescendo temos de nos reinventar imediatamente, investindo em atividades e negócios que geram resultados positivos e deixando de fazer o que não agrega para nossa empresa e para o mercado.

Quero convidar todos vocês a romper paradigmas, quebrar barreiras e colocar a RBS cada vez mais no grupo das empresas vencedoras, daquelas empresas que constroem oportunidades de mercado para se posicionar e conquistar a liderança.

Teremos uma semana intensa pela frente, pois na quarta-feira faremos cerca de 130 demissões, de um universo de 6 mil pessoas, com o objetivo de buscar produtividade e maior eficiência. São cortes que precisam acontecer, principalmente na operação dos jornais. Não estou de forma alguma insensível ao impacto que demissões geram na vida das pessoas e da própria empresa, porém acredito que tanto os profissionais quanto as empresas precisam repensar o modo como atuam.

O Grupo RBS emprega milhares de pessoas. Não promover mudanças seria uma irresponsabilidade com estes profissionais, um erro com todos vocês, além de um descaso com nossos clientes e com o nosso projeto de futuro, que já está em andamento.

É importante destacar que a RBS não passa por uma crise financeira. Ao contrário. Estamos investindo e redesenhando a nossa operação, buscando velocidade e desprendimento que são vitais para a preservação do nosso projeto empresarial.

Fizemos, nos últimos 12 meses, uma análise muito detalhada de todos os nossos negócios e atividades. Eu me envolvi pessoalmente nesse processo. A partir do que vimos, fizemos investimentos importantes que ajudam a deixar clara a nossa crença no negócio.

Dobramos as equipes dedicadas ao digital, tanto nas redações quanto no Tecnopuc, e triplicamos os investimentos nesta área. Até o fim do ano, só no Tecnopuc, em Porto Alegre, teremos quase 100 profissionais trabalhando exclusivamente na criação de soluções digitais para nossos produtos, em especial para os jornais.

Os 50 anos de Zero Hora marcaram o início de uma grande renovação do jornal, que agora começa a ser replicada em outros veículos. Inovamos na organização do conteúdo e criamos novos espaços para fortalecer o vínculo com o leitor. A partir de amanhã, Diário Catarinense, A Notícia e Jornal de Santa Catarina entram também nessa nova fase.

Na TV, teremos nesse ano as 18 emissoras com equipamentos totalmente renovados e tecnologia de última geração, cobrindo com sinal digital o Rio Grande do Sul e Santa Catarina antes do prazo determinado pelo governo federal.

Em rádio, nosso alcance cresceu com o lançamento da Gaúcha Serra, da Gaúcha Santa Maria e da Gaúcha Zona Sul. O rádio também tem feito um excelente trabalho na internet.

Na e.Bricks, nossa empresa digital criada há três anos em São Paulo, lançamos o Early Stage, um fundo para impulsionar ideias em tecnologia - um negócio contemporâneo que atrai empreendedores em busca de parceria para crescer. O fundo deve chegar ao final do ano com 16 empresas no portfólio.

Também na e.Bricks, ampliamos a operação da Wine, que já é a maior empresa de vinhos online do mundo, tanto que estamos agora preparando sua entrada no mercado internacional. E muitos de vocês que já são sócios da Wine agora poderão também ser da Have a Nice Beer, o maior clube online de cervejas da América Latina, que está vindo para o Grupo.

Gostaria ainda de citar dois exemplos de inovação e empreendedorismo que marcam a nossa gestão. O primeiro é o HypermindR, um centro de pesquisa no Rio de Janeiro, que vai desenvolver softwares para medir hábitos do consumidor. E o segundo diz respeito ao nosso modelo de gestão de pessoas, baseado na meritocracia. As ferramentas que desenvolvemos para dar mais transparência aos planos de carreira tornaram-se benchmark para muitas empresas e agora serão disponibilizadas ao mercado através da Appus, um negócio que nasceu aqui, dentro do RH.

Temos apoio dos acionistas nas nossas decisões e temos também pessoas qualificadas e comprometidas, recursos financeiros, solidez de caixa, coragem, energia e desapego para deixar de fazer coisas que não agregam e investir no que pode nos fazer crescer.

Na próxima sexta-feira, vou apresentar aos líderes da empresa a Carta Diretriz, um documento que reforça na RBS princípios como simplicidade, produtividade e eficiência, qualidade, inovação, crescimento sustentável e meritocracia. Tenho dito que somos uma empresa em beta. Isso significa que nosso processo de transformação será contínuo e permanente.

Como presidente, tenho compromisso com os acionistas, com a história da nossa empresa, com o nosso público e os nossos clientes.

Estou motivado, principalmente, pela grande confiança que tenho no trabalho e no comprometimento de cada um de vocês.

Vamos em frente!

Duda

Semana Farroupilha já tem sua poesia tema

A poesia “Noutros tempos”, de Otávio Geraldo Reichert, foi escolhida para ser a poesia tema da Semana Farroupilha, que acontece de 14 a 20 de setembro de 2014. Ao contrário dos anos anteriores - quando foram promovidos concursos para eleger a música tema - nesta edição, a Comissão Estadual dos Festejos Farroupilhas, na qual faz parte a Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (FIGTF), instituiu, em parceria com a Estância da Poesia Crioula, um concurso de poesias com a temática Eu Sou do Sul, em concordância com a música de mesmo nome, de autoria de Elton Saldanha. “Noutros Tempos” venceu um concurso - com conotação gauchesca, nativista e tradicionalista - onde estavam inscritas 120 poesias enviadas de diversas regiões do Brasil. A iniciativa teve como objetivo integrar a comunidade ao movimento tradicionalista do Rio Grande do Sul, através do verso e abrir novos espaços para poetas. Leia a poesia no site http://www.igtf.rs.gov.br/?p=4846.

de Serafina

Agradecimento

A comunidade São Roque de Silva Jardim localiza-se a 6 km de Montauri, 12 Km de Casca e 23 Km de Serafina Corrêa. Com 116 famílias pertence à Paróquia de Montauri e ao Município de Serafina Corrêa. Seus moradores trabalham na roça, comércio e educação. A comunidade é conhecida pela tradicional Festa de São Roque , cuja realização acontece sempre no dia do Santo, 16 de agosto. E a Festa de Nossa Senhora de Lourdes, que acontece no 2º domingo de fevereiro.
Nos últimos anos vem realizando um jantar típico italiano.

Agradecemos à Prefeitura Municipal por nos oportunizar tal evento como abertura dos Festejos do aniversário do município, portanto em julho acontece o jnatar que por sinal faz cada vez mais sucesso. Tal evento é engrandecido pelo apoio da Prefeitura e a boa vontade da comunidade em preparar as comidas com sabor italiano, já que o povo serafinense é em sua maioria, de descendência italiana. Um agradecimento à Câmara de Vereadores por deslocar da sede suas atividades e realizar uma sessão no Distrito e aprovar projetos que se destinam a esse povo que labuta. Para as festas dispomos de dois ambientes agradáveis para poder acomodar os visitantes.

Como as demais comunidades para Silva Jardim não é diferente. Os jovens saem para buscar trabalho e estudar. E alguns casos, levam seus pais para morar mais perto, em consequência disso o número de alunos vai diminuindo cada vez mais. Essas pessoas no entanto voltam para visitar os parentes e festejar nossas festas.

Comunidade Silva Jardim

Francisco Sérgio Turra particpará de Sessão Solene da Câmara de Vereadores de Serafina Corrêa

O Presidente da Câmara de Vereadores de Serafina Corrêa/RS, Vereador Nelson Pedro Mezzomo, com o apoio da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Agronegócio de Serafina Corrêa e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Serafina Corrêa, convida para a SESSÃO SOLENE alusiva ao Dia do Agricultor.

Na ocasião, haverá uma palestra com o Sr. Francisco Sérgio Turra, Presidente da ABPA - Associação Brasileira de Proteína Animal, retratando o Cenário Nacional e Internacional do Agronegócio e da Agricultura Familiar.

A Sessão Solene será realizada no dia 14 de agosto, quinta-feira da próxima semana, a partir das 19 horas, no Auditório da Escola Municipal Leonora Marquioro Bellenzier.

5 de agosto de 2014

De Serafina

FAlta de Rodoviária: PASSAGEIROS AO RELENTO DE MADRUGADA



Estou chegando agora 6 e meia da rodoviária....fui conferir e fazer fotos da situação. O vendedor da Bento se vira. ....vende bilhetes na rua....embaixo do bico do poste de luz pública porque junto ao prédio onde funcionava a rodoviária antes, agora uma academia de ginástica, mandaram tirar até o bico de luz que havia.

Alguns passageiros que não sabem ainda da situação perguntam pro motorista do ônibus se é ele que vende a passagem. Ele transfere pro Vidmar que é o vendedor oficial,digamos, credenciado pela Empresa Bento. A Unesul não tem nenhum vendedor na rua. Vendem dentro do ônibus mesmo.

Há uma conversa de que o DAER ' quer 25 mil reais ' pra deixar abrir uma nova rodoviária. Não sei se é isto mesmo, ou se isto é uma taxa pra participar da concorrência.

Também ao que estou informado o prefeito Bico Branco - Ademir Presotto -,PP ,deverá voltar ao DAER esta semana pra encaminhar o assunto.

Se diz aqui também que a rodoviária de Marau teria fechado as portas no dia 31 passado.

SERAFINA HÁ DOIS MESES SEM RODOVIÁRIA

chove e os passageiros na rua sem nenhuma proteção...



