"Longos dias têm cem anos..."



15 de julho
de 2015

Plaza

estou chegando do papo no corecon. tri legal. informal e produtivo.

encontrei o geraldo das festas do sindiborracha....

o ajiro foi tri legal....

e os demais diretores tb

telefonei pro gal. tibério pra ir na minha palestra das estradas. este é galo. escreveu um livro sobre a operção passo do socorro. tenho dois. um autografado. mas ele não sai mais de casa. vou visita-lo qq dia destes.(olides)

 

ARI

ARI PROMOVEU O FORUM DAS AGUAS DE NOVO.

MIDIA NÃO DEU UMA LINHA

PO QUE SACANAGEM.....

* ARI TEM 80 ANOS...O GOULART SE ESMEROU E TEM UM LIVRO PRONTO SOBRE ISTO.

* SERÁ QUE UMA TRAMONTINAQ DA VIDA NÃO INCLUI ISTO NUM PROJETO CULTURAL..

* SE OVALTER GOMES FOSSE VIVO, EU IA FALAR COM ELE, DESDE QUE A ARI DEIXASSE CLARO.

* PQ ALI NA ARI O ASSUNTO É COMPLICADO. TEM AS CAPITANIAS HEREDITÁRIAS.(oc)

 

O Globo

BOA MATERIA DO GLOBO DE DOM PASSADO.OLIDES

 

Sul21

TEM MATERIAS QUE SÓ O SUL 21 FAZ...É QUE TEM REPORTER, ESTRUTURA..OS DEMAIS BLOGS SÓ LEEM JORNAIS.

 

VACA MUGINDO

O CELULAR DO BOELCKE ENCIMA DA MESA DA GUAIBA NO ESTUDIO PARECE UMA VACA MUGINDO...MATOU A PAU O NANDO GROSS QUE É SEU CHEFÃO.

* DIZEM QUE A GUAIBA TÁ COM BONS NUMEROS, OU SEJA, TÁ BOM DE AUDIENCIA.

* OLHA PARECE QUE É ....

 

IDA A GARRUCHOS

DE SB A GARRUCHOS NÃO VOLTOU O ONIBUS QUE FOI TIRADO PELA EMPRESA REGIONAL

AGORA PRA IR DE SB-GHARRUCHOS TEM QUE IR A STO ANTONIO DAS MISSOES uma hora e pouco valor 17,60 e de lá pra garruchos 21,35 reais.

de sb a santo antonio são uma hora e pouco e quem sai de sto antonio das missões a garruchos saindo as 16h30minutos chege as 18h30 minutos em garruchos.

pode-se sair as 13h34 de sb indo pra sto antonio e de lá fazer a baldeação pra garruchos. o total soma-se os dois trechos. pq a linha foi suspensa por casua do pouco movimento e das estradas ruins.

eu fiz 2 x esta viagem no verão passado. indo de sb-a garruchos. no carnaval e na feira do livro em março.

o onibus foi muito cheio tanto na ida como na volta. principalmente sb-garruchos tava cheio, mas era vespera de carnaval e outra x na 6 feira, dia de muito movimento.

(olides canton)

 

do mironneto.com

Deslizamentos interditam estrada para a Linha Moreira

As chuvas dos últimos dois dias interditaram temporariamente a estrada que liga a Várzea Grande à Linha Moreira. A Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil do município pede que condutores ou pedestres não transitem na via, pois há riscos de novos deslizamentos.
O volume de chuvas que corre da Serra em direção aos vales do Paranhana e Vale do Sinos fez com que vários bairros de Três Coroas e Igrejinha registrassem alagamentos nesta segunda-feira (13).

 

do Uol Economia

Discurso usado a favor de Collor há 23 anos é similar ao que defende Dilma

Reinaldo Polito

Lula Marques/Folhapress - 23.09.1992

O ex-deputado Roberto Jefferson foi internado na semana passada com febre alta. A notícia da sua internação dividiu espaço na grande mídia com informações sobre a possibilidade, remota ou não, de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O que tem a ver um fato com o outro?

Vamos começar pela última. Entre as possibilidades de impeachment da presidente estão as pedaladas fiscais. Se o TCU (Tribunal de Contas da União) rejeitar as contas do seu governo em 2014, terá decidido que Dilma não cumpriu a Lei de Responsabilidade Fiscal, e aberto caminho para o seu impedimento.

Se a presidente não convencer o TCU de sua inocência, o processo irá para o julgamento dos deputados, que, se seguirem a decisão do Tribunal, terão motivo para abrir o processo de impeachment. Se pelo menos 342 dos 513 votarem a favor do processo, Dilma será substituída pelo vice-presidente, Michel Temer. Se, em seguida, pelo menos 54 dos 81 senadores chegarem à mesma conclusão, seu afastamento será definitivo.

Ou seja, nessa hipótese, onde o julgamento é político, Dilma estará nas mãos dos deputados e senadores. Se não tiver maioria, será afastada e substituída pelo seu vice num primeiro momento, e destituída definitivamente após o julgamento no senado. Portanto, depois de todas as etapas do processo só sobreviverá no cargo se a maioria dos políticos estiver ao seu lado.

Onde entra a coincidência da notícia que fala da internação de Roberto Jefferson e da que trata do impeachment de Dilma? O fato remonta há 23 anos, quando, em 1992, o Brasil assistiu à destituição de Fernando Collor de Mello. Naquela oportunidade, Roberto Jefferson atuou na defesa do então presidente.

Em seu discurso de defesa, Roberto Jefferson fez uma profecia que pode se concretizar. Embora se referisse na época aos resultados de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) – a CPI do PC (iniciais de Paulo César Farias, tesoureiro da campanha de Collor), chamava atenção para o fato de que um presidente estaria sempre sujeito à vontade da maioria dos políticos, estando ou não com a razão.

Hoje, não se trata de uma CPI, mas sim de um julgamento com origem no TCU. Nos dois casos, entretanto, a permanência ou não do presidente depende da vontade da maioria dos políticos. A fala de Jefferson é uma peça de defesa que serve para o estudo da oratória e compreensão das técnicas de argumentação.

Observe os argumentos utilizados por Jefferson e como alguns, com pequenas variações, também são usados hoje na defesa de Dilma: "Fazer (a oposição) o terceiro turno eleitoral". Punir "a vitória pela minoria derrotada". Rasgar "os dispositivos constitucionais". Transformar "a CPI do PC (leia-se Lava Jato) no açoite contra o presidente". "Rasgar a Constituição". Agir pelos "preconceitos ideológicos".

São apenas alguns dos argumentos usados na tentativa de evitar o impeachment de Collor, e que começam a ser ressuscitados hoje com a intenção de fazer a defesa da presidente.

Para sua análise e compreensão da profecia de Jefferson, aqui está um dos trechos mais importantes do seu discurso:

"O furor acusatório da CPI, na expectativa de fazer o terceiro turno eleitoral, cheia de ressentimentos, cheia de revanchismo, buscando punir a vitória pela minoria derrotada, rasgou os dispositivos constitucionais, desrespeitou a lei ordinária, transformou a CPI do PC no açoite contra a figura do presidente da República.

Não se enganem aqueles que essa demonstração que foi dada hoje, que esse ato praticado de rasgar a Constituição, vai atalhar também quem chegar à Presidência e não trouxer a maioria absoluta no Congresso, porque não terá condições de governar, porque outras CPIs como esta estarão no seu caminho, não para apurar irregularidades, mas pelos preconceitos ideológicos, pelas posições doutrinárias em contrário".

Independentemente da culpa ou não do ex-presidente Collor, essa linha de argumentação usada por Roberto Jefferson impressiona (será?) pela previsão da nossa realidade política atual. Incrível como a história se repete com uma ou outra alteração, com um ou outro personagem, com uma ou outra circunstância.

Os discursos proferidos em diferentes épocas, além do aprendizado técnico da oratória que proporcionam, especialmente na aplicação das técnicas retóricas, poderão servir também para que compreendamos melhor o presente, e possamos avaliar com entendimento mais consciente o que teremos pela frente.

 

do Jornal Panorama Regional, de Veranópolis

 

de Serafina

Encontro Regional de Vereadores

O Legislativo Serafinense realizou, na tarde de terça-feira, 14 de Julho de 2015, um importante Encontro de Vereadores. Participaram do evento autoridades dos municípios de Guaporé, Gentil, Casca, Fagundes Varela, Vista Alegre do Prata, David Canabarro, Vanini, Vila Maria, Montauri, União da Serra, São Valentim do Sul, Dois Lajeados, Veranópolis, Vila Flores, Paraí, Nova Bassano, Santo Antônio do Palma e Serafina Corrêa. Inicialmente, o Vereador Paulo Massolini falou sobre a história do município de Serafina Corrêa, que completa 55 Anos, a imigração italiana e a língua co-oficial, o Talian. Em seguida, houve importante Palestra com o representante do Instituto Gamma de Assessoria a Órgãos Públicos – IGAM, André Leandro Barbi de Souza. Com o tema Ideias para Proposições de Iniciativa da Câmara, o palestrante falou sobre os atos de governo e salientou que a Câmara é a voz da sociedade, expressa a vontade do povo. Um Encontro muito importante, momento de troca de informações e experiências, dentro da Programação dos 55 Anos de Serafina Corrêa.

14 de julho de 2015

CORECON

VOU PALESTRAR NESTA 3 FEIRA NO CORECON, NO PLAZA, 6 E MEIA DA TARDE.

VOU FALAR DO MEU LIVRO ESTRADAS DO RIO GRANDE, BASICAMENTE. 15 MINUTOS É MOLEZA.

DEPOIS VOU TER QUE ME ESBALDAR COMO GASTAR O CACHE(rSRSRS...)

 

ANONINUS GOURMET

RBS ACHAVA SEU SALÁRIO MUITO ALTO

fORA DA rbs tV E DE OUTROS VEÍCULOS DA EMRPESA, JAPINHEIRO MACHADO, O POPULAR ANONIMUS GORMET, OU SIMPLESMENTE ANONIMIS, ESTÁ MAIS DESCONTRAÍDO.

quem priva com ele nota que está mais solto, leve e livre...
sem pressões.

- Estava muito pressionado,comentou dias destes ele com uma fonte .

Anonimus não tem queixas da RBS onde ficou 20 anos, quase 20. ia completar 20 em abril.

-O titulo de anonimus eles tinham registrado em seu nome. Mas eu negociei e fiquei com ele,adiantou ainda o comunicador.

Na RBS,quando foi chamado, disseram que seu salário era muito alto( ele confessou a esta fonte que era bom sim, mas não revelou os valores...)

- Sei fazer outros tipos de jornalismo, não só gastronomia teria dito ele a Nelson Sirotsky que foi quem conversou com ele.

Nelson lhe disse que seu programa não caberia mais na grade da TV Globo.

- Mas aí tu não podes continuar ganhando o que estás ganhando,advertiu Sirotsky.

Anonimus deu uma entrevista ao DG dizendo que não teria mais vontade de fazer jornalismo gastronomico. Enquanto isto suas ' manegers' - Linda e Márcia Lutz - foram ao SBT onde um ex-"RBS" as recebeu e demonstrou interesse em que o popular comunicador fosse pra lá.

Acertados, esperaram apenas a rescisão da RBS.

NOVIDADES

Mas vem novidades por ai. JAPinheiro Machado, o anonimus vai entrar com outros tipos de comentários no SBT. Aos conhecidos ainda não adiantou o conteudo, mas sabe-se que pode ser politica, ou outros temas.

Não se descarta até mesmo automobilismo, onde ele muito fez quando trabalhou na extinta CJCJ, na Folhinha da Manhã.

Por enquanto, Pinheiro Machado curte sua nova vida, mas descontraído e surpreso com a organização que encontrou no SBT e com a boa receptividade que vem tendo.(OC)

 

BSTIDORES DA SAIDA DO ANONIMUJS DA RBS

1. Foi iniciativa da empresa demiti-lo

2. Alegaram grade da TV Globo e salário alto(não sei qto ganhava)

3. enquanto zé antonio dizia que ia pra paris esccrever sua esposa e a cunhava procuraram o SBT pra negociar que logo mostrou interesse em te-lo na sua grade.

4. o contrato do SBT é bom. não conheço as bases.

5> eele entrará tb com outros comentários,além de comida.

6. Na RBS, ze antonio só faltava ter que varrer o chão, como se diz. entrava ao VIVO e tinha que ser ao VIVO no macedão, escrevia pra zh, apresentava o anonimus sobre comida , escrevia pro DG. ganhava bem mas tb tava cheio de tarefas.

7 num dos encontros com um diretor da empresa( não é da familia controladora) é um diretor executivo, -tenho o nome mas vou preservar - o diretor se saiu com esta:

- nós vamos renovar porque com o RUY(REFERIA-SE A CARLOS OSTERMANN) DEMORAMOS MUITO PRA TIRA-lo.

8 o nome anonimus do programa a RBS tinha registradfo pra ela. Ze antonio negociou pra poder usa-lo no SBT.

9 Não houve nenhuma baixaria na sua saída, pelo contrário.

10. a empresa ofereceu 14 mil reais de indenização. Na negociação, subiram um pouco.

11. vendo que o ze antonio foi pra outra emissora, alguns emissários da RBS teriam procurado o Ivan, irmão do Ze, pra conversar.

12. at´pe onde poude apurar, o zé está muito con ten te com sua nova casa.(OC)

veio como tou, mas n perdi meu feeling de reporter.graças a deus...(OC) tou dando exclusivas aqui sobre o anonimus.

 

do Diário Gaúcho

Esta ' historinha' que o zé contou pro DG me lembrou a historianha do walmor bergech, quando pediu pro MSS( mao-mao) umas férias pra ir pescar no rio taquari, pq ele é de estrela, ou era, pq é falecido.

Walmor na verdade estava indo a NY comprar equipamentos pra TV Difusora pra onde se bandeou. Só que o ' mao-mao' como o telminho curcio o chamava, mandou por um apedido na capa da ZH dizendo + ou - ' o mercado deve saber que este senhor não trabalha mais nba casa...."

alguns anos depois o FECorrea conseguir que os dois fizessem as pazes e Walmor voltou pra RBS(olides)

Anonymus Gourmet anuncia fim do programa de culinária na RBS TV

Apresentador fez sua despedida na manhã deste sábado, dia 28


Último programa do Anonymus foi ao ar neste sábado na RBS TVFoto: Reprodução / RBS TV

Ana Karina Giacomelli

ana.karina@diariogaucho.com.br

Depois de 20 anos ensinando a fazer receitas deliciosas na televisão, José Antonio Anonymus Gourmet Gomes Pinheiro Machado, 65 anos, que incorporou esse nome à sua carteira de identidade, realiza o último programa do Anonymus Gourmet na RBS TV.

O apresentador cheio de simpatia, que sempre mostrou um clima familiar na televisão com as participações especiais do sobrinho, da esposa e da cunhada, fez sua despedida na manhã deste sábado, dia 28.
José Antonio é advogado, jornalista e escritor, mas ficou conhecido no Brasil como o Anonymus por causa de seu Anonymus Gourmet, personagem de programas de rádio, televisão e de mais de 20 livros de receitas e histórias bem humoradas.

— Estou triste pelo fim do programa, mas feliz por conseguir mais tempo para fazer outras coisas que são importantes na minha vida — afirma.

Anonymus pretende descansar e finalizar o livro que está escrevendo, "O Senado e a Princesa", sobre a biografia do senador gaúcho Pinheiro Machado, considerado uma das figuras mais importantes da Primeira República.

— Preciso entregar esse livro para a editora até o mês de junho. Agora, terei mais tranquilidade para organizar as ideias e seguir em frente com meus projetos — salienta.

E para emanar ainda mais a inspiração, o escritor vai viajar para Lisboa e Paris com a esposa e fiel parceira Linda Lutz. José Antonio quer aproveitar o tempo para terminar sua obra e namorar um pouco.

— Pretendo unir o útil ao agradável. Vou terminar de escrever meu livro e a minha esposa ajudará na captação das imagens. Mas claro, aproveitaremos a viagem para passear e curtir esse tempo mais juntinhos — acrescenta.

 

do Diário Gaúcho

Anonymus Gourmet estreia em nova emissora a partir de maio Mateus Bruxel/Agencia RBS

Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Ana Karina Giacomelli

ana.karina@diariogaucho.com.br

O programa Anonymus Gourmet está de casa nova a partir do dia 9 de maio, véspera de Dia das Mães. Desde a saída da RBS TV, José Antonio Anonymus Gourmet Gomes Pinheiro Machado, 65 anos, que incorporou esse nome à sua carteira de identidade, negociava com o SBT RS. Agora, com contrato firmado com a emissora, Anonymus terá um quadro de meia hora, aos sábados, a partir das 12h15min. A ideia é manter o mesmo estilo de programa, com receitas fáceis e baratas, e toda sua equipe: Linda, Márcia Lutz e Alarico.

José Antonio é advogado, jornalista e escritor, mas ficou conhecido no Brasil como o Anonymus por causa de seu Anonymus Gourmet, personagem de programas de rádio, televisão e de mais de 20 livros de receitas e histórias bem-humoradas. Seu último programa na RBS TV foi ao ar no dia 28 de março. O apresentador trabalhou durante 20 anos na emissora ensinando a fazer receitas deliciosas.

Há pouco tempo, Anonymus contou que pretendia viajar para Lisboa e Paris com a esposa, Linda Lutz, para descansar e finalizar o livro que está escrevendo, O Senado e a Princesa, sobre a biografia do senador gaúcho Pinheiro Machado, considerado uma das figuras mais importantes da Primeira República.

— Preciso entregar esse livro para a editora até o mês de junho. Agora, terei mais tranquilidade para organizar as ideias e seguir em frente com meus projetos — disse.

 

JORNAL GENTE DA BAND COM NOVO FORMATO



Sergio Stock entrou hj no lugar do cascatinha

* diz uma fonte minha que cascatinha teria assoprado que pode ir o osiris tb. os dois passaram 10 anos às turras...

* osiris tá de férias.

 

JORNAL GENTE

DERAM UM PÉ NA BUNDA DO CASCATINHA,DEPOIS DE 12 ANOS. BOTARAM O SERGIO STOCK, QUE COMEÇOU HJ NA SEGUNDA.

* EU SÓ OUÇO MESMO NA 3,QUANDO FALA O RIGOTTO.

 

VEIO BORTOLON

vi na coletiva o perfil do bortolon...

* tentei ler pediram cadastro. não tenho saco de fazer isto.

* bortolon me ' livrou' qdo eu era seu subordinado na zh. fui pra NY e não vinha de volta nunca. tinha me apaixonado pela Big apple. pelos metros, pela gente de NY. e tava na casa de gente que me recebeu muito bem.

* um agourento dentro da zh vivia perguntando por mim...depois o gajo este agourento entroupro time do augusto nunes. mas hj tá fora tb. longos dias têm 100 anos....

 

SALINHA

ME DISSE O NELSON HJ QUE VÃO FECHAR NA 5 FEIRA A SALINHA JCTERLERA.

TUDO PQ UM COLEGA TERIA POSTADO UM POST-REDUNDANCIA,CLARO - FALANDO MAL DA MULHER DE UM PROMOTOR E O NEGOCIO BATEU NA PRESIDENCIA DA ALRS.

ELE TERIA MANDADO FECHAR A SALINHA.

* SERÁ VERDADE? JÁ OUVI ESTA CONVERSA MUITAS X....

 

Coleguinhas

AMIGÃO ESTAVA TRISTE NESTE SABADO PASSADO. TINHA ENTERRADO O PAI NA SEMANA PASSADA. QUE MORREU AOS 92 ANOS.

CLOIVS, SEU NOME, TRABALHOU MUITOS ANOS NA CMPA.

* LÁ CONHECEU MUITOS COLEGAS QUE EU TB CONHECI. COMO O QUINTANA, O MELCHIADES, E OUTROS...

* SE APOSENTOU.

COINCIDENCIA. SEU PAI FOI ENTERRADO NO JAZIGO 7.429 DO CEM DA SANTA CASA. DURANTE MUITOS ANOS TEVE UM COMERCIO NUM NUMERO 429, NA CIDADE BAIXA.

COMO DIZIA O TERLERA. QUE DESCANSE NA PAZ DO SENHOR.(oc)

O PADRE CONTINUOU NO JORNAL GENTE. É O ULTIMO DOS QUE COMEÇARAM O PROGRAMA MUITOS ANOS ATRAS...

* O AFFONSO DEPOIS DAQUELE PROCESSO QUE UM EMPRESÁRIO,Q UE FOI PRESIDENTE DA FIERGS, PAROU DE CUTUCAR GENTE COM VARA CURTA.

* NAQUELE X O AFFONSO DISSE NO CAMARA DOIS QUE O CARA AQUELE ERA ' CAIXA DO COLLOR AQUI NO SUL'.

* BAH, O CARA FOI ATÉ O FIM COM O PROCESSO.

 

Chuva

OS TEMPORAIS AFASTARAM AS GENTES NA RUA DA PRAIA ESTA MANHA CHUVOSA DE 2 F....

 

Curtas

EM FEV UM PASSARINHO TINHA ME DITO QUE HAVERIA PASSARALHO NA BAND....

* É PODE SER, COMO DIZ O ANCELSO GOIS, ALIÁS EXCELENTE COLUNISTA

FERNANDO LUCHESE É AVO.

* O VEIO ANTONIO, DO ANTONIO LANCHES, ACHO QUE SAUU DE FÉRIAS.

* CAPINCHO TB PRECISA DE FÉRIAS...

* MAS COMO SEMPRE TÁ SEM DINHEIRO. DEIXA TUDO NO CHINAREDO.

o pt inventou uma bom titulo pro gov do sartorn

' MEU PARTIDO É DESTRUIR O RIO GRANDE'....

 

Ocidente

A FESTA É NO SAB MAS HJ 2 F JÁ TAVA COM FILA PRA COMPRAR NO OCIDENTE.

 

lancheira do parque

meio que vazia nesta segunda e a polentinha dela por 7 pilas e meio...

 

Neta

minha neta está por pintar aí no Sul...

domingo falei com ela por fone.

* já tá uma moça.....

* e sua mãe virou a ' melhor mãe do mundo'.

 

CELULOSE RIOGRANDENSE PESTILENTA

agora são oito da noite de seg e um fedor de OVO PODRE TOMOU CONTA DE PETROPOLIS AQUI EM POA...ÉA FAMOSA BORREGAARD VOLTANDO. OU CELULOSO RIOGRANDENSE. GARANTO QUE AMANHA NÃO VAI TER NADA NOS JORNAIS. OLIDES

 

dos leitores

do espanha!

De: ald.contato
Enviada: Segunda-feira, 13 de Julho de 2015 16:30

Aquele acidente foi o Avião da Varig, o meu pai estava cobrindo Fórmula 1 na França foi quando aconteceu o acidente, eu tenho fotos do acidente.
Aguarda que vou te mandar

Espanha

 

do Correio do Povo

Nuvens de tempestade chamam a atenção de moradores de Torres


Esta é uma formação supercelular de tempestade, segundo a MetSul | Foto: Marcel de Rose / Especial / CP

Morador de Torres, Macel de Rose registrou nesta segunda-feira nuvens que parecem um funil no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Segundo a MetSul Meteorologia, é uma formação supercelular de tempestade. A foto foi feita perto das 9h e postada em uma rede social.

Apesar de a imagem ser impressionante, segundo o adjunto da Defesa Civil do Litoral Norte, sargento Ambrósio, a chuva é moderada em todo a região e, em algumas praias, não passa de uma garoa.

 

Charge

por Marcio de Almeida Bueno

 

República do Rock - 14/7

A edição de julho do projeto República do Rock faz parte das comemorações do Dia Mundial do Rock. Nesta terça-feira, dia 14, os shows serão do cantor e compositor Frank Jorge e do duo Phantom Powers. A programação começa às 20h, no Teatro Renascença. O ingresso é a doação de um alimento não perecível (mais detalhes no flyer virtual em anexo).

O Dia Mundial do Rock é lembrado em 13 de julho, data do megafestival Live Aid, realizado nos EUA e na Inglaterra em 1985.

 

Cinema

A BATALHA DO SÉCULO XX

por Eron Duarte Fagundes

O século XX foi um século agudamente ideológico. O século XXI não logrou extinguir a ideologia mas a dispersou ou coloriu diferentemente. A batalha de Argel (em francês, La bataille d’Alger; 1966) é um produto cultural do centro ideológico da centúria. O italiano Gillo Pontecorvo, famoso por este filme e depois por Queimada (1969), se situa à esquerda neste embate. Ao tratar a questão da Argélia, com roteiro de Franco Solinas, Pontecorvo volta seu olhar cinematográfico para uma simpatia para com o que sofre, especialmente o que sofre a repressão. A primeira sequência mostra uma cena pós-tortura: ele fora torturado para revelar onde estava um dos cabeças da rebelião argelina; é um pobre e magro argelino; o soldado francês resmunga por que ele não dissera antes, teria evitado tudo aquilo; Pontecorvo, por seu tratamento de imagem, pela articulação da montagem, pela força da elipse utilizada, deixa muito claro qual é o lado certo —a ideologia interfere.

No entanto, não bastaria a A batalha de Argel os ajustes com a ideologia de sua época para sobreviver à passagem dos anos e seguir fascinando o espectador de hoje. O que faz de A batalha de Argel uma narrativa semidocumental estupenda é que o realizador não se peja de utilizar tudo o que de melhor tem a linguagem cinematográfica para expor uma realidade crua. Pontecorvo é italiano, e, inevitavelmente, o neorrealismo rosselliniano brinca aqui e ali no jeito de encenar de A batalha de Argel. Mas vai mais além. Policializa o neorrealismo. Fere despudoradamente o olho do real. Pontecorvo, como o também italiano Elio Petri e o greco-francês Constantin Costa-Gavras, sabe inserir dentro dos momentos de realidade o momento de emoção que vem exclusivamente do cinema. Estabelece uma ponte e uma diferença entre a emoção do real e a emoção da imagem fílmica.

Alguns anos antes de A batalha de Argel o cinema de Pontecorvo se envolveu numa polêmica teórica. Esta polêmica foi orientada por um artigo crítico do francês Jacques Rivette, chamado “Da abjeção”. O mote da ferocidade crítica de Rivette foi o filme Kapo (1959), de Pontecorvo, especialmente o travelling que fecha a narrativa. Basicamente, Rivette punha em xeque aquilo que considerava como uma orientação artificiosa de Pontecorvo para o método documentário. A abjeção de Rivette vinha deste choque entre a linguagem e a brutalidade da cena. Em A batalha de Argel Pontecorvo faz isto o tempo todo, caracterizando seu filme como um exercício semidocumentário em torno de um dos dramas do século XX, a forma como o colonialismo europeu tem esmagado as manifestações do terceiro mundo. Esta realidade pode ter mudado de aspecto, em face da dispersão ideológica, mas subsiste, como se vê do terrorismo muçulmano recente na Europa. Curiosamente, em A batalha de Argel os árabes já praticavam os mesmos atos de terror que vemos hoje; espremidos pela colonização ocidental, o povo árabe só poderia responder com violência. Violência e repressão permanecem na ordem do dia. Em A batalha de Argel elas são uma constante.

Sinto, porém, que estou dispersando minha ideologia, antiga e atual, para com este grande filme de Pontecorvo. Como Pontecorvo e seu filme, sou produto de uma época. Como ainda estou vivo, as épocas que sucedem me transformam. Até certo ponto.

 

Hora de proteger o emprego

por Germano Rigotto, ex-governador do Rio Grande do Sul e presidente do Instituto Reformar de Estudos Políticos e Tributários

A crise econômica do país, infelizmente, está batendo onde mais a dor se faz sentir: no emprego. A taxa de desocupação tem subido nos últimos meses, chegando ao índice de 8,1%, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) há poucos dias. É o maior patamar da série histórica, que está sendo monitorada desde 2012. O contingente de pessoas sem ocupação subiu 18,4% em um ano, o que também é um recorde em toda a série da pesquisa. Em um ano, o contingente de desempregados cresceu 1,3 milhão. Isso totaliza, por exemplo, 8,2 milhões de pessoas de 14 anos ou mais sem vaga no país. Há uma pressão sobre o mercado de trabalho, sem o proporcional atendimento. Mais pessoas estão procurando postos, mas as ofertas estão menores.

Se os dados atuais são negativos, as perspectivas não apontam para caminho melhor no curto prazo. Acompanhando a queda cada vez mais significativa do Produto Interno Bruto (PIB), a empregabilidade deve seguir tendência de baixa. Estudos do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da Confederação Nacional da Indústria (CNI) apontam na mesma direção. O primeiro mostra que a economia brasileira sofrerá uma queda de 1,5% em 2015, um aumento de 50% em relação à previsão anterior. A recuperação do PIB ocorreria, segundo essa análise, a partir de 2016, mas em ritmo lento, na faixa de 0,7%. Já a CNI, que considerou a queda na atividade industrial e o aumento da inflação, reduziu as estimativas do PIB para uma queda de 1,6%.

É por tudo isso que veio em boa hora o Programa de Proteção do Emprego (PPE), enviando ao Congresso na última semana pelo governo federal. A principal novidade é a possibilidade de as empresas reduzirem em até 30% a carga horária dos funcionários, diminuindo o salário, por um período de seis meses. Parte da perda salarial será compensada pela própria União, que usará recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), num limite de R$ 900,00 por trabalhador. Ase empresas terão até o final do ano para aderir ao programa. Ainda falta definir o perfil dos setores econômicos que poderão participar da iniciativa, mas é certo que as organizações precisarão comprovar que efetivamente passam por problemas financeiros. E, enquanto estiverem no PPE, não poderão demitir funcionários que entraram na redução da carga horária, a menos que seja por justa causa.

A medida é positiva, até porque o governo gastará menos do que precisaria alcançar com seguro desemprego e perdas na arrecadação do INSS, diante de um cenário de demissões. Mas ela só ameniza o problema e nem de longe representa um enfrentamento incisivo da crise. É um curativo, tão-somente. Uma das maiores sangrias da nossa economia, afora as irresponsabilidades fiscais que foram cometidas, é a desindustrialização do país. Além da falta de uma política industrial de médio e longo prazo, nosso parque produtivo perde competitividade em função do Custo Brasil: inflação, juros, carência de infraestrutura, burocracia, elevada carga tributária… Nosso industrial sai em desvantagem já de casa no enfrentamento com os pesados concorrentes internacionais. E o pior é que há sinais de aumento da taxa básica de juros na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), a pretexto de conter a alta da inflação. Seria um erro, pois, além do custo para rolar a dívida – mais de R$ 300 bilhões ao ano –, isso frearia ainda mais a economia e determinaria ainda mais custo para as empresas.

O PPE é uma boa iniciativa, todavia a mais efetiva – e duradoura – de todas é o enfrentamento dos problemas estruturais do país. Veja-se a que ponto chegamos: mais de 60% das indústrias reduziram mão-de-obra por meio de lay off (suspensão do contrato de trabalho), férias coletivas, diminuição de turnos e demissões. Estamos mergulhados numa crise local e internacional. E, mesmo em tal cenário, continuamos fazendo arrumações pontuais, de curto prazo, sem um claro viés de futuro e sustentabilidade. Não podemos deixar que as taxas de desemprego continuem subindo, sob pena de vermos o país sacudir social e institucionalmente. Fazer um freio de arrumação em nossa economia é algo correto e necessário, mas essa meta não pode ter como preço a degradação dos postos de trabalho. É preciso proteger o emprego.

 

de Serafina

No dia do Município terá música, bolo e muita alegria!

A Cidade Simpatia, Capital Nacional do Talian, completa 55 Anos! No sábado, 25 de Julho, Dia do Município, a Prefeitura Municipal e a Câmara de Vereadores estão preparando uma grande festa para toda a comunidade, com o apoio de diversas empresas serafinenses. A partir das 14h, no Ginásio Municipal Valdomiro Castro, Bairro Gramadinho, acontecerá a apresentação e gravação do Programa Galpão da Amizade, com a Rádio Rosário AM, e a participação dos talentos locais. Lembrando os 55 Anos de Serafina Corrêa, empresas serafinenses estarão oferecendo 55 bolos para a comunidade. Será um momento de confraternização e muita alegria. Para completar essa tarde de festa, haverá apresentação da Orquestra Municipal de Travesseiro e mateada. Serafina Corrêa, 55 Anos! Vamos comemorar juntos essa história é de todos nós!

 

Entrega Oficial da Praça do Bairro Planalto

Qualidade de Vida é a união de diversos fatores que nos proporcionam bem-estar físico, mental, psicológico e emocional, além de relacionamentos sociais com a família, amigos e comunidade. Pensando nisso, a Administração Pública Municipal oferece espaços como a Praça do Bairro Planalto, local de integração, de saúde, diversão e lazer. No sábado, 11 de Julho de 2015, a Prefeitura de Serafina Corrêa realizou a entrega oficial da Praça do Bairro Planalto. Localizada ao lado da Unidade Básica de Saúde, o local é um importante espaço, com brinquedos, academia ao ar livre e bancos, para integração e lazer da comunidade. A cerimônia contou com a presença de autoridades locais, Léo Clube e Rotaract, CTG Sinuelo da Serra e CTG Galpão da Saudade, além de moradores.

Durante a solenidade, o Prefeito e o Vice-Prefeito, juntamente com dois estudantes da Escola Estadual Geny Pinto Cadore, Gustavo Eduardo Feltrin e Bruna Bison Orso , realizaram o plantio de uma árvore, símbolo da VIDA, transmitindo a mensagem do amor à natureza e também representando todas as milhares de árvores que foram plantadas no município, dentro do Projeto Serafina Mais Verde! Foi um momento de integração, de muita alegria, entregando oficialmente mais uma importante obra para a comunidade serafinense.

 

Abertura Oficial da Programação em Silva Jardim

Centenas de pessoas participaram do Jantar Italiano no Distrito de Silva Jardim, na sexta-feira, 10 de Julho de 2015. O tradicional evento marca a abertura oficial da Programação de Aniversário de Serafina Corrêa. Com a presença de autoridades de toda a região, o Jantar teve grande participação da comunidade do Distrito de Silva Jardim e dos municípios vizinhos. O Prefeito Municipal Ademir Antonio Presotto destacou, em seu pronunciamento, a força produtiva do Distrito, além de ressaltar os grandes avanços da comunidade, como a ampliação do Posto de Saúde, academia ao ar livre, bem como a emenda parlamentar destinada à pavimentação, na ordem de R$ 250 mil. Também salientou que é uma honra estar, novamente, realizando a abertura oficial da Programação no único Distrito do município.

As Soberanas e a Comissão Organizadora do Festipizza, lideranças da ACISCO, estiveram divulgando o Festival que acontecerá nos dias 17, 18, 24 e 25 de Julho, no Ginásio Irceu Antonio Gasparin. A Secretaria de Turismo, Juventude, Esporte e Lazer, juntamente às demais Secretarias envolvidas, agradecem a comunidade de Silva Jardim pela receptividade e pelo maravilhoso Jantar que foi carinhosamente preparado pelos moradores do Distrito. Para abrilhantar a noite, houve muita música, com a Banda Zabadak.

 

VII Conferência Municipal de Saúde

A área da saúde é uma das mais delicadas e importantes ações que a Administração Pública tem se preocupado. A Secretaria de Saúde de Serafina Corrêa, juntamente com o Conselho Municipal de Saúde, promoveu, no sábado, 11 de Julho de 2015, a VII Conferência Municipal de Saúde. Com o tema: Saúde Pública de Qualidade para cuidar bem das Pessoas: Direito do Povo Brasileiro, a Conferência foi um importante momento de debate, de troca de informações e de planejamento de ações que busquem a melhoria dos serviços prestados na área, para toda a população. A Conferência aconteceu na Escola Municipal Leonora Marchioro Bellenzier e contou com a presença de autoridades, profissionais da área da saúde, servidores públicos, imprensa e demais participantes da comunidade.

 

JOGOS DE INTEGRAÇÃO RURAL E VETERANOS 35 ANOS

Estão abertas as inscrições para o Campeonato Municipal de Futsal 2015 Jogos de Integração Rural e Veteranos 35 Anos. As fichas podem ser retiradas na Secretaria Municipal Turismo, Juventude, Esporte e Lazer, Rua Ipiranga, em frente à CORSAN, até o dia 24 de Julho de
2015, sexta-feira. Devolução das fichas devidamente preenchidas com o valor da inscrição
dia 30 de Julho e reunião com os responsáveis das equipes no dia 03 de Agosto, às 19h com os representantes dos Veteranos 35 Anos, e às 19h30min com os representantes dos Jogos de Integração Rural, na sala de reuniões da Secretaria Municipal de Turismo, Juventude, Esporte e
Lazer. Previsão de início do campeonato para 06 de Agosto.

Valor da inscrição:
R$ 150,00 (Cento e Cinquenta Reais) por equipe do Veteranos 35 Anos.

Promoção: Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa
Realização: Secretaria Municipal de Turismo, Juventude, Esporte e Lazer
Apoio: Conselho Municipal de Esportes

 

CAMPEONATO MUNICIPAL DE BOLÃO 2015

PONTUAÇÃO INDIVIDUAL FEMININO
ATLETA
1ª RODADA
2ª RODADA
TOTAL
NEIVA DONATTI
162
165
327 - 1º
LUCI VICARI
160
165
325 - 2º

PONTUAÇÃO INDIVIDUAL MASCULINO
ATLETA
1ª RODADA
2ª RODADA
TOTAL
SERGIO GHIGI
179
179
358 - 1º
JACIR BRUGNERA
179
176
355 - 2º

PONTUAÇÃO DUPLAS MISTO
ATLETA
1ª RODADA
2ª RODADA
TOTAL
LUCI VICARI
160
165
680 PINOS 1º LUGAR
JACIR BRUGNERA
179
176

INES CENSI
143
160
661 PINOS 2º LUGAR
SERGIO GHIGI
179
179

A entrega da premiação aconteceu no sábado, 11 de Julho, no Pavilhão de Esportes do Clube Social e Cultural Gaúcho.

Promoção e Realização:
- Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa.
- Secretaria Municipal de Turismo, Juventude, Esporte e Lazer.
Apoio:
- Conselho Municipal de Esportes
- Clube Social e Cultural Gaúcho


13 de julho
de 2015

ja vi

a VEJA tá muito requentyada sobre a corrupção. na realidade, não há nada de novo....

O GLOBO DE DOMINGO

UMA BOA MATERIA SOBRE TORTURAS EM DELEGACIAS.....

O GLOBO DE DOMINGO TRAZ BOA MATERIA COM O UNICO SOBREIVENTE DO VOO DA VARGI DE 1973 QUE MORREU REGINA LECLERY E FELINTO MULLER, PERTO DE PARIS. O PILOGO SOBREVIVEU E ENCONTRA O UNICO PASSAGEIRO QUE TINHA ENTÃO 21 ANOS. GRANDE HISTÓRIA. CONHEÇO DETAHES DAQUELE ACIDENTE.

 

ja bom fim

peguei neste sab no antonio lanches, o jornal do bicudo, o ja bom fim....muito bom, trata apenas de assuntos do bairro, menos o editorial que defende A PERMANENCIA DA PRESIDENTA ELEITA PELO VOTO POPULAR...(oc)

 

Lava-jato

PO E VAI SOBRAR PRO CESARE BATTISTI?????

 

policial

os advogados dos que estão sendo procurados pela polícia tem medo do gordo da record....

- estes dias um cliente meu tava tomando ganho em cachoeira do sul na sua casa quando se deu conta tava um camara do programa do gordo filmando ele dentro do chuveiro. ele disse: perai aí, tou aqui tomando banho, o que é isto.

a teve tinha acompanhado a batida dada pela policia que ia prender quem tavam procurando..

 

Bar do Nelson

ao que se sabe, o nelson, do bar do nelson, ainda estaria detido....

* foi preso meses atrás. tinha um bar na anita...

 

Tasca X aires

tasca, do agapio, deu um anuncio pro mapa do aires...agora n consegue + se livrar...cada mapa que sai, lá est´pa o anuncio do agapio....

* os gringos se entendem....

* rech agora está tb na FM....

* tem como contratado que o ajuda o Mauricio Freitas ex-guaiba.

* liguei pro luigi da rodoviária. Me aconselhou a sp que for fazer fotos,a visa-lo. é que lá mandam vários....

* então tá...esclarecimentos feitos.

* este treco que aconteceu comigo( 2 x fui advertido por estar fazendo fotos) é o tipo de coisa que não precisa. mas é bom que aconteça. aí se esclarecem as coisas...

* qdo deu o rebu, o bicudo me aconselhou levar o assunto pra ari....ia ficar 5 anos esperando resultado.

* aliás o goulart fez um livro sobre os 75 anos da ari. até hj não acharam patrocinio....

* e olha que deve ter gente interessada nisto, embora não é tão facil, como parece..

* eu vou lançar um livrinho sobre a emancipação de serafina. assim mesmo do meu bolso....não é mole pequena achar o PAITROCINIO.....

 

Coleguinhas

o colega Clovis, o amigão da camara municipal de poa - estava chateado neste sábado. é que tinha enterrado o pai dias atrás.

Nossos pesames ao colega.

Marley Soares está com Alzheimer.

 

o que rola por aí....

Bicudo desceu do onibus menino deus na 6 ultima e foi pra sua editora....

* nos ultimos tempos ele está mais em floripa do que em portinho

* e seu livro do cirne lima está meio que esgotado. não se acha...

* editora letra e vida está sendo desativada. era do antonio suliani, que4 faleceu dias atrás....

* suliani tinha um desejo. editar um material que ele conhecia de fotos, um dia´rio que há no interior sobre a coluna prestes.

 

o que rola por aí...

Glei Soares continua seu ritmo de muita festa....

além de cuidar da sua mãe....

* Tamara da costa pereira, que faz uma coluna no correinho, cuida da ari também....

* tem um fórum das águas na ari, ou já foi....

* dia 24, turma de jornalistas deve ir ao festipizza em serafina...

* dia 25 tem outra festa:vinhos e queijos em tramandaí....

* haja dieta que chega....!!!!!

* festiqueijo é quase 100 reais o ingresso....

Batendo em criança

vi neste sábado, infelizmente, um senhor de já adiantada idade dando uns bifes numa criança de não mais do que 4 anos...

na saída de um clube aliás bem conhecido.

do lado o que imagino seja a mãe, não fez nada.

a criança sentou numa muradinha pra chorar.

e não eram vileiros, não,e ram de classe média.

* então fica assim: depois falam de tres passos, não sei o que.

* vi a cena e mostrei pruma faxineira que limpava as paredes que ficou quieta.

* é ainda tem tudo isto no mundo...batendo em criança de não mais que 4 anos..

* ele dava porrada na criança e dizia:

- porque esta criança, pelo visto a guria tinha aporrinhado no almoço ou então não sabia se queria ficar,ou sair.

_ mas convenhamos isto é motivo pra surrar uma criança assim. é tem disto tb(OC)

 

do Centro


fim de tarde com show de choro no santander..


aquele sujeito de costas é motorista dos onibus que ficam na leonardo truda. eram 5 da tarde de hj,domingo,q uando ele mijava ancorado na banca de jornal.depois foi em direção ao onibus....
não há banheiros no centro,sempre digo isto.


vi muito brigadiano no centro no sabado.na pr da alfandega, na julio, sempre em dupla...

no dom não vi um só brigadiano no centro no fim da tarde.

 

PORCA VEIA

o gaiteiro, que é de lagoa, mora em ivoti.

* estes tempos o prefa de caxias, foi lá comer um churr4a com 14 comensais mais.

* rolava a boemia geladinha....

* e um fofoqueiro que foi lá viu um ' monte' de peruca na garagem...

* o gaiteiro então usa peruca....que mal tem se o cara gosta disto.

* porca veia tá aposentado.

* seu ultimo show foi em caxias....

 

saude....

na coletiva do magrão da semana passada, não imaginei que fosse manchete dos jornais no outro dia, pelo menos a manchete maior...

* mas saúde é saude....

* na 6 o filho da rosa, que faxina aqui em casa, foi internado na sta casa..na emergencia....mas sp consegue qdo precisa...

* o rapaz é transplantado.

 

ainda a rodoviária

no dia que mandei mail pra guaiba, pro mendelski - so mando pro otto bede, que é o produtor de lá - otto tentou achar o daer pra falar. tudo dormindo,ou ainda desativados. tentou a segurança da rodoviária, tb não.

* ai chegou o dal pizzol na rádio pra falar de futebol e da padaria aquela que ele não para de falar9deve ganhar um farroupilha lá, ou também tem patrocinio....)

* ai o luigi ligou pra ele...(podem me ligar,disse o gherrente da rodoviaria))

ai o mendelski se babou todo, tirando sarro do otto:

- viu vcs não conseguem nada, ele consegue logo....

* me lembrei do pedro simon, que na frente dos seus secretários dizia:

- eu precisava um secretaria assim,quando o vinicius gomes pinto, do dner ia lá levar resultado de obras...

intriga funciona tb....

na minha conversa com o luigi, na 6 de manhã, fiz questão de lhe dizer que fui eu que mandei o mail pro mendelski. ele não sabia...ou não lhe disseram.acho que a segunda é a mais certa...(olides)

 

SARTORON DAS MASSAS....

TÁ CAINDO DE MADURO UM CHARGISTA INVENTAR UM PERSONAGEM

SARTORON, O CHORÃO.....

* QUEM SABE ALGUM AÍ SE AHABILITA.

* ESSE GRINGO SÓ CHORA.

* PARECE UM IRMÃO MEU QUE SÓ CHORA.....

 

marcopolo

na ida a marcopolo, senti saudades do meu amigo EDISON FORTES PUNTEL, que editou uma revista muitos anos em sp e pra quem eu fazia frilas.

- canton, seo ' baitola' me telefonava ele, ( não tinham mail ainda) vai lá e faz esta matéria.

na hora do almoço, pedi ao barto me acompanhar num brinde a memória do puntel.

o barto topou....

puntel de dia era o homem mais sério que conheci na vida. porém quando saía do serviço, caía na gandaia. dava encima até de telexista...(olides)

 

MARCOPOLO

rescaldos da nossa ida lá na 3 passada....

1. a fábrica tá com 50% de sua produção parada...nãot em pedido...

2. quando perguntei ao dir. paulo corso(será parente da diana???) qtos turnos eles tem, ele me disse:ainda dois. significa que tão pensando em por apenas UM???

3. NADA TÁ TÃO RUIM, QUE NÃO POSSA FICAR PIOR.

4. na argentina, a marcopolo tá bem

5. Marcus Coester procurou a marcopolo pra fabricar o aeromovel. eles não quiseram

6. a marcopolo acredita que as energias limpas são bem vindas, principalmente ' este negocio de ecologia entre os jovens"

7. mesmo com todo este cenário, a empresa investiu entre 2013 e 2014 , 400 milhões de reais.

8 ' passamos por muitas crises' disse o diretor corso. no egito(primavera arabe) na colombia( as farc)entre outras.

9. engraçado: nos onibus rodoviários, um dos quisitos mais solicitados de melhoria são os banheiros.

- parecem banheiros de hotel, comentei eu,quando projetaram os onibus.

- é que muito passageiro espera entrar no onibus pra ir ao banheiro, pq os das rodo´viarios são imundos....( e em algumas são mesmo...e os passageiros não ajudam a conservar a limpeza mesmo...)

 

Cinema

A PROVÍNCIA AMERICANA

por Eron Duarte Fagunes

Sabe-se que a metrópole também tem sua dose de provincianismo. Ainda que imagine que seus aspectos provincianos sejam fonte de universalismo. É o que me ocorre ao ver certos filmes americanos, ao deparar com o jeito de filmar de certos cineastas de lá. Cameron Crowe volta a atacar em Sob o mesmo céu (Aloha; 2015), um típico drama do interior da América, em que o realizador se esforça por costurar uma série de eventos emocionais e dramáticos que em momento algum apresentam a unidade que sempre se espera dum cinema mais ou menos clássico como é uma produção americana típica.

Os azares e os dilemas das personagens são expostos por Crowe com alguma crueza e, apesar de um ou outro pudor narrativo, uma indisfarçada vulgaridade. O melodrama se instala incomodamente. E os atores, frágeis como quê, ajudam a incorporar o constrangimento melodramático. Bradley Cooper parece estar constantemente à beira de fazer desabar a estrutura dramática. Emma Stone e Rachel McAdams figuram ressuscitar certos melodramas intermediários da América dos anos 70: desajeitadamente. Mesmo as experiências de Bill Murray (um bom ator) e Alec Baldwin (um tipo meio presunçoso em cena) não salvam a pátria americana.

 

do Sul21

Um local de Porto Alegre: a Ladeira Livros de Mauro Messina

Milton Ribeiro (*)

Foto: Guilherme Santos/Sul21

Quem mora em Porto Alegre e ama os livros, provavelmente conhece Mauro Messina. Sócio do sebo Ladeira Livros (Rua Gen. Câmara — mais conhecida como Rua da Ladeira –, nº 385, no chamado Centro Histórico), Mauro fez dois cursos na Ufrgs e outro na Fapa, indo quase até o final de cada um deles. Porém, para extrema decepção de sua mãe, não se formou nem em Ciências Sociais, nem em Geografia e muito menos em Administração de Empresas, apesar de ter mais ou menos se sustentado nos corredores da Universidade Federal e da Fapa. Em compensação, conhece livros – objeto e conteúdo – como poucos, dando palpites certeiros sobre aquilo que os clientes devem (ou não) ler, além de irritar todos os colorados que vão à livraria com um gremismo daqueles bem barulhentos e nojentos – opinião deste que vos escreve.

Para quem olha da rua, a Ladeira Livros parece pequena. A sala da frente não é grande, mas há 40 mil livros lá para trás. Enquanto a chuva batia forte na General Câmara, fazendo os clientes entrarem fechando rapidamente seus guarda-chuvas, Mauro falou ao Sul21 como sempre faz — sorrindo muito e interrompendo seus discursos com risadas altissonantes.


Foto retirada do perfil do Facebook de Mauro Messina

A história da livraria começa lá nos anos 80. Mauro fazia bicos com Adeli Sell numa banquinha que ficava embaixo do viaduto da Borges, um sebo. O espaço era mínimo para os dois militantes da tendência petista ‘O trabalho’. Lá, o estudante secundarista Mauro vendia broches e adesivos do PT. Então, começou a botar uns livrinhos ao lado. Em 1988, conheceu Fernando Schüller, coordenador de literatura na Prefeitura. E começou a vender livros nos sábados pela manhã, durante os Encontros de Sábado na secretaria municipal de cultura. Quando entrou na Universidade, mudou para a Convergência Socialista. Cursava administração na Fapa. Em 1991, foi trabalhar como funcionário do livreiro e escritor Arnaldo Campos, o lendário dono da Porto do Livro, no Campus Centro da Ufrgs.

No mesmo ano, passou no vestibular da Ufrgs para Ciências Sociais. Ficou dois anos com Arnaldo, apesar de que o dono da livraria estava sem dinheiro e com problemas para pagar a pensão da ex-esposa. Era a época pré-plano real, a inflação corroía tudo e a ex-mulher do livreiro frequentemente ligava pedindo o pagamento da pensão. Arnaldo se deprimia e dizia dez vezes por dia para Mauro: ‘’Desiste do ramo. Eu sei que tu gosta, mas não faz como eu, faz algum concurso, pega uma estabilidade.’’ E Mauro respondia que não tinha como. Aí passava um tempo, o livreiro atrasava novamente a pensão e a mulher voltava a ligar. Ficavam meia hora no telefone. Aí ele se estressava e chamava o funcionário para o Bar do Antônio. ‘’Larga, Mauro! E não casa. Mas, se tu for burro e casar, não te separa”’. Contudo, quando Mauro inaugurou a Ladeira Livros em 2006, Arnaldo visitou o ex-pupilo. Estava todo feliz.

Mas não nos adiantemos. Em 1993, Mauro ficou desempregado. Sabia que algumas livrarias tinham armários de livros nos corredores da Ufrgs e ele pensou que poderia fazer o mesmo. Convidou um amigo e começaram a vender livros nos corredores do Campus do Centro. O nome da livraria era Sagarana. Ele já tinha contato com algumas editoras e alugou uma sala na Dr. Flores para o estoque. Também vendia livros na Fapa, dentro do mesmo esquema. Os livros eram novos, recebidos em consignação. O corredor ficava cheio de gente nos intervalos. Ali, Mauro discutia política, futebol e vendia seus livros.

Foto: Guilherme Santos/Sul21

Trabalhava também no curso Unificado. Amigo do professor Sergius Gonzaga, chegava ao cursinho na hora do intervalo. Sergius colaborava, avisando-lhe do livro que recomendaria em sala de aula. Na saída… Mesmo assim, o maior ponto de venda era dentro da Ufrgs. Um dia, tentaram acabar com a banca de livros de Mauro. Era ilegal. Um abaixo-assinado dos alunos garantiu a continuidade. Mas depois não houve jeito e ele teve que sair.

“Eu saí lá em 2001 e não sabia o que fazer, simplesmente não esperava que acontecesse. Aí eu fui ali no Flores, que vendia discos na Borges, embaixo do viaduto. Cheguei nele e disse que tinha uns livros pra vender no espaço dele. Trouxe meu armário. Ele vendia discos e eu livros. Naquela época eu estava negociando um espaço no Campus do Vale lá na Ufrgs. Fui para lá, mas nos dois lugares vendia pouco. Foi um período bem complicado”.

A Ladeira Livros começou em 2006. “Os proprietários da Nova Roma estavam fechando a livraria na Gen. Câmara (a popularmente chamada Rua da Ladeira) e me disseram que se eu quisesse poderia trabalhar lá. Levei meu pequeno acervo de 600 livros e me mudei. Peguei livros novos em consignação e comprava bibliotecas de forma parcelada, etc. Fui levando a vida”.

Foto: Guilherme Santos/Sul21

A Estante Virtual já existia há um ano e Mauro quis aderir, só que não tinha computador. Fazia o cadastro de seus livros numa lan house. Lá, também descobria o que fora vendido. E concluiu que não poderia ficar fora das redes, apesar de achar um saco cadastrar tudo. Estava complicado pagar o aluguel do novo espaço. Então, três estudantes amigos meus deram a ideia de dividir o aluguel e transformar parte do local em cafeteria. Mas tinha um problema, eles não tinham experiência nisso e, na verdade, detestavam café. Achavam também chato servir os clientes. “Então tive uns golpes de sorte comprando boas bibliotecas, comecei a crescer e tive que mudar de número aqui na rua. Eram muitos livros”.

Foto: Guilherme Santos/Sul21

Como se compra livros? “Tu tens que conversar com a pessoa pra saber o que o livro significa pra ela. Se eu pagar uma miséria, eles não voltam mais, vendem para outro. Afinal, quem se interessa por literatura conhece a Estante Virtual, onde todos ficam sabendo o valor de cada obra. Então, se a pessoa tem apego aos livros e eu quero comprá-los, vou ter que pagar. Existe toda uma negociação para a compra, mesmo quando cara vem aqui vender uns poucos. Tenho que olhar livro a livro para ter uma boa base de quanto vale. Não adianta olhar de longe. Nem todas as bibliotecas são como a do Tatata Pimentel, que acabei comprando. O bom é que o amor pelo livros facilita o papo”.

Mauro tem mil histórias acerca da compra de livros e bibliotecas. Há o pessoal que vem até a Ladeira para vender poucos exemplares, tem os caras que enganam os familiares e vendem a biblioteca de um morto recente pedindo um “por fora”. Ele também conta histórias de uma Kombi que quebrava sempre que vinha com milhares de livros, mas a preferida parece ser esta: “Uma vez, fui ver uma coleção de livros e quando cheguei, a dona tinha uma capelinha, cheia de velas. Era religiosa, uma carola de qualquer coisa e eu sou materialista diálético (risadas). Na saída, após fecharmos negócio, ela fixou os olhos em mim e disse misteriosamente que meus pais precisavam vender alguma coisa, mas que tinha uma pedra no meio do caminho. E me aconselhou: ‘Diz pra tua mãe pegar uma pedra e atirar ela longe’. Ela também me disse que eu era uma pessoa muito boa. E completou me avisando que estaria desencarnando dali a uns dias. Gelei, né? Então liguei pra minha mãe. Ela disse que sim, queria vender um sitiozinho no interior. E mandei ela atirar longe a porra da pedra. Ela não queria, mas eu insisti. Ela acabou atirando a tal da pedra e logo depois vendeu o sítio. Eu voltei à casa da mulher para agradecer e não encontrei mais nada. Talvez ela tivesse desencarnado”.

Foto: Guilherme Santos/Sul21

Hoje, Mauro cadastra todos os livros na Estante Virtual. Mas ainda vende mais na livraria. Quem o conhece sabe que ele adora uma conversa, recebendo bem até os que se não gostam de ver a figura de Lênin ao lado do caixa. “São 60% das vendas aqui na livraria, na base da conversa, e 40% na internet. O Correio gosta de sumir com os livros, é um problema, mas a Estante garante uma estabilidade, é venda certa”.

A Ladeira Livros também usa o Facebook. Mauro conta: “Eu escolho um livro para anunciar no Facebook. Às vezes pego um muito bom, outras vezes pego um da hora ou outro totalmente aleatório. Boto lá a capa e o valor. E escrevo ‘Na prateleira’. Quem pedir primeiro para reservar, leva. A regra é clara. No dia que os Estados Unidos legalizaram o casamento gay, eu anunciei o livro sobre a torcida organizada do Grêmio Coligay… Coloco uns dez livros por dia, nem todos saem, depende muito do que eu posto e do momento. Para mim, o Facebook é diversão. Também conto histórias lá. Com ele, conheci muita gente que nunca entrou na livraria e que compra ou só conversa. O preço? Eu dou o preço que mais ou menos é cobrado na Estante Virtual. Tu podes terminar a entrevista dizendo que eu sou apenas mais um leitor que lê menos do que gostaria. Sou um leitor mediano. Não sou formado em nenhum curso, apesar de ter feito ciências sociais e geografia. Ando lendo mais romances atualmente, principalmente os policiais. A livraria abre às 9h, mas eu trabalho das 10h30 as 19h. Tenho dois filhos, a Márcia e 40 mil livros cadastrados, além de seis mil que ainda tenho que botar no sistema. É isso.”

Foto: Guilherme Santos/Sul21

(*) Com Pedro Nunes

 

do Comunique-se

Grupo RBS contrata mais de 10 jornalistas para o meio impresso e avisa: há vagas

O Grupo RBS abriu 18 vagas para jornalistas em junho e contratou 14 profissionais em 20 dias. As oportunidades foram voltadas a repórteres, editores, analistas e assistentes e fazem parte da estratégia de investir na “excelência do conteúdo”. Com atuação no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, a empresa possui oito jornais em seu portfólio - Zero Hora, Diário Gaúcho, Pioneiro, Diário de Santa Maria, Diário Catarinense, Hora de Santa Catarina, Jornal de Santa Catarina e A Notícia.

“Nosso negócio é jornalismo e estamos investindo no que nos diferencia. Queremos manter o patamar de qualidade que conquistamos e ampliá-lo em novas frentes, como conteúdo digital pago e novos formatos, com foco no que é relevante para os nossos leitores”, explica a vice-presidente de jornais e mídias figitais do Grupo RBS, Andiara Petterle.

Atualmente, o grupo tem vagas no diário Zero Hora para repórter de esportes e digital, editor assistente, editor de imagens e assistente de operações digitais, profissional da área de publicidade que vai auxiliar o setor comercial. Desde a abertura das vagas, divulgadas pelas redes sociais do grupo e dos oito jornais, o departamento de recursos humanos já recebeu quase 1,4 mil currículos. Os anúncios contam com cards que explicavam o perfil desejado do jornalista e vídeos de profissionais da casa relatando suas experiências nas redações.

Além do reforço no time de jornalistas e treinamento para os profissionais, o Grupo RBS foca na integração das redações com as equipes de desenvolvimento de produtos digitais, com investimento em vídeos, cobertura multimídia local e especiais.

 

Vanguarda Abolicionista participa de audiência sobre os animais do zoo de Sapucaia

Foto: Guerreiro

Na noite desta quarta-feira, 8 de julho, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul promoveu audiência pública sobre o destino dos mais de 1100 animais do Parque Zoológico de Sapucaia do Sul, em vista de uma possível privatização. A Vanguarda Abolicionista foi representada por sua diretora Ellen Augusta Valer de Freitas. "Esse modelo de educação ambiental ensina a pedagogia da prisão. Somos contra zoológicos. A tendência em muitos lugares do Exterior é que virem santuários", disse a bióloga. A proponente foi a deputada Regina Becker Fortunati. Participaram ambientalistas, autoridades, funcionários da Fundação Zoobotânica, protetores e entidades como Bicho de Rua.

 

Dançar

o joão é claro é o propiro autor.olides

por Antonio Augusto Bandeira

Antigamente era importante você aprender a dançar. João, por exemplo, me contou sua aprendizagem.

Quando estava no Rio na Avenida Rio Branco, existia o clube militar que sempre aos domingos pela tarde tinha música e a gurizada ia dançar. João não sabia, era muito tímido, não podia dizer que queria aprender.

Ficava olhando nas moças, até que descobri umas feias é verdade, que estavam sobrando... ninguém as tirava.

João ia e convidava para dançar. Atrapalhado qualquer moça bonita não is agüentar seus passos mal feitos. Pediria licença.

As feias, coitadinhas, tinham que suportar o bofe! Assim ele aos poucos foi dançando...

Em Porto Alegre, todos os domingos, das vinte á meia noite, tinha reunião dançante. João ia sempre. Ficava jogando bilhar, até que na hora subia para o terceiro andar, onde no salão da frente, tinha musica. As garotas iam com seus pais. João tinha que se dirigir ao pai e pedir licença para convidar a moça para dançar. Escolhia as que estavam tomando “chá de cadeira”... ou seja ninguém as tirava. Com isto conseguia tempo para bailar... João era tímido mas não bobo...

Hoje mudou o sistema. João também. Mas que eram gostosas as reuniões dançantes... eram!

 

IVAN TRILHA

como o capincho é fã dele, coloco(olides)

De: secretariaivamtrilha
Enviada: Sexta-feira, 10 de Julho de 2015 16:23

Poderia por favor colaborar na divulgação? http://www.ivantrilha.com.br/

De coração a coração muito OBRIGADO a tudo e a todos!

Prof. Ivan Trilha autor do Best- Seller O PODER DA MENTE uma contribuição à mente humana ao Brasil e o planeta!

Contamos com sua valiosa contribuição!

QUERER, PODER, VENCER, AQUI E AGORA e SEMPRE.

Muita GRATIDÃO!

Saúde e Riquezas

CONTATOS:

Whatsapp (31) 99980396
(61) 96972729- Ana Paula
(31) 31948286- Aparecida e Ana Maria

 

da Folha Popular de Teutônia

 

Câmara homenageia os 20 anos da Escola Municipal Vila Monte Cristo

Foto: Ederson Nunes

Vereador Professor Alex Fraga entrega homenagem à diretora da escola

por Caio Venâncio, Lisie Venegas e Mariana Kruse

O período de Comunicações da sessão ordinária da Câmara Municipal de Porto Alegre, na tarde desta quinta-feira (9/7), foi dedicado a homenagear os 20 anos da Escola Municipal de Ensino Fundamental Vila Monte Cristo. A homenagem, presidida pelo vereador Mauro Pinheiro (PT), foi proposta pelo vereador Professor Alex Fraga (PSOL).

Em seu discurso, Professor Alex Fraga destacou a importância de valorização dos profissionais que passaram pela instituição e contribuíram com avanços nos direitos e conquistas. “Sem luta não há vitória. Sabemos que Escola Municipal de Ensino Fundamental Vila Monte Cristo passou por longas batalhas e mobilizações para que, no Orçamento Participativo, em 1992, ela fosse criada”, disse ao saudar a diretoria, corpo docente e discente da escola.

“Essa homenagem me honra muito, pois vi essa escola nascer. Mudei para o bairro Vila Nova em 1989 e acompanhei toda a construção da escola, além de participar indiretamente de muitas festas e confraternizações. Atualmente meu vínculo com escola se dá através dos pleitos e demandas”, concluiu o parlamentar.

De acordo com a diretora da Emef Vila Monte Cristo, Ivone Bolico da Silva, um dos fatos mais marcantes desta comemoração é o fato de que toda comunidade da Vila Monte Cristo veio até a Câmara prestigiar o evento. “Muitos dos nossos alunos ainda não tinham noção da história da escola. Tivemos, ao longo destes 20 anos, muitos avanços em tecnologia e projetos pedagógicos, além da inserção de novos programas como Cidade Escola, Mais Educação e oficinas e laboratórios de ensino e aprendizado, visando também à inclusão de jovens estudantes”, comentou Ivone, complementando que a escola está priorizando as turmas integralizadas, buscando alternativas pedagógicas para evasão e repetência escolar. “Temos atualmente 1200 alunos, divididos em 37 turmas nos turnos da manhã e tarde, e mais algumas turmas de Educação de Jovens Adultos (EJA) à noite.”

Os parlamentares também fizeram seus pronunciamentos sobre o tema:

20 anos de trabalho - Elizandro Sabino (PTB) parabenizou a iniciativa do colega Professor Alex Fraga (PSOL) de propor uma homenagem à Escola Monte Cristo. Para Sabino, espaços como um colégio marcam a vida e a trajetória das pessoas. O petebista, que ressaltou o fato de morar nas proximidades da Monte Cristo, lembrou de ter participado de reuniões no local e ter a oportunidade de se reunir com professores da escola quando era conselheiro tutelar. "É uma referência de colégio, que desempenha um papel de educação para a cidadania", afirmou. (CV)

Escola cidadã - Para Sofia Cavedon (PT), a importância da Escola Monte Cristo está, sobretudo, na proposta político-pedagógica que é aplicada. Esta mudança, segundo ela, muitas vezes só teria a devida percepção por pessoas que acompanharam de perto o processo de construção da escola. "Foi o primeiro local em que foram aplicados os princípios da escola cidadã, rompendo com os paradigmas autoritários de educação herdados ainda da ditadura. Educadores foram chamados para construir proposta de ensino voltada para classes populares, evitando a pura e simples reprovação dos alunos", resgatou. Mais do que isso, a vereadora acredita que o espaço foi celeiro de reflexão, concepção, prática e, portanto, práxis. (CV)

Educação para libertação - Jussara Cony (PCdoB) lembrou da luta da comunidade, que pressionou a Prefeitura a tornar realidade a escola. Ela foi mais uma a reconhecer os méritos do projeto pedagógico voltado para uma sociedade libertária. "Outro aspecto importantíssimo
é a dinâmica cultural que se instalou na escola, com saraus e jogos, entre outras atividades. Isto é o elemento lúdico que tanto nos falta nessa realidade oprimida pelo sistema capitalista. A verdadeira educação para libertação", definiu. (CV)

Alicerce da sociedade - Cláudio Janta (SDD) crê ser importante dedicar parte do tempo na Câmara Municipal a homenagear o que chamou de "alicerce da sociedade". Em relação à Escola Vila Monte Cristo, ele reconheceu o esforço de todos os que se dedicam em mantê-la como espaço atrativo, além de tentar aproximar os pais de alunos do ambiente de ensino. "Acredito que, quando tivermos investimento maciço em educação, não precisaremos discutir aqui políticas de educação de trânsito, educação ambiental, entre outros. Cada vez mais governos vêm tratando educação com deseducação", reclamou. (CV)

Também participaram da homenagem: a representante da Secretaria Municipal de Educação, Eliane Maleti; a primeira diretora da Escola, Regina Scherer; as vice-diretoras Aline Albertin da Rosa e Clarice Vieira Benvenutti; a aluna Cassiane de Almeida; e o presidente da Associação de Moradores da Vila Monte Cristo, Jorge Oliveira.

 

do Carta 15

Jurídico

A assessoria jurídica do PMDB-RS reitera a importância das resoluções aprovadas pela Executiva Estadual para a realização das Convenções Municipais. A primeira, nº 01/2015, determina que as Convenções Municipais de renovação dos órgãos de direção municipal do PMDB ficam marcadas para o dia 29 de agosto de 2015. A segunda, nº 02/2015, regulamenta a data de envio das listas de filiados ao diretório estadual até o dia 30 de julho de 2015 – acolhendo determinação do diretório nacional.

PMDB Mulher RS

A Comissão do PMDB Mulher-RS do Vale do Taquari realiza no próximo sábado, 11 de julho, o encontro regional “Fortalecendo Lideranças”. A atividade será realizada, a partir das 8h, no Salão da Comunidade Medianeira, em Arroio do Meio. Este será o primeiro de uma série de encontros regionais que buscam fortalecer e preparar lideranças femininas para o pleito municipal de 2016 e para o exercício democrático do poder no PMDB, no seu núcleo feminino e na sociedade.

Plano Safra

Com recursos de R$ 2,8 bilhões do sistema financeiro – Banrisul, Badesul e BRDE –, foi lançado nesta quinta-feira (9), no Palácio Piratini, o Plano Safra Gaúcho 2015/2016. São R$ 1,9 bilhão do Banrisul, R$ 500 milhões do BRDE e R$ 400 milhões que podem ser aportados via Badesul. O total de R$ 2,8 bilhões é o maior valor para o Plano Safra - no ano passado, foram R$ 2,74 bilhões.

Coordenadorias Regionais

Com o objetivo de ouvir as coordenadorias regionais do PMDB-RS, a Executiva Estadual realizou uma reunião na tarde na última terça-feira, 07 de julho, com os representantes das 33 regiões do Estado, na sede estadual, em Porto Alegre. O presidente estadual do partido, deputado Ibsen Pinheiro, abriu o encontro destacando as principais tarefas e responsabilidades do PMDB gaúcho: compartilhar o governo Sartori, acompanhar o quadro nacional e preparar as eleições municipais de 2016.

PMDB de Arroio do Sal

Mais de 100 famílias de correligionários prestigiaram a confraternização dos 27 anos de PMDB de Arroio do Sal – no Litoral Norte do Estado - no último domingo (05). A executiva municipal aproveitou a data para homenagear os 110 fundadores da sigla local. O presidente do PMDB do município, José Cardoso de Vargas, agradeceu a presença de todos e lembrou a história do partido. “É com entusiasmo que saudamos a todos nesta manhã fria, o que significa o compromisso para continuar firmes para construirmos juntos, o melhor para a comunidade”, exaltou.

#JuventudenaEstrada

O projeto #Juventude na Estrada foi lançado com sucesso na cidade de São Pedro do Sul, no dia 04 de julho, realizado pela JPMDB-RS com ao apoio da FUG/RS. Um espaço democrático que oportunizou aos jovens de 21 municípios se manifestarem, em grande debate, sobre redução da maioridade penal após a exposição do tema pelos painelistas advogada Renata Esmeraldino, ouvidora da Secretaria de Segurança Pública do RS e o advogado, Robson Zinn, presidente da Fundação de Atendimento Sócio-Econômico do Rio Grande do Sul.

 

Secretário Vieira visita escolas de Taquari

Foto: Evandro Oliveira

No município, Governo do Estado e prefeitura atuarão em regime de colaboração para a execução de obras escolares

por Roberto Witter

O secretário da Educação, Vieira da Cunha, e o titular da 3ª Coordenadoria Regional de Educação, Nelson Paulo Backes, estiveram em cinco escolas do município de Taquari nesta sexta-feira (10). Durante a visita, o prefeito em exercício, André Brito, oficializou a atuação em regime de colaboração entre município e Governo do Estado para a realização de obras na área da Educação.

Pelo acordo firmado, a equipe técnica da prefeitura irá elaborar os projetos de obras escolares. A medida atacará um dos principais gargalos na realização das intervenções na área de infraestrutura, que é a dificuldade que o corpo técnico do Estado possui para atender a grande demanda por melhorias em prédios da rede pública estadual de ensino.

“Nossa rede escolar é antiga e os prédios, via de regra, precisam de intervenções. Embora toda a crise do Estado, nós temos conseguido manter um ritmo de obras que é bastante significativo. Só no primeiro semestre de 2015, já investimos R$ 50 milhões na área”, afirma o secretário Vieira.

A primeira parada da comitiva foi na Escola Nossa Senhora da Assunção, que fica na localidade de Passo do Santa Cruz. A diretora Ana Hartmann solicitou a reforma do teatro e a regularização do terreno da escola.

De lá, o grupo foi até a Escola Barão de Ibicuí, onde o pedido da comunidade é pela construção de um novo prédio, já que o antigo foi demolido em 2008. O fato de até hoje não haver projeto para a construção de um novo módulo impede a escola de receber matrículas. O impasse deve ser solucionado em breve, já que o projeto é um dos que serão desenvolvidos pelo corpo técnico da prefeitura, cabendo ao Governo do Estado o custeio da execução da obra.

No início da tarde, a comitiva visitou o Instituto de Educação Pereira Coruja, onde a diretora Elis Saldanha solicitou a abertura de novas turmas de cursos técnicos.

A quarta escola visitada no dia foi a Nardi de Farias Alvim, onde o diretor Paulo Mulinari solicitou, em nome da comunidade escolar, a construção de uma quadra esportiva coberta. O educandário recebeu melhorias recentemente no telhado e assoalho.

A última visita da comitiva foi na Escola Professora Ana Job, onde foi solicitada a construção de uma cobertura para a quadra esportiva construída recentemente com o apoio de toda a comunidade.

Além do coordenador da 3ª CRE, o diretor administrativo da Secretaria da Educação, Marcelo Verlindo, e o assessor superior da Secretaria da Educação e ex-prefeito de Taquari, Ivo Lautert, acompanharam Vieira nas visitas.

 

de Serafina

Dia da Pizza em Serafina Corrêa

Faltam 7 dias para o início do Festipizza! Nesta sexta-feira, 10 de Julho, comemorando o Dia da Pizza, houve distribuição de pizzas quentinhas e saborosas, no centro de Serafina Corrêa. Com a participação dos Chefs Mirins, Projeto da Prefeitura Municipal em parceria com o Programa Voluntários BRF, das Soberanas do município, demais servidores e Direção da ACISCO, a ação teve o objetivo de celebrar o Dia da Pizza e divulgar o Festival que começa na próxima sexta-feira, 17 de Julho, no Ginásio Municipal Irceu Antônio Gasparin. Ingressos antecipados R$ 38,00, no site: www.festipizza.com.br. Participe! Festipizza 2015: 17, 18, 24 e 25 de Julho, em Serafina Corrêa!

 

Instalado Placar Eletrônico no Ginásio Irceu

A Prefeitura de Serafina Corrêa, através da Secretaria Municipal de Turismo, Juventude, Esporte e Lazer, realizou uma importante aquisição: um placar eletrônico. Instalado no Ginásio Municipal Irceu Antônio Gasparin, no dia 1º de Julho, o placar será muito importante para o bom andamento das competições esportivas realizadas naquele espaço, visando melhor acompanhamento por parte dos atletas, comissões técnicas, especialmente para a torcida que poderá conferir os números dos jogos. Durante a final do Campeonato Municipal de Futsal – Categorias de Base Masculino, o Placar Eletrônico foi utilizado, comprovando a grande utilidade do aparelho, muito importante para a comunidade serafinense.

 

RGE em Serafina Corrêa

Na quarta-feira, 08 de Julho de 2015, das 10h às 15h, aconteceu um importante evento da RGE em parceria com a Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa no Ginásio Valdomiro Castro. A Caravana RGE realizou atendimento à comunidade serafinense, negociação de débitos, além da distribuição de folders sobre os diversos projetos e áreas de atuação da empresa, em especial impressos com informações e dicas sobre o uso eficiente e seguro de energia elétrica.

Também houve mostra fotográfica da Caravana RGE – Educando para a Eficiência, que apresentou os melhores momentos do projeto educativo itinerante que percorreu toda a área de concessão da RGE, em três edições, com público superior a 506 mil pessoas, dentre estudantes, professores e munícipes. Em meio às atividades, às 10h e às 14h, aconteceu o espetáculo teatral “Cidade Luz”, com entrada franca, que visava chamar a atenção do público quanto à mudança de atitude para o consumo de energia e para a preservação do meio ambiente. O teatro movimentou cerca de 400 alunos das Escolas João Corso, Agrícola e Leonora Marchioro Belenzier. Após o término da peça teatral, houve distribuição de brindes para as crianças.

 

Meio milhão de reais para o Hospital

O Prefeito Municipal Ademir Antonio Presotto esteve em Brasília, na semana de 29 de Junho, participando de diversas audiências, em busca de importantes recursos para o município de Serafina Corrêa. Dentre as conquistas, está a destinação de importantes emendas para o Hospital Nossa Senhora do Rosário de Serafina Corrêa. A Administração Pública Municipal, assim como a comunidade serafinense, vem buscando, de todas as formas, auxiliar o Hospital, sempre pensando nos muitos benefícios que a entidade traz para todos. Com emendas do Deputado Federal Giovani Cherini (PDT) e do Deputado Luiz Carlos Busato (PTB), foram destinados R$ 500 mil, que poderão ser utilizados para compra de equipamentos para o Hospital Nossa Senhora do Rosário. Mais uma importante conquista da população serafinense.


10 de julho
de 2015

RODOVIÁRIA

O FATO DE POR 2 X OS SEGURANÇAS TEREM ME DITO QUE NÃO SE PODE FAZER FOTOS NA RODOVIÁRIA, ACABOU DANDO UM QUIPROQUÓ HJ DE MANHÃ NA RADIO GUAÍBA;

* não que eu me de importancia. a noticia tem importancia.

* o gerente explicou que não tem nada disto.

* qto a mim estou muito tranquilo. estou apenas dando uma informação. quem quiser me ouvir, estou a disposição do que aconteceu. mas não tenho o menor interesse neste assunto.

* eu faço jornalismo, como aprendi, não vassalagem....

no mercado público todo mundo faz foto sem problemas....

 

RODOVIARIA DE PORTO ALEGRE

o diretor da rodoviária de porto alegre, Giovani Luigi, explicou na rádio Guaíba no programa do Mendelski que não há proibição de fazer fotos no local. apenas de que se evite fazer fotos de rostos...

* então, tá.....explicação dada....

 

RODOVIÁRIA

O QUE O LUIGI DISSE NA GUAIBA É DE RESPONSABILIDADE DELE.

* DEMINHA PARTE SEMPRE O RESPEITEI....

* E CONTINUO ACHANDO,ATÉ PROVA EM CONTRÁRIO, QUE ELE CONTINUA ME RESPEITANDO.

 

rodoviária

tb não sei em que situação está a rodoviária de porto alegre qto a concessão. eu não estou disputando rodoviária, nem estou a serviço de ng. nunca fiz este papel....

* tenho as mãos limpas....

* e a consciência mais ainda...

* se disse que fui advertido pela segurança´é pq o fui....

e anbtes procurei umfunciona´rio da VEPPO que me disse que o assunto era com o DAER.

Fui lá umaX e o responsável não estava.

na quarta voltei lá e ai o chefe estava...o que ele me disse eu posso dizer ,dando a minha fversão. ele não me ofendeu, ele disse que não podia fazer fotos. isto ele disse e tb não disse que era de rosto, ele disse que não PODIA FAZER FOTOS.

DISSE E ASSINO EMBAIXO, COMO DIZIA O CLAUDIO CABRAL.

 

Rodoviária

Em 9 de julho de 2015 00:10, Marcio de Almeida Bueno <bueno.escritorio@> escreveu:

que chato esse lance da rodoviaria. uma vez eu tava fazendo fotos lá, e veio uma brigadiana me dar esporro. eu fui explicar q estava batendo foto da multidao, nao dela, mas ela me deu as costas furiosa.

 

TRABLHADORES DA NOITE/MADRUGADA

acordei 5 hs na 2 pra ir pra marcopolo. peguei um bus até o HPS, dali o T-5...na parada muita gente pegqando onibus naquela hora....qdo chegamos no aeroporto só tava eu dentro. e o aflredo aberto aquela hora.

 

T9

T-9 juntam varios veiculos as vezes.....

 

marcopolo

na subida pra caxias, a bela cidadedizinha de galopolis a pouco menos de 30 km de caxias...paisagem bucolica.....

 

marcopolo

COMENTEI COMO REKERN HJ QUE TOU COMENDO BERGAMOTOS E LARANJAS PRA COMPENSAR A PALANGANA QUE FOI NA 2 EM CAXIAS....

ME ESBALDEI....

* E TOMEI VINHO DO BOM....

 

MARCOPOLO

o castelo onde está o LACAVE REST DE CAXIAS

 

MARCOPOLO

CENAS DO ALMOÇO DE 2 PASSADA NO LACAVE EM CAXIAS....

COLEGUINHAS ALMOÇANDO DEPOIS DA APRESENTAÇÃO DOS NOVOS ONIBUS

 

MARCOPOLO

Mery Steiner e Secco

e Secco pai e filho na terça feria em Caxias durante apresentação de onbius da marcopolo

 

FOI PRESO O EDITOR DO BLOG DO PAULINHO....

* tarso de castro quando queria ir em cana pelo dops deixava sempre uma placa dizendo :

- estou no treviso...

* foi em cana mais tarde, quando editava o PASQUIM, mas aí já era famoso....

 

Notinhas

dica do colega daqui( vá a caxiaqs, num domingo, no lacave. mas prepare a semana pra uma dieta)olides

De: rekern
Enviada: Quinta-feira, 9 de Julho de 2015 11:43

A CRISE MUNDIAL SE ESCANCARA
Olides, não é que o PT tinha razão, a CRISE é mesmo MUNDIAL. O CONGELAMENTO das ações na bolsa da China coloca mais uma vez a economia mundial em cheque. A Dilma e o Levy se adiantaram nesta e já estão fazendo a correção necessária para enfrentar o novo caos mundial que se alastra.

QUE ME DESCULPE MEU SENADOR
Sempre votei no Paim e o homem agora ameaça sair do PT. Que me desculpe o meu senador, mas voto mais no PT do que nele. Em outro partido não terá o meu voto.

GOLPE? NÃO SINTO CHEIRO DE OUTRA COISA
Apesar da guerra midiática do PSDB, não existe a mínima possibilidade da direita dar um golpe. Em nosso país reina a mais absoluta calma democrática, ninguém além da mídia golpista e das viúvas da ditadura daria apoio a tamanha burrice política.

E O SARTORI, HEM?
Nem a turminha do PMDB aguenta mais o gringo véio. Tem conterrâneo com carteirinha do partido que confessa que deveria ter votado no Tarso. Não se apoquentem, são só mais três anos e meio de choradeira e ranger de dentes.

Renato Kern

 

Rekern

sem o colega REKERN este blog tava muito PSDB. gosto do ponto e do contraponto.....

 

roteiro

hj , 6 f, tem feijoada no moeda,no santander.40 pilas + 10% do garção.

* no fim de semana, tem mocotó pela cidade. menos no alfredo, onde não fazem +

 

poema de aparicio silva rillo

Dedicado ao nosso amigo saoborjense e brizolista CAPINCHO

'CANHA'


Canha,

és a chinoca ruiva mais acesa

que jamais gauderiou pela campanha.

Para encontrar-te

bater porta à porta de um bolicho,
dêsses que a gente encontra em qualquer parte,

que brotam em qualquer chão

como erva ruim.

Oferecida e fácil,

por qualquer meia pataca já te entregas.

Já te encontraram - quantas vêzes!

dormindo nas macegas,

juntinho à camisa suja

de muito criolo escroncho!

Tens especial preferência

pelo aconchego de um poncho.

Nas horas mortas
das longas noites de ronda,
com teu beijo incendiado reconfortas

o índio sofrido e rude

que te sabe sem virtude

mas que te quer, mesmo assim.

Andas na Boca do povo

como toda mulher de vida alçada.

Mas total, que vale a fama?

Vale nada....

Quanta gente não há que te difama

sem piedade,

quando a mais pura verdade

é que em segredo te ama?

Tens o dom da ubiquidade,

china ruiva.

Estás ao mesmo tempo na cidade
- às vezes disfarçada noutro nome,

mais pedinchona no vestido novo

e ao mesmo tempo na campanha

- mal pilchada , sem retovo -

mas sempre a mesma china ruiva e louca,

andeja e sem pudor,
que se deixa beijar por qualquer boca

e não refuga amor!

 

Cinema

A RAINHA SERIA O PAÍS?

por Eron Duarte Fagundes

O inglês John Boorman tem o domínio da encenação cinematográfica como poucos e permanece em grande forma, tendo passado dos oitenta anos de idade. É o que se depreende da visão de seu novo filme, Rainha e país (Queen & Country; 2014), uma ironia suave mas afiada em torno das coisas da realeza e circunjacências. Desde seu título, Boorman brinca com a forma de ser das coisas no Reino Unido. Uma das poucas monarquias sobreviventes neste mundo anárquico, a Grã-Bretanha é alvo do olhar irônico de Boorman. Seria a rainha o próprio país, não importando muito o restante do povo? Pelas estruturas sociais e políticas vigentes, mais ainda na época em que se passa a narrativa de Boorman, a rainha, e o que ela representa, é o centro mesmo do país, ainda que debaixo dela passe e pulse a verdadeira vida nacional —aquele “e” de “rainha e país” propõe sua divisão que não chega a estabelecer-se, pois é um pouco adição de coisas díspares, um pouco uma improvável fusão.

O filme de Boorman pode ser traspassado por uma atmosfera bastante clássica, próxima do academicismo formal mesmo, mas nota-se o esforço de modernidade do realizador. Esforço que é recompensado por uma extraordinária habilidade de filmar. Diretor notável de atores, Boorman se vale dum elenco em sua maior parte pouco conhecido entre nós, extraindo desempenhos característicos e precisos para a composição das criaturas que interessam.

Ambientado entre dois jovens que, durante a II Guerra Mundial, se envolvem também numa missão na Coreia, Rainha e país não deixa de espinafrar o conservadorismo britânico. E para isto expõe as fraturas amorosas dos jovens. O protagonista, ao sair para a guerra, deixa no país uma ex-namorada; no campo de batalha, ele topa com uma destas garotas exibicionistas que adoram explorar os rapazes e cuja matriz parece estar eternamente na enviesada e torpe Mildred de Servidão humana (1915), romance do inglês William Somerset Maugham. Boorman não chega a compor os retratos amplos de Maugham; mas seu anglicismo é de certa maneira herdeiro daí.

Belo e potente, certeiro em seus aspectos, Rainha e país exibe a maturidade e a vitalidade de um cineasta digno de se amar sempre.

 

Programação do Clube de Cinema para o próximo final de semana

No próximo Sábado (dia 11/07/2015) as 10h15min no Cine Santander Cultural assistiremos ao filme "Happy Happy" (Sykt lykkelig - 2011). Para Kaja (Agnes Kittelsen), a família é a coisa mais importante do mundo. Mesmo vivendo com um homem que há muito se recusa a fazer sexo com ela porque se supõe que já não é mais atrativa, Kaja segue preservando sua família. Porém, quando novos vizinhos - que têm um casamento perfeito - se mudam, Kaja começa a enxergar um novo mundo, havendo consequências para todos. Apresentação oficial da Noruega para a categoria de Melhor Filme Estrangeiro do Oscar 2012.

No próximo Domingo (dia 12/07/2015) as 10h15min no Cinebancários assistiremos ao filme "O Crítico" (El Crítico - 2013). Víctor Tellez (Rafael Spregelburd) é um crítico de cinema exigente e prestigiado que odeia comédias românticas e acredita que o melhor da sétima arte está no passado. Amargo e mal-humorado, ele procura um apartamento e conhece Sofía (Dolores Fonzi), bela e com gostos opostos aos seus. Tellez tenta, mas não consegue evitar que sua vida se transforme a partir de então em um romance clichê.

 

Prefeitura entra com ação judicial para garantir verbas de saúde


fortuantti dá coletiva sobre saúde pública

A Prefeitura de Porto Alegre, por meio da Procuradoria-Geral do Município, ingressou, na tarde desta quinta-feira, 9, com mandado de segurança para garantir os repasses integrais pactuados com o governo do Estado para a área da Saúde. O mandado, com pedido de liminar, foi impetrado no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul pela procuradora-geral do município, Cristiane da Costa Nery, e pelo procuradores municipais Anelise Jacques da Silva e Carlos Eduardo da Silveira.

A medida foi anunciada, pela manhã, pelo prefeito José Fortunati durante coletiva de imprensa. Na ocasião, Fortunati justificou os motivos da ação judicial. Conforme ele, o corte dos recursos está causando sérios problemas ao atendimento da população, como o fechamento de 180 leitos nos hospitais conveniados da Capital. “Esgotamos todas as possibilidades para conseguir manter esse serviço essencial à população. Não nos restou outra alternativa a não ser buscar judicialmente essa garantia de que os recursos da Saúde chegarão até o município. Isso é fundamental porque estamos lidando com vidas”, afirmou o prefeito.

Fortunati explicou, ainda, que o município tem feito um esforço muito grande, redirecionando recursos de outras áreas para a Saúde, para garantir o atendimento a todos os pacientes. Ele acrescentou que todos os pacientes, sejam de Porto Alegre ou de outras cidades, estão sendo atendidos, porém o serviço já está prejudicado.

“Não queremos perder o que conquistamos. Vínhamos reduzindo o tempo de espera pelo atendimento. Com essa situação, menor número de leitos, aumento da demanda devido ao fechamento de unidades de saúde no interior do Estado e menos recursos financeiros, o tempo de espera volta a aumentar”, ressaltou.

Atraso dos repasses - O secretário municipal de Saúde mostrou o histórico de atraso dos repasses. A dívida do Estado com o município chega a R$ 60.308.515,07, tanto referentes à atenção básica como da média e alta complexidade. Dos valores de junho, devem deixar de ser repassados cerca de R$ 12 milhões.

“Somos uma referência para o interior do Estado e até para outros estados. Alguns tipos de atendimento da alta complexidade só são feitos aqui. Nesse caso, o pactuado com o governo estadual é de que 60% do atendimento será a pacientes da Capital e outros 40% dos municípios do interior. Hoje, estamos arcando com 64,3% do atendimento da alta complexidade para os pacientes que vêm de fora”, lembrou Fernando Ritter.

O mandado de segurança - A medida busca a garantia do direito à integralidade dos repasses constitucionais pactuados com o governo estadual. “Foi a saída que encontramos para evitar o colapso da Saúde. A administração municipal não pode continuar arcando com esses custos nem assumir uma situação grave que coloca em risco a vida, a saúde das pessoas”, destacou a procuradora Cristiane da Costa Nery.

 

ONG faz brechó beneficente neste domingo

A Bichos & Amigos, entidade que ampara 150 cachorros e gatos, realiza brechó neste domingo, 12 de julho, para levantar fundos e saldar dívidas. À venda, roupas, livros, brinquedos, bijouteria, LPs em excelente estado, CDs, sapatos, acessórios, equipamentos eletrônicos, enfeites. Preços de ocasião. Os visitantes também podemfazer doação de ração, o que é muito bem-vindo.



O evento acontece na rua Aliança, 289, transversal da Assis Brasil, entre o Bourbon Wallig e o Shopping Lindoia, Zona Norte de Porto Alegre. O funcionamento será das 11h às 17h. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 51-8461-5077, além do facebook.com/OngBichosEAmigos. Os animais agradecem.

 

de Serafina

Serafina Corrêa: 55 Anos! Capela Frei Rovílio Costa

O Centro Administrativo Amantino Lucindo Montanari, em Serafina Corrêa, foi construído na Gestão 1983/1988, cultivando uma das principais características dos imigrantes italianos, nele foi
construída uma Capela. Local sagrado, um espaço de reflexão, onde periodicamente são realizadas celebrações. Serafina Corrêa, a Cidade Simpatia, completa 55 Anos. Neste ano, também recebeu o título de Capital Nacional do Talian, tendo sido o 1º município brasileiro a ter uma língua co-oficial. Diante da expressiva contribuição que o Frei Rovílio Costa, durante toda a sua vida, realizou pela Língua Talian, nossa preciosa herança cultural, surgiu a ideia de imortalizá-lo e homenageá-lo com a denominação da Capela da Prefeitura Municipal.

A Cerimônia aconteceu na tarde de 08 de Julho de 2015, com a presença de autoridades, familiares e amigos do Frei Rovílio Costa. Com Protocolo bilíngue, em Português e Talian, homenagens, música e muita emoção, a Denominação Oficial da Capela foi um momento único, para ficar na história dos 55 Anos do município. Natural de Veranópolis, o Frei Rovílio foi ordenado sacerdote em
1960. Faleceu em 2009, aos 74 anos. Licenciado em Filosofia e Pedagogia, mestre em Educação e com o título de livre docente em Antropologia Cultural, defendeu a tese sobre “Antropologia visual da imigração italiana”(Ufrgs,1976). Durante mais de uma década foi professor e formador em vários seminários. A partir do início dos anos 1970, dedicou-se às letras, ao mundo editorial, à pesquisa e ao resgate dos valores da cultura da imigração italiana. Em 1972, criou a Edições da Escola Superior de Teologia, dirigindo-a por 37 anos, período em que fez cerca de 2.600 edições e reedições. Integrou o Conselho Estadual de Cultura e inúmeras academias, entre elas, a Academia Riograndense de Letras. Escreveu mais de 20 obras no campo da educação, da psicologia, da antropologia e clássicos da imigração italiana no RS. Era colaborador de inúmeras publicações, mas especialmente do Jornal Correio Riograndense.

Viveu de forma humilde, em meio a um intenso trabalho intelectual. Soube, como poucos, unir fé e cultura. Encontrava tempo para rezar, pregar, escutar as pessoas, visitar os doentes, atender os jovens e ministrar os sacramentos. A grande obra foi sua própria vida, seu estilo, sua irreverência, sua alegria e simplicidade franciscanas. Sempre afirmava: “Deixei de escrever meu grande livro, para ajudar a muitos escreverem seu pequeno grande livro.”

 

Silva Jardim recebeu Poder Legislativo para uma Sessão Descentralizada no Distrito

Reunião Plenária contou com atividades ordinárias e reconhecimento aos representantes da comunidade que atuaram na Câmara

Dentro das comemorações de 55 anos de emancipação política do Município de Serafina Corrêa, o Poder Legislativo Municipal realizou a primeira sessão plenária fora da sua sede no ano. Na noite de segunda-feira (06), o trabalho legislativo aconteceu no Salão Comunitário da Capela São Roque, no Distrito de Silva Jardim. Além de integrantes da comunidade, também participam da reunião o Vice-Prefeito de Serafina Corrêa Francisco Bernardo Mezzomo, o Presidente da Câmara de Vereadores de Montauri Ari Benur Lasta, Secretários Municipais, servidores e imprensa.

A Sessão Descentralizada no Distrito de Silva Jardim foi solicitada através de um requerimento protocolado pelo Vereador Adir Soranzo, sendo que o pedido foi votado e aprovado com o voto de todos os demais Vereadores. A reunião possibilitou ao Legislativo uma maior aproximação com a comunidade de Silva Jardim, que além de ser único Distrito do Município, tem grande importância econômica e cultural. Para os moradores, a oportunidade foi de conhecer mais sobre o trabalho dos Vereadores e como é uma reunião da Câmara.

Após a ordem do dia, com apresentação de matérias e votação, a Câmara também realizou um reconhecimento para as pessoas daquela comunidade que já atuaram no Poder Legislativo, como representantes de Silva Jardim. A Presidente da Câmara, Vereadora Nega Castro, entregou homenagem para Adir Soranzo, Alceu Féliz Candaten, Alcindo Luiz Vitalli, Erni João Zatti e Nelci A. Zanchet Triches.

Com coordenação dos trabalhos pela Presidente Nega Castro, participaram desta, que foi a 23ª reunião semanal da Câmara os Vereadores: Adir Soranzo, César Antônio Mattiello, Gilmar Facco, Manoel Gomes, Paulo José Massolini, Salete Cadore e Vando Fábio Dalmás.


9 de julho
de 2015

QUEM MANDA NA RODOVIARIA DE PORTO ALEGRE??????

De novo tive probelmas hj na rodoviária de porto alegre, quando fui fazer uma foto. um segurança me viu batendo fotos de um rolo e gritou:

- sem fotos.

gritei pra ele:

- voltou a ditadura militar. eu não sabia!!!!

ai fui ver no daer...um senhor, funcionário do orgão , literalmente, disse que so a RBS pode fazer jornalismo na rodoviária..

- e eu não faço jornalismo? perguntei

- Não, me disse o funcionário do DAER

Bom, afinal quem manda na rodov iária de Porto Alegre??????

 

da Rodoviária

briga de casal na rodoviária apartado pela segurança da propria

 

MARCOPOLO

a empresa acha que o futuro são as energias limpas....

mas que por enquanto ainda funciona o nosso motor a diesel de cada dia.

* Marcus Coester procurou a marcopolo pra eles fabricarem o veiculo, do aermovel.

* não houve sinergia.

 

de Caxias

descida de caxias na terça. chuva, e muito movimento, como sempre nestes dias....

tempinho feio na descida da serra na 2 ultima.....inverno é isto aí.....

 

de São Borja

HIsTORIAS POLITICAS DE SÃO BORJA

nEUZINHA pENALVO, QUE AGORFA NO ANO QUE VEM SERÁ VEREADORA NA CITI,LEMBRA DESTA HILARIANTE HISTÓRIA.

" nA CAMPANHA DO OLIVIO, QUE O PDT APOIOU, aqui em São Borja, habia a coligação PMDB/PDT NA PREFEITURA Paulo/Maurer/Luiza Gatiboni.

No segundo turno quando o pdt liberou para apoiarem Olivio o prefeito exonerou todos os CC's(cargos de comissão) do PDT que haviam ' Oliviado'.

O pessoal do PDT ficava com medo de fazer campanha e não ia nas manifestações de rua . Mesmo assim foi uma surra de votos do Olivio no PMDB( quem era mesmo o cara?) Tinha que ver a cara do papai uma tarde quando qdo me pegou no meio dos PTs com a bandeira do PDT! fazendo bandeiraço!!!!!
Ele estava cruzando, havia ido visitar uma obra e parou o carro e me chamou:" Neuza?????o que é isto!!!!! bah, loko, dei um desdobre nele e saí de perto...ele era uma fera....

Não é que não fosse votar em Olívio mas é que era o Presidente do Partido e Secretário dos Transportes e nessa condição tentava acalmar os ânimos.

Os PMDBs estavam uma fera com o crescimento da campanha do Olívio...e eu bandeirando!!!!!

ah!!! ah!!!!

MAS EU TINHA RAZÃO!!!!
Estava eu e a filha da vice-prefeita!!!! ah!!!! ah!!!!

Depois dessa eleição,continuando o mandato do prefeito,foi uma caça às bruxas....

Vc acredita que o orçamento da secretaria que meu pai dirigia foi cortado em 50%? e assim foi para as demais secretarias do PDT.

O PMDB fez isto e quem trabalhou na prefeitura naquela época lembra bem....

Agora querem voto...."

depoimento dado em 23.6.2010

Nota ao leitor.

meu pai : Percy Penalvo,já falecido.

O candidato do PMDB foi Antonio Britto.

 

Cinema

O ARRIVISTA FRANCÊS

por Eron Duarte Fagundes

André Téchiné pode ter acomodado um pouco, hoje em dia, seu estilo de filmar. Mas, pelo que se vê em O homem que elas amavam demais (L’homme qu’on aimait trop; 2014), permanece um realizador cuja força de encenação resiste à passagem dos anos e ao desenrolar dos modismos cinematográficos. Extraído dum relato em livro por sua vez amparado num fato da crônica policial francesa de alta roda dos anos 70, o filme de Téchiné acompanha o relacionamento entre um jovem advogado arrivista e a filha da dona dum cassino no sul da França; mesmo sabendo das ligações de interesse financeiro do rapaz, a paixão arrasta a garota —o homem fatal a subjuga.

Téchiné é suficientemente complexo, mesmo tratando de relações já vistas e triviais, para expor cinematograficamente um drama humano cortante. Houve quem rejeitasse a virada final do filme, que, avançando trinta anos para o futuro, converte a narrativa um pouco para um drama de tribunal. Mesmo aí, Téchiné não perde seu peculiar senso de cinema. Ao propor uma maquiagem de envelhecimento para intérpretes como Guillaume Canet e Catherine Deneuve, Téchiné igualmente adapta seu processo de encenar às coisas que ele procura dizer com sua narrativa.

Quem viu recentemente o ciclo de filmes dedicado a Téchiné, na Cinemateca Capitólio, em Porto Alegre, e chegou a ver a obra-prima As irmãs Brontë (1978), sabe até onde a arte do realizador pode chegar. Se enfim O homem que elas amavam demais não se aproxima muito da profunda sutileza que o retrato das escritoras inglesas Brontë oferecia, apresenta mesmo assim, em vários instantes, muito do brilho e da sensibilidade daquele cinema à parte que Téchiné sempre fez. Não é gratuitamente que alguém está lendo em cena Se o grão não morre (1924), de André Gide. Ou rola um volume do grego Homero diante das câmaras. São sempre adequações cultas ao cinema com um pé na literatura assinado por Téchiné.

 

Inscrições abertas para Concurso Público da prefeitura de Marau

A Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH), por meio da Divisão de Concursos Públicos, assina contrato com a Prefeitura Municipal de Marau para a realização processo seletivo público. O Concurso Público prevê 80 vagas, sendo duas vagas para Pessoa com Deficiência (PD) e para formação de Cadastro Reserva para os cargos/emprego relacionados.

As inscrições podem ser feitas apenas pela internet, pelo site www.fdrh.rs.gov.br, de 8 a 22 de julho. O pagamento deve ser efetuado até o dia 23 de julho. Os valores variam entre R$ 40 e R$ 120, de acordo com o grau de especialização e os salários propostos, que vão de R$ 1.035,41 (atendente de creche) a R$ 14.124,29 (médico).

O processo seletivo se dará por meio de provas objetivas e práticas, além da análise de títulos. Toda a coordenação técnico-administrativa será realizada pela Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH).

Clique aqui para conferir o Edital.

 

de Serafina

Dia da Pizza será comemorado nesta sexta-feira!

Foto: Jônatas Padilha

Dia da Pizza será comemorado nesta sexta –feira em Serafina Corrêa Serafina Corrêa – Em comemoração ao Dia da Pizza, na próxima sexta-feira, dia 10 de julho, a partir das 11h, haverá a distribuição de pizzas quentinhas e saborosas oferecidas pelas pizzarias que participarão do Festipizza. Na oportunidade, as crianças que participam do Projeto Chefs Mirins da Prefeitura Municipal em parceria com o Programa Voluntário da BRF, também participarão da atividade. Além disso, as Soberanas juntamente com a comissão organizadora continuam a divulgação do evento, nas Prefeituras e nos meios de comunicação.

O Festipizza será realizado nos dias 17, 18, 24 e 25 de julho, no Ginásio Municipal Irceu Antônio Gasparin. O cardápio é composto por mais de 40 tipos de pizzas salgadas e doces, cervejas, vinhos, espumantes, refrigerantes e água. O evento abre sempre às 19h e a entrada é permitida até às 22h, mas o público pode permanecer no local até às 23h. Os ingressos para o Festipizza já estão sendo comercializados. As crianças de 7 a 12 anos pagam R$26 (antecipado e na hora). Os adultos em todos os dias pagam antecipadamente R$38 e na hora R$43. As crianças com menos de 7 anos não pagam. Os ingressos são datados e por isso não haverá troca. Em Serafina Corrêa, os ingressos podem ser adquiridos na Acisco e na Loja Benoit. Além disso, outros pontos de vendas também foram disponibilizados para melhor atender a população. Os interessados podem procurar as Lojas Benoit de Guaporé, Casca, Marau, Passo Fundo (nas duas lojas), Nova Prata e Veranópolis. Em Encantado, os ingressos podem ser adquiridos na Associação Comercial e Industrial (ACI-E). A comercialização também está sendo feita através do site www.festipizza.com.br. O ingresso dá direito a pizzas, água, refrigerante e uma taça de vinho/espumante ou uma cerveja. As bebidas alcoólicas serão vendidas separadamente.

Várias atrações musicais foram programadas para animar o público. No dia 17 de julho (sexta-feira) Deise & Zilo comandam a festa; no dia 18 de julho (sábado) a Banda Vôo Noturno anima a noite; no dia 24 de julho (sexta-feira) será a vez de Cassio Santos & Gang Sertaneja e no dia 25 de julho (sábado) a Banda Aero Willys encerra o evento. As bandas iniciam as apresentações sempre a partir das 20h. O Festipizza tem o patrocínio da BRF, Nordeste Alimentos e Lojas Benoit. Também tem o apoio da Fruki Guaraná, Girassol Comércio de Materiais de Construção, da Fermac Detonações e Terraplenagens, Ju Decorações, Domno Importadora e Liquigás. A realização deste evento é da Acisco em parceria com o Poder Público Municipal e a organização é da Lume Eventos.

 

Capela do Centro Administrativo vai se chamar Frei Rovílio Costa


8 de julho
de 2015

MARCOP0LO

cheguei de caxias agora onde estive no lançamento de novos onibus....

* revi amigos de 20 anos que não via...

* conheci um grande colega o LUIZ CARLOS SECCO, que eu já ouvira falar.

* a marcopolo tá com o freio de mão puxado, imagina or esto....

 

MARCOPOLO SEGURA OS FREIOS NA CRISE



O quadro da Marcopolo,fabricante de carrocerias, de Caxias, não é desesperador. Mesmo assim, todo cuidado é pouco....

Até junho, caiu este ano em 30% o número de onibus vendidos. Mas a empresa se adiantou e desde março pratica uma éspécie de negociação com seus funcionários em que são economizados dias de trabalho onde o funcionário nãorecebe a totalidade do que deveria ganhar. deverá compensar lá mais adiante.

É uma negociação, moderna, diante da situação que o país vive...

Todos estes dados foram apresentados pela diretoria executiva da empresa esta manhã durante longa coletiva a imprensa nacional.

Fazia anos que a Marcopolo não levava a Caxias jornalistas ...que cobrem este setor.

A turma chegou na segunda de tarde e hoje depois da coletiva d eum tipico almoço caxiense, foi embora a grande maioria pra SP. Outros vieram de outras capitais.

Andar pelo pátio de montagem da empresa em Ana Rech é sentir-se cidadão do mundo. ali tem BRT pra Luanda, rodoviários pro Chile pra todo canto do mundo....

A Marcopolo é uma empresa mundial, apenas suas fábricas estão no Brasil.

Nenhum dos acionitas compareceu ao encontro. Nem os Bellini, nem José Matins. Ficou com os executivos, que sem cerimônia sentaram na murada o palcozinho no auditório.

 

MARCOPOLO



a diretoria executiva se mostrou hj muito apreensiva sobre a situação dos onibus de porto alegre

- há 3 anos que não vendemos nada pra lá, disse o diretor Paulinho...

a marcopolo acompanha a licitação ora em andamento....

* Mery Steiner, do marketing, tá bem diferente. mais magra, de óculos, tipo intelectual....

* Um ano botei a Mery ao vivo na Guaíba, as 7 e meia da manhã, descrevenbdo uma nevada em Caxias. ela gritava:

- tá nevando, olha aí na rua, como se o ouvinte da guaíba pudesse ver...

* A Mery tem que ' acalmar' os coleguinhas locais quando tem estas visitas naci0nais à fábrica....

* Os egos são grandes......

auditorio de ana rech da marcopolo. coleguinhas ouvem diretores da empresa

no auditorio da fabrica de ana rech, diretores da marcopolo dão coletiva....

visita dos jornalistas aos novos onibus da marcopolo em Caxias

jornalistas conhecem novos onibus da marcopolo em Ana Rech

coleguinhas na visita aos onibus da Marcopolo hj em Caxias

COLEGUINHAS CONHECEM NOVOS ONIBUS DA MARCOPOLO NA FABRICA DE ANA RECH

 

MARCOPOLO

revi antigos colegas no encontro de hj em Caxias. o Barto...senti saudades do Edison Puntel, do Newto, e da Valdir..enfim é a vida. mas conhecio Secco, pai e filho.....

almocei com o Secco pai e batemos longo papo...(Olides)

 

NA DESCIDA DA SERRA

DEPOIS DE DOIS DIAS DE MUITO TRABALHO EM CAXIAS, COLEGAS QUEIROS E SECCO, PAI, DORMEM A CAMINHO DE SAMPA NA TARDE DE HJ

 

MARCOPOLO

CRISE FAZ CHASSIS ESPERAR POR CARROCERIAS EMPILHADOS NA FABRICA DE ANA RECH.....EM CAXIAS.

 

de Caxias

O DIA ESTAVA HJ EM CAXIAS CHUVOSO, FRIO E CHEIO DE NEBLINA BEM COMO É CAXIAS NO INVERNO.....UMIDO E XAROPE.....

 

Caxias

os coleguinhas que foram no lançemento de novos onibus da marcopolo posam no lacave, antes do almoço. galeto e massa foi o que comemos e dos bons....

 

Briga

se acharam os cornos aqui na lavras com ijui...briga de transito....

 

coisas boas de sb

ah, esqueci, recomdem ao sartoron das massas que não deixe de comer um PUTCHERO feito pelo meu amigo RAMÃO AGUILAR...

* mas tem que combinar com ele...porque como JUIZ DE PAZ DE SB ELE É MUITO OCUPADO...

 

Cinema

A EMOÇÃO À FRANCESA

por Eron Duarte Fagundes

Meu verão na Provença (Avis de mistral; 2014), dirigido pela francesa Rose Bosch, exibe uma sensibilidade cotidiana em que os franceses são especialistas, desde o mestre de todos eles, Jean Renoir. Outra característica gaulesa é a nostalgia do campo, que perfura o urbanismo do cidadão francês: num certo ponto, todos os empinados parisienses, enfarados, querem fugir para a província. A principal referência da narrativa de Bosch me parece ser um cinema pouco referido por aqui, o de Jacques Doillon; ácidas e frequentemente agridoces, as relações entre as criaturas são habilmente dosadas ao longo das cenas, caracterizadas por diálogos diretos e vertidos numa linguagem desabusada.

O que está diante das câmaras é a aproximação entre um avô turrão e seus três netos que vêm passar uns dias na casa do velho na Provença. Quem os traz é a avó. O motivo: os pais dos garotos estão se separando. Os netos: um adolescente, uma adolescente e um menino surdo-mudo. Os conflitos de gerações, ao gosto francês, se estabelecem. A interpretação do trio é de encher os olhos, especialmente a caracterização do garotinho surdo-mudo Lukas Pelissier. Contracenando com eles, os experimentados desempenhos do francês Jean Reno e da italiana Anna Galiena nas peles dos avós.

Houve quem confundisse a narrativa com um “filme de férias”, de redenção humana. Viu melodrama existencial à Hollywood onde há uma simples crônica de costumes nos moldes franceses desde a literatura. Estamos, na verdade, diante dum registro de uma certa experiência humana, feita sem o ponto de vista moral de quase todos os filmes. Talvez isto possa parecer estranho e enviesado para o espectador de sempre. O conforto final da família não é, de maneira alguma, uma solução conciliatória para os conflitos, como pareceria à primeira vista. É somente mais um elemento da emoção à francesa. Sem se caracterizar propriamente como uma obra de exceção, é um ponto de sensibilidade cinematográfica diferenciado dentro do habitual do cinema.

 

do G1

Fotógrafo refaz imagens de famílias para mostrar ausências da ditadura

Mostra 'Ausências' fica até 12 de julho no memorial da Resistência.
Fotógrafo registrou famílias brasileiras e argentinas antes e depois da perda.

Giovana Sanchez Do G1, em São Paulo


Imagem de 1967 mostra a família ao lado de Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira (à esquerda da primeira imagem). Na segunda foto, refeita em 2012, os parentes se reuniram sem Fernando (Foto: Divulgação/Gustavo Germano)

Eduardo Germano, irmão do fotógrafo argentino Gustavo Germano, foi uma das cerca de nove mil pessoas que desapareceram durante a ditadura argentina (1973 - 1983). Na família, as lembranças permeavam os retratos antigos. Um dia, Gustavo decidiu reproduzir uma dessas imagens. Juntou os irmãos crescidos e posou com eles no mesmo lugar. O espaço ocupado por Eduardo ficou vazio. E foi assim que o fotógrafo criou o projeto 'Ausências', em exibição até 12 de julho em São Paulo.

"Eu tinha essa dupla condição de familiar de desaparecido e fotógrafo, e isso apareceu como uma maneira de representar através da fotografia o que significa o vazio da ausência. O outro elemento está baseado na maneira de representar, que é: não pude ver meu irmão envelhecer. [...] É uma maneira de poder falar com imagens sobre o que significa o desaparecimento forçado", disse Germano ao G1, em entrevista por telefone.

Por todo o ano de 2012, o fotógrafo percorreu a Argentina - e depois o Brasil, do Ceará até o Rio Grande do Sul - refazendo imagens de famílias e seus vazios. "É uma situação muito especial, em muitos casos havia pessoas que nunca haviam voltado aos lugares das fotos e tanto na Argentina como no Brasil houve situações de alta voltagem emocional", contou ele.

O fotógrafo agora trabalha em extensões do projeto na Colômbia e Chile e depois pelos demais países da Operação Condor - aliança entre governos da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai para realização de atividades clandestinas como sequestros, torturas e assassinatos.

"É uma maneira de representar também esse método de desaparecimento forçado que se aplicou ao redor de toda a América Latina. [...] No Brasil não foi aplicado com a mecânica massiva da Argentina, mas teve o antecedente de ser pioneiro."

Germano disse que a princípio pensou que a barreira da língua seria um problema, mas quando começou a conversar com as famílias de desaparecidos no Brasil percebeu que algo os unia. "Conhecer a fundo o que significa o desaparecimento forçado, a situação dos familiares, gerou a possibilidade de conexão, muito além do país de origem ou cultura."

Os 12 pares de fotografias podem ser vistos até o dia 12 de julho, das 10h às 17h30, no Memorial da Resistência, em São Paulo. Todas as imagens do projeto podem ser vistas no site do fotógrafo, http://www.gustavogermano.com.


A brasileira desaparecida Ana Rosa Kucinski Silva (Foto: Gustavo Germano)

 

Escola de Governo promove Ciclo de Palestras

A Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH) através da Escola de Governo, promove o 3º encontro do Ciclo de Palestras, na quarta-feira, 8, a partir das 14h. "Comunicação: estratégias de alinhamento para execução de políticas públicas em prol da cidadania coletiva" é o tema do encontro, que conta a participação do mestre em Diversidade Cultural e Inclusão Social, Douglas Marques. O objetivo é abordar a importância da relação entre o governo, mercado e a sociedade na construção da cidadania.

Servidores públicos, agentes sociais e estudantes podem realizar a inscrição pelo email fdrh-escoladegoverno@fdrh.rs.gov.br ou na sede da FDRH (Av. Praia de Belas, 1595).

 

de Serafina

Serafina Corrêa: 55 Anos! Entrega Oficial da Academia ao Ar Livre no Distrito de Silva Jardim

O Distrito de Silva Jardim está em festa! A Prefeitura Municipal realizou, na segunda-feira, 06 de Julho de 2015, a cerimônia de entrega oficial da Academia ao Ar Livre. Localizada em frente à Escola Estadual Padre Marcos Rampi e Pré-Escolar Criança Feliz, a obra proporciona uma série de benefícios, além de prevenir doenças, estimula a prática de exercícios físicos para todas as idades, é gratuita, promove bem-estar social, físico, emocional e qualidade de vida. Participaram da cerimônia o Prefeito Municipal Ademir Antonio Presotto, o Vice-Prefeito Francisco Bernardo Mezzomo, a Presidente da Câmara de Vereadores Eleni Castro Pizzatto, o Sub-Prefeito Paulo Treto, a Primeira Dama, demais Vereadores, Secretários, Servidores Municipais, Direção, professores, funcionários e alunos da Escola Estadual Padre Marcos Rampi e do Pré-Escolar Criança Feliz e a comunidade do Distrito de Silva Jardim.

A entrega oficial foi um marco, com uma comemoração à altura do único Distrito do município. Para abrilhantar o evento, houve a apresentação de Jogueti Italiani, coordenados pela Professora Nair Molossi. Em seguida, o Projeto Social da Prefeitura Municipal, o Coral da Terceira Idade, do Professor Moisés Zaffari, fez sua bela apresentação. Envolvendo o público, houve a apresentação do Grupo do Curso de Violão de Silva Jardim, com o Professor Gilmar Tibolla. Para finalizar, o Grupo de Canto de Silva Jardim também apresentou três belas canções. O Prefeito Municipal Ademir Antonio Presotto, em seu pronunciamento, agradeceu as apresentações e falou sobre a importância da obra, reivindicada pelos Vereadores na Sessão Descentralizada do ano passado. Também destacou que o maior patrimônio de um município é o seu povo. Falou também sobre a viagem à Brasília quando, naquela oportunidade, o Deputado Federal Renato Molling destinou uma emenda de R$ 250 mil ao Distrito de Silva Jardim, para pavimentação. O anúncio foi aplaudido pelos presentes. Também falou sobre os recursos na ordem de meio milhão de reais para o Hospital Nossa Senhora do Rosário. Uma tarde alegre, cheia de emoção, musicalidade, originalidade e que certamente marca os 55 anos do município, com um evento ímpar no Distrito de Silva Jardim.

7 de julho de 2015

Impeachment

não sei pq mas me passa pela cabeça as cenas do impeachment delle.....

 

Dilma

é of ato da filha da Dilma estar grávida novamente mexe com as estruturas sociais do país....

* noticia pra no máximo uma coluninha de fofocas....

* agora pra chamada de colunista política....tem paciencia.....

 

um longo ostracismo....

vOU HJ A MARCOPOLO EM ANA RECH pra ver o lançamento de novos produtos da empresa...

sempre que vejo a marcopolo me lem bro de 1992,quando sem querer,dei um furo monumental, dizendo pela 1 x que a marcopolo tava fazendo a 5 geração de rodoviários.

liguei pra lá na hora do almoço,atendeu um sujeito e disse. como eu faço pra fotografar ai dentro

- nem pensar, tem 5 modelos em QUARENTENA...foi isto que ele disse.

- ai eu quis mais dados. ele vomitou tudo.

no outro dia dei uma notinha e deu um rebu....muitos clientes queriam cancelar os pedidos....

fiquei com a ficha suja na marcopolo durante muitos anos....(olides canton)

 

O AMOR É LINDO

HJ DE MANHA NA PARADA DO BUS DA NILOPOLIS, O CASAL AINDA SE ESFREGAVA...DEVE TER SIDO BOA A NOITADA...PEGUEI DE LADO PRA NÃO ME INCOMODAR.

 

TRIANGULO DA ASSIS BRASIL

NO FIM DO CORREDOR, IMPORTANTE ELO DE LIGAÇÃO DO TRANSP COLETIVO DA CAPITAL COM A RMETROPOLITANA. SEMPRE TEM MOVIMENTO TÁ MEIO ABANDONADO.

mais duas do triangulo da assis brasil e duas do camelodromo, onde peguei hj de manha bus pra ir ao jardim sabará.....

 

de São Borja

nem lasier martins, nem o sen cristovão buarque foram ao evento da reinauguração do museu do getulio.

* nem o sec vieirinha...não vi nem o pres do pdt, o pompeo de mattos.

* não foi um evento do pdt. foi do municipio....

* estes deputados estiveram no evento do brizola dias atrás.

* comos e sabe, farelo, o prefa, está fechado com o dep cherini, que fez 400 e tantos votos em sb na ultima eileição o que não é mole não porque o tiago cado, da terra, fez 13 mil votos praticamente todos no municipio.

* e todos sabem que farelo pedia votos pro cherini, até o tiago cadó sabe disto.

* agora é bem provável que cadó queira disputar a convenção pra ser o candidato em 2016 a prefeito farelo quer ser de novo.

* tem o celso lopes que tb quer, há anos....

* enfim, não é só na praça xv de novembro que os bugios brigam, haverá uma guerra de bugios tb pra indicação do novo candidato do pdt em 2016. quem decide??o dfiretório???que como se sabe tem forte influencia da dep juliana brizola, já que o presidente do pdt local, márcio é ligado a deputada neta do veio briza...(OC)

 

de São Borja

depois de uma crise conjugal, a primeira dama claudia, começou a reaparecer ao lado do farelo, o prefa...

* O pivô da crise conjugal não é de botar fora....

 

de São Borja

o gob Sartoron seguramente não teve tempo de conhecer o ' melhor' da terra dos presidentes....

então como o dep ibsen lê este blog peço ao ilustre saoborjense ibsen que repasse ao gov. com quem ele tem contato e de uma proxima o ilustre caxiense vai conhecer os melhores locais indicados por mim...

1. BAILE DA TIA RAMONA...

no passo, no começo dele era só chinaredo. agora virou chic....

2. alguns do que tavam no evento do museu, frequentam o tio ramona, outros vão tb no bar do jango, como o ver celso lopes....mas este vai lá somente durante as campanhas politicias.

3. o bar do CHITA...em sb conhecido como la barca...lá tem de tudo..numa festa do mala do ano, um cortou a orelha do outro. sim isto aconteceu. estes dias o bandido que fez isto tava lá tomando trago....

4 foi por esta e mais outras que o chita - oficialmente chamado de irmão do ' nego sérgio' os guimarães, ou o gaudencinho, suspendou por smepre o tal do mala do ano...simplesmente cortaram uma orelha , coisa de faroeste.

5. tem o bar do jango, mas este é so de madrughada que e bom, de dia é um barzinho normal localizado na fente do cemitério jardim da paz....

6. o boteco mais conhecido como padaria, em frente ao comercial, onde capincho e seus capangas tomam trago após o expediente publico....

7 não esquecer do chinaredo do artemis, onde alguns funcionarios públicos deixam boa parte de sua mesada de fim do mes que o farelo paga religiosamente.

8 boteco do seo muniz. fica ao lado da camara municipal - nada a ver com ela - e lá se toma uma cachacinha legal. mas seo muniz é do PP não do PDT...

9 o porto pra comer um peixinho, garanto que não levaram o sartoron das massas pra l

10 a feirinha do produtor no sabado de manha. uma das melhroes coisas de sb e não tou debochando não.

11 enfim, governador não é só cazias que tem coisas boas, sb as tem em profusão. principalmente mulher bonita, não conheço cidade gaúcha com tanta mulher bonita....

12. mas não esqueça do dito saoborjsnes. a melhor saida pra são borja é a rodoviária...e muitos ilustres da terra dos presdinetes vão mesmo a caxias pra buscar trabalho. na fronteira, esquecida tanto dos governos, nao tem emprego, não tem industria...

13. e se não for entrevistado pelo PRATO FINO, não é celebridade em são0 borja.....(olides canton, um saoborjense por adoção...)

 

Cinema

O DESASTRE DE VER

por Eron Duarte Fagundes

Sabe-se que o gênero muito hollywoodiano do cinedesastre nasceu nos anos 70 com os filmes da série Aeroporto. Sabe-se também que o clássico desta vertente é Inferno na torre (1974), de John Guillermin e Irvin Allen. Sabe-se ainda que os roteiros destes filmes, fiados na grande produção de efeitos visuais megalomaníacos, propõem uma série de puerilidades que não se peja de inserir melodramas intersticiais dentro do foco maior que é a encenação barulhenta de um grande desastre. Alargando-se o conceito do gênero, pode-se dizer que há elementos do cindesastre desde as inundações de Metrópolis (1926), do alemão Fritz Lang, até os ataques do monstro marinho do americano Steven Spielberg em Tubarão (1975) na costa americana. Então chegamos ao atual Terremoto: a falha de San Andreas (San Andreas; 2015), de Brad Peyton, onde se vê que, apesar da bulha tecnológica, as coisas não mudaram muito com os desastres americanos; os melodramas permanecem intersticiais à beira do importa, a agitação visual-sonora. Um filme como Titanic (1996), de James Cameron, interferiu nestas marcações e trouxe o melodrama dos interstícios para o centro, mas um pouco do desastre permanecia o mesmo em Cameron.

Os liames familiares triviais costuram a precária trama de Terremoto. O moralismo do narrador se evidencia, condenando o divórcio, o intruso destruidor da família e recompondo, passada a tempestade (o mau tempo da natureza corresponde um pouco ao mau tempo matrimonial), o lar desfeito: a mulher vai compreender que o marido heroico é mais bom-caráter que o novo companheiro, que a filha sempre tem razão e que um novo lar se avizinha com a chegada do namorado bom-moço da garota. O que sobra para o observador é o desastre de ver estes choros ingênuos sem se impacientar.

 

Gomorra

 

do Sul21

Hildegard Angel: ‘Nossa classe jornalística é feita de oportunistas’


Hilde é irmã de Stuart Angel e filha de Zuzu Angel, ambos assassinados pela ditadura, ele em 1971, ela em 1976

Da RBA

A jornalista Hildegard Angel afirma que colunistas da imprensa, que tiveram passado de esquerda, hoje não se constrangem em aderir ao pensamento conservador que domina a imprensa brasileira. Em debate na última sexta-feira (3), no Centro de Estudos de Mídia Barão de Itararé, Hilde, como é conhecida, foi categórica: “Essa é a história do oportunismo da imprensa brasileira. Do oportunismo dos intelectuais brasileiros, daqueles que se situam e formam suas panelinhas para manter seus cachês valorizados. Agora, não valoriza cachê ser de esquerda, o cachê fica baixo. Valoriza o cachê falar mal das causas sociais, dos progressos sociais, das conquistas sociais”.

Hilde é irmã de Stuart Angel Jones, assassinado em 1971 nas dependências do Centro de Informações da Aeronáutica, durante o governo do general Emílio Garrastazu Médici. Nos cinco anos seguintes, sua mãe, a estilista Zuzu Angel, promoveu busca incansável pelos responsáveis pela morte do filho, até ser ela própria também morta pelo regime, já no governo do General Ernesto Geisel.

Hildegard Angel relata diálogo tido com o ator e diretor de cinema e televisão Hugo Carvana, poucos dias antes de sua morte, em outubro passado. Conforme seu relato, falava ele sobre como “companheiros, de cinema, de arte, que assinam coluna no jornal O Globo, têm coragem de tomar certa posições” (Carvana mencionava um cineasta que não é o Jabor, querendo dizer que este nem mais considera por ter se tornado personagem pitoresco). “Mas ele o Fulano, o outro da área de música, o Beltrano, eles sabem, Hild! Eles sabem o que pode decorrer disso que estão escrevendo! Eles sabem as consequências do que estão fazendo!”

“Esta foi uma lamúria do querido Hugo Carvana dias antes de sua morte. E ‘estes’ que sabem estavam lá carregando a alça do caixão do Carvana”, conta a jornalista. “A verdade é que a nossa classe jornalística é feita de oportunistas”, disse ela, em evento que promovia o relançamento dos livros Golpe de Estado, de Palmério Dória, e Lamarca, O Capitão da Guerrilha, de Emiliano José. O testemunho de Hildegard Angel foi postado no Youtube pelo blogueiro Enio Barroso Filho. Assista.

 

Hotel

capincho corrige....

ele sp fica hospedado lá...é baratinho....

De: letier12
Enviada: Segunda-feira, 6 de Julho de 2015 06:49

O Hotel Pampa é na Demétrio e não na Fernando Machado

 

de Serafina

Serafina Corrêa: 55 Anos! Encontro de Carros Antigos

A quarta edição do Encontro de Carros Antigos foi realmente um grande sucesso! Comemorando os 55 Anos de Serafina Corrêa, cerca de 200 estrelas fizeram do Encontro um momento único de reunir os amantes dos carros antigos no belíssimo domingo de sol, 05 de Julho de 2015. A comunidade serafinense prestigiou o evento que invadiu a Praça Papa Pio XII, a Piazzetta San Marco, a Avenida Miguel Soccol e a Rua Orestes Assoni. O Encontro contou com participantes de 24 municípios, carros antigos e bicicletas de Santa Ângelo, Mato Castelhano, Muçum, Garibaldi, São Valentim do Sul, Paraí, Casca, Nova Bassano, Nova Prata, Guaporé, Ilópolis, Montauri, Erechim, São Domingos do Sul, Nova Araçá, Marau, Passo Fundo, Tapejara, Lagoa Vermelha, Arroio do Meio, Bento Gonçalves, Sarandi, Carazinho e União da Serra. Para o Presidente da Confraria Serafinense do Carro Antigo, Paulo Ricardo de Bortoli, o Encontro foi um sucesso: Gostaria de agradecer a Prefeitura Municipal e a todos que tanto trabalharam neste evento, destacou o Presidente. Para abrilhantar a tarde, houve show com a Banda Máquina do Tempo. Um evento para ficar na história, nos 55 Anos de Serafina Corrêa!

Realização: Secretaria de Turismo, Juventude, Esporte e Lazer e Secretaria de Cultura.
Apoio: Confraria Serafinense do Carro Antigo.

 

Serafina Corrêa: 55 Anos! 2º Intercâmbio Musical

A música é celeste, de natureza divina e de tal beleza que encanta a alma e a eleva acima da sua condição. Aristóteles

Cerca de 250 pessoas participaram da segunda edição do Intercâmbio Musical no Santuário Nossa Senhora do Rosário. O grande evento musical aconteceu na noite de domingo, 05 de Julho de 2015, dentro da Programação dos 55 Anos de Serafina Corrêa. O Intercâmbio teve o objetivo de valorizar os talentos de jovens e adultos, incentivando a divulgação da arte através da música, da cultura, do lazer e do entretenimento para toda a comunidade. Com incentivo financeiro da Prefeitura Municipal, o Coro de Câmara da Universidade Federal de Santa Maria foi recebido ainda no sábado, 04,
pela equipe da Secretaria Municipal de Cultura e pelo Coral Municipal, sendo que os dois grupos tiveram a oportunidade de interagir, trocar informações e experiências. O resultados de todo esse Intercâmbio pôde ser acompanhado na noite de domingo, num verdadeiro espetáculo musical
de puro encanto, de alegria, harmonia e paz! Serafina Corrêa, nos seus 55 Anos, teve um belíssimo show, enchendo de musicalidade e cultura os participantes e artistas!

6 de julho de 2015

grande larissa....

me agarrei a materia da larissa sobre doentes terminais. baita texto. precisamos de + talentos assim....

 

Ufrgs

SEXTA DE NOITE QDO SAI DO CINEMINHA DA URGS LÁ PELAS 9 DA NOITE, VENTAVA MUITO FORTE NA URGS. E VI UNS MALUCOS ALI DO LADO DANÇANDO AO VENTO, ERA UMA HEAVY, NÃO SEI BEM PQ TINHA VELAS ACESAS, BE BIDAS.ACHO QUE PODIA SER UMA FESTA...MAS FESTA COM AQUELE VENTO FRIO ALI....

ME LEMBREI DE MINH AJUVENTUDE NA CORDILHEIRA DOS ANDES, QUANDO NÃO SENTIA NADA, MELHOR AGUENTAVA TUDO. VIREI UM VEIO BURGUES QUE QUER O COBERTOR E A ESTUFA...(OLIDES CANTON)

 

Rodoviária

SAB BOM MOVIMENTO PRA CAXIAS...NO SAB A NOITE, FALEI COM O SERAFINI(MANSUETO) QUE ME DISSE QUE TAVA 3 GRAUS LÁ DE NOITE...PUTA FRIOZÃO....

 

Frio

COM OF RIO QUE FAZIA NA PR DA ALFANDEGA NO SAB DE MANHA LÁ PELAS 10 HS OS OPERÁRIOS CORTAVAM ARVORES QUE PODIAM CAIR...SMAM NELAS....

 

Água

AGUA DISPERDIÇADA NO SAB DE MANHÃ NA 7 DE SETEMBRO....NO DOMINGO JÁ TINHAM CONSERTADO...O VAZAMENTO....

 

HOTEL PAMPA NA FERNANDO MACHADO

NESTA MANHA DE DOMINGO, A TURMA VOLTA DO INTERIOR DEPOIS DO FINDI NA CAPITAL.ANTES A FOTO....E LÁ ENCIMA AS CORTINAS ABERTAS DEIXAM TUDO A VER.....É PRO SOL ENTRAR....DEIXA O SOL ENTRAR....

 

Carros antigos

tem gente que p erde seu tempo vendo carros antigos....gosto é gosto, não se discute....esta exposição hj foi na perimetral, lá onde sp tem uma feira de frutas...(OC)

 

Encol

apr da encol tava hj como o diabo gosta...todo mundo lagarteando,sem fazer nada.mas sempre tem cachorro pra + de metro pro meu gosto...não me importo, fico lendo meu livro..e comendo bergamota...(OC)

 

Santander

finalzinho de domingo muito compensador..belo show de violão no santander...de uma guria, nunca tinha ouvido falar, mas toca pra c....

 

SARTORON em SB!



O Gov Sartori contou aquela famosa história que contam do Getulio de quem um ministro falou mal de outro, outro de outro e que ele teria dito pra filha Alzira...

- ele tem razão....

e que a filha reclamou:

- mas como, tu dizes que todos tem razão...

o folclore político diz que teria sido com a esposa, Darcy, este episódio.

* E AQUELA VELHA HISTÓRIA DO GETULIO DE QUE TERIA DITO: FAZ COMO EU NÃO TE METE EM POLITICA, ELE TERIA DITO DEPOIS DE UM DIA INTEIRO OUVIR O PRESIDENTE DO PTB JOSÉ VECHIO(PAI DA MIGUELINA) SE QUEIXAR DAS SACANAGENS QUE BRIZOLA E JANGO APRONTAVAM PRA ELE DENTRO DO PTB....

* há imensa lenda sobre a astucia politica do velho saoborjense. muito é folclore,outras são reais....

porém nunca foi feita uma pesquisa séria, como o antonio goulart fez com o fraseado do brizola....

 

de São Borja

NEUZINHA PENALVO NÃO QUER SER CANDIDATA....

assessores do dep loureiro, na 5 feira, tentaram localizar neuzinha penalvo pra uma janta.com o dep que a quer vereadora.

* cel dela não atendeu, apesar das insistencias.

* isto quer dizer que ela não quer ser p....nenhuma de vereadora...

* ou então tá dando uma de getulio,querendo que a vão buscar na fazenda pra ser candidata.menas, menas neuzinha....

(risos...) em tempo...a neuzinha não precisa do cargo pra viver. ela é adv e trabalha com o povo(OC)

 

de São Borja

JUREMIR MACHADO, QUE FEZ UMA CRONICA NO CP IMPULSIONANDO A LIC PRA RECONSTRUIR O MUSEU GET VARGAS, NÃO FOI NO EVENTO...

* TAVA AO LADO, NO ALEGRETE, DANDO PALESTRA....

VAIDADES, TUDO É VAIDADE....

LIDAR COM ELAS NÃO É FACIL

NEM O SEN LASIER MARTINS, NEM CRISTOVAÕ BUARQUE, NEM O SEC VIERINHA FORAM PRA INAUGURAÇÃO DO MUSEU DA COMUNICAÇÃO EM SB....

QTO AO VIEIRINHA, DESCONFIO QUE TEM RUIDO ENTRE ELE E SARTORI.....

 

Museu



omuseu inaugurado pelo ' 5 x ' foi o do getulio.

desta x ficou xique mesmo....

bahl mas como tinha gente na inauguração. quando fazia agua dentro aí ng se mexia pra mandar arrumar. ainda bem que o juremir fez aquela cronica(Olides) quem mandou as fotos foi o capincho, de SB

 

de São Borja



o dep loureiro nos estúdios da cultura am na 6 de manhã. o entrevistador é edson arce.....( não vi o prato fino em volta, geralmente ele fica nas beiradas pra dar uma metida de colher em algum assunto ou então dar uma noticia policial que os tiras passam pra ele.....)

 

de São Borja



dep loureiro fez roteiro na 5 passada em SB onde foi pros eventos da inaug do museu do getulio(OC) fotos by capincho.....seu fiel escudeiro.....

 

tou bem de prestigio

tou bem de prestigio. ontem de tarde me liga o capincho da churrascaria MISSOES e em seguida, uma ligação de um presidio....querendo me achacar....bota prestigio nisto....

 

SOBRE PÃO DURISMO

num fim de ano, o presidente de um sindicato de uma entidade, foi nBRASA pra comemorar o final de ano.

qdo veio a conta ele pagou e não deu gorjeta...

o gerente veio e perguntou:

- vcs foram mal servidos???

ele respondeu:

- o sindicato não paga gorjeta...

ficou por isto...alguns ficaram com vergonha, mas o homi é assim(OC)

meu ex-sogro sempre dizia...

- olha o almoço é este pra quem não gostar tem a galeteria ali do lado....(risos) tem que ser assim,senão não dá....

 

duas policiais....

1. anos atrás, uma entidade empresarial, que vende ao público, localizada nas cercanias do mercado público. foi vitima de um assalto...

como ela vende ao público, tinha um cofre - não sei se ainda tem - onde ficava guardada a grana(provavelmente a quadrilha que a assaltou pegou informações de dentro...como sempre...)

uma madrugada chegaram os bandidos, renderam o vigia, com maçarico levaram o cofre...literalmente carregaram num carro....

e deixaram o vigia amarrado....

* qual não foi a surpresa do guarda preso ali dentro, quando lá pelas 4 da madrugada, chegou a outra turma da quadrilha...viram o vigia amarrado e ai entenderam....outra parte tinha chegado antes, rendido o guarda e levado o cofre.

o cofre foi achado tempos depois, mas a grana nunca mais.....

* outra policial

uma empresa doturismo do centro teve levados de dentro 100 mil dólares...

o dono contratou um profissional pra recuperar...

50m mil dólares foram recuperados e os outros 50 mil nunca mais...

as más línguas dizem que3 todos foram recuperados, mas o profissional contratado ' ficou' com a beirada de 50 mil....

choses de la vie...como dizem os franceses...

 

Coleguinhas

a quem interessar possa....

* O Rekern sumiu....tá enfurnado no feice....

* Grande colega desenho meus mapinhos do meu livro da noite...coisa chic....

* engraçado que um dia távamos discutindo onde ficava uma rua....

eu disse|:
- vem cá rekern tu acha que sou louco??

ele me olhou como quem diz....

- não, eu que sou.....

 

Ufrgs

sab de manha fui na radio da urgs ...cedo, oito e pouco. queria fazer foto do cara que apresenta MOTIVOS DE CAMPO...

* 3 guardas na entrada. nenhum o conhecia, nem sabiam dele....

* ai vi que ele grava o programa....

* programa bom é feito ao vivo.....

 

CAGANDO E ANDANDO

a nossa imprensa diária tá de uma pobreza...

dias atrás o cinema da urgs passou um ciclo sobre a ditadura...

comentei com o goida isto neste sábado e ele me disse:

- mas não vi uma linha nos jornais...

pois é veio ainda acha que os jornais informam...vai pra internet veio goida...

 

memoria politica

Antes de 1964,o reitor da Urgs era Eliseu Paglioli...

E alguém descobriu que havia uma verba do Ministério da Educação pra expionr comunas dentro da universidade....

Lauro Hagemann que trabalhava no Diário de Noticias pegou um ' geloso' - gravador - e fizeram o Flávio0 Tavares gravar como se ele fosse um MenaBarreto do ministério se dirigindo ao Revoredo Ribeiro, um vereador da capital gaúcha....denunciando que havia comunistas na Urgs protegidos pelo reitor e que eles viriam pra denuncia-los e deixando assim mal o paglioli....

Com aquela gravação (feita pelo próprio Tavares no geloso) foram ao reiytor e disseram:

- olhe ai reitor tão querendo se meter na universidade, o MEC vai vir aqui pra expulsar comunias que o senhor protege.

Paglioli, antes de uma viagem, deu declarações contundentes dizendo que ele não iria permitir isto.....

Resultado: Lauro Hagemann por ter pego o geloso do DN acabou indo pro olhol da rua(OC)

 

BASSEGIO

SE CASSAREM O DR. BASSAGEIO - POUCO PROVÁVEL - SERÁ O PRIMEIRO NA HISTÓRIA DA ALRS...

* WALDIR FRAGA NÃO FOI CASSADO. SUA CONDENAÇÃO VEIO DAS URNAS. ELE NÃO SE REELEGEU DEPOIS.

do Jornal Panorama Regional

p^o que caso eescabroso é este que não sabem quem matou???(OC)

Veículo da Izabel Siviero é liberado

A Polícia Civil de Veranópolis liberou para a família na semana passada o automóvel Crossfox onde a psicóloga Izabel Siviero Dal Ponte foi encontrada morta no final de maio. O veículo está em uma oficina para ser consertado, em virtude de alguns danos. Nesta semana completa-se um mês da morte da 'Baker', e a Polícia Civil de Veranópolis segue investigação. Não houve prisões até o momento.

Ela foi encontrada morta na manhã de 31 de maio no interior de Cotiporã, na estrada de acesso a Bento Gonçalves. Izabel estava desaparecida deste o final da tarde de sábado, 30. O corpo apresentava ferimentos no pescoço causados provavelmente por faca ou outra arma branca. A Polícia ainda não informou o resultado da perícia no local onde o corpo foi encontrado e nem o exame de necropsia.

 

anne schneider cumpre roteiro .....

De: anneschne
Enviada: Sexta-feira, 3 de Julho de 2015 22:25

Dia 12/7 Basílica de Lourdes -Belo Horizonte-MG
Dia 09/8 Basílica del Stissimo Sacramento-Buenos Aires -Argentina
Dia 12/8 Festival Internacional de Valparaiso-Chile (ainda não sei o local)
Dia 14/8 Catedral de Santiago -provavelmente-Chile
Depois tem no Brasil,mas aí ainda te confirmo .

 

Cinema

A PATAGÔNIA: O GESTO FINAL DO HUMANO

por Eron Duarte Fagundes

Jauja (Jauja; 2014), o filme multinacional do realizador argentino Lisandro Alonso, adota, de maneira extremada, o ritmo insistentemente lento do cenário em que se passa, a Patagônia, uma coleção de lugares desérticos quase sem seres para qualquer ação, no extremo-sul da América. Os planos se demoram naquelas ambientações inóspitas, vazias, selvagens, como para propor ao espectador o próprio estado reflexivo do ser, o ser-cérebro em andamento que simula o estático. Andar e parar ao mesmo tempo— ao mesmo tempo o tempo morto e o tempo repleto de significados, o silêncio que é um pouco gritado de angústia. Poesia? Filosofia? O cinema apresentado aqui por Lisandro Alonso tem muito disto.

Viggo Mortensen como o pai que se extravia da filha nos desolados da Patagônia domina o filme de ponta a ponta. As imagens assoberbam a estrutura fílmica. Há metáforas nos ares das imagens. Mas são metáforas que juntam estranheza e realismo, que desviam o real para o fantástico e tornam a fantasia simbólica para o aparente cotidiano. Num momento o pai se angustia no deserto gelado e amedrontador ao perder sua garotinha. Senão quando, e bruscamente, um corte intervém jogando a narrativa para um presente real, uma garota desperta numa casa que se cuida urbana. Há um choque na transposição de cenários. A língua espanhola e a língua alemã terçam armas estranhamente ao longo do filme.

Como nos antigos filmes do italiano Michelangelo Antonioni, retira-se o homem para o deserto para as meditações necessárias. Jauja é a terra mítica: de que necessitamos, pela qual procuramos e com a qual dificilmente deparamos. Vendo o filme, lembrei também o livro que Juremir Machado da Silva escreveu sobre sua viagem à Patagônia, em companhia de Cláudia, sua mulher, e do romancista francês Michel Houellebecq.

 

do Pioneiro

Aldo Locatelli: um centenário para recordar e homenagear

por Rodrigo Lopes


Em 1951: Locatelli dá os últimos retoques na pintura de São José com o Menino Jesus no colo. Foto: acervo Casa de Memória São Pelegrino, divulgação

A herança artística deixada por Aldo Locatelli em Caxias do Sul ganha evidência em 2015, quando o centenário de nascimento do pintor impulsiona várias homenagens.

Além de conferir a nova Casa de Memória São Pelegrino, prevista para reinaugurar no subsolo da igreja em 2 de agosto, a população pode participar da Honraria Especial Aldo Locatelli: 100 Anos de História e Legado.

A iniciativa da Câmara de Vereadores, via projeto do vereador Gustavo Toigo (PDT), busca reconhecer cinco personalidades da área das artes e do patrimônio histórico, cuja atuação dialogue com a vida e a obra de Locatelli. As sugestões podem ser enviadas ao e-mail honrariaaldolocatelli@camaracaxias.rs.gov.br, contendo o nome e o telefone de contato do votante.

Os nomes mais lembrados serão homenageados em uma sessão solene no Legislativo em 18 de agosto, data do nascimento do pintor em Bergamo, na Itália, em 1915.

Além de um diploma alusivo ao centenário, os homenageados ganharão uma espécie de réplica metálica de um pincel, com uma paleta contendo os dizeres: Pintor Aldo Locatelli (1915-2015): 100 Anos de História e Legado e Câmara Municipal de Caxias do Sul/RS.

A Câmara recebe as indicações até o dia 20 de julho.

Foto: Roni Rigon

Igreja São Pelegrino concentra uma das mais ricas produções de Aldo Locatelli no Rio Grande do Sul.

A Casa de Memória

Embora o pintor tenha deixado sua marca também na Igreja do Santo Sepulcro e no mural localizado junto ao antigo pavilhão da Festa da Uva (atual sede da prefeitura), é na Igreja São Pelegrino que sua obra impera.

É lá que o público poderá conferir o Espaço Aldo Locatelli, um dos destaques da nova Casa de Memória que reabre em 2 de agosto, data da tradicional festa de aniversário da paróquia.

O local contará com fotos, esboços originais das pinturas, sua história, as cartas trocadas entre Locatelli e o padre Eugênio Giordani e até os registros com os valores pagos pela obra.


Os andaimes que possibilitaram a execução da pintura do altar mor, ainda sem a obra “Os Quatro Evangelistas”, assinada pelo colega Emilio Sessa. Foto: acervo Casa de Memória São Pelegrino, divulgação


O altar-mor, com a Santa Ceia ao fundo, um dos destaques da Igreja São Pelegrino. Foto: Roni Rigon


Em 2003: a artista plástica Susana Fernandez atua na restauração da Criação do Cosmos, um dos afrescos do teto. Foto: Roni Rigon, banco de dados/Pioneiro


Telas recuperadas: em 2003, a artista plástica Fernanda Matschinske trabalhou na restauração das estações da Via Sacra, em Porto Alegre. Foto: Genaro Joner, banco de dados/Agência RBS

Entre 1951 e 1953

Os trabalhos de Aldo Locatelli na Igreja São Pelegrino iniciaram-se em 1951, com o mural da Santa Ceia – ela foi pintada em apenas 11 dias. Na sequência vieram o Juízo Final (no centro do teto), os 36 caixotões com os versos em latim do hino Dies Irae (O Dia da Ira), a Criação da Mulher, a Criação do Cosmos e a Expulsão de Adão e Eva do Paraíso.

Circundando a Santa Ceia, foram pintados mais dois afrescos: a aparição do Sagrado Coração à Santa Margarida Maria Alecoque (E) e a aparição de Nossa Senhora de Caravaggio à camponesa Joaneta (D). Com exceção da Via-Sacra, tudo foi concluído para a inauguração oficial do templo, em 2 de agosto de 1953.

Já entre 1958 e 1960, Locatelli dedicou-se à confecção de sua obra máxima. As 14 estações do flagelo de Cristo foram confeccionadas em seu atelier em Porto Alegre e inauguradas em 22 de maio de 1960, quando a comunidade caxiense prestava sua devoção a Nossa Senhora de Caravaggio.

Locatelli morreu apenas dois anos depois, em 3 de setembro de 1962, aos 47 anos.

Foto: reprodução

Um dos poucos retratos de Aldo Locatelli, nascido há 100 anos, em 18 de agosto de 1915. Foto: reprodução


Painel em bronze de Aldo Locatelli decora o acesso principal à Igreja São Pelegrino. Foto: Roni Rigon

 

Serenatas pela Cultura – Nesta quinta é a vez do Teatro Carlos Carvalho

A segunda edição do projeto Serenatas pela Cultura ocorrerá nesta quinta-feira (09/7), às 17h, em frente a Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ) – Rua dos Andradas, 736 – pela reabertura do Teatro Carlos Carvalho.

O projeto Serenatas pela Cultura, uma iniciativa da vereadora Sofia Cavedon (PT) e que conta com o apoio do Sindicato dos Artistas do RS (Sated/RS) e da Cia de Arte, tem o objetivo de sensibilizar a população e gestores sobre a importância de manter os espaços culturais da cidade.

Foto: Marta Resing

A primeira edição do projeto, que busca a revitalização e recuperação dos espaços culturais da capital gaúcha começou no dia 09 de junho, na Cia de Arte (Rua dos Andradas, 1780), que se encontra fechada desde janeiro deste ano.

Teatro Carlos Carvalho

O Teatro Carlos Carvalho é uma das salas de espetáculos da CCMQ, localizada no 2º andar, com capacidade para 100 espectadores. Pode ser organizada de várias maneiras e é ocupada por grupos teatrais e espetáculos musicais.

Outros espaços receberão a Serenata

As Serenatas terão continuidade de forma itinerante por outros espaços culturais de Porto Alegre que também estão fechados ou funcionando de maneira precária, como é o caso do Teatro de Câmara Tulio Piva, o Memorial do Theatro São Pedro e outros, mas, destaca a vereadora Sofia, “também iremos comemorar a revitalização e restauro de espaços como o Cine Capitólio”.

 

da Folha Popular de Teutônia

 

da Carta 15

#JuventudenaEstrada

Amanhã, 04 de julho, a JPMDB-RS e a FUG iniciam o projeto “Juventude na Estrada” - que busca proporcionar um espaço democrático e oferecer oportunidade para os jovens se manifestarem sobre temáticas relevantes. O primeiro debate será realizado em São Pedro do Sul, com o tema “Redução da Maioridade Penal”, das 14 às 18h, no Salão Menezes (Rua 28 de Julho, 577). O evento é gratuito e aberto ao público do município e região.

 

Governo do Estado

Ao receber dirigentes da Federação dos Trabalhadores da Agricultura (Fetag/RS), durante a realização do 21º Grito da Terra Brasil, nesta quarta-feira (1º), o governador José Ivo Sartori, acompanhado do secretário de Desenvolvimento Rural e Cooperativismo, Tarcisio Minetto, assegurou a execução de demandas apresentadas na assembleia da entidade, em maio. Entre elas, a manutenção dos programas de forrageiras, com aporte de R$ 3 milhões, do Troca Troca de Sementes, além de outros R$ 26,4 milhões para a compra de 220 mil sacas do grão.

 

Associação de Prefeitos

Eleito por aclamação, o prefeito de São Sebastião do Caí, Darci Lauermann, é o novo presidente da Associação de Prefeitos e Vice-Prefeitos do PMDB-RS pelos próximos dois anos. A eleição ocorreu na tarde da última segunda-feira, 29 de junho, na sede estadual do partido, em Porto Alegre. O encontro contou ainda com a participação dos secretários do governo Sartori Márcio Biolchi, da Casa Civil, Giovani Feltes, da Fazenda, e Carlos Búrigo, da Secretaria Geral – que apresentaram um panorama geral da situação do Governo do Estado.

 

Mercados e perspectivas para o futuro da produção leiteira no Brasil serão debatidos em audiência da Comissão de Agricultura em Ijuí

A Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado (CRA) promove no próximo dia 10 de julho, em Ijuí, na região Noroeste do Rio Grande do Sul, audiência pública para discutir os “mercados e perspectivas para o futuro da produção leiteira no Brasil”. O debate, que terá transmissão da TV Senado, será realizado no Salão de Atos do campus da Unijuí, a partir das 14h.

A região noroeste foi escolhida para sediar a audiência por ser o principal polo de produção de leite no Estado e o segundo maior produtor do país. Esse setor envolve cerca de 130 mil produtores e está presente em 90% dos municípios gaúchos, contribuindo com mais de 7% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado do Rio Grande do Sul. O debate, explica a senadora Ana Amélia, que preside a CRA, será importante para avaliar a situação atual e, especialmente, projetar ações para fortalecer e estimular a produção, garantindo a ampliação de mercados, desenvolvimento de mais tecnologia e mais geração de renda.

Lideranças do setor, representantes do governo, senadores, deputados e especialistas na área, além de produtores de todo o Estado, irão participar do debate. Serão painelistas o Chefe-Geral da Embrapa Gado de Leite, Paulo do Carmo Martins,o presidente do Sindicato da Indústria de Laticínios do Estado do Rio Grande do Sul (SINDILAT-RS), Alexandre Guerra, o presidente do Instituto Gaúcho do Leite, Giberto Piccinini, o presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (FETAG-RS), Carlos Joel da Silva, o presidente do Conselho Paritário Produtores/Indústrias de Leite do Estado do Rio Grande do Sul (CONSELEITE-RS/FARSUL), Jorge Rodrigues, o presidente da Emater, Clair Kuhn, o secretário de Agricultura do RS, Ernani Polo, o presidente da Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (ABIA), Edmundo Klotz, e representante do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

A audiência pública será presidida pela senadora Ana Amélia e será a oitava do Ciclo de Debates da comissão neste ano. O primeiro encontro ocorreu em março, em Não-Me-Toque, durante a Expodireto-Cotrijal, e discutiu questões relacionadas à logística do setor. Também ocorreram audiências em Porto Alegre, Petrolina (PE), Ilhéus (BA), Palmas (TO) e Brasília.

 

de Serafina

NIVER DE SERAFINA

o prefa BICO BRANCO MANDA UM CONVITE

SO FALTA DIZER O HOTEL QUE VOU FICAR....

ASSIM AGUARDO ISTO TAMBÉM.

NOANTRE SEMO POARETTI, MAS ME PIAZE CAFE COM SUCARO(oc)

 

Plano Municipal de Educação é Aprovado em Serafina Corrêa

Por Fabiana Valiatti Bordin - Assessora Administrativa
Prefeitura de Serafina Corrêa/RS

Após muitos estudos e discussões, o Plano Municipal de Educação foi aprovado na segunda-feira, dia 22 de Junho com voto favorável de todos os Vereadores. Foi um processo cuidadoso e democrático que resultou em uma proposta capaz de representar os anseios e os esforços de toda a sociedade em torno dos avanços necessários à educação. Devemos comemorar este momento, que é um marco para a Educação, onde Estados, municípios e a própria União estão com seus Planos aprovados dentro do prazo. O Plano Municipal de Educação tem a responsabilidade de traduzir e conciliar os desejos, as necessidades e as capacidades educacionais do município para a oferta da educação básica, em suas etapas e modalidades. A Secretaria Municipal de Educação agradece a cada pessoa envolvida neste processo de construção do Plano Municipal de Educação de Serafina Corrêa, por estarem contribuindo decisivamente para o desenvolvimento da educação de nosso município.

 

RGE promove ações para a o uso eficiente de energia elétrica em Serafina Corrêa

Espetáculo teatral, mostra fotográfica e atendimento ao público integram
as atividades destinadas à comunidade!

A Rio Grande Energia (RGE), por meio de seu Programa de Eficiência Energética (PEE) realiza na quarta-feira, 08 de Julho de 2015, um dia de ações diferenciadas para a comunidade de Serafina Corrêa. Das 10h às 15h, a RGE estará no Ginásio Municipal Valdomiro Castro – Avenida Arthur Oscar, 96 –, onde será realizado atendimento aos consumidores, com a oportunidade de negociação de débitos, além da distribuição de folders sobre os diversos projetos e áreas de atuação da empresa, em especial impressos com informações e dicas sobre o uso eficiente e seguro de energia elétrica.

Todas as atividades são gratuitas. Uma das atrações do espaço é o espetáculo teatral Cidade Luz, que visa chamar a atenção do público quanto à mudança de atitude para o consumo de energia e para a preservação do meio ambiente. De forma descontraída, a encenação mostra situações do dia a dia e o que podemos fazer para combater o desperdício de energia. Serão realizadas duas apresentações: às 10h e às 14h. No local, também estará exposta a Mostra Fotográfica Caravana RGE – Educando para a Eficiência, que apresenta os melhores momentos do projeto educativo itinerante que percorreu toda a área de concessão da RGE, em três edições, com público superior a 506 mil pessoas, dentre estudantes, professores e comunidades.

As atividades integram o projeto RGE Comunidades Eficientes. Somente em 2014, o Programa de Eficiência Energética da RGE investiu R$ 11.853.100,00 em projetos desenvolvidos nos municípios atendidos pela companhia, com o objetivo de promover o uso consciente de energia elétrica e o combate ao desperdício. Em Serafina Corrêa, foram investidos em 2015 R$ 45.448,11 na substituição do sistema de iluminação do Hospital Nossa Senhora do Rosário por lâmpadas LED, que reduzem em até 40% o consumo de energia elétrica e duram até 25 vezes mais que as lâmpadas comuns. As atividades são gratuitas e realizadas em parceria com a Prefeitura Municipal de Serafina Corrêa.

*Sobre a RGE*
A Rio Grande Energia (RGE) é a distribuidora de energia elétrica da região norte-nordeste do Estado do Rio Grande do Sul. Criada em 1997, a empresa atende 264 municípios gaúchos, o que representa 54% do total de municípios do Estado. A área de cobertura da RGE divide-se em duas grandes regionais: a Centro, com sede em Passo Fundo, e a Leste, com sede em Caxias do Sul. São 90.718 km² – 34% do território do Estado. Agrupadas, essas regiões apresentam um dos melhores índices sociais e econômicos do Brasil e também são as responsáveis pelo maior polo
agrícola, pecuário, industrial e turístico do Estado. Desde 2006, a RGE faz parte do grupo CPFL Energia, um dos maiores grupos privados do setor elétrico brasileiro.

*Sobre o Programa de Eficiência Energética*
Existente há 15 anos, o PEE-RGE é elaborado de acordo com as regulamentações do Programa de Eficiência energética da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), e implanta ações como a
substituição de equipamentos ineficientes, a doação de lâmpadas, a adequação da entrada de energia de consumidores irregulares, a educação para a utilização racional dos recursos naturais, além de diversas outras ações, dentro dos projetos: RGE na Comunidade; RGE na Escola; RGE no Hospital; RGE na Indústria; RGE no Saneamento, RGE nos Prédios Públicos e Caravana RGE
– Educando para a eficiência. Com um investimento de R$ 134.634.707,00 em 65 projetos realizados ao longo do período, o resultado foi de uma demanda evitada de 81.478 kW e de energia conservada de 274.878 MWh/ano.

 

Prefeitura realiza mais um sonho da comunidade serafinense!

A instalação da iluminação pública na Via Camargo Corrêa, mais conhecida como Marginal representa atender a mais uma importante reivindicação da comunidade serafinense. O Projeto contempla a instalação de infraestrutura nessa importante via urbana, atendendo a demanda de expansão viária. O Projeto de Instalação Elétrica contempla também a Escola Municipal Agrícola, a Vila Cabral no Camping Carreiro e o Loteamento Salete. Serão investimentos de mais de R$ 180 mil, com recursos da Prefeitura Municipal.

3 de julho de 2015

JARDS MACALE´....

terminhou há pouquinho - cheguei faz 5 min - vindo com o bela vista ....

ainda deve ter gente em volta da urgs

grande show do macalé....

* lembrou 69, quando cantou no maracanazinho e recebeu puta vaia....

* sem mágoas, porém....

- tres anos depois eu fui em cana, comentou, como que dizendo pra ele mesmo,sabendo que quem tava lá cagava e andava pra isto....

* macalé é um artista...não se vendeu pro stablishment.....(acho que tá errada a grfafia) mas queria dizer pro sistema. ele faz arte, inventa, canta, debocha...

* qdo pediram pra ele intervir pra que outros entrassem no show, ele desconversou

- depois falamos...como quem diz, nãotenho nada a ver com o povo que não entrou, não é assunto meu.

* tá certo ele.

* teve um idiota que grityou

- Cunha(se referia ao presidente da Camara dos deputados..nada a ver....)

quem foi não vai esquecer tão facil.....

* com uma banda tri competente...

ah, macalé fumou um cigarro careta no palco.....

indo pro show do jards macalé peguei estas fotos do tunel da conceição sentido c-b..eram 7 e meia da noite

 

Getúlio Vargas

será entregue hj depois de 18 meses em sb o museu de getulio.

* foram gastos 2 milhoes via LIC...

* Fico sabendo que no museu do jango não se pode reproduzir maisque 2 fotos ...deviam estar pirateando as fotos que tão nas paredes..

* po,até isto....

 

São Pedro

na 4 feira no tsp o quarteto quatricelli lotou o local de sempre.

 

do Anônio Lanches

a hora da boia dos funcionários no antonio lanches...hj de meio dia

 

HISTORIAS DO PINHEIRINHO...

Conheci muito o falecido dr. pinheiro machado netto, pai do anonimus gourmet....

era um brilhante advogado....

comunista até a cepa....

na casa dele ficava o prestes,quando vinha a porto...

espero uma biografia do veio há tempos.

mas de uma feita, minha ex-sogra convidou seu cunhado pra uma festa do marido na mesma casa, na antonio parreiras...

- não vou, eu e o gugliani(ex-presidente da fgf) não cabemos no mesmoe spaço, reagiu pinheirinho que tava de broncas com o giuliani.

- não te preocupas, tonico(apelido de familia) a casa tem 500 metros quadrados, disse minha ex-sogra....

tonico não foi...(OC)

 

MAZZA

JA VI QUE ESCREVESTES SOBRE O NICO....

* ONTEM TEVE MISSA DE 7 DIA. NÃO FUI. TINHA QUE CORRIGIR LIVRO DE SERAFINA.

QUE ESTARÁ LÁ PROXIMAMENTE.

CHEGOU O JR. ANTENA....

VE SE VAI A SERAFINA NA FESTIPIZZA. NÃO VAI LÁ SO PRA MORDER O BB(BICO BFANCO)

* DEIXA UM POUCO PRA NÓS, QUE SOMOS DE LÁ....

* ME LIGOU O LAMPERT, DAI, QUE É HISTORIADOR.

* PESQUISA COISAS DE MUNICIPIOS.(oc)

 

estreela X lajeado

até hj as duas cidades se inticam....

foi lá que vi o que é o bairrimsmo....

* qdo rigotto foi a lajeado, gov. eu tava em estrela. o que debochavam naquele dia nos bares de estrela dizendo piadinhas da grossuro de lajeado....

em sb não vejo este bairrismo com brasileiros. só com os correntinos de santo thomé, onde capincho e cia vão gastar ou com as putas, ou nos cassinos. saem de lá pelados....

conheço uma senhora de sb que vai tomar seus tragos em santo thomé e não tá nem ai...

* alias qdo te convidam pra ir a sb te apresentam a santo thomé,..dizem.depois vamos nos cassinos de santo thomé.

* a ponte uniu as duas cidades.

 

Programação do Clube de Cinema para o próximo final de semana

No próximo Sábado (dia 04/07/2015) as 10h15min no Espaço Multiuso Santander assistiremos ao filme "A Batalha de Argel" (La Battaglia di Algeri - 1966). Os eventos decisivos da guerra pela independência da Argélia, marco do processo de libertação das colônias européias na África. Entre 1954 e 1957 é mostrado o modo de agir dos dois lados do conflito, a Frente de Libertação Nacional e o exército francês. Enquanto que o exército usava técnicas de tortura e eliminava o maior número possível de rebeldes, a FLN desenvolvia técnicas não-convencionais de combate, baseadas na guerrilha e no terrorismo. As indicações recebidas pelo filme ao Oscar foram em anos diferentes. Em 1967 A Batalha de Argel foi indicado na categoria de melhor filme estrangeiro, sendo que dois anos depois, quando estreou nos cinemas americanos, foi indicado nas demais categorias.

No próximo Domingo (dia 05/07/2015) as 10h15min no Cine Capitólio assistiremos ao filme "Almas Silenciosas" (Silent Souls - 2010). Quando Miron perde a sua esposa Tanya, ele pede ao melhor amigo Aist para realizarem juntos os rituais funerários da antiga tribo Merja, no intuito de respeitar a vontade da falecida. Entre os costumes encontra-se ocultação do cadáver, para que ninguém além dos dois veja Tanya morta, e também a celebração do enterro no mesmo local onde foi realizada a lua de mel. Durante a viagem até a margem de um riacho, onde deve ser enterrado o corpo, Miron revela os segredos mais íntimos com a esposa, e Aist também compartilha as suas lembranças. Logo, o viúvo percebe que não foi o único homem apaixonado por Tanya.

Almas Silenciosas aborda os rituais da cultura Merja, há muito tempo desaparecida na Rússia. Esse povo, existente antes da dominação ortodoxa, não acreditava em nenhum deus, mas venerava o amor e a água como dois valores essenciais. Os Merja eram conhecidos pelos numerosos rituais utilizados para celebrar a vida e a morte. O título original de Almas Silenciosas é "Ovsyanki", que em russo é o nome de um pássaro da mesma família do pardal. Para filmar a importante cena do farol, a equipe do filme precisou de mais de vinte autorizações do governo russo. Quando finalmente conseguiram o último documento necessário, o sol apareceu e a filmagem foi concluída sem dificuldade. Almas Silenciosas venceu quatro prêmios no festival de Veneza em 2010, incluindo o prêmio FIPRESCI, atribuído pela crítica internacional. O drama também recebeu os prêmios de melhor diretor e melhor roteiro no festival de Mar del Plata em 2010, e levou o prêmio de melhor roteiro no Asia Pacific Screen Awards e no Nika Awards, ambos em 2011.

 

O DESASTRE DE VER

por Eron Duarte Fagundes

Sabe-se que o gênero muito hollywoodiano do cinedesastre nasceu nos anos 70 com os filmes da série Aeroporto. Sabe-se também que o clássico desta vertente é Inferno na torre (1974), de John Guillermin e Irvin Allen. Sabe-se ainda que os roteiros destes filmes, fiados na grande produção de efeitos visuais megalomaníacos, propõem uma série de puerilidades que não se peja de inserir melodramas intersticiais dentro do foco maior que é a encenação barulhenta de um grande desastre. Alargando-se o conceito do gênero, pode-se dizer que há elementos do cindesastre desde as inundações de Metrópolis (1926), do alemão Fritz Lang, até os ataques do monstro marinho do americano Steven Spielberg em Tubarão (1975) na costa americana. Então chegamos ao atual Terremoto: a falha de San Andreas (San Andreas; 2015), de Brad Peyton, onde se vê que, apesar da bulha tecnológica, as coisas não mudaram muito com os desastres americanos; os melodramas permanecem intersticiais à beira do importa, a agitação visual-sonora. Um filme como Titanic (1996), de James Cameron, interferiu nestas marcações e trouxe o melodrama dos interstícios para o centro, mas um pouco do desastre permanecia o mesmo em Cameron.

Os liames familiares triviais costuram a precária trama de Terremoto. O moralismo do narrador se evidencia, condenando o divórcio, o intruso destruidor da família e recompondo, passada a tempestade (o mau tempo da natureza corresponde um pouco ao mau tempo matrimonial), o lar desfeito: a mulher vai compreender que o marido heroico é mais bom-caráter que o novo companheiro, que a filha sempre tem razão e que um novo lar se avizinha com a chegada do namorado bom-moço da garota. O que sobra para o observador é o desastre de ver estes choros ingênuos sem se impacientar.

 

JUSTIÇA CONCEDE LIMINAR EM FAVOR DOS ASSOCIADOS DA ACEG

A Associação dos Cronistas Esportivos Gaúchos – ACEG – tem, dentre as diversas atividades previstas no seu estatuto, a tarefa de credenciar os cronistas esportivos que cobrem os eventos nos estádios de futebol no Estado do Rio Grande do Sul.

Desde meados de setembro de 2014 a CBF vem tentando implementar um “Protocolo de Imprensa” para o campeonato brasileiro da série A e B em todo o país. Neste protocolo, por exemplo, são expostos os posicionamentos dos profissionais no campo de jogo, o número de profissionais que podem ingressar no gramado, distribuição de jalecos, e diversas orientações neste sentido, inclusive a questão do credenciamento dos profissionais.

Esta ingerência no credenciamento, implementada pela CBF, executando um credenciamento seletivo, fere frontalmente a Lei 9.615/98, denominada de Lei Pelé e que rege o esporte brasileiro, conforme o Art. 90-F.

Por esses motivos, no dia 06 de junho de 2015, a ACEG ingressou na justiça com um pedido de liminar que garantisse o seu trabalho de credenciamento em defesa dos seus associados, o que foi concedido de imediato.

A garantia desta liminar veio com a negativa da justiça, no dia 12 de junho de 2015, ao agravo impetrado pela CBF, e que foi negado pelo desembargador Otávio Augusto de Freitas Barcellos, remetendo a decisão final para análise do mérito.

Diante disto a ACEG é a única entidade autorizada a realizar o credenciamento dos profissionais de mídia nos eventos esportivos no Estado do Rio Grande do Sul.

Na noite desta quarta-feira, 01 de julho, o preposto de um terceirizado da CBF, durante a partida realizada na Arena, entre Grêmio e Cruzeiro, determinou a retirada do gramado, de forma injustificada, do repórter da rádio Independente de Lajeado, Leandro Schabbach, enquanto o mesmo realizava seu trabalho. O repórter já registrou ocorrência policial na 4ª Delegacia de Polícia Distrital, em Porto Alegre-RS.

Tratou-se de um claro desrespeito à ACEG, aos profissionais da crônica esportiva gaúcha e até mesmo à decisão judicial.

A ACEG, prestou toda a assistência ao seu associado, colocando inclusive seu departamento jurídico à disposição do profissional.

Porto Alegre, 02 de julho de 2015.

Diretoria da ACEG
Associação dos Cronistas Esportivos Gaúchos - ACEG-RS
+ 55 51 3286 8480
Twitter: @acegrs
E-mail: acegpoa@gmail.com
Facebook: Aceg
Site: www.aceg-rs.com.br

 

Governo do Estado entrega 3,2 mil netbooks para uso em sala de aula

foto: Evandro Oliveira, Seduc

O governador José Ivo Sartori e o secretário da Educação, Vieira da Cunha, entregaram nesta quinta-feira (2), em solenidade no Palácio Piratini, 3.210 netbooks do projeto Laboratórios Móveis. Os equipamentos são parte de um investimento de R$ 38 milhões que será realizado em 2015 na área de tecnologia da informação para qualificação do ensino gaúcho.

Setenta e duas escolas de 36 municípios das regiões de Canoas, Santa Rosa e São Leopoldo receberam os equipamentos nesta primeira das três entregas previstas para 2015.

“Eu acho que o maior desafio que nós temos na educação é manter o interesse dos alunos pelo conteúdo que precisa ser aprendido. E esta é a forma, a ferramenta e a maneira que precisa cada vez mais ser ampliada. Aos poucos, vamos nos habituando a esse novo modelo de ensino, mais dinâmico e, ao mesmo tempo, muito complexo”, discursou Sartori, para a plateia formada por alunos, professores e diretores das escolas envolvidas.

Em sua fala, Vieira salientou a importância da formação dos professores que utilizarão os equipamentos com os alunos em sala de aula. O cronograma da Secretaria da Educação prevê quatro etapas de capacitação em 2015: a primeira com 4 mil docentes, a segunda com 2,2 mil, a terceira com 5,9 mil e, por fim, a última etapa, envolvendo 13,5 mil professores.

“Isso vai fazer com que, até o final deste ano, nós tenhamos na nossa rede 26 mil professores e professoras capacitados para bem utilizar essa máquina no processo de aprendizagem em sala de aula. Penso que nós, a partir da execução deste projeto, estamos fazendo a nossa parte para tornar a atividade em sala de aula mais prazerosa”, disse Vieira.

Programas em curso

Finalizar os projetos Laboratórios Móveis e Um Computador por Aluno, que estavam em andamento, é uma das metas do Acordo de Resultados 2015 da Secretaria da Educação, firmado pelo secretário Vieira da Cunha com o governo do Estado.

Até esta quinta-feira o Programa Laboratórios Móveis contava com 11,7 mil netbooks em 298 escolas. Quando estiver concluído, serão 36,3 mil netbooks, contemplando 661 instituições de Ensino Médio. Os equipamentos ficam conectados a armários com rodinhas, o que permite que os professores os transportem e utilizem em mais de uma sala de aula.

Outro projeto em curso é o Um Computador por Aluno, que contempla hoje 94 escolas com mais de 35 mil netbooks. Este ano, mais 4.010 unidades deverão ser entregues em outras dez escolas, o que totalizará 104 instituições beneficiadas.

No site www.educacao.rs.gov.br está disponível a lista com as escolas beneficiadas e as fotos dos representantes de cada região.

 

Escola de Governo e FACOS firmam parceria

A assinatura do Termo de Adesão entre a Escola de Governo e a Faculdade Cenecista de Osório (FACOS), na tarde de quinta-feira, 02, selam o compromisso do Governo Sartori com a Educação e Formação de servidores Públicos, agentes sociais e estagiários. Em mensagem, o governador, José Ivo Sartori, afirma que a Gestão pública combina com qualificação e que os servidores públicos são o motor do governo do Estado. "É através do capital humano que o trabalho acontece, chega nas comunidades, melhora a vida do cidadão. Sempre estaremos empenhados em valorizar e aprimorar as capacidades do funcionalismo. Uma gestão pública de excelência se faz com pessoas motivadas e bem preparadas", exaltou Sartori agradecendo a nova parceria no Litoral Norte do Estado.

Com esta nova parceria, a Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH), através da Escola de Governo passa a contar com 33 Universidades e 7 centros de ensino em todo o Estado. Desde abril, a FDRH já realizou 11 cursos de Formação Continuada, o que soma a participação de mais de 600 servidores do poder executivo estadual e municipal de diversas regiões. Em seu discurso o diretor de Educação e Formação da Escola de Governo, Carlos Macchi, vibrou com a ampliação do Comitê Pedagógico na região e disse estar ansioso para o lançamento do curso em Gestão em plataforma EAD. "Esperamos que o lançamento do curso venha com a parceria da FACOS", enalteceu Macchi.

A assessora da Divisão de Educação e Formação da Escola de Governo, Beatriz Kohlrausch, fez um breve relato da atuação da FDRH e ações educativas da FDRH. "No primeiro semestre realizamos a formação de mais de 600 servidores e estamos com um calendário de mais de 16 cursos para o segundo semestre o que somará mais de 1000 capacitações. Agora, torcemos pelo EAD com a FACOS", lembrou.

De acordo com o diretor da FACOS, o prof. Júlio César Lindermann, a parceria vem agregar a atuação da Faculdade, principalmente pela importância em estar contribuindo para a melhoria da Gestão Pública. "Somos parceiros e faremos o melhor pela formação dos servidores. Isso é desenvolvimento para a região", afirmou.

O presidente da FDRH, Luciano Silveira, ressaltou o engajamento da equipe da Escola de Governo em ampliar as ações educativas em todos os cantos do Rio Grande do Sul, pela melhoria da entrega dos serviços públicos. "A Escola de Governo amplia a sua atuação para melhor atender as demandas. Mais um passo foi dado para atender as demandas do Estado e assim garantir serviços de qualidade aos gaúchos. Fico feliz de estar formalizando esta parceria em minha região", avalia.

Estavam presentes, ainda, o Coordenar de Relações Comunitárias, professor Marcelo Terra Reis, professor Alexandre Ramos e demais coordenadores de formação da Faculdade.

 

do mironneto.com

Gramado é a sexta cidade do RS em número de museus

Gramado é a sexta cidade do Rio Grande do Sul com maior número de museus, segundo o Cadastro Nacional do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). Com 12 museus, Gramado fica somente atrás de Porto Alegre (77), Pelotas (19), Santa Maria (18) e Caxias do Sul (17). De acordo com o cadastro, o Rio Grande do Sul é o Estado com mais museus considerando o número de habitantes – há um para cada 25.063 pessoas.

 

Festival de Cinema mantém formato e distribui R$ 310 mil

Durante entrevista coletiva em Porto Alegre, a GramadoTur divulgou, nesta terça-feira (30), os filmes selecionados para o Festival de Cinema deste ano. A edição 2015 segue o mesmo formato dos últimos anos com mostras competitivas de longas brasileiros e estrangeiros, curtas brasileiros e o Prêmio Assembleia Legislativa – Mostra Gaúcha de Curtas (dias 7 e 8). A grande noite de premiação acontece no dia 15 agosto. A premiação em dinheiro segue como um firme compromisso assumido pelo festival com a classe cinematográfica em 2014. São R$ 280 mil distribuídos entre os vencedores das mostras competitivas de longas brasileiros e estrangeiros e curtas brasileiros. A Mostra Gaúcha de Curtas – segue com o apoio da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, que distribui um total de R$ 30 mil entre os vencedores.

 

ONG de proteção aos animais realiza brechó beneficente neste domingo

A Bichos & Amigos, entidade que ampara 150 cachorros e gatos vítimas do abandono, realiza brechó neste domingo, 5 de julho, para levantar fundos e saldar dívidas. À venda, roupas, livros, brinquedos, bijouteria, LPs em excelente estado, CDs, sapatos, acessórios, equipamentos eletrônicos, enfeites. Tudo em bom estado, e muita coisa é nova, sem uso. Preços de ocasião. Os visitantes também podemfazer doação de ração, o que é muito bem-vindo. O evento acontece na Zona Norte de Porto Alegre, na rua Aliança, 289, transversal da Assis Brasil, entre o Bourbon Wallig e o Shopping Lindoia. O horário de atendimento será das das 11h às 17h. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 51-8461-5077, além do facebook.com/OngBichosEAmigos. Os animais agradecem.

2 de julho de 2015

O Colono - Teixeirinha

"Eu vi um moço bonito, numa rua principal
Por ele passou um colono, que trajava muito mal
O moço pegou a rir, fez ali um carnaval
Resolvi fazer uns versos, pra este fulano de tal.

Não ri seu moço daquele colono
Agricultor que ali vai passando
Admirado com o movimento
Desconfiado lá vai tropicando
Ele não veio aqui te pedir nada
São ferramentas que ele anda comprando
Ele é digno do nosso respeito
De sol a sol vive trabalhando
Não toque flauta, não chame de grosso
Pra ti alimentar, na roça está lutando.

Se o terno dele não está na moda
Não é motivo pra dar gargalhada
Este colono que ali vai passando
É um brasileiro da mão calejada
Se o seu chapéu é da aba comprida
Ele comprou e não te deve nada
É um roceiro que orgulha a pátria
Que colhe o fruto da terra lavrada
E se não fosse este colono forte
Tu ias ter que pegar na enxada.

E se tivesse que pegar na enxada
Queria ver que mocinho moderno
Pegar no coice de um arado nove
E um machado pra cortar o cerno
E enfrentar doze horas de sol
Num verão forte tu suavas o terno
Tirar o leite, arrancar mandioca
No mês de julho no forte do inverno
Tuas mãozinhas finas delicadas
Criava calo e virava um inferno.

Este colono enfrenta tudo isto
E muito mais eu não disse a metade
Planta e colhe com suor do rosto
Pra sustentar nós aqui na cidade
Não ri seu moço mais deste colono
Vai estudar numa faculdade
Tire um "dr", chegue la na roça
Repare lá quanta dificuldade
Faça algo por nossos colonos
Que Deus lhe pague por tanta bondade".

 

DESCONFIADOS, COLONOS ' INVADEM' A PR DA MATRIZ

No começo,qdo saí da ALRS hj, lá pelas 2 hs achava que fosse uma passeata dos palestinos, pelas cores das bandeiras. mas vinha gente subindo como borbotões..pensei, não tem tanto simpatizantes da causa palestina assim no RS...

ai vi o dep. Schuck, do PSB, ligado ao campo, aos colonos que plantam fumo....

evi logo que o assunto era com os colonos mesmo....(olides)

 

DEPOIMENTO



OS COLONOS QUE EU VI HJ NA PR DA MATRIZ ESTÃO DE SACO CHEIO...

AS MULHERES, PRINCIPALMENTE, INDIGNADAS....

* ALGUMAS GRITAVAM PALAVRAS DE ORDEM....

* E OLHA QUE ALI SÓ TINHA GENTE ORDEIRA, TRABALHADORA....

* QUE ACORDA AS 4 DA MANHA PRA TRABALHAR.

* MUITA GENTE DEVE -POR AS BARBAS DE MOLHO.....

colonos vieramprincipalmente da zona do fumo, de pontão, de sobradinho,sta cruz, 4 colonia....

colonos querem verba do minha casa, minha vida pra zona rural.....foram na CEF

colonos da fetag protestam na frente do piratini!!!!

colonos protestam em porto!!!!

 

da Rodoviária

DESDE A SEMANA PASSADA, A CATARINENSE, EMPRESA DE ONIBUS DE FLORIPA, TEM AS LINHAS DA PLUMA QUE ERAM PRA CURITIBA, JOINVILLE E BLUMENAU.

QUEM OPERA A LINHA BAIRES E A jbr.

informações que colhi junto a catarinense hj na rodoviária.

 

Paraguai

isto é plagio mas vai...POBRE PARAGUAI TÃO LONGE DE DEUS E TÃOPERTO DA ARGENTINA(oLIDES)

 

ABIMAQ anuncia a promoção de três importantes exposições entre 2016 e 2017

Eventos prometem atrair importantes expositores de segmentos altamente relevantes para a economia brasileira

A ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos – anuncia a realização de três importantes exposições que englobam segmentos altamente relevantes na economia brasileira: metalmecânica, máquinas-ferramenta e plástico. A ação, que se alinha à tendência mundial de um modelo de feiras próprias de entidades, terá a organização da BTS Informa, uma das maiores promotoras de feiras de negócios do mundo, e será realizada no São Paulo Expo, que será o mais moderno centro de exibições e convenções da América Latina.

O primeiro dos três eventos, a FEIMEC – Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos -, acontecerá de 2 a 6 de maio de 2016 e estima trazer mais de 2 mil marcas expositoras voltadas tanto para as áreas de produção quanto manutenção da indústria em geral, fazendo da exposição uma plataforma ideal para lançar produtos, gerar negócios e divulgar marcas e serviços voltados ao público do setor industrial.

Já as outras duas exposições promovidas pela ABIMAQ ocorrerão em 2017. Entre 20 e 14 de março, será realizada a Plástico Brasil - Feira Internacional do Plástico e da Borracha -, que promoverá o desenvolvimento tecnológico e econômico da cadeia industrial do plástico e da borracha. Dois meses depois, entre 8 e 12 de maio, será a vez da Expomafe – Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Automação Industrial – abrir as portas e posicionar o setor como base essencial da cadeia produtiva.

“Estamos deixando de ser clientes para nos firmarmos como organizadores, com total controle para traçar estratégias em defesa dos setores”, celebra José Velloso Dias Cardoso, presidente executivo da ABIMAQ.

Os três eventos serão realizados no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center. Situado na capital paulista, o local promete se consolidar como o maior e mais moderno centro de exposições do Brasil. Conta com pavilhão totalmente novo com 90 mil m2 de área de exposição, ambiente climatizado, mais de 5 mil vagas de estacionamento (4,5 mil cobertas) e localização estratégica: 850 metros do metrô Jabaquara, a 10 minutos do aeroporto de Congonhas e com acesso rápido aos principais hotéis da região.

As feiras foram apresentadas nesta quarta-feira (1º/7/15) em encontro organizado pela ABIMAQ-RS na sede da Fiergs, em Porto Alegre, para fabricantes e fornecedores gaúchos do setor de máquinas e equipamentos. Na oportunidade, os executivos das empresas puderam esclarecer suas dúvidas sobre os eventos, conhecer as vantagens de participar e reservar espaço como expositores.

MAIORES INFORMAÇÕES PODEM SER OBTIDAS COM A ABIMAQ-RS – TELEFONE (51) 3364.5643 OU E-MAIL cleia.denize@abimaq.org.br.

 

de São Borja

historias de São Borja....

O SANGUE ROLAVA PELO CHÃO DO ONIBUS.....


Alguns anos atrás, um motorista urbano de SB , foi levar a turma do gargareio prum baile em S. Miguel. S. Miguel pra quem não sabe é local de acampamento dos sem-terra e de assentamentos....

Ali tinha um fandango...quem iria tocar era um conjunto missioneiro de nome GAUCHITAS MISSIONEIRAS....

O onibus encontou numa praça central de SB, a XV de Novembro, e o motora logo viu que só tinha bagaceira que tava indo pro baile. Tb o onibus era de graça, imagina,então...tudo gente da pior espécie...ou seja, pobretão...

Não por ser pobre, mas no meio tinha a turma da pesada, do trago, da maconha e por ai afora...

No baile, a coisa rolou bem, até que um dos que tavam na exvcursão de SB passou a mão na bunda de uma mulher casada, que tinha dado bola pra ele a noite inteira.

O probelam é que o marido simplesmente deu uma garrafada de cerveja fechada na cabeça do sujeiro.

Voou estilhaço de v iidro, voou sangue pra tudo que era lado....

O motorista, que não tava dentro do salão e que me contou esta história ( tinha já encostado o onibus porque na hora que o cara passou a mão na bunda da mulher, as cantoras tinham avisado que aquilo era a ultioma musica, pq já vinham surgindo o raiar do dia.

aquilo era um novo dia, um domingo que raiava.

os amigos e irmãos do ferido o arrastaram dentro do onibus e ele veio rolando no chão, ensanguentando todo o chão do onibus até sb....ai fizeram o motoria deixar eles no hospital ivan goulart e deram ordem:

- tu não vai embora daqui, disseram pro motoria, fica esperando nóis aqui.

assim que desceram do onibus, o motora largou fora, porque os outros passageiros queriam ir embora e tava já dando rolo dentro do busun....

ele nunca mais ficou swabendo o que acvonteceu com o ferido, mas pediu pro dono da empresa nunca mais botar ele pra levar excursão de bagaceira pra bailão em lugar nenhum...

e hj trabalhava numa grande empresa. ficaram apenas estas histórias de SB(Olides canton, bas4ado nor elato do motora que pediu sigilo. a historia, por supueste, é verdadeira)

roteiro dep loureiro neste 2 e 3 em sb

De: letier12
Enviada: Quarta-feira, 1 de Julho de 2015 20:25

São Borja – 02-07-2015

Chegada - 19 horas

Coordenadoria de Educacao – 19h10m

Sandro – 19h40m

Sede PDT Passo – 20h15m

São Borja – 03-07

Radio Lider - 7h30m ao lado lan tur - loja celular 1 andar

Radio Cultura – 8h10m

Butui – 8h40m

Folha de São Borja – 9h15 – Humberto Andres

Inauguracao Museu Getulio Vargas – 11h

TARDE

VISITAS

 

Museu

nests 6 feira, em sb, reinaugura o museu getulio v argas. as 11 da matina.

* sb pode muito bem explorar o filão do turismo politico.

* mas fica longe....

 

Cinema

OS DESGASTES DO CINEMA DE BAUMBACH

por Eron Duarte Fagundes

O novo filme do norte-americano Noah Baumbach, Enquanto somos jovens (While we’re Young; 2014), parece uma máquina enferrujada; se o casal de protagonistas, nas peles de Ben Stiller e Naomi Wats, topa um impasse (ele é um documentarista sem renovações, ela cansa sentimentalmente das atribulações dele) que impede o crescimento, ou desenvolvimento, dos dois, a realização de Baumbach se perde na ferrugem de seus trilhos, acavalando mal dispostas citações intelectuais (começa com uma epígrafe buscada num trecho sofisticado do dramaturgo norueguês Henrik Ibsen) e dispersando possíveis resquícios emocionais que despertariam o interesse do espectador do cinema americano.

Baumbach, sabemos, deu o pontapé inicial de seu cinema com uma obra surpreendente, A lula e a baleia (2005). Margot e o casamento (2007) ainda tinha boas coisas. Mas Frances ha (2012) resvalava na opacidade, entidade que surge agressiva e imperiosa em Enquanto somos jovens. A referência a Godard na boca dum ator como Stiller parece bastante deslocada. Se o propósito do realizador era espelhar suas inquietações artísticas neste intérprete, as coisas ficaram mal paradas. Mesmo quando a personagem desce a guarda para aludir à literatura de Stephen King, a citação se oferece deslocadamente. Stiler não faz, definitivamente, o gênero da criatura encucada com estas coisas que parecem interessar ao cinema de Baumbach, um dos mais intelectuais cineastas americanos de hoje. Não funciona estra transferência que o diretor quer impor a seu ator. Mais funcional, à primeira vista, parece ser a linha que mistura as personas fílmicas da Naomi Wats e Amanda Seyfrid, apesar das diferenças etárias: são duas manteigas que se desmancham nas ferrugens de Enquanto somos jovens. Isto não melhora o filme; mas é uma curiosidade.

 

de Serafina

55 anos de emancipação

o mapa de GUAPORÉ qdo serafina se desmembrou....

fonte. arq pub estadual

 

CIDADES VIZINHAS

O lampert de encantado mandou aqui uma história sobre uma história que está naquele meu livro.

* é só ele ler o resto que está no livro mesmo....

* é o meu livro mais pedido....

*qdo tem sacanagem todo mundo quer.....

* aquela história do estrela x lajeadense tem mil versões

* foi uma grande pauleira que deu num jogo....

* eu apenas reuni vários causos e os pus num livro...

* todas as cidades tem brigas com os vizinhos....

* quando fui lançar no solar dos camara,entrou por acaso um italiano (legitimo) não destes gringos aqui da roça, e perguntou o que era ali:

minha filha disse é um livro do meu pai sobre brigas entre cidades. ele respondeu:

- é como roma e milão...

tu vê que isto é mundial....

* aquele livro foi feito nas graficas do senai, meio por b aixo do pano....

* o zortea, que é de bento, que mandou imprimir.

* eu busquei ele com minha filha dirgindo.

 

TRASNSCRIÇÕES DA FOLHA DA TARDE

por LEANDRO LAMPERT, Historiador

de 19 e 20 de agosto de 1947. Curioso o linguajar da crônica esportiva da época:

NUVENS NEGRAS NO ALTO TAQUARÍ – Perturbado o ambiente esportivo naquela região do Estado.
Não é só no foot-ball, mas em todos os setores, que a rivalidade entre as duas progressistas cidades do Alto Taquari, Lageado e Estrela, se espraia, trazendo no seu bojo, em parte, largos benefícios pela emulação que domina seus habitantes, cada qual procurando colocar o “seu chão” numa posição de maior destaque do aquela ocupada pelo “lugarejo” do outro lada do rio….. Porém, nem tudo é azul nessa rivalidade entre Lageado e Estrela. De vez em quando surgem casos que entristecem àqueles que acompanham com interesse a evolução e o progresso das duas cidades. São casos que, infelizmente, acontecem justamente no esporte, que deveria ser um veículo seguro para a aproximação, já não diremos de povos estranhos, mas dos filhos de uma mesma Pátria, separadas apenas por um curso dágua – o correntoso Taquari.

DOCUMENTOS SELADOS E REGISTRADOS NÃO ADIANTARAM.

Vamos passar a contar o fato, conforme nos foi relatado pelo esportista Orlando Fischer, representante do C. E. Lageadense junto à FRGF: no dia 7 de maio do ano corrente, parecia que a paz tinha voltado ao foot-ball de Alto Taquari porquê os presidentes dos clubes de Lageado e Estrela, respectivamente Hugo Ruthner e Heitor Ivo Kirst, resolveram chegar a um acordo e assinar um documento comprometendo seus clubes em duas partidas de confraternização – uma em cada cidade a realizarem-se nos dias 13 de junho em Estrela e no dia 20 do mesmo mês. em Lageado. Feito isso, o documento recebeu todos os “sacramentos”: firmas reconhecidas, testemunhas, registro em cartório, etc, etc.
Mas não adiantou ……

A PRIMEIRA PARTIDA NÃO TERMINOU.

Chegou o dia do primeiro encontro, e Estrela recebeu a visita dos lageadenses, em grande número. A renda cresceu nas bilheterias até atingir Cr$ 5.752,00, quantia bastante apreciável no foot-ball daquela zona. E o jogo começou. Começou, mas não terminou. Quando ia o prélio, aliás cheio de “coizinhas”, na altura do 23º minuto do segundo tempo, o goleiro estrelense “Negrão” aplicou, violento ponta-pé no ponteiro lageadense Domingos Cé, o qual ficou estirado no gramado. Interrompido o match, foi o jovem player visitante atendido pelos médicos, que determinaram sua imediata hospitalização, e no posterior auto de corpo delicto, feito pela polícia, foi constatada grava contusão no fígado e no rim direito, nematuria, etc. Em face do acontecido e da invasão de campo, etc, os lageadenses, sentindo o ambiente inseguro, resolveram retirar-se do gramado já que tudo aconselhava a suspensão da partida – então empatada em dois tentos – devido à fraca atuação do árbitro e à exaltação dos ânimos.

AGORA A RENDA ………

Terminado o encontro, na maneira que relatamos acima, os dirigentes do C. E. Lageadense foram receber a parte que lhes tocava na renda do match – 50% e mais Cr$ 1.500,00 para o transporte – de acordo com o estipulado no contrato, mas, com surpresa geral, o presidente do clube de Estrela, negou-se a fazer o respectivo pagamento, alegando que o encontro não havia terminado, embora não fizesse a devolução dos ingressos ao público.

Posteriormente, os dirigentes do grêmio lageadense tentaram de conseguir um acordo, propondo a disputa dos minutos restantes e, por fim, chegado o momento, solicitando à FRGF a respectiva licença para a realização do segundo jogo, a fim de dar cumprimento ao ajustado. Porém, os dirigentes do Estrela negaram-se a tudo. Os lageadenses enviaram ofícios para autenticar seus propósitos, e solicitaram a firma do presidente do clube contrário, para poderem provar a qualquer tempo a sua boa vontade em solucionar a questão. Todavia, o primeiro mandatário do grêmio de Estrela declarou que não assinaria nada …..

VEM O CASO PARA A FRGF

Foi então, que o esportista Hugo Ruthner, presidente do Lageadense, resolveu trazer o caso para a FRGF. O Dr. Arando Borsatto, vice presidente em exercício da entidade máxima, tentou uma reconciliação e, por duas vezes convocou os dirigentes dos dois clubes de Alto Taquari para estudarem um acordo. Em vão, só compareceram às reuniões da FRGF reuniões determinadas pelo primeiro mandatário, os representantes do clube de Lageado.
Em vista disso, a Federação resolveu tratar do caso em caráter oficial e, na reunião do seu Conselho Diretor ontem efetuada, determinou que o E. F. Clube o recolhimento imediato dos Cr$ 5.752,00 aos cofres a FRGF, onde ficarão até que a questão seja solucionada. Foi dado ao clube faltoso um determinado prazo e, findo este, se não for atendida a determinação do Conselho Diretor, o Estrela F. C. será denunciado ao Tribunal de Justiça Esportiva, já agora, não só por ter deixado de cumprir o acordo com o Lageadense, por desobediência a uma resolução da Diretoria da Federação.
E então, portanto, em maus lençóis os estrelenses ……

IRÃO ATÉ A JUSTIÇA CIVIL

Por último disse-nos o Sr. Orlando Fischer, no caso de entrar a questão no Tribunal de Justiça Esportiva, é pensamento do meu clube convidar, para defender seus pontos de vista, o conhecido causídico Paulino de Vargas Vares, presidente do Internacional. Também, se o “caso” não ficar somente nisso: iremos à Justiça Civil, para processar os agressores do jogador Domingos Cé e exigir o pagamento de indenizações que julgarmos devidas, não só pela perda da renda do segundo jogo, como, também pelos gastos feitos com a hospitalização por mais de 15 dias do player agredido, que até hoje não retornou a seu estado físico normal.

A TEMPESTADE ESPORTIVA NO ALTO TAQUARÍ

A verdade, para o Estrela, não combina com a verdade Lageadense – Fala à nossa reportagem o ex-secretário do Estrela, contradizendo declarações do representante do clube de Lageado.
O último vencedor do Prêmio Nobel, o alemão Herrmann Hesse, disse certa vez que “o contrário de todas as verdades deve ser também verdade, se comprova diariamente nos “casos” footbalísticos. Em nossa edição de ontem, por exemplo, divulgamos as declarações do Sr. Orlando Fischer, representante do C. E. Lageadense junto à F.R.G.F., através dos quais esse esportista relatava os acontecimentos desenrolados, antes, durante e depois do choque footbalístico entre o clube acima citado e o Estrela, da cidade do mesmo nome, o qual, como se sabe, não primou pela regularidade.
Acontece, porém, que o contrário de muita coisa que nos disse o Sr Orlando Fischer, é também verdade, ao menos no ponto de vista do Estrela, segundo nos veio dizer o esportista Sr. Aury de Azeredo, ex secretário do Estrela e autorizado pela direção deste clube para contestar muitos dos pontos de vista do Sr. Fischer.
E eis então que a nossa reportagem se viu envolvida no meio de um fogo cruzado de pontos de vista contraditórios que foram pedir justiça a Salomão, cada um reivindicando para si a verdade verdadeira ……

Como ontem demos a palavra ao Lageado, toca hoje ao Estrela falar. Eis o que nos disse o Sr. Azeredo, empunhando um recorte da ”FOLHA DA TARDE”, onde estavam as declarações do esportista Fischer, com certos trechos prudentemente sublinhados:
- Vamos por ordem – começou o Sr. Azeredo: aqui se vê, é o que o match foi “cheio de coisinhas”. O que não é verdade. Tudo ia correndo normalmente até o momento do choque entre o guardião do Estrela e o ponteiro do Lageado. Só então é que se registraram os incidentes. O fato decorreu da seguinte maneira: após um passe longo, a bola se ofereceu igualmente pata o nosso arqueiro Negrão e para o winger visitante. E, como era natural, os dois correram em direção à bola, cada um procurando chegar primeiro. E quem primeiro chegou e imobilizou a bola em suas mãos, foi o nosso arqueiro. Como o seu adversário vinha na corrida, e para proteger a bola e o próprio corpo, o guarda-vala ergueu um joelho. Foi quando o ponteiro Domingos Cé se chocou contra o keeper. Não houve como diz o “representante” do Lageadense, agressão por parte do arqueiro, que foi quem primeiro, pegou a bola. Ao contrário, o ponteiro adversário é que, a despeito de ter perdido o lance, não se deteve senão quando se esbarrou contra o goleiro, ou porquê não pôde se deter ou porquê não quis. Este é um detalhe que pouco importa. E tanto o lance foi considerado proposital, que o árbitro não marcou falta alguma. As consequências, porém, do choque foram lamentáveis, pois o jogador visitante se machucou. A torcida de Lageadense, então invadiu o campo, não tanto com intuitos agressivos, mas para induzir os seus jogadores a se retirarem do campo.
O árbitro está sendo acusado de inepto. É curioso. O Sr. Mário Coelho, residente em Taquara, foi indicado pelo próprio Lageadense para apitar o cotejo. Tocava à esse clube indicar o juiz e, como nãou houvera ele providenciado junto à F.R.G.F. para conseguir um árbitro, apresentou, à última hora, o nome do Sr. Mário Coelho, o qual, diga-se de passagem, por várias vezes controlou partidas entre o Estrela e o Lageadense, sempre com a maior correção e imparcialidade. Em vista disso, o Estrela não teve dúvida em aceitar a sua indicação para juiz desse encontro.

Tenho para mim, porém, que a interrupção da partida, provocada pela invasão ao campo dos torcedores lageadenses, foi proposital, isto é, que havia intenção preconcebida de impedir o seu prosseguimento em face da inequívoca certeza de que o Estrela venceria o jogo, muito embora o escore estivesse empatado em dois tentos. É que os lageadenses haviam apostado grandes quantias em seus favoritos e estavam em eminência de perder a aposta, em virtude da flagrante superioridade técnica que vinham demonstrando os locais e aproveitaram-se do incidente com seu ponteiro para truncar a partida e, assim, fugir ao compromisso de pagar a aposta perdida.
Quanto à questão da renda, o que se passou foi o seguinte: desconformes com o abandono do campo, o público de Estrela exigiu do presidente do clube que não fizesse a entrega da parte que cabia ao Lageadense, chegando mesmo um grande número de associados a ameaçar de demitir-se no caso de ser entregue 50% da renda. O presidente, interpelado pelos dirigentes visitantes a respeito da parte da renda que lhes cabiam ponderou que, diante da situação que se creára, não tomaria não tomaria a decisão enquanto não consultasse a diretoria. Após o que a parte que cabia aos Lageadenses foi depositada num Banco, onde se encontra à disposição dos visitantes apenas seja resolvida a questão.
Não é verdade, também, que o lageadense tenha feito propostas para a disputa dos minutos restantes. Assim como também não exprime a verdade a alegação de que por duas vezes o presidente do Estrela tenha sido convocado para comparecer F.R.G.F. por sugestão do vice-presidente desta entidade, Sr. Arnaldo Borsatto a fim de resolver a pendência amistosamente. Apenas uma vez foi ele convidado e não compareceu porquê, de momento estava em excursão com seu clube numa cidade próxima conforme mandou oportunamente notificar.
Afirma o representante do Lageadense se que seu clube irá convidar para defender seus direitos o Dr. Paulino de Vargas Vares, presidente do Internacional, a instaurar, junto à Justiça Civil, um processo de agressão ao ponteiro Domingos Cé., afigura-se-me difícil que o Lageadense consiga provar que houve tal, pois o juiz, no lance, não marcou falta e nem podia marcar, tratando-se um choque tão comum em partidas de foot-ball. De mais a mais, como dizíamos, se houve agressão, partiu essa do ponteiro, a ponto de ser o arqueiro Negrão, para se defender da entrada violenta, ter-se protegido com o levantamento do joelho.

Fala também o Lageadense de exigir, por meios legais, indenizações pelos gastos feitos com a hospitalização do seu defensor. Que vamos dizer nós que tivemos nosso gramado simplesmente depredado pelos torcedores do Lageadense, os quais, ao se retirar, derrubaram parapeitos e arrasaram cercas? Não entregarem a parte da renda ao clube visitante enquanto também nós não formos ressarcidos desses prejuízos.
Aí está pois, segundo as palavras do Sr. Azeredo, a outra face da verdade. Que os “Salomões” da F.R.G.F. resolvam o caso com a sua proverbial sabedoria.

SPRITO DE MICO – EPÍLOGO

Ao escrever e distribuir a crônica sobre o Sprito de Mico tomei por base as páginas que eu possuía do livro Cidades Vizinhas, de Olides Canton.
O que eu vi e escrevi, existe nas cinco páginas, mas nelas existem fatos que eu omiti, pois não os vi. Agora explicáveis.
Distribuí minha crônica para cerca de quarenta habituais correspondentes e, como sempre, com mínimas referências. Se leem, não prestam muita atenção.
Duas pequenas pistas me deixaram desconfiado e me levaram ao reestudo da crônica. Historiador tem que ser meticuloso. Alguma coisa não estaria certa:
Fato um: Quando menino conheci o Negrão, citado como goleiro do EFC no jogo em 1940. Negrão era amigo de meus primos de Estrela, Alvinho e Fritz e seria da mesma idade deles, na época 12 ou 13 anos;

Fato dois: Domingos Cé, a vítima do choque com o Negrão, casaria mais tarde com uma colega minha de ginásio pouco mais nova que ele. No meu entender, na época, também teria mais ou menos 13 anos e nem residiria em Lajeado.
Sérgio Mello Jaeger, outro amigo de Lajeado a quem seguidamente peço e forneço informações históricas, enviou-me xerox de um recorte de jornal (Folha da Tarde) com duas crônicas intituladas – Nuvens Negras no Alto Taquari – e – A Tempestade Esportiva do Alto Taquari – No topo de uma delas, escrita à mão a data de 19-8-1947, que revela conflitos em jogos de futebol entre Lajeado e Estrela. Seguem em outro anexo. Mostram perfeitamente que foram duas histórias diferentes. Para mim, isso foi suficiente para eu inferir que Olides Canton recebeu as informações de um estrelense agora identificado. Sérgio Jaeger encontrou o livro do Canton na biblioteca da Prefeitura de Lajeado e informou-me a parte final da crônica, pg 60, que eu não possuía: ……do Avenida, do Taquariense, do Juventude e do Caxias, que o sabor jamais se igualava a uma vitória no braço e na bola no clássico. Tinha mais guerra do que jogo. Hoje serve apenas para contar histórias. Como esta.
Também o nome do colaborador. Nada menos que Antônio Carlos Porto, o Talo Porto, nosso leal amigo desde a juventude e um pouco mais jovem que eu (deve ter nascido em 1931/32), aguerrido jogador de futebol do EFC e conceituado cronista esportivo do Correio do Povo, lido e respeitado pela sua notável capacidade de comunicação, legou seu apelido e sobrenome à posteridade esportiva do RS.
A parte inicial crônica do Talo Porto foi a transcrição de informações esparsas que recebera dos torcedores estrelenses que lhe contaram as peripécias de duas partidas de futebol, separadas por sete anos uma da outra, acumuladas dos habituais exageros e meias verdades comuns em brigas coletivas. Misturaram as informações de duas épocas numa só e o Talo assim as relatou. A parte final é toda de sua lavra.
Se lermos as crônica dos anexos, somadas ao que eu escrevi, teremos a crônica do Talo editada com delicioso humor no livro do Canton, descontando, é lógico, os exageros e inverdades.
O Olides editou uma história constituída por duas verdades independentes entre si e separadas por sete anos uma da outra.
As duas vítimas lajeadenses, O Arno Klein, mordido na paleta por João Porto, a pedido, mostrava as marcas dos seus ferimentos. Diziam que exigira do médico do Esportivo que fosse inoculado com vacina antirrábica. Seguramente conversa fiada. Eu acredito que o Sprito foi sovado pelos dois policiais muito mais por ser o único afrodescendente do que por ser participante da torcida do lajeadense e envolvido no rolo. Pau nele.

COMENTÁRIO FINAL: O clima de antipatia recíproca entre as duas cidades que já foram similares, já tem mais de um século e deverá perdurar para o todo o sempre. Não procurei saber qual foi a sentença da FRGF, pois absolutamente não interessa qual tenha sido. A baderna foi lamentável sob todos os pontos de vista. Nada que se possa imaginar modificará sensivelmente a relação entre as barrancas do Taquari. Iremos conviver eternamente com a rivalidade. Se possível, com dignidade.

A ITAPUCA DE JOÃO LAMPERT

Johannes Lampert era o quinto filho de Friedrich Wilhelm Lampert, jovem imigrante alemão, que chegou ao Brasil junto com a família de seus pais e irmãos em 1827.
Nasceu em Dois Irmãos em 10 de fevereiro de 1851 e foi batizado na Igreja evangélica da comunidade, local de residência de seus pais agricultores.
Em 1875 mudou-se para a localidade de Brochier, no então município de Montenegro, onde se casou com Maria Ehrig, de Maratá, localidade vizinha, também em Montenegro e com o prenome de Johann.
Em Brochier, nasceram três filhos, entre 1878 e 1880 (dois gêmeos)
Mudaram-se para a Linha Franck, no distrito de Teutônia, então município de Estrela, onde nasceram mais sete filhos até o ano de 1892.
Os encontramos mais tarde, participando da igreja evangélica de Conventos, município de Lajeado, mas residindo do outro lado do rio Forqueta, em Arroio do Meio. Não encontramos registro de compra de propriedade. Lá nasceram mais duas filhas, Belarmina (+-1896) e Guilhermina (1898).

Cremos que eram apenas meeiros, o que levou-os a correr todos os riscos. Era tudo ou nada e mais uma vez trocaram de residência, cremos que em 1898, e desta vez para a região de Arvorezinha, nos altos do Planalto Médio, então município de Soledade. Na região já se encontravam outros interessados que também tinham obtido o Direito de Posse de áreas devolutas junto à Comissão de Terras do Governo do Estado, gente de origem luso-brasileira com quem os Lampert mantiveram convívio. Era o único posseiro de origem alemã, isso mais de oito anos antes da chegada dos primeiros italianos. Sem dúvida, já haviam adotado a religião católica. Não seriam os únicos luteranos da região, o que facilitava o convívio com os católicos. Batizou toda a família e passou a chamar-se João. Faleceu em 1929 e sua esposa em 1943. Estão sepultados no cemitério da capela de São Lourenço, nos arredores de Arvorezinha. Deixaram enorme legado, mais de 300 descendentes e familiares. Um patriarca.

O que teria levado João e sua família, já com doze filhos, para essa grande aventura? Seria um visionário, um pioneiro, um maluco ou um desbravador? Ou apenas mais um herói anônimo que ajudou a formar a pátria gaúcha? Deixara Teutônia, uma comunidade já formada, com igreja, pastor evangélico, cemitério, escola, parentes, amigos e transporte fácil de mercadorias pelo rio Taquari, para embrenhar-se no meio da mata virgem de beleza agreste, mas ainda com animais selvagens e bugres traiçoeiros, isolados e distantes de tudo e de todos? Viveram com produtos da caça e coleta de pinhões até que as lavouras iniciassem a produção agrícola.

Graças à tradição oral de seus descendentes, sabemos que suas terras se iniciavam cerca da cidade de Ilópolis e seguiam na direção norte até a gruta nas margens do rio Guaporé, distante cerca de 10 km. Não identificamos a largura da gleba, mas deve ter sido no mínimo 1 km o que já representava mais de 1.000 ha de matas nativas, com araucárias e ervais.

Decidiram residir no local que mais tarde se chamaria Itapuca (pedra furada), hoje em Anta Gorda, que pertenceu sucessivamente a Lajeado e posteriormente Encantado, onde foram os primeiros moradores.
Somente a partir de 1906, chegaram madeireiros de origem italiana, provenientes de Caxias do Sul, Bento Gonçalves e Garibaldi em busca da colossal floresta de araucárias existente no local. Um verdadeiro El Dorado para uma serraria. Mais tarde, agricultores vindos de Encantado, passaram a adquirir lotes dos posseiros legalizados e algumas terras devolutas ainda existentes. Logo se tornaram a maioria da população. Mais tarde, outros colonos de origem alemã também vieram.

A integração das etnias processou-se com naturalidade (para a sobrevivência, todos precisavam de todos).
Apesar da integração inicial, uma geração mais tarde, famílias de origem alemã tiveram desavenças com as de origem italiana. Consta ter sido por razões de limites de terras, mas acreditamos que existissem principalmente divergências étnico-religiosas.

A foto acima, por volta de 1925, sem a nitidez desejável, mostra o momento do ”acordo”, os contendores, com a mão sobre uma bíblia, juram a paz, mas sem olhar um para o outro e nem para o livro. Parece sugerir e nos inclina a acreditar, que na verdade pode ter havido uma imposição por parte do subdelegado de polícia de Ilópolis, o pioneiro italiano e comerciante Leopoldo Spézia, identificado no meio dos três, de pé na porta da sua casa de comércio, vestindo um fardamento militar de sua própria criação. À direita na foto, um colono de origem italiana, vestindo um pala, satisfeito com a solução. À esquerda, certamente um de origem alemã, vestindo casaco preto. Ninguém conseguiu identificá-lo. Por dedução, cremos que poderia ser o próprio João Lampert, mesmo com mais de 70 anos. Era o pioneiro e líder. Não haveria acordo sem ele. Aparentemente contrariado e com a cabeça recuada, parece manifestar repulsa silenciosa à solução apresentada, tanto que, logo após, todos os colonos de origem alemã venderam suas propriedades e foram adquirir outras em Arvorezinha, incluindo entre eles João Lampert e seus familiares, que adquiriram 300 ha. À direita, mais ao lado, um auxiliar do subdelegado está portando ostensivamente uma espingarda, argumento definitivo para o acordo.

Pode se comprovar a influência luso-brasileira no vestuário das testemunhas.
Ainda reside, em Arvorezinha, uma família remanescente, a de Ernesto Lampert. As demais foram para Passo Fundo, Jaraguá do Sul – SC, Barracão – PR e outras localidades.
Cremos que essa disputa entre descendentes de italianos e alemães, que motivou o êxodo dos germânicos, deve ser a única ocorrida no RS.

Os filhos de João se casaram com esposos das três origens étnicas e consolidaram uma nova sociedade. Identificamos: Bôrtolo Girardi, um dos novos proprietários, que casou com Marcolina Suzana Emília Lampert, filha de João; a filha Oswaldine casou com Wilhelm Haas e o filho Guilherme casou com Maria de Lima Gomes, descendente de outro posseiro. Um neto dele, Pedro, casou com Italina Toigo, bisneta de Antônio Toigo que, juntamente com seu irmão Ângelo, foram também povoadores iniciais. Os Toigo adquiriram terras de João e mais tarde, por herança, parte das mesmas terras voltou à propriedade da família Lampert, cujos descendentes voltaram para Itapuca, hoje município de Anta Gorda. Era de se esperar que as famílias pioneiras casassem seus filhos e netos entre si. E assim foi.

Com o correr do tempo, os de origem italiana tornaram-se a maioria absoluta da população de Ilópolis e impuseram com naturalidade seus próprios costumes, prenomes, linguajar, sotaque inconfundível, culinária, cantorias, religiosidade, vestuário, cultura, comunicação ruidosa, economia, divertimentos e assim permanece na atualidade. Hoje, Ilópolis se encaminha para sua vocação e destino turístico, preservando e valorizando suas origens.

Bibliografia:
Monografia ”Itapuca” de Claudete Toigo Lampert (hoje Gruginskie)
Livros: Ilópolis – Origens e Raízes de André Bozzetto Júnior e
Os Lampert, Origens, História e Genealogia de Leandro Lampert

 

Festa Junina na Escola Estherina Marubin

A Festa Junina caracteriza-se como uma das manifestações culturais mais tradicionais e divertidas do nosso país com vestuários, danças, folguedos, músicas e comidas. Sendo a Festa Junina uma manifestação cultural que acontece nos quatro cantos do país, a Escola Municipal Professora Estherina Marubin desenvolveu o projeto Festa Junina na escola, com o objetivo de manter viva uma importante tradição da nossa cultura, promovendo momentos de lazer e trabalhando as manifestações culturais com os alunos. O projeto foi desenvolvido no mês de Junho, os alunos pesquisaram sobre o assunto, desenvolveram diversas atividades na sala de aula, enfeitaram a escola, ensaiaram quadrilha. O encerramento aconteceu com muita alegria e diversão, no dia 23, na Escola com apresentações de danças ensaiadas pelas professoras, no turno da manhã e tarde, além das barraquinhas de doces e salgados típicos, como pipoca, pivica, rapadura, cachorro-quente, batata assada, chocolate quente. Foi muito agradável e no final as crianças se divertiram com a pescaria.

 

Comemoração ao Dia de São João

A Prefeitura de Serafina Corrêa, através da Secretaria Municipal de Assistência Social, realizou na tarde do dia 25 de Junho uma linda festa em comemoração ao Dia de São João. Participaram da festa realizada no salão do CRAS, os grupos de Convivência de Idosos Vita e Sapienza e Santa Rita. A festa foi muito animada, muitos idosos estavam vestidos de caipira, o que tornou a festa ainda mais animada. Foram realizadas danças de roda e os idosos puderam dançar, festejar e realizar esta importante integração entre grupos. Os idosos foram acompanhados pela orientadora de Atividades da 3ª Idade, Gabriela Assoni Grechi e pelo Professor de Ed. Física Gean Grisa. A Secretaria de Assistência Social visa o bem estar e o lazer de todos os idosos atendidos nos Grupos de Convivência, sendo tardes como esta de extrema importância para criar e manter os vínculos entre os idosos.

 

Mais de R$ 1 milhão e 250 mil em investimentos para Serafina Corrêa

O Prefeito Ademir Antonio Presotto está em Brasília, em importante viagem de trabalho. Na oportunidade, está visitando os Gabinetes dos Deputados em busca de recursos para o município em todas as áreas. Nesta quarta-feira, 1º de Julho, foram anunciados mais de R$ 1 milhão e 250 mil em recursos em infraestrutura, mobilidade urbana, turismo e saúde para Serafina Corrêa e o Distrito de Silva Jardim. As emendas são do Deputado Federal Luiz Carlos Busato (PTB); José Otávio Germano (PP); Jerônimo Goergen (PP); Renato Molling (PP); e Giovani Cherini (PDT). Segundo o Prefeito Municipal, a viagem também tem o objetivo de buscar o pagamento de importantes obras que estão em andamento no município como a Escola Modelo FNDE e o Centro Municipal de Saúde. Além disso, assegurar recursos para a pavimentação em diversas ruas do município e do Distrito de Silva Jardim, investimentos na área de turismo e recursos para o Hospital Nossa Senhora do Rosário são importantes conquistas para toda a população.

 

Oficina Bate-Papo no CRAS

O Centro de Referência de Assistência Social de Serafina Corrêa está implantando uma nova Oficina dentro do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Ela tem o objetivo de proporcionar aos adolescentes momentos de conversa em relação a diversos assuntos como:
cidadania, adolescência saudável, qualidade de vida, educação sexual, dentre outros. A Oficina Bate-Papo no CRAS acontece todas as quartas-feiras na parte da manhã, das 10h às 11h, e à tarde, das 17h às 18h, sempre com a presença da psicóloga do Centro de Referência de Assistência Social – CRAS. Participe da Oficina Bate-Papo no CRAS, todas as quartas-feiras, das
10h às 11h; e das 17h às 18h. É gratuito, participe! Mais informações 3444 3814.

 

Legislativo estará em Silva Jardim para Sessão Descentralizada

Reunião contará com homenagem aos representantes daquela comunidade que atuaram como Vereadores

Na noite de segunda-feira da próxima semana a tradicional Sessão da Câmara de Vereadores deixa de acontecer no Plenário para ser realizada no único Distrito de Serafina Corrêa. A Sessão Descentralizada da Câmara de Vereadores faz parte da programação do 55º Aniversário do Município e contará, também, com reconhecimento aos representantes daquela comunidade que atuaram no Poder Legislativo, contribuindo com a história e desenvolvimento Serafinense.

Através de um Requerimento, o Vereador Adir Soranzo solicitou a realização desta Sessão Plenária na comunidade de Silva Jardim, sendo que o pedido foi votado e aprovado com o voto de todos os demais colegas.

A comunidade é convidada a participar desta que é a primeira sessão da Câmara fora de sua sede neste ano, oportunizando que os moradores de Silva Jardim acompanhem de perto as atividades legislativas.

Sessão Descentralizada em Silva Jardim
Data: 6 de julho de 2015, segunda-feira
Horário: 19 horas e 30 minutos
Local: Salão Comunitário de Silva Jardim.

1º de julho de 2015

O AMOR É LINDO

repetiu-se hj no estacionamento do Nacional da Carazinho a cena de segunda.....

* Deixa que o amor é lindo!!!!!

* engraçado que o motora pica a mula,qdo nota a presença de quem o viu no primeiro dia.

 

do Antônio Lanches

pq gosto so antonio lanches. lá vc pode ficar trabalhando numa nice. ng te diz nada.....

 

cenas do dia

as carmelitas saem do convent0 e pegam onibus como qq mortal....ao meio dia na perimetral

e a av. ganzo arborizada do MD....

 

de São Borja

cenas do frio...gente ao relento na praça XV de novembro.

diz que tem um albergue mas pra entrar lá não pode ter cachaça. a turma fica com a caninha mesmo....

cenas são borjenses...no frio, gente ao relento no praça XV de novembro

cenas numa manha fria de sabado em sb....

fui dar uma ' campeireada' e anotei isto daí....

além dos sem teto, fotos do pão saindo quentinho pra mesa dos sãoborjenses e o amenhecer.....num dia frio.na terra dos presidentes, queé a capital nacional da linguiça e do bolachão, proposto por um vereador. o ramão aguilar vai fazer um livro contando causos da linguiça e do bolachão(olides canton)

 

LOUREIRO

o proj do dep Loureiro ´´e + uma a deputação estadual.depois federal....

 

Cinema

OS ATRASOS DO MUNDO

por Eron Duarte Fagundes

De gravata e unha vermelha (2014), documentário brasileiro rodado por Miriam Schnaidermann sobre as diversas categorias de transgêneros no Brasil, é um filme provocativo e ao mesmo tempo um ponto de partida para se estabelecer uma reflexão sobre os atrasos inarredáveis das sociedades humanas. Nunca sabemos ver o outro nem muito menos compreender a extensão de seus dramas.

As pessoas entrevistadas pela realizadora apresentam um autêntico caleidoscópio do mundo-trans. Ao ouvir-se gente como Ney Matogrosso, Rogéria, Laerte, Leticia Lanz e uma cantora da noite, logo percebemos que os indivíduos são irredutíveis a um estereótipo e que cada ser é mesmo único. O que importa mesmo não é o feminino nem o masculino, que na verdade não existem, o que existe de verdade é o ser humano integral. Um homem sem pênis, uma mulher com pênis, a diversidade do prazer e a inexistência do gozo, o desejo (feminino?) de se apaixonar, o instinto (feminino?) de cuidar e de criar são questões que vão perturbando a normalidade do espectador.

As motivações de Ney para esconder o rosto à ditadura militar e suas mesmas motivações para não resumir seu desejo ao lado homem como partes de sua forma de contestação típica dos anos 70 são outras turbulências que beneficiam o belo documentário de Miriam.

 

do mirnonneto.com

Gramadense recusa proposta de R$ 8 milhões a mais por área

O Centro Esportivo Gramadense recusou uma proposta de R$ 8 milhões a mais pelo Estádio dos Pinheirais, na assembleia realizada na última quinta-feira (25). A Construtora Rotta Ely fez uma proposta global de R$ 43.948.220,00, contra os R$ 35.909.11,00 ofertados pela Toniolo Busnello. Os R$ 8.044.110,00 de diferença são representados por 10 quartos de hotéis a mais, seis salas comerciais a mais, 36 boxes de garagem a mais e 100 metros quadrados a mais de lojas.
A proposta de permuta exigida pelo Gramadense era de 21,5% da área. A Rotta Ely ofereceu 26,3%.

 

Decisão foi baseada exclusivamente na análise de balanços

A opção da maioria dos associados do Centro Esportivo Gramadense baseou-se mais na análise de balanços das empresas, feita por 3 contadores (dois deles ex-dirigentes do clube), do que na proposta pura e simples. Resta saber, agora, se a diretoria do Centro Esportivo Gramadense irá exigir da empresa vencedora que iguale a proposta da outra empresa, que estava disposta a pagar R$ 8 milhões a mais pela área do Estádio dos Pinheirais.

 

de Serafina

este encongtro dos carros antighos começou com meia duzia de exibicionistas aficionados em carros velhos....

* virou um evento. pega toda a região.

* quem gostga pode ir a serafina dom que vem que vão ver peças veias uma cacaredo que vou te contar. vem gente até do paraná,sc e por ai....

* ficou grande o troço.

 

S P R I T O D E M I C O

por Leandro Lampert, historidador

Lá pelo ano de 2002, encontrei, não lembro onde, cinco páginas avulsas de um livro de nome “Cidades Vizinhas”. O capítulo estava incompleto e faltava o final da sátira. Não consegui saber o nome do autor. O tema me interessou pois eu fora testemunha dessas ocorrências ainda menino. Fiz xerox das páginas e coloquei uma folha de papel dobrado servindo de capa com o título do conteúdo.
Guardei o impresso tão bem guardado que nunca mais o encontrei. Em fins de abril de 2015, numa pasta de couro, junto com outros trabalhos históricos meus que não seriam divulgados, encontrei o dito xerox. Ufa.
Como o tema era uma briga generalizada, em Estrela, depois de uma partida de futebol vencida pelo Estrela Futebol Clube contra o Clube Esportivo Lajeadense, por 2 x 1, passei a procurar o nome do autor. Pedi socorro a vários amigos e J. A. Schierholt descobriu e me indicou o nome, mas desconhecia o teor do livro. Era Olides Canton, de Arvorezinha, autor de várias obras editadas. Ele deve ter interrogado muitas pessoas, pois fez um relato saboroso e debochado da peleia ocorrida em 1940. Nem tudo confere com o que eu vi, mas decorridos mais de 60 anos, talvez, a memória dos entrevistados se confundira um pouco.
Entre meus amigos de Lajeado ou Estrela, nenhum sabia da existência desse livro.
Esclareço que o apelido de Spritu ou Sprito de Mico, apodo do personagem e sub título, foi originado por discussão com um cliente à respeito de um serviço de mecânica de automóvel. O mecânico acusou o outro de estar com espírito de mico com ele, tentando lográ-lo.
A seguir, o capítulo xeroqueado das páginas 55 a 59.

ESTRELA X LAJEADO

“Spritu de Mico”

Lá pelos idos de 1940, em plena ditadura do “bom velhinho”, o então chefe de polícia do Rio Grande do Sul, Cel. Dagoberto, baixou uma portaria e PROIBIU jogos de futebol entre o ESTRELA F.C. e SPORTIVO LAJEADENSE! Os antecedentes indicavam memoráveis peleias, que embora não alcançassem as famosas degolas de 23, estremeceram o Alto-Taquari. O rio cristalino e limpo daquele tempo era o divisor do ódio entre estrelenses e lajeadenses, rivais além do futebol. De repente, o bom senso voltou, foi instituída a Taça da Paz, para selar o reatamento das relações entre as margens esquerda e direita do Taquari. A Agência Chevrolet, capitaneada pelo velho Spohr, caprichou no troféu.
Trombetas e fanfarras saudaram a boa nova. A pomba da paz voltara a voar. Os bodoques e estilingues foram aposentados e os guerreiros das duas bandas deixaram enferrujar suas gloriosas adagas enfiadas em bainhas de couro de mula.
A “Baixada” estrelense viveu um dia de esplendor no dia do jogo. Gente até debaixo da cama da velha Moda, que fazia uns pastéis de carreira e “nariz entupido”, recheado com creme de ovos, amarelinho, amarelinho. Não era, porém, parecia.



Nosso glorioso Estrela tinha o Negrão no golo e logo na primeira investida do ataque do Lajeadense, o joelho de nosso arqueiro atingiu abaixo do umbigo do ponteiro Cé. A voz de comando veio do velho Caboclo, lá das bandas de Cruzeiro do Sul, território “inimigo” dos estrelenses. O pai do Ênio, um dos maiores craques de todos os tempos do Alto Taquari, deu o berro e as tropas adversárias passaram por baixo dos parapeitos (não existia alambrado) e tentou fazer uma manobra de “pinça”. O entrevero foi dos mais lindos, começando com uma bocha nos beiços do Cunha, um gurizote debochado barbaridade. A cerca de tábuas não resistiu ao entrechoque e ruiu como o muro de Berlim, deixando a alemoada e os pelos duro numa guerrilha de ruas, todas elas repletas de cascalhos das barrancas do Taquari.

Enquanto o João Porto mordia a mamica do Klein, o Mário Lampert, que chegou a ser deputados estadual levou um ½ tijolo na cabeça, protegida por um daqueles capacetes que os ingleses usavam quando saquearam o continente africano. Foi farelo para todos os lados e o sangue brotou na cabeça da grande figura que foi o Mário Lampert. Em um dado momento, as fileiras estrelenses estavam caindo feito pinos de bolão. Era o Spritu de Mico. Um negrão tipo os armários antigos de quatro portas, que vinha fazendo grande estrago. Tinha gente até cuspindo os dentes, perdendo a “chapa” e sangrando pelas ventas. Então os soldados da Brigada Militar, ainda herdeiros belicosos e valentes de seus antepassados guerreiros entraram em ação. Destaques para o Francelino e o Aires. Desembainharam suas espadas “rabo de galo” (parecidas com uma cimitarra) e afofaram as paletas do Spritu. Já com o matambre prá lá de espichado, o negrão procurou refúgio debaixo do Ford 23, acho que do seu Lulú Ruschel. Cercado e apertado como rato em guampa, reuniu as últimas forças e se mandou ladeira abaixo na Rua da Praia em direção à barca do Adelino Englert, que fazia a travessia do rio. Começou para os lajeadenses a longa retirada aquática, tipo a de Dunquerque dos ingleses na 2ª Guerra Mundial. Os estrelenses, com o farto material de cascalhos, bombardeou os lajeadenses encurralados e desprotegidos dentro da barcaça. Os “hospitais de campanha”, comandados pelo Dr. Breier, ficaram lotados com gente de côco quebrado pela mira certeira dos estrelenses. A paz, que nem fora selada, já se transformava em guerra declarada.
Anos mais tarde, com as feridas já lambidas e saradas, após muitas conferências de cúpula, a normalidade voltou a imperar. Surgiram os grandes times. O do Estrela (5x0) em cima do Lajeadense, com Negrão; Madeira e Nelsinho; Duca, Gregório e Markus; Lino, Ovídio, Acosta, Ado e Élico. Do lado direito surgiram craques de primeira grandeza, como Ênio Azevedo, que tinha um chute mais forte do que “peido de burro atolado”; os zagueiros Baldo e Klein, os arqueiros Schimitão, mais tarde Assis; Darcy Schmidt, Brauner (que jogou ao lado de Pelé no Santos), os irmãos Crespo, Pintado (jogaram no Grêmio POA), e o grande Pequeninho, Costinha, Ilmo Fleck, Boris, Moacir (jogou no Cruzeiros POA), Paulo Kieling e Paulinho Heineck.

Quase ao nascer dos anos 50, brotou na Baixada e se consagrou no então estádio Walter Jobim (hoje municipal), o campeão do Alto Taquari, defendido por Amaury (atuou pelo São Paulo, na capital bandeirante); Lamão e Nelsinho; Ataíde, Tito e Laurinho; Talo (adivinhem quem é este veloz e aguerrido pioneiro?)
Yéyé, Prego (que foi craque do Grêmio POA), Mirinho e Polaco ou Loy (que jogou com o Geada no Floriano NH), Renato Porto, Vicente Meira, Wilson Onzi o negro Chipi, Geraldo, o zaguero Carrion, o goleiro Stefani, o Bepi e tantos outros.

Entretanto, em todos os tempos, os dois símbolos do clássico, às vezes sangrentos entre Estrela x Lajeado, foram o zagueiro estrelense Nelsinho, o famoso pé de ouro, e um dos maiores atacantes de todos os tempos do futebol gaúcho, o grande comandante Ênio Martins de Azevedo.
Evocar este passado, sem lembrar as figuras magistrais de Aloysio Schwertner, Achiles de Vianna Morais (o eterno Quilote); o velho Viola, jogador da seleção uruguaia dos anos 20/30, Bertold Gaussmann, Edmundo Hergoemöler, Heitor Kist, Calvino Reis, o tesoureiro Kreutz, chefe da copa Edgar Müller (o schnaps e a cerveja davam mais renda que as bilheterias), Wilimar Schneider, Nilo Luchesi, Armando Gemmer, Salvo Abech, Fritz Seibot, pelo lado estrelense e de Lajeado, o Carlos Trierweiler, o Carlos Marques, o Roque Lopes e tantos outros abnegados e heroicos seria uma lacuna. A eles a nossa saudade e as nossas homenagens. No apresilhar destas linhas, destaco como craque que foi, dirigente que ia aos últimos sacrifícios, o grande Eugênio Noll, o Óigen. Com ele e já com quase mais ninguém reparto, quando nossos encontros, as evocações e um passado romântico, doce e que nos proporcionou, talvez, os mais significativos momentos de nossas vidas.
Ainda hay peleas nas barrancas? Não. Os peleadores morreram agarrando a alça do caixão do Estrela F. C. Sem inimigo, o Sportivo Lajeadense, ainda ativo e glorioso, perdeu a joia mais rara de sua já longa existência: o clássico das barrancas. Era a nossa Copa do Mundo. Podia se ganhar do Grêmio, do Inter, do Juventude, do Floriano, do Esportivo de Bento, do Santa Cruz, do …….. e aqui termina o Xerox, na página 59 do livro Cidades Vizinhas – Amor e Ódio, do escritor de Arvorezinha Olides Canton. De forma nenhuma consegui encontrar o restante do capítulo. Um dia irá aparecer.
Em 1940, eu tinha onze anos e fui testemunha ocular de alguns episódios acima referidos e de outros tomei conhecimento pelo depoimento do meu pai Mário Lampert, também presente no jogo e espectador da briga.

Me permito algumas retificações no trabalho do Olides, seguindo a sequência de sua sátira:
Durante a partida daquele domingo não houve briga, nem de jogadores nem de torcida, apesar das trombadas e caneladas recíprocas entre os atletas, saudadas com um “bah” pelas torcidas. Muito menos invasão de campo por torcedores e derrubada da cerca, fatos ocorridos anteriormente em outros jogos.
Entre as figuras proeminentes do Clube Esportivo Lajeadense, é citado Carlos Trierweiler. O Carlos tinha a minha idade e o dirigente lajeadense era seu pai Octávio Trierweiler
O campo de futebol do Estrela F.C. era na barranca do rio, na beira do local denominado Buraco dos Cachorros, propriedade do meu avô materno Mathias Ruschel Sobrº, que o alugava ao Clube estrelense.
A copa era explorada pelo clube, mas minhas tias, numa lateral, mantinham uma pequena banca, onde vendiam fatias de bolo aos espectadores.
A torcida estrelense ficava no lado da barranca, com o sol nas costas e os visitantes de frente para o rio e para o sol.
Assisti o jogo do segundo time (1 a 0) para o lajeadense e o jogo do primeiro time (2x1) para o Estrela, já mencionado.
Terminada partida, a retirada coletiva dos jogadores misturados ao público, pela rua perpendicular e contrária ao rio.
Eu, que assistira o jogo com outros meninos, decidi ir até a banca da tia Lena no lado oposto do campo e filar uma lasca de bolo: Leandro. Queres uma fatia der bolo? - Quero, e me dirigi ao portão de saída. Fui o último a sair.

Poucos metros à minha frente, um grupo de seis adultos, bem vestidos, caminhava em linha.
De repente, ouço passos apressados atrás de mim e alguém me ultrapassou, vestido com calças compridas e botina de futebol nos pés. Tinha o cabelo molhado e uma trouxa de roupa enrolada dentro de uma toalha debaixo do braço. Não o identifiquei.
Ao ultrapassar os seis, dois deles correram e um deles acertou um chute no traseiro do cidadão, que parou e voltou-se para ver quem era o agressor. Logo foi cercado pelos outros e deram chutes a vontade no coitado. Eu, surpreso, dava gargalhadas ao ver a cena inusitada. Não me dei conta que o ato era uma covardia desnecessária e sem motivos. Hoje, creio que ele deveria ser um jogador do 2º time do Lajeadense. Mesmo cercada, a vitima conseguiu uma brecha e disparou rua afora, sumindo-se dobrando a esquina para a rua da praia em direção à barca. Acho que vi sair faíscas da botina dele nas pedras do calçamento.

Logo que dobrei a mesma esquina, já vi meia quadra adiante o rolo. As torcidas, lajeadense no passeio esquerdo (iriam dobrar depois para o rio) e a estrelense no passeio direito. Iriam continuar pela rua da Praia ou subiriam o zigue-zague até a praça da matriz. No meio da rua, com calçamento de paralelepípedos estavam os guerreiros e muitos populares. Pugilatos, tapas, empurrões, desaforos, muitos pontapés nos traseiros e nas canelas, o diabo. O Sprito já debaixo de um fordeco, todo sovado de pranchaços de espada. Ele era um pacato mecânico em uma oficina de automóveis, grande e de porte atlético 1,90 m x 100 kg. Me assopraram que seu nome seria Benedito dos Santos. O Ubaldo Plein aos socos com um adversário, o Arno Klein também, só que nas costas dele havia mais um que lhe aplicava mordidas na paleta e depois encarapitou-se em seu dorso. Vi a esposa do seu Caboclo, vociferando desaforos e ameaçando com uma sombrinha já com o cabo quebrado e as varetas apontando para o chão. Muita gritaria de mulheres. Dá nele. Separa. Ataca. Cuidado. Aparta. A briga era volátil. Dá um soco ou um pontapé e corre, pois já vem mais dois atrás dele com intenções assassinas. Todos caminhando devagar e sem parar.
Meu pai assistiu a tudo na calçada e não se envolveu em brigas. Era um apaziguador. Usava o chapéu do explorador inglês que Olides referiu, mas o meio tijolo e o sangramento foram fantasiosos.

Quando chegaram à rua da descida para a travessia do rio, as torcidas se separaram e a peleia corpo a corpo terminou. Os lajeadenses, em bloco, se aproximavam do local de embarque, a barca já vinha atracando e um grupo de cerca de 20 estrelenses, com um claro de 30 metros atrás, esperava pelo embarque. Eu, atrás deles com alguma distância. Eu fora de carona com um tio e voltaria para Lajeado um pouco mais tarde.
A barca ficou lotada de pedestres e desatracou, iniciando a travessia. Nesse momento, dois ou três valentes correram até a prancha de embarque, juntaram alguns cascalhos grandes e os atiraram nos passageiros da barca. Tchum Tchum, caíram na água. Recarregaram com munição de menor tamanho e novamente tchum. A barca já estava muito longe. Os retirantes, apavorados no início e à medida que se afastaram dos projéteis, brindaram os artilheiros com uma estrondosa vaia. Diziam que fora ouvida até no morro de Cruzeiro do Sul. Duvido.
Entre mortos e feridos salvaram-se incólumes todos os lajeadenses. Voltei para a casa do meu avô, a primeira bem em cima da barranca, aguardando a minha carona junto com minha irmã Leonor.
Comentários correntes nas duas cidades: Demos uma surra nos lajeadenses. Entortamos os estrelenses a tapa. Todos vitoriosos.

A peleia teve grande repercussão e chegou aos ouvidos do chefe de Polícia em Porto Alegre, que mandou dois delegados às cidades para verificar o que acontecera. Essa medida não agradou aos barranqueiros. A alemoada já estava sofrendo as acusações e perseguições por ser taxada de “quinta-colunas” simpáticos ao nazismo e isso acabaria azedando mais a situação. Os delegados iniciaram por Estrela ouvindo as testemunhas. Todas se queixaram que apanharam dos malvados lajeadenses, que nem respeitaram uma idosa. Gente de maus bofes. Chegados a Lajeado, a mesma lamúria – Os estrelenses agrediam inocentes espectadores e mostravam improváveis vestígios de agressões. Meu pai havia coligido depoimentos nesse sentido e foi procurado pelos dois delegados.
Conhecidos os depoimentos dos lajeadenses, os delegados logo manifestaram sua opinião. Apanhar não é crime. E como todos apanharam sem bater em ninguém, sugerimos dar o acontecido por encerrado. Que acha seu Mário? – Acho muito bom – Agora iremos à Estrela e conferir. Também acharam muito bom encerrar a bagunça. Ficou por muito tempo registrada na memória com mil versões, depois quase esquecida e agora pertence à História
E assim, meus amigos, encerro o relato de acontecimentos ocorridos 75 anos atrás ainda vivos na minha memória.
Meninos! Eu vi.



ARQUIVO

2007
           
 Set
 Out
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014

Abr01
Abr02

2015
Mar01
Mar02
Abr01
Abr02
Mai01
Mai02
Jul01
Jul02
         



OLIDES CANTON - JORNALISTA E ESCRITOR

Nascido em 16 de Janeiro de 1952 na cidade de Serafina Corrêa-RS, Olides Canton passou nesta cidade toda a sua infância. Mudando-se para Porto Alegre, cursou a Escola Julio de Castilhos, tornando-se Bacharel em Comunicação Social pela FABICO/UFRGS em 1982. Trabalha como Jornalista desde 1970. Trabalhou na Companhia Jornalística Caldas Júnior, Jornal Zero Hora. No Jornal do Brasil e Revista Carga e Transporte atuou como free-lancer. Editor do Jornal de Bordo e Revista Fitness. Possui 9 livros publicados. Ganhou quatro prêmios de Jornalismo, um do Badesul, dois do Setcergs e um da ARI. Registro no Sindicato dos Jornalistas RS: 2776 - Registro Jornalista - Mtb 4959.

Telefone: (51) 3330-6803
e-mail: contato@deolhoseouvidos.com.br

Autor de inúmeros livros, Olides Canton firmou-se como um
exímio contador de histórias contemporâneas.
Conheça agora as obras do autor
© "de Olhos e Ouvidos"  -  Todos os direitos reservados
Os textos e imagens publicados neste site são de inteira responsabilidade de Olides Canton.


EDIÇÕES DO FITNESS

Edição 180 - julho 2015
Edição 179 - maio 2015
Edição 178 - março 2015
Edição 177 - feverero 2015
Edição 176 - janeiro 2015
Edição 175 - dezembro 2014
Edição 174 - novembro 2014

Edição 173 - outubro 2014

Edição 172 - agosto 2014

Edição 171 - junho 2014

Edição 170 - maio 2014

Edição 169 - março 2014
Edição 168 - janerio 2014
Edição 167
Edição 166
Edição 165
Edição 164
Edição 163
Edição 162

Edição 161
Edição 160
Edição 159
Edição 158
Edição 157
Edição 156
Edição 155
Edição 154
Edição 153
Edição 152
Edição 151
Edição 150
Edição 149
Edição148
Edição 147
Edição146
Edição145
Edição144
Edição143
Edição 142

Edição 141
Edição 140
Edição 139
Edição 138
Edição 137
Edição136
Edição135
Edição134
Edição 133
Edição132
Edição 131
Edição 130
Edição129
Edição128
Edição127
Edição 126
Edição125
Edição 124

Edição 123
Edição 122
Edição 121
Edição 120
Edição 119
Edição 118
Edição 117
Edição 116
Edição 115
Edição 114
Edição 113
Edição 112
Edição 111
Edição 110
Edição 109
Edição 108
Edição 107
Edição 106
Edição 105
Edição 104
Edição 103
Edição 102
Edição 101
Edição 100
Edição 99


ESTÃO À VENDA


Cidades vizinhas (A briga entre cidades gaúchas) • R$ 15


Cosi la ze stata (Breves histórias de Serafina Correa/RS) • R$ 20


Getulio Vargas, depoimentos de um filho (Maneco Vargas fala de Getulio) • R$ 20


Estradas do Rio Grande (A história da construção pesada no RS) • R$ 50

Mais a postagem. Procure pelo olidescanton@bol.com.br.


ANUNCIE NO SITE

Entre em contato conosco

Edições Anteriores do Blog