' PO, O GREMIO É CAMPEÃO, O BRASIL GANHOU UMA OLIMPIADA E TU ME PAGOU UMA PASSAGEM.
DEIXA EU ME BELISCAR PRA VER SE É VERDADE".
DE UM TORCEDOR EUFORICO E BEBADO, AO ENTRAR NO T5 DEPOIS DE GREMIO X CAM NA 4 ,DIA 7.12.2016




9 de dezembro de 2016

CENA DEPRIMENTE

NO FIM DO JOGO DO GREMIO X CAM, ESPEREI PELO T5. DEMOROU PRA ABRIR A PORTA. AI UM TORCEDOR MEIO NERVOSO PQ TINHA PIVETE NAS VOLTAS QUERENDO ASSALTAR SE ATRACOU NUMA BRIGA FEIA COM UM LARGADOR DA CARRIS. E NÃO VI UM BRIGADIANO NA VOLTA. SUMIRAM OS BRIGADIANOS???

- TU É COLORADO, TUA MULHER TÁ TE CORNEANDO EM CASA, TU AKI TRABALHANDO, DIZIA O TORCEDOR,NERVOSO, PRO LARGADOR, QUE ATÉ MANTEVE A COMPOSTURA. PODIA TER LEVADO UMA BOXA.

 

e.t

fui ver de novo. hj de tarde. É UM GRANDE FILME DO SPILBERG.QUE CARA GENIAL. OS EFEITOS SÃO UM LSD...PURO.ESTE CARA DEVE TER TOMADO MUITO LSD.

 

Programação do Clube de Cinema para o próximo final de semana

No próximo Sábado (dia ?10/12/2016?) as 10h15min no Espaço Itaú assistiremos ao filme "Ninguém deseja a noite" (Nadie quiere la noche - 2015). Groenlândia, 1908. Josephine Peary (Juliette Binoche) é uma expedicionária que viaja ao Polo Norte em busca de seu marido, desbravador. Dona de fortes convicções sobre a vida e o seu trabalho, ela muda por completo sua visão do mundo após um inesperado encontro com a esquimó Allaka (Rinko Kikuchi).

?No próximo Domingo (dia ?11/12/2016?) as 10h15min na Sala P.F. Gastal assstiremos ao filme "De Palma" (2015). O diretor estadunidense Brian De Palma já passou por momentos muito diferentes em sua carreira: começou com produções experimentais, foi convidado a trabalhar em Hollywood e conquistou alguns sucessos marcantes, como em Os Intocáveis, mas também acumulou fracassos que colocaram a sua carreira em risco. O próprio diretor narra sua história, filme a filme, ressaltando as principais parcerias, as decepções, a amizade com Francis Ford Coppola, Martin Scorsese e Steven Spielberg e as lições aprendidas com o cinema de Alfred Hitchcock.

 

INDÚSTRIA DE MÁQUINAS PROJETA QUEDA DE FATURAMENTO DE 25% NESTE ANO

Os fabricantes de bens de capital mecânicos deverão fechar 2016 com um faturamento da ordem de R$ 70 bilhões contra os R$ 87 bilhões registrados no ano passado, representando uma queda de cerca de 25%. A projeção foi feita hoje (7) em Porto Alegre pelo vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ-RS), Hernane Cauduro, durante balanço do desempenho do setor neste ano e das perspectivas para 2017. Em relação a 2013, quando teve início a queda nas vendas de bens de capital mecânicos do País, a retração de receita acumulada já atinge a aproximadamente 40%. Segundo o dirigente, o Rio Grande do Sul é diretamente afetado pela queda de faturamento, porque participa com 16% do Produto Interno Bruto (PIB) do setor em nível nacional. Avaliou que a esperada recuperação de mercado tende a ser retardada em função da crise política que coloca em risco a aprovação das reformas estruturais no Congresso Nacional. Como medidas emergenciais de apoio aos fabricantes de máquinas e equipamentos, a ABIMAQ pleiteia junto ao governo federal a edição de um novo Refis porque 57% das indústrias estão inadimplentes junto ao fisco da União e por isso não têm acesso a créditos junto ao sistema financeiro. Outra proposta da entidade é o estabelecimento de linhas de financiamento para capital de giro do BNDES com juros de 13,75% (taxa Selic) ao ano.

 

VIADUTO OTÁVIO ROCHA

O período de Comunicações Temáticas da sessão ordinária desta quarta-feira (7/12), na Câmara Municipal de Porto Alegre, abordou a Semana do Viaduto Otávio Rocha. Na ocasião, o proponente do tema, vereador Adeli Sell (PT), falou sobre a história do logradouro e propôs uma parceria público-privada para a revitalização do espaço. “Nosso viaduto completou 84 anos em 1º de dezembro”, lembrou Adeli, fazendo referência aos gestores que idealizaram o projeto. “O então governador do estado, Borges de Medeiros, e o então prefeito, Otávio Rocha, iniciaram o planejamento em 1926. A conclusão ocorreu seis anos depois, em 1932”, destacou, ressaltando a importância do equipamento na ligação do Cento Histórico com o bairro Cidade Baixa.

Em seguida, o parlamentar lamentou o atual estado do local. “É talvez o monumento mais importante de Porto Alegre, mas que vive um processo de deterioração, tanto de sua estrutura quanto do entorno”, disse, ponderando que as pessoas em situação de rua que se abrigam no viaduto devem ser respeitadas. “Os moradores de rua e as pessoas em drogadição não devem ser tiradas a ‘manu militari’, mas auxiliadas pela Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc) e pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS)”, sublinhou.

Por fim, Adeli Sell lembrou que há muitas propostas sobre a recuperação do Viaduto Otávio Rocha, mas, segundo ele, a maioria é “demagogia pura”. Ele sugeriu que a prefeitura lance uma proposta de concessão para o logradouro. “A recuperação deve ser feita através de uma parceria público-privada (PPP), oferecendo como contrapartida ao investidor índices construtivos ou espaços da municipalidade”, disse o vereador, classificando a proposta como “ousada e inovadora”. “A cidade está sucumbindo diante de tanta demagogia”, finalizou.

 

do Comunique-se

DEUS QUE ME PERDOE MAS TÃO GANHANDO GRANA ENCIMA DA DESGRAÇA DO XAPECOENSE.OS CAMELOS VENDEM , OS FAMILIARES XORAM A MORTE DA GRANA QUE O FILHO NÃOT RAZ MAIS. QUANTA HIPOCRISIA, COMO DIZIA O CAZUZA. FIQUEM QUIETOS, É MELHOR(oc)

Placar lança pôster da Chapecoense e reverte todo o lucro de venda para o clube

Após a Conmebol oficializar a Chapecoense como campeã da Copa Sul-Americana de 2016, a revista Placar resolveu homenagear o time que perdeu 19 jogadores e toda a comissão técnica no trágico acidente aéreo ocorrido em Medellín, na Colômbia. O veículo fez pôster dos jogadores da temporada e anunciou que reverterá o lucro de todas as vendas da publicação para o clube catarinense se reerguer.


Placar homenageia a Chapecoense com pôster (Imagem: Revista Placar)

“Neste ano, o time ia para seu auge, quando um terrível acidente tirou a vida de 19 jogadores e de toda a comissão técnica. Mas nesse pôster, Placar não vai lembrar da tragédia, mas sim dos heróis da conquista da Copa Sul-americana pelo pequeno time de Chapecó”, diz a revista. Para o veículo, o time será eternizado não pela tragédia, mas pela vitória, pela campanha épica e por uma conquista sem precedentes no futebol brasileiro. O pôster da Chape chega às bancas nesta quarta-feira, 7, ao valor de R$ 5,00.

“A primeira missão que tínhamos na Placar era colaborar para eternizar o título de campeã sul-americana da Chapecoense, um feito esportivo histórico no futebol brasileiro. Além disso, a maneira que encontramos de contribuir com a Chape, que passou por uma tragédia única na história do futebol brasileiro, foi doar o lucro dessa edição para ela, ajudando no processo de reerguimento do clube”, disse o diretor editorial responsável pelo veículo, Sérgio Gwercman.

Em carta à direção, jornalistas da CBN pedem “escala humana” de trabalho

por Tácila Rubbo

Profissionais da CBN São Paulo enviaram carta ao diretor executivo da rádio, Ricardo Gandour, pedindo a reversão do modelo atual de escala de trabalho e folgas da redação. “A prioridade é de que seja estabelecida escala que continue de acordo com a legislação e atenda à demanda da redação. Uma escala humana, que respeite a nossa dignidade”, dizem os funcionários.

A carta é assinada por 24 jornalistas que propõem diálogo aberto e constante sobre o assunto. Segundo eles, foram feitas três propostas de novas escalas de trabalho, todas refutadas pelo departamento jurídico, RH e direção de jornalismo da emissora. Os profissionais salientam que enquanto, em média, o trabalhador brasileiro tem cerca de 150 dias de descanso anuais, eles possuem apenas 97 – levando em consideração os dias de férias.

Segundo o texto enviado a Gandour, o modelo de trabalho seguido pela rádio permite que os colaboradores da rádio folguem apenas um fim de semana inteiro a cada cinco finais de semana de trabalho, o que tem provocado cansaço, estresse e agrava a condição de vida dos jornalistas.

Além disso, dos oito principais feriados deste ano, os profissionais trabalharam em pelo menos seis. “Há turmas que passaram o ano sem folgar em nenhum feriado. Só conseguiram folgar agora, no feriado da Proclamação da República, por conta de um ajuste feito pela chefia – que trocou a ordem dos plantões –, o que, aliás, deixou outra turma sem folga dupla durante seis finais de semana seguidos”.

O documento destaca, ainda, que o desgaste e o esgotamento dos profissionais vêm em momento em que se acumulam dois anos sem reajustes salariais. Segundo eles, a empresa se recusa sequer a recompor a inflação do período. “O reajuste de 10,94% dos salários, retroativo a dezembro de 2015, foi determinado pelo Tribunal Regional do Trabalho, mas até agora não foi concedido”, declaram.

Para que o tema seja discutido com urgência, os integrantes da redação da CBN São Paulo pediram reunião, no prazo máximo de duas semanas, com a direção da rádio e com todos os departamentos que precisem ser envolvidos nessa mudança como RH e jurídico.

“Estamos reféns de modelo em que é impossível fazer qualquer programação ou planejamento para duas semanas além da que estamos. Ao adotar e reafirmar a escala atual, a CBN vai na contramão do que há de mais moderno, atual e arejado nas relações de trabalho”, ressaltam os jornalistas.

Ex-diretor do Estadão, Ricardo Gandour assumiu a direção executiva da Rádio CBN em setembro deste ano. Em contato com a reportagem do Portal Comunique-se, ele falou sobre a carta. “A manifestação foi acolhida de forma absolutamente construtiva, dentro de um canal aberto de comunicação que deve ser preservado. Estamos estudando as sugestões. O assunto será, como sempre, encaminhado dentro da lei e em benefício da qualidade da prática jornalística”.

Intervenção do Sindicato
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) informou que realizou negociações com a CBN, no início de 2016, para buscar a manutenção da escala de 3 x 1 no fim de semana – ou seja, um trabalhado e três de folga –, mas que não houve acordo. “Agora, depois de quase um ano, a carta demonstra como as condições de trabalho pioraram ao ponto de prejudicar seriamente os profissionais e seu próprio trabalho”, disse a entidade.

Diante da carta enviada à direção da empresa, o SJSP anuncia apoio aos profissionais da emissora, na luta por escala de trabalho correta, que preserve no mínimo as condições que já eram praticadas na CBN antes do atual sistema ser adotado.

Veja, abaixo, a íntegra da carta escrita pelos jornalistas

A Ricardo Gandour
Diretor nacional de jornalismo da CBN

Gostaríamos que este seja o primeiro passo de uma relação que – no que depender de nós – será propositiva, construtiva e de um diálogo aberto e constante.

Como você bem sabe, nós, repórteres, produtores, redatores, apuradores e jornalistas de modo geral da CBN São Paulo temos pleiteado, desde a sua implantação, há cerca de um ano, a reversão do modelo atual de escala de trabalho e folgas.

Como alternativa à escala atual, já fizemos três propostas – todas refutadas pelo departamento jurídico, RH e direção de jornalismo, sem que houvesse uma possibilidade de reforma nos equívocos pontuais ou estruturais. A primeira proposta foi elaborada e negociada com participação do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, como é de conhecimento da direção de jornalismo. A última proposta foi desenhada com a participação de várias pessoas e assinada por quase toda a redação.

Chegamos ao nosso limite.

Enquanto, em média, um trabalhador brasileiro tem cerca de 150 dias de descanso anuais, nós temos 97 – levando em consideração os dias de férias. Se desconsiderarmos as férias, temos quase a metade de dias de descanso do que a média dos trabalhadores (67 a 120). É um disparate.

Antes, a cada mês trabalhávamos em dois dias de fim de semana e folgávamos em seis.

Na prática, tínhamos condição de viajar, visitar nossa família e resolver questões que, durante a semana, tomados pela rotina de trabalho, não conseguimos resolver – como compromissos médicos, por exemplo.

Hoje, a cada cinco finais de semana, folgamos apenas um inteiro.

Dos oito principais feriados deste ano, trabalhamos em pelo menos seis. Há turmas que passaram o ano sem folgar em nenhum feriado. Só conseguiram folgar agora, no feriado da Proclamação da República, por conta de um ajuste feito pela chefia – que trocou a ordem dos plantões –, o que, aliás, deixou outra turma sem folga dupla durante seis finais de semana seguidos.

Essa situação tem provocado um desgaste físico e emocional sem precedentes para todos nós.

A conta chegou.

Neste ano, quatro jornalistas – de uma redação não tão grande – precisaram ser afastados por problemas de estresse acumulado e estafa relacionados ao trabalho. Doenças, depressão, problemas psicológicos. Tudo isso provoca absenteísmo que, por sua vez, afeta a produtividade e aumenta a sobrecarga de trabalho para todos.

No desempenho de suas atividades, quatro colegas tiveram, no intervalo de um ano, registros de agressões físicas graves por parte de policiais e manifestantes, sem que tivessem recebido, em nossa opinião, atendimento e respaldo adequados por parte do Sistema Globo de Rádio.

O desgaste físico e psicológico, porém, não altera o nível de dedicação da equipe. Mesmo no limite, temos nos desdobrado para manter a engrenagem rodando, a rádio funcionando e o produto com a qualidade do Grupo Globo e o padrão desses 25 anos da CBN. E o resultado é atestado nas grandes coberturas em que estivemos envolvidos no último ano. Mas a qualidade do nosso trabalho está seriamente em risco por conta do desgaste absoluto da equipe.

A insatisfação é geral e irrestrita. A direção de jornalismo certamente tem a sensibilidade para perceber isso. É muito difícil, nestas condições, manter profissionais engajados e dispostos a propor ideias, sugerir modelos e participar efetivamente do processo contínuo de adequação e atualização da rádio aos novos tempos. Aliás, no último ano, pelo menos quatro jornalistas altamente capacitados decidiram se desligar voluntariamente da rádio, tendo a escala como um das principais razões.

A principal justificativa para a mudança usada pela direção, além dos motivos jurídicos, foi o fato de que o modelo de escala implantado, com um final de semana de folga por mês, seria estendido às outras redações do Grupo Globo, o que nunca aconteceu. Em redações com o mesmo ritmo de trabalho e as mesmas demandas, inclusive nas rádios concorrentes, o modelo utilizado é o de três finais de semana de folga para um trabalhado – nem mesmo outras regionais da CBN têm o nosso modelo. Por que os outros conseguem, mas nós não?

O desgaste e o esgotamento vêm em um momento em que estamos acumulando dois anos sem reajustes salariais. A empresa se recusa sequer a recompor a inflação do período. O reajuste de 10,94% dos salários, retroativo a dezembro de 2015, foi determinado pelo Tribunal Regional do Trabalho, mas até agora não foi concedido.

Os cinco postos de trabalho fechados com as demissões no jornalismo deixaram a situação ainda mais caótica. O modelo de escala redesenhado após essa decisão têm sérias lacunas que podem comprometer em curto prazo – e a qualquer momento – a qualidade do produto final.

Notamos uma intensificação, inclusive, das mudanças frequentes de horários em todas as funções. Somos flexíveis para/com as alterações, mesmo isso nos impedindo de ter regularidade para manter compromissos externos – como cursos que nos auxiliem no desenvolvimento profissional, por exemplo.

Pior: estamos sendo privados de escolher as datas em que podemos usar o nosso banco de horas – alternativa imposta pela rádio ao sistema de horas extras.

Estamos reféns de um modelo em que é impossível fazer qualquer programação ou planejamento para duas semanas além da que estamos.

Ao adotar e reafirmar a escala atual, a CBN vai na contramão do que há de mais moderno, atual e arejado nas relações de trabalho. O modelo relativiza, em primeiro lugar, a saúde do funcionário e, em segundo, a importância do repouso para uma atividade que envolve processos mentais criativos a todo tempo.

Para que o tema seja discutido com urgência, a redação da CBN pede uma reunião, no prazo máximo de duas semanas, com a direção da rádio e com todos os departamentos que precisem ser envolvidos nessa mudança (RH, jurídico etc.). A prioridade é de que seja estabelecida uma escala que continue de acordo com a legislação e atenda à demanda da redação. Uma escala humana, que respeite a nossa dignidade.

Reafirmamos: tínhamos uma escala de 3 por 1, que nos permitia trabalhar um final de semana e descansar três. Agora temos uma escala que nos dá um final de semana cheio de folga por mês. Antes, folgávamos em 50% dos feriados. Hoje, temos dois feriados por ano. Queremos a escala 3 por 1 de volta e pelo menos a metade dos feriados do ano.

Vale lembrar que, nas últimas semanas, assembleias em grandes redações, como a da TV Globo e a da TV Record, e participação de centenas de jornalistas, reafirmaram que aceitam, no máximo, o modelo 3 por 1, nada pior que isso.

O limite chegou, mas não queremos deixar a CBN. Não queremos abdicar do nosso padrão de qualidade. Apesar dessa situação-limite, todos gostamos de fazer jornalismo. De fazer bom jornalismo. De entregar um produto de qualidade ao ouvinte. De fazer diferente.

Não temos a menor pretensão de trabalhar menos do que qualquer redação com um modelo digno e humano de escala.

Só queremos tempo.

Tempo para descansar, quando precisarmos estar a postos para trabalhar em um horário ou função diferente.

Tempo para pensar, quando estivermos com a cabeça livre para construir novas pautas.

Tempo para viajar, ver nossas famílias, brincar com os filhos, renovar as energias, recuperar a saúde.

Tempo para investir no nosso desenvolvimento profissional, acadêmico e humano.

Tempo para sonhar que um dia será possível trabalhar em nossa melhor condição de desempenho.

Contamos com a sua disposição para nos dar esse tempo de volta.

Redação da CBN São Paulo (assinada por 24 jornalistas)

 

Lafergs assina termo de compromisso para produção de aparelhos auditivos para o SUS

Foto: Rodrigo Nunes/MS

Com a presença do ministro da Saúde, Ricardo Barros, o diretor do Laboratório Farmacêutico do Rio Grande do Sul (Lafergs), Paulo Mayorga, assinou hoje, com a Secretaria de Ciência e Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, termo de compromisso para o desenvolvimento produtivo de Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI). O ato ocorreu durante a 12ª reunião do Grupo Executivo do Complexo Industrial da Saúde (GECIS), no Centro Internacional de Convenções do Brasil, em Brasília.

Trata-se da assinatura da PDP aprovada para o Lafergs pelo Ministério da Saúde em 2015 e anunciada no início de 2016. Foi o único aprovado, entre todos os projetos submetidos por laboratórios oficiais na área de produtos para a saúde (que não são medicamentos), no ano de 2015. Serão produzidos Aparelhos de Amplificação Sonora Individual (AASI) Retro Auricular Tipo A, Tipo B e Tipo C e intra-auricular Tipo A, Tipo B e Tipo C a serem fornecidos ao SUS. Conforme a Política de Desenvolvimento Produtivo, o Ministério da Saúde fará a aquisição do produto. O Lafergs terá como parceiros privados no investimento, desenvolvimento, transferência e absorção de tecnologia a WaveTech Soluções Tecnológicas e Acústica Amplivox.

O projeto aprovado pelo Lafergs prevê a produção de cerca de 80 mil aparelhos/ano, representando um faturamento anual de R$ 57 milhões. De acordo com o diretor do Lafergs Paulo Mayorga, atualmente no RS existe uma fila de espera de pacientes que aguardam aparelho auditivo, com demanda reprimida principalmente nas regiões Metropolitana e Vales, sendo esses pacientes na maioria idosos. Além da demanda, o mercado desta tecnologia é bastante expressivo, correspondendo a um investimento do ministério de cerca de R$ 114 milhões em 2015. “O Lafergs passa por uma reestruturação a partir de sua inserção em uma política nacional que visa ampliar o acesso a medicamentos e produtos para saúde. Desde 2014, foram aprovadas três Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDPs), visando à produção de aparelhos auditivos, filtros e m áquinas para hemodiálise. São importantes projetos para empresas instaladas do RS colocando a contribuição do Lafergs no Parque Produtivo do Estado”, destaca.

Na pauta da 12ª reunião do Grupo Executivo do Complexo Industrial da Saúde (GECIS) realizada hoje no Centro Internacional de Convenções do Brasil, em Brasília: Plataforma Inteligente de Tecnologia em Saúde, Plano de Expansão da Radioterapia no SUS e Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo.

 

Há previsão de chuva e ventos fortes em SC a partir desta quinta-feira

A Defesa Civil de Santa Catarina e a Epagri/Ciram alertam para o risco de chuvas, ventos fortes e raios em todo o estado nesta quinta e sexta-feira, 8 e 9. Não está descartada a possibilidade de granizo em pontos isolados. Os órgãos pedem atenção para as regiões de divisa com o Paraná, especificamente no Oeste, Meio-Oeste, Planalto Norte e Litoral Norte. Nestas áreas, o volume pode chegar a 100mm em 24 horas, sendo que o esperado para o mês inteiro varia entre 140mm a 170mm. Nas demais regiões, o volume de chuva deve ser menor, chegando a 30mm.

Com a intensidade de chuvas estimada no Centro-Norte do Estado, há o indicativo de alagamentos pontuais nas cidades que fazem divisa com o Paraná. “São chuvas típicas de verão e, geralmente, são pancadas com trovoadas, porém volumosas para um curto espaço de tempo”, destacou o meteorologista da Epagri/Ciram, Marcelo Martins.

Essa condição de chuva é favorecida pela temperatura alta e pelos valores elevados de umidade. Martins explica que as rajadas de ventos não são tão preocupantes como as que ocorreram na madrugada do último domingo, 4, em Florianópolis. “O evento registrado em Florianópolis é bem atípico, e o último semelhante a ele aconteceu em 2005”, explica.

Na sexta-feira, o dia começa com variação de nuvens, mas a chuva volta a todas a regiões no período da tarde. Os indicativos são de que a chuva persista também no sábado, mais forte na madrugada e manhã, escpecialmente no Norte do estado.

Quarta-feira

Por volta das 16h40 desta quarta-feira, o radar de Lontras (imagem abaixo) mostrou núcleos de chuva pelo estado, com intensidade forte em Turvo e fraca a moderada em Lebon Régis, Santa Cecília, Monte Castelo, Alfredo Wagner, Lauro Muller e Meleiro.

A Defesa Civil classifica os níveis de criticidade como Observação, Atenção e Aviso.

Observação: usado quando uma ameaça meteorológica ou hidrológica é eminente ou provável, mas não é tão severa. Pode evoluir para os demais níveis.

Atenção: usado quando uma ameaça meteorológica ou hidrológica está para acontecer, é significativa, porém o horário ou local é incerto. Pode evoluir para aviso.

Aviso: usado quando uma ameaça meteorológica ou hidrológica é eminente ou provável, com severidade ou representa uma ameaça à vida ou propriedade.

Boletim atualizado às 17h desta quarta-feira, 7.


8 de dezembro de 2016

Grêmio

TOU XEGANDO DO JOGO DO GREMIO AGORA SÃO UMA E MEIA DA MADRUGADA DE 5 JÁ. DOIS BUS. T5 E P. DORNELLES, O NAVIO NEGREIRO QUE LOTOU NA GOETHE. O POVO DA VILA VEIO PRA GETHE COMEMORAR A VITORIA DO GREMIO. O PAULO SANTANA TORNOU O GREMIO UM TIME DE VILA. ANTES ERA SO ALEMON DO M DE VENTO. GRAÇAS AO TORTO QUE O GREMIO É HJ O TIME POPULAR QUE É....

GRE 1 X 1 CAM = O CAMPEÃO VOLTOU !

(Fotos e legendas by Laurinho da Venâncio)


Público recorde


Depois de 15 anos o grito de campeão voltou


A alegria volta ao coração tricolor


Todos juntos na mesma emoção


Torcida assistiu o jogo todo em pé


Alegria depois do gol do Imortal


Jamais nos matarão


Depois de tanto tempo fora do pódio


Alma castelhana como nos seus melhores dias


Alegria geral


Comemoração condigna


Torcedor feliz


Noite linda


É campeão!


É campeão!


Os coleguinhas


É campeão!


Com a mão na taça

 

APESAR DE DOENTE, CLOVIS TRAMONTINA EXALA OTIMISMO

aPESAR DE SER PORTADOR DE ESCLERIOSE MULTIPLA - AQUELA DOENÇA DO JOGADOR - CLOVIS TRAMANTONIA, 61 ANOS, DONO DA TRAMONTINA - RESPONSÁVEL POR 62 POR CENTO DO QUE CARLOS BARBOSA ARRECADA DE IMPOSTO EXALA OTIMISMO. ELE ESPERA QUE 2017 SEM COPA DO MUNDO,SEM OLIMPIADA,SEM IMPIXIMENT,SEM ELEIÇÃO, COMECE A TRABALHAR.

- TEM 20 MILHÕES DE DESEMPREGADOS, DISSE ELE AGORA NA COLETIVA DO MEIO DIA.

CHEGOU CARREGADO POR UMA BENGALA, SORRIDENTE. ENTROU NA SALA PRA COLETIVA SENTINDO-SE UMA CRIANÇA.

ACOMPANHADO DE ASSESSORES, O QUE ELE NÃO SABIA, ASSOPRAVAM.

SOUBE ATÉ ME DIZER QUE A ' BUZA ' - UMA LOCALIDADE DE FARROUPILHA - FICA NESTE MUNICPIO, NAÕ EM BENTO, COMO EU ACHAVA.

CLOVIS,COLORADO, NUMA FAMILIA DE GREMISTAS - FILHOS, NETOS E ATÉ A MULHER - DIZIA QUE OG REMIO PODERIA PERDER PRO ACM.

- EU JÁ PERDI DUAS PARTIDAS FINAIS DEPOIS DE TER GANHOU FORA, CONTOU ELE QUE PRESIDE CLUBE DE FUTSAL DA TRAMONTINA.

CLOVIS PRESIDE HJ O CONSELHOD E ADMINISTRAÇÃO DA TRAMONTINA.

TEM 61 ANOS E EXPIRA OTIMISMO, EMBORA SAIBA QUE O BRASIL PASSA POR UMA CRISE SEM PRECEDENTES. MAS ELE NÃO FALA EM CRISE, NEM SE QUEIXOU DA DOENÇA. NÃO FEZ PENA DELE MESMO.

PERGUNTAVAM A CLOVIS O QUE ELE ACHAVA DAS MEDIDAS DO SARTORI

- UM DOENTE COM CANCER TEM QUE FAZER QUIMIOTERAPIA, DISSE O EXECUTIVO.

CONHECIDA PELO FUTSAL, A COR LARANJA DAS CAMISAS DO TIME FOI INSPIRADO NA ' LARANJA MECANICA' DA HOLANDA EM 1974. CONTOU CLOVIS.

NUMEROS DA TRAMONTINA

1. TEM 7.500 EMPREGADOS.6.800 NO BRASIL.

2.

TEM 10 FABRICAS.

3.

EM 2010 E 11, NO AUGE, VENDEU 400 MIL PANELAS DE AÇO INOX POR MES. DEPOIS BAIXOU PRA 150 MIL E AGORA VOLTOU PRA 350 MIL DE NOVO. ELE ESPERA NOVAMENTE 400 MIL.

4.
O BRINDE DA FIERGS PROS JORNALISTAS FOI DA TRAMONTINA. DISSERAM PRO CHEFÃO.E LE NÃO SABIA.

5.

A TRAMONTINA TEM LOJAS. DUAS EM SP, 2 NO RJ, 1 SALVADOR, 1 EM CBARBOSA.
6.

BAIXOU EM MÉDIA 10 A 15 A VENDA DA EMPRESA NESTE ANO.

7.

A TRAMONTINA TEM HA 20 ANOS UMA FILIAL EM VISCONSIN, PERTO DO CANADÁ. FOI ANTONIO, UM GERENTE, DA BUZA QUE FEZ A TRANSAÇÃO COM UM AMERICANO.AGORA COM TRUMP O MADE IN USA VAI VALER MUITO. LEVAM PANELAS PRO MEXICO E PROS USA.

8.
A EMPRESA TEM PPR.

 

LU

O MAIL DO PENINHA X AUGUSTO ESTARÁ NA INTEGRA NO MEU PROXIMO LIVRO.MO FOI LIBERADO PELO DES TULIO MARTINS.

QUE HJ OCUPA A IMPRENSA DO TJ.

 

AINDA O ALMOÇO MATA FOME DA FIERGS DOS COLEGUINHAS

1.

LIZEMARA PRATES PASSAVA A MÃO EM DOCES. PARECIA AQUELAS VEIAS JUDIAS QUE EM FESTAS LEVAM A SACOLA CHEIA DE DOCES PRA CASA. NÃO BASTA SER FILHA DE FAZENDEIRO, ELEGANCIA VEM DO CORAÇÃO.

2.

LEILA PINTO ROUBOU O BUQUE DE FLORES DA NOSSA MESA. AI A BETI CORBETTA PEGOU DE OUTRA. AS MUIÉ QUERIAM LEVAR O BUQUE PRA CASA.

3.

JÁ DISSE QUE ALGUNS COLEGUINHAS TEM UM COMPORTAMENTO QUE PARECE FIM DO MUNDO. QUE AMANHA NÃO VÃO TER O QUE COMER. COSA DE POBRI.

4

A POBREZA MESMO É DA ALMA.

5.
ARNO MACIEL FOI LÁ COM A REGINA LEMOS. NÃO AKELA DO ACIDENTE DA TAM.OTRA, MENOS FAMOSA.

6

UM COLEGUINHA OLHO PRA COXAS DA REGINA LEMOS E DISSE:
- QUE COROA GOSTOSA

7

DANIELA SALLET IA PRA CA E PRA LÁ COMO QUE AXANDO QUE OS CARAS OLHAVAM PRA ELA. NG TA AI PRA NG.

8

O FEICE FOI O MAIS ACESSADO DURANTE TODO O TEMPO. ATÉ DURANTE A COLETIVA DO VEIO BABÃO ESTE QUE TÁ LARGANDO O CARGO. QUE VEIO XAROPON

9
A FIERGS PRECISA SE RENOVAR. TÁ MUITO XATA.O DISCURSO PESSIMISTA. ESPERAR O QUE DA CUT,ENTÃO????

AGOULART DIZQUE TEVE TRATAMENTO PRIVILEGIADO PORQUE A XEFONA LÁ É DE VACARIA. PAULO TIGRE TB É.

DEPOIS DE ALGUNS EXAGEROS, O ALCOOL FOI ABOLIDO NO ALMOÇO DA ENTIDADE.

ARNO MACIEL NO ALMOÇO MATA FOME ME DISSE QUE TINH AALI UM COLEGUINHA QUE ELE FOI COBRAR UMA CONTA ANOS ATRÁS EM CACHOERINHA. FICOU COM PENA DA MUIE E DOS FILHOS. O CARA É UM 171 DANADO. MAS TEM OTROS, NÉ ARNO???MAIS XIQUES DO QUE ESTE, NÉ????

ANTONIO GOULART VEIO ME DAR XINELADA NO ALMOÇO MATA FOME DA ENTIDADE. LEVOU NOS DEDOS. AKI É COMO O CH DE BSB. BATEU,LEVOU

 

ADIANTO

ANTONIO GOULART VAI FAZER AS FERIAS DO KADÃO. JÁ FEZ MAT DE ADIANTO.
TB NO ALMANAQUE NÃO TEM NADA ATUALIZADO, NÉ.SUGERI PRA ELE FAZER UMA SÉRIE DE GRANDES CRIMES DO RS. TÁ KAINDO DE MADURO. MAS ELE NÃO QUER. DÁ MUITO TRABALHO. KKKK

 

Coleguinhas

MAS COMO SE COMUNICA MAL O GOV SARTORI????!!!!!!

BLOG

O MELHOR QUE TEM AI É O IMPRENSA LIVRE RS. DO RICARDO. MUITA GENTE QUI SI AXA SE PAUTA POR ELE.

 

Música

 

Conto

O SEGREDO

por Valdir Fachini

Faltava poucos dias pro Vitinho completar cinco anos, ele já estava um molecão parrudo, já sabia contar até dez em inglês, conhecia cores, já chacoalhava o pipi quando fazia xixi, limpava a bunda sozinho, mas tinha uma coisa que ele não sabia e o seu pai, seu Vitorino, decidiu contar no dia do seu aniversário, tava decidido, desse dia não passava.
Mas, dona Vitória, mãe zelosa e preocupada, achou que não estava na hora, Vitor Hugo ainda era muito criança e talvez essa revelação pudesse afetar seu psicológico quem sabe até precisasse fazer terapia, resolveram então esperar mais um pouco.
Faltava poucos dias pro sexto aniversário do pimpolho, esse ano ele já estava mais parrudo, pra não dizer, balofo, pançudo, obeso, já sabia fazer mais coisas, como, soltar pipas, girar pião, porem a coisa que ele mais precisava saber, o que talvez fosse mudar o seu destino completamente, ele ainda não sabia e não era esse ano que seus pais iriam te contar, eles não acumularam coragem suficiente pra isso, talvez no próximo niver.
Chegou o ano sete, Vitinho já era Vitão, mais magro, mais sabido, já arriscava alguns acordes no violão, já sabia quando um cara era viado, mas continuava sem saber do grande segredo
Oito anos, já andava de bicicleta, sem as duas rodinha auxiliares, mesmo assim, seu Vitorino e dona Vitória, ainda achavam que era cedo pra tão terrível revelação.
Nove, dez onze anos, Vitor já era um varapau, dominava o inglês, craque no basquete e já arriscava umas bitocas de língua nas menininhas, era só orgulho para os pais, talvez por esse motivo eles tinham medo de contar a grande incógnita, medo que o garoto regredisse mentalmente, então mais uma vez omitiram;
Quando ele fez dezoito anos, se alistou no exército, como ele era um rapagão forte, inteligente e prendado, os caras do quartel acharam que ele seria útil para o país, então iria servir.
Mais outra preocupação para os pais, pois achavam que naquele monte de homem, algum também podia saber do enorme segredo e contar pro soldado Vitor e poderia acontecer uma tragédia na guarnição.
Graças a Deus, nada aconteceu.
Então os anos foram passando normalmente e para o agora homem, aquele segredo, ainda era segredo. Foram tantas namoradas, grandes desilusões, muitas dores de barriga, diversos porres, piolho, caspa, chato, o escambau, até já estar pronto para o casório.
Era chegada a hora dos pais marcarem uma reunião e finalmente acabar com essa lenga lenga....só que não.
Talvez ainda fosse cedo, vá que o menino fique abalado e broxe, então a lua de mel vai pras cucuias.
Não faz mal esperar mais um pouco.
A festa foi pra la de supimpa, a viagem, um espetáculo e voltaram.
Vitinho tinha uma novidade, juntou a família e deu a boa noticia, ...vocês vão ser avós.
Depois foi a vez do seu Vitorino falar,....sua noticia foi boa foi a melhor que já recebemos, à muito esperávamos por ela, você nos deixou felizes, mas nós temos um segredo que esteve guardado a sete chaves o tempo todo e chegou a hora de te contar.
Espera sua mãe chegar com um copo de água com açúcar, porquê isso vai te chocar e muito, esperamos que essa revelação não te traga consequências, nem te deixe sequelas, então seja forte e escute....meu filho Papai Noel não existe.
valdirfachini53@gmail.com

 

INDÚSTRIA DE MÁQUINAS PROJETA QUEDA DE FATURAMENTO DE 25% NESTE ANO

Os fabricantes de bens de capital mecânicos deverão fechar 2016 com um faturamento da ordem de R$ 70 bilhões contra os R$ 87 bilhões registrados no ano passado, representando uma queda de cerca de 25%. A projeção foi feita hoje (7) em Porto Alegre pelo vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ-RS), Hernane Cauduro, durante balanço do desempenho do setor neste ano e das perspectivas para 2017. Em relação a 2013, quando teve início a queda nas vendas de bens de capital mecânicos do País, a retração de receita acumulada já atinge a aproximadamente 40%. Segundo o dirigente, o Rio Grande do Sul é diretamente afetado pela queda de faturamento, porque participa com 16% do Produto Interno Bruto (PIB) do setor em nível nacional. Avaliou que a esperada recuperação de mercado tende a ser retardada em função da crise política que coloca em risco a aprovação das reformas estruturais no Congresso Nacional. Como medidas emergenciais de apoio aos fabricantes de máquinas e equipamentos, a ABIMAQ pleiteia junto ao governo federal a edição de um novo Refis porque 57% das indústrias estão inadimplentes junto ao fisco da União e por isso não têm acesso a créditos junto ao sistema financeiro. Outra proposta da entidade é o estabelecimento de linhas de financiamento para capital de giro do BNDES com juros de 13,75% (taxa Selic) ao ano.

 

da Folha de S.Paulo

Uruguai inaugura museu dedicado à maconha nesta sexta

O Uruguai, que há três anos regulou o mercado da maconha para uso recreativo, terá um museu permanente da cannabis em Montevidéu a partir de sexta-feira, informaram os promotores da iniciativa.

O Museu da Cannabis de Montevidéu começará a funcionar em 9 de dezembro “como forma de continuar a rica história de liberdades que o Uruguai sempre adotou de forma vanguardista”, indica um comunicado divulgado à imprensa.

“É uma maneira de conectar pessoas que amam a natureza, a arte e a ciência”, disse o diretor do museu, Eduardo Blasina.

O local apresenta “uma viagem a um dos cultivos mais antigos do mundo, que será sem dúvida uma das plantas mais importantes do terceiro milênio pelas suas propriedades medicinais e de reconstituição dos solos”, explicou Blasina.

O centro conta com o apoio do seu homólogo de Amsterdã, o Hash Marihuana & Hemp Museum, que contribuiu com materiais que serão exibidos no local, situado próximo ao Río de la Plata na capital uruguaia, afirma a nota.

Em 2013, o Uruguai aprovou uma lei que autoriza o cultivo de maconha para consumo próprio em casa e a formação de clubes de cultivadores para plantar de forma cooperativa, e busca implementar uma inédita venda de maconha legal produzida por empresas privadas sob controle estatal através da rede de farmácias do país.

Este último aspecto da lei é o que tem gerado mais dificuldades para o governo de Tabaré Vázquez, que anunciou neste ano a abertura do registro de consumidores para poder começar a vender maconha ao público, mas não conseguiu organizá-la.

Vázquez disse que, ao contrário do que o governo esperava, essa iniciativa prevista na lei ficará para 2017.

 

do leouve.com.br

Livro resgata trajetória de Aristides Bertuol nas pistas

por Rogério Costa Arantes

A história de uma das épocas mais românticas do automobilismo brasileiro recebe merecido destaque nas páginas de 'Aristides Bertuol, o piloto da carretera nº 4', O livro, lançado em novembro, combina entrevistas, registros documentais e um valioso acervo fotográfico para reconstruir o “tempo das carreteras” em uma produção documental e biográfica que conta, em suas mais de 200 páginas, a vida de Aristides Bertuol nas pistas.

Com prefácio de Emerson Fittipaldi, primeiro brasileiro campeão mundial de Fórmula 1, bicampeão dessa modalidade e das 500 milhas de Indianápolis, o livro transforma-se em um presente para os apaixonados pelo automobilismo.

Fruto de um cuidadoso trabalho de pesquisa elaborado por Gilberto Mejolaro, o livro apresenta, com textos do jornalista Fabiano Mazzottti, a trajetória do piloto que ficou conhecido à época como “ás do volante”, através de entrevistas com quem conheceu e vibrou com Bertuol pilotando a sua carretera e de um material fotográfico inédito – em parte mantido pela família e também com imagens recuperadas em diversos acervos.

Os admiradores do tema poderão descobrir fatos curiosos e que ainda estão vivos na memória dos testemunhos do período glorioso das corridas de automóveis em estradas de chão, nas décadas de 1950 e 1960. O livro também retrata o perfil de Bertuol como empresário e político.

Aristides Bertuol - o piloto da carretera nº 4' é um projeto financiado pelo Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet, com patrocínio de Bradesco, Geremia Redutores, Vinícola Salton e Meber Metais.

Reconhecimento à trajetória

Aristides Bertuol participou de 60 corridas em sua carreira automobilística. Sua estreia nas pistas ocorreu em 26 de setembro de 1948, na Copa Rio Grande do Sul. Pilotando uma carretera identificada com o numeral quatro, Bertuol fez história no universo da velocidade. Com um Chevrolet 1939, conquistou aquelas que eram as principais glórias do automobilismo na época, como as Mil Milhas Brasileiras em 1957.

Ele levantou taças de campeão gaúcho e estabeleceu recordes, como na etapa Rio de Janeiro/São Paulo do II Grande Prêmio Automobilístico Getúlio Vargas, em 1951: venceu, percorrendo 396 km em 2 horas e 56 minutos, com a incrível média de velocidade de 133 km por hora. Essas performances que lhe renderam apelidos como "Intrepidante Aristides Bertuol" e "Às do volante".

Ele foi, também, vencedor do circuito da Boa Vizinhança em 1951 (corrida que aparece no filme); em 1952 ganhou o Grande Prêmio no autódromo de Interlagos, com uma Maserati, carro do Grand Prix de Fórmula 1 e em 1957 foi Campeão Gaúcho de carretera na categoria Força Livre. Seu nome está eternizado em rodovias, estádio de futebol e pista de kart, além de ser, hoje, sinônimo da mais alta condecoração outorgada em Bento Gonçalves - a 'Medalha Aristides Bertuol'.

DADOS TÉCNICOS:
Formato: 25cm x 28cm (fechado), 25cm x 56cm (aberto)
Páginas: 232
Capa: dura
Miolo: couchê fosco 150gr.

EQUIPE DE TRABALHO:
Fabiano Mazzotti: proponente do projeto, redator e coordenador editorial.
Gilberto Mejolaro: pesquisa.
Marli Cristina Tasca Marangoni: correção ortográfica
Bacana Desgin: projeto gráfico
Ernani Cousandier Rodrigues: Ilustrações
Ângela Somacal e Fabiano Massutti: diagramação
Eunice Pigozzo: bibliotecária responsável.
Viviane Somacal: coordenação de produção.
Carlos Bertuol: revisão histórica

 

do ABC

Las mentiras sobre Pearl Harbor del aviador nipón que gritó: Tora! Tora! Tora!

El cine consagró erróneamente la versión del teniente Fuchida, asesor en Hollywood para las películas sobre el ataque que ocurrió hoy hace 75 años

JESÚS GARCÍA CALERO Madrid07/12/2016 09:04h -

El caso del teniente Mitsuo Fuchida bien merece una novela, ya que este héroe de guerra japonés, que comandaba la escuadra de aviones que atacó Pearl Harbor el 7 de diciembre de 1941, tiene también muchos puntos oscuros aunque apasionantes, y es en buena parte responsable de lo que sabemos de aquel día. Pero se ha demostrado que faltó a la verdad en relevantes detalles de sus memorias de los hechos. ¿Por qué? La respuesta es compleja, como él, sin duda, debió serlo.

Es cierto que Mitsuo Fuchida (1902-1976) era un aviador experimentado que dirigió desde el aire el ataque aéreo a Pearl Harbor hoy hace 72 años. Él fue, precisamente, el encargado de enviar el mensaje por radio: Tora! Tora! Tora! (Tigre, tigre, tigre, lo que significaba que habían pillado al enemigo por sorpresa). También es cierto que fue el estratega encargado de recontar los daños causados en el ataque a la flota estadounidense del Pacífico. De hecho, Fuchida consignó en un mapa dibujado a mano todos esos daños, un mapa fidedigno que en 2013 se subastó en Nueva York por 445.000 dólares.

El objetivo de Japón con el ataque a Pearl Harbor buscaba neutralizar la Flota del Pacífico de los EE.UU. y así proteger su avance en la Malasia británica y en las Indias Orientales Neerlandesas
Un grupo de soldados disparan en honor a quince militares fallecidos por el ataque a la base naval de la bahía de Kanoehe (Hawai)
Además del acorazado Arizona, fueron hundidos también el West Virginia (106 muertos), el California (100 muertos); y fueron dañados el Oklahoma, el Nevada (60 muertos), el Tennessee (5), el Maryland (4) y el Pennsylvania (9).

Un hombre y sus contradicciones

Pero su figura está llena de contradicciones. Siempre ha escrito -y tiene publicadas varias obras sobre su participación en la guerra del Pacífico- que discutió violentamente ("fue una discusión amarga e iracunda") con el almirante Cuichi Nagumo cuando volvió desde Pearl Harbor al portaviones Akagi. Según su propio relato, tenía la convicción de que el golpe asestado a la Armada de EE.UU. no sería eficaz sin enviar una tercera oleada de aviones para destruir las inmensas provisiones de combustible que almacenaban en la isla estadounidense, y que aseguraban el mantenimiento de una flota durante el conflicto en el inmenso océano. Fuchida cuenta que lo pensó durante su viaje de regreso, después de sobrevolar la base para cerciorarse del daño causado.
Mentiras «made in Hollywood»

No parece muy probable que un almirante como Nagumo pudiera tolerar sin consecuencias una discusión tan desagradable con un oficial de grado tan inferior y encima el día en el que se brindaba por la victoria recién obtenida. Es más que improbable, y sin embargo todos hemos visto esa escena... en el cine. El problema es que Fuchida asesoró militarmente durante el rodaje de la célebre película "Tora! Tora! Tora!" (también en "La batalla de Midway") a los responsables de la producción, que necesitaban contar con un relato preciso de lo acontecido en las filas niponas.

Pero más que preciso, Fuchida se demostro lleno de talento para el adorno, para añadir unas gotas de drama que, por poco, no pasaron a la historia como hechos ciertos. Quien acudió a las fuentes documentales japonesas para desmentirle fue Jonathan Pashall, un historiador que publicó "El cuento de los tres embustes" sobre Fuchida y era el autor junto a Anthonyu Tully del libro sobre la batalla de Midway que reveló todos estos fallos. De hecho, Pashall cuenta que el aviador más tarde elaboró otro relato según el cual no atacaron los depósitos de combustible de Pearl Harbor porque querían utilizarlos más adelante en la guerra después de la invasión de Oahu, en Hawaii. Los documentos desmienten la existencia de estos planes de invasión en 1941.

Porque lo increíble es que incluso los historiadores navales americanos sucumbieron durante décadas ante el relato en primera persona de Fuchida en los varios libros publicados. La atención mediática y el impacto del cine bélico transformaron su versión en verdad incontestable y sus relatos pesaron más que la investigación histórica. La visión popular (y nacional) americana del conflicto pendía de esas películas, de esos relatos y, de hecho, una persona como Fuchida, con esa capacidad para influir, se convirtió en el amigo público y celebrado de Estados Unidos.

Es llamativo ver esta intervención suya en la televisión, en el programa de Merv Griffin en 1965, en el que se le pregunta por los días de la Guerra Mundial y sobre cómo se produjo su cambio en favor de la paz entre ambos pueblos. En el vídeo cuenta algunas de las peripecias, dignas de una novela, que le llevaron a vivir en EE.UU., a ese estudio televisivo y a convertirse en pastor evangelista y predicar por América, donde tuvo dos hijos. ¿Por qué sus invenciones tuvieron tanto éxito? Hay quien piensa que ofreció al inconsciente colectivo americano justo lo que necesitaba, conectó con esa visión mítica de sus batallas, muy arraigada en la nación: la de los desvalidos valientes que prevalecen contra todo pronóstico.

Fuchida alimentó su presencia en la vida pública americana no solo con su asesoramiento bélico-cinematográfico y sus gotas de drama, también ofreció a su antiguo enemigo un sentido para tanto sacrificio: se convirtió al cristianismo y predicó por todo el país. Él contaba cómo se convirtió cuando vivía en Tokio y leyó un panfleto que relataba la vida de un piloto americano derribado, Jacob Daniel DeShazer, que fue apresado en 1940 y que odiaba con toda su alma a Japón por los largos meses de torturas y el maltrato recibido como prisionero. Después de la guerra, DeShazer se había convertido y se fue como misionero a Japón porque "la Biblia había transformado todo mi odio en amor".

Fuchida le dió la réplica, a pesar de que siempre había sentido su papel en la guerra como parte de su deber de soldado, sin odio contra EE.UU. que alimentase una redencióncomparable. Pero su conversión y su prestigio como pastor le dieron relevancia pública, le convirtieron en ejemplar y le permitieron escibir libros como "Desde Pearl Harbor al Gólgota".
Midway, a medio camino de la mentira

La verdad y la mentira conviven también en el relato de la batalla de Midway que Fuchida dejó escrita y que se filmó poco después en una de las principales películas de aquellos años. Los historiadores han podido demostrar que el hundimiento del buque insignia de la flota nipona, el Akagi, no se produjo con los aviones en cubierta y a punto de despegar para el contraataque, como él indicó. Pero su relato estaba publicado en inglés, y los documentos originales fueron manuscritos en japonés y microfilmados. Da que pensar sobre la autenticidad de las fuentes y la relevancia de los testimonios personales.

Y Fuchida se hizo gran amigo del gran historiador Gordon Prange, cuyo libro sobre la batalla de Midway fue un bestseller imbatible. Sus detalles, algunos falsos, que proceden del relato de Fuchida, se repitieron durante 50 años hasta que otra generación de historiadores fue a ver los microfilms. El resultado es que el conocimiento de esa batalla decisiva fue erróneo durante décadas de negligente práctica historiográfica.
El día de la rendición... a la evidencia

La tercera gran mentira de Fuchida es, tal vez la más llamativa: aseguró que estaba a bordo del USS Missouri el día de la firma de la rendición de Japón. Prange lo incluyó en uno de sus libros, como un hecho cierto. No era parte de la delegación de rendición nipona y además no existe documento que pruebe su presencia en el buque insignia de la US Navy. Ni hay motivo para pensar que un oficial de "enlace" de última hora fuera invitado a un espacio ocupado por la oficialidad americana y una pequeña delegación que fue muy fotografiada.

Sea como fuere, Fuchida se mantuvo en primera línea durante muchos acontecimientos de la hsitoria. De hecho, en Midway resultó herido y la Armada nipona le retiró a un puesto en Tokio durante el resto de la guerra.

 

Ecosan fornece equipamentos para projeto de expansão da Estação de Tratamento de Esgoto no Paraná

A Ecosan, líder absoluta em equipamentos para tratamento primário e secundário de efluentes domésticos e industriais, foi escolhida para fazer parte de um grupo seleto de empresas homologadas e forneceu equipamentos em obras de expansão da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), em Lapa, no Paraná.

A ampliação da rede é realizada pela Companhia de Saneamento do Paraná, Sanepar, órgão público que está investindo 8 milhões na melhoria e crescimento do sistema de esgotamento sanitário da região. Ao final da obra, a estação terá sua capacidade aumentada de 30 para 90/s.

“Disponibilizamos dois equipamentos que vão qualificar esse importante projeto de expansão. Um compromisso firmado entre a Ecosan e a Sanepar, empresa que tem alto comprometimento com questões de qualidade de projeto e produção”, afirma André Telles, diretor executivo da Ecosan.

O sistema de esgoto da Lapa é formado por 83.434 m de rede coletora que atendem 23.549 habitantes, através de 7.234 ligações prediais. Com as obras, mais de 85% da população da cidade passa a ser atendida com os serviços de coleta e tratamento de esgoto.

A Ecosan forneceu, em 2014, para empresa de construção civil Gottschild dois filtros biológicos e dois decantadores para o projeto de ampliação do sistema de esgotamento sanitário da Lapa.

EQUIPAMENTOS FORNECIDOS PELA ECOSAN

Filtro biológico:

O equipamento distribuidor rotativo destina-se a distribuir o efluente uniformemente pela superfície do leito filtrante, a partir da alimentação por gravidade da tubulação à coluna central. A carga hidráulica gerada na caixa de entrada tem energia suficiente para mover os braços e estarão conectados a esta estrutura por meio de conexões flangeadas. Os braços do distribuidor rotativo serão suportados também por cabos de aço, que ajudarão a estabilizar o equipamento.

A peça em questão foi projetada para atender inclusive altas vazões, ela possui quatro braços, mas pode utilizar apenas dois quando a vazão estiver reduzida. Com orifícios distribuídos em sua extensão, tem como objetivo fazer a distribuição do esgoto da forma mais uniforme possível, evitando zonas pobres, sobre o leito filtrante.

Removedor de lodo:

A finalidade básica do equipamento é conduzir o lodo decantado do fundo do decantador até o poço existente no centro dessa unidade. Remover a escuma sobrenadante na superfície do líquido em decantação e conduzi-la até um poço de escuma existente na periferia do decantador. O esgoto entra no decantador pelo centro e se desloca uniformemente para a sua periferia. A maioria suscetível de decantação será removida.

O efluente é descarregado em uma calha situada ao longo de toda a periferia do equipamento. O lodo sedimentado no fundo é removido continuamente, por raspadores de aço e é descarregado em poço central. A escuma é removida por uma lâmina inclinada, fixada na ponte removedora. Os raspadores de lodo, bem como a lâmina de remoção de escuma, serão suspensos na ponte.

PROJETO DE AMPLIAÇÃO

Além da ampliação da ETE, a Sanepar deve ampliar a rede de esgoto em 5 km e abrir 115 novas ligações prediais para atender o Hospital São Sebastião e o bairro Estação. Hoje, o Hospital opera com um sistema próprio de tratamento, pois no local ainda não há rede da Sanepar.

Já a ampliação de esgoto no bairro Estação é uma solicitação da prefeitura municipal, devido ao alto crescimento populacional na região. Para as obras de ampliação da rede de distribuição, a Sanepar precisará fazer outra travessia, desta vez sob a linha férrea Curitiba - São Mateus do Sul.

A Sanepar também construirá na cidade outros equipamentos como dois reatores anaeróbicos de lodo fluidizado, dois filtros biológicos, dois decantadores, onze leitos de secagem, abrigo para o grupo gerador, interligações hidráulicas e instalações elétricas.

 

Pieralisi realiza evento na CETESB

Líder mundial na comercialização de decanters centrífugos para separação líquido-sólido, o grupo Pieralisi realizou no dia 29 de novembro um encontro técnico na ASAC CETESB - Associação dos Engenheiros e Especialistas da CETESB e do Meio Ambiente -, em São Paulo. Na ocasião, a empresa contou sua história e falou do crescimento sobre as novas tecnologias voltadas a desidratação de lodo.

Segundo Estela Testa, CEO da Pieralisi, essa foi mais uma oportunidade de mostrar o desempenho e a qualidade dos produtos do grupo. “Recebemos cerca de trinta participantes, dentre eles projetistas, engenheiros e analistas das ETEs. Aproveitamos para mostrar a eficácia das nossas máquinas”, comenta Estela.

O evento foi realizado no auditório Augusto Ruschi, na Sede da CETESB e a Pieralisi fez uma apresentação com o tema “Modernização do sistema de desidratação de lodo com a utilização de Decanter Centrifugo” e exibiu um vídeo contendo sua história, produtos e serviços.

Entre os assuntos tratados, a equipe destacou o adensamento, desidratação e secagem de lodo. Apresentou ainda um retrofitting no tratamento do lodo na indústria de papel e celulose.

Sobre a Pieralisi

Com aproximadamente 40 mil máquinas instaladas em mais de 26 mil clientes, o grupo mantém filiais em diversos países, estrategicamente localizadas, entre elas na Espanha, Grécia, Alemanha, Holanda, Brasil, China, Tunísia, França e Rússia.

Estela Testa, CEO do Grupo Pieralisi, destaca que “a vasta experiência e o conhecimento nos processos industriais levaram a empresa a oferecer equipamentos, como solução racional, para os processos de produção de vários tipos de alimentos e no setor industrial”.

 

do Boteco do Ilgo

Os astros e os fatos me deixam confiante no título

Quem passou por tantas frustrações nos últimos anos tem razão em estar com um ‘medinho’, um frio na barriga, em relação ao jogo desta quarta, na Arena.

Respeito e acho que é mesmo assim.

Agora, eu estou inteiramente confiante.

Primeiro, porque o Grêmio provou dentro de campo, no jogo de ida, que vive melhor momento que o bom time do Atlético. É um time maduro, consciente, capaz de superar as adversidades que surgem ao longo de cada jogo, e não se deixa influenciar por clima de oba-oba nem pelos arautos do apocalipse.

Segundo, porque joga em sua casa, com apoio de uma torcida sedenta por grandes títulos. A vantagem obtida pelos 3 a 1 é poderosa, sólida. “Ah, mas se eles fazem um gol logo no início aí complica”, dizem os mais assustados e os colorados secadores ao microfone, nos jornais e nas redes sociais. Pois eu responde, se o Grêmio levar um gol logo de saída, tem futebol suficiente para fazer outro gol de volta. Ponto.

Terceiro, porque acredito na previsão do astrólogo Bruno Vasconcelos (até como contraponto a uns ‘videntes’ de ocasião), feita a mim há uns dez anos, e que lembrei num comentário feito aqui no Boteco do Ilgo em 2013, na qual Bruno (que hoje vive em outro plano), disse que a seca gremistas terminaria em 2015 ou 2016.

Confiram:

SEGUE TEXTO PUBLICADO EM NOVEMBRO DE 2013, NA ÍNTEGRA, SEM ALTERAÇÃO (http://botecodoilgo.com.br/?p=3656)

O interminável inferno astral gremista

Quem trabalha ou trabalhou em jornal diário sabe como é complicado fechar as edições de Natal e, principalmente, de Ano Novo. Além de ser uma edição que vale para dois dias festivos (os dias 25 e 31 são os únicos feriados nas redações de jornais), há uma preocupante falta de assunto.

Por isso, boa parte do jornal é feita com matérias ‘especiais’ preparadas com alguma antecedência.

Se o sujeito trabalha na editoria de esportes, então, o problema é ainda mais grave. Jogadores em férias, dirigentes mais preocupados com as festas da virada. Falta assunto. Aí, fica aquele monte de especulação, coisa chata, repetitiva, cansativa.

Então, em meados dos gloriosos anos 90 eu decidi imitar o que todas as outras editorias faziam, ou seja, ouvir pessoas que fazem previsões, como cartomantes, astrólogos, tarólogos, jogadores de búzios, etc.

Como eu sempre respeitei a astrologia, que não é exatamente igual a esses horóscopos diários, decidi procurar um estudioso. Encontrei o Bruno Vasconcelos. Nem me lembro como.

Expliquei o que eu pretendia: a partir das datas de nascimento de Grêmio e Inter, ele faria o mapa astral dos dois clubes. Faltou um dado importante: o horário de fundação. Pelo que pesquisei, os dois clubes foram fundados à noite, mas não há certeza nos horários. Mesmo assim, Bruno encarou.

No cálculo dele não foram considerados as datas de nascimento dos atletas, o que daria muito trabalho para o astrólogo, que não era remunerado.

No começo, os colegas brincavam comigo dizendo que eu é que era o astrólogo, que eu inventava as previsões.

Dizem que o Luís Fernando Veríssimo, em seu começo em jornal, escrevia horóscopos diários.

O fato é que o percentual de acertos do Bruno era muito alto. Há algumas previsões fantásticas, realmente surpreendentes. Há erros, também, claro.

Para calar os incréus, publiquei lá pelo terceiro ou quarto ano de previsões, uma foto do Bruno. Mesmo assim, tem gente que até hoje acredita que eu mesmo é quem fazia tudo.

Eu apenas transcrevia o que ele me passava, primeiro por telefone, depois, com o advento da internet, por e-mail. Alguns deles eu tenho guardados para provar que eu era apenas o mensageiro nesse processo.

Bem, no final de 2004 ou 2005 – se alguém procurar vai encontrar – Bruno Vasconcelos previu que o Inter estava na iminência de começar a viver um período de vitórias semelhante ao dos anos 70, em forte projeção no exterior, em função de determinado posicionamento dos astros, etc.

Desnecessário dizer que ele estava certo.

Mas havia outra previsão, uma previsão ainda mais arrojada. E, para os gremistas, assustadora. Confesso que não levei fé, não acreditei no Bruno, e temia ver o meu amigo – sim, acabamos nos tornando amigos – pagando mico, o que também me atingiria, pois eu assinava as matérias, aliás, de grande repercussão a cada virada de ano.

Mas o que Bruno previu, que eu, covardemente, omiti, ou amenizei, não lembro ao certo?

Acreditem ou não, Bruno previu que o Grêmio, também com base nos astros, continuaria por longo tempo sem conquistar títulos de maior projeção.

Quando li o email que ele mandou com as previsões levei um susto. O Bruno pirou, pensei. Não pode ser, de jeito nenhum. Telefonei pra ele – ah, o Bruno não acompanhava futebol, mas se dizia gremista – e o questionei. Ele repetiu que isso aquilo mesmo que ele enxergava no mapa astral do Grêmio.

– Esse período de vacas magras pode ir até 2015, 2016 -, garantiu ele.

Hoje, depois do que vi acontecer nos últimos anos, com o Grêmio beliscando títulos e perdendo no detalhe, reconheço que pode estar mesmo ocorrendo uma influência negativa de alguma determinada situação astral.

O fato é que, infelizmente, a previsão está se confirmando.

Observação: Bruno Vasconcelos faleceu faz alguns anos. Em respeito a ele, deixei de seguir com as previsões astrológicas de final de ano para a dupla Gre-Nal.

Com isso, ficou mais difícil fechar a edição de 31 de dezembro/01 de janeiro. Felizmente, já há quatro anos não preciso mais me preocupar com isso.

Encerro essas linhas com uma mensagem ao BV: eu não levei fé; tu estavas com a razão, parceiro.


7 de dezembro de 2016

da Fiergs

estive no almoço da fiergs. o melhor foi bater papo com a beti corbetta, a ultima pessoa a ver o daudt vivo. disse pra ela escrever um livro

INDIQUEI PRA BETI CORBETTA A DANIELA SALLET PRA FAZER UM LIVRO QUE ELA QUER FAZER.

A BETI CORBETTA DISSE QUE TEM MATERIAL DO BUTIKIN DO TEMPO DO RUI. VAMOS VER

LU WINCK ME DISSE QUE NÃO SABE NADA DO GALLINA, DE GRAMADO. NEM QUER,DISSE. FOI ELE QUE TESTEMUNHOU A FAVOR DA ZH NO EPISÓDIO DO MAIL DO PENINHA E DO AUGUSTO NUNES EM 93 OU 94. FOI EM CANELA QUE GALLINA OUVIU ELA CONTAR O CASO.
LU TAVA LÁ HJ RENDENDO O HERON VIDAL QUE TÁVA COM O SARTORI. QDO ELE CHEGOU, ELA FOI EMBORA.
LU TEM 51 ANOS.

O DONO DA AGENCIA FREE LANCER, DA ARFOC, PASSOU A COLETIVA TODA OLHANDO NO SEU BOOK AS FOTOS DO TREINO DO GREMIO ONTEM;;;;

NA MESA DA FIERGS UM CARA COMENTOU QUE A CMPA APROVOU UM BUSTO PRO PEDRO MELLO NA PE CHAGAS MAS QUE O MAGRÃO VETOU. PORQUE???

1.
felipe vieira chegou falando alto. patricia comunello ficou olhando pra ele.

2.

paulo tigre estava lá. nikão duarte idem. foi na gestão do primeiro, que nikão saiu.

3.

julio cesar magalhães e aires cerutti colegas do DN conversaram.

4.

affonso ritter não fez perguntas

5

nao vi PB

6
o adolfo dá pau no muller, que é meio vaselinão mesmo.

7
tb não vi humberto busnello, candidato a presda fiergs

8
o rango tava legal. a sobremesa melhor ainda

9
beti corbetta fez quasi mil votos a vereadora.

10

fui e voltei de DIRETÃO

11

CONSELHO PRA FIERGS. O TOCO PODE SER MANDADO PRA CASA. QUEM NÃO QUISER PEGAR NA HORA, DEPOIS RECEBE EM CASA. É QUE A GENTE FICA COM AQUILO A TARDE TODA.

12.

NA SAIDA DA FIERGS ME SENTI MEIO TRISTE. COMO SE FOSSE UMA DESPEDIDA.

DO PAPO DE HJ SAI COM A SENSAÇÃO QUE O RS É UM ESTADO POKO INDUSTRIALIZADO. MAS ISTO JÁ É MEIO VEIO, NÉ

 

Coleguinhas

AFFONSO LICKS TEVE EM QUARAI ONDE LANÇOU SEU LIVRO SOBRE O CARA CIVIL QUE FOI DO 18 DO FORTE.

TOU PULANDO FORA DA GUAIBA. É MUITA BOBAGEM QUE DIZEM.

EEUQUE ACHAVA O BOELCKE UM CHATO. ESTE QUE O SUBSTITUI 'CAGA' PELA BOCA.MEUS DEUS O PROGRAMA DO MENDELSKI VIROU UM LEDOR DE RECADOS DOS OUVINTES. TOU FORA.VOU PRA MLBENITES NO SABADO APENAS. FICO NA URGS OUVINDO MUSICA CLASSICA.

 

DO PDT

NEM FORTUNATTI, NEM VIEIRINH APINTARAM NO ENCONTRO DO PDT DE 3.

2.

EDUARDO LOUREIRO TÁ ASSUMINDO O PDT. É MUITO SÉRIO, FILHO DO FALECIDO ' GANSO LOUCO'.

3.
LOUREIRO E JULIANA VÃO DISPUTAR A PRIMAZIA DO PDT LOGO, LOGO. O BOMBACHUDO TÁ PELA BOLA SETE. JÁ DEU O QUE TINHA QUE DAR. ESGOTOU

A PERGUNTA QUE SE FAZ EM SB É QUEM VAI HERDAR OS VOTOS DO CHERINI, QUE FEZ 2 MIL VOTOS NA ELEIÇÃO PASSADA A FEDERAL. SÓ SE FOR DE NOVO O TIAGO CADO, QUE SE AFUNDOU NESTA JUNTO COM O FARELO, POIS ERA SEU VICE.CADO FICOU SEM NADA. A VER NAVIOS. TROCOU UMA REELEIÇÃO A VEREADOR POR NADA.

QUEM JOGOU CERTO EM SB FOI ROQUE FELTRIN, OUTRORA LEDOR DO BLOG DO LAURINHO DA VENANCIO QUE O TIROU DO AR. FELTRIN PULOU FORA DO PDT QUANDO VIU QUE AQUILO ERA TUDO JOGO DE COMPADRES. HOJE É VICE ELEITO JUNTO COM BONOTTO DO PP

UMA SENHORA QUE CONHEÇO A TEMPOS NO PDT DIZIA NA 3.

ESTES CARAS DO PT QUE TÃO VINDO PRA CÁ, PERGUNTAM QUEM SÃO ESTES DA PAREDE.

SÃO AS FOTOS DO ROMILDO BOLZAN JR. PAI DO ROMILDINHO DO GREMINHO E DO ALCEU DE DEUS COLLARES. ACHO QUE FOI O ROMILDO QUE EU CONHECI EM OSÓRIO, QUE FEZ A SEDE DA FELIX DA CUNHA. ALIAS UMA GRANDE SEDE PROPRIA. MATHEUS SCHMIDT TINHA MUITO ORGULHO DELA. NÃO VI LÁ NEM O TITO SCHMIDT, FILHO DO MATHEUS. ELE NÃO FREQUENTA O PDT.MATHEUS NÃO DEIXOU HERDEIROS POLITICOS.

MATHEUS SCHMIDT E LEONEL BRIZOLA ANDARAM ROMPIDOS UM TEMPO. DEPOIS FIZERAM AS PAZES.MATHEUS CHAMAVA BRIZOLA DE ' O CHEFE'.

 

Independência?

agora aparecem OS ENGENHEIROS DE OBRAS FEITAS, COMO O LAURINHO(oc)

Enviada: 2016/12/06 09:27:12

Um time do interior de SC que vence todos os times castelhanos que encontrou pela frente e vai para a final contra o derradeito time castelhano da série não merece crítica alguma, só elogios! Deviam ter mandado o time para a Colômbia no avião presidencial. (Laurinho da Venâncio)

 

Artigo

MEU AVÔ, JANGO

Nesta data tão especial, recordando quarenta anos de falecimento de meu avô Jango, peço permissão aos leitores para remeter inicialmente à data de cinco de outubro de 1976. No Hospital de Hammersmith, em Londres, foi o dia em que o Presidente deposto, João Belchior Marques Goulart, solicitou a um enfermeiro presente para fazer um retrato histórico, numa velha Polaroid, de seu primeiro neto em seu colo que chegava ao mundo. Jango faleceu no dia seis de dezembro de 1976, dois meses após este encontro comigo. Tal recordação restou gravada na nossa única fotografia. Poucos imaginam no Brasil as consequências familiares de um Golpe ou exílio sem volta, que ultrapassam as barreiras geracionais e atingem diretamente aos descendentes dos perseguidos. Experiência que, se bem compreendida, sempre fortalece.
Justamente em razão da deposição inconstitucional de um Presidente da República, sou portador de três nacionalidades (Uruguaio, Inglês e Brasileiro), tendo sido registrado em consulado brasileiro, na Inglaterra. Quis o destino - e o Estado de Exceção Militar-ditatorial, que em minha identidade conste, Naturalidade: Londres. Nacionalidade: Brasileiro. Em suma, nascido no exílio e brasileiro nato, de acordo à Constituição Federal.
Eis algumas fortes razões que me ligam diretamente a um intenso legado, de lutas sociais. Hoje, vivendo em tempos onde origens e tradições políticas nem sempre são atrativos, posso afirmar com muita clareza que me honra ter uma causa. Vou além: penso que a maioria dos homens públicos de hoje não tem causa nenhuma. Obviamente jamais estarei à altura de representar uma figura tão expressiva da nação brasileira, porém, de outra sorte, não fujo da responsabilidade de minimamente reproduzir a obra de meu avô.
Analisando essa história sob ótica pessoal e pública, alguns números me chamam a atenção. A trajetória política de Jango, entre a sua eleição de Deputado Estadual em 1947 até a deposição da presidência em 1964 compreende apenas 17 anos de vida pública. Este curto período foi suficiente para marcar perante a história brasileira o seu nome como o chefe de executivo que mais se empenhou em reformar profundamente o estado brasileiro, que já na década de 60 não mais correspondia às expectativas da população.
Falar em João Goulart é refletir sobre as reformas da sociedade brasileira. Nas palavras do próprio Presidente, no famoso comício da Central do Brasil, em 13 de março de 1964: “não apenas pela reforma agrária, mas pela reforma tributária, pela reforma eleitoral ampla, pelo voto do analfabeto, pela elegibilidade de todos os brasileiros, pela pureza da vida democrática, pela emancipação econômica, pela justiça social e pelo progresso do Brasil”. 
Durante seu curto mandato presidencial, Jango compreendeu que os contrastes mais agudos que a sociedade brasileira apresentava, naquela fase de desenvolvimento, eram de natureza estrutural, e, em virtude deles, a imensa maioria de nossa população vinha sendo sacrificada. Nosso povo sofria em função da injusta e desigual distribuição de renda, no referente à sua participação na vida política do país e na falta de oportunidades de trabalho e de educação que o país oferecia. Como se percebe, esta luta continua viva e segue valendo o sacrifício diário de mantê-la erguida. Consta que Getúlio Vargas, inspirador de Jango na política, certa feita teria dito que “quem não tiver confiança nos nossos destinos é indigno do legado que recebeu”.
Reafirmo nesta data de 40 anos de morte de meu avô o compromisso com a importância de seguir lutando por uma Nação independente e soberana, sem dobrar-se aos desmandos do rentismo especulativo de qualquer ordem. Aponto para a necessidade de explorar um humanismo que lhe era característico, que se perde hoje gradativamente para o individualismo da sociedade de consumo. Por fim, passados 40 anos da morte de um grande homem público é válido lembrar que como nunca, precisamos de seu exemplo para consolidarmos uma realidade calcada em justiça social.

Christopher Goulart
Advogado, primeiro suplente de Senador

 

de Serafina

Berçário Industrial na Linha Porto Alegre

O novo Berçário Industrial está sendo implantado na Rua João Silvestrin, Linha Porto Alegre, próximo à ERS 129. A Prefeitura de Serafina Corrêa está realizando obras de infraestrutura a fim de que o empreendimento esteja pronto e possa fortalecer o segmento industrial, atraindo investimentos.


6 de dezembro de 2016

RANGO

É HJ NA FIERGS. SEM ALCOOL. TOCO PRA TODOS.

 

XAPECOENSE

ESCUTA PORQUE TINHA 20 JORNALISTAS NO VOO QUE IA O TIME

PQ TINHA 20 JORNALISTAS NO VOO DA XAPECOENSE???IAM TUDO DE GRAÇA. QUE INDEPENDENCIA TEM PRA CRITICAR O TIME??? E NA MIDIA NG PERGUNTOU NADA.

SEU EU FOSSE FAMILAIR DE UM MORTO JORNALISTA ENTRAVA NA JUSTA

CONTRA A EMPRESA DE COMUNICAÇÃO. COMO MANDAM NUM AVIÃO CLANDESTINO????

 

FIM DE FESTA

DEPOIS DE MUITOS ANOS ENTREGUEI HJ PRA EDITORAÇÃO MEU PROXIMO LIVRO. SERÁ RATOS DE REDAÇÃO. LEVEI ANOS FAZENDO. TEM COISAS BOAS.ENTRE ELAS A INTEGRAÇÃO DO JÁ FAMOSO MAIL ENTRE AUGUSTO NUNES E PENINHA SOBRE A LU WINCK.

TEM OTRAS COSAS BOAS ESTE MEU NOVO LIVRO. SE FICAR SÓ EM 10 PROCESSOS TOU NO LUCRO. O LAURINHO QUE VÁ SE APRONTANDO PRA ME DEFENDER. JUSTIÇA GRATUITA, MEU

 

tve

UM GRUPO DA TVE FOI AGORA DE NOITE PEITAR O JAIRO GORGE NO PDT.ELE NÃO FOI. NÃO QUEREM ACABAR COM O ELEFANTE BRANCO.

O EX PRES DO SIN DOS JORN -ANTES DO SIMAS = TB FOI PEITAR O JAIRO JORGE NO PDT O PREFEITO DE CANOAS NÃO FOI

 

PDT

A DEP JULIANA BRIZOLA, BEM MAIS MAGRA -SEIS KILOS - CHEGOU COM UM PERFUME DE ARRASAR QUARTEIRÃO. SEU MARIDO, OU EX, NÃO SEI, O RAMBO CHEGOU DEPOIS.SEM OS FILHOS.JULIANA VAI A SB NO DIA 21 E 22 DE JANEIRO NIVER DOS AVOS.

GORDO APESAR DA CIRURGIA DO ESTOMAGO, ROMILDINHO DO GREMINHO TEVE NO ENCONTRO DO SEU PARTIDO. CHEGOU TARDE E SAIU CEDO. SÓ FEZ PRESA.TB TEVE DANIEL BORDINHON DE GRAVATAI.
O QUE OS GREMISTAS PEDIAM AO ROMILDINHO É GANHAR. MAS ELE SE MANTEVE CAUTELOSO.QUEM TEM, TEM MEDO

carlos LUPI DISSE QUE MICHEL TEMER NÃO SE SUSTENTA.

*
STO ANGELO DE NOVO NAS MÃOS DO PDT. COMPETENCIA DE ADROALDO LOUREIRO.

3
NG FALOU NOS 40 ANOS DA MORTE DO JANGO.

4.

CRISTHOPHER GOULART ESTAVA PRESENTE. LASIER MARTINS NÃO.

5.

TEVE UM ALMOÇO DO PDT DE CONGRAÇAMENTO. O AUDITORIO TEVE QUASE CHEIO.

NENHUM FAMILAIR DE JANGO ESTARÁ HJ EM SB PRAS HOMENAGENS DOS 40 ANOS DE SU AMORTE. É UM ESQUECIDO ATÉ EM SUA TERRA NATAL.

 

RESCALDO DE SB

1.

LEO TASCH, QUE COORDENOU A CAMPANHA DO FARELO, QUE TOMOU LAÇO, PEDIU DEMISSÃO DA PREFA NO DIA SEGUINTE

2.
O MELHOR QUE TEM EM SB É O BAR DO JANGO. AGORA COM PALCO, COM ILUMINAÇÃO. LÁ AS PUTAS VÃO SE DIVERTIR NO FIM DA NOITE DE SEXTA E SABADO É O MELHOR PROGRAMA DA CITI. DISPRAADO

DIZ O CLEMAR DIAS QUE MUITA GENTE FOI MORTA DENTRO DO BAR DO JANGO. MAS DESOVAVAM NAS VOLTAS. O BAR DO JANGO FICA NA FREENTE DO CEMITÉRIO JARDIM DA PAZ. NA ANTIGA VILA ALEGRE, ZONA DO XINAREDO.

de oficial, parece que apen as houve 2 mortes dentro do bar do jango. mas faz tempo.

O MEU AMIGO RAMÃO ME APELIDOU DE BUGIO. TUDO PORQUE COMPRAVA FRUTAS PRA COMER. MAS QUE MAL TEM ISTO.

ELE VENDEU TUDO O QUE FEZ DOSEU LIVRO DO INDIO AQUELE

NINGUÉM AGORA TEM A VER COM A DERROTA DO FARELO. PRINCIPALMENTE DENTRO DO PDT.

A MARE VERMELHA VAI VIRAR TERRENO DA ARENA ANTIGA.

 

I Simpósio Gaúcho de Fisioterapia no Futebol



O I Simpósio Gaúcho de Fisioterapia no Futebol- Prevenção e Reabilitação, organizado pelos fisioterapeutas Túlio Menezes (Especialista em fisioterapia esportiva-Sonafe, Internacional 1997-2007, CSkA Moscou-Rússia 2007-2012 e Coordenador pós graduação de fisioterapia Esportiva-IPGS), Cesar Abs de Agosto (Inter 1996-2007) Vasyl Custódio Saciura (São José) e Cleonice Muller (Neoqueta Evento),realizado no dia 3 dezembro na Federação Gaúcha de Futebol, teve cerca de duzentos participantes.

No inicio do evento, momento de emoção e homenagem, ao Chapecoense. Enquanto no telão, tinha imagem do preparador físico Anderson Paixão e do fisioterapeuta Fisioterapeuta Rafael Gobatto, os presentes fizeram um minuto de silêncio, após ligaram luz celulares, juntos rezaram um Pai Nosso.

A programação do I Simpósio Gaúcho de Fisioterapia no Futebol- Prevenção e Reabilitação, na abertura presença vice presidente da Federação Gaúcha de Futebol,Luciano Hocsman,presidente do CREFITO, Fernando Prati, presidente da SONAFE-RS,Alexandre Marek e Túlio Menezes, organizador do simpósio. e na sequencia se iniciaram as palestras. Reabilitação nas lesões púbicas, realizada pelo fisioterapeuta Fábio de Cesar de Souza Azevedo (Botafogo). Mesa redonda - Critérios para liberação irrestritas, desenvolvida por fisioterapeuta José Alberto Fregnani Gonçalves, (Corinthians 1999-2016, Jubilo Iawata do Japão), fisioterapeuta Charles Oliveira Costa (Cruzeiro-MG, Seleção
Brasileira Olímpica e SONAFE), fisioterapeuta Avelino Buongermino (Santos e ex-Verdy Kawasaki do Japão), fisioterapeuta, Fábio Cesar de Sousa Azevedo (Botafogo) e fisioterapeuta Gustavo Rezende foi moderador. A importância da avaliação pré temporada no futebol, realizada pelo fisioterapeuta, Avelino Buongermino (Santos e ex-Verdy Kawasaki do Japão). Treino de força com oclusão vascular-KAATSU, realizada pelo fisioterapeuta Gustavo Rezende. Mesa redonda-Prevenção e reabilitação nas lesões musculares, por fisioterapeuta Mauro Matos (Internacional e SONAFE),fisioterapeuta José Alberto Fregnani Gonçalves, (Corinthians 1999-2016 e Jubilo Iawata do Japão), Avelino Buongermino (Santos e ex-Verdy Kawasaki do Japão), fisioterapeuta, Fábio Cesar de Sousa Azevedo (Botafogo) e fisioterapeuta Charles Oliveira Costa (Cruzeiro-MG, Seleção
Brasileira Olímpica e SONAFE) foi o mediador. Recovery, desenvolvida pelo fisioterapeuta Charles Oliveira Costa (Cruzeiro-MG, Seleção Brasileira Olímpica e SONAFE). Eletro termo fototerapia - Atualização, realizada por fisioterapeuta Gustavo Martins (ULBRA). Bandagens funcionais, feita pelo fisioterapeuta Gustavo Portela (UNIRITTER e SONAFE). Avaliação Podoposturologia, desenvolvida por fisioterapeuta Fabrício Duarte (UNIRITTER e SONAFE). Aspectos físicos e manejo da tendinopatia do ligamento patelar, pelo fisioterapeuta Mauro Matos (Internacional e SONAFE).Liberação miofacial, Cesar Abs de Agosto (Inter 1996-2007).

Além dos palestrantes, participaram do simpósio, fisioterapeutas dos clubes do Rio Grande do Sul: Guilherme zinn Iserhardt - Brasil de Pelotas, Cristian Carlos Klein - Lajeadense, Gabriel Pires - Novo Hamburgo, Vasyl Custódio Saciura São José, Luiz Fernando Bortoluzzi - Passo Fundo, Rafael Luiz Souza do Amaral - CRUZEIRO POA, Bruno Beneri Parada - São Paulo RS, Izequiel Batisti - Ypiranga F.C, William Goulart - São José e Marcelo Dohnert -E C Pelotas.
*Daniel Marimon Boucinha

 

Lançamento da sexta edição do Panorama Internacional FEE

Nesta terça-feira (6/12), às 10h, ocorre na Fundação de Economia e Estatística o lançamento da sexta edição do Panorama Interacional FEE, publicação bilíngüe que trata das conexões entre o Rio Grande do Sul e o cenário internacional. Esta edição trata das perspectivas relacionadas aos Estados Unidos após a eleição, tema fundamental para a compreensão das tendências de política, economia e relações internacionais, que também incidem no Estado.

O QUÊ: Lançamento da 6ª edição do Panorama Internacional FEE – Perspectivas relacionadas aos Estados Unidos após a eleição

QUANDO: Terça-feira, 6 de dezembro, às 10h.

ONDE: Sala de Eventos da FEE, Rua Duque de Caxias, 1691. Centro Histórico.

O Panorama internacional é um canal pelo qual os pesquisadores da FEE procuram orientar os atores públicos e privados sobre as questões mais relevantes do cenário internacional, bem como suas conexões com a economia e a sociedade do RS. Assim, as análises da publicação ajudam a dar subsídios para que pesquisadores, gestores públicos e privados, estudantes e a sociedade em geral possam acompanhar as transformações no cenário internacional, tendo em vista que as mudanças sociais, econômicas e tecnológicas ocorrem de forma cada vez mais rápida.

O Gerente de Relações Internacionais e Comércio Exterior da FIERGS, em entrevista ao Panorama Internacional em setembro de 2015, destacou o quanto é valioso o trabalho de instituições públicas de pesquisa para a tomada de decisão no setor privado. "As pesquisas e análises de dados político-econômicos sobre o cenário internacional são de fundamental importância para qualquer ator que deseja desenvolver uma estratégia global e/ou alguma forma de relacionamento com diferentes blocos econômicos ou países. Da mesma forma, estudos e a organização sistêmica de informações são considerados essenciais para um determinado país que queira, internamente, qualificar e preparar seus setores industrial e comerci al para um cenário cada vez mais competitivo e globalizado”, afirmou. D’Andrea também destacou que a compreensão da conjuntura internacional possibilita que se definam objetivos, metas e áreas de atuação, além de dar condições de fundamentar o planejamento estratégico. “Uma das bases do processo decisório, tanto de entidades como de empresas, é o conhecimento, porém nem sempre a estrutura organizacional dos atores públicos ou privados permite que os mesmos realizem a coleta e a análise de dados estratégicos. Portanto, a diversificação de órgãos produtores de conhecimento e, principalmente, o compartilhamento dessa inteligência, de forma acessível e transparente, são indispensáveis para o desenvolvimento nacional ou regional, seja de forma coletiva ou individual”, apontou.

 

Sistema penitenciário exige política nacional imediata

A calamidade do sistema prisional brasileiro é a face mais gritante da falência de diversas dinâmicas da vida social. Faliu o próprio modelo carcerário do país – ou melhor, a falta dele. Não há, faz muito tempo, uma política nacional sobre o tema, nem de planejamento, tampouco de resposta à crescente demanda. Também dá sinais de esgotamento, já não é de hoje, toda a normatização penal do país, seja ela de direito material, processual ou de execução.

Mas o problema não é apenas legislativo ou jurídico. Os presídios abarrotados, que reproduzem e qualificam o crime, expõem também as mazelas das instituições públicas, da própria família (ou de seu esfacelamento) e de toda a realidade econômica e social. Expõem a insuficiência da educação, o sobrepujamento das drogas, a desordem moral e o desconforto existencial de milhares de seres humanos.

Ali, em cada prisão, em cada preso, está materializada uma derrota da civilização diante da barbárie. Mas também é ali que deveria nascer uma resposta, em que as forças públicas tentassem recuperar o cidadão para a vida social. O estado querendo trazer de volta o indivíduo que delinquiu e, ele próprio, dando uma chance a si mesmo. Paga a pena, o que também serve de exemplo aos demais convivas, e tenta recompor o retorno à cidadania.

Nada disso é o que vemos, porém. Ou melhor, o que vemos é o contrário disso. Hoje o modelo prisional brasileiro não é mais apenas consequência da criminalidade, mas uma de suas principais causas. É de dentro das prisões que muitos crimes são arquitetados e comandados. As organizações criminosas, não raras vezes, gerem diretamente o próprio sistema. Montam estruturas de poder para isso, tomam decisões. São donas de pavilhões, áreas ou presídios inteiros. O aparato estatal, afrontado sem disfarce, não reage à altura. Subjuga-se e sucumbe. Às vezes até mesmo locupleta-se com isso.

Soluções isoladas ou pontuais serão meramente paliativas. Os estados sozinhos não têm capacidade financeira suficiente para enfrentar o problema. É preciso repensar o sistema prisional de maneira integrada, nacionalmente, definindo papeis de todos os entes federados, inclusive os municípios. Mas o protagonismo, sem dúvida alguma, deve ser da União, seja por sua preponderância orçamentária, seja pela capacidade de articular todas as partes envolvidas.

Muitos dizem que não adianta construir mais cadeias enquanto o país não investir mais em saúde, educação e nas áreas essenciais para a dignidade humana. Embora seja verdade, é um falso dilema. Uma dinâmica não precisa esperar a outra. Ambas devem ocorrer em concomitância: fazer do Brasil um país social e economicamente mais justo e desenvolver um novo sistema prisional.

Não se trata apenas de construir ou reconstruir cadeias ou reorganizar o sistema diretamente. É preciso provocar também uma grande revisão sobre as legislações da área, que há muito se mostraram insuficientes ou ineficientes para diminuir os índices de criminalidade. A nação precisa voltar-se ao tema da segurança, o que inclui todos os poderes e instituições, especialmente a sociedade. O Congresso Nacional deve dar a importância que a pauta tem para as pessoas.

Chegamos a um final de ano especialmente tenso em nosso país, pelos mais diversos motivos. Precisamos resgatar a cultura da paz em nosso convívio. O Brasil, um país essencialmente pacífico, não pode deixar-se sucumbir diante do crime e da intolerância em suas mais diferentes formas. Racionalizar o sistema prisional, por meio de uma política nacional para o assunto, é a maior urgência para reestabelecer um mínimo de normalidade e de sensação de segurança. É a prioridade número um dos brasileiros.

Germano Rigotto - Ex-governador do Rio Grande do Sul e presidente do Instituto Reformar de Estudos Políticos e Tributários.

 

Segurança Pública realiza, de forma presencial e via internet, leilão de bens apreendidos com traficantes

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), juntamente com a Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas/Fundo Nacional Antidrogas, promovem mais um leilão de veículos e sucatas de veículos declarados perdidos em favor da União, provenientes de ações criminais por tráfico de drogas com sentenças já transitadas em julgado.

O leilão é organizado em cumprimento ao Acordo de Cooperação firmado entre a Senad e a SSP, conjuntamente ao Ministério Público e o Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

O certame ocorrerá tanto de forma presencial como simultaneamente, via internet, podendo o interessado já ofertar lances online através do site www.cesarmoresco.com.br

O evento acontecerá nesta quinta-feira, 8, a partir das 9h30, no pátio da Transportadora Silva & Pacífico (Rua Vereador Arthur Manoel Mariano, 2.221, Forquilhinhas), em São José.

A novidade deste leilão é que, além de automóveis, caminhões e motocicletas, também serão leiloados uma embarcação e equipamentos diversos que podem ser examinados previamente, nos dias de 5, 6 e 7 de dezembro, das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h30, e no dia 8 de dezembro até o inicio do certame, no próprio pátio da Transportadora Silva & Pacífico LTDA ME.

Automóveis joias e lancha serão leiloados

Segundo Fillipe Machado, integrante da Comissão de Licitação da SSP, serão leiloados 82 lotes de automóveis e motocicletas que poderão voltar a circular, sucatas de veículos, uma lancha de 18 pés, celulares, câmeras digitais, notebooks, pranchas de surf, relógios, joias, semi-joias e outros bens.

Os interessados podem adquirir desde um lote contendo duas pranchas de surf, dois alto falantes e um contrabaixo por um valor inicial de R$ 150 até um automóvel Vectra Sedan Elite 2006 com valor inicial de R$ 4 mil.

Os recursos provenientes do certame serão revertidos para implementação de projetos, a fim de atender demandas relacionadas à prevenção e repressão ao tráfico e uso de drogas ilícitas em Santa Catarina.

O edital e seu anexo contendo as especificações e as condições de participação, bem como a relação dos lotes de veículos, sucatas de veículos e demais bens com o preço mínimo estão disponíveis nos sites www.ssp.sc.gov.br e www.cesarmoresco.com.br.

 

de serafina

tá certo o LUTO OFICIAL DE SERAFINA. TEM MUITA GENTE DE SERAFINA QUE FOI PRA CHAPECO.

 

ESTÁ DECRETADO LUTO OFICIAL EM SERAFINA CORRÊA

Ao Prefeito de Chapecó Luciano Buligon

A Administração Pública de Serafina Corrêa presta solidariedade e
sentimento de pêsames aos familiares dos jogadores, Diretoria, jornalistas e convidados que acompanhavam a delegação da Associação Chapecoense de Futebol neste momento de dor e consternação.
Está Decretado Luto Oficial de três dias no município de Serafina Corrêa/RS.

Serafina Corrêa, 02 de Dezembro de 2016.

Ademir Antônio Presotto
Prefeito Municipal


5 de dezembro de 2016

BRASIL

OS AMARELINHOS VOLTARAM PRA RUA? O QUE QUEREM AGORA O PAPAI NOEL GORDO???

 

de sb

ele não

no calor da campanha passada, um ' mui amigo' queria botar o DEP LUIS CARLOS HEINZE ENCIMA DO CAMINHÃO DO BONOTTO QUE IA PRAS VILAS - ELE NÃO, ELE NÃO DISSERAM.

NA PAREDE DA CASA DO HEINZE TEM UM ENORME GRIFO. LAVA JATO

FOFOQUEIRAS

N EXISTE CIDADE MAIS FOFOQUEIRA QUE SÃOP BORJA. SO URUGUAIANA.DEVE SER O ISOLAMENTO. TODO MUNDO CUIDA DA VIDA DO OUTRO. SE O CARA DÁ UM PEIDO TODO MUNDO JÁ SABE

DECO ALMEIDA PEDIU AS CONTAS NA RADIO CULTURA E NA PREFA.VAI MANTER A COLUNA SOCIAL NA FSB

LANÇO AQUI O PRATO FINO PRA SEC DE IMPRENSA. É O MELHOR REPORTER DA FRONTEIRA OESTE.

MEMORIAL DO BRIZA VAI PRAS CALENDAS. BONOTTO NEM QUER OUVIR FALAR NESTE NOME

farelo mandou tudo a la cria. fez uma LIMPA NA PREFA.

MAS TINHA TANTO CC ASSIM LÁ QUE AGORA PARECE VAZIO!!!!!!!!!!!!!!!!111

Poema

Meu pranto pela Chapecoense!

por Adeli Sell

Para sinalizar a cidade onde me criei – Cunha Porã – apesar de ter
nascido em Palhoça, sempre digo “perto de Chapecó”.

Na primeira vez que fui a Chapecó era também a primeira vez que peguei
um ônibus na vida, e o que me inebriou foi sua Igreja-Catedral.

Apesar de desde Cunha Porã ser torcedor do Grêmio, lá os GreNais são
como aqui, ouvidos na época pela Rádio, hoje direto pela TV. Nem havia
a Chapecoense na época.

Como não sou mais fanático por futebol, digo brincando que sou da
Chapecoense, para lembrar que sou catarinense adotado por esta
magnífica Porto Alegre.

Doutras, digo que sou do Zequinha.

Hoje, vendo cedinho a TV não deu para segurar....Por isso, cheio de
atividades na política, na defesa de nossa Porto Alegre para as
pessoas, tendo que estudar para as provas de segunda e terça, não me
contive para desligar logo a TV e me virar.

E tenho que, antes de mais nada, escrever algumas linhas sobre este
triste fim de tantas pessoas, num momento grandioso de suas vidas.

Me lembrei de uma aula da Letras da UFRGS quando estudamos John Keats
e sua Ode a uma Urna Grega, onde Keats fala de tantas coisas a partir
de um desenho numa urna, onde o jovem nunca vai alcançar os lábios ou
o corpo de sua amada.

Lembrei-me dos jogadores que jamais pisarão o tapete do Estádio de
Medelin, de todos daquele avião, carregado com os significados do nome
LAMIA, que nunca vão pousar.

Mas as velas acesas naquele estádio na noite do jogo que nunca haverá
de ser jogado, vendo a solidariedade do povo colombiano, das falas de
tantos e tantos pelo mundo afora, me dei conta que o lindo canto de
Keats virou pranto para mim, mas um pranto libertador, um pranto de
chegada que os 71 mortos não tiveram e não terão, pois a vida continua
em mim, para beijar minha esposa, ligar para minha mãe e minha irmã em
Cascavel, para ter esse dia de dor de tantas famílias, mas um dia, sim
mais um dia para viver e fazer a cosia certa por aqui.

Choro pela Chapecoense, seus filhos, seus mortos, mas também pelas
que ficam com sua dor desmedida.

Afinal, um poema é apenas um poema. E uma vida é algo que não se sabe
descrever até hoje.

 

AARS ENTREGA TROFÉU HOMEM DO AÇO 2016

A Associação do Aço do Rio Grande do Sul – AARS – realizou nesta quinta-feira (1º/12/2016) a solenidade de entrega do troféu “Homem do Aço 2016” à empresa Brasilata Embalagens Metálicas S.A. O evento, que contou com a presença do governador José Ivo Sartori, foi realizado às 20h, no Salão de Convenções do Centro Empresarial do DNA do Aço – Av. Severo Dullius, 2125, em Porto Alegre. Representando a empresa, recebeu o troféu o seu diretor superintendente, Tiago Heleno Forte.
A Brasilata atua desde 1955 na fabricação de embalagens metálicas para aerossóis, alimentos, tintas, produtos químicos e rolhas metálicas. Com sede em São Paulo, também possui unidades industriais em Estrela (RS), Rio Verde (GO) e Recife (PE).
Segundo explicou o presidente da Associação do Aço, José Antonio Fernandes Martins a escolha foi feita por uma comissão especial integrada por representantes da Diretoria Executiva da entidade, indústrias, distribuidores e usinas associadas, bem como da área governamental e imprensa.
O troféu “Homem do Aço” vem sendo conferido anualmente desde 1975 pela AARS com o objetivo de destacar a contribuição de empresários e empresas para o fortalecimento da cadeia produtiva do setor metalmecânico e o desenvolvimento econômico e social gaúcho e do País.

 

ÉTICA E COMPLIANCE NA CONSTRUÇÃO CIVIL É TEMA DE SEMINÁRIO NO SINDUSCON-RS

O fortalecimento dos mecanismos de controle interno e a modernização dos marcos regulatórios de gestão para entidades e empresas da construção civil são temas centrais do seminário “Ética & Compliance para uma Gestão Eficaz”, que vai disseminar as ferramentas disponíveis para fortalecer mecanismos internos de controle, assim como indicar normas de conduta que tornem mais difícil a prática de desvios. Em Porto Alegre, com realização do Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Rio Grande do Sul (Sinduscon-RS) e promoção da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e do Serviço Social da Indústria (Sesi Nacional), o evento será realizado no dia 6 de dezembro, na sede do Sindicato (Av. Augusto Meyer, 146), das 8h30min às 12h30min.
Durante o encontro no Sinduscon - RS, Gesner Oliveira, consultor da G.O Associados e Leonardo Barreto, cientista político, dois dos especialistas responsáveis pela formulação de parte dos documentos do Guia de Ética e Compliance para lnstituições e Empresas da Construção Civil apresentarão as linhas gerais do tema. O procurador-Geral de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, Marcelo Lemos, é o convidado a abrir o seminário, cujo painel central intitula-se “Ética e Compliance na Construção”. O segundo palestrante é o diretor de Integridade, Acordos e Cooperação Internacional, da Secretaria de Transparência e Prevenção da Corrupção (STPC), do Ministério da Transpar& ecirc;ncia, Fiscalização e Controladoria Geral da União, Renato Capanema. O programa de Compliance desenvolvido pela Siemens AG é o estudo de caso exitoso que será apresentado pelo consultor da Siemens, Lino Sidney.

Guia de Ética & Compliance da Construção Civil

A CBIC também apresentará e distribuirá aos participantes do evento o Guia de Ética & Compliance da Construção Civil, formado por documentos que trazem as mais atuais premissas e ações de compliance, alinhadas a padrões internacionais, que servirão de referência e sugestão para as empresas atuantes no setor. Esse ferramental é inédito e inclui um guia referencial de ética; um guia de compliance e representação política – incluindo a Lei Anticorrupção comentada; um código de conduta concorrencial para a construção civil; e um manual de avaliação de risco de corrupção nas empresas. Outro documento aponta 12 ações consagradas no relacionament o com o poder público que podem estimular a prática de desvios e cuja correção tem sido defendida pelo setor. O guia está disponível também em meio digital.

 

Enfim um bom nome para comandar a Fiergs



A meu ver, o Petry já devia ter sido indicado há mais tempo. Mas preferiram um anodino. Agora a coisa vai! Em tempo, é primo do Porcello jornalista.(Laurinho da Venâncio)

 

de uruguaiana

dos médicos cubanos

De: Fernando Alves
Data: 02/12/2016 15h56min02s UTC

Só te aviso que, dos cubanos do Mais Médicos, o do Plano Alto foi embora. Parece que adoeceu feio. E uma das outras duas fugiu pra Miami - abandonando uma legião de apaixonados aqui. A outra, não sei, mas descubro, se vieres.

Abraço,

Fernando Alves.

 

dos leitores

De: "naira sanes"
Enviada: 2016/12/02 08:58:08



Teodora ns praça !

 

oi,olides: boteco

De: anneschne
Enviada: 2016/12/01 23:34:15

Oi,Olides. Nem vou perguntar se tudo bem pq a paulada da Chape foi forte e abalou a todos .Esse próximo domingo,(04/12) não vou tocar pq a gurizada do Dohms é que vai fazer o culto.Uma pena que decidiram isso pq já estava preparando músicas para a época.Enfim...tenho uma folga. Aqui vai o Boteco do Ilgo.
Abç,Anne.

Imagem do Inter cada vez mais enxovalhada

Por entender que não há mais clima para jogar futebol neste ano, o presidente Vitório Pifero junta-se ao vice-presidente com plenos poderes no futebol, Fernando Carvalho, para virar alvo da mídia nacional.

Não, não me venham com essa de grenalização. Até o jornal Olé publicou a infeliz declaração de FC, que ecoou em outros lugares do planeta. E não poderia ser de outra forma. A retratação veio, mas era tarde, o estrago na imagem do Inter não tem mais volta.

Alguém escreveu:

Há quatro coisas que não voltam atrás:
a pedra, depois de solta da mão;
a palavra, depois de proferida;
a ocasião, depois de perdida;
e o tempo, depois de passado.

Pois Píffero está tentando superar o companheiro. Essa de reunir os jogadores, levando-os perante a imprensa, e afirmar que não é possível continuar o campeonato depois da tragédia de Chapecó é de um oportunismo vergonhoso. Talvez só os colorados mais fanáticos não sintam vergonha de ter uma direção tão patética.

O comentarista PVC, logo após a coletiva infeliz do presidente colorado, disse que concorda com a ideia desde que a tabela de classificação fique como está, ou seja, com o Inter rebaixado. Ah, mas isso o dirigente não aceita.

Piffero quer moleza às custas da maior tragédia do futebol mundial.

Piffero não disse, mas está claro que a proposta tem em seu bojo o não rebaixamento de clube algum, uma tese nojenta que anda circulando na imprensa gaúcha, a única aliás que a todo instante levanta uma jogada para salvar o Inter do atoleiro, enquanto a imagem do clube afunda cada vez mais. Não por culpa de sua torcida, boa parte dela revoltada com os últimos movimentos de seus cartolas desesperados.

É profundamente lamentável e deplorável tentar tirar proveito da dor alheia.

Se o povo colombiano nos deu esperança de que a humanidade ainda tem salvação com a homenagem às vítimas do desastre, essa dupla indica que realmente o mundo está perdido.

Ser rebaixado numa competição é ruim, mas é do jogo. Todos estão sujeitos a isso, inclusive os ‘clubes grandes’.

Ser rebaixado não é bom. Agora, ser rebaixado atirando para tudo que é lado pisoteando a ética, a dignidade e violentando o fairplay esportivo, isso é revoltante.

Tudo isso que a dupla colorada está fazendo respinga no futebol gaúcho, no Rio Grande do Sul.

TAPETÃO

Como se não bastasse, o clube recorre ao tribunal. E é sobre um jogador ‘mal inscrito’ do Vitória. Coisa superada.

Mas confirma o que escrevi no dia 20 de novembro aqui sob o título “O medo jogador ‘mal inscrito”.

Como diz o nosso amigo RW, eles são previsíveis.

MAURÍCIO

Parabéns ao posicionamento de Maurício Saraiva, na rádio Gaúcha, após o pronunciamento de VF, que ele classificou de:

Oportunista. E repetiu a palavra mais duas vezes pelo menos.

IMPRENSA

Realmente, não há condições de jogo neste momento.

Agora, a vida continua.

Todos têm seus compromissos. com dor no peito, lágrimas que insistem em escorrer, saudade, tristeza tão profunda que machuca.

Tudo isso é muito triste.

Mas se o pessoal da imprensa está trabalhando desde o primeiro minuto, apesar das perdas de colegas e amigos, por que os jogadores não podem jogar dez ou doze dias depois?

 

do Miron Neto

SindTur faz campanha para arrecadar brinquedos

O SindTur, entidade que representa os empresários da hotelaria e do turismo, está realizando a primeira edição do Natal Solidário, que busca arrecadar brinquedos para crianças carentes de Canela. As doações poderão ser feitas por toda a comunidade na sede do sindicato, na avenida das Hortênsias, 5041, até dia 15 de Dezembro. O SindTur também se coloca à disposição para buscar os brinquedos em locais específicos, bastando agendar pelo fone 3286.1418.
As doações serão realizadas por um Papai Noel na Escola de Ensino Fundamental João Alfredo, Escola de Educação Infantil Diva Pedroso da Cunha, Escola de Educação Infantil Jardim das Hortênsias, Vila Boeira, Vila Irma, bairro São Lucas e bairro Chacrão.

 

Trem parado, locomotivas travadas em 2017

Difundiu-se a ideia de que, superada a crise política, a economia voltaria a crescer, devido à melhora no nível de confiança dos agentes econômicos. Esperava-se que a fada da confiança atuasse. Contudo, o trem da economia continua parado ou em marcha à ré. O motor das locomotivas permanece desligado e o freio-de-mão, puxado. Não há fada que mova o trem!

Já são seis trimestres em recessão e o terceiro e o quarto trimestre de 2016 também serão negativos, carregando muitos problemas para o ano que vem.

Quais são as locomotivas da economia? Para o empresariado produzir e investir, aumentando e melhorando a capacidade de produção, é necessário haver demanda, quer dizer, certeza de que o produto ou serviço encontrará comprador. A demanda tira a fada do mundo fantástico e a torna real e objetiva.

Quem garante a demanda? O mercado interno e/ou as exportações, ou seja, o mercado interno de outros países. E o mercado interno é formado pela capacidade de compra das famílias, em grande parte determinada pelo emprego, pelos salários e crédito. Há dois anos são destruídos em média 100 mil empregos por mês no Brasil e os salários vêm sendo arrochados. Já são mais de 12 milhões de desempregados ou quase 20 milhões, se incluído o desemprego pelo trabalho precário. O medo do desemprego reduz o consumo de quem ainda tem salário, os desempregados sofrem com o endividamento e os juros extorsivos. Ao travar o consumo das famílias, bloqueiam-se quase dois terços da demanda interna.

As empresas reduzem a produção e consomem menos insumos. Também deixam de investir para ampliar a capacidade de produção, não demandando novas máquinas, construção ou novas contratações. Sem giro dinâmico nas vendas, o lucro cai, os resultados se tornam negativos e a capacidade de sustentar os empregos e pagar empréstimos diminui. As empresas atrasam pagamentos, demitem e deixam de pagar os impostos e, como as famílias, são estorcidas pelos juros bancários.

Com queda da atividade econômica, geram-se menos impostos e quem deve não tem capacidade de pagá-los. A capacidade fiscal do Estado é comprometida. Os cortes de gastos e salários agravam a queda da demanda, pois o governo reduz o consumo, a renda dos servidores públicos e das famílias, além de diminuir a demanda para as empresas.

O mercado externo era o alento. A desvalorização cambial havia aberto a porta da exportação de manufaturados e dado melhores condições competitivas para as empresas nacionais concorrerem no país com os produtos importados. Vários setores industriais estavam lentamente ganhando tração. De maneira equivocada, a política macroeconômica novamente deixa o câmbio valorizar, fechando a pequena porta que se abria. Além disso, sobram vendedores em todos os países, à procura do mercado interno de outros, inclusive do nosso. Há poucos compradores.

Em 2016, o PIB deve cair em torno de -3,5%. Se em 2017 o crescimento for nulo, já será um resultado razoável. Desemprego aumentando em menor intensidade, salário em queda, empresas fechando e redução da receita fiscal. Nada que indique retomada da demanda interna, com a porta externa fechada.

A solução indicada pelo governo será: (a) colocar o país à venda - empresas privadas e públicas, ativos naturais e serviços públicos -, especialmente para o capital internacional, disposto a encontrar ativos baratos e com boa perspectiva de rentabilidade futura e; (b) fazer um brutal ajuste do tamanho do Estado.

Essa solução destruirá a capacidade do país de sustentar o desenvolvimento econômico soberano, condição para uma integração internacional virtuosa.

Tempos dificílimos nos esperam para 2017! Tempo ruim. Trem travado.

*Clemente Ganz Lúcio é Sociólogo, diretor técnico do DIEESE, membro do CDES – Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social e do Grupo Reindustrialização

 

Medidas para conter a crise do Estado são pauta de encontro da JPMDB-RS

Será neste sábado e domingo, dias 3 e 4 de dezembro, em Tramandaí, no Grêmio Esportivo Geraldo Santana (Rua Marquês do Herval, 1732), a 13ª edição do Acampamento da Juventude do PMDB-RS.

O núcleo – que há exatamente um ano entregou documento ao governador José Ivo Sartori pedindo a reestruturação do Estado –, terá como uma das principais pautas as medidas de modernização apresentadas recentemente pelo Piratini.

"Além de avaliarmos as medidas que serão votadas pela Assembleia Legislativa, iremos pedir aos nossos jovens que sejam portadores e esclarecedores destas informações para a sociedade gaúcha”, esclarece o presidente da JPMDB-RS, Beto Fantinel.

Também integram a pauta do 13ª Acampamento a avaliação das eleições municipais. A JPMDB elegeu 7 prefeitos, 7 vice-prefeitos e 193 vereadores no Rio Grande do Sul. Num comparativo com a juventude peemedebistas de outros estados do País, foi a que mais elegeu, proporcionalmente, representantes para o Executivo e Legislativo.

O 13º Acampamento contará com a participação de delegações da Juventude de todas as regiões do Rio Grande do Sul e com a presença de líderes do partido. O ato político está previsto para ocorrer às 11h. A programação do evento ainda prevê momentos de confraternização, como a realização de gincana esportiva.

 

Assinatura de cinema do JC

O Jornal do Comércio lançou nesta quinta-feira (1°) uma ação promocional de assinaturas que é um presente de final de ano aos leitores. Em parceria com o GNC Cinemas, o JC dá um combo especial os leitores que fizerem assinatura de 6 meses.

Na compra do plano semestral, o assinante ganha mais um mês de assinatura e mais um combo de dois ingressos e pipoca, válido para assistir um filme em qualquer dia e hora da semana. O custo da assinatura semestral é de 5x de R$ 59,40. O combo é válido até fevereiro de 2017 e pode ser utilizado em qualquer sala do GNC em âmbito nacional.

"Hoje começa o mês do Natal, um mês de presentear, e essa campanha é um presente que une informação e entretenimento aos leitores do JC", afirmou a gerente de Marketing do Jornal do Comércio, Beatriz Moraes.

Também no lançamento da campanha promocional, o diretor comercial Luiz Borges e o gerente de Circulação Cláudio Gajko destacaram o mote da campanha, que aposta no momento das festas de final de ano, propício às confraternizações. "Esta campanha encerra nossas ações para 2016 e se insere dentro do espirito natalino", afirmou Borges. "É uma campanha que fecha o ano com sucesso. Em tempos de recessão econômica, o leitor tem a vantagem de usufruir a um preço especial o conteúdo do JC e um momento de diversão, ou de ainda presentear alguém", destacou Gajko.

A promoção especial vai até o dia 30 de dezembro, e é válida enquanto durarem os estoques de ingresso. Para mais informações desta e outras modalidades de assinatura, acesse www.jornaldocomercio.com/assine ou ligue para 0800-0510133.

 

Arena Condá recebe multidão para missa e homenagens às vítimas do voo da Chapecoense

Uma multidão foi até a Arena Condá, em Chapecó, na noite desta quarta-feira, 30, para mais uma homenagem aos atletas, dirigentes e jornalistas que sofreram acidente aéreo na Colômbia. Outra celebração foi realizada simultaneamente em Medellín, no estádio onde seria realizado o primeiro jogo da decisão da Copa Sul-Americana.

Foto: Paulo Munauar/ADR Chapecó

Em Chapecó, um altar para a celebração religiosa foi montado no meio do campo. Familiares dos mortos receberam a solidariedade e o carinho de todos. Estiveram presentes o goleiro Marcelo Boeck - atualmente do Palmeiras, mas que já atuou na Chapecoense -, e jogadores que não foram convocados para a partida na Colômbia.

As torcidas organizadas cantaram e fizeram muitas homenagens. As vítimas da tragédia foram relembradas, em forma de escalação no telão do estádio, sob muitos aplausos e gritos de “campeão”.

Na Colômbia, a cerimônia foi realizada no Estádio Atanásio Girardot, local onde seria realiza a partida com o Atlético Nacional.

Velório na Arena

Na manhã desta quinta-feira, 1, a assessoria de comunicação da Chapecoense realizou uma nova entrevista coletiva com mais de 500 jornalistas. Foram apresentados os procedimentos e encaminhamentos para a despedida. São esperadas cerca de 100 mil pessoas no velório coletivo, na Arena Condá. A nova previsão é que o velório aconteça no sábado, 3.

Para agilizar a cerimônia fúnebre, os torcedores não terão acesso ao gramado, onde estarão os caixões. A este local terão acesso somente os familiares. A imprensa ficará no gramado, mas com certa distância. O assessor da Chapecoense, Andrey Copetty, informou que a segurança no aeroporto municipal deverá ser feita pelo Governo Federal. O governador do Estado de SC, Raimundo Colombo, acompanhará as homenagens, e é esperada a presença do presidente da República, Michel Temer.

Do aeroporto até a Arena Condá, os caixões serão transportadas em três caminhões abertos, e o trajeto terá as ruas bloqueadas. A duração total das cerimônias, deste o aeroporto até os atos de homenagens no estádio, deve durar em torno de quatro horas. No encerramento, serão feitas homenagens com honras militares, salvas de tiros e toque do silêncio. Depois disso, cada família decidirá qual o local e o procedimento para os funerais. Em Chapecó, deverão ser sepultados cerca de 16 corpos.

Em webprograma semanal, Raimundo Colombo fala sobre acidente com a delegação da Chapecoense na Colômbia

O webprograma Com a Palavra, o Governador dessa semana teve um único assunto: a tragédia que comoveu o mundo e deixou 71 mortos, em Medellín, na Colômbia. O avião que caiu levava a delegação da Chapecoense e jornalistas brasileiros para a primeira partida da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional.

“Foi um impacto muito forte, tanto que o mundo inteiro parou para demonstrar a sua solidariedade e a sua dor. A Chapecoense vinha fazendo um trabalho extraordinário de engrandecimento do esporte no país. Um time de uma cidade do interior, com pouca tradição em nível nacional e internacional, que estava se destacando e tendo um excelente desempenho no Brasil e, pela primeira vez, disputando a Copa Sul-Americana...”, lamentou o governador.

Colombo destacou o trabalho realizado pelo Governo do Estado de SC e enalteceu o que foi feito pelo governo da Colômbia. “Deslocamos imediatamente uma equipe para Medellín, e lá foi feito um trabalho junto à embaixada brasileira e, sobretudo, com o governo colombiano, que foi muito prestativo e agilizou tudo. Impressionante como eles se dedicaram”, afirmou.

Em sua mensagem final, o governador disse que é uma hora difícil e as palavras perdem a força. “É um sentimento que não tem como não ser de dor e sofrimento. À todos que ajudaram e aos familiares, recebam a nossa solidariedade, nossa fé e nosso apoio", disse.

A entrevista, na íntegra, está disponível nos canais oficiais do Governo no Vimeo e no Youtube. A versão, apenas em áudio, pode ser acessada na Rádio Secom.

 

Governo do Estado, Secretaria dos Transportes e prefeitura de Santo Ângelo inauguram estrada de acesso ao Buriti, esperada há mais de 25 anos


Acesso foi inaugurado nesta sexta-feira (02). - Foto: Kika Rauber

Seguindo a busca por melhorias na malha rodoviária gaúcha, o governo do estado e a Secretaria dos Transportes entregaram mais uma obra nesta sexta-feira (02). Desta vez o município beneficiado é Santo Ângelo, que teve concluído os serviços de pavimentação e recapeamento asfáltico na estrada de Acesso ao Distrito Buriti, com extensão de 10.623,00 metros.

De acordo com o secretário Pedro Westphalen, a entrega da via é mais um passo importante dado pelo Rio Grande do Sul. “Esse acesso que entregamos é da mais alta importância, por ser o resgate de uma obra parada há muito tempo. O Buriti é uma comunidade próspera e que tinha dificuldades de se comunicar com Santo Ângelo devido a estrada não estar com seu asfalto concluído. Esse é um dos 13 convênios resgatados pelo nosso governo. Com isso, conseguimos entregar essa obra da mais alta qualidade, cumprindo mais uma obrigação”, destacou o titular da pasta dos Transportes.

Para o Diretor de Infraestrutura Rodoviária do Daer, Luciano Faustino,a autarquia irá manter o ritmo intenso das obras e dos investimentos nas rodovias do estado. “No caso dos convênios municipais com o financiamento do BNDES, foi possível desenvolver um ritmo muito bom nas obras, e o resultado disso é uma série de conclusões. Esse convênio do Buriti é um dos mais expressivos de valores e extensão, e irá promover um desenvolvimento na região”, disse.

O prefeito Andres, de Santo Ângelo, comemorou o novo acesso. “O distrito do Buriti é o principal de Santo Ângelo. Ele tem muita produção econômica e diversas agroindústrias de embutidos, linguiças e queijos. Esse asfalto entre a cidade e o distrito é um incremento importante para a região”. Andres ainda celebrou a inauguração após anos de espera. “Fazem mais de 25 anos que esperamos esse acesso. Fico muito orgulhoso de ser entregue agora para a nossa população”, concluiu.

O valor investido foi de R$ 5.743.355,92, sendo que o Estado, através do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), repassou R$ 4.594.649,70. Os recursos foram oriundos do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES). A responsabilidade de fazer a obra foi do município, enquanto o Daer ficou encarregado com a fiscalização.

 

de Serafina

MÓDULO ESP LAURINDO CADORE - BAIRRO PLANALTO


2 de dezembro de 2016

DE SAO BORJA

40 ANOS SEM JANGO. SÃO BORJA NÃO VAI LEMBRAR DO PRESIDENTE FALECIDO

ESPECIAL, POR OLIDES CANTON, DE SÃO BORJA

NÃO HÁ NENHUMA HOMENAGEM PREPARADA PRA MORTE DO JANGO. FAZ 40ANOS QUE O EX PRESIDENTE MORREU NO EXILIO NA ARGENTINA. O PDT DAQUI LEVOU UM TAQUARAÇO DA ARENA ANTIGA, HOJE PP, E ESTÁ MAIS PRA BAIXO QUE RABO DE CAVALO. HAVERÁ APENAS A OBRIGATÓRIA SESSÃO DA CAMARA MUNICIPAL QUE POR LEI TEM QUE SER FEITA.

FAMILIARES DE JANGO TAMBÉM NÃO VIRÃO A SÃO BORJA. CRISTHOPHER GOULART , NETO DO EX-PRESIDENTE, ME DISSE QUE OPTOU POR FICAR EM PORTO ALEGRE.ELE É FUNCIONÁRIO HOJE DO GABINETE DO SENADOR LASIER MARTINS, DO PDT. E É SUPLENTE DO SENADOR.

JANGO MORREU NA SUA FAZENDA NA ARGENTINA. MUITOS DIZEM QUE FOI ENVENENADO. SEGUNDO CHITA, O FLORENCINHO, DONO DA LA BARCA. UM BOTECO NO CENTRO DA CIDADE,FILHO DO EX PREFEITO FLORENCIO AQUINO GUIMARÃES, DONA NEUSA GOULART NO VELÓRIO TERIA LIMPADO UMA BABA VERDE QUE SAÍA DA BOCA DO FALECIDO IRMÃO QUE ESTAVA SENDO VELADO.
- ELA BOTOU O LENÇO NA BOLSA E ESTE LENÇOU SUMIU, DISSE CHITA, QUE TEM CONVICÇÃO QUE JANGO FOI ENVENENADO. ATÉ HOJE NUNCA SE PROVOU NADA.JANGO ERA ALVO DA OPERAÇÃO CONDOR NAQUELES ANOS DE CHUMBO.

na prAÇA xv de novembro, NO CENTRO DA CIDADE, NÃO HÁ NENHUMA HOMENAGEM A JANGO.TEM 3 A GETULIO, UMA A BRIZOLA, UMA A APARICIO MARIENSE, MAS NADA A JANGO. DE JANGO APENAS UM BUSTO NA FRENTE DA PREFEITURA. BUSTO QUE O FALECIDO PREFEITO JUCA ALVAREZ CHAMAVA DE DOIS CABEÇÃO.PORQUE TEM UM DO GETULIO TAMBÉM.
SOB UM SOL DE 37 GRAUS ACOMPANHEI AGORA AS DUAS E MEIA A ESCOLA VICENTE GOULART NUM PROGRAMA DENTRO DA 31 FEIRA DOLIVRO. OS GURIS DE 4 A 5 ANOS APRENDERAM QUE TEM LÁ 3 LEMBRANÇAS DE GETULIO - 2 BUSTOS E UM MAUSOLEU, INAUGURADO EM 24.08.2004 ,UM BUSTO DE APARICIO MARIENSE - VULTO IMPORTANTE EM SB - UM BUSTO DE LEONEL BRIZOLA, A ESQUINA COLORADA, NADA DO GREMIO, ENTRE OUTRAS COISAS, COMO A PRAÇA DO JOÃO DA BALA E A BANCA DO JORNAL COM PROPAGANDA DO CORREIO DO POVO.AH, TAMBÉM OS GURIS APRENDERAM QUE O PALCO É PRAS AUTORIDADES NOS EVENTOS IMPORTANTES.
DE JANGO NADA. APENAS O BUSTO QUE FICA NA FRENTE DA PREFEITURA. SÃO BORJA DE CERTA FORMA NUNCA GOSTOU DE JANGO, APESAR DE TUDO O QUE SE DISSE AO CONTRÁRIO.JANGO É VISTO AQUI COMO UM FUJÃO, O QUE NÃO RESISTIU A DITADURA. O RESTO É CONVERSINHA MOLE PRA JORNAL.

CHITA ME DISSE HOJE QUE QUEM CARREGOU O CAIXÃO DO JANGO NO DIA DO ENTERRO FORAM OS JOGADORES DO SÃO BORJA QUE ENFRENTARAM OS MILICOS QUE NÃO QUERIAM MUITA MULTIDÃO NO CEMITERO COM MEDO DE TUMULTO.
- ERA UM DIA de muito tempo ruim, lembrou Chita. Ele tem 56 anos hoje.

aqui existe O MUSEU DO JANGO MUITO BEM ORGANIZADO...é mais visitado que o do getulio, que são os dois principais museus daqui.(olides canton, de são borja, sob um calorão de derreter miolos)

 

FOFOCAS SÃOBORJENSES

1.

DECO ALMEIDA ESTEVE NAS OROPAS. ELE NÃO É DE VIAJAR MUITO...É GERENTÃO DOS ANDREIS EM SB

2.


DECO ALMEIDA SEMPRE FOI DA ARENA ANTIGA.

NA DISCUSSÃO DE VERBA PUBLICA DA PREFEITURA NA CMSB NA 4 PASSADA, NÃO HÁVERBA PRA ELEVADOR DE 4 ANDARES DA SMEDUC. MAS TEM QUASE 200 MIL RESERVADOS PRA PROPAGANDA DA PREFA.


A FEIRA DO LIVRO SÓ SAIU PQ A DONA DA SUPERAÇÃO ENTESOU EM FAZER. O PREFA NÃO DEU UM PUTO.
OS BARRAQUEIROS SE REUNIRAM E FIZERAM COM AJUDA DO SESC E DAS FREIRAS. O PREFA SÓ FOI PRA INAUGURAR.
A DONA DA SUPERAÇÃO É FILHA DO IBRAHIM MAMUD, UM TURCO DONO DE LOJA AKI.

XEGO NA 4 DE TARDA NA SEDE DA FSB. PEÇO UM' JORNALIZINHO'. A ROSE QUE ATENDE ME DISSE

- AQUI SÓ TEM JORNAL, NÃO JORNALIZINHO. BEM SÃO BORJENSE.....

RAMAO AGUILAR COM ENORME SUCESSO NA FEIRA DO LIVRO DE SB O LIVRO ANDRÉS GUARURARAÍ Y AATIGAS, MAIS CONHECIDO NO BRASIL COMO O INDIO ANDREZITO.

NICO FAGUNDES SEMPRE DEFENDIA QUE A PONTE INTERNACIONAL SB -STHOME FOSSE COM O NOME DO ANDRECITO.

MAS ACABOU SENDO DA INGERAÇÃO

IBERE TEIXEIRA, QUE DIZEM SER O GARGANTA PROFUNDA DO JUREMIR MACHADO SOBRE ASSUNTOS DE JANGO E BRIZOLA, LANÇOU O LIVRO CRIMES DE SÃO BORJA NA FEIRA DO LIVRO. ESTA NA BANCA DO RODRIGUES NA FEIRA DO LIVRO. LIVRARIA CARMEL. PEDIDO PODE SER FEITO PELO CONTATO COM AUTOR advibere@bol.com.br
ibere escreve bem. proximod ele será LEONEL BRIZOLA, COMANDANTE DA LEGALIDADE.

EGOS NAS ALTURAS
IBERE TEIXEIRA SE ESTRANHOU COM O PREFA FARELO ALMEIDA, QUE ESTÁ EM BAIXA DEPOIS QUE TOMOU UM ' LAÇAÇO' NA ELEIÇÃO PASSADA.

ALO FERNANDO DE URUGUAIANA. ESTOU AKI EM SB. QDO SAIRÁ A VISITA AI???

QUANDO ANTIGAMENTE UM AVIÃO RASGAVA O CEU DE SÃO BORJA, OS CARAS DIZIAM. LÁ VAI O BRIZOLA, OU LÁ VEM O BRIZOLA. AGORA É O HOMEM DO ARROZ, OU CELSO RIGO.

A FSB BAIXOU BASTANTE SUA CIRCULAÇÃO COM A CRISE.MAS CONTINUA UM BOM JORNAL. A REPORTER GELCI SARAIVA QUE SE METEU A CANDIDATA A VEREADORA TRABALHAVA NA REDAÇÃO NA MANHA DE 4 PASSADA. PRA EDIÇÃO DE SAB. ELA É BOA NISTO QUE FAZ, NÃO COMO VEREADORA.

FEIRA DO LIVRO DE SB NÃO PAROU POR UM TRIS. GRAÇAS AO SESC NA PESSOA DO MAURO E NELI.

2.
ELA TEM 31 ANOS.

DECO ALMEIDA, CRONISTA SOCIAL MAIS IMPORTANTE DA CITI, PENDUROU AS CHUTEIRAS. SE APOSENTOU DA RÁDIO CULTURA. ESTEVE NA ITALIA. E PEDIU O BONÉ TAMBÉM DA PREFEITURA. ONDE ENTROU NO TEMPO DA ARENA.

PROFESSORA ADRIANA DUVAL, NÃO CONFUNDIR COM NADINE DUBAL , DÁ AULA NA UNIPAMPA AQUI.

*

UM ALUNO DO JONALISMO NA UNIPAMPA CUSTA A BAGATELA DE 400 MIL REAIS ATE SE FORMAR.A VIUVA PAGA.

 

Chapecó prepara-se para velório coletivo das vítimas de acidente aéreo

De luto, a cidade de Chapecó prepara-se para receber os corpos dos atletas e dirigentes da Chapecoense e dos jornalistas que fariam a cobertura da Copa Sul-Americana e estavam no avião que caiu na cidade colombiana de Medellín. A assessoria de comunicação da Associação Chapecoense de Futebol informa que o velório com as vítimas deverá ser coletivo, aberto ao público e realizado no gramado da Arena Condá. O aeroporto municipal também está sendo preparado para receber o avião que fará o traslado dos corpos.

Fotos: Paulo Munauar/ADR Chapecó

Os corpos devem chegar em Chapecó nesta sexta feira,2, ou no sábado, 3. Após a realização de uma cerimônia religiosa que deverá ser breve, cada família decidirá aonde o familiar será sepultado. Ainda não se sabe quantos corpos serão sepultados em Chapecó. Nesta quarta-feira à noite, no horário em que seria realizado o jogo em Medellín contro o Atlético Nacional, haverá uma grande missa na Arena Condá em homenagens às vítimas.

Cidade comovida

Há um silêncio de luto pelas ruas da cidade. Onde há conversa, o assunto é a tragédia com a Chapecoense. O clima é de tristeza e apoio aos familiares. Em solidariedade, os símbolos da cidade, bem como o comércio e indústria, demonstram seus sentimentos, colocando faixas em preto e verde e cartazes de apoio. Na Catedral Santo Antônio, enormes faixas pretas foram colocadas desde as torres até a entrada da igreja. O mumento Desbravador, símbolo de Chapecó, também recebeu está de luto.

No município, as aulas da rede estadual foram suspensas nesta terça, 29, e quarta-feira, 30. O mesmo procedimento ocorre nas escolas da rede municipal de ensino. As universidades também suspenderam as aulas por dois dias, e nesta quarta-feira o prefeito em exercício Elio Cela decretou ponto facultativo. A prefeitura decretou luto oficial de 30 dias e todos os eventos agendados foram suspensos.

 

Identificados 45 corpos das vítimas do acidente aéreo na Colômbia

O secretário executivo de Assuntos Internacionais, Carlos Adauto Virmond Vieira, informou, no final da tarde desta quarta-feira, 30, que 45 corpos das vítimas do acidente aéreo envolvendo a delegação da Chapecoense e um grupo de jornalistas estão formalmente identificados. Carlos Adauto está em Medellín, onde acompanha os trâmites para agilizar a liberação dos corpos das vítimas. “No Comitê de Desastres, montado no aeroporto de Medellín, o secretário de Segurança Pública de Medellín, Gustavo Villegas, informou que os 45 corpos começam a ser embalsamados nas próximas horas”, disse.

Há uma expectativa que todos os corpos estejam identificados e embalsamados até noite de quinta-feira, caso não ocorra nenhum problema técnico. Duas aeronaves da FAB, que farão o transporte dos corpos de Medellín até Chapecó, já estão posicionadas na Base Aérea de Manaus aguardando a conclusão dos trabalhos na capital colombiana para fazer o traslado.

Carlos Adauto disse ainda que a prefeitura de Medellín está organizando um ato de despedida às vítimas do acidente. “Estão sendo providenciados 70 carros funerários para levar os corpos até o aeroporto de Medellín, onde terá uma cerimônia com honras militares para os atletas e jornalistas que perderam a vida nesta tragédia aqui na Colômbia", afirmou.

O secretário também informou que os médicos catarinenses que integram a comitiva do Governo do Estado visitaram os hospitais nos quais os sobreviventes estão internados. “A impressão geral é que tratam-se de hospitais de altíssima qualidade e que todo o atendimento prestado às vítimas do acidente, desde os primeiros socorros até o atendimento em UTI, foram de um elevado nível técnico”, disse.

 

Banrisul reduz taxas de juros e aumenta percentuais de financiamento do crédito imobiliário

O Banrisul anuncia que, a partir desta quinta-feira (01.12), as linhas de crédito imobiliário estão operando com percentuais de financiamento maiores e taxas de juros reduzidas. As alterações ocorreram nas modalidades para aquisição e construção de imóveis residenciais e comerciais novos ou usados.

O limite máximo de avaliação para enquadramento no financiamento de imóveis pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH) também aumentou, passando para R$ 800 mil.

Os interessados podem procurar a agência do Banrisul na qual são correntistas para obter mais informações e realizarem a simulação do financiamento.

 

Programação do Clube de Cinema para o próximo final de semana

No próximo Sábado (dia 03/12/2016) as 10h15min na Sala Multiuso Santander assistiremos ao filme "Depois de horas" (After hours - 1985). É a história de uma noite na vida de Paul Hackett (Griffin Dunne), um operador de computador que trabalha no centro de Manhattan e odeia seu trabalho, como também não suporta sua solitária vida particular. Na noite em questão, cansado de ficar sozinho em casa, foi ler em um restaurante. Lá uma bela e encantadora jovem, que estava em outra mesa, puxa conversa dizendo que adora o livro que ele está lendo. Logo está na mesa dele e os dois conversam animadamente, parecendo compartilhar de alguns interesses comuns. Ela lhe diz que está indo para a casa de uma amiga, que é escultora e mora no Soho. Ela diz que sua amiga faz um tipo de trabalho que ela vende como peso para papel e pergunta se Paul quer comprar. Ele não tem o menor interesse, mas a mulher que está à sua frente lhe desperta muitas coisas, e assim diz que quer comprar. Como ela não sabe o preço dá o telefone de Kiki Bridges (Linda Fiorentino), a escultora, e vai embora. Já em casa, Paul liga para Kiki, usando como pretexto seu interesse por pesos para papel. Logo Kiki lhe diz que a jovem com quem falou chama-se Marcy, que vai ao telefone e sugere que ele a encontre no apartamento do Soho. Ele concorda prontamente, mas o que poderia ser uma noite agradável torna-se o início de uma noite conturbada. Os problemas já começam no caminho, quando Paul deixa voar pela janela do táxi sua única nota de vinte dólares. As ruas de Soho estão escuras e abandonadas, como um mau presságio. Marcy está passando alguns dias no apartamento de Kiki, que faz esculturas estranhas, tem gostos sexuais "excêntricos" e conversa estranhamente, ocultado ter sido queimada. No quarto de Marcy, Paul tem a conversa sucinta de um primeiro encontro e ela diz que seguramente eles terão grandes momentos. Entretanto tudo começa a dar e uma sucessão de eventos infernam a vida de Paul. Esta maré de má sorte vai em um crescendo, ao ponto de ser perseguido por uma turma que crê que Paul seja um bandido.

No próximo Domingo (dia 04/12/2016) as 10h15min na Sala Paulo Amorim assistiremos ao filme "Amnésia" (Amnesia- 2015). Martha (Marthe Keller) vive sozinha de frente para o mar em Ibiza e sua vida começa a mudar quando surge uma amizade inesperada entre ela e Jo (Max Riemelt), um músico de 20 anos que sonha em ser contratado como DJ na famosa boate berlinesa Amnesia. O filme foi apresentado nas Seções Especiais do Festival de Cannes 2015.


1º de dezembro de 2016

de sao borja

FARELO ALMEIDA FAZ LIMPA NA PREFA. MANDOU 30 CC HJ PRA RUA. O CAPINCHO JÁ SE FOI A LA CRIA AMAIS TEMPO.

A FEIRA DO LIVRO ABRIU AKI COM ALGUMAS BARRACAS.SEM A PREFA. VAI SER A MELHOR FERA DOS ULTIMOS TEMPOS.DEI ENTREVISTA NA RADIO A FERIA E ESCULHAMBEI TUDO.

 

CNPL lança Programa "Preparando para o futuro" para combater trabalho infanto-juvenil

A Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL), presidida pelo gaúcho Carlos Alberto Schmitt de Azevedo, lançou em Brasília, o Programa “Preparando para o Futuro” para incentivar a contratação de adolescentes e jovens aprendizes em entidades sindicais. Além da inclusão social, por meio do primeiro emprego, o Programa prevê contribuir para o combate do trabalho infanto-juvenil.

O Programa “Preparando para o Futuro” foi inspirado no Programa Adolescente Aprendiz, instituído pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), em 2012 e, incentivará, em âmbito nacional, as entidades sindicais na contratação de adolescentes e jovens aprendizes.

Atualmente, cerca de 3,3 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos trabalham no Brasil, destes, mais de 2 milhões são jovens acima de 14 anos que poderiam estar inseridos em programas de aprendizagem em ambiente protegido. Além disso, é importante destacar que mais de 50% desses 2 milhões de jovens atuam em trabalhos irregulares e com riscos à sua saúde e desenvolvimento.

O Programa, criado de acordo com a Lei de Aprendizagem nº 10.097/2000, atenderá adolescentes e jovens entre 14 e 24 anos, com a duração do contrato de trabalho de até dois anos. Durante esse período, o jovem será capacitado na entidade, combinando formação teórica e prática. Antes de ingressar na entidade sindical, o aprendiz selecionado receberá treinamento específico para iniciar o trabalho.

 

Agência Central do Banrisul é premiada com Selo de Acessibilidade 2016

A Agência Central do Banrisul foi agraciada com o Selo de Acessibilidade Porto Alegre edição 2016. O reconhecimento foi concedido pela Secretaria Municipal de Acessibilidade e Inclusão Social. A distinção será entregue nesta quinta-feira (01.12), às 14h, no Centro de Eventos da Pontifícia Universidade Católica do RS (prédio 41), em Porto Alegre. O Banrisul é a primeira instituição financeira de Porto Alegre a receber esta distinção e atende, atualmente, aproximadamente 72% da rede de agências com os critérios de acessibilidade.

O Selo e o Certificado de Acessibilidade foram instituídos na Capital em publicação no Diário Oficial de Porto Alegre, no Decreto 15.752. O objetivo é incentivar que os espaços atendam a todas as pessoas, com diferentes necessidades, de forma autônoma, segura e confortável, contemplando elementos ou soluções que assegurem a acessibilidade.

 

Acampamento de Verão da JPMDB-RS será neste final de semana



Será neste sábado e domingo, dias 3 e 4 de dezembro, em Tramandaí, no Grêmio Esportivo Geraldo Santana (Rua Marquês do Herval, 1732), a 13ª edição do Acampamento da Juventude do PMDB-RS.

O núcleo – que há exatamente um ano entregou documento ao governador José Ivo Sartori pedindo a reestruturação do Estado –, terá como uma das principais pautas as medidas de modernização apresentadas recentemente pelo Piratini.

"Além de avaliarmos as medidas que serão votadas pela Assembleia Legislativa, iremos pedir aos nossos jovens que sejam portadores e esclarecedores destas informações para a sociedade gaúcha”, esclarece o presidente da JPMDB-RS, Beto Fantinel.

Também integram a pauta do 13ª Acampamento a avaliação das eleições municipais. A JPMDB elegeu 7 prefeitos, 7 vice-prefeitos e 193 vereadores no Rio Grande do Sul. Num comparativo com a juventude peemedebistas de outros estados do País, foi a que mais elegeu, proporcionalmente, representantes para o Executivo e Legislativo.

O 13º Acampamento contará com a participação de delegações da Juventude de todas as regiões do Rio Grande do Sul e com a presença de líderes do partido. A programação do evento ainda prevê momentos de confraternização, como a realização de gincana esportiva.

Programação

Dia 3 (Sábado)

8h - Recepção das delegações
8h30 - Credenciamento
10h30 - Ato de abetura
12h30 - Almoço
13h30 às 14h - Inscrições para a gincana
14h30 - Início da gincana
18h30 - Final da gincana
19h30 - Ato de premiação
20h - Jantar

Dia 4 (Domingo)

- Programação livre



ARQUIVO



OLIDES CANTON - JORNALISTA

Nascido em 16 de Janeiro de 1952 na cidade de Serafina Corrêa-RS, Olides Canton passou nesta cidade toda a sua infância. Mudando-se para Porto Alegre, cursou a Escola Julio de Castilhos, tornando-se Bacharel em Comunicação Social pela FABICO/UFRGS em 1982. Trabalha como Jornalista desde 1970. Trabalhou na Companhia Jornalística Caldas Júnior, Jornal Zero Hora. No Jornal do Brasil e Revista Carga e Transporte atuou como free-lancer. Editor do Jornal de Bordo e Revista Fitness. Possui 9 livros publicados. Ganhou quatro prêmios de Jornalismo, um do Badesul, dois do Setcergs e um da ARI. Registro no Sindicato dos Jornalistas RS: 2776 - Registro Jornalista - Mtb 4959.

Telefone: (51) 3330-6803
e-mail: contato@deolhoseouvidos.com.br

Autor de inúmeros livros, Olides Canton firmou-se como um
exímio contador de histórias contemporâneas.
Conheça agora as obras do autor
© "de Olhos e Ouvidos"  -  Todos os direitos reservados
Os textos e imagens publicados neste site são de inteira responsabilidade de Olides Canton.


EDIÇÕES DO FITNESS

Edição 201 - novembro 2016
Edição 200 - outubro 2016
Edição 20 - agosto 2016
Edição 19 - julho 2016
Edição 187 - maio 2016
Edição 186 - abril 2016
Edição 185 - fevereiro 2016
Edição 184 - janeiro 2016
Edição 183 - outubro 2015
Edição 182 - setembro 2015
Edição 181 - agosto 2015
Edição 180 - julho 2015
Edição 179 - maio 2015
Edição 178 - março 2015
Edição 177 - feverero 2015
Edição 176 - janeiro 2015
Edição 175 - dezembro 2014
Edição 174 - novembro 2014

Edição 173 - outubro 2014

Edição 172 - agosto 2014

Edição 171 - junho 2014

Edição 170 - maio 2014

Edição 169 - março 2014
Edição 168 - janerio 2014
Edição 167
Edição 166
Edição 165
Edição 164
Edição 163
Edição 162

Edição 161
Edição 160
Edição 159
Edição 158
Edição 157
Edição 156
Edição 155
Edição 154
Edição 153
Edição 152
Edição 151
Edição 150
Edição 149
Edição148
Edição 147
Edição146
Edição145
Edição144
Edição143
Edição 142

Edição 141
Edição 140
Edição 139
Edição 138
Edição 137
Edição136
Edição135
Edição134
Edição 133
Edição132
Edição 131
Edição 130
Edição129
Edição128
Edição127
Edição 126
Edição125
Edição 124

Edição 123
Edição 122
Edição 121
Edição 120
Edição 119
Edição 118
Edição 117
Edição 116
Edição 115
Edição 114
Edição 113
Edição 112
Edição 111
Edição 110
Edição 109
Edição 108
Edição 107
Edição 106
Edição 105
Edição 104
Edição 103
Edição 102
Edição 101
Edição 100
Edição 99

ANUNCIE NO SITE

Entre em contato conosco

Edições Anteriores do Blog