MAS TAMBÉM TEVE MUITA bira no meio.O antigo concessionário, Leoldemar Bassani, entregou dia 31 de maio a rodoviária. A empresa Bento negociou pra ver se assumia mas por uma diferença de 5 mil reais não houve entendimento.

* Na região, várias rodoviárias estariam fechando. Mas a de Nova Petropolis não fechou. Cidade considerada turistica.

* Marau também estaria sem rodoviária.Não tenho a confirmação disto.

* O prefeito de serafina, Bico Branco(Ademir Presotto) me garantiu ontem que haverá uma solução. A prefeitura só não a encontrou ainda porque a prefeitura não pode operar venda de passagens ...

* O prefeito disse que o gerente da Bento, Pedro, está dialogando com ele pra encontrar uma saída.

* Bico Branco disse que apenas não assumiu a rodoviária porque não pode. sernão já o teria feito.

* Engraçado que durante muito tempo ouvi dizer que a rodoviária de Guaporé estaria em crise. Mas a que fechou mesmo foi a de Serafina.

* A de Guaporé teria, segundo comentários da região, muita dívida com as empresas de ônibus.

* O fato é que a de Guaporé está aberta, a de serafina está fechada com os passageiros ao relento.

chuva e os passageiros que se lixem!!!!!

sem rodoviária....a crise prevista em serafina. ninguém conseguiu que fosse encontrada uma solução. Alguém diz que o DAER também não t eria feito muito esforço.
Será que é porque é ano eleitoral ?????quem sabe!!!!! e o prefeito local é do PP!!!!

na rua, sem cobertura de nada, os onibus saem com os passageiros!

madrugada sem rodoviária em serafina

madrugada em serafina. onibus saindo passageiros sendo atendidos ao relento

passageiros na chuva, madrugada alta em serafina o vendedor de boletos e o motorista da bento conversam...

passageiros de onibus se abrigam da chuva na manhã desta segunda em serafina

na chuva os passageiros de onibus de serafina ainda se abrigam onde era a rodoviária, hoje uma academia de ginástica

na manhã desta segunda chovia em serafina. e os passageiros na chuva pra pegar o onibus!

madrugada alta em serafina. antoninho vidmar funcionário da empresa Bento tira boletos de passagem

Coleguinhas

fui visitar hoje a adriana sabadin, que está de licença maternidade da imprensa da prefa local. ela volta ao trabalho no mes que vem. ganhou o vitor luigi que passa bem, aos 3 meses de idade.

VOTOS DE PESAR

quero deixar registrados os votos de pesar que recebi hoje pelo falecimento do meu pai, Alfredo,d ados pelo prefeito Ademir Presotto, e pela secretária Inelves Carnavalli. A ambos, meu muito obrigado.

de sb

a gozação do capincho!!!

De: letier12
Para: olidescanton@bol.com.br

Qual a novidade do findi??
Fecharam a rodoviária de Serafina e colocaram 3 táxis a mais lá... tu tem que virar prefeito
kkkk

Ouça o jingle de Vieira da Cunha

Letier Vivian
São Borja/RS

AS ESTRANHAS RELAÇÕES

por Eron Duarte Fagundes

São dois analfabetos emocionais que vão encontrar-se ao longo da trama de O melhor lance (La migliore offerta; 2013), o novo filme dirigido pelo italiano Giuseppe Tornatore. O protagonista, vivido por Geoffrey Rush, é um veterano leiloeiro que toda a sua vida esteve voltado exclusivamente para sua atividade profissional (entoar pregões) e, assim, relativamente às emoções e às mulheres, permanece infantil e impúbere. Sua descoberta do universo emocional dos adultos se dará quando ele é encarregado por uma excêntrica herdeira de obras de arte a vender quadros de herança. Ela também é esquisita, mora reclusa num casarão e não quer aparecer nem nos leilões nem para o leiloeiro, que conversa com ela separado por uma porta. A atração entre estes dois seres espiritualmente aleijados ora intensifica a narrativa, ora a amortece; Tornatore parece emular, um pouco à distância, certos contos góticos do cinema italiano, de que a obra-prima Almas perdidas (1976) é um exemplar pouco referido mas significativo. No entanto, os escrúpulos de realismo chapado de Tornatore o impedem de alçar qualquer voo; o resultado final não passa da mediania, oscilando entre pontas de discreto interesse e enfados.

Tarso deve explicar a crise do RS, e não se esconder no passado, afirma Sartori

Foto: Galileu Oldenburg

“Se o governador olhasse mais para o presente, e não para 20 anos atrás, talvez não tivesse cometido equívocos como sacar R$ 4 bilhões a descoberto no Fundo de Depósitos Judiciais. Além disso, deveria explicar em detalhes seus saques no Caixa Único e as operações de crédito que vem fazendo para tapar o rombo de R$ 8 bilhões de seu governo. O governo Tarso endividou o Rio Grande e não resolveu nenhum dos nossos grandes problemas, seja na educação, na saúde ou na infraestrutura”. É com esta declaração que o candidato ao governo da aliança “O Novo Caminho para o Rio Grande”, José Ivo Sartori (PMDB), rebate a alegação do governador Tarso Genro de que ele procura criar um factóide ao abordar a questão da dívida estadual. “Enquanto a União estrangula os estados e os municípios, o governador Tarso ainda exerce a política de beijar a mão da presidente da República”, acrescenta Sartori.

O candidato peemedebista afirma que o Rio Grande do Sul sente falta de um plano arrojado de desenvolvimento, que ofereça apoio ao setor produtivo dos mais diferentes segmentos, desde a agricultura e pecuária até a indústria e a tecnologia. “Precisamos, de uma vez por todas, de um projeto que vá além do que temos hoje”, diz ele. “O Estado chegará ao final deste ano com uma despesa de R$ 2,9 bilhões acima dos recursos disponíveis em caixa, e o total do déficit, em quatro anos, alcançará a soma de R$ 5,2 bilhões. Para cobrir esse rombo, o governo se vale de saques de depósitos judiciais, uma situação que não pode mais ser aceita.” Conforme o candidato, o Rio Grande do Sul já destina 12,9% de sua receita para o pagamento de dívida com o governo federal, e agora está para fazer empréstimos de mais R$ 4,5 bilhões, que terão de ser pagos pelo próximo governo. “Não dá mais para levar esse endividamento adiante”, ressalta.

Para Sartori, o Estado padece com o que ele chama de “federalismo distorcido”. O candidato quer dizer com isso que o governo federal não reparte de maneira justa com os estados o montante de recursos que arrecada, sendo que, nesse bolo, estão incluídas as transferências financeiras estaduais para a União. Além disso, conforme destaca, o governo federal amplia as suas receitas reajustando os tributos não repartidos com os estados - como PIS/Pasep, Cofins (Contribuição Social para o Financiamento da Seguridade Social), CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) e as contribuições sindicais.

“É necessário que se faça um alinhamento efetivo entre governo federal e estados. Isso deveria começar por uma harmonização de impostos, com a criação de um tributo único e de base ampla, repartido com os estados e municípios. Dessa forma, se poderia assegurar melhor qualidade na prestação de serviços públicos. E é preciso também ampliar a cooperação federal para execução de programas regionais de infraestrutura”, defende.

AGENDA DO CANDIDATO JOSÉ IVO SARTORI PARA TERÇA-FEIRA - 5 DE AGOSTO

PORTO ALEGRE

8h30 - Café da manhã com a diretoria do Sindicato dos Engenheiros do RS (Senge). Local: Sede da entidade.

11 horas - Gravação de entrevista para a Rádio Progresso, de Ijuí.

13 horas - Entrevista para o programa Esfera Pública, da Rádio Guaíba.

20 horas - Reunião com o Grupo de Aposentados do Banrisul. Local: Diretório Metropolitano do PMDB.

Vieira encontra eleitores na Redenção e visita Capivari do Sul

Candidato ao Governo do Estado pelo PDT, Vieira da Cunha dedicou o domingo ao corpo a corpo com eleitores. A primeira atividade foi pela manhã, ao lado de militantes da sigla no Brique da Redenção, na Capital.

Na sequência, Vieira seguiu para Capivari do Sul, no Litoral, onde encontrou o candidato ao Senado Lasier Martins, o candidato a deputado federal Afonso Motta e o candidato a deputado estadual Ciro Simoni. O grupo almoçou na festa de São Jorge acompanhado de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores da região. Em seguida, conversaram e tiraram fotos com eleitores.

À noite, Vieira acompanha o candidato à vice Flávio Gomes no culto Encontro de Fé, na Zona Norte da Capital.

Vieira participa de ciclo de conversas no Conselho de Administração

O candidato do PDT ao Piratini, Vieira da Cunha, participou nesta segunda-feira do CRA-RS Recebe, um ciclo de conversas com os candidatos ao Governo do Estado promovido pelo Conselho Regional de Administração. Vieira foi o primeiro candidato a comparecer na sede da instituição.

Após fazer uma breve apresentação da sua trajetória pessoal e política (Vieira é procurador de justiça, ex-vereador da Capital, deputado estadual por três mandatos, quando presidiu a Assembleia e foi relator da CPI da Segurança, e deputado federal em segundo mandato), o trabalhista expôs as causas que o levaram a concorrer ao Governo do Estado. Citou o déficit que se repete ano a ano, os saques feitos pelo atual governador dos depósitos judiciais e do caixa único - que juntos somam quase R$ 10 bilhões - e o passivo trabalhista com os professores, gerado pelo não pagamento do piso.

“Nós precisamos de um governo de austeridade nas despesas e de eficiência nos serviços prestados”, afirmou.

Vieira também falou sobre o alto percentual de comprometimento mensal da receita para o pagamento da dívida com a União.

"Eu penso que nós temos todos os argumentos para reduzir essa dívida. E se o governo continuar insensível, não nos resta alternativa, tem que entrar na justiça, a começar pela cobrança dos juros, que sequer poderia haver num contrato firmado entre dois entes da Federação”, opinou Vieira.

Uma questão levantada pelos membros do conselho foi a nomeação, por concurso ou em cargos de confiança, de profissionais sem formação em administração para trabalhar em funções estratégicas de gestão, o que foi rechaçado por Vieira.

“Temos que colocar as pessoas certas e com formação adequada para exercer funções de gestão”, comprometeu-se.

À tarde, o candidato ao governo fez uma caminhada no bairro São Geraldo, acompanhado pelos candidatos a deputado estadual Mauro Zacher e a federal Flávio Zacher. Um grupo de militantes com bandeiras acompanhou o trio durante o trajeto.

A agenda para esta terça-feira, 04/08

Todo o dia - Votações na Câmara dos Deputados, em Brasília

20h - Posse da diretoria da Associação Nacional dos Procuradores de Estado

21h - Posse da diretoria da Câmara Brasileira da Industria da Construção

de Serafina

Inauguração dos Capitéis - Via Sacra e Revitalização da Praça Genovino Migliavacca

A sexta-feira, 01 de agosto, foi marcada pela entrega de mais duas grandes obras a comunidade serafinense: A revitalização da praça Genovino Migliavacca, e dos Capitéis da Via Sacra. Há muito tempo os moradores do bairro Cristo Rei, solicitavam uma área de lazer e diversão. O Senhor Genovivo Migliavacca foi quem doou este espaço, um serafinense que constituiu família, pai de 10 filhos, que contribuiu com o desenvolvimento de nosso Município em diversos setores. A praça, único local de lazer do bairro, recebeu inúmeras melhorias, como a construção de calçadas, pintura da proteção lateral, colocação de bancos e um parquinho infantil.

Na sequência, os presentes foram convidados para o descerramento da placa inaugural que se encontra no totem e que dá início ao projeto Via Sacra. A devoção da Via Sacra consiste na oração mental de acompanhar o Senhor Jesus em seus sofrimentos, a partir do Tribunal de Pilatos até o Monte Calvário. Esta maneira de meditar teve origem no século X. Os fiéis que peregrinavam na Terra Santa e visitavam os lugares sagrados da Paixão de Jesus, continuaram recordando os passos da Via Dolorosa de Jerusalém. Por muitos anos e pelos quatro cantos do mundo, os cristãos compartilharam esta devoção à Paixão de Cristo. Participar das orações na Via Sacra é reviver na mente e no coração a grandeza do Amor de Deus.

Nossa região, assim como boa parte do Estado do Rio Grande do Sul é oriunda da colonização italiana. As famílias que aqui chegaram, trouxeram consigo seus costumes e sua religiosidade. Predominantemente católicos, os imigrantes que aqui se instalaram, deram continuidade às suas crenças e devoções. Serafina Corrêa reconstruiu os caminhos de Jesus com quatorze capitéis com o objetivo de estimular a fé e o turismo religioso. Este Projeto, reivindicado pela comunidade há mais de vinte anos, tornou-se realidade através de investimentos do Ministério da Cultura em parceria com o Poder Público Municipal e colaboração e incentivo de moradores e empresas do município. O projeto contou com o patrocínio de várias famílias do município: Lauriano Techio, Erni Zatti, Edílio Toffoli, Luiz Antônio Grechi Gheller, Genito Troian, Edson Zanchet, Giovani Piva, Nelson Mezzomo, Francisco Mezzomo, Elói Seganfredo, Alexandre Damo, Ewaldo Cervieri Filho, Herculano Dalmagro, Francisco Dalmás, Nelson Assoni, Odair José Tecchio e Telmo Castro. Todos os representantes das famílias foram convidados a plantar uma oliveira ao lado de cada capitel, marcando este importante momento. Jovens de várias entidades de nosso municípios leram mensagem de apoio e oração para todos os jovens do mundo, uma mensagem para cada capitel. O Prefeito Municipal, em seu discurso, reforçou a importância deste projeto, que já vem colocando o Município em destaque no estado pelo turismo religioso que vem ano após ano, sendo mais difundido em Serafina Corrêa. Mais duas importantes obras entregues oficialmente a comunidade que já pode desfrutar de mais um espaço de lazer e um dos mais importantes pontos turísticos de nosso município.

1° Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Cultura e o 21° Fórum dos Dirigentes Municipais de Cultura do RS

Nos dias 30 e 31 de julho foi realizado em Porto Alegre/RS o 1° Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Cultura e o 21° Fórum dos Dirigentes Municipais de Cultura do RS, as servidoras da Secretaria Municipal de Cultura, Ingrid Regina Castro e Daniela Formagini Marangoni participaram dos eventos, que aconteceram no Auditório Itapema - Centro de Eventos do Hotel Plaza São Rafael.
Durante a programação foram debatidos assuntos como a organização e funcionamento dos Conselhos de Dirigentes Municipais de Cultura no Brasil, apresentação das propostas dos candidatos ao governo estadual para a cultura; Cultura e Turismo: políticas públicas como indutores do desenvolvimento sustentável e os desafios para a implementação do Sistema Nacional de Cultura.
Na oportunidade, também foi realizada a Cerimônia de entrega do Prêmio Cultura FAMURS/CODIC 2014, onde o município de Serafina Corrêa ficou classificado entre os três projetos do Estado, na categoria livro, leitura e literatura com o Projeto Viva a Leitura: Biblioteca e Brinquedoteca Itinerante. Os eventos foram realizados pela FAMURS (Federação das Associações de Municípios do RS) e CODIC (Conselho dos Dirigentes Municipais de Cultura do RS) com apoio da Confederação Nacional de Municípios.

4 de agosto de 2014

HISTORIAS DO MEU PAI

A GRATIDÃO A AMANTINO MONTANARI

Uma das virtudes que meu pai tinha - e que espero ter herdado - é a gratidão a quem o ajudava. Nascido na colônia, em 1928, era do tempo que o atual posto do Gheller tinha uma estalagem onde os carreteiros paravam pra dormir. Muito ele me contou isto, deste tempo.

Mas na colônia onde se criou na capela San Piero (antigamente era Santo Antonio, mas por uma rixa entre duas capelas,que tinham o mesmo santo padroeiro, o padre, agora não sei o nome dele,se foi o Padre Luiz ou o Padre Francisco Lolatto, o padre Chico, como era chamado , resolveu colocar de São Pedro a capela onde nos criamos, eu , meu pai, meus irmãos e todos enfim....)

Acontece que todo verão era um pânico. Poderia faltar água porque morávamos num monte e ali a água era escassa...havia apenas um poço que nunca se ouvira dizer que secou, mas que por vias das dúvidas, sabe como é....

Ai quando Amantino Montanari foi prefeito -nem lembro se na primeira ou na segunda gestão dele - fizeram com uma retroescavadeira da prefeitura um buraco nos fundos do potreiro e acharam água...

Pronto: a água do gado estava garantida....

Amantino Montanari esteve lá,sentou no potreiro e ficou olhando a máquina abrindo o caminho pro gado ir beber.

Dias depois meu pai foi pagar e o prefeito disse que isto não se cobrava....

Por isto me sensibilizou o mail do filho do Amantino, José Arnaldo lembrando da amizade entre ambos.

Agradeço a lembrança...que me proporcionou lembrar esta pequena história do poço no fundo do potreiro.(olides canton)

LUTO NA SAN PIERO

Fui comprar ovos e poina hoje na capela san piero, a capela onde vi meu pai na sua juventude ser fabriqueiro, jogar bochas,assar carne e bever birre(tomar cerveja)..
estou com uma enorme saudade dele de quando ele era jovem e eu também.

A isto chamam de luto,outros de ' passagem'...

Mas perder um ente querido é muito triste, mesmo...

As marcas do meu pai estão por toda a parte, pelo menos eu que vejo.

Minha mãe com 84 anos está muito abatida. Viveu com Guerino, como ela o chamava, 64 anos, dos quais 31 apenas os dois.

O que a conforta é que ele morreu rezando o terço...

Quando cheguei da san piero, tudo era saudade...a missa na teve, me lembrou dos dois sozinhos ouvindo-a enquanto eu ficava tomando mate na sacada.

Não contive o choro mais uma vez....

Aprendi com meu terapeuta que chorar faz bem(olides)

De Serafina

Depois de assistir a missa de setimo dia pela morte do meu pai, fui com o Marietto Migliavacca fazer um lanche no calabria.

* Achei a minha mãe um pouco mais conformada, hoje, embora muito triste, evidente

* Recebeu visitas, não tanto quanto sábado, mas passou o domingo conversando...

* Fez uma sessão de acupuntura, o que deve lhe ter feito bem.

De Serafina

RODOVIARIA...



a cronica da morte anunciada....

o fechamento da rodoviária de serafina está dentro de uma crise geral das rodoviárias de pequeno porte...

ou chamadas ainda de 4 classe.

Na verdade, há uma queda geral de passageiros com o surgimento da internet.

Os movimentos são apenas nos grandes feriados, mas isto não sustenta as empresas de ônibus e as rodovia´rias que vem seus lucros minguar...

É um setor que com o tempo e com a venda de carros foi atingido e muito...

o fechamento da rodoviária de Serafina é apenas uma decorrência,porque todos sabiam mas ninguém quis se preocupar com isto.

Ou melhor dito: os que tentaram não acharam uma viabilidade econômica.

A solução é mesmo vender bilhetes na rua como vem acontecendo agora. A empresa Bento vende na rua, o celular ajuda pra quem quer marcar banco e assim vão indo as coisas...

Mas pelo menos que se tenha um ponto de chegada e saída porque senão regridimos 50 anos no tempo....

E muita gente ainda precisa de ônibus...

os sem rodovia´ria de serafina


faz dois meses que os passageiros estão na chuva, no sol....as vezes alguns velhinhos são aceitos na academia pra poder sentar. o dono deixa.Anderson Walker deixa que isto aconteça por solidareidade...

o dono de um deposito ao lado de onde era a rodoviária está puto da car aporque os passageiros estão invadindo seu terreno pra aguardar onibus

os sem rodoviária de serafina! uma cidade progressista, com industrias, sem rodoviária. onde já se viu isto????

O dono do prédio, claucir piccoli, mandou tirar até a lâmpada que tem do lado de fora pra que de madrugada o tirador de boletos da bento não possa escrever na rua...

Antonio vidmar neste sabado escreveu os boletos embaixo de um poste de luz publica...(olides)

Do lado de fora passageiros esperam o onibus na manhã desta sabado primaveril e meio calorento em serafina.dentro onde antes era a rodoviária, agora é uma academia de ginástica.

Passageiros sem rodovia´ria em Serafina!

onibus da unesul na rodoviária de serafina, rodoviária não, ponto de embarque e desembarque.

Em Serafina, não se entende porque as empresas unesul e bento não alugaram um prédio pra colocar o vendedor pra vender bilhetes..a bento colocou um funcionário a vender na rua, na calçada - ele virou ' caçador de passageiros' como dizem aqui e a unesul vende dentro do veículo mesmo...

estamos na bolívia, no peru? não é o antonio vidmar da empresa bentinho vendendo ' bilhetes' pra andar de onibus. quando alguém quer reserva, liga pro celular dele. agora em serafina temos reserva de bancos pelo celular.quanto modernidade...

Cenas da cidade sem rodoviária....



Antonio Vidmar, o funcionário da Bento que tira boletos na rua...isto me lembra a Bolívia e o Peru onde tanto andei nos anos 70...tudo coisa de 5 mundo...só Serafina mesmo pra deixar ficar numa situação destas...que vergonha, diria o boris casoy(olides)

de Serafina

O atual dono da academia que funciona onde antes era a rodoviária, na av. ipiranga,1329.



cenas da cidade sem rodoviária. Uma vergonha pro povo de serafina!

passageiros aguardam onibus pra porto alegre nesta manha de sabado primaveril de agosto. há dois meses que não há rodoviária em serafina.

de Serafina

Passageiros ao relento....



Faz dois meses que a cidade não tem rodoviária...as pessoas ficam sentados no chão esperando os onibus. uma situação no minimo VEXATÓRIA pra concessionários, governo do Estado, empresas de onibus e poderes publicos em geral(olides)

De Serafina

É a primeira vez que veio a Serafina e que meu pai não está aqui...fui na Pizzaria do Beto Chiarello mesmo sendo quase meia noite nesta sexta ultima comer meia pizza e "bever mezzo picheroto de vin" (meio copo de vinho)

* Era já meia noite passada e disse ao atual dono, um guri, que tomava o vinho em memória do meu pai que tinha se ido nesta semana...

* Ele me olhou com cara estranha e deve nem ter imaginado quem fosse....

* A Serafina - que os guris aqui chamam de Serafa - de hoje não tem nada a ver com a do tempo do meu pai...

* Mas nada mesmo...

* Como diz a Biblia,- aqui nenhuma conotação religiosa, por favor - há tempo para tudo embaixo do céu...e digo eu, há tempo para cada um de nós...por isto que uma vez estando em Buenos Aires fui ver a final de uma Libertadores entre dois times de lá acho que o Boca e River...paguei 20 dólares de ingresso. vi na Bombonera...num livro de memórias meus está contado isto. espero publicar o quanto antes.

* A morte do meu pai passada esta semana - dia 29 de julho - me fez ver muita coisa. A gente tem quase como um filme que volta toda a vida da gente...pelo menos a vivência com ele. e ontem de noite, ao me deitar, fiquei com a exata impressão de que muito de serafina pra mim, era meu pai....

* Muita gente daqui que mora em Serafina estão comentado que ele tava melhor de saúde que minha mãe...Olha, isto é relativo.

* A gente sente, sim...mesmo com todas as rusgas que tínhamos. Ele tinha rusgas com os filhos, mas isto todos tem...

* Gostaria era de poder cuidar do pequeno parreiral que tinha atrás da casa. vamos ver...se consigo me virar...

Meu irmão renato que muito conviveu com ele, deve ter sido um dos que mais sentiu a morte dele.

* Saiu de casa com 27 anos. os outros filhos todos sairam mais cedo.

SERAFINA SEM RODOVIÁRIA

como a vida continua , vou contando aqui que serafina já ta convivendo sem rodoviária há mais de mes.

* Espera-se que o dia dos pais de um bom movimento e aí tem gente apostando que terá confusão.

* a empresa Bento a ' bentinho dos anos 70/80 - resolveu botar um ex-motora, Vidmar ( que os colegas dizem que foi mandado embora por excesso de trago)vendendo bilhetes na calçada.Se vai ganhar dinheiro, não se sabe, mas ele não tem aluguel de prédio pra pagar.

O pepino aqui é que o dono do prédio não quer mais que os onibus parem na frente do pre´dio. mas ele é dono da rua, pergunto eu???na rua os onibus podem parar, porque não????

* o que acontece é que isto resolve o problema numa emergencia, mas parece que isto tá ficando assim mesmo.

* quinta ultima agora ,dia 31 deveria fechar a rodoviária de marau também....não sei se fechou ou não.

* parece que na região aqui várias rodoviárias estão querendo fechar.

* em dois lajeados existe apenas um posto de venda de bilhetes..sem roedoviária.

* eu que escrevi o livro NO TEMPO DAS ESTAÇÕES - que é a história das rodoviárias do rs -sei que no começo todas elas eram apenas um pontod e venda.

* aqui em serafina os motoristas da bento por exemplo não entendem porque a unesul e a bento não alugam um ponto pra ficar vendendo os bilhetes.

* os motoristas, alguns, da bento,acham uma ' vergonha' o vidmar vender bilhetes na calçada.
- ele fica caçando passageiros na rua. quando vem alguém caminhando ele logo ataca: pra onde tu vais, pra onde tu vais.

* o concessionario daqui que fechou, o Bassani, iria pagar 1.800,00 de aluguel por mes. o prédio é do claucir piccoli que não tá ai pra serviço público. ele já alugou o prédio prua academia.

* e o povo fala: pela cidade dizem que a academnia que foi instalada no prédio onde era a rodoviária estaria tendo subvenção pra pagar o aluguel...
- pro aluguel da rodoviária não queriam ajudar a pagar, queixam-se os motoristas da bentinho

e o povo fala que fala..quando fala o povo..sabe-se como é, espalha-se como um rastrilho de polvora.

* Fui o responsável por divulgar em primeira mão neste blog o fechamento da rodoviária de serafina.

* o assunto se espalhou como não deveria deixar de ser. noticia é noticia.

DE SERAFINA


mais 3 placas de táxi

Graças também a este blog que tempos atrás comprou uma briga com a falta de táxis em serafina - existiam apenas 6 e trabalhavam quando queriam e os motoristas desligavam o celular - o prefeito liberou mais três placas. Isto faz pouco tempo.

Uma das placas liberada foi para Pedro Paloschi..que agora tem ponto na frente do hospital local.

Minha irmã Marinês há uns dois meses atrás quando esteve em serafina desceu na rodoviária e não havia cristo de ter um táxi. foi a pé até a casa dos meus pais um quilômetro morro acima.

Não entendo porque os taxis de serafina somem de noite. na hora que o povo mais precisa.

na rodoviária- que agora tá fechada - existia um taxista ...mas é bom ligar pro celular dele porque senão tu ficas a ver navios.

o serviço público em serafina ainda é carente. e os táxis aqui eram do tempo do epa, tinha uma familia, vou omitir o nome, que era a dona dos taxis de serafina. eles mandavam e desmandavam. um deles tempos atrás me peitou na rua , me ameaçou e lembro bem que me chamou de ' xaropão'...

- eu sempre busquei teus pais e agora tu tá um xaropão ai me disse ali ao lado do ponto da praça central.

pois a campanha do xaropão aqui deu resultados. serafina temmais 3 taxis...

tomara que abram mais 6 ou 7 vagas.

de serafina

os 3 novos pontos de táxi liberrados pela prefeitura ficam

1) gramadinho pro Lazarotto que era da capela são pedro

2) Matini Fávero, na frente da Perdigão

3) Pedro Paloschi , na frente do hospital paroquial

Nos dois primeiros havia dois concorrentes. no ultimo, apenas um.

Histórias de La Undeze

A neve de agosto de 65


a atual av. Miguel Soccol, emf oto de acervo de Luiza Cervieri.

Completam-se no dia 19 de agosto próximo 49 ANOS uma grande nevada registrada em Serafina e em toda a região do Planalto.

Tem até um livro sobre isto escrito por um colega de Lagoa Vermelha, chamado Inferno Branco.

A neve começou de madrugada, ou antes da meia-noite.

Era uma quinta de noite, como registrei no meu livro Cosi la ze stata...

O vizinho Pierin de Costa testemunhou que a neve deveria ter começado a cair lá por l0 da noite. Meu pai acordou cedo e viu um panorama diferente, achando que aquilo fosse o clarão da lua, mas sentiu que a madrugada estava frio fora do comum.

O brilho na verdade era o efeito da neve....

Que já acumulara um meio metro no chão.

Quando acordamos olhamos prum pé de nogueira que tinha do lado da casa e achavamos que aqueles flocos fossem lagartas. Eram flocos de neve, coisa que ninguém nunca tinha visto.

Práticos, alguns colonos ficaram com medo de que os telhados não aguentassem e começassem a cair.

Teresa Cella, uma vizinha, fez fogo junto as telhas pra que a neve derretesse.

Dizem que o padre Lollato bateu o sino na igreja pra não assustar os moradores, dizendo que aquilo eram comum na Italia, terra de antepassados da maioria daqueles habitantes.

Todos tem uma história sobre aquela nevada, porque todos a vivenciaram...

Muitos já faleceram.

Fiz uma redação na escola e a freira a colocou no quadro mural, porque gostou muito dela. Só que a freira não sabia que a neve tinha seu lado ruim, que podia derrubar os telhados das casas.

Muitas lendas surgiram em função da neve. De que cavalos teriam morrido, de que caminhoneiros pegaram pedaços pra levar pra casa, quando estavam em Muçum. Isto é sempre assim...

Minha preocupação, piá ainda, era com os coelhos que eu tinha no chiqueiro. Era natual que fosse assim.


Lembro agora desta grande nevada, quando se completam 49 anos de sua existência.(olides canton)


a neve na praça Pio XII - Darci Sobreira Soccol(hoje nome do plenário da Câmara Municipal) com Marcos,seu filho, no colo,Rony Soccol, com a filha Maria Cristina no colo e Ronny Soccol Filho, em pé. Acervo Rony Soccol. foto de Iraldo Artussi


Rua Tobias Barreto,115. Casa de Dona Hercília Gasparin.Acervo: Marlusa de Carvalho.

Coleguinhas

Encontrei o colega Silvio Lara hoje e tomamos um café no Matheus juntos....o Sílvio eu conheci na salinha JCTerlera. Bom repórter, está na luta.

CURSOS PREPARATÓRIOS PARA O REGISTRO PROFISSIONAL DE RÁDIO NA UCS

A Universidade de Caxias do Sul e a OSCIP Pe. Landell de Moura oferecem cinco cursos de qualificação para Radialista, com opção de encaminhamento do registro profissional junto ao Ministério do Trabalho e Emprego. As aulas começam em 15 de agosto, na Cidade Universitária (nas sextas-feiras à noite e sábados). As inscrições estão abertas e as vagas são limitadas. Agora, os radialistas profissionais da Serra que ainda não possuem o registro profissional encontram a oportunidade de regularizar sua situação. E para quem pensa em ser radialista, é uma oportunidade de entrar no mercado já com o registro junto ao Ministério.

Para ser um profissional do rádio, é necessário ter certificado de conclusão do ensino médio, ser maior de idade e fazer o curso profissionalizante de 300 horas, desenvolvido por instituição acreditada pelo Ministério, como é o caso da OSCIP Pe. Landell de Moura. No período de agosto/novembro, UCS-OSCIP Pe. Landell de Moura oferecem a qualificação profissional (com opção de registro profissional) para Produtor Executivo de Rádio e TV; Locutor para Rádio e TV; Operador de Mesa de Áudio (Tratamento e registros sonoros); Operador de Câmera e Editor de Videoteipe (VT). As aulas serão desenvolvidas pela equipe de professores da OSCIP, nas modalidades presencial e a distância.

As inscrições estão abertas até o dia 10 de agosto e podem ser feitas no site da UCS (http://www.ucs.br/site/extensao/comunicacao-social/). O investimento, conforme a atividade escolhida, varia entre 1.550 e 1.850 reais, parcelados em cinco vezes. Quem optar por mais de um curso, ganha o desconto de R$ 350,00 para a segunda inscrição.

Serviço:
Cursos de certificação para o registro de Radialista (diversas funções)
Inscrições: http://www.ucs.br/site/extensao/comunicacao-social - até 10 de agosto. VAGAS LIMITADAS.

Cronograma:

Produtor Executivo - Rádio e TV
aulas presenciais
15, 16, 22, 23, 29 e 30 de agosto; 05, 06, 12, 13 de setembro.
Locutor de Rádio e TV
Aulas presenciais -
15 e 16 de agosto, 12, 13, 19, 26 e 27 de setembro; 03 de outubro
Aula a distância - 20 de setembro (atividades a serem orientadas pelo professor)
Operador de Câmera
Aulas presenciais
15 e 16 de agosto, 12, 13, 19, 26 e 27 de setembro; 03 de outubro
Aula a distância - 20 de setembro (atividades a serem orientadas pelo professor)
Editor de VT
Aulas presenciais
15 e 16 de agosto, 03, 04, 10, 11, 17,18, 24,25 de outubro.
Operador de Áudio (Tratamento e registros sonoros)
Aulas presenciais
15 e 16 de agosto, 31 de outubro, 01, 07, 08, 14, 21, 22 de novembro.
Aula a distância - 15 de novembro (atividades a serem orientadas pelo professor)
Encerramento das atividades: 5 de dezembro.

Da FSB de 25.09.1991


Carlos Esquivel Bastos, que agora voltou a assumir a Comunicação da Prefeitura, quando era chefe da comunicação no governo de Collares.

de sao borja

e eu tenho que ouvir esta do capincho,ainda por cima(olides)

De: letier12
Para: olidescanton@bol.com.br

Sou Dilma e Vieira, Sou Cherine e Loureiro e ainda tem o "Lasiê" esse é o voto do "Letiê"

Letier Vivian
São Borja/RS

A ESPERANÇA DESARTICULADA

por Eron Duarte Fagundes

Heli (2013), filme mexicano de Amat Escalante que ganhou um prêmio no Festival de Cinema de Cannes, centra sua ação no árido interior mexicano de Guanajuato onde uma pobre família leva seus dias esperando talvez melhores tempos. No começo do filme uma moça do censo mexicano entrevista, à porta do casebre, Heli, o indivíduo que dá título ao filme. Com Heli moram a esposa, o pai, um bebê e a irmã de Heli, uma menina no começo da adolescência. É pela trajetória desta irmã que a vida de Heli e dos demais tomam um rumo inaudito. A menina tem encontros com um garoto com quem pretende casar-se. Este garoto traz a encrenca: sacos de cocaína roubados ao exército. Heli se revolta com a irmã e passa a puni-la. Mas a verdadeira punição vem depois, para todos: a máfia do tráfico descobre o roubo do material e sequestra toda a família, torturando-os; há inclusive uma antológica cena em que a genitália de um homem é queimada ao vivo pelos torturadores.

A irmã desaparece. A vida conjugal de Heli segue aos tropeções: irritabilidade e bloqueios sexuais comandam suas ações. Até que a irmã retorna, muda e grávida. Na última sequência Heli logra voltar a transar com sua mulher. Aposto ao plano do sexo, se mostra, num plano médio, um plano em que a irmã de Heli está abraçada ao sobrinho (o bebê) num sofá, dormitando ambos, e sobre este plano bucolicamente familiar continuam, a ecoar os gemidos orgásmicos de Heli. Seria a vida que, aos trancos e barrancos, recomeça para Heli e sua família? O sexo, depois do incêndio em testículos e pênis, é um bom ponto de partida.

da Folha Popular de Teutônia

Edson Brum inaugura comitê de campanha nesta segunda-feira, 4

O presidente do PMDB-RS, deputado Edson Brum - que concorre à reeleição à Assembleia Legislativa inaugura na segunda-feira, 4, às 18h, o seu Comitê Central de Campanha.

Localizado na Rua Duque de Caxias, 541, no Centro de Porto Alegre, o local funcionará também como ponto de distribuição de campanha.

A inauguração contará com lideranças políticas de todo o Estado, como prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, deputados e candidatos ao pleito de outubro.

Vieira é aplaudido por servidores e elogiado por concorrente em debate na Assembleia

O trabalhista Vieira da Cunha foi o único candidato a governador que participou, na tarde desta sexta-feira (1º), do debate promovido pelo AFOCEFE (Sindicato dos Técnicos Tributários do RS) e Sindispge (Sindicato dos Servidores da Procuradoria-Geral do Estado) no Teatro Dante Barone. Os candidatos Ana Amélia Lemos e Tarso Genro foram representados por seus vices, e José Ivo Sartori não compareceu para debater o tema “Os desafios do crescimento: o servidor público como ferramenta”.

Questionado sobre a valorização dos servidores da PGE, Vieira lembrou que, em seus mandatos de deputado estadual e federal, tem auxiliado nas conquistas dos avanços da categoria.

“É evidente que os servidores da PGE não têm sido valorizados, assim como todos os outros servidores, pois sequer cumpre-se o artigo 37 inciso X da Constituição, que assegura revisão anual na remuneração dos servidores públicos”, afirmou Vieira, aplaudido pelo público no Teatro Dante Barone. “Podem contar comigo! Com certeza os servidores da PGE serão reconhecidos e valorizados no nosso governo”, completou.

A segunda pergunta foi sobre o trabalho dos técnicos tributários. Vieira afirmou que tem muito orgulho de ter lutado junto a estes servidores para, hoje, a categoria ser reconhecida em lei.

“Se a gente não reorganizar as finanças do Estado, nós não vamos conseguir valorizar os servidores, qualificar a educação, investir em segurança, melhorar a situação caótica de nossas estradas. A dívida já é de R$ 50 bilhões”, opinou Vieira.

O candidato também lembrou que, quando assumiu a presidência da CEEE, a estatal passava por enormes dificuldades financeiras. Vieira, então, entrou em juízo para questionar os repasses que eram dados pela União à época. Quase 20 anos mais tarde, no ano passado, o governo estadual recebeu R$ 3 bilhões como resultado desta ação. E é esta mesma atitude que Vieira quer tomar em relação à dívida.

Em outro ponto do debate, ao ser questionado pela candidata a vice-governadora Abgail Pereira, Vieira foi fortemente apoiado pelo público ao falar sobre a falta de diálogo dos servidores do Estado com o governo Tarso:

“Eu tenho recebido dos servidores muitas queixas e reclamações sobre a dificuldade de ter acesso ao governador para tratar dos problemas das categorias. Vocês vão ter um permanente diálogo com o governador Vieira da Cunha, se me derem a honra de ser eleito, e as portas do Piratini estarão sempre abertas aos servidores públicos estaduais”.

Durante o debate, Vieira ainda foi elogiado pelo candidato a vice-governador na chapa de Ana Amélia Lemos, Cassiá Carpes, que disse que Vieira tem plenas condições de governar o Rio Grande do Sul, pois é um homem sério e parlamentar experiente.

“Lamentavelmente, tu vais pegar um Estado numa situação dramática”, completou, arrancando risos do auditório.

Cooperativismo foi assunto durante a manhã

Pela manhã, o candidato apresentou em Bento Gonçalves, na Serra, diretrizes do seu plano de governo para uma plateia de lideranças ligadas ao cooperativismo. O seminário foi organizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado do Rio Grande do Sul (Sescoop/RS).

Em seu discurso, Vieira lembrou o trabalho que comandou no Departamento de Limpeza Urbana de Porto Alegre, no fim da década de 80, quando incluiu a Cooperativa de Trabalhadores Autônomos de Porto Alegre (Cootravipa) no trabalho de limpeza urbana da Capital. Também recordou a parceria com as cooperativas de eletrificação rural na época em que foi presidente da CEEE. Por último, afirmou ser associado do Sicredi/MP, como forma de exemplificar que acredita e possui um compromisso histórico com o cooperativismo.

Vieira faz caminhada em Montenegro e participa de adesivaço na Capital

Candidato da coligação O Rio Grande Merece Mais (PDT, DEM, PSC, PV e PEN) ao governo do Estado, Vieira da Cunha teve um sábado repleto de atividades junto da militância e eleitores.

Em Montenegro, no Vale do Caí, ele comandou uma caminhada pelas ruas do centro da cidade ao lado do candidato ao Senado, Lasier Martins, do prefeito Paulo Azeredo (PDT) e de candidatos a deputado estadual e federal da coligação.

Após cumprimentos e fotos com eleitores, o grupo fez uma espécie de comício ambulante. Um carro de som acompanhava a caminhada e, com um microfone sem fio, os candidatos discursavam pela rua, chamando a atenção dos pedestres e trabalhadores do comércio.

A visita a Montenegro teve significado especial para Lasier, já que foi no município que ele viveu parte da juventude. Os momentos foram relembrados em um almoço na sede do Renner, time de futebol que o pai de Lasier, Antônio Pereira Martins, ajudou a fundar. O candidato a vice-governador, Flávio Gomes (PSC) também marcou presença no almoço.

À tarde, Vieira seguiu para a Capital, onde militantes promoveram um adesivaço no Largo Zumbi dos Palmares, também conhecido como Largo da Epatur. Grupos se organizaram para colar o material da campanha de Vieira e Lasier nos carros de eleitores que passaram pelo local. O candidato ao Piratini auxiliou na colagem dos adesivos e mais uma vez tirou fotos com a militância.

Durante a noite, Vieira participa da gravação de uma reportagem que será exibida na programação da TV COM.

O Novo Caminho para o Rio Grande: a maior aliança política deste pleito

PMDB, PSD, PSB, PPS, PHS, PTdoB, PSL e PSDC

A situação financeira do Estado e a necessidade urgente de controlar o déficit orçamentário, estimado em cerca de R$ 8 bilhões e um dos maiores entraves ao desenvolvimento do Rio Grande do Sul. Esta é a principal proposição a unir os oito partidos da coligação “Um Novo Caminho para o Rio Grande”, que sustenta a candidatura de José Ivo Sartori (PMDB) e José Cairoli (PSD) ao Governo do Estado e de Beto Albuquerque (PSB) ao Senado da República.

A maior aliança eleitoral e política do pleito deste ano no Rio Grande do Sul também apresenta um conjunto de 194 candidatos a deputado estadual e de 92 candidatos a deputado federal pelos 8 partidos. “É muito importante não apenas ganhar a eleição majoritária, mas desde o início buscar base e apoio político para governar com maioria”, ensina o coordenador-geral da campanha, o vice-prefeito de Porto Alegre, Sebastião Mello, que comanda também a estratégia na eleição proporcional, onde existe um casamento perfeito entre a majoritária e proporcional. “Temos o maior exército de candidatos a levar o nome de Sartori para todos os recantos do Estado”, completa ele.

“Um Novo Caminho para o Rio Grande” ainda apresenta uma plataforma de governo colaborativa, que pode ser conhecida e acessada através do projeto Conexões RS, no site www.conexõesrs2014.com.br ou pelo e-mail conexõesrs@conexõesrs2014.com.br . Ali, o eleitor, simpatizante ou não da candidatura, pode fazer sua contribuição e dizer o que gostaria de ver modificado na estrutura do Estado e na sua vida no Rio Grande do Sul. “Foi com plataformas digitais modernas que Sartori fez um governo inovador em Caxias do Sul, marcado pelo amplo apoio popular, o que lhe garantiu , por exemplo, uma fácil reeleição”, ressalta Mello, lembrando que Sartori deixou seu segundo governo na prefeitura com mais de 70% de aprovação popular.

José Ivo Sartori tem marcado essa campanha por apresentar-se com uma postura propositiva e apresentando propostas para o Rio Grande. Sartori tem 36 anos de carreira pública ininterrupta, sem qualquer acusação que possa manchar o seu currículo. Ele tem criticado o fato de o Estado ser penalizado pela centralização excessiva de recursos na União: “O Estado é penalizado nas suas finanças e remete quase tudo o que arrecada para o governo federal. Se não houver uma repactuação, os municípios continuarão tendo dificuldades”, diagnosticou.

O peemedebista enfatiza a necessidade de propostas sérias e com responsabilidade para o Estado. Diz também que é preciso que se pratique a boa política, sem ataques ou desqualificação de ações partidárias. “A maioria das pessoas coloca sempre a culpa nos outros. Precisamos trabalhar para o bem do Estado. O governo não é patrimônio de um partido ou organização política. Pertence a todos. Vamos caminhar rumo ao futuro, com passos seguros e firmes e, se possível, com a unidade de todos”, conclui.

Candidato a vice-governador, José Paulo Dornelles Cairoli preside também o diretório regional de sua sigla e está licenciado da Confederação Nacional das Associações Comerciais. Entre 1992 e 1995, presidiu o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), a convite do então governador Alceu Collares. “Nossa coligação vai estar à disposição do Rio Grande. É uma reunião de partidos e homens para servir o Estado, e não para servir-se do Estado”, ensina Cairoli, nesta sua primeira experiência político-partidária e eleitoral. “Governar é fazer a estrutura trabalhar, especialmente, para quem mais precisa.”

Candidato ao Senado pela aliança, Beto Albuquerque prega um novo caminho também na recomposição da dívida do Estado. “Somos o estado mais endividado do Brasil, devemos 210% de nossa arrecadação anual, e somos o último em capacidade de investir com dinheiro próprio”. E alerta: “O governo federal não pode ficar segurando o Rio Grande do Sul garroteado”. Para ele, o papel do senador é praticamente o de um governador, que deve zelar pelas necessidades do Estado. E defende que o RS tenha mais atitude na Câmara Alta.

de Serafina...

votos de pesar!

por Aline Chiodelli, da imprensa da prefeitura!

De: aline
Para: olidescanton@bol.com.br

CAPAZ QUE O SEU GUERINO É O TEU PAI . AQUELE SENHOR QUE FIQUEI SABENDO
NA SEMANA PASSADA, MAS NAO IMAGINAVA SER SEU PAI.

MEUS SENTIMENTOS. NEM SEI O QUE DIZER, MAS A VIDA É ESSA NÉ.
DEUS IGUALA A TODOS COM A MORTE.

GRANDE ABRAÇO.

ATT. ALINE THAIS CHIODELLI
ASSESSORIA DE IMPRENSA

1º de agosto de 2014

de Serafina

HISTORIAS DO MEU PAI

Um dos momentos mais tensos que vivi com meu pai foi pelo telefone, há exatos 4 anos atrás.Eu tinha lançado o livro COSI LA ZE STATA eum representante deuma familia da Capela São Pedro queria me processar.

Até aí nada demais....é um direito deles

E um direito meu me defender.

Pois uma tarde liguei pra Serafina, lá pelo meio da tarde e meu pai estava extremamente tenso...

- I te mete in preson( te poem preso!!) dizia num nervosismo que ao um velho de 80 anos não
é aconselhável.

Tentei ver a ele que escrever um livro dificilmente dá cadeia. Mas ele estava muito assustado....

Um morador da São Pedro o procurara, no mínimo a mando de um advogado, pra saber o que eu tinha...Era a senha do advogado pra ver se valia a pena ou não me processar.

Meu pai muito ingenuo ao invés de lhe dar um corridão, bota-lo porta a fora e chamar a polícia,- idoso tem proteção especial - foi dar-lhe trelha...O cara o deixou extremamente nervoso...

- Ele vive de aluguel, tentou ainda argumentar....

Aquilo me deixou muito preocupado, porque ao invés de me procurar e vir acertar contas comigo, foram assustar dois velhos de 80 anos. Achei muita covardia....

Enfim, não teve processo nenhum, o que não me assustaria...Na Justiça, me defendo.

Coloquei depois deste episódio uma nota no jornal local dizendo que todos os assuntos referentes ao livro eram pra ser tratados comigo, que sou o autor e o responsável pela obra e não irem procurar meus pais.

Nunca mais foram importuna-los.(Olides Canton)

Brizola

De: letier12
Para: olidescanton@bol.com.br

Não, nublado.
Bom texto da Ellen... sobre Brizola e a Legalidade.

Letier Vivian
São Borja/RS

do Rekern

de SB

capinhco abre o voto

De: letier12
Para: olidescanton@bol.com.br

Meu voto:

Presidente: Dilma - 13
Governador - Vieira - 12
Senador - Lasier - 123
Dep. Fed. Cherini - 1221
Dep. Est. - Eduardo Loureiro - 12412

Letier Vivian
São Borja/RS

Parceria e Truco

Capincho se prepara pra mais uma rodada de trago(olides)

De: letier12
Para: olidescanton@bol.com.br

Ontem recebi o convite para o "Parceria e Truco - 14ª Edição"
Tradicional torneio de truco, às margens do Rio Uruguai, no pesqueiro da Albaruska, mesmo local do Festival da Barranca.

Letier Vivian
São Borja/RS

De SB

Este festival do ' capincho' ai so tem homem que vai...Chi...que machismo!!!!(olides)

de SB

o festival este de parceria e truco custa 480,00 a inscrição. boa desculpa pra cachaçada. onde o ' capincho' toma 30 num dia.

PESAMES

Obrigado, eu sei que ele foi muito amigo do amantino montanari e uma das suas lembranças era que o então prefeito não lhe cobrou a retroescavadeira pra abrir um poço no fundo do potreiro onde os animais podiam ir beber água. no dia que ele foi pagar na prefeitura,amantino montanari lhe disse:

Cueste robe no se cobra( estes serviços não se cobram)Olides canton

De: jose arnaldo montanari
Para: deolhoseouvidos1@terra.com.br

Olides, nossos sentimentos pela perda irreparável.

Teu pai,Guerino,como era chamado foi muito amigo do meu, Amantino Montanari. Que tenhas muita força num momento como este.

Receba um abraço solidário. José Montanari e família.

serafina

De: lazaritur
Para: olidescanton@bol.com.br

Caro Olides. Registro minha solidariedade a ti e a teus familiares pela perda de teu pai.
Abraço a todos e conforto nesse momento de dor.
Fernando

ABRAÇO

oBRIGADO,ANTONIO(OLIDES)

De: Antonio Manoel de Oliveira
Para: contato@deolhoseouvidos.com.br

Só vi hoje no teu blog a informação sobre a morte do teu pai.
Um abraço forte, amigo, já que nestas horas as palavras não servem para nada. São ausências que nunca deixaremos de sentir, pelo resto da vida. Junta os pedaços e vamos seguir em frente. Te cuida, guri...

SOLUCIONANDO AS LIÇÕES DAS TREVAS

por Eron Duarte Fagundes

Por volta dos dezesseis anos de idade, o filósofo francês Blaise Pascal (1623-1662) descobriu, na biblioteca de seu pai, um complicado livro de matemática escrito por um dos luminares da época, Girard Desargues, e, mesmo com o aviso paterno de que se tratava de “lições das trevas” e que um adolescente como Blaise não entenderia, decidiu ler. Ali nasceu o matemático e pensador Pascal, que imediatamente escreveu, adolescente pois, seu Tratado sobre as seções cônicas, onde procurava solucionar as “lições das trevas” de seu antecessor Desargues. Um dos muitos ditos de Pascal ajusta o seguinte: “Toda a dignidade do homem está no pensamento.”

Roberto Rossellini, o grande cineasta italiano, ao rodar suas biografias pensadas sobre grandes filósofos para a televisão italiana no gesto final de sua filmografia, foi dar inevitavelmente em Pascal, donde resultou mais um magnífico afresco de ideias, tensões cerebrais e curvaturas históricas da passagem do homem pela terra. Blaise Pascal (1972), o referido filme televisivo de Rossellini (que se inclui naquela categoria a que se poderia chamar documentário de ideias, onde estão igualmente Sócrates, 1970, Santo Agostinho, 1972, e Cartesio, 1974), começa na juventude da personagem, justamente no momento em que, enquanto ajudava meio burocraticamente a seu pai no escritório, a obscuridade de Desargues emerge no cérebro de Pascal não para mergulhá-lo em idêntica obscuridade mas para solucionar estas trevas e dar-lhes luz e transparência. É mais ou menos o que faz o cinema tão simples quanto profundo, tão objetivo quanto espiritual de Rossellini ao mergulhar suas câmaras nos universos dos grandes e complexos pensadores ocidentais; aclarar as lições das trevas, eis o que sempre foi o gesto cinematográfico de Rossellini, desde o começo e permaneceu intocável até sua derradeira obra, O Messias (1976), que tratou com naturalidade duma figura vulgarizada e massificada como Jesus Cristo.

Rossellini incluiu em seu roteiro a descoberta de Desargues por Pascal, suas inquietações metafísicas, suas dúvidas avançadas, os aspectos obscurantistas da sociedade seiscentista que o cercava, o encontro pouco amistoso com um contemporâneo mais velho e famoso, René Descartes (1596-1650), que depois seria retratado por Rossellini em Cartesio. Mas o momento supremo da arte de Rossellini em Blaise Pascal é a longa, densa sequência final em que se dá a morte de Pascal; antes dela, ligada a ela, a decrepitude física precoce de Pascal, sua agonia marcada; o êxtase místico atingido por Rossellini nestas cenas o reelevam à categoria de o mais profundo dos criadores jamais produzidos pelo cinema e as expressões da agonia de Pascal são tão belas, agudas e perturbadoras quanto as da agonia da irmã doente em Gritos e sussurros (1972), do sueco Ingmar Bergman, feito também por aqueles anos.

Se em algum momento o cinema me alcançou instantes de um prazer perfeito, o “puro prazer” a que se refere o crítico gaúcho Hiron Goidanich nominando alguns filmes de seu deleite, é no cinema de Rossellini (e Blaise Pascal é este exemplar característico) que topo esta situação.

Vieira participa de sabatina no TCE

Candidato a governador pelo PDT, Vieira da Cunha participou de uma sabatina promovida pelo Centro de Auditores Públicos Externos do Tribunal de Contas do Estado (Ceape) nesta quinta-feira. A rodada de perguntas durou mais de uma hora, e ocorreu na sede do TCE, em Porto Alegre.

O primeiro questionamento foi sobre como Vieira conduzirá a escolha dos novos conselheiros do tribunal - as indicações partem do Governo do Estado e da Assembleia Legislativa. Ao responder a pergunta, ele assumiu o compromisso de garantir maior participação e transparência ao processo, para garantir sempre a melhor escolha.

Outra pergunta foi sobre a cooperação da Secretaria da Fazenda no fornecimento de dados que auxiliem o TCE no controle das contas públicas. Vieira afirmou que conta com o trabalho integrado da secretaria e do tribunal na fiscalização e combate aos crimes de sonegação.

A terceira pergunta foi sobre a dívida do Estado com a União, cujo contrato assinado no fim da década de 90 apontava uma dívida de R$ 7,5 bilhões. Cerca de R$ 17 bilhões já foram pagos, e ainda resta um passivo de R$ 50 bilhões, em números arredondados. Para responder, Vieira lembrou a cobrança da dívida do governo federal com a CEEE, cuja ação resultou em uma devolução de R$ 3 bilhões aos cofres da companhia, e que pode servir de inspiração para a renegociação da dívida.

“Há um projeto de renegociação que já foi votado na Câmara por nós deputados e está engavetado no Senado, a pedido do ministro Guido Mantega. Se o governo federal continuar insensível aos argumentos dos gaúchos, não restará outra alternativa a não ser a cobrança judicial”, afirmou Vieira.

Perguntado sobre a política para enfrentar o déficit da previdência, o Trabalhista afirmou que a fórmula para lidar com a questão deve ser encontrada após uma discussão conjunta com outros governadores, pois é um debate nacional que envolve também outros Estados.

Sobre a Saúde, os auditores do TCE afirmaram que o governo do Estado investiu 9,15% em saúde. O índice anunciado de 12,3% só é alcançado se forem contabilizadas as chamadas despesas controversas, que englobam gastos com os servidores, entre outros. Vieira afirmou que vai trabalhar para investir o índice de 12% em saúde, em respeito à população, que elege o tema como prioridade de ação do próximo governador.

Outra questão foi sobre educação e o fomento a pesquisas de desenvolvimento tecnológico. Ele afirmou que a prioridade será ampliar o número de vagas de escolas de tempo integral. Já sobre o inventivo à pesquisa, frisou a dificuldade de cumprir o que manda a constituição estadual. Em números redondos, 300 milhões deveriam ser investidos no fomento à pesquisa, quando o volume no último ano ficou em torno de 30 milhões.

Outros compromissos

Além do encontro com os auditores e conselheiros do TCE, Vieira manteve uma agenda repleta nesta quinta. Logo cedo, às 7h, ele tomou café da manhã com o candidato a presidente pelo PSC, Pastor Everaldo, que é companheiro de partido do candidato a vice-governador, Flávio Gomes.

O candidato do PDT também participou de um almoço com o Sindicato dos Técnicos Científicos do Rio Grande do Sul (Sintergs), onde apresentou propostas e respondeu perguntas elaboradas pelos sindicalistas. No fim da tarde, Vieira concede entrevistas a veículos de comunicação da Rede Pampa.

A agenda de Vieira para esta sexta-feira (01):

- 8h45min: Debate XVI Seminário Gaúcho de Cooperativismo. Hotel Dall’Onder, Bento Gonçalves

- 15h: Debate Sindispge. Teatro Dante Barone, Porto Alegre.

- 19h: Jantar Asdep: Bairro Azenha, Porto Alegre.

Estado não pode suportar R$ 4,5 bi a mais em empréstimos, diz Sartori

Foto: Luiz Chaves

O candidato a governador José Ivo Sartori (PMDB) afirmou nesta quinta-feira (31), ao acompanhar o presidenciável Eduardo Campos (PSB) em agenda em Porto Alegre, que o Rio Grande do Sul não pode conviver com uma dívida de mais R$ 4,5 bilhões em financiamentos, que será contraída até o final de 2014 para começar a ser paga no próximo ano. Disse ainda que o Estado também não pode continuar gastando muito além do que arrecada. “Conforme as projeções, o Estado chegará ao final deste ano com uma despesa de R$ 2,9 bilhões acima dos recursos em caixa. O total do déficit, em quatro anos, alcançará a soma de R$ 5,2 bilhões. E para cobrir esse rombo, o governo se vale de saques de depósitos judiciais, uma situação que não pode mais ser aceita”, sustentou.

Sartori disse que “a coligação O Novo Caminho para o Rio Grande tem a cara da mudança que os gaúchos desejam”. O peemedebista concorre ao Palácio Piratini apoiado por mais sete partidos: PSD, PSB, PPS, PHS, PSL, PT do B e PSDC. “Com estas siglas unidas em uma só frente, vamos transformar o quadro de estagnação e reverter a crise que assola o Rio Grande”, acrescentou.

Para Sartori, o Estado padece com o que ele chama de “federalismo distorcido”. O candidato quer dizer com isso que o governo federal não reparte de maneira justa com os estados o montante de recursos que arrecada, sendo que, nesse bolo, estão incluídas as transferências financeiras estaduais para a União. Além disso, conforme destaca o candidato, o governo federal amplia as suas receitas reajustando os tributos não repartidos com os estados – como PIS/Pasep, Cofins (Contribuição Social para o Financiamento da Seguridade Social), CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) e as contribuições sindicais.

“É necessário que se faça um alinhamento efetivo entre governo federal e estados. Isso deveria começar por uma harmonização de impostos, com a criação de um tributo único e de base ampla, repartido com os estados e municípios. Dessa forma, se poderia assegurar melhor qualidade na prestação de serviços públicos. E é preciso também ampliar a cooperação federal para execução de programas regionais de infraestrutura”, defende o peemedebista.

Sartori acompanhou Eduardo Campos e a candidata a vice-presidente da República Marina Silva em Porto Alegre, nesta quinta-feira, junto com o candidato a senador pela coligação O Novo Caminho para o Rio Grande, Beto Albuquerque (PSB). Pela manhã, Eduardo Campos esteve no 34º Congresso dos Municípios do RS, promovido pela Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), no Salão São José do Hotel Plaza São Rafael. Por volta do meio-dia, participou de caminhada na Rua da Praia, com a presença de candidatos da eleição majoritária da coligação O Novo Caminho para o Rio Grande e militantes. A agenda prosseguiu com encontro com dirigentes regionais da Federação de Trabalhadores na Agricultura (Fetag), plenária com dirigentes de associações de bairros de 40 municípios gaúchos e palestra para servidores da área de segurança pública, com o tema Pacto pela Vida. No final da tarde, foi inaugurado o Comitê Central Eduardo Campos e Marina Silva, na avenida Padre Cacique.

AGENDA DO CANDIDATO JOSÉ IVO SARTORI PARA 1º DE AGOSTO - SEXTA-FEIRA

PELOTAS E RIO GRANDE

8h às 21h30 - Acompanha o candidato a presidente da República Eduardo Campos (PSB) em roteiro nos dois municípios.

de Serafina

MICROCRÉDITO

A Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa, através da Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Econômico, em parceria com o Banrisul, a Secretaria de Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa (SESAMPE) e a Instituição Comunitária de Crédito da Serra, (Banco do Povo), continuam executando o Programa Gaúcho de Microcrédito em Serafina Corrêa. O Atendimento ao Público acontece somente nas TERÇAS-FEIRAS. A ação é muito importante para o desenvolvimento econômico do município, oportunizando o crédito no valor de R$ 4.000,00 que poderão ser pagos em até 24x, com juros de 0,41% ao mês. A procura de empréstimos por pessoas físicas é grande, mas é imprescindível ter CNPJ, pois o crédito é direcionado para os pequenos empresários. Os requisitos necessários são:
- RG
- CPF
- Comprovante de Renda
- Comprovante de Residência
- Orçamento, referente ao investimento (50% do valor do empréstimo).
- Ter um Avalista
Importante: O CLIENTE E O AVALISTA NÃO PODERÃO TER RESTRIÇÕES (SPC e SERASA)
• Atendimento somente nas TERÇAS-FEIRAS
Maiores informações pelo telefone 54-3444-1113 ou na Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Econômico, localizado na Rua Ipiranga, 2124 em frente à Corsan.



ARQUIVO

2007
           
 Set
 Out
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014

Abr01
Abr02

Jun01
Jun02
Ago01
Ago02
       



OLIDES CANTON - JORNALISTA E ESCRITOR

Nascido em 16 de Janeiro de 1952 na cidade de Serafina Corrêa-RS, Olides Canton passou nesta cidade toda a sua infância. Mudando-se para Porto Alegre, cursou a Escola Julio de Castilhos, tornando-se Bacharel em Comunicação Social pela FABICO/UFRGS em 1982. Trabalha como Jornalista desde 1970. Trabalhou na Companhia Jornalística Caldas Júnior, Jornal Zero Hora. No Jornal do Brasil e Revista Carga e Transporte atuou como free-lancer. Editor do Jornal de Bordo e Revista Fitness. Possui 9 livros publicados. Ganhou quatro prêmios de Jornalismo, um do Badesul, dois do Setcergs e um da ARI. Registro no Sindicato dos Jornalistas RS: 2776 - Registro Jornalista - Mtb 4959.

Telefone: (51) 3330-6803
e-mail: contato@deolhoseouvidos.com.br

Autor de inúmeros livros, Olides Canton firmou-se como um
exímio contador de histórias contemporâneas.
Conheça agora as obras do autor
© "de Olhos e Ouvidos"  -  Todos os direitos reservados
Os textos e imagens publicados neste site são de inteira responsabilidade de Olides Canton.


EDIÇÕES DO FITNESS

Edição 171 - junho 2014
Edição 170 - maio 2014

Edição 169 - março 2014
Edição 168 - janerio 2014
Edição 167
Edição 166
Edição 165
Edição 164
Edição 163
Edição 162

Edição 161
Edição 160
Edição 159
Edição 158
Edição 157
Edição 156
Edição 155
Edição 154
Edição 153
Edição 152
Edição 151
Edição 150
Edição 149
Edição148
Edição 147
Edição146
Edição145
Edição144
Edição143
Edição 142

Edição 141
Edição 140
Edição 139
Edição 138
Edição 137
Edição136
Edição135
Edição134
Edição 133
Edição132
Edição 131
Edição 130
Edição129
Edição128
Edição127
Edição 126
Edição125
Edição 124

Edição 123
Edição 122
Edição 121
Edição 120
Edição 119
Edição 118
Edição 117
Edição 116
Edição 115
Edição 114
Edição 113
Edição 112
Edição 111
Edição 110
Edição 109
Edição 108
Edição 107
Edição 106
Edição 105
Edição 104
Edição 103
Edição 102
Edição 101
Edição 100
Edição 99


ESTÃO À VENDA


Cidades vizinhas (A briga entre cidades gaúchas) • R$ 15


Cosi la ze stata (Breves histórias de Serafina Correa/RS) • R$ 20


Getulio Vargas, depoimentos de um filho (Maneco Vargas fala de Getulio) • R$ 20


Estradas do Rio Grande (A história da construção pesada no RS) • R$ 50

Mais a postagem. Procure pelo olidescanton@bol.com.br.


ANUNCIE NO SITE

Entre em contato conosco

Edições Anteriores do Blog



LINKS QUE RECOMENDAMOS

Correio Do Povo
Claudio Humberto
Diário da Fronteira

DAiário Popular
Enfato
Folha de São Borja
Informativo
RedeCidade
RSUrgente
Jornal A Hora
Jornal do Comércio
Jornal do Mercado
Jornal O Sul
Jornal Panorama Regional
Políbio Braga
Prefeitura de Porto Alegre
Prefeitura Serafina
Correa

Ricardo Noblat
Rosane Oliveira
Sindicato dos Jornalistas
SUL21
Vide Versus

REPORTAGENS ESPECIAIS

Veja em "Memória